Conheça a Ilha da Madeira, um dos mais deslumbrantes destinos de Portugal!

Monique Renne
14/07/2019  ·  6:21Publicado 14 · jul · 2019  ·  6:21Atualizado 31 · out · 2019

Conheça a Ilha da Madeira, um dos mais deslumbrantes destinos de Portugal!

A Ilha da Madeira está entre os melhores destinos de Portugal e do mundo para os viajantes apaixonados por paisagens espetaculares. É o lugar ideal para quem busca novidades em meio à Europa ou deseja ir um pouco além de Lisboa. Prepare as malas, pegue uns dias a mais de férias e aproveite a viagem a Portugal para esticar por alguns dias até a Ilha da Madeira. Garantimos que você não vai se arrepender! O Aeroporto da Ilha da Madeira está distante apenas 1h30 de voo do Aeroporto de Lisboa e chegar até lá é bem mais fácil e rápido do que podemos imaginar. E a boa notícia é que os hotéis na Ilha Madeira têm ótimos preços! Excelente para quem não quer gastar muito, mas ainda assim deseja um destino diferente do habitual. É hora de deixar o roteiro básico da Europa de lado e investir em uma viagem fora do comum.

De origem vulcânica, a Ilha da Madeira tem formações rochosas dramáticas, grandes vales e montanhas, águas em lindos tons de azul e um intenso verde que recobre todo o lugar. Aliás, o verde por lá é tão excepcional que parte da vegetação nativa, conhecida como Floresta Laurissilva, foi declarada em 1999 Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO. A Ilha da Madeira, conquistada por Portugal na primeira metade do século XV, é um pequeno paraíso que há décadas encanta viajantes de todo o mundo em busca de intenso contato com a natureza. Eleita diversas vezes como “Melhor Destino Turístico Insular” da Europa e do mundo pelo WTA – World Travel Awards, a Ilha da Madeira tem tudo para também te conquistar!

Ilha da Madeira

Pico Ruivo

Onde fica a Ilha da Madeira

A Ilha da Madeira faz parte do Arquipélago da Madeira e está distante 1000 km de Lisboa, 450 km das Ilhas Canárias e 500 km do Marrocos, na África. Banhada pelo Oceano Atlântico, a Madeira faz parte de Portugal, país que é a principal porta de entrada para os turistas que desejam visitar a região. O Arquipélago da Madeira é formado pelas  ilhas Madeira, Porto Santo, Selvagens e Desertas, sendo que as duas últimas não são habitadas. 

Cidade do Funchal

Cidade do Funchal

Como chegar à Ilha da Madeira

Não há ligação da Ilha da Madeira com o continente por via terrestre e a maneira mais comum e prática de chegar até lá é com um voo direto de Lisboa para a cidade do Funchal, onde está o Aeroporto da Madeira Cristiano Ronaldo. O voo a partir da capital portuguesa tem apenas 1h30 de duração, com diversas opções de horário por dia. O trajeto é operado por companhias aéreas como TAP, Lufthansa, Easyjet e outras. Caso não encontre voo para a Madeira, vale também voar até Porto Santo, ilha vizinha de onde parte diariamente um ferry para a Madeira.

Pousar na Ilha da Madeira faz parte da emoção da viagem. O Aeroporto da Madeira tem fama de ser um dos mais radicais do mundo e voos com pousos cancelados são uma constante por lá. Esteja preparado para uma escala não prevista na ilha vizinha de Porto Santo ou mesmo para um retorno inesperado a Lisboa. As condições de vento, nem sempre favoráveis, dificultam a vida dos pilotos e a pista de pouso, construída sobre o mar, ajuda a dar um friozinho na barriga. Apesar da fama, não é comum registro de acidentes aéreos na Ilha da Madeira.

Muitos turistas que visitam a Madeira também desembarcam na ilha de navio, já que a Madeira recebe grande número de cruzeiros ao longo de todo o ano. Durante o verão, há transporte por via marítima de Lisboa para a Madeira, mas não é muito usual, sendo ideal apenas para quem deseja curtir alguns dias no mar ou precisa transportar o carro até a ilha.

Voo de Lisboa para a Ilha da Madeira sobrevoando a Ilha do Porto Santo

Voo de Lisboa para a Ilha da Madeira sobrevoando a Ilha do Porto Santo

Quando ir e o clima na Ilha da Madeira

A Ilha da Madeira pode ser visitada durante todo o ano e ela estará linda em todas as estações, mas alguns detalhes são importante na hora de decidir a data da viagem. O melhor período para ir à Madeira é entre abril e setembro, quando as temperaturas estão mais altas, há menor incidência de chuvas e as praias estão ótimas para o banho. Durante todo o ano será possível percorrer as trilhas e levadas, fazer passeios para observação de golfinhos e baleias, praticar esportes de aventura e experimentar os bons restaurantes. Já as praias e piscinas naturais são mais populares no verão.

A boa notícia é que as temperaturas na Madeira nunca são extremas. No verão, a máxima chega a 25ºC e no inverno a mínima dificilmente baixa de 11ºC (exceto no alto das montanha, onde pode até nevar). É importante dizer que o clima na Ilha da Madeira é bastante variado e é comum em um mesmo dia ver as quatro estações do ano. A Costa Sul costuma ser mais ensolarada que a Costa Norte e os picos mais elevados são constantemente mais frios. Esteja sempre preparado para mudanças de tempo, afinal, estamos falando de uma ilha repleta de montanhas e microclimas.

Final de tarde no Funchal

Final de tarde no Funchal

Verão na Ilha da Madeira – Junho a setembro

No verão, a Ilha da Madeira recebe um grande número de turistas em busca de praias e passeios pelo mar. Esse é o período que marca a alta temporada, as temperaturas mais altas, os dias mais secos e os eventos mais animados. O mar tem temperatura média de 22ºC  e você encontrará as piscinas naturais no auge da beleza. O sol ajuda bastante também na hora de percorrer as trilhas e praticar esportes de aventura, como o canionismo. Outro ponto forte do verão é o início da vindima, quando toda a ilha inicia a colheita das uvas para produção do vinho madeira.

Ao embarcar para a Madeira no verão, fique atento à altíssima temporada nos meses de julho e agosto, o que torna a ilha mais cheia e os hotéis e passagens aéreas mais caros. Para fugir um pouco dos valores elevados, e ainda pegar um excelente clima, vale visitar a ilha nos meses de maio, junho e setembro.

Pôr do sol no Funchal

Pôr do sol no Funchal

Outono na Madeira Ilha da Madeira – Setembro a dezembro

O mês de setembro marca a passagem do verão para o outono com tempo ainda quente e pouquíssimas chuvas. É um período excelente para visitar a região, já que não será alta temporada e o clima ainda estará bem agradável. O cenário começa a mudar em outubro e novembro, com a passagem para os meses de chuva, que começa com força em dezembro e chega perto de 100 mm/mês. Apesar do início das chuvas, o outono é um bom período para visitar a Madeira por ser baixa temporada. Tudo estará tranquilo e as belas paisagens estão garantidas.

Interior da Ilha da Madeira

Interior da Ilha da Madeira

Inverno na Madeira – Dezembro a março

O inverno na Madeira é marcado por queda de temperatura e aumento do índice pluviométrico. Especialmente entre os meses de novembro e março, o clima fica mais instável e a paisagem muitas vezes ganha ares de região serrana, com intensos nevoeiros. O lado ruim está na baixa temperatura da água, que dificulta o banho no mar, nas piscinas naturais e também nas cachoeiras. A água chega a 17ºC, o que não é muito convidativo para o banho e as praias acabam ficando vazias. Já as cachoeiras alcançam temperaturas ainda mais baixas, o que torna obrigatório o uso de roupas de neoprene para a prática de esportes de aventura.

O inverno deixa mais evidente os diferentes microclimas na Madeira, já que em poucos minutos de carro é possível passar do frio nas montanhas para um lindo pôr do sol à beira-mar no Funchal. O inverno é o período ideal para quem quer aproveitar as paisagens dramáticas da Madeira, os bons restaurantes e os ótimos serviços dos hotéis. Ideal para relaxar sem pressa e com preço bem mais camarada. Vale dizer que o Natal e o Ano Novo são muito disputados na Madeira e o período é considerado de alta temporada, com aumento de preços em hotéis e passagens aéreas.

Estrada cortando o interior da Ilha da Madeira

Estrada cortando o interior da Ilha da Madeira

Primavera na Madeira – Março a junho

O mês de março ainda registra bom volume de chuva e se assemelha bastante ao inverno, com médias de 67 mm para o mês. Abril tem queda acentuada nas chuvas e leve aumento de temperatura, o que torna o período bem atraente para os turistas, especialmente por ser baixa temporada. Maio e junho já têm cara de verão e estão entre os melhores meses para visitar a Madeira. Não haverá tanta gente na ilha e os preços ainda estarão mais baixos. No final da primavera você já estará vivendo intensamente o verão da Madeira.

Vista da Ribeira da Janela

Vista da Ribeira da Janela

Quanto tempo ficar na Ilha da Madeira

À primeira vista temos a impressão de que por ser uma ilha, a Madeira não é tão grande e pode ser conhecida em pouco tempo. Não se engane. A diversidade de atrações e atividades oferecidas na Ilha da Madeira é capaz de manter um turista ocupado facilmente por um mês. Se você pretende conhecer apenas o básico e fazer os roteiros e passeios mais comuns, o ideal é ficar entre quatro e sete dias inteiros por lá. Se o seu objetivo é fazer algumas trilhas e levadas, praticar esportes de aventura, observar golfinhos e baleias e ainda curtir algumas praias, pense em ficar ao menos dez dias por lá.

Teatro Municipal do Funchal

Teatro Municipal do Funchal

Como se locomover na Ilha da Madeira

A Ilha da Madeira é um bocado complexa no quesito locomoção. Isso porque não é tarefa fácil encarar as estradas e ladeiras de lá e há atrações por toda a ilha. Prepare o mapa com as atrações que deseja visitar! Apesar do carro ser, disparada, a melhor maneira de percorrer a Madeira, as estradas da ilha exigem uma certa coragem dos motoristas. Entre desfiladeiros à beira-mar, sobe e desce de montanhas e pistas duplas que parecem simples e de mão única, será preciso sangue frio e muita habilidade para pegar um volante por lá.

Leia também:

As atrações da Madeira estão por toda a ilha e será difícil se manter em apenas uma região. A ilha é toda cortada por estradas, o que facilita bastante a vida do viajante. Algumas são vias expressas e bem fáceis de serem percorridas, porém os cenários mais bonitos estão nas estradas secundária (que muitas vezes reservam surpresas e alguns sustos para os visitantes). Alugar um carro na Ilha da Madeira é bem fácil e barato. Há diversas empresas que oferecem o serviço, principalmente no aeroporto. Para dirigir em Portugal (e na Ilha da Madeira) a Carteira Nacional de Habilitação brasileira é suficiente.

Funchal

Funchal

O transporte público na Madeira é mais eficiente nas regiões mais povoadas, como no Funchal. Para localizações mais isoladas, será bem mais difícil conseguir um ônibus. Para ficar dentro da cidade do Funchal e visitar pontos turístico próximos, o ônibus funciona muito bem. Para distâncias curtas, o táxi também ajudará bastante. Não há na Madeira serviço de locomoção por aplicativos, como o Uber. Vale dizer que em alguns pontos da ilha há teleféricos que auxiliam na subida e descida das montanhas e, claro, rendem um delicioso passeio.

Estradas na Ilha da Madeira

Estradas na Ilha da Madeira

Quem não estiver disposto a dirigir ou usar o transporte público poderá também contratar os serviços das agências de turismo, que oferecem diferentes rotas por toda a ilha. Uma boa pedida é fazer os passeios em veículos 4 x 4, que chegam a pontos mais complicados onde os carros comuns não alcançam. Os preços dos passeios são mais caros, se comparados ao aluguel de um veículo, mas vale pela praticidade e comodidade. Os tour têm valores a partir de 15 euros por pessoa. Para uma voltinha nos arredores do Funchal e para ter uma ideia geral da cidade, os ônibus Hop on-Hop off também são boas soluções.

Orla do Funchal

Orla do Funchal

Como explorar a Ilha da Madeira: Mapa e previsão do tempo

Primeira coisa a ser dita é que a Ilha da Madeira é maior do que pensamos antes de chegar lá. Difícil não ser pego de surpresa com o impacto ao ver que o Funchal, por exemplo, é de fato uma grande cidade (ignorância minha e de muitos que chegam à Ilha achar que seria um vilarejo). Para atravessar a Madeira da Ponta do Pargo (extremo oeste) até a Ponta de São Lourenço (extremo leste) será necessário, no mínimo, 1h30 de viagem. As distâncias nem sempre curtas e os caminhos quase sempre tortuoso fazem com que muitos passeios tenham longos deslocamentos. Para explorar a Ilha da Madeira o ideal é escolher uma região para cada dia. Assim você economizará tempo e poderá ver muito mais atrações.

Orla do Funchal

Orla do Funchal

Não adianta querer ver uma atração no extremo norte de manhã, outra na ponta leste e depois ainda almoçar no sul da ilha. O melhor mesmo é setorizar. Depois de definir quais atrações você gostaria de ver, marque todas as posições no mapa para ter ideia de onde estão localizadas. Ao percorrer as estradas da Madeira você encontrará várias outras atrações e lindos cenários no caminho. Não tenha um roteiro tão fixo e se deixe levar pelas belezas inesperadas.

Outro quesito muito importante ao visitar a Madeira é a previsão do tempo. Nunca deixe para o último dia um passeio que dependa de um belo céu azul. As coisa mudam rápido na por lá e aquela trilha entre o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo pode ser cancelada na última hora. Procure fazer primeiros os passeios que dependem de clima e acompanhe a previsão do tempo dia a dia.

Hotéis na Ilha da Madeira

Os hotéis na Ilha da Madeira não decepcionam os viajantes que chegam por lá. Há grande oferta de quartos e os padrões agradam a todos os bolsos e desejos. Na ilha há ampla oferta de apartamentos completos a preços acessíveis, hotéis de luxo e resorts frequentados por personalidades, hospedagens em quintas cheias de história, hotéis boutique com spa e, claro, hostels para quem quer mesmo é economizar. Um deles certamente irá se encaixar no seu perfil de viagem.

Grande parte dos hotéis na Madeira está localizada na Costa Sul, entre o Aeroporto da Madeira e a Calheta, sendo que a maior parte deles está no Funchal, maior cidade da ilha. A região é a mais ensolarada e tem o clima mais estável, por isso os hotéis estão quase todos por lá. O Funchal é a principal base dos turistas na Ilha da Madeira e oferece grande números de restaurantes, comércio e agências de turismo, além de vida noturna mais agitada. É o ponto ideal para usar como base para os passeios durante o dia e ainda curtir o movimento à noite. Já as outras regiões do sul são mais tranquilas e destinadas a quem busca um belo visual para a praia e um pequeno vilarejo para descansar, sem necessariamente sair todos os dias para passeios.

Funchal visto do mar

Funchal visto do mar

Ainda que a maior oferta de hotéis na Ilha da Madeira esteja no Funchal, será possível encontrar boas opções de hospedagem em toda a ilha. Se você ficará mais de quatro dias na Madeira, pense seriamente em investir alguns dias em um hotel fora do Funchal, próximo a paisagens espetaculares e mais isoladas. Assim você viverá verdadeiramente a Madeira.  Na área mais ensolarada da Madeira, a costa sul, vale se hospedar em regiões como a Câmara de Lobos e Caniço (as duas bem próximas ao Funchal), Ribeira BravaPonta do Sol, e Calheta. Na costa leste, veja hotéis na região de Santa Cruz (bem próxima ao Aeroporto da Madeira) ou bem isolado em meio à natureza da Ponta de São Lourenço. Na costa norte, confira os hotéis próximos a São Vicente e às Piscinas Naturais do Porto Moniz. Ao leste, vale a região entre Fajã de Ovelha e o Arco da Calheta. Ao longo de toda a ilha há deliciosas casas para aluguel. Ótimas pedidas para quem quer descansar e se sentir como um local.

Porto Moniz

Porto Moniz

O que fazer na Ilha da Madeira

A Madeira é um universo riquíssimo, onde paisagens espetaculares presenteiam os viajantes a cada curva da estrada. Decidir como aproveitar a ilha vai depender do grau de emoção e aventura desejado por cada um. O que podemos garantir é que a Ilha da Madeira é para todos e não faltarão passeios para muitos dias de viagem. Sabemos que a dúvida será grande na hora de decidir o que fazer por lá, sendo assim, separamos diversas dicas para você aproveitar bem os seus dias na Ilha da Madeira.

Pontos turísticos da Ilha da Madeira

Ilha da Madeira

1. Percorra uma levada ou vereda

A Madeira é famosa pelas trilhas que cortam toda a ilha e permitem ver a exuberante natureza da região bem de perto. Há mais de 2 mil km de trilhas para serem percorridas a pé ou de bike, incluindo algumas que margeiam os canais por onde corre água em toda a ilha, chamadas de “levadas”. Algumas levadas são mais famosas e atraem centenas de turistas todos os dias, outras são daquelas para desbravadores que já conhecem profundamente a região. Já as trilhas comuns (que não estão à margem dos canais) são chamadas de “veredas” e levam a paisagens espetaculares, como o topo do Pico Ruivo (o ponto mais alto da Madeira) e a Ponta de São Lourenço (extremo leste da ilha). Tanto as levadas quanto as veredas oferecem experiências maravilhosas. 

Levada da Ribeira da Janela

Levada da Ribeira da Janela

As levadas têm diferentes níveis de dificuldade e as mais famosos são bem sinalizadas e não precisam de guia para serem percorridas. Caso queira contratar uma agência, os passeios têm custo a partir de 20 euros e o valor depende do tempo de duração. Para começar pelos mais populares, experimente a Levada dos Balcões (3 km, 1h30 de duração e nível fácil), a Levada das 25 Fontes (9 km, 3h de duração e nível médio) ou a Levada do Caldeirão Verde (13 km, 5h30 de percurso e nível médio).

Pico do Areeiro

Pico do Areeiro

Se você prefere percorrer trilhas para picos mais altos ou paisagens mais dramáticas, as veredas são mais recomendadas. A mais famosa delas é a combinação da Vereda do Pico do Areeiro com a Vereda do Pico Ruivo, em um caminho que liga os dois picos mais altos da Madeira. Outra boa pedida é a Vereda da Ponta de São Lourenço, com 8 km de trajeto à beira-mar e final do extremo leste da ilha. Há diversas outras trilhas disponíveis para os turistas. Quanto mais tempo ficar na Madeira, melhor!

2 – Suba o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo

O Pico do Areeiro e o Pico Ruivo estão entre os pontos mais altos da Ilha da Madeira e oferecem paisagens espetaculares para os viajantes. Há diferentes formas de chegar aos dois picos, mas já adiantamos que a melhor maneira de ver a imensidão da Madeira é fazer a trilha a pé que conecta os dois pontos. E você precisará de um pouco de disposição e boa previsão do tempo para conseguir.

O Pico do Areeiro, com 1882 m de altitude, é o terceiro mais alto da Madeira. E a boa notícia é que para visitá-lo não será necessário fazer trilhas. Uma estrada leva até o mirante no topo da montanha, onde os turistas podem observar a beleza da ilha sem nenhum sacrifício (talvez só um pouco de frio). O acesso ao mirante é gratuito. Se não estiver de carro, você poderá contratar os passeios das agências que combinam a visita ao Areeiro a outras atrações. O custo da rota é, em média, 25 euros por pessoa.

Vista do Pico Ruivo

Vista do Pico Ruivo

Do Pico do Areeiro parte uma das mais espetaculares trilhas da Madeira. Com 7 km de extensão (só ida), essa vereda liga o Areeiro até o Pico Ruivo, ponto mais alto da Madeira. De quebra, o caminho ainda passa pertinho do Pico das Torres, segundo mais alto da ilha. Com 1862 m de altitude, o Pico Ruivo só pode ser alcançado por trilha. Há diversas veredas que levam até ele, mas a ligação entre o Pico do Areeiro e o Pico Ruivo é uma das mais emblemáticas da Ilha da Madeira.

Caminho para o Pico Ruivo

Caminho para o Pico Ruivo

A trilha ida e volta – com total de 14 km – é recomendada para quem está em carro próprio e precisa voltar para o ponto onde o carro ficou estacionado. Já adiantamos que fazer o trajeto de 14 km é muito puxado e não é recomendado para quem não tem excelente preparo físico. Para quem faz o passeio com agência, o mais comum é seguir adiante até a Achada do Teixeira (7 km do Areeiro até o Ruivo e mais 2,8 km até a Achada do Teixeira), onde um carro estará esperando para voltar à cidade. Ah! E quem quiser ir só até o Pico Ruivo poderá fazer apenas os 2,8 km a partir da Achada o Teixeira, sendo que ida e volta serão 5,6 km. Apesar de ser um percurso mais curto, não é menos fácil, já que este é o trecho mais íngreme.

Saída do Pico do Areeiro para o Pico Ruivo

Saída do Pico do Areeiro para o Pico Ruivo

Todas as trilhas que levam ao Pico do Areeiro e ao Pico Ruivo são autoguiadas e podem ser realizadas por conta própria. É importante estar atento à previsão do tempo para não ser pego de surpresa com ventos fortes ou uma tempestade. Todos os trajetos entre os dois picos exigem um bocado do fôlego e dos joelhos. Se não estiver seguro ou com bom preparo físico, contrate uma agência. O custo do tour guiado é 25 euros por pessoa, com transporte ida e volta incluso.

3- Visite a Ponta de São Lourenço

Extremo leste da Madeira, a Reserva Natural da Ponta de São Lourenço é uma das mais dramáticas paisagens da ilha. Ainda no avião você terá uma ideia do espetacular cenário que se forma com as rochas que adentram o mar. Caminhar pela Ponta de São Lourenço permite ver tanto a Costa Sul quanto a Costa Norte da Madeira, além da Ilha do Porto Santo e as Ilhas Desertas.

Ponta de São Lourenço na Ilha da Madeira

Ponta de São Lourenço

Para conhecer de perto a paisagem, a melhor opção é percorrer a Vereda da Ponta de São Lourenço, com 8 km de trajeto (ida e volta). O percurso total da caminhada tem 2h30 de duração, mas com tantas paradas para fotos é capaz de demorar um pouquinho mais. A trilha começa na Baía D’Ábra e termina no Cais do Sardinha, onde há um pequeno centro de visitantes. O acesso à Vereda da Ponta de São Lourenço é gratuito. Caso queira fazer o passeio com uma agência, o custo médio, por pessoa, é de 25 euros.

Outra maneira de ver a Ponta de São Lourenço é em passeios pelo mar. Muitas rotas para observação de baleias e golfinhos passam pela região. Durante o verão é possível até parar a embarcação nos arredores da península para um mergulho. Vale ir de lancha, catamarã, iate e até caravelas que reproduzem as embarcações de antigamente.

4- Vá às praias da Madeira

Se você procura coqueiros e mar azul Caribe, a Madeira não é para você. Agora, se o seu negócio é uma faixa de areia fora do comum, aproveite! O arquipélago da Madeira oferece diversas praias em diferentes ilhas e a formação vulcânica da região proporciona características muito especiais à região. Aquela areia branquinha às quais estamos acostumados não é o mais comum por lá. Na Ilha da Madeira há praias com grandes pedras roliças, outras com areia bem escura e algumas poucas com areia amarela. A paisagem costuma ser cercada por montanhas ou belas falésias e o mergulho muitas vezes é garantido por barreiras artificiais que tornam o mar menos perigoso.

Praia da Ribeira da Janela na Ilha da Madeira

Praia da Ribeira da Janela

O lado sul da Ilha da Madeira é sempre mais ensolarado e por isso grande parte das praias está por lá, mas não todas. Vale dizer que o mergulho é mais convidativo entre os meses de abril e setembro, especialmente no verão europeu, quando as praias ficam cheias, animadas e com bons serviços para passar o dia à beira-mar. Já no inverno, a temperatura não ajuda muito e as praias não recebem muitos banhistas.

Entre as praias mais populares da Ilha da Madeira, boas pedidas são a Praia Formosa, localizada no Funchal e com “areia” de pedras roliças; a Praia da Calheta e a Praia de Machico, as duas com areia artificial; a Praia dos Anjos, com areia de pedra e de frente ao charmoso vilarejo da Ponta do Sol; e a Prainha, junto à Ponta de São Lourenço e com areia escura. Uma boa pedida também é a escondida Praia da Fajã dos Padres, com visita que pode ser aliada a um almoço em meio a uma propriedade rural à beira-mar e ainda uma bela descida de teleférico pelas falésias. Para um visual bastante fotogênico, experimente ir à Praia da Ribeira da Janela.

Já na Ilha do Porto Santo, as extensas praias têm areia mais clara e o mar calmo é um convite durante o verão. É lá onde estão as melhores praias do arquipélago da Madeira. É comum que os visitantes da Ilha da Madeira peguem o ferry para passar o dia em Porto Santo durante o verão, o que torna a ilha um dos passeios mais procurados na alta temporada. A travessia com o ferry Lobo Marinho, ida e volta, tem custo a partir de 47 euros e a embarcação parte do Funchal às 8h e retorna às 18h. A viagem tem duração de 2h20 e o retorno pode ser em dia diferente da ida, permitindo assim dividir a hospedagem e passar uns dias no Porto Santo.

Orla do Funchal na Ilha da Madeira

Orla do Funchal

5- Mergulhe nas piscinas naturais ou artificiais da Ilha Madeira

A Madeira tem grande oferta de piscinas e algumas com visual extraordinário. Muitas piscinas são naturais, com água que corre direto do mar. Outras, mesmo sem serem naturais, são um convite a relaxar. Borda infinita, espreguiçadeiras confortáveis e bom serviço de bar agradam dentro e fora dos hotéis da região. Na hora de escolher uma hospedagem, pense que uma boa piscina pode fazer toda a diferença na Madeira, especialmente se ela for aquecida. Se o seu hotel não tiver piscina, não se preocupe. Há diversos complexos balneares na ilha.  Para curtir as piscinas naturais, prefira viajar entre os meses de abril e setembro. No inverno elas não são tão convidativas, mas no verão são imperdíveis.

Piscina do Hotel Belmond Reid's

Piscina do Hotel Belmond Reid’s

Uma das mais emblemáticas imagens da Madeira são as Piscinas Naturais de Porto Moniz. Encravadas na rocha vulcânica e praticamente dentro do mar, as Piscinas de Porto Moniz têm água renovada a cada onda. É uma delícia curtir a piscina aliada ao barulhinho do mar. O lugar conta ainda com infraestrutura de banheiro, espreguiçadeiras, bar, restaurante e um bom hotel. Ah! E custo da entrada é apenas 1,50 euro. Se o seu foco for as piscinas, vale também conferir as Piscinas Naturais de Seixal (encravadas em pedras vulcânicas, com acesso livre e cenários maravilhosos para fotos) e as Piscinas Naturais do Cachalote (na entrada da vila do Porto Moniz, de origem vulcânica e com acesso livre).

Piscina Natural do Porto Moniz

Piscina Natural do Porto Moniz. Foto: Divulgação/ Holger Uwe Schmitt

Na Madeira há também diversas piscinas artificiais tanto em hotéis quanto abertas ao público, em espaços chamados de balneários. Escolher um hotel com uma boa piscina faz parte da diversão na Madeira e garante o relaxamento ao voltar do passeio. Alguns hotéis contam com piscina aquecida e ajudam nos dias mais frios. Há até hotéis que oferecem piscinas com água do mar. Além dos hotéis, a Ilha da Madeira disponibiliza para moradores e visitantes complexos de entretenimento chamados de balneários, com piscinas de água salgada e ingressos a valores muito acessíveis. Para quem quiser investir na diversão fora dos hotéis, vale conhecer o Complexo Balnear do Lido, o Complexo Balnear da Ponta Gorda e o Complexo Balnear do Porto da Cruz. O custo médio para o acesso aos balneários é entre dois e cinco euros por pessoa.

6- Contemple a vista de diversos miradouros e teleféricos

Se tem um coisa que encanta a todos os turistas na Madeira são as paisagens espetaculares que a ilha proporciona. A cada curva na estrada e a cada passo nas trilhas um novo e estupendo ângulo da ilha se revela. Aproveite cada vista para guardar na memória, e também na câmera, um registro da viagem. Ainda que as paisagens estejam por toda parte, alguns pontos são tão especiais que ganharam nomes oficiais. Os miradouros, como são chamados os mirantes em Portugal, são um tiro certo em meio a tanta oferta de vistas inesquecíveis. Boas pedidas também são os teleféricos, que além da vista rendem um delicioso passeio.

Teleférico do Funchal na Ilha da Madeira

Teleférico do Funchal para o Monte

Um dos lugares mais visitados da Madeira é o Miradouro do Cabo Girão, que conta uma maravilhosa vista para o mar. O lugar reserva ainda aos visitantes uma plataforma de vidro transparente por onde se pode caminhar e sentir um pouco mais de emoção a 580 m de altura. Quem quiser seguir os mirantes à beira-mar não pode perder o Miradouro Ponta do Rosto, na Ponta de São Lourenço; o Miradouro do Farol da Ponta do Pargo, com vista tanto para o norte quanto para o sul da ilha; o Miradouro do Véu da Noiva, com vista para o mar, montanhas e ainda a Cachoeira do Véu de Noiva; e o Miradouro do Pico dos Barcelos, com vista para o mar e para a cidade do Funchal.

Miradouro do Cabo Girão na Ilha da Madeira

Miradouro do Cabo Girão

Entre os maiores sucessos da Madeira estão os miradouros que permitem ver o interior montanhoso da ilha. Para cenários grandiosos, vá ao Miradouro do Pico Ruivo, com acesso por trilha de nível médio; o Miradouro do Pico do Areeiro, com acesso de carro ou por trilha; o Miradouro dos Balcões, com apenas 3 km de trilha – ide e volta – e vista para os picos Areeiro e Ruivo; e o Miradouro Eira do Serrado, que tem belo visual para o maciço central da Madeira e para o pequeno vilarejo do Curral das Freiras.

Miradouro do Pico Ruivo na Ilha da Madeira

Miradouro do Pico Ruivo

Para aliar a vista a um bom passeio, vale experimentar um dos teleféricos da cidade. O mais popular é o Teleférico do Monte, que leva do centro do Funchal até a freguesia do Monte. O percurso leva de 15 a 20 minutos e do alto você verá toda a maior cidade da Madeira. Ao chegar ao topo, aproveite para descer em um dos carrinhos de cesto (veja mais sobre os carrinhos abaixo). O trajeto só de ida tem custo de 11 euros e ida e volta 16 euros. Outro percurso que rende um lindo passeio é o Teleférico da Fajã do Padres. A descida íngreme segue por 300 m pela encosta da falésia e chega praticamente à beira-mar. O final do percurso é em uma linda propriedade com jeitinho de sítio e onde os vinhedos e um restaurante recebem os visitantes com uma linda vista para a praia. Vale para passar o dia e curtir sem pressa. A descida no teleférico tem custo de 10 euros.

Teleférico do Fajã dos Padres

Teleférico do Fajã dos Padres

7- Faça um passeio para observação de golfinhos e baleias

A Ilha da Madeira está em uma região riquíssima em vida marinha e que atrai grande número de golfinhos e baleias. São quase 30 espécies observadas naquelas águas. Se você é um apaixonado por natureza, não deixe de fazer um dos passeios para observação de cetáceos. Um olheiro, no alto das falésias, ajuda os barcos a localizarem os grandes animais marinhos. E a boa notícias é que baleias e golfinhos podem ser observados durante todo o ano. Entre as espécies encontradas nas águas da Madeira estão o golfinho comum, o cachalote, a baleia piloto e a baleia Bryde. Os passeios têm custo a partir de 30 euros por pessoa.

8- Pratique esportes de aventura

A riqueza de cenários dramáticos da Ilha da Madeira é um convite à prática de esportes de aventura. Se você faz a linha aventureiro, é certeza que será muito feliz por lá! Além das levadas e veredas, há outras deliciosas maneiras de ter um contato mais íntimo com a natureza da região. Na Ilha da Madeira vale praticar canionismo nas lindas cachoeiras, fazer um voo de asa delta ou tentar um salto de parapente, aproveitar o mar para a prática de esportes (vale surfe, SUP, kitesurf, mergulho e windsurf) ou descer algumas montanhas de bike. O grau de aventura só depende de você! Os esportes podem ser praticados durante todo o ano e em toda a ilha.

Canionismo na Ilha da Madeira

Canionismo na Ilha da Madeira

9- Passeie pelo centro do Funchal

O Funchal é a cidade mais populosa da Madeira e onde está a maior concentração de hotéis, restaurantes, lojas e turistas da ilha. E como é certo que você passará por lá, aproveite para curtir a cidade e conhecer algumas das atrações da região. Para percorrer o Funchal vale ir a pé, usar o transporte público, táxi ou mesmo os ônibus turísticos de dois andares. Sem esquecer o teleférico, que rende um delicioso passeio.

Funchal visto do Parque Santa Catarina

Funchal visto do Parque Santa Catarina

Invista nos percursos a pé para não perder nenhum detalhe. Muitas ruas são destinadas apenas a pedestres, o que torna o passeio ainda mais gostoso. Os casarios históricos são lindos e o calçamento de pedras portuguesas completa o charme local. Ande sem rumo e sem pressa. Você irá se deparar com lindos edifícios, como a Fortaleza de São Tiago, o Mercado dos Lavradores, a Sé Catedral de Nossa Senhora, o Palácio de São Lourenço e o Teatro Municipal Baltazar Dias. Não deixe de fazer paradas nos jardins, como o Parque de Santa Clara e o Jardim Municipal do Funchal (Jardim Dona Amélia).

Durante todo o percurso, repare nos grafites que decoram as paredes e que fazem parte do projeto “Arte de Portas Abertas”. Eles enchem de cor o centro do Funchal. Quem tiver com tempo menos corrido poderá ainda investir em visitas aos pequenos museus, como o Museu da Quinta das Cruzes, o Museu de Arte Sacra do Funchal e o Madeira Story Center.

Teatro Municipal do Funchal

Teatro Municipal do Funchal

No trajeto pela orla, visite o Museu CR7 (o jogador Cristiano Ronaldo é natural da Ilha da Madeira); tome uma cerveja ou vinho madeira com vista para o mar; aprecie os barcos, navios e veleiros ao pôr do sol; e faça um passeio de teleférico até o Monte, onde você poderá visitar a Igreja de Nossa Senhora do Monte, o Monte Palace Tropical Garden e depois fazer a descida até o centro em um carrinho de cesto. Vale também pegar outro teleférico até o Jardim Botânico da Madeira e continuar o tour. O Centro do Funchal rende diversos dias de passeio e a graça por lá é curtir com calma.

Funchal à noite

Funchal à noite

10- Ande em um carro de cesto

Os carros de cestos fazem parte da história da madeira desde 1850. Antes usados no transporte de moradores, hoje os cestos de vime montados sobre patins gigantes são destinados à diversão dos turistas. Movidos pelos carreiros (dois homens que fazem o papel de pilotos do cesto), os carros de cestos correm ladeira abaixo a partir do Monte e tomam velocidade a cada empurrão dos pés dos carreiros no chão.

Os carros de cestos descem em meio ao trânsito, em ruas de verdade por onde passam carros. Algumas vezes a freada é necessária (os pés são os freios), mas com sorte é possível pegar o trânsito livre e atingir a velocidade de até 38 km/h. Além de divertido, é uma maneira bem mais rápida e emocionante de descer os 2 km da ladeira.  O teleférico do centro do funchal leva até o ponto de partida dos carros de cesto, aos pés da Igreja do Monte. O custo, por pessoa, é a partir de 15 euros (em carro com três pessoas) e varia a depender do número de ocupantes do carro.

11 – Visite alguns dos pequenos vilarejos

O Funchal é a principal cidade da Madeira, mas há outros destinos que merecem um passeio na ilha. Não deixe de percorrer as sinuosas estradas locais em busca de pequenos e charmosos vilarejos (chamados de freguesias), onde o ritmo é mais lento e a vida ainda mais tranquila. Ao passear pela Madeira, faça uma parada na Vila do Porto Moniz, onde está a mais famosa piscina natural da ilha; visite as casas típicas de Santana; conheça as grutas de São Vicente; aprecie a orla de Paúl do Mar; fotografe as lindas formações rochosas da Ribeira da Janela; visite o Curral das Freiras, localizado em um profundo vale entre grandiosas montanhas; e curta a praia na vila da Ponta do Sol. O bom da Madeira é parar diversas vezes ao longo do passeio, com a certeza de sempre encontrar um lindo visual.

Casas típicas de Santana

Casas típicas de Santana

Restaurantes e culinária típica da Ilha da Madeira

Sentar-se à mesa em Portugal é sempre uma experiência deliciosa. E na Madeira não é diferente. A ilha, apesar de fugir um pouco das tradicionais receitas portuguesas, mantém a boa fama da culinária do país e tem a gastronomia como um dos grandes atrativos que levam turistas à região. Na Madeira será fácil encontrar desde casas simples com sabores muito regionais a restaurantes estrelados com menus contemporâneos assinados por grandes chefes. O seu bolso é o limite.

Restaurante da Fajã dos Padres

Restaurante da Fajã dos Padres

Quem conhece Portugal está acostumado a ver muito bacalhau, pasteis de nata e sardinhas preparadas de todos os modos. Na Madeira, por mais estranho que pareça, essas iguarias portuguesas são encontradas bem pouco. O que reina na Madeira é o bolo do caco (um delicioso pão com alho que serve de entrada), o filete de peixe espada, o atum fresco, as lapas, a carne de vinho e alhos e as espetadas (um tipo de churrasquinho no espeto). Muitos acompanhamentos dos pratos levam banana e maracujá, duas frutas comuns em toda a ilha.

Entre os doces, o que predomina na Madeira é o bolo de mel e as queijadas. E para completar as refeições, não esqueça de experimentar um autêntico vinho madeira e abrir o apetite com uma poncha. Ah! E o famoso molho madeira, tão consumido no Brasil, é mesmo preparado originalmente com o Vinho Madeira, mas a verdade é que raramente se encontra por lá nos cardápios. Para se aventurar nos pratos regionais, experimente o Restaurante Adega da Quinta e o restaurante da Quinta do Furão.

Espetada do Adega da Quinta

Espetada do Adega da Quinta

Um jantar comum na Madeira pode custar facilmente 10 euros, enquanto que uma refeição em um renomado restaurante estrelas do Guia Michelin, como o Il Galo d’Oro, pode chegar a 200 euros, mas há estrelados mais em conta, como o Ristorante Villa Cipriani, no Belmond Reid’s Palace, com refeições entre 50 e 100 euros. Se quiser se aventurar nos restaurante mais badalados, é bom estar preparado (com reserva e traje a rigor). Mas se o seu negócio é mesmo uma boa comida de rua, não há com que se preocupar! Em todo lugar você poderá ser feliz.

Ambiente do Ristorante Villa Cipriani

Ambiente do Ristorante Villa Cipriani

Os restaurantes na Ilha da Madeira muitas vezes rendem um lindo passeio e não apenas a refeição. Há muitos restaurantes em belos hotéis, em tradicionais quintas e outros com privilegiadas localizações com vistas dignas de muitas fotos.  A maior contração de restaurantes da Madeira está na Zona Velha do Funchal, onde há uma grande variedade de cardápios e a noite é sempre animada. Ainda que seja muito prático e bem atraente, não se prenda apenas aos restaurantes do centro do Funchal e explore a ilha em busca de refeições memoráveis, tanto pelo sabor quanto pelo cenário.

1811 Bistro e Wine Bar

1811 Bistro e Wine Bar

Boas pedidas para aliar excelente comida a um lindo visual são o Dining Room, na Quinta da Casa Branca; o Aqua Natura, com vista para as piscinas naturais do Porto Moniz; o Nini Design Center, com estilo descolado em meio a obras de arte; o Restaurante da Estalagem Ponta do Sol, com vista para o verde e o mar; e o Restaurante da Fajã dos Padres, com acesso por teleférico em uma antiga propriedade rural localizada entre o mar e a falésia. No centro do Funchal, experimente o charmoso 1811 Bistro & Wine Bar.

Compras na Ilha da Madeira

Apesar de não ser um destino de compras, não será difícil voltar com a mala um pouquinho mais pesada de uma viagem à Ilha da Madeira. O destino é interessante especialmente para quem gosta de investir em produtos típicos e levar para casa lembranças das tradições locais. Claro que por lá também será possível ir às compras em lojas comuns, então pode preparar o bolso para investir alguns euros.

Degustação de Vinho Madeira

Degustação de Vinho Madeira

Na Madeira, como é de se esperar, comprar um vinho madeira faz parte do pacote de viagem. Há diversas lojas na ilha, mas a Blandy’s Wine Lodge alia alia bem as compras ao passeio. Além de tradicional produtora, a Blandy’s oferece visitas guiadas e degustações que ajudam na hora de escolher a compra certa. Para quem busca vinhos portugueses, mas não necessariamente madeirenses, os supermercados e lojas especializadas em vinhos ajudarão na hora da compra. Não se esqueça de aliar os vinhos a um bom queijo, também produto de excelência em Portugal e encontrado facilmente nos mercados do Funchal.

Blandy's Ilha da Madeira

Blandy’s

Quem também agrada em cheio é a Fábrica Santo Antonio, tradicional produtora de doces e biscoitos, onde é possível comprar o famoso bolo de mel, produto vendido em toda a ilha e servido em diversos restaurantes na sobremesa. Aproveite também para investir em biscoitos e broas com amêndoas e gengibre. Tudo por lá é lindo e delicioso. São boas pedidas de lembrancinha para os amigos e familiares.

Fábrica Santo Antonio na Ilha da Madeira

Fábrica Santo Antonio

Também tradicional da ilha, os bordados da Madeira são bem mais que uma simples compra, até porque os valores costumam ser bem altos. Para uma lembrancinha, o custo será ok, mas para levar uma bela toalha de mesa ou uma roupinha de bebê é bom separar uma parte do orçamento. Não é difícil encontrar bordados que ultrapassam a casa das centenas de euros, mas se você é um apaixonado por essa arte, vale o investimento! Um bom lugar para comprar peças autênticas e ainda ver como são feitos os trabalhos manuais é a Bordal Bordados da Madeira. Seguindo a linha de trabalhos manuais, os cestos e peças de vime e cerâmica também se destacam na produção local e são lindas peças para levar para casa.

Para quem busca diversas opções de compras no mesmo lugar, o Funchal é o melhor ponto da Madeira. As ruas do centro oferecem muitas lojas e o ideal é percorrê-las a pé para não perder nada. Se o foco é mesmo um grande centro comercial, as melhores opções no centro do Funchal são o Forum Madeira e o La Vie Funchal Shopping Center. Um pouco mais afastado, porém com mais opções de lojas, vale ir ao Madeira Shopping.

Compras na Ilha da Madeira

Forum Madeira

Últimas dicas para curtir a Ilha da Madeira

Por mais tempo que você fique na Ilha da Madeira, sempre haverá a sensação de não ter visto tudo. Ao embarcar rumo a esse destino sensacional de Portugal, lembre-se de que a Madeira não é apenas um passeio de bate e volta. Invista tempo e energia na viagem. Deixe-se levar pelos trajetos sinuosos, trilhas desafiadores e natureza de emocionar. Aproveite os mergulhos nas praias e piscinas para voltar com energia renovada. Não economize na hora de comer e deguste cada sabor que a Madeira tem a oferecer. Aprecie todos os ângulos da Madeira, pare a cada mirante e se deixe vencer pela quantidade inacreditável de cenários cinematográficos. Peça uma poncha caprichada e faça um brinde a esse lugar tão especial. Nem será preciso uma segunda dose pra você já se apaixonar. Bem-vindo à Ilha da Madeira!

Final de tarde no Funchal

Final de tarde no Funchal

E você? Já esteve na Ilha da Madeira? Conta pra gente como foi a sua viagem! Quanto mais dicas da Madeira, melhor! 

A Editora de Destinos, Monique Renne, viajou a convite da TAP e do Turismo da Madeira.