logo Melhores Destinos

Santorini de Norte a Sul: Dicas e o que fazer na ilha mais charmosa da Grécia

Redação
Redação
26/12/2018 às 18:03

Santorini de Norte a Sul: Dicas e o que fazer na ilha mais charmosa da Grécia

Santorini é uma das ilhas mais famosas da Grécia e um dos destinos turísticos mais cobiçados do mundo.Com o típico contraste azul e branco das ilhas gregas e um pôr do sol inesquecível, não há quem não se encante! Nossas leitoras Luiza Machado e Tatiana de Moraes (@mundoparaduas) viajaram para Santorini em pleno verão europeu e agora compartilham com a gente o que fazer na ilha mais charmosa da Grécia, confira!

Santorini, a ilha mais charmosa da Grécia

Por Luiza Machado e Tatiana de Moraes

Santorini Grécia

O ano era 1.700 a.C. O lugar, uma ilha em pleno Mar Egeu. A erupção avassaladora de um vulcão destruiu a maior parte do arquipélago e da comunidade. O evento foi catastrófico e gerou um tsunami com ondas de até 45 metros. Mas uma coisa não se pode negar: a erupção desse vulcão deu à ilha formas inusitadas e maravilhosas, como paredões de até 300 metros de altura, em diversos tons de cores, contrastando com o azul do mar. Com beleza de sobra, hoje o lugar atrai milhões de turistas todos os anos. Estamos falando de Santorini. Dona de um charme irresistível e do pôr do sol mais famoso do mundo, a ilha é ponto essencial em um roteiro pela Grécia.

santorini greciaO ideal é reservar pelo menos quatro dias inteiros para conseguir fazer os principais passeios da ilha sem correria. Santorini é cheia de pequenas cidades e vilas espalhadas de norte a sul. Ruas lotadas de lojinhas, restaurantes com vista para o mar, praias com vários tons de cor de areia (e pedra!) e as famosas casinhas brancas e igrejas de cúpula azul compõem o cenário mágico. Cada cidadezinha tem seu charme e suas vantagens, então é bom saber um pouco sobre cada uma antes de escolher onde se hospedar.

A capital é Thira, a maior e mais movimentada “cidade” – entre aspas porque as cidades lá mais se parecem com vilas, de tão pequenas e charmosas. O porto e a maioria dos restaurantes, hotéis, bares e mercados ficam lá. É uma boa opção para se hospedar, já que a cidade é central e de lá saem ônibus para quase todos os pontos da ilha, além dos preços serem um pouco mais baixos, uma vez que a concorrência e a variedade por lá são maiores.

Oía (pronuncia-se “ía”) é a vila mais famosa da ilha, de onde se pode ver o pôr do sol iluminando as casinhas brancas em contraste com o azul do mar. Lá ficam os hotéis mais luxuosos e também mais caros. As pequenas ruas têm uma movimentação intensa (principalmente ao entardecer, quando o pôr do sol se aproxima) e muitas lojas, restaurantes e cafés. Resumindo, Oía é o clichê de Santorini, mas um clichê que vale várias visitas!

Se você quer sossego, considere se hospedar em Imerovigli, uma vila pequena e muito calma, também cheia de hotéis luxuosos e com vista para a caldeira do vulcão e para o pôr do sol. A cidade é bem menor e tem menos opções de restaurantes e cafés, mas o privilégio de ter um pedacinho de Santorini praticamente só para você não tem preço.

santorini imerovigli

Os viajantes que adoram se misturar à cultura local podem considerar Pyrgos, um vilarejo bem típico e onde os nativos se sentem mais em casa, longe das multidões de turistas. O cenário também é charmoso, com igrejas de cúpula azul e ruazinhas super agradáveis para uma caminhada. Vale uma visita para ver a vida local acontecendo. Se você é daqueles que prefere se hospedar pertinho do mar, considere Perissa, Perivolos ou Kamari, vilas com praias boas para banho e muita infra-estrutura para turismo – restaurantes, bares, lojas, mercados e agências de turismo.

Praias exóticas, cenários pitorescos

Como o vulcão de Santorini passou por sucessivas erupções, as praias da ilha têm areia de colorações um tanto interessantes, variando de acordo com a camada geológica que ficou exposta depois de tanta lava. A água tem um azul intenso, porém não tão cristalino quanto a de outras ilhas gregas. Se você espera aquele cenário de água turquesa e areia branca fininha, esquece. Mas nem por isso os amantes do mar devem desanimar – as praias não são as mais paradisíacas, mas são muuuito interessantes. O charme está nas paisagens inusitadas e na cor da areia. Red Beach, Black Beach, White Beach… Opção não falta!

Red Beach: é, provavelmente, a praia mais visitada de Santorini. E com razão. Para chegar até o mar, é preciso descer um paredão avermelhado – a vista de cima é simplesmente maravilhosa, um clássico de Santorini! Como o próprio nome da praia diz, a areia (vulcânica), que se mistura a pedras, tem um tom avermelhado que contrasta com a água azul escuro do mar. Falando nisso, a água é bem fria, mas o calor do verão grego te ajuda a mergulhar – aliás, esse é um dos melhores lugares de Santorini para snorkeling. A faixa de areia não é muito grande e a maior parte não tem sombra, dependendo da hora do dia, então é bom levar sua canga (ou um tapete de yoga para as pedras não incomodarem) e um guarda sol para garantir o conforto. No fim da praia, tem uma lanchonete, mas nada muito elaborado. Vendem petiscos industrializados e bebidas.

Red Beach, Santorini

Red Beach, Santorini

White Beach: acessível apenas por barco, a White Beach é uma das poucas praias com areia (na verdade, pedra) branca em Santorini. Como o litoral oeste de Santorini é formado por falésias, a praia fica em frente a um paredão branco lindíssimo. O mar é raso e muito bom para mergulho, apesar da água ser um tanto fria. Além disso, há ainda algumas pequenas grutas ao redor dos paredões, que podem ser exploradas a pé mesmo. Não se esqueça de levar bebida e comida, pois aqui não tem nenhum quiosquezinho.

A praia, por conta do difícil acesso, fica praticamente deserta fora da alta temporada (julho e agosto) – um paraíso só para você! Para chegar até lá, basta pegar o barco que sai de hora em hora da praia de Akrotiri e da Red Beach. O valor varia de acordo com o mês – em julho e agosto, chegam a até 15 euros ida e volta. Em meses com menos turistas, o valor cai para até 5 euros, de acordo com as empresas.

Black Beach: última parada do passeio Red Beach-White Beach-Black Beach, essa praia é formada por pedras pretas, o que a torna bem diferente das outras duas. A faixa de “areia” é pequena e há pouquíssimos bares à beira da praia, que servem bebidas e alguns petiscos, além de oferecer esteiras e guarda-sol. Apesar de não ser muito popular, é boa para mergulho e vale a visita. Acessível por carro ou barco.

santorini black beach

Black Beach, Santorini

Perissa e Perivolos: essas duas praias, que na verdade são uma só – Perissa é a parte norte e Perivolos, a parte sul -, são as melhores para curtir o clima do verão grego. Ao contrário das que citamos até agora, elas são de areia grossa (e pedrinhas minúsculas) e não de pedras grandes, o que as torna muito mais confortáveis para banho – ou até mesmo só para ficar na beira do mar relaxando. Perissa e Perivolos também são conhecidas como black beach, já que a areia, vulcânica, é bem escura.

O legal dessas praias é que elas têm bastante estrutura: muitos restaurantes modernos e descolados à beira-mar, chuveiros, esteiras, guarda-sóis e um comércio vibrante no calçadão pertinho da areia. Por isso, é um dos lugares preferidos da galera para passar o dia – e até para se hospedar. As duas praias são cheias de hotéis, mercados e lojinhas. Ah, para quem gosta de ir além de um banho de mar, Perissa e Perivolos oferecem aluguel de pranchas para stand-up-paddle e windsurf, além kayak, jet ski e equipamentos de parasailing. Sem dúvida, um lugar para dar um check! Dica: se quiserem provar uma comida gostosa e barata, vá até o restaurante Gyros Place. Os preços são super amigáveis e o chopp é o mais gelado que encontramos por lá!

Kamari Beach: uma das mais populares praias de Santorini, Kamari é cheia de restaurantes, hotéis, lojas, mercados, agências de turismo – e inclusive cheia de gente! E acredite, é outra praia conhecida como black beach – ou seja, difícil não fazer confusão entre as “praias pretas” de Santorini. Apesar de ser lotada, Kamari Beach é limpa e muito agradável. A areia, de origem vulcânica, é fofa, o que faz da praia uma das mais agradáveis da ilha. Ela é também uma das maiores, medindo 5km de extensão. Esteiras, guarda-sóis, chuveiros e bares garantem um dia muito agradável aos banhistas. Kamari é outra vila em que a hospedagem é bastante procurada por conta dessas facilidades.

Ammoudi Bay: essa praia, na verdade, é o antigo porto de Santorini. Muito charmoso, é cheio de restaurantes (principalmente comida local) e barquinhos de pescadores. De lá saem também alguns dos passeios de barco até o vulcão. Apesar de ser um lugar principalmente para caminhar, admirar o visual e comer, a gente dá uma dica. Ao chegar no porto, caminhe para a esquerda até um muro de pedras. Continue por uma pequena trilha por aproximadamente cinco minutos e você chegará a uma praia escondida, com água cristalina. Vale a pena! Obs: a baía fica embaixo de Oía e, para chegar até lá, você deve descer vários degraus – uma caminhada um pouco cansativa. É possível subir montado em um jegue, muito usado como transporte nos tempos antigos da ilha, mas não recomendamos fazer isso, pois o animal sofre bastante com a subida, principalmente no calor. E nós somos contra exploração animal! =)

Vlychada Beach: dona de falésias que parecem esculturas (mas que foram formadas naturalmente pelas erupções do vulcão e pela ação do vento), essa praia é tida como uma das mais românticas da ilha. Assim como na maioria das praias, a areia tem uma tonalidade escura. À beira-mar, é possível alugar esteiras e guarda-sóis, além de relaxar com uma bebida e petiscos feitos na hora. Ao lado da praia, fica um antigo e charmoso porto, onde vários barcos ficam ancorados durante o fim de tarde. Muitas tavernas e restaurantes de comidas típicas completam a lista de atrações da praia – ou seja, por aqui não precisa se preocupar em levar comida, as opções são muitas. E se você estiver com tempo de sobra, ainda pode fazer uma visita ao Tomato Industrial Museum (isso mesmo, um museu do tomate!), onde guias oferecem tours pela antiga “fábrica” de tomates, onde os visitantes aprendem sobre o cultivo e a colheita do fruto.

Columbo Beach: essa é para quem curte um lugar totalmente isolado e inusitado. Inclusive pouquíssimos turistas ficam sabendo dessa praia. Localizada a 4km de Oía, Columbo fica em um lugar acessível apenas por carro, quadriciclo ou moto – nenhum ônibus passa por lá. E o “detalhe” mais importante: a praia é naturista, ou seja, se você for, provavelmente deverá deixar de lado a vergonha e os trajes de banho! A não ser que você queira ser encarado como um ser estranho por estar vestido em um ambiente como esse. A areia é preta e a água é um pouco mais quentinha do que a das outras praias. Se vier para cá, esqueça a roupa, mas lembre-se de trazer comida e bebida, pois não tem quiosques por aqui.

Pori Beach: essa é uma dica que vocês não encontram em qualquer lugar, pois essa praia é pouquíssimo conhecida e, por isso, uma das preferidas entre as famílias locais que querem fugir das multidões de turistas. Se você gosta de uma experiência mais roots, essa praia é para você! Para chegar até lá, é preciso alugar um carro, quadriciclo ou moto, pois os ônibus não param em Pori, um lugar tradicionalmente grego e até pitoresco, com moinhos de vento, plantações e tavernas de culinária local. Cercada por paredões em tom avermelhado, Pori Beach é vazia e tem uma areia mais gostosa de pisar, diferente da maioria das praias de Santorini. Um lugar perfeito para quem quer privacidade e calmaria, mesmo estando na ilha mais turística da Grécia.

Por do sol de Santorini, a principal atração

santorini por do sol

Pôr do sol em Santorini

Se você decidiu vir até Santorini, com certeza já ouviu falar na principal atração da ilha: o pôr do sol! O evento – sim, chega a ser um evento por aqui – é visto todos os dias por milhares de turistas disputando o melhor lugar para ver o sol sumir no mar, trazendo tons dourados para a água e fazendo brilhar as casinhas brancas da encosta. Um espetáculo que ficou conhecido como o pôr do sol mais famoso do mundo! A dica que nós damos é vê-lo todos os dias em que estiver na ilha, em diferentes lugares.

O ponto mais disputado e tradicional são as ruínas do Castelo Veneziano (Kastro) de Oía. Os visitantes começam a chegar cedo, por volta das 17h, para garantir o melhor lugar. Depois, é só relaxar apreciando a paisagem e esperando o sol baixar aos poucos. O lugar é cheio de gente e é até desconfortável, dependendo da hora que você chegar, mas ir até Santorini e não assistir ao pôr do sol daqui não conta!

Outra opção é reservar um restaurante em Oía com vista para o poente, assim você pode ver tudo de camarote – e ainda provando os pratos deliciosos gregos! Quer coisa melhor? Só prepare o bolso, porque esses restaurantes costumam cobrar bem mais caro do que em qualquer outro lugar da ilha.

santorini por do sol oia

Pôr do sol em Oia

Outro lugar maravilhoso para assistir ao pôr do sol é em Thira, no pátio da famosa Catedral Ortodoxa ou então na vinícola Santo Wines, com direito a mesinhas estrategicamente viradas para o astro-rei – não se esqueça de pedir um bom vinho para acompanhar o espetáculo! Uma alternativa para quem quer fugir das multidões de Oía e Thira é ir para Imerovigli, uma cidade bem mais tranquila e vazia. Ela fica bem de frente para o ponto onde o sol se põe. Dica: o castelo Skaros tem uma vista lindíssima!

santorini thira

Thira

santorini akrotiri lighthouse farol

Akrotiri Lighthouse

Se tiver dias sobrando, anote aí mais três opções para assistir ao pôr do sol: no farol da ilha, chamado Akrotiri Lighthouse, onde você vai assistir ao espetáculo praticamente sozinho. A vista para o mar é lindíssima! O ponto mais alto de Santorini, chamado, Profitis Ilias, também é um lugarzinho pouco visitado, mas que oferece um visual incrível para curtir o fim de tarde.

E a última dica é um passeio de barco. Várias agências oferecem o passeio, que pode ser combinado com outras atrações, como uma visita à caldeira do vulcão seguida do pôr do sol em pleno mar. O preço varia muito de acordo com a duração do passeio, mas prepare-se para desembolsar pelo menos 30 euros (alta temporada) em uma volta apenas para ver o pôr do sol. Agora que você sabe que opções não faltam, basta escolher a que mais te agrada!

Um dia nas vinícolas de Santorini

Já ouviu falar que Santorini é um ótimo lugar de produção de vinho? Pois é, a ilha, por causa do solo vulcânico, produz uma uva diferente, chamada Assyrtiko. É um tipo muito versátil, que produz vinhos brancos complexos e até um vinho bem doce de sobremesa, chamado Vinsanto, passando por vinhos aromáticos de coloração escura e vinhos de cor amarelada e com sabor meio cítrico. Ou seja, é uma uva rara e resistente. Como o vinho produzido com a Assyrtiko pode envelhecer por anos, ele é considerado um dos melhores vinhos da Grécia! Uma curiosidade interessante é que, por ser de origem vulcânica, a ilha apresenta resistência contra uma série de pragas encontradas em vinhedos.

Depois de toda essa explicação, vai perder um tour pelos vinhedos da ilha? Acho que não, né? Você pode começar visitando o Santorini Wine Museum, um museu sediado em nada menos do que uma caverna natural. Lá, os visitantes conhecem a história do vinho local desde os anos 1.600. Todo o processo da produção da bebida é contado por meio de audioguias e máquinas usadas em diferentes séculos e décadas. Um bom ponto de início para quem quer aprender mais sobre o assunto! De lá, que tal conhecer vinícolas e fazer degustação dos vinhos e de petiscos gregos? Opções não faltam, e a gente indica as mais conceituadas: Santo Wines, Domaine Sigalas, Gavalas Wineries e Estate Argyros. Os preços variam, em média, entre 15 euros (só o tour, sem degustação) e 55 euros, dependendo da quantidade de petiscos e vinhos degustados.

Santorini para exploradores

Praias, paisagens com casinhas brancas, pôr do sol… Esse é o clássico de Santorini. Mas os viajantes com espírito aventureiro também podem explorar esse lado desbravador. Dá uma olhadinha nas nossas sugestões:

Hiking Thira – Oía: passeio imperdível para quem tem disposição e curte caminhar no meio de paisagens incríveis. Se um simples passeio pelas ruas de Thira e Oía já é lindo, imagina percorrer o caminho entre as duas cidades passando pela encosta da ilha! A trilha tem cerca de 10km (em média, as pessoas demoram de três a quatro horas para terminar o circuito) e uma vista panorâmica para o mar durante todo o trajeto. Não se esqueça de carregar câmeras e celulares antes, pois a vontade é tirar fotos a cada 100 metros. Também é importante lembrar de levar boné ou chapéu, protetor solar e bastante água, principalmente nos meses mais quentes do ano (julho e agosto). Apesar da distância, o caminho é tranquilo, indicado para crianças acima de 7 anos. No meio da trilha, fica Imerovigli, um ponto para descansar um pouco e reabastecer as energias antes de seguir.

santorini oia

Dica: é possível fazer a trilha partindo tanto de Thira quanto de Oía, mas é legal começar em Thira e chegar em Oía durante a tarde para assistir ao pôr do sol!

Nadar sobre um vulcão ativo (hot springs): esse é para quem curte um passeio diferentão. Como falamos no início do post, Santorini surgiu de sucessivas erupções do vulcão Thera. Hoje, parte dele está submersa nas águas do Mar Egeu. Dezenas de passeios de barco até essa área (Palea Kameni) levam milhares de turistas para mergulhar em cima da cratera do vulcão. A água é marrom e quentinha – o que te faz lembrar que o vulcão é ativo e você está dando um check na sua lista de coisas loucas para fazer na vida. Demais, não? Só um detalhe: as empresas indicam que os clientes não usem roupas de banho brancas e acessórios de prata, pois a água que fica nessa área é rica em enxofre e pode manchar.

Geralmente, os passeios até as águas termais incluem ainda mergulhos perto da Red Beach e o pôr do sol visto do mar (perto de Oía). É possível ainda fazer combinados de passeios até a ilha Thirasia. Os preços variam bastante de acordo com a época do ano (ficam mais caros entre junho e setembro), o pacote escolhido (somente hot springs, hot springs + red beach + pôr do sol, hot springs + thirasia + pôr do sol, hot springs + Parque Nacional Néa Kaméni…) e o barco – existem catamarãs para 50 pessoas (mais barato) ou 15 pessoas e também barcos privativos.

Sitio Arqueológico de Akrotiri: para quem gosta de se perder na história, a dica é explorar as ruínas de Akrotiri, uma cidade que foi destruída pela erupção do vulcão há 3,5 mil anos. A população inteira morreu e hoje podemos ver o que restou das casas e construções da época, além de algumas peças esculpidas, como vasos, e pinturas feitas em murais (segundo arqueólogos, as pinturas mais antigas feitas em larga escala na Europa). O restante dos artefatos encontrados durante as escavações foi levado para o Museu Pré-Histórico de Thira, que fica pertinho da rodoviária. O museu fica aberto das 8h às 20h e é acessível para cadeirantes. O ingresso custa 12 euros, mas a entrada é gratuita em alguns dias do ano (consultar https://odysseus.culture.gr/).

Ancient Thira: quem quiser conhecer ainda mais a história de Santorini pode explorar a Antiga Thira, que deu nome à atual capital da ilha. A cidade, que era o centro comercial e religioso do arquipélago, foi construída no século 8 a.C. em cima de uma montanha (365m acima do nível do mar), com uma vista privilegiada para o mar – e que servia de ponto de observação de possíveis invasores. A Antiga Thira tinha uma rua principal e diversas ruelas, além de um sistema moderno de drenagem. É possível ver as ruínas de dois cemitérios, um teatro, mercados, igrejas católicas, templos pagãos e as famosas casas de banho, uma espécie de SPA antigo presente até hoje na Turquia e em algumas partes da Grécia. Ingresso: 4 euros. O museu abre de terça a domingo, das 8h às 15h. A entrada é gratuita em alguns dias do ano (consultar https://odysseus.culture.gr/).

santorini grecia

Sugestões de roteiro em Santorini

Como demos várias opções do que fazer e alguns lugares são mais distantes, resolvemos montar umas sugestões de roteiro para cada dia, organizado por distância entre as atrações!

– Sítio Arqueológico de Akrotiri, Red Beach, White Beach, Black Beach e pôr do sol no Farol de Santorini (Akrotiri Lighthouse);

– Vlychada Beach, Perivolos Beach e Perissa Beach;

– Ancient Thira, Kamari Beach e pôr do sol no morro Profitis Ilias;

– Hiking Thira – Oía: comece o dia explorando a cidade de Thira e depois siga até o início da trilha até Oía. Pare para descansar na cidade de Imerovigli, explorando as ruelas e a vista maravilhosa para o mar. Siga a trilha até Oía, onde você pode se perder pelas ruas mais charmosas da ilha e descer até a Ammoudi Bay. No fim da tarde, suba de volta para Oía para apreciar o pôr do sol mais famoso do mundo!

– Passeios de barco pela área da caldeira do vulcão e ilhas próximas (ou Parque Nacional Néa Kaméni), com direito a pôr do sol visto do mar;

– Um dia explorando o Santorini Wine Museum e visitando as vinícolas;

– Columbo Beach e Pori Beach

Como chegar a Santorini

Avião: Santorini tem um aeroporto de porte pequeno, chamado Kratikos Aerolimenas Santorinis ou simplesmente Santorini Airport. Há diversos voos diários conectando a ilha a Atenas (partindo praticamente a cada hora) e alguns voos a países como França, Holanda, Alemanha, Itália e Reino Unido. Site oficial do aeroporto: https://www.jtr-airport.gr/en.

Barco: a principal porta de entrada na ilha de Santorini é o Porto de Thira, que recebe dezenas de embarcações todos os dias, transportando milhares de passageiros. Diversas companhias conectam Santorini às demais Ilhas Ciclades, Atenas e Creta, entre outras. Os navios são confortáveis e têm banheiros, poltronas, área VIP, deck, lanchonetes e lojas de conveniência. Os preços variam de acordo com a temporada e a distância. Para verificar tarifas e comprar seu bilhete, consulte https://www.greekferries.gr

Dicas práticas de Santorini

– Brasileiros podem ficar até três meses sem visto na Grécia (como turista). A exigência é contratar um seguro-saúde com cobertura mínima de 30 mil euros.

– Em Santorini, a língua oficial é o grego, mas por ser uma ilha completamente turística, o inglês é falado em praticamente todos os lugares.

– A moeda local é o euro. Caixas eletrônicos e casas de câmbio estão espalhados pelas principais cidades e vilas de Santorini, como Thira, Oía, Imerovigli, Pyrgos, Perissa, Kamari, Perivolos… Trocar / sacar dinheiro na ilha é uma tarefa fácil.

– O transporte público em Santorini é relativamente bom nas principais cidades e vilas (Thira, Oía, Imerovigli, Pyrgos, Perissa, Kamari…), que são cheias de pontos de ônibus. Mas os coletivos não passam em alguns pontos interessantes da ilha, então nós recomendamos alugar um carro, um quadriciclo ou uma moto (é preciso ter licença específica e internacional). Assim, fica muito mais cômodo se deslocar sem perder tempo esperando ônibus. Os preços variam, mas na alta temporada o aluguel de carros, em média, custa 45 euros/dia; quadriciclos, 35 euros/dia; moto, 20 euros/dia. O preço tende a cair quando o aluguel dura mais do que três dias. As estradas são bem pavimentadas e lindíssimas – cuidado apenas para não se distrair com a paisagem enquanto dirige, hein? Em algumas partes da ilha, o asfalto fica pertinho de penhascos.

– As praias de Santorini são, em sua maioria, de pedra, então andar descalço no mar pode machucar os pés. Uma boa dica é levar aqueles sapatinhos próprios para entrar na água. Seu mergulho vai ser muito mais confortável! Um tapete de yoga ou material similar também pode ser uma boa ideia, já que deitar na canga não é nada agradável quando se trata de uma praia de pedra.


Agradecemos a Luiza e a Tatiana pelas dicas! E você, fez uma viagem inesquecível e quer compartilhar com a gente? Envie seu texto e fotos para convidado@melhoresdestinos.com.br!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *