Cinco erros que você não deve cometer na hora de comprar passagens aéreas!

Por
Publicado 11 · jul · 2019       21:24Atualizado 12 · jul · 2019

Comprar uma passagem aérea parece ser algo simples. Mas, alguns detalhes exigem atenção dos viajantes e fazem a diferença, evitando imprevistos que podem arruinar os seus planos de viagem! Nesse post listamos cinco erros cometidos por iniciantes ou viajantes experientes, com dicas para evitá-los. Confira!

 

1º erro: Deixar para comprar a passagem depois, ou em cima da hora da viagem! São dois riscos enormes. O primeiro, é quando você encontra a passagem perfeita, com um preço legal, no dia e horário que você gostaria, mas ao invés de emitir logo vai na linha do “mais tarde eu compro… deixa eu ver com fulano(a) se fica bom pra ele(a)”. A chance da tarifa ter aumentado quando você consultar novamente é muito grande, especialmente se for uma boa promoção. Por isso, o ideal é já combinar com a família, amigos ou parceiros de viagem os dias que são viáveis, de preferência com alguma flexibilidade de datas, para quando aparecer um preço bom a decisão ser tomada com agilidade.

Outra questão é nunca deixar para comprar a passagem aérea muito perto do dia da viagem. Com poucas exceções, os preços das passagens aumentam com menos de 30 dias de antecedência da viagem, e continuam subindo até a véspera do voo. Em feriados e férias escolares, a antecedência deve ser maior. Portanto, se não quiser pagar mais caro, planeje sua viagem com antecedência.

Veja também: Qual o melhor dia para comprar passagens aéreas?

 

2º erro: Comprar uma passagem aérea sem saber se ela dá direito a bagagem despachada, marcação de assentos e outros serviços que você vai utilizar. Foi-se o tempo em que a única preocupação do viajante era a data e o horário do voo. Cada vez mais as companhias aéreas estão vendendo tarifas com menos serviços incluídos, cobrando separadamente por quase tudo. Até aí, tudo bem. Só que o preço desses serviços varia muito. A bagagem nos voos para a Europa, por exemplo, pode custar entre R$ 140 e R$ 500 por volume despachado, dependendo da empresa. Para os Estados Unidos, a Latam começou a vender passagens sem bagagem esse mês. Logo, é preciso fazer a conta na hora de escolher a passagem, já que a maioria das pessoas não consegue viajar só com mala de mão para outro continente. Vale lembrar que existem empresas que ainda incluem o despacho em todas tarifas, como Lufthansa, Swiss, Turkish e Royal Air Maroc.

Quem viaja com a família tem outra preocupação: a marcação de assentos. Uma simples reserva de poltrona pode custar entre R$ 10 e R$ 30 em voos nacionais, e entre R$ 30 e R$ 350 em voos internacionais, dependendo da empresa e da poltrona. O risco de viajar separado é uma experiência desagradável, dependendo do caso. Não são todas as empresas que cobram a reserva de assentos, por isso é importante se informar no momento da compra da passagem. Entre as companhias aéreas nacionais, a GOL e a Azul permitem a marcação gratuita no check-in, cobrando apenas a reserva antecipada. Já na Latam, quem não paga não tem direito a escolher o assento, que é designado pelo sistema.

Quem procura flexibilidade também deve levar em consideração os custos para antecipação de voos no mesmo dia da viagem, que em 2018 passou a ser cobrado por todas as companhias aéreas. Determinadas tarifas sequer permitem mais a antecipação de voo, mesmo que o cliente esteja disposto a pagar. A Latam cobra R$ 89 pelo serviço, a GOL R$ 100 e a Azul de R$ 75 a R$ 100. Vale destacar que clientes com status nos programas de fidelidade, ou que adquiriram tarifas mais flexíveis ainda podem antecipar o voo sem custo adicional.

Por fim, já tem companhia aérea voando para o Brasil que cobra até pelas refeições em voos de longo curso. Ou seja, a comida não está incluída na tarifa, devendo ser paga a parte por quem desejar. É a low cost Norwegian, nos voos entre Londres e o Rio de Janeiro. Se essa moda pega, é mais uma coisa para se preocupar e colocar na conta da viagem.

 

3º erro: Não observar as restrições do bilhete. Talvez você descubra isso da pior maneira possível, mas a maioria das passagens que são vendidas hoje no Brasil são de natureza não remarcável e não reembolsável. Isso significa que, qualquer mudança de planos, você tem grandes chances de perder tudo, ou quase tudo que pagou (as taxas de embarque devem ser reembolsadas).

As empresas são obrigadas a oferecer tarifas mais flexíveis, em todos os casos, mas os preços podem ser muito mais altos do que as tarifas promocionais. É importante avaliar se diferença é compatível com a probabilidade de você desmarcar a viagem para tomar uma boa decisão. Em todos os casos, comprar uma passagem para aproveitar uma promoção já pensando em remarcar é uma péssima ideia!

É importante ficar atento a algumas regras que podem ajudar a evitar o prejuízo. Por exemplo, caso a sua passagem tenha sido comprada pela internet, é possível fazer o cancelamento sem custo em até 24 horas após a emissão do bilhete, desde que com mais de 7 dias da data da viagem. O Código de Defesa do Consumidor (CDC) considera o prazo de 7 dias para o cancelamento de compras pela internet em geral, mas as companhias aéreas alegam que ele não se aplica para passagens, já que há uma regulamentação própria, estipulada pela Anac. Porém, os passageiros que insistem podem conseguir que o CDC seja aplicado.

Há ainda exceções, como em casos de mortes, acidentes, doenças graves, alterações de voo, ou ocasiões extraordinárias, onde as companhias aéreas costumam permitir o reembolso ou remarcação das passagens sem custo, bastando o passageiro apresentar evidências do ocorrido.

Veja também: 10 dicas e informações que você precisa saber antes de alterar ou cancelar uma passagem aérea

 

4º erro: Não conferir com calma a data e a hora do voo, e os nomes dos passageiros na hora de comprar uma passagem aérea. Problemas dessa natureza são mais comuns do que você imagina. Quem nunca se confundiu com aqueles calendários dos sites de compra e, quando percebeu, tinha selecionado o voo para um dia ou mês diferente do pretendido. Ou, então, escolheu um voo sai 00:10 do dia 26, achando que o embarque seria no mesmo dia, quando, na verdade, exige a ida para o aeroporto no dia 25 à noite. Mesmo viajantes experientes podem cometer erros.

Na hora de escolher seu voo considere também as opções de transporte até o aeroporto e seus respectivos custos, tempo de deslocamento, e a logística entre a saída ou entrada na hospedagem. Fique atento também ao calendário do destino, já que as datas de feriados e dias festivos costumam ser diferentes, o que pode afetar as condições de trânsito e o funcionamento do transporte público.

Outros problemas recorrentes envolvem nomes e sobrenomes dos passageiros. Algumas situações, como erros simples de grafia, inversão de nome com sobrenome, ou troca nas ordens dos sobrenomes costumam ser resolvidos sem problemas, desde que o passageiro solicite a correção antes do check-in. Agora, se o nome ou o sobrenome estiver totalmente errado, prepare o bolso, pois a mudança provavelmente vai exigir a remarcação do bilhete, com um custo elevado.

Por isso, a dica é sempre conferir com calma todos os dados, antes de clicar em comprar! E, assim que receber o bilhete, fazer uma nova checagem, pois qualquer deslize pode ser solucionado com o cancelamento do bilhete dentro das 24 horas da janela de compra.

Veja também: É possível corrigir o nome do passageiro numa passagem aérea? E transferir o bilhete para outra pessoa?

 

5º erro: Comprar a passagem acreditando que avião é tudo igual e que as empresas aéreas oferecem o mesmo padrão de serviço. Não é verdade! Especialmente nos voos internacionais. A diferença é muito grande. É como chamar um Uber ou um táxi e vir um carro mal conservado, caindo aos pedaços, com um motorista grosseiro, ou um veículo novo, confortável, com um motorista gentil e prestativo. Na aviação, dependendo da aeronave e da companhia aérea você pode ter, por exemplo, acesso a um sistema de entretenimento com individual em seu assento com filmes, séries, música e jogos, uma refeição gostosa de melhor qualidade, uma menor chance do voo atrasar, ser cancelado, ou de haver overbooking, além da qualidade do atendimento da tripulação. Por outro lado, cair numa armadilha, viajando num avião apertado e mal conservado, sem entretenimento, com serviço ruim e comissários agressivos.

Portanto, caso não tenha uma diferença grande de preço, se informe sobre a reputação da companhia aérea. Algumas agências online apresentam a avaliação dos clientes para cada empresa. No Melhores Destinos, publicamos semanalmente avaliações de voos feitas pela nossa equipe e por leitores. Além disso, pesquisando no Google “como é voar com a empresa x” ou “avaliação de voo da empresa y” você deve encontrar relatos que ajudam a formar a opinião. Para saber sobre as diferentes aeronaves e seus assentos, uma dica é usar o Seat Guru, que mostra a configuração dos aviões e o que é oferecido por cada empresa.

Veja também: Quais as diferenças entre classe econômica, executiva e primeira classe em um avião?

O conteúdo desse post também está disponível em vídeo, no canal do Melhores Destinos no Youtube:

E você, já deu alguma mancada na hora de comprar uma passagem aérea? Como se saiu depois? Comente e participe!