Como aumentar o limite do seu cartão de crédito

Leonardo Cassol 11 · fevereiro · 2015

Esse post apresenta 10 dicas com recomendações práticas que vão ajudar você a turbinar o seu limite do cartão de crédito. É possível ter um limite de crédito bem maior que sua renda mensal comprovada, desde que você atenda aos requisitos mínimos de concessão de crédito praticados pelos bancos de varejo que atuam no Brasil. Confira!

Os cartões de crédito, se bem usados, são poderosas e eficientes ferramentas de compra, que agregam benefícios associados, como o acúmulo de milhas ou pontos, prêmios, descontos em eventos culturais, seguros gratuitos, acesso a salas VIP, concierge e inúmeros outros serviços associados. Ao mesmo tempo, se utilizados sem planejamento, são perigosos instrumentos de endividamento, com taxas de juros extremamente elevadas e alto risco do efeito “bola de neve”, que pode transformar as suas despesas numa dívida crescente e praticamente impagável. Portanto, antes de seguir essas dicas, é recomendável refletir se você precisa e se está preparado para ter mais crédito à sua disposição.

Por que ter um bom limite no cartão de crédito?

Comprar a tão sonhada passagem para toda a família na promoção do Melhores Destinos, sem comprometer todo o seu limite; fazer compras parceladas e aliviar o fluxo de caixa; contingências; utilizar o pague contas; centralizar os gastos diários, acumular milhas… são incontáveis motivos que justificam a necessidade de um bom limite de crédito. Além disso, com renda e limite mais altos, é possível migrar para melhores cartões (platinum, infinite e black), cujos benefícios quase sempre são superiores aos dos demais cartões.

Como funciona a definição e aprovação do crédito pelos bancos?

Já se foi o tempo em que comprar um presentinho para o gerente do banco era um fato relevante para conseguir crédito. A concessão de crédito hoje passa por normas rígidas, que vão desde de a decisão de um comitê de crédito, até a análise de um software especializado que considera diversos aspectos do consumidor, utilizando indicadores para calcular o risco e atribuir um score (uma espécie de nota para o cliente), bem como customizar os limites de crédito. Em todos os casos, a renda mensal comprovada, o histórico de relacionamento com o banco e/ou com a administradora do cartão de crédito e o seu nível de endividamento de curto prazo (utilização de cheque especial e cartão de crédito, principalmente) serão sempre os requisitos mais importantes para essa decisão.

Qual o limite máximo que se pode obter no cartão de crédito?

A resposta padrão dos bancos é que o limite total de crédito não deve ultrapassar uma fração (geralmente 70%) da sua renda bruta. É o mais comum, mas está bem longe de ser o limite. Caso o seu limite de crédito seja inferior a 100% de sua renda mensal bruta, essa é uma boa referência de que ele pode aumentar.

De qualquer maneira, mantendo um bom relacionamento com o banco e sendo cliente de mais de uma instituição financeira (cartões de crédito com diferentes bancos), é possível ter na soma dos limites dos cartões de crédito mais de 10 vezes o valor de sua renda mensal bruta. Isso mesmo! Ressalto que não se trata de nenhuma prática milagrosa, ilegal ou enganosa. É possível ampliar seu limite seguindo as regras de crédito dos bancos e administradoras de cartão que atuam no Brasil. Falo por experiência própria e também por uma pesquisa em profundidade que realizei para escrever esse post. Apenas o cartão de uma instituição financeira pode oferecer mais de 6 vezes o valor de sua renda mensal. Claro que isso não ocorre de imediato e nem por obra do acaso. Mas é algo ao seu alcance e que você confere a seguir, em detalhes, como funciona!

Passo a passo: 10 dicas com recomendações para aumentar o seu limite no cartão de crédito

Primeira fase: construindo as bases para aumentar seu limite
Atualize e comprove sua renda anualmente: você sabe qual a sua renda mensal comprovada registrada pelo banco ou pela administradora do seu cartão? A sua instituição financeira pode estar com uma informação antiga, com uma renda muito inferior à sua renda atual. Portanto, comece verificando essa informação e atualizando sua renda, enviando um dos comprovantes de renda aceitos pelo seu banco. Faça isso anualmente, ou pelos menos em todos os anos em que sua renda aumentar ou lhe for solicitado;

Utilize o comprovante de renda que mais te favorecer: ou seja, que demonstre o maior valor possível para a sua renda (escolha um entre a última declaração de imposto de renda com o respectivo recibo; contracheque; fatura de outro cartão de crédito; ou decore – declaração de rendimentos para pessoa jurídica;
Informe sempre todos novos bens e rendas complementares: bens como imóveis, carro, moto, ações etc. ou rendas complementares comprovadas ou não comprovadas (renda com aluguéis, pensões, bônus, PLR ou ajuda de custo) trazem mais segurança às instituições financeiras e devem ser informadas;

Solicite a transferência de todos os seus limites para o cartão de crédito: parte dos grandes bancos nacionais (Banco do Brasil, Itaú entre outros) permite a transferência de limites entre diferentes cartões de crédito, ou ainda do cheque especial, CDC (crédito direto ao consumidor) ou linhas de crédito de curto prazo para o cartão de crédito. O Banco do Brasil permite, inclusive, alocar o limite do empréstimo CDC para compras parceladas do cartão de crédito, evitando assim que elas prendam o seu limite.

Ao fim da primeira fase você terá estabelecido as bases para seu crédito aumentar no curto, médio e longo prazos. Você pode iniciar a fase 2 em paralelo à fase 1, desde que a sua renda esteja atualizada junto ao seu banco ou à sua administradora de cartão.

Segunda fase: ampliando o seu de limite de crédito
Use seu cartão ou seus cartões de crédito para todas as suas despesas cotidianas, pagando sempre o valor integral da fatura em dia: usar praticamente todo o limite do cartão (pagando em dia, claro!) leva a administradora a perceber que seu limite não está adequado ao seu perfil, além de vê-lo como um cliente preferencial. Isso não é um indicador obrigatório, mas é importante ter um bom padrão de consumo. Portanto, esqueça o cartão de débito! (a não ser que você tenha um bom desconto para pagar à vista). Se puder, coloque ainda a sua fatura no débito automático para evitar atrasos;

Solicite aumento do seu limite de crédito a cada 6 meses. É possível solicitar pela central de atendimento do cartão ou pelo site, na maioria dos casos. Se seu cartão for de movimentação múltipla com a conta corrente, você terá que pedir na agência ou por telefone ao seu gerente. Geralmente os atendentes ou o sistema (no caso da solicitação pelo internet banking) conseguem aprovar um aumento de 15% a 25% do limite sem necessitar do envio de comprovante de renda. Por isso, a dica é repetir essa ação a cada 6 meses, seguindo conjuntamente as demais recomendações;

Peça um novo cartão numa diferente instituição financeira da qual você ainda não seja cliente: faça isso após ampliar a renda no cartão ou nos cartões de crédito que possuir, para que você possa utilizar a fatura desse cartão (que a essa altura, provavelmente, já será maior que a sua renda mensal bruta) como comprovante de renda. A vantagem de ter um cartão de nova instituição financeira é que você terá uma nova e independente linha de crédito disponível, sendo que você já começa nela com uma renda alta. Não se acanhe com uma nova anuidade. Você poderá negociá-la com um desconto integral ou parcial. Veja como neste post.

Caso você já tenha cartões com outra instituição, siga os procedimentos dos itens anteriores e peça o aumento do limite. Instituições financeiras como Itaú, Santander, HSBC, Credicard, Bradesco (cartão Smiles ou American Express), Banco do Brasil (cartão Smiles) entre outras oferecem bons cartões de crédito para quem não é correntista. A proposta pode ser preenchida pela internet e o comprovante enviado por fax ou e-mail;

Continue utilizando seus cartões de crédito e solicitando semestralmente o aumento de limite: pode ser que, em algumas vezes, o pedido seja negado ou que a instituição exija comprovante de renda. Nesse caso, envie o novo comprovante apenas se ele for maior que o seu limite atual ou a sua renda esteja desatualizada. Caso um dos cartões aumente o seu limite num valor maior que o outro, espere a fatura que comprova o novo limite maior chegar para utilizá-la como comprovante de renda junto à administradora do outro cartão. Do contrário, aceite a negativa e peça novamente o aumento 6 meses depois. Anote na sua agenda a data para não esquecer. Repita esse processo, seguindo conjuntamente as outras dicas e recomendações. No caso de novos cartões, geralmente é necessário aguardar pelo menos 6 meses até a primeira solicitação de aumento de limite. Cabe a você decidir a hora de parar, quando o limite atender às suas necessidades.

Terceira fase: consolidando seu limite de crédito

Monitore as variáveis que compõem o score que estejam dentro do seu controle: sua renda, escolaridade, nível de endividamento de curto prazo (ex: cheque especial e cartão); médio prazo (ex: financiamento de veículo) e de longo prazo (ex: financiamento de imóvel), adimplência e cumprimento de prazos em operações de crédito realizadas, qualidade do relacionamento com o banco (ver item 10), participação societária em empresas são indicadores que definem seu perfil financeiro e o seu score e, consequentemente, o valor do seu crédito. Portanto, saiba que isso terá grande peso nas decisões de sua instituição financeira. Outros fatores que compõem o score não são passíveis de ação por parte do cliente, tais como gênero, idade, estado civil, número de filhos etc. Alguns indicadores, como o CEP, parecem estranhos, mas o banco pode segurar a concessão de crédito se perceber, por exemplo, um grande aumento de inadimplência numa cidade ou em um bairro específico. Isso ocorre também com o seguro do carro, por exemplo. Fatores macroeconômicos fora de nosso controle, como crescimento econômico do Brasil, taxa referencial de juros, nível de emprego e de renda também influenciam as decisões dos bancos de maneira geral.

Concentre seus investimentos e produtos na instituição que melhor lhe reconhecer como cliente: receber o salário pelo banco, manter um bom volume de investimentos, ações, fundos de previdência, seguros, débitos automáticos e outros produtos bancários ajudam a melhorar o seu score e o seu relacionamento com o banco, contribuindo para a ampliação do seu limite de crédito. Em alguns casos, o aumento de limite virá mesmo sem você pedir. Se não estiver interessado, você pode pedir a redução do seu limite para o valor original.

Não consigo aumentar meu limite de jeito nenhum. O que pode estar interferindo nesse caso?

Inicialmente, pergunte objetivamente à sua instituição financeira o motivo da negativa. Em determinadas ocasiões eles não informam. Nesse caso, verifique por conta própria se existe alguma pendência financeira em seu nome, seja por pagamentos atrasados, cheques sem fundos, protestos em cartório, ações judiciais das quais você seja réu, participações em falências, inscrições no histórico do SERASA , SPC ou Equifax.

Dívidas atrasadas passadas, ainda que quitadas, geralmente estão diretamente associadas a limitação de crédito, especialmente se elas tiverem sido quitadas com desconto. Nesse caso, a saída é buscar outra instituição financeira e começar um novo relacionamento do zero. Esquecer de pagar a fatura no vencimento, ainda que se pague o valor integral depois, também afeta a decisão de conceder aumento de limite. Igualmente ocorre com quem é sócio de uma empresa com problemas financeiros.

Além disso, bancos públicos e determinadas administradoras de cartão de crédito são conhecidos por terem critérios mais rígidos para a concessão de crédito. Se for o seu caso, considere uma administradora com outro perfil na hora de contratar o cartão de outra instituição financeira. Se for correntista, tenha certeza de que sua conta corrente não está cadastrada como conta universitária ou alguma outra conta não tradicional, pois isso pode interferir na definição do crédito disponível.

Importante: a Lei não obriga as instituições financeiras a conceder crédito para nenhum cliente e nem determina o volume de crédito que deve ser concedido. Caso não se sinta reconhecido por sua instituição financeira, considere trocá-la por uma concorrente. Converse com amigos, colegas de trabalho e pessoas próximas e avalie a instituição que melhor pode atendê-lo.

Importante: Use o crédito com sabedoria e tenha o controle de suas finanças

Seu crédito deve ser usado de maneira consciente e inteligente, sob pena de se tornar um grave problema na sua vida. É fundamental manter o controle de suas contas e não confundir limite de crédito com renda. Ter um limite maior que sua renda aumenta muito o risco de perder o controle, portanto, pense bem antes de consumir e tenha uma contingência para imprevistos. Se sentir que está perdendo o controle de suas finanças, procure ajuda e aja rapidamente. É possível negociar o parcelamento da fatura com juros mais palatáveis, mas é importante que isso seja feito antes da dívida se avolumar, e também que isso seja feito em paralelo a medidas de contenção de gastos, para evitar o acúmulo de novas dívidas. Por fim, é altamente desaconselhável utilizar crédito para ajudar familiares, parentes ou amigos. Se não tiver opção, considere que você tenha condições de pagar a dívida no caso da pessoa não honrar o compromisso firmado. Muitas pessoas possuem passam por dificuldades por causa de situações cotidianas, como as citadas nesse parágrafo. Tenha cuidado! E aproveite as melhores promoções!

Tem mais alguma diga não listada no post? Teve alguma experiência interessante relacionada ao limite de cartão de crédito? Compartilhe abaixo nos comentários!

Leonardo Cassol é economista e colaborador do Melhores Destinos.

OBS.: Escrevi esse artigo com base em minha própria, complementando com informações de terceiros fruto de minha pesquisa. Em algum momento eu me vi obrigado a aumentar meu limite de crédito após constatar que o mesmo estava totalmente comprometido com o parcelamento de passagens compradas em promoções, e também para aproveitar benefícios como o acúmulo de milhas através do pague contas do cartão. Comecei a adotar a estratégia apresentada nesse post em 2010, conseguindo em 2012 um volume de crédito 15,7 vezes maior que a minha renda. Em 2014, no entanto, com uma nova conjuntura econômica, avaliei que estava muito alavancado e que era necessário reduzir minha alavancagem, o que me levou a cancelar cartões e reduzir meu limite de crédito para patamares mais próximos aos da minha renda.

Publicado por

Leonardo Cassol

Editor

  • Frederico Leite

    Show…
    Tenho um cartão Platinum com limite de 7 vezes a minha renda Total.
    Agora tenho uma duvida.
    O pague contas é bom negócio?
    Vale a pena? Qual a dica pra conta não sair absurdamente maia cara que o normal e aquelas milhas valerem a pena?
    Valeuu Leonardo
    Valeu MD

  • Julio

    Excelente post, Leonardo. Gostaria de aproveitar pra te pedir uma dica: (não quero me vangloriar, nada. Só preciso de uma dica sua) tenho, no HSBC, um cartão Mastercard, um Visa (ambos com R$25.000,00 de limite cada) e minha esposa tem um Mastercard, também do HSBC, com 35.000,00 de limite. Nós dois, com essa conta conjunta no banco e esses cartões, todos vinculados à esta conta, somam um total de crédito de R$ 85.000,00. Como viajo frequentemente, acredito que ter um cartão Infinite ou Black, há algumas vantagens nesses cartões que me interessam. Como não há negociação da anuidade do Black do HSBC, nem tive interesse. Porventura, na Porto Seguro eu consigo 50% de desconto, pois meu gasto mensal permite isso. Só que, mesmo com todos esses cartões cadastrados no débito automático (graças a Deus nunca precisei parcelar fatura de nenhum desses cartões) Eu fiz uma solicitação para adquirir o cartão infinite ou Black da Porto Seguro há 6 meses e uma nova tentativa há uma semana, e sem sucesso. Leonardo, de acordo com sua vasta experiência, o que atribui essa atitude da Porto Seguro em me negar esse cartão? Há algum outro caminho que devo seguir?

    • Felipe Z.

      Julio, eu tenho conta no Bradesco e o Visa Infinite chegou em casa como uma surpresa, jamais solicitei. Quando transferi a conta de agência, acabei sendo contemplado com o Mastercard Black, porém ele me foi ofertado pela renda declarada acima de R$20k, assim como investimento.
      Fiz um seguro do carro pela Porto Seguro e fiz o cartão deles a fim de ter mais 5% de desconto. O cartão dado foi um Gold, que só usei para o seguro.
      Tanto Infinite como Black, eu consegui isentar a anuidade ligando diretamente na central do cartão. Eu concentro todos os gastos neles, acumulando pontos.
      Vale lembrar que o primeiro ano do cartão não consegui negociar, fui obrigado a pagar a anuidade, porém depois disso eu nunca mais paguei.
      Quanto tempo você tem o seu cartão? Se for menos de 1 ano, não acredito que consiga negociar a anuidade.

      Abraços

      • Julio

        Oi Felipe Z. Desculpe a demora…rs… Obrigado pela explicação! Eu tenho meus cartões há cerca de uns 7 anos. Todos são mastercard platinum Premier do HSBC. Todos os 3 cartões q possuo o banco eu nunca paguei anuidade por causa do volume de gastos q concentro nos 3. O seu Visa Infinite não vem com o Priority Pass, né?

    • Anderson

      Julio
      Você precisa entrar em contato no SAC da Porto, lá você consegue saber o real motivo de não terem aprovado seu cartão.
      Por lá também você deve conseguir o cartão do jeito que você quer.
      Deu certo comigo.

      • julio

        Anderson, vc ligou no SAC e dependendo o que eles disseram a vc, vc conseguiu reverter a situação e conseguiu o Black/infinite?
        Clareie mais a minha mente antes de eu ligar lá.

    • BrunoGuedes

      Júlio, com certeza te negaram o cartão, porque você não tinha um relacionamento prévio com a Porto. Eles só concedem para quem já tem algum produto contratado deles, tipo Seguro Residencial ou Seguro Auto. Fora isso, o black é quase impossível. Eu me informei sobre isso diretamente com eles.

      • Julio

        Obrigado pela dica Bruno. Pensarei no assunto. Não sei se compensa eu fazer alguma coisa com eles pra poder ter o cartao. Mas mesmo assim, obrigado!!!

  • Elis Serrano

    Aumentar o limite do cartão é relativamente fácil. O importante é sem um bom gastador e um bom pagar. Sempre utilizar o limite de crédito total e paga-lo o valor integral no vencimento. Se fizer isso, nem é necessário ficar ligando para a instituição financeira, ela mesmo irá progressivamente aumentar o limite.

    • Fernando-RJ

      Sou da política que quanto mais crédito disponível melhor é, desde que com muita responsabilidade. Para uma viagem, faz toda a diferença!

      • Luiz Jorge Bolognesi

        Correto!!

      • Diego

        Para uma fraude, tb – vide o recente caso dos Black da Caixa, de que, se não estou enganado, vc tb foi vítima.

  • ivan

    Toda essa discussão poderia ser resumida em um único conselho: arrume um salário compatível.

  • Fernando-RJ

    Nos últimos meses, devido a instabilidade econômica, as instituições estão mais cautelosas com o crédito. Até 2013 era manter essa linha que o Leonardo descreveu com maestria e os limites iam à estratosfera ! Hoje estão mais exigentes e criteriosos!..

  • Frederico Leite

    Valeu Leonardo e MD!
    Boas dicas.
    Tenho um cartão platinum 6 vezes o valor da minha renda.
    Gostaria de dicas para usar o PAGUE CONTAS. Além da taxa, rola um juros. É isso mesmo?
    Aguardo esclarecimentos…

  • Diego

    Embora os motivos apresentados para querer um aumento de limite possam se mostrar razoáveis para usuários muito conscientes, para a imensa maioria da população ter um limite superior à própria renda mensal, como proposto no texto, representa um perigo absurdo.
    Ademais, na verdade o único motivo real para querer um limite alto no cartão é poder fazer compras PLANEJADAS de alto valor (viagem de férias, por exemplo), já que o pagamento de contas não é vantajoso economicamente hoje em dia, devido às tarifas incidentes. E mesmo assim, mais sensato é juntar o dinheiro antes da compra, de modo que mesmo sem um limite alto no cartão te restará a opção do boleto.

  • Euler

    Na contramao do raciocinio.Caso a Instituicao financeira reduza o limite sem motivo e sem aviso previo, é relevante lembrar que pode se mover processo por dano moral, a chance de ganho é quase certa.

  • Raphael Vieira

    Bom dia. Assim como nosso colaborador Julio, nao quero me vangloriar do meu limite no cartao de credito. Mas minha historia com a Credicard se iniciou em 2004 com um cartao de credito universitário bandeira VISA com limite de R$400,00. Nunca tive outro cartão de outro banco. Nunca atrasei uma fatura ou muito menos parcelei. Sempre fui um excelente comprador e excelente pagador também. As dicas so post foram alguns do passos que dei para aumentar meu limite. Hoje tenho um VISA PLATINUM com limite de R$35.000,00. 6x mais do que minha renda. E o melhor de tudo. Quanto liguei la para pedir um cartão para pontuar MILHAS, fui todo humilde pedir um VISA EXCLUSIVE, pois a anuidade do cartão era menor e etc. Dai a atendente com toda a alegria do mundo me diz: Porque o Sr. não pega um VISA PLATINUM? Aqui no meu sistema está constando que o Sr. nao pagará anuidade alguma dele? Dito e feito, eu, meio que na desconfianca de no segundo ano ter que pagar a anuidade e etc, pedi o cartao. Tenho ele a 3 anos e nunca paguei anuidade alguma. Acredito que voce tendo uma boa relaçao com seu banco, no meu caso, ITAU, sendo um bom pagador de seus financiamentos e cartoes, nao tem porque o banco te negar credito… Boa sorte galera.

    • Thiago

      Bacana o relato, Raphael. Sem dúvida é por aí mesmo, tem que ser bom comprador e pagador.

      Só um detalhe: os cartões Itaú estão entre os piores do mercado para acumular milhas. Um excelente cartão Platinum é o da Porto Seguro (não precisa ser segurado), pois a conversão é mais honesta. Outro muito bom é o Platinum Smiles (Bradesco ou BB), com o agravante de migrar as milhas só para o Smiles, da Gol (por outro lado, a conversão é excelente, comparável a alguns Infinite/Black).

      Recomendo a leitura do tópico sobre cartões aqui do MD. Mas sugiro fortemente que pense em abandonar seus cartões Itaú. Fiz isso com meu Personnalitè há 2 anos.

    • Julio

      Isso mesmo Raphael!!! Eu por exemplo, não tenho problema nenhum com o HSBC. Meu problema é com a porto seguro, com quem não tenho vínculo nenhum. hehe

    • Diego

      Curiosidade, não leve a mal: há alguma utilidade para vc nesse limite seis vezes superior à sua renda?

  • Fernando-RJ

    Certamente é o correto, entretanto sem o cartão não há locação de veículos (há uma caução de valor relativamente alto que pode impactar no uso normal do cartão), check-in dos hotéis também é exigido um cartão prá garantir as despesas extras. Enfim, um bom limite num cartão de crédito com consciência, é muito cômodo!

  • Fernando-RJ

    Reflexo da atitude conservadora das instituições financeiras na concessão de crédito desde 2014!

    • ana

      Cartoes Black e Infiniti nao possuem limite… por isso a dificuldade para os bancos darem para seus clientes… é possivel apenas com boa movimentacao, bastante dinheiro no banco (aplicacoes, etc) e bom relacionamento com o gerente…

      • Thiago

        Claro que têm! São raríssimos os cartões sem limite (na verdade, eles têm, altíssimos, mas não são divulgados aos clientes).

      • Marcelo Guimarães

        De onde vc tirou essa informação? Eu possuo tanto um Infinite (Caixa) quanto um Black (HSBC) e todos eles têm limite definido. Boa parte dos meus amigos também tem esses cartões e TODOS, sem exceção, tem limite pré-definido. Eu não sou rico, mas tenho amigos que têm muito dinheiro, e mesmo no caso deles, os cartões têm limite!

        Já foi a época em que um determinado cartão era “unlimited”.

  • oremhartuing

    Ter várias vezes o montante da renda no crédito é uma armadilha para a maioria das pessoas, que vão destruir sua organização financeira ao contar com uma renda que não possuem e contrairão dívidas eternas a juros absurdos.

  • Thiago

    Sou fã do MD e entro cerca de 10x por dia no site para conferir as principais promoções aéreas. No entanto, este post não tem nada de bom, visto que a maioria dos brasileiros não sabe gastar e o aumento de crédito só aumentará a dívida da maioria. Lógico que existem exceções, mas em se tratando de Brasil… perigo à vista!!!

  • Viny Azevedo

    Eu tenho o Black do Itaú, solicitei um Infinite da Porto Seguro e me mandaram um Internacional, hehehehehehehe
    Nem desbloqueei.

    • Daniel

      Mesma coisa comigo! Tenho black e infinite do itaú personnalité, solicitei os mesmos da Porto Seguro porque o deles possuem o Priority Pass incluso, mas negaram. Mesmo comprovando renda e tudo mais. Esse cartão é bem restrito e eles só liberam para quem tem seguros com eles.

      • Viny Azevedo

        Eu tb solicitei por causa do PP, mas paciência. Não tenho saco para ficar bajulando instituição financeira não, o Black me atende bem e nem solicitei, ganhei de upgrade.

  • Em geral, não é mais. Foi um excelente negócio até 2012-2013. Alguns cartões do Banco Santander, que cobra uma tarifa fixa por pagamento ainda é uma boa forma de rolar dívida com baixo custo e ganhar milhas ao mesmo tempo. Nos demais bancos, o custo é uma fração do pagamento que chega a 2,99% do valor pago + IOF. Ou seja, é quase o mesmo que comprar milhas direto com as companhias aéreas.

    • Marcelo Guimarães

      Exato! O único que vale a pena hoje, é o Santander Free (mesmo assim, pra quem o possui há mais tempo). No meu, eu só pago IOF. A cada R$ 6, eu ganho 1 ponto. Com isso, a cada R$ 60 mil eu ganho 10 mil milhas, a um custo de R$ 228. Se pensar que eu vendo essas mesmas milhas a R$ 300, ainda é um bom negócio. Isso, considerando que não poderei esperar uma promoção qualquer, pra poder conseguir um bônus quando da transferência! 😉

      Outro cartão que ainda vale a pena é o Black do HSBC. Porém, cada conta paga terá que ser no valor de R$ 4 mil (máximo diário). Quando o IOF era de 0,41% ao dia, o valor por cada 10 mil milhas era perto de R$ 280. Ainda compensava, se pensar que vc consegue achar R$ 300 por elas (sem considerar o bônus, caso vc transfira numa época de promoção). Mas hoje, com o aumento do IOF, fica praticamente pau a pau (não parei pra fazer as contas, mas vc tem um custo fixo de R$ 15,00 + IOF diário de 0,82% + 0,38 de IOF). Nesse caso, só valeria a pena se vc só transferisse as milhas quando “aparecesse” uma promoção, e daí, o bônus seria o lucro.

      Fora esses 2 cartões, não vejo nenhum outro que “valha” a pena (financeiramente falando!)

    • Guest

      Por favor, descreva esse custo de R$ 228,00 a cada 10 mil milhas.
      Obrigado

  • Julio, Obrigado! Cada banco tem um critério. Não tenho muita informação da Porto, mas já tive cartão com eles. É comum negarem, mesmo sem haver nada de errado com o seu perfil. Geralmente aplicação em fundos de investimentos gerenciados pelo banco, previdência privada etc. ajudam muito na avaliação do pedido. Minha sugestão se você quiser mesmo o cartão: `) insista. Continue pedindo. EU pedi 4 vezes meu infinite e me negaram as 3 primeiras vezes. 2) Pergunta os critérios que eles utilizam; 3) concentre investimentos no banco, se for vantajoso pra você. No mais, siga as dicas do post.

    • Julio

      Entendi Leonardo, mas eu não tenho nada com a Porto Seguro. Deve ser por isso q eles estao negando. Mas eu não sou muito fã de ficar bajulando instituição financeira por causa disso. Há 6 meses atrás quando eu havia tentado pela primeira vez, eu fui bem claro com a atendente sobre as vantagens que eu tenho no HSBC pelo bom relacionamento que eu tenho com eles e eu só lamentava a Porto Seguro não querer que eu fosse cliente deles. Mas enfim. Vou tentar ser insistente assim como vc fez. Obrigado pela dica!
      Adoro seus artigos, pois são de muita utilidade. Tenho aprendido muito com vc e com o MD!!!

  • Fernando Pio

    To fora! Com juros de 230% ao ano e a turma da “dica” de como aumentar o limite!?!?

    Vocês tão loucos!!

    • Fernando, se usar o cartão e pagar no vencimento não tem cobrança de juros e ainda acumula milhas.

    • Thiago

      Fernando, lidar com limite de crédito (e milhas) é uma arte, que pode te fazer economizar muuuuita grana!

  • Não se preocupe, a maioria dos brasileiros não lê o MD e muito menos se dará ao trabalho de ler esse post! =)

    • Sheila

      MD , um post precisa ser educativo. Concordo com o Thiago, ensinar a aumentar o limite não tem nada de ótimo. Vcs deveriam publicar algo mais educativo.

    • oremhartuing

      Denis Carvalho, obrigado por remover meu comentário. Bem democrático

    • Julio

      Boa Denis….muito Boa!!!!kkkkkk

  • Thiago, os bancos lucram todos os anos bilhões e bilhões, não é a toa. Os bancos brasileiros estão entre os mais sólidos e rentáveis do mundo. Eles conhecem o mercado e tem critérios rígidos para a concessão de crédito. Não se preocupe que esse artigo não abalará o sistema financeiro nacional, assim eu espero! 🙂

    • Julio

      Boa tb, Leo!!!! kkkkk

  • Legal, Raphael. Obrigado por compartilhar!

  • Fernando Gama

    Muito bom o post, parabéns. Meu limite era bem alto no BB. Depois que fiz um empréstimo imobiliário, ele caiu para 1/3. Será que tem relação?

    • Com certeza. O BB trabalha com a Serasa e analisa sempre o percentual de comprometimento de renda com empréstimos de curto, médio e longo prazo, considerando também contratos que você tenha com outras instituições financeiras. Se julgar seu limite insuficiente, você pode solicitar cartão ou até abrir conta em uma segunda instituição financeira.

  • Sheila

    To fora tb! Prefiro tudo no cash..

    Cartão de crédito não é o seu salário!
    Aumentar o limite do CC não te faz dono do dinheiro, vc até pode gastar mais do que realmente pode pagar.

  • Jordana Cunha Rabuske

    mas pagando em dinheiro vivo você está perdendo as milhas. Na nossa casa costumamos ter um consumo consciente, então o cartão só nos trás benefícios. Pontos que se transformam em milhas e milhas que se transformam em passagens aéreas.

  • Thiago

    Nada a ver. Lê quem quer, executa quem tem juízo! 😉

  • Thiago

    Sheila, para quem tem a cabeça no lugar, e vontade de aprender umas dicas, cartão de crédito é o melhor meio de pagamento do mundo.

    Você ganha dinheiro gastando! Exceto quando você tem desconto em pagamento cash, quando é que comprar com dinheiro vivo te proporciona isso?

    • Rob

      Usando com responsabilidade o cartão de crédito é um grande aliado. Um bom limite de crédito me possibilita alugar um carro e ficar com uma reserva confiável quando viajo. Agora existem pessoas que não sabem administrar e aí é melhor abrir mão . Cheguei a ter limites 10x maior a minha renda e tive até medo. Hoje ta dando para lidar com isso. Excelente matéria. Parabéns

  • Marcelo Guimarães

    Existem alguns pré-requisitos pra se conseguir o cartão da linha Black/Infinite da Porto Seguro. O primeiro pré-requisito é ter renda igual ou superior a R$ 30 mil. Essa comprovação pode se dar por meio de contracheque, declaração de IR ou envio de extratos bancários. O segundo pré-requisito é já ter um cartão dessa mesma linha (no caso, enviar a fatura desse cartão comprovando a posse de um da referida linha).

    Há outros pré-requisitos, mas se vc já não preencher esses 2, a chance de ser negado é altíssima.

  • Wanderson Santiago dos Reis

    Uma boa dica para a pessoa saber qual o seu nível de crédito é consultar o SCR (Sistema de Informações de Crédito do Banco Central), além de autorizar as instituições financeiras a consultar o sistema. Acredito que isso ajuda na análise principalmente se você mantém seus compromissos em dia. Não me lembro dos procedimentos de cadastro mas a página de acesso é https://www3.bcb.gov.br/scr2/dologin

  • Felippe Uhlein

    Só quem já viajou de graça por causa do cartão de crédito vai entender o motivo do post. Há muita desconfiança do povo, credo.

  • Marcelo Guimarães

    Julio, possivelmente sim! Não trabalho lá pra dar garantias, mas pelo que leio em outros fóruns (Falando de viagem, por exemplo, existe um tópico exclusivo pra esse cartão), esses 2 itens são pré-requisitos pra conseguir o cartão.

    Eu já tive seguro com a Porto Seguro. Qdo o corretor fez a solicitação, não enviou documentação alguma e me enviaram o Gold. O seguro já venceu em dezembro, mas esse cartão ainda continua ativo. Estou esperando vir a 1ª cobrança do HSBC Black pra tentar negociar. Caso insistam na cobrança da anuidade, vou tentar pegar o Black da Porto (e se conseguir, cancelo o HSBC), e pretendo enviar a comprovação de renda e cópia de fatura do cartão dessa mesma linha.

  • Tarcísio Medeiros

    Só queria saber pq meu cartão é no débito automático, faz 5 anos que nunca passei de R$ 10 no cheque-especial e meu limite não chega a ser nem R$ 500 no BB :~

    O limite é tão baixo que nem dá pra utilizar bem… E a propósito, sinto que não recebi as 1.000 de bonificação e as milhas com o gasto no cartão Smiles. Há uma cláusula ou demora pra receber? Acho que já foi debitada 2 faturas e até agora nada 🙁

    • Sugestão: Verifica o tipo da sua conta com seu gerente. Atualiza sua renda e peça o aumento do limite.

  • Alexandre

    “Em 2014, no entanto, com uma nova conjuntura econômica, avaliei que estava muito alavancado e que era necessário reduzir minha alavancagem”

    Ainda bem que o post não foi escrito em economês… oh, wait

  • Hivna

    Excelente post! Trabalho em banco e mesmo conhecendo sobre o assunto o post foi muito bem redigido e em uma linguagem bem acessível! O cartão de crédito é mesmo uma excelente alternativa para quem sabe usá-lo, o difícil é saber qual é a melhor companhia para transferir as milhas e conseguir comprar a preços bacanas!!

  • Santander Free é R$3 = 1 ponto

    • Marcelo Guimarães

      Gustavo,

      O que fora discutido eh pagamento de contas, e pra isso a proporção é de 6:1. Essa proporção informada por vc (3:1) é pra compras. E nessa proporção é fria (usar o cartão pra compras, uma vez que há muitos que dão no mínimo o dobro dessa pontuação. O meu Infinite da Caixa, por ex, da 2.1 pontos por dólar, e a cotação do dólar de hoje eh 2.85 – isso da 2,3x mais pontuação, ou seja, nao compensa)! Por isso só vale a pena (na minha avaliação) usar pra pagamento de contas.

      • Huumm.. Agora entendi. Nem sabia que gerava pontos pagando contas, quanto mais haver uma razão diferente na geração de pontos entre compras e contas.

        Mas acho que você está fazendo essas contas erradas. Pois ganhar 1 ponto a cada R$3 (3:1) é melhor que 1 ponto a cada R$6 (6:1). Correto?

        Quanto a pontuação dos outros cartões, só vejo vantagem se não pagar anuidade. Pois pagando a anuidade você vai estar, de certa forma, comprando os pontos. E com o dólar a quase R$3, está cada vez menos vantajoso ter um cartão que gere pontos por dólar, o que não é o caso desse Santander Free.

        No Santander Free, apesar de gerar poucos pontos por compra (R$3 por ponto), ele não tem anuidade por padrão. Além disso, os pontos são genéricos, ou seja, você pode optar por qual companhia quer trocar os pontos, o que pra mim é mais flexível e vantajoso. E como eu concentro todos os gastos nele (até o cafézinho pós-almoço), consigo gerar meus pontos numa boa.

        • Marcelo Guimarães

          Sem dúvida é melhor ganhar 1 ponto a cada R$ 3 (em compras) do que a cada R$ 6 (pagamento de contas).

          Porém, pra compras, há cartões que dão pontuação melhor. Dei exemplo do meu cartão Infinite da Caixa, cuja cotação do dólar hoje está em R$ 2,85 (abaixo dos R$ 3) e dá 2.1 pontos (contra apenas 1 do Free). Enquanto o Free te dá 1 ponto por cada R$ 3,00 o da Caixa consegue te dar 2.2 pontos pelos mesmos R$ 3 gastos.

          Então, eu faço o seguinte: Uso o Free só pra pagar contas. Tenho ele desde 2008 e nunca fiz uma compra com ele. Quando vou fazer compras, uso os outros cartões, que dão pontuação maior.

          Em relação aos cartões que cobram anuidade, aí vai depender do seu volume de compras. Vamos fazer dois cenários.

          Se vc usar R$ 1 mil por mês em compras, vai ter um gasto anual de R$ 12 mil. Se comprar no Free, terá ao final do ano 4 mil pontos sem custo. Se usar o Infinite da Caixa, terá um total de 7,4 mil pontos a um custo de R$ 600 (valor da anuidade). Nesse caso, é melhor você usar o Santander Free.

          Mas se vc gastar R$ 10 mil por mês, no Free você terá um total de 40 mil pontos a custo zero. Já no da Caixa, vc terá um total de 74 mil pontos a um custo de R$ 600. Se pensar que vc vende cada 10 mil milhas por R$ 300, você desconta 20 mil milhas referente à anuidade, mais as 40 mil que teria no Free, e no final das contas vc “ganha” 14 mil milhas. Nesse caso, vale a pena ter um cartão com anuidade. E se você tiver esse volume de gastos mensal, isso vai gerar a gratuidade da anuidade ou um desconto muito grande (a Caixa dá, de média, 70% de desconto na renovação). Então o ganho de milhas é muito maior.

          Isso, estou pontuando somente as milhas. Esses cartões TOP oferecem vários outros benefícios, como seguro em viagens, seguro no aluguel de carro, salas vip, serviços de concierge, upgrade de quarto, etc. Tudo isso, sem custo (ou melhor, está incluso no valor da anuidade, que pode ter descontos quando da renovação).

          Então, como exemplifiquei, depende muito do perfil da pessoa (de gasto mensal, por exemplo), das necessidades (se precisa de sala vip, se usa serviços de concierge, etc). Não há uma fórmula única que se aplica a todos os casos.

          • Diego

            Depois da fraude generalizada, não terei mais cartões da CEF nem que pontuem 10 milhas por dólar.

          • Marcelo Guimarães

            Eu não fui afetado, e até onde eu soube, ninguém ficou efetivamente no prejuízo. Mas teve quem passou problemas, amolação, mas desconheço alguém que precisou pagar por um erro por parte do banco (até pq, se tivesse que pagar, poderia entrar na justiça e, no mínimo, receber em dobro – conforme determina artigo 42 do CDC. Sem contar que poderia requerer dano moral e material).

            Então, nada contra a CEF. Tirando o péssimo atendimento nas agências (comum em banco público) e a limitação do banco, ele me atende bem. Principalmente no que tange ao cartão de crédito (e justamente por esses motivos, penso em cancelar a conta recém aberta e manter só o cartão)

          • Diego

            Todo o incômodo pelo qual passamos me parece suficiente para não recomendar a CEF. O tratamento do caso foi vergonhoso, com os clientes sendo extremamente desrespeitados pelo desastroso call center da Caixa.
            Por muito pouco não se precisou efetivamente entrar na Justiça; e isso, amigo, seria uma fonte infinita de incomodação, até porque Justiça é uma caixinha de surpresas, infelizmente (falo com conhecimento de causa, pois fui servidor de lá durante anos).
            Mas enfim, cada um sabe onde aperta o calo. O meu, em ter que ficar me incomodando com analfabetos funcionais de call center e deixar minha vida financeira na mão deles.

          • Corretíssimo. Realmente vai muito do perfil de cada um.
            Abs

  • Renan Veiga

    Pessoal,

    Alguém sabe como é o fucionamento do Pague Contas do American Express Platinum Credit? Estou utilizando e fui informado de que o pagamento de qualquer tarifa seria proporcional ao número de dias de utilização, no entanto, fui cobrado e muito pela utilização. Podem me dar mais informações?

    Obrigado

  • Obrigado! Sobre as milhas pesquisa a melhor opção no seu caso é fique de olho nas dicas do Melhores Destinos

  • Ewerton Andrade

    Por favor, descreva esse custo de R$ 228,00 a cada 10 mil milhas.
    Obrigado.

    • Marcelo Guimarães

      Ewerton, já fiz a descrição detalhada.

      Qdo vc paga conta, a proporção é de 6:1, ou seja, a cada R$ 6,00 pagos em conta vc ganha 1 ponto (que pode ser convertido em milhas). Logo, pra ganhar 10 mil pontos vc tem que pagar R$ 60 mil em contas.

      Os cartões Santander Free antigos (que é o meu caso) só cobram IOF. Então, basta vc fazer as contas. Pega o valor necessário pra atingir as 10 mil milhas e multiplica pelo IOF que é de 0,38%.

      Trazudindo em números: R$ 60.000,00 x 0,0038 = R$ 228,00

      OBS: Me parece que os cartões “novos” eles cobram uma taxa fixa por boleto, além do IOF. Como eu já tenho o meu cartão desde 2008 e sempre usei ele SOMENTE pra pagar conta, posso garantir que nunca me foi cobrada taxa nenhuma. Se realmente existe essa taxa, pra cartões “novos” (chamo de novo, mas não sei à partir de quando começou a ser cobrado. Já li em alguns fóruns que sim), talvez o gerente ou então outros colegas que adquiriram depois, podem confirmar se há realmente essa cobrança.

  • Edu

    Faz falta mesmo um grande limite de crédito no cartão,esses dias paguei um boleto no valor de R37.000,00 referente aquisição de um carro zero,más como o limite do cartão não passa de R$5000,00,não pude pagar o boleto no cartão,que além de poder “jogar” o pagamento para daqui a um mês e até ganhar algum juro na poupança,iria me proporcionar muitas milhas…

  • Edu

    Uma pergunta? Se vc não tiver uma renda muita alta,más ter um investimento financeiro alto é possível conseguir um cartão tipo platinum?

  • rapha

    eu posso aumentar meu limite em outra agencia?

  • Mario Puzin

    Olá a todos,

    Aplicar para um empréstimo rápido e conveniente para pagar suas contas e para iniciar um novo negócio e seu projeto a uma taxa de juros de 4% nos em contacto; (carlosellisonFinance@outlook.com) Este serviço é tornar a ambos os indivíduos, empresas, homens e mulheres de negócios. O montante do empréstimo varia disponíveis a partir de qualquer quantidade de sua escolha.

    Obrigado.
    Sr. Carlos Ellison.

  • Marco Licastro

    Já tenho meu cartão há um ano e pouquinho , e nesse meio tempo já consegui dois aumentos de limite , um de 50% do limite inicial e outro há pouco ,de 60 % do meu limite atual .E ,usei as dicas daqui pra isso …

  • vinicius valim

    Ganho 800 reais por mês. .estou com o cartão provisório do Itaú. .quando chegar o permanente qual sera meu limite de credito ?

  • Marco Licastro

    Agora ,seis meses depois , foi um sacrifício conseguir aumento .Consegui , mas depois de abrir reclamação na ouvidoria. Tô no caminho de ter um limite legal pra cancelar os outros cartões e manter esse ,com um limite melhor .

  • Lendo alguns comentários desse post você observa como os brasileiros não possuem organização financeira e culpam o “sistema” por dar mais créditos aos clientes… Por favor, né? O banco cede o limite, o cliente é quem deve se organizar e usar esse limite de uma maneira adequada, e como li em outros comentários, ainda juntar milhas.

    Excelente postagem!

  • Iara Carvalho

    Excelente post. Gostaria de saber que banco aceita faturas de outros cartoes como comprovantes de renda. Obrigado