logo Melhores Destinos

O que você precisa saber antes de planejar uma viagem em 2021

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
06/01/2021 às 8:50

O que você precisa saber antes de planejar uma viagem em 2021

A pandemia frustrou planos de milhares de pessoas. Após meses de quarentena e restrições, muitos turistas voltaram a viajar ou a programar viagens, especialmente para destinos nacionais. Mas, por mais que a vacina já seja uma realidade, a pandemia ainda não acabou e pode reservar surpresas desagradáveis para quem planeja sair de férias neste ano. Neste post especial você confere o que esperar no setor de turismo em 2021, com dicas e cuidados especiais ao planejar viagens nacionais e internacionais!

O que esperar de 2021

A pandemia teve um enorme impacto para o turismo no Brasil e no mundo. Mas companhias aéreas, hotéis, locadoras de automóvel e outros grupos importantes demonstraram uma impressionante capacidade de adaptação e superação dos desafios impostos pela Covid-19. Claro que problemas importantes persistem, mas a perspectiva de uma quebra generalizada de empresas já se mostra totalmente improvável em 2021.

Na aviação, as principais companhias aéreas do Brasil e do mundo conseguiram financiamentos e/ou apoio governamental, além de enxugarem custos com fornecedores e pessoal, garantindo caixa suficiente para enfrentar muitos meses de crise. Além disso, a demanda por voos domésticos tem se recuperado acima do previsto por aqui e em muitos países, com destaque para o turismo de lazer. É um indicativo de que boa parte dos viajantes já se sentem seguros para voar, seja pela confiança na tecnologia de filtragem do ar, que elimina mais de 99,9% de partículas, vírus e bactérias, incluindo o coronavírus, ou pelo que indicam estudos que demonstraram o passageiro está mais protegido dentro de num avião do que num escritório ou supermercado. De acordo com a IATA, se tem registro de apenas 1 caso a cada 27 milhões de passageiros transportados. É um número muito baixo.

No contexto nacional, a malha aérea doméstica já está muito mais robusta do que no início da crise. A expectativa é que ao longo de 2021 a quantidade de voos e de destinos atendidos pelas três maiores companhias aéreas do país volte aos patamares pré-pandemia. Mas ainda devemos ver ajustes de rotas nos próximos meses, provocando alterações e cancelamentos de voos. Além disso, uma nova empresa do grupo Itapemirim deve estrear no Brasil em março. A promessa da ITA é terminar 2021 com cerca de 3.000 voos por mês, atendendo 17 cidades brasileiras.

No contexto internacional, as restrições de viagens para os Estados Unidos, os principais países da Europa e outros destinos mais visitados por brasileiros permanecem, sem uma previsão clara de quando serão eliminadas ou flexibilizadas. Com o avanço da vacinação, é provável que muitas nações reabram suas fronteiras mediante a comprovação da imunidade, como já acontece com outras doenças como a febre amarela, por exemplo, ou com a utilização de uma nova geração de testes rápidos mais eficientes e baratos. Mas isso vai depender de como a situação vai evoluir, o que deve levar alguns meses. Alguns países, como os Emirados Árabes Unidos, conseguiram implementar com sucesso uma política de fronteiras abertas com testagem de todos os viajantes, sem ver o índice de casos de Covid-19 crescer.

É importante destacar que o Governo Federal prorrogou até 31 de outubro as regras especiais para o cancelamento de passagens aéreas nacionais e internacionais. Nesse período, as empresas continuarão tendo 12 meses para devolver valores gastos em viagens, podendo aplicar multas nesses casos. Em contrapartida, os clientes poderão ficar isentos das penalidades caso aceitem o crédito para uma utilização futura, dentro de um prazo de 18 meses após a solicitação.

Dicas e cuidados em viagens nacionais em 2021

Talvez o maior risco para quem está planejando viajar em 2021, caso a situação se agrave, é o fechamento de atrações, restaurantes e comércio em alguns destinos importantes, limitando ou até impedindo atividades turísticas. Isso aconteceu no começo do pandemia e pode voltar a ocorrer, por mais que os setores público e privado estejam mais estruturados para lidar com a Covid-19.

Passagem aérea: caso tenha já comprado o bilhete, tenha em mente que seu voo pode sofrer alterações até a data da viagem. É altamente recomendável confirmar a reserva no site da empresa alguns dias antes do voo para verificar se tudo está mantido quais são as opções de remarcação. Outra dica é fazer o check-in online 48 antes do voo, o que minimiza o risco de imprevistos de última hora. Se mudar de planos ou precisar cancelar sua viagem, confira o nosso post especial passagens aéreas na pandemia: guia para remarcar ou cancelar gratuitamente sua viagem.

Para quem ainda vai comprar a passagem aérea, devem surgir boas promoções e oportunidades. A dica é verificar a política de flexibilidade da companhia aérea e utilizar a legislação vigente a seu favor, já que ela garante o cancelamento sem custo com crédito para uma nova viagem de viagens programadas até 31/10.

Promoções: nesta pandemia já tivemos passagens de São Paulo e do Rio de Janeiro para o Nordeste, e vice-versa, por apenas R$ 260 (ida e volta com as taxas), para voar até outubro de 2021. Ou voos para Fernando de Noronha por pouco mais de R$ 600 saindo de São Paulo. Teve até voos por apenas 1 real (infelizmente todas essas ofertas já esgotaram)! A dica é baixar o aplicativo para celular do Melhores Destinos para saber em primeira mão das melhores oportunidades de viagem que surgirem. É gratuito.

Hospedagem: na hora de definir a hospedagem a dica é reservar um pouco mais próximo da data da viagem e optar sempre por reservas reembolsáveis. Lembre-se que é impossível prever e mitigar todos os riscos e algum imprevisto pode te obrigar a rever os planos de viagem. Além disso, é bom verificar se algum serviço foi afetado pela pandemia, lembrando que pode haver restrições para o uso de equipamentos e de áreas comuns.

Aluguel de carro: a pandemia provocou um “apagão” temporário no mercado de aluguel de carros no Brasil. A limitação da quantidade de veículos deve durar pelo menos até março, exigindo maior antecipação na reserva para não ficar a pé nos principais destinos. Confira algumas dicas para economizar no aluguel do carro.

Dicas e cuidados em viagens internacionais em 2021

Quem planeja uma viagem internacional em 2021 ainda deve enfrentar um cenário relativamente incerto e complexo. Por mais que existam mais de 100 países que estão abertos ao turismo de brasileiros, os Estados Unidos e os principais países da União Europeia ainda impõe severas restrições para os viajantes com origem no Brasil. Além disso, destinos importantes como a Argentina, o Chile e o Peru estão mudando constantemente as regras imigratórias, proibindo a entrada de turistas ou exigindo quarentena e testes de Covid-19, gerando muitas incertezas para quem planeja uma viagem.

Exigência de testagem no retorno ao Brasil: desde o dia 30 de dezembro passou a valer a Portaria 648 que obriga a apresentação de teste RT-PCR negativo para Covid-19 de todos os passageiros com destino ao Brasil realizado no máximo 72 antes do embarque. A medida vale para brasileiros e estrangeiros, dispensando apenas crianças com menos de 12 anos. Além de um custo adicional para quem vem do exterior, a medida impõe que o viajante encontre laboratórios que entreguem o resultado no prazo exigido, o que pode ser complicado dependendo do seu destino. É importante pesquisar a disponibilidade na cidade que vai embarcar e levar em consideração que caso o resultado dê positivo você pode se ver obrigado a ficar vários dias além do previsto fora do país, até que a carga viral não seja mais detectada pelo exame.

Restrições e fechamento de fronteiras: é atualmente a maior barreira dos viajantes brasileiros. Como já falamos no começo do post, não há nenhuma previsão oficial de quando as restrições de viagem serão retiradas ou flexibilizadas. Algumas companhias aéreas afirmaram que a União Europeia estava pronta para reabrir as fronteiras em novembro de 2020, mediante testes rápidos realizados no embarque e/ou na chegada ao bloco, quando foi surpreendida pela segunda onda de contágio. Isso acabou as chances de uma flexibilização no curto prazo. Mas o avanço da vacinação e uma possível redução futura no número de casos pode abrir novamente espaço para um movimento de reabertura até o verão europeu (que começa em junho). Já nos Estados Unidos, o novo presidente Joe Biden deve tomar posse no dia 20 de janeiro. A campanha de vacinação segue acelerada por lá, o que dá esperanças de que algum momento do primeiro semestre haja uma retomada mediante testagem.

O problema é que não há garantia para o viajante de que a política vigente no momento da compra da passagem será a mesma na data da viagem, já que conforme a situação da pandemia evolui novas medidas vão sendo implementadas. Por exemplo, foi que aconteceu recentemente na Argentina, que voltou a proibir no fim de dezembro a entrada de brasileiros. E no Peru, que passou a exigir quarentena obrigatória de 14 dias de todos os viajantes por conta da nova cepa de coronavírus. O Chile passou a exigir uma quarentena de 7 dias com testagem desde 31 de dezembro. Já a Colômbia vai passar a exigir testes de PCR antes da viagem a partir de 12 de janeiro. Fique atento, pois um teste PCR de covid-19 pode custar entre R$ 90 e 1.600, dependendo do país e do local de testagem, o que pode pesar no orçamento de qualquer viagem.

live imigracao dicas

Passagem aérea: a grande maioria das companhias aéreas internacionais já retomou parte de seus voos para o Brasil. Caso tenha já comprado o bilhete, tenha em mente que seu voo pode sofrer alterações até a data da viagem. É altamente recomendável confirmar a reserva no site da empresa alguns dias antes do voo para verificar se tudo está mantido e quais são as opções de remarcação. Se mudar de planos ou precisar cancelar sua viagem, confira o nosso post especial passagens aéreas na pandemia: guia para remarcar ou cancelar gratuitamente sua viagem.

Para quem ainda vai comprar a passagem aérea, devem surgir boas promoções e oportunidades. A dica é verificar a política de flexibilidade da companhia aérea (a maioria das empresas está oferecendo a remarcação sem multa, pagando a diferença de tarifa se houver) e utilizar a legislação vigente a seu favor. A Medida Provisória 1024 garante o cancelamento sem custo com crédito para uma nova viagem de viagens programadas até 31/10. Mas lembre-se, caso queira o seu dinheiro de volta, você pode ter que pagar as penalidades se o seu voo não tiver sido cancelado e ainda ter que aguardar os 12 meses previstos em lei.

Promoções: recentemente tivemos voos para Nova York por apenas R$ 600 para voar até novembro. Durante a pandemia também rolou passagens para Miami por menos de R$ 1.253 com bagagem incluída, Cancún por R$ 980 e até passagens para a América do Sul por R$ 1 mais taxas (infelizmente todas essas promoções já terminaram). As oportunidades vão surgindo e quem aproveitar e se planejar certamente vai economizar. Por isso, a dica é baixar o aplicativo para celular do Melhores Destinos para saber em primeira mão das promoções e oportunidades que surgirem. É gratuito.

Claro que tem todos os riscos que já citamos aqui, mas em boa parte das vezes a economia compensa, já que a maioria das companhias aéreas está oferecendo a remarcação sem multa. Quando as fronteiras da Europa e dos Estados Unidos reabrirem, certamente haverá um crescimento rápido da demanda, impactando as tarifas. Portanto, quem comprar uma passagem para exterior agora para voar no segundo semestre de 2021, por exemplo, tende a gastar bem menos do que quem esperar a liberação das viagens. É o prêmio pelo risco que se corre.

Câmbio: é impossível prever os movimentos do dólar e de outras moedas estrangeiras. Por mais que o dólar e o euro tenham dado uma trégua nos últimos meses de 2020, nada garante que as cotações vão continuar caindo ou que haverá uma estabilidade. É bom reservar um orçamento extra e ir comprando a moeda estrangeira aos poucos, aproveitando os períodos de baixa. Reservar o hotel com pré-pagamento em reais também assegura o valor que você vai gastar com estadia, lembrando mesmo com o pagamento antecipado você encontra opções com cancelamento gratuito até a véspera ou um período próximo da viagem. Veja nosso post com dicas para economizar em viagens internacionais.


Veja também: Manual das próximas férias: 6 cuidados para planejar uma viagem sem (muitos) riscos