Quais as diferenças entre classe econômica, executiva e primeira classe em um avião?

Leonardo Cassol
1/07/2019  ·  4:56Publicado 1 · jul · 2019  ·  4:56Atualizado 13 · abr · 2020

Quais as diferenças entre classe econômica, executiva e primeira classe em um avião?

Você sabe quais são as principais diferenças entre a Classe Econômica, Executiva, ou Primeira Classe em um avião? Vale a pena comprar uma passagem para voar com mais conforto em outras classes de serviço? Nesse post você confere o que cada classe de serviço oferece em termos de espaço, poltrona, serviço de bordo e experiência da viagem, além de dicas para escolher bem a cabine e economizar!

A maioria das companhias aéreas adota pelo menos duas classes de serviço nos voos internacionais de longo curso, como aqueles que vão para os Estados Unidos, Europa e Oriente Médio. A Classe Econômica, também conhecida como Turística, ou Main Cabin, e a Classe Executiva, também chamada de Business Class. Algumas empresas trabalham também com a Primeira Classe (First Class) e/ou com a Econômica Premium (ou Premium Economy), que são menos comuns. Conheça um pouco mais sobre cada uma delas.

Diferenças entre Classe Econômica, Executiva e Primeira Classe

Classe Econômica

É onde a grande maioria das pessoas viaja. Os assentos geralmente tem um espaço limitado e uma reclinação discreta, a não ser na última fileira de cada cabine e nos assentos que ficam na frente das saídas de emergência, que não costumam reclinar.

As configurações mais comuns das poltronas da Classe Econômica são 2-4-2, 3-4-3 ou 3-3-3, dependendo da aeronave e da companhia aérea. Ou seja, nem todas as poltronas dão acesso a janela, ou ao corredor, os assentos mais desejados.

Algumas empresas como a GOL e a Copa Airlines voam somente com aeronaves de um corredor, na configuração 3-3, a mesma utilizada nos voos nacionais. A Latam também utiliza essas aeronaves em rotas de menor alcance, como dentro da América do Sul.

A maioria das companhias aéreas oferece fones de ouvido e monitores individuais de entretenimento nos voos de longo curso, com programação de filmes, séries, músicas, jogos e outros. Entrada USB e tomada para carregar eletrônicos são facilidades encontradas com frequência. Travesseiro e manta também são comuns, especialmente nos voos noturnos. Internet é um opcional, geralmente cobrado à parte, mas ainda limitado a algumas empresas e rotas.

Nos voos internacionais, o padrão é ser servir pelo menos uma refeição em cada voo, como lanche, café da manhã, almoço ou jantar, dependendo da duração da viagem, do horário do voo e da companhia aérea. Nas viagens com mais de 7 horas, como para a Europa ou Estados Unidos, são servidas duas refeições, uma logo após a decolagem, e outra cerca de 2 horas antes do pouso. Viagens com 13 horas ou mais, como para o Oriente Médio, costumam ter três refeições intercaladas. O acompanhamento varia entre refrigerantes, sodas, sucos de caixinha, até vinho tinto, branco e cerveja, dependendo da empresa. Café solúvel e chá também são oferecidos com frequência. Entre as companhias aéreas que operam no Brasil, apenas a low cost Norwegian cobra à parte pelas refeições. As demais oferecem o serviço sem custo adicional.


Classe Econômica Premium

Primeiro é importante diferenciar um assento premium (ou assento conforto) de uma Classe Econômica Premium. O assento premium é uma poltrona comum, da classe econômica, com mais espaço, seja na(s) primeira(s) fileira(s), ou nas saídas de emergência, por exemplo. Já a Classe Econômica Premium, disponível nos voos de longo curso de poucas companhias aéreas, como a Air France e a American Airlines, por exemplo, geralmente oferece uma poltrona maior e melhor, com apoio para os pés, além de um serviço de bordo mais incrementado, que não chega a ser igual ao da classe executiva, mas é mais completo que o da Classe Econômica. Em algumas empresas, também é oferecida uma nécessaire, garrafa de água, fones de ouvido melhores e outras amenidades adicionais.

Já a Classe Econômica Premium da GOL, disponível em voos internacionais, é uma poltrona comum, com mais espaço, com o assento do meio bloqueado nas primeiras fileiras. Além disso, a GOL oferece algumas amenidades e um serviço de bordo diferenciado. Os bagageiros e o banheiro da parte da frente do avião são exclusivo para os clientes dessa cabine.

 

Classe Executiva ou Business

A Classe Executiva, também chamada Business, foi desenvolvida com foco em passageiros que viajam a negócio e/ou que desejam descansar durante o voo para chegar mais inteiros no destino. Logicamente, também é utilizada por quem quer apenas viajar com mais conforto. Veja a seguir os diferenciais que a Classe Executiva oferece nos voos de longa duração.

As mordomias começam já no aeroporto. Os passageiros contam com guichês exclusivos (com menos fila) no check-in, uma franquia de bagagem diferenciada e maior acúmulo de milhas. Antes do embarque, dependendo do aeroporto e da empresa aérea, é possível aguardar o voo em confortáveis salas VIP, com comidas, bebidas (inclusive alcoólicas), internet, espaço para relaxar ou trabalhar e, em alguns casos, até salas de banho e de descanso.

O embarque e o desembarque também são prioritários. Em algumas cidades, os clientes também contam com passes rápidos no controle de passaportes e na checagem de segurança (raios-x).

Com relação às poltronas, o padrão atual do mercado são assentos que reclinam 180 graus e se transforma em camas, com muito mais espaço que a classe econômica. Dependendo da companhia aérea, todos os assentos podem dar acesso ao corredor, mas existem cabines cuja configuração não permite isso. O monitor de entretenimento geralmente tem um tamanho e uma qualidade de imagem melhor que o da econômica. Mas o conteúdo é o mesmo! Os fones são diferenciados, com tecnologia para isolamento de ruídos.

Durante o voo as empresas oferecem um travesseiro maior e bem mais macio que o da Classe Econômica, além de edredom grande e uma nécessaire com produtos de higiene pessoal, tapa olhos, protetor auricular, meias, pente, enxaguante bucal e outras amenidades. Algumas empresas, como a Qatar, oferecem até pijamas.

O serviço de bordo é um diferencial importante na Classe Executiva. Aqui você descobre que é possível comer e beber muito bem num avião, como se tivesse num restaurante (claro, a qualidade vai depender da companhia aérea). Os passageiros geralmente recebem um menu com 3 a 5 opções de prato principal, além de opções de entrada e sobremesa. Dependendo do horário e da duração do voo, tem ainda café da manhã e/ou lanche. Os pratos geralmente são servidos em louça ou porcelanato, com talheres de metal e copos e taças de vidro ou cristal. Para beber, é comum ser oferecido champanhe ou algum espumante, uma variedade de vinhos, whisky, refrigerantes, sodas, sucos, chá, café, leite e outros tipos de bebidas. Algumas empresas oferecem até suco natural com laranja espremida na hora e café expresso.

Essas não são as únicas diferenças. Há mais espaço para as bagagens de mão e para esticar as pernas. As cabines também contam com toaletes exclusivos. A mesa de refeições é maior e é comum haver luzes de leitura individuais com ajuste de foco. Em algumas cabines, com no Airbus A380 da Qatar e da Emirates, há até um bar para uso compartilhado com os passageiros da Primeira Classe. Chique demais, além de muito funcional!

Primeira Classe

A Primeira Classe é um artigo cada vez mais raro no mundo da aviação. Desenvolvida para fisgar passageiros super exclusivos, habituados a voar em jatos privados, ela vem perdendo espaço para as novas cabines de Classe Executiva, cada vez mais confortáveis e modernas, como a QSuite da Qatar Airways, por exemplo. Mas isso não significa que essa cabine exclusiva deixará de existir, pelo contrário. A tendência da Primeira Classe é continuar num número reduzido de empresas e de rotas, cada vez mais exclusiva.

No Brasil, Air France, Lufthansa, Swiss e Emirates atualmente são as companhias que oferecem cabine de Primeira Classe de alto padrão em voos regulares. Além delas, outras empresas, como a American Airlines, British Airways, Air China ou TAAG, por exemplo, dispõem de Primeira Classe, mas com um serviço mais próximo ao padrão da Classe Executiva, sem tanta exclusividade.

No exterior, as cabines de Primeira Classe mais famosas e renomadas são os lançamentos da Singapore Airlines e da Emirates, além do The Residence, da Etihad, todas com super suítes privativas. Olha só, que sonho…

Se na Executiva o foco é no conforto, otimizando o espaço, na Primeira Classe a prioridade é a privacidade, a exclusividade e a excelência no serviço, tanto na cabine, como nas refeições, bebidas e no atendimento. Ela oferece as principais mordomias e serviços que destacamos na Classe Executiva, indo além em quase todos os aspectos.

O check-in da Primeira Classe, dependendo do aeroporto, tem uma aérea, um guichê ou até um terminal inteiro exclusivo. A Sala VIP também pode ter um espaço reservado para os passageiros da Primeira Classe, ou uma sala própria só para esses clientes (como em Paris, Frankfurt, Qatar e Dubai, por exemplo), com menu de refeições à la carte e bebidas caras, além de uma decoração diferenciada, mais espaço e exclusividade. Também é comum os passageiros serem levados da Sala VIP até o avião em carros de luxo privativos…

Nas refeições, o padrão é ser servido algum prato com porções generosas de caviar na entrada. Há um menu exclusivo de espumantes e vinhos renomados, além de todo o tipo de bebida que você puder imaginar, inclusive drinks especiais que são preparados por comissários treinados para isso. Alguns pratos são assinados por chefes premiados e quase sempre feitos com ingredientes da alta gastronomia, servidos em louça personalizada. Na Lufthansa, por exemplo, até a manteiga tem “First Class” marcada em alto relevo.

As fotos acima das refeições da Primeira Classe são do @fabiovilela do Passageiro de Primeira, que gentilmente nos autorizou a utilizar.

Algumas Suítes da Primeira Classe possuem camas de verdade, desenvolvidas com espuma de alta tecnologia, além de roupa de cama assinadas por grifes de altíssimo padrão.

O espaço costuma ser bem generoso, para que o passageiro se sinta em casa. Na nova Primeira Classe da Emirates, por exemplo, quem senta nos assentos da parte central do avião conta ainda com janelas virtuais que simulam, de forma incrivelmente igual, janelas de verdade, através de monitores e câmeras de alta definição, estrategicamente posicionadas. Veja como funciona nesse vídeo!

No Airbus A380 a Emirates, por exemplo, oferece ainda chuveiro para os passageiros que desejam tomar banho durante o voo. Basta agendar e o passageiro terá 20 minutos de tempo de uso, com 5 minutos de água quente. Já o banheiro da nova Primeira Classe da Singapore provavelmente é maior que o da nossa casa (hehehe), e também muito bonito.

Claro que toda esse mordomia tem um preço, que costuma ser bem elevado. Mas ainda assim, sai muito mais em conta para a empresa do que fretar um jatinho. Esse é o conceito da Primeira Classe!

Importante destacar que nos voos domésticos nos Estados Unidos, México e Canadá, a Classe Econômica Premium é vendida como Primeira Classe (First Class), por uma questão de nomenclatura. Na verdade, são assentos que não tem nada a ver com a Primeira Classe de voos de longo curso. Sequer viram cama, na grande maioria dos casos. Por isso, é importante não confundir as cabines, apesar do nome igual. Então, se você achar uma passagem interna na América do Norte com o nome “Primeira Classe”, não se iluda! Não espere por essas mordomias que citamos aqui.

 

Vale a pena viajar na Classe Executiva, Primeira Classe ou Premium Economy?

A resposta é: depende! Não só do seu orçamento e da sua disposição, mas do preço que está sendo cobrado por cada uma dessas cabines. Isso porque algumas vezes, dependendo da ocupação da aeronave, os preços das classes superiores se aproximam os da econômica. Por exemplo, um voo pode estar com ocupação alta na econômica e vazio na executiva. Já postamos promoções aqui do Melhores Destinos onde a tarifa era a mesmo comparando econômica com executiva. Como a diferença no conforto é grande, vale sempre a pena conferir sem culpa e sem compromisso os preços de outras cabines, e ficar ligado nas ofertas.

Existem também os upgrades de cabine. As empresas costumam vender assentos vagos de última hora para cabines premium. Os preços podem ser absurdos ou atrativos, dependendo da situação. Em casos de overbooking, passageiros com status no programa de Fidelidade costumam receber upgrades operacionais gratuitamente. Além disso, algumas companhias aéreas, como a Latam, Delta, United e American Airlines, também possuem políticas de upgrade gratuito para passageiros frequentes. Outras empresas fazem leilão, onde o passageiro faz um lance e, se aprovado, consegue o assento no dia da viagem. Ficou interessado? Na sua próxima viagem, não custa nada perguntar se tem vaga disponível e alguma forma de fazer um upgrade. Pode compensar muito!

Outra opção é resgatar a passagem em classe executiva com pontos ou milhas. Para quem acumula bastante, vale a pena! A diferença de preço costuma ser menor que em reais e as promoções muitas vezes tornam os resgates irresistíveis e muito vantajosos. Se você tiver milhas, vale a pena conferir, sempre!

Agora, se o lance é pagar por uma cabine melhor, o mais comum é a passagem da Classe Executiva custar o dobro do preço da Classe Econômica. E a da Econômica Premium custar até uma vez e meia do preço da Econômica. Mas isso vai variar conforme a rota, dia, empresa e a ocupação do voo. Já a Primeira Classe, melhor nem saber… (hehehe) Brincadeira! Dependendo da companhia aérea, pode custar de três a dez vezes o preço da passagem em Classe Econômica. Dá até pra trocar de carro com esse dinheiro!

Posso falar por experiência própria. Minha primeira viagem de Classe Executiva foi com um upgrade operacional gratuito, em 2004, voltando do Chile para o Brasil. O voo estava com overbooking e devido a meu status no programa de fidelidade me colocaram na executiva. Fiquei feliz! Mas confesso que naquele dia eu disse pra mim mesmo que nunca pagaria mais caro para viajar numa cabine premium, porque não precisava de todo aquele conforto. Porém, os anos foram passando, a vida melhorando, as viagens ficando mais longas, até que eu descobri os upgrades de cabine e os resgates de executiva com milhas. E, depois de umas viagens em poltronas-cama com serviço de bordo caprichado, acontece uma coisa muito séria. Você se acostuma! E depois que a gente se afeiçoa  é difícil querer outra vida… Lógico que as circunstâncias e o orçamento apertado tratam logo de nos trazer de volta a normalidade. Mas que é bom demais viajar com conforto é, não dá pra negar! Por isso, falo com tranquilidade: se tiver oportunidade, experimente! Vale a pena!

 

Dicas para escolher sua cabine de Executiva, Primeira ou Econômica Premium

1) Pesquise a reputação da companhia aérea antes de comprar. Se existe muita diferença de uma classe econômica para outra, dependendo do avião e da companhia aérea, na executiva e primeira classe essa disparidade é ainda maior. A Copa Airlines, por exemplo, comercializa um produto compatível a uma Econômica Premium como sua Classe Executiva na maioria dos voos para o Brasil. A empresa está investindo em uma cabine mais moderna e confortável, mas ainda são poucos aviões com poltronas-cama.

2) Avalie a qualidade da cabine conforme o avião que vai operar a sua rota. Uma mesma empresa pode ter várias cabines diferentes para uma mesma classe. A Latam, por exemplo, tem hoje duas classes executivas diferentes no Boeing 777 (uma cuja poltrona não reclina 180 graus), outra diferente no Boeing 767 (reclina 180 graus mas é um pouco apertada), e mais uma diferente no Airbus A350 (com mais espaço)… Já a American Airlines tem produtos excelentes em classe executiva voando para São Paulo (nos Boeing 777), mas algumas cabines muito antigas e bem menos confortáveis (que sequer têm sistema de entretenimento) voando para outros destinos brasileiros (nos Boeing 757), por exemplo. Os sites Seat Guru e Expert Flyer te ajudam a saber mais sobre a cabine que você vai encontrar na rota e no dia da sua viagem.

3) Não leve gato por lebre. Assento Premium não é Classe Econômica Premium, nem Classe Executiva. Algumas companhias usam o telemarketing para oferecer supostos upgrades para assentos na saída de emergência por preços elevados, como se fossem a quinta maravilha do mundo. Cuidado! Confira bem o que tem de diferente e procure avaliações antes de decidir se vale a pena comprar. Claro que quem é muito alto ou fica incomodado com o aperto das poltronas pode ter uma viagem muito mais agradável na saída de emergência, ainda que continue na própria Classe Econômica.

—–

E você, já experimentou alguma cabine premium? O que achou? Acha que vale ou não a pena pagar mais pelo conforto durante o voo? Comente e participe!