logo Melhores Destinos

Ilhas gregas: Naxos, Paros e Antiparos para fugir do óbvio

Redação
Redação
12/03/2019 às 5:18

Ilhas gregas: Naxos, Paros e Antiparos para fugir do óbvio

As maravilhosas Ilhas Gregas conhecidas como Ilhas Cíclades atraem milhares de viajantes durante o verão europeu, e não é para menos: Santorini e seu pôr do sol mais famoso do mundo; a badalada Mykonos e as festas que só acabam de manhã; e Ios, com sua beleza natural super preservada, são os principais destinos. Mas há muito mais para explorar! O grupo de ilhas mais famoso da Grécia esconde algumas belezas naturais bem menos exploradas, mas igualmente fascinantes e cheias de história.  Nossas leitoras Luiza Machado e Tatiana de Moraes (@mundoparaduas) visitaram as Ilhas de Naxos, Paros e Antiparos e contam tudo para a gente. Conheça um pouquinho mais da cultura grega nesse post!

naxos paros antiparos ilhas grecia

Naxos, o tesouro escondido

Com cerca de 20 mil habitantes e 430km quadrados, Naxos é a maior ilha do grupo das Cíclades. Mas não é só o território extenso que é grandioso por lá. Na mitologia grega, Naxos era a ilha nupcial do deus Dionísio, onde ele teria criado um “armazém de iguarias para o seu banquete”. E não para por aí: em Naxos fica a maior montanha das ilhas Cíclades, chamada Zas. Lá, Zeus, o rei dos deuses do Olimpo, teria nascido e morado durante toda a sua infância! Ou seja, incluir o paraíso de dois deuses gregos no roteiro é um privilégio, não é mesmo? Além de ser o paraíso dos deuses, Naxos tem várias atrações para nós, reles mortais, também!

naxos ilha grecia

Culinária maravilhosa, praias incríveis e várias ruínas para os apaixonados por história: Naxos é uma ilha diversificada. São aproximadamente 30 vilas espalhadas entre litoral, montanhas a vales. Aliás, o solo de lá é o mais fértil entre todas as ilhas Cíclades, por causa de nascentes que irrigam as enormes plantações que abastecem grande parte do país. Naxos é uma das campeãs gregas no cultivo de batatas, além de legumes, frutas, amêndoas e azeitonas. O lugar também é conhecido pelo Kytron, a aguardente local feita à base de folhas de limoeiro. Sem contar que a ilha é uma das melhores da Grécia na produção do queijo kefalotiri (um queridinho dos gregos) e de iogurte.

Com tanta autossuficiência, a ilha não depende do turismo para sobreviver, como as vizinhas Mykonos e Santorini, por exemplo. Isso faz com que Naxos ainda preserve um clima menos turístico e mais bucólico, apesar de estar atraindo cada vez mais viajantes. Um dos motivos? As lindas praias! Começando por Agios Prokopios, eleita uma das mais bonitas de toda a Europa. Com uma faixa de areia branca e muito macia, a praia é a nossa principal recomendação para quem quer relaxar em frente ao mar. Uma parte dela tem boa estrutura, com guarda-sóis, esteiras e restaurantes, enquanto o outro lado é mais vazio – uma ótima pedida para quem quer curtir o visual com mais de privacidade. Ah, não se esqueça de visitar a capela que leva o mesmo nome da praia – a vista de lá é maravilhosa!

Outra praia lindíssima é a Agia Anna, com um cenário paradisíaco. A água cristalina e super azul contrasta com a areia branquinha e macia. Um lugar perfeito para relaxar e curtir o dia inteiro, afinal, Agia Anna é cheia de estrutura, com hotéis e restaurantes por perto, além de um porto bem charmoso. Só um detalhe: ela é nudism friendly, ou seja, se você não se sente confortável com pessoas sem roupa ao seu redor, melhor pular essa dica, rs. Nossa terceira sugestão é a famosa Plaka, uma praia com uma extensa faixa de areia e até mesmo dunas – um espetáculo. É sem dúvida uma das mais bonitas, populares e visitadas da ilha. Para os que gostam de esportes aquáticos, é uma ótima pedida, pois é indicada para a prática de windsurf.

Também não poderia ficar de fora da lista a praia Agios Georgios, eleita uma das dez melhores praias da Europa e uma das 50 melhores do mundo pelo jornal britânico The Guardian. É muito agradável por causa da larga faixa de areia e da água cristalina. Outro ponto a favor é a facilidade para chegar até lá: a apenas 2km de Naxos Town, a praia é acessível de ônibus ou até mesmo a pé.

Se você se interessa por esportes aquáticos, temos outra dica para praticar windsurf e kitesurf: Mikri Vigla, com seu mar azul turquesa e areia fofa. Uma parte tem estrutura, enquanto outra é mais deserta. Já para os que preferem um cenário mais pitoresco, a gente recomenda ir até Aliko, praia super exótica, rodeada por uma floresta de cedro e dunas de areia. Se for até lá, lembre-se de levar água e petiscos, pois a praia não tem muita estrutura. Outro detalhe: ela também é nudism friendly.

Para terminar nossas sugestões de praia (já que em Naxos opção não falta), listamos algumas menos procuradas, mas igualmente lindas: Maragas (com água cristalina, a praia fica a apenas 7km de Naxos Town, mas é bem menos cheia por causa da proximidade com praias mais badaladas, o que a torna excelente para descansar); Kastraki (no litoral sul de Naxos, a praia esbanja uma água super cristalina contrastando com as pedras brancas, uma beleza pouco explorada); e Apollonas, uma praia escondida e afastada de Naxos Town – cerca de 30km de distância. Apollonas tem uma pequena faixa de areia, cafés à beira-mar e água cristalina. Fica na charmosa e pouco habitada vila de Apollon, perto do famoso monumento Kouros of Apollon, uma estátua inacabada datada de 600 a.C – não se sabe se ela representa o deus Dionísio ou Apolo. O fato é que a ruína atrai centenas de turistas todos os dias ao local – depois da visita, você pode se refrescar na Apollonas Beach!

Charme e história

Falando em ruínas, Naxos não decepciona quem gosta de se perder no tempo. O cartão-postal da ilha é um portal de mármore chamado Portara. Datado do século 7 a.C, ele foi o que restou de um templo construído em homenagem ao deus Apolo. O portal pode ser visto logo que desembarcamos no porto de Naxos. Para ir até lá, é só atravessar uma pequena passagem até à minúscula ilha onde fica o famoso monumento. Dica: o pôr do sol visto de lá é fantástico! No vilarejo de Sagri, encontramos o Templo de Dimitra, construído no século 6 a.C. Duzentos anos depois, algumas partes começaram a desabar e os nativos o transformaram em uma igreja, que após alguns séculos foi abandonada. Como o templo foi erguido com um mármore valioso, o local foi saqueado depois do abandono. Felizmente, arqueólogos restauraram o monumento, que hoje é visitado por centenas de turistas todos os dias.

Já que não faltam deuses para prestar homenagens, Naxos abriga ainda o Templo de Dionísio, deus do vinho e protetor da ilha. O monumento fica perto de Naxos Town (a capital da ilha, também chamada de Chora) e foi construído em 530 a.C, com mármore da região. Foi uma das primeiras construções com colunas jônicas, que podem ser vistas no pequeno museu ao lado do templo.

Falando em Naxos Town, vale a pena tirar um dia para explorar outros pontos turísticos históricos da cidade que, assim como Santorini e Mykonos, é cheia de ruelas de pedra e casinhas brancas. O Castelo Veneziano é o marco da cidade antiga e mistura elementos das arquiteturas medieval e cicládica (típica de ilhas gregas). Além disso, Naxos Town abriga o Museu Arqueológico (com peças produzidas desde o período Neolítico) e é cheia de igrejas ortodoxas gregas (aquelas com cúpula azul), lojinhas estilosas e casas cujos portões ainda têm brasões venezianos, herança dos tempos de dominação da ilha. Uma mistura charmosa entre o clássico e o contemporâneo! A dica em Naxos Town é bem simples: se perca pelas ruas – duvidamos que você não vá se apaixonar!

Naxos Town é a cidade mais vibrante da ilha, mas outras vilas chamam a atenção dos viajantes. Aperathos, com seu cenário pitoresco e colorido, é uma delas. Abriga casas feitas de mármore, praças super charmosas e até becos construídos com pedra local. Ela fica em um vale entre dois montes (aliás, a vista para a cidade, de cima, é linda!) e tem pontos turísticos interessantes, como a Panagia Drosiani – uma das igrejas mais antigas da ilha, o Museu de Arte Folk, o Museu Arqueológico de Aperathos e o Museu Geológico.

A 19km de Naxos Town, outra aldeia encanta: Filoti foi construída no topo de uma rocha e segue o padrão de charme: casinhas em forma de cubo, cafés agradáveis e ruelas estreitas, mas com um bônus: uma vegetação exuberante ao redor. Para quem gosta de sentir a vida local, recomendamos uma volta pela vila Halki, que antigamente era a capital da ilha. Lá ficam construções medievais, a principal plantação de oliveiras de todas as ilhas Cíclades e uma destilaria da aguardente Kytron, chamada Vallindra Kieron (aberta para visitação).

Para fechar a lista de aldeias interessantes, a dica é Sagri (perto do Templo de Dimitra), com suas torres venezianas, igrejas bizantinas e os tradicionais moinhos de vento. Com tanta história, a vila é considerada um dos lugares mais importantes de Naxos. Vai dizer que a ilha dos deuses não merece uns dias no seu roteiro? 🙂

Como chegar a Naxos:
A forma mais comum de chegar à ilha é de ferry. O porto de Naxos é bem movimentado e serve praticamente todas as empresas de transporte marítimo nas ilhas Cíclades. Para comprar sua passagem, confira o site www.greekferries.gr

Naxos tem um aeroporto cuja pista tem apenas 900 metros, ou seja, apenas aviões pequenos pousam lá. Há voos diretos partindo de Atenas diariamente. De outras capitais europeias, o voo deve ser fretado, o que torna essa segunda opção bem menos frequente.

Onde ficar em Naxos:
Naxos tem dezenas de aldeias e a maioria delas oferece hospedagem. No entanto, o ideal é ficar em Naxos Town e fazer bate-volta para as demais regiões da ilha. Como as principais praias ficam perto de lá, é fácil se deslocar até o mar. Além disso, Naxos Town concentra o maior número de hotéis, restaurantes, agências de turismo e a rodoviária da ilha. De lá partem ônibus para as principais aldeias.

Locomoção na ilha:
Os trajetos entre os principais destinos, como Naxos Town e as praias do litoral sudoeste (Plaka, Agia Anna e Agios Prokopios) e as vilas mais visitadas podem ser feitos facilmente de ônibus, principalmente durante o verão, quando os horários se estendem e o número de coletivos circulando aumenta. No entanto, para chegar até os lugares mais remotos, como Apollonas Beach, por exemplo, os horários são limitados, inclusive nos meses mais movimentados. A dica é alugar um carro por apenas um ou dois dias para visitar os lugares mais afastados e usar o transporte público para ir até os locais mais próximos. Importante: na Grécia, é obrigatório apresentar a carteira internacional de motorista para locação de veículos.

Leia também:

Paros, a ilha do mármore e do turismo alternativo

Ruas estreitas e floridas, igrejas de cúpulas azuis, moinhos, centros históricos, casinhas brancas, praias para todos os gostos, bons hotéis e vistas incríveis. Paros é outra opção maravilhosa para quem não abre mão daquele arzinho grego clássico, mas ao mesmo tempo quer fugir da badalação das vizinhas ilhas super turísticas, como Mykonos e Santorini.

paros ilha grecia

Com aproximadamente 200km quadrados, Paros entra na lista das maiores ilhas cíclades. Banhada pelo mar Egeu, ela fica entre Naxos e Antiparos. Uma ilha montanhosa, muito conhecida pela grande quantidade de mármore branco de ótima qualidade – já considerado um dos mais caros do mundo e sonho de consumo de todo escultor, devido à sua transparência e consistência fina. Inclusive, os mármores de Paros deram formas a importantes obras primas da antiguidade, como a famosa Vênus de Milo, hoje exposta no Museu Louvre, em Paris; além de outras obras como o templo de Atena Nice, o Hermes de Praxiteles e o templo de Apolo, em Delfos. As principais pedreiras estão em Marathi, uma pequena vila no centro, acessadas por uma estrada interior de Lefkes e Marpissa (regiões da ilha).

Vilas e regiões

Parikia, também conhecida como Paros Town, é a capital da ilha e a vila mais importante, onde muitos turistas chegam de ferry pelo porto principal. Ao desembarcar por lá, logo você verá uma série de cafés, restaurantes e bares. Explorar Parikia é se perder pelo labirinto de ruelas estreitas e movimentadas, com o tradicional cenário de casas brancas, pequenas igrejas, lojinhas de souvenires, além de muita cultura da Grécia Antiga.

Um dos principais pontos que contam parte dessa história é a Panayia Ekatontapyliani (a Igreja das 100 portas), um monumento de pedra construído na época Bizantina – localizada a 200 metros do porto. Ah! Ao lado dela, há também mais duas igrejas, um batistério e o Museu Bizantino. E para os curiosos culturais de plantão, não muito longe dali, fica o Museu Arqueológico, com várias peças e artefatos encontrados na ilha. Outro lugar bem legal de se ver é o antigo Castelo de Frankish – construído em 1200 pelos venezianos e escondido entre as ruazinhas em um ponto alto da parte velha e medieval da vila. Uma bela ruína de estrutura curiosa e interessante, feita a partir de pedras e colunas “recicladas” dos templos mitológicos da época. Não é permitido entrar no castelo, só mesmo espiar pelo lado de fora, mas dali a vista para o pôr do sol é linda, então já vale a visita!

Seguindo 10 km ao leste de Parikia, está Naoussa, uma vila de pescadores conhecida pela sua atmosfera pitoresca e original, além de ser considerada uma das mais belas e tradicionais aldeias das cíclades. Uma região onde se encontra de tudo um pouco: bares, cafés, restaurantes (muitos deles especialistas em frutos do mar, principalmente polvos), tavernas, casas noturnas, boas lojas, casinhas típicas, um porto antigo todo charmoso, ruínas de um forte veneziano, ponto de ônibus na praça principal, igrejas bonitas, museu, caixas eletrônicos, belas e agradáveis praias… Ou seja, tudo aquilo que um turista espera de uma típica vila grega está em Naoussa!

Não deixe de visitar também o Paros Park, um parque com diferentes rotas de caminhadas e vistas lindas para o mar. Lá tem ainda um museu interno, um restaurante e cinema a céu aberto com exibição de filmes em um anfiteatro local, durante as noites quentes e estreladas de verão. Um ótimo lugar para aproveitar a natureza. Para informações acesse https://www.parospark.com. E para quem busca atividades alternativas, Naoussa também oferece opções de centros de meditação e yoga, spas, cursos de culinária grega, além de uma adega com produção própria e degustações de vinhos.

Quer explorar mais? Paros tem outros vilarejos interessantes (talvez não para estadia, até porque não existem muitas opções por lá) nas partes mais altas e montanhosas da ilha. Lefkes, que fica a 11km a sudeste de Parikia, é a antiga capital de Paros, um lugar tranquilo e autêntico, com seus pátios floridos e casas tradicionais, onde você pode visitar a grande e famosa Igreja Agia Triada, com raros ícones Bizantinos. Também ao sudeste, só que um pouquinho mais longe, a 18km de Parikia, fica o pequeno e charmoso vilarejo de Marpissa, caracterizado por seus típicos moinhos, com assentamento costeiro no topo de uma colina (lindo!) praticamente à beira-mar e pertinho de boas praias da ilha.

Falando em praias, existem ótimas opções para cada gosto diferente. A gente vai citar aqui algumas das principais para você anotar na sua lista. Ah! Só lembrando algo importante: o topless é super comum nas praias gregas, então não se assuste caso se depare com mulheres sem a parte de cima do biquíni. Todo mundo trata isso com normalidade e muito respeito, e em algumas praias o nudismo é muito bem aceito, sem tabus.

Chrissi Akti (Golden Beach): a aproximadamente 22km ao sul de Parikia está a praia de ouro da ilha, que leva esse nome por conta da areia fina de propriedades e efeitos brilhantes sob o sol. Possui uma grande faixa de extensão (700 metros) e é uma das maiores de Paros. Suas águas são claras, rasas e calmas. Lá venta bastante e é um ótimo lugar para praticar esportes aquáticos – todo mês de agosto, Chrissi Akti se torna sede do campeonato mundial de windsurf! Sua estrutura é considerada boa por haver bares e restaurantes, ponto de ônibus próximo à praia, espreguiçadeira e guarda-sol (para alugar). Os aventureiros podem tentar uma aula de windsurf, oferecida aos montes nessa praia.

Kolymbithres: o que realmente chama a atenção aqui são as formações rochosas moldadas pelo vento e pelo mar ao longo dos anos. O resultado? Erosões curiosas com cavidades naturais e pedras de formatos bonitos e diferentes, algo bem interessante de se ver! Localizada na baía de Naoussa (Plastira Bay), é uma das mais famosas e visitadas da ilha, pois é ótima para banho e mergulho. A temperatura da água é super agradável e sua cor é linda. Não tem muita estrutura de bares e restaurantes, mas é possível alugar guarda-sol e espreguiçadeira para você ficar bem confortável na beirinha do mar.

Monastiri: ainda na baía de Naoussa, essa praia de águas rasas e calmas é a maior da ilha e fica dentro do Paros Park (lembra daquele parque que falamos lá em cima?). Monastiri tem várias facilidades: muitos lugares para estacionar e um bom restaurante com barracas e cadeiras disponíveis. É uma praia muito indicada para quem tem crianças.

Piso Livadi: essa praia é, na verdade, um pequeno porto que fica no calmo vilarejo de Piso Livadi, a 19km de Parikia. Um lugar com várias opções de restaurantes e cafés requintados à beira-mar para comer bem, enquanto as crianças se divertem na prainha à frente. A água é rasa, calma e clara, e se você quiser sombra, pode ficar embaixo de algumas árvores que existem por ali, num lugar tranquilo e agradável.

paros piso livadi grecia

Piso Livadi

Logaras: um ótimo lugar para relaxar. A faixa de areia fofa é extensa e você poderá esticar sua canga sem se preocupar com o incômodo das pedras. Existem alguns bares e árvores para filar uma sombrinha, já que espreguiçadeiras e guarda-sóis são raros nessa praia. Fica pertinho do vilarejo de Piso Livadi e o acesso é bem fácil.

Lageri: o acesso é mais difícil (você pode ir de barco ou de carro por uma estrada rochosa com o adicional de uma caminhada de 20 minutos), mas em compensação a praia é bem bonita e quase deserta, com o plus da água cristalina. Frequentada por muitos nudistas, é conhecida também como praia gay da ilha. Um lugar democrático, onde todos se sentem livres.

Punda: o nome pode parecer engraçado para nós brasileiros, mas vamos lá, essa praia tem sua magia, especialmente para quem gosta de um agito. Conhecida como “party beach”, é o tipo de praia daquelas bem badaladas, bar com som alto, DJs, bungee jumping, piscinas e atividades na praia. O único lado ruim: a fama de ser mais cara que as outras praias da ilha.

 

paros piso aliki ilha grecia

Piso Aliki

Piso Aliki: essa pequena praia fica um pouco distante dos centros principais de Parikia e Naoussa, o que a deixa menos movimentada. Um lugar tranquilo, de águas cristalinas e azuis, areia tipo cascalho, mas também com pedras maiores. Aqui não existe estrutura, então você leva seu lanchinho/bebida, senta debaixo de uma árvore para se proteger do sol e curte toda a vista maravilhosa desse lugar.

 

Claro que além dessas citadas, existem várias outras na região que valem ser exploradas, como a Palm Beach, Martselo, Krios, Molos, Faragas, Santa Maria, Agios Georgios, Parasporos, Livadia, Pountas… São muitas! Paros é realmente incrível e tem muito para oferecer ao turista que procura uma experiência completa em uma típica ilha grega! Uma última dica, mas não menos importante: se você tiver tempo sobrando em Paros, não deixe de dar um pulo em Antiparos, uma pequena ilha que deixa uma saudade grande!

Antiparos, o charme em forma de ilha

É bem verdade que Paros é uma ótima alternativa para quem não curte lugares saturados de turistas. Mas se você for do tipo que leva a calmaria muuuito a sério, Antiparos é o seu lugar perfeito! Ainda mais tranquila que a vizinha Paros, essa ilhazinha é ideal para relaxar sem perder a graça daquele charme clássico de ilha grega, as famosas casinhas brancas de portas e janelas azuis que contrastam com o lindo rosa e roxo das flores bouganville.

antiparos ilha grecia

Para chegar lá, basta pegar um barco ou ferry no porto principal de Parikia. A viagem dura em torno de meia hora, e o bilhete custa 5 euros. Existe um pequeno porto em Pounda que também leva até a ilha, e a viagem fica mais rápida – somente 10 minutos. Antiparos é praticamente toda plana, então fica fácil andar por lá. O jeito mais divertido de se locomover é de bicicleta – existem lojas de aluguel de bike na cidade principal. A ilha é simples, na chegada vemos uma área beira-mar com restaurantes e cafés e, seguindo uma rua para o centrinho da vila, muitos bistrôs, galerias de arte, bares, lojas de presentes e restaurantes dão o charme ao lugar.

As praias seguem mais ou menos o padrão de Paros. Claro que cada uma tem sua individualidade – algumas com estrutura e outras sem nenhuma -, mas o mar é geralmente raso, tranquilo, transparente e com lindos tons azuis. As mais conhecidas são Psaralyki, Saint George, Panagia, Fanari, Soros, Faneromeni, Apantima e Nudist. Sim! Aqui temos uma praia oficial de nudismo! E no mesmo lugar, um local próprio para acampamento. Segue aqui uma ideia nossa para você incluir na sua lista de experiências inusitadas para a vida: que tal acampar em plena praia nudista de uma ilha grega sensacional? Nesse site aqui – https://www.greececamping.gr/ – você pode fazer uma pesquisa de campings gregos de vários tipos e lugares diferentes e, quem sabe, deixar sua viagem pela Grécia mais barata e inesquecível. Fica a dica!

antiparos ilha grecia

Se passar por Antiparos, não deixe de visitar a famosa caverna da ilha, uma atração única e fantástica! Ela está localizada na colina Ayios Ioánnis, com formações de estalagmites (a mais antiga da Europa) e estalactites. Não é um lugar enorme, mas é bem profundo, com boa iluminação e informações sobre as formações rochosas e história local. Outras atrações também podem ser conferidas, como o Castelo Antigo de Veneza e o Museu do Folclore. Indo um pouco mais além, você pode ainda explorar Despotiko, uma ilhota atualmente desabitada, ao lado de Antiparos, considerada importante área de escavação arqueológica. Ficou com vontade de conhecer Paros e Antiparos? A Grécia é sem dúvidas um país cheio de belezas, história e emoção, e incluir esse combinho de duas ilhas alternativas no roteiro é satisfação garantida!

Como chegar a Paros:
A forma mais comum de chegar até Paros é de ferry. O porto principal aonde chega a maioria dos turistas não é grande, mas tem ligação com vários portos: Pireus (Atenas), Rafina (Atenas), Mykonos, Heraklion (Creta), Tinos, Naxos, Syros e Santorini. Para comprar sua passagem, confira o site: greekferries.gr

É possível chegar de avião também. Paros tem um pequeno aeroporto a 10km de Parikia, com voos regulares direto de Atenas. Voos fretados de outros lugares são menos frequentes.

Onde ficar em Paros:
Paros tem uma farta rede hoteleira e diversas opções de hospedagem em boa parte de suas vilas e vilarejos. Parikia e Naoussa são os principais centros, com ônibus que partem para as outras aldeias. A sugestão é ficar em uma dessas cidades e fazer bate-volta para as demais vilas.

Locomoção na ilha:
Os trajetos entre os principais destinos, como Paros Town, Naoussa, praias e vilas mais visitadas podem ser feitos facilmente de ônibus, principalmente durante o verão, quando a frequência aumenta por conta do maior movimento de turistas. Os ônibus são mais frequentes pela tarde, mas a dica é: chegando ao porto de Parikia, você pode ir até o terminal de ônibus que fica logo à direita e se informar sobre os horários atualizados no quiosque de informações. Claro, sempre existe a opção confortável de alugar carro ou moto, lembrando que para isso é exigido permissão internacional para dirigir.


Agradecemos a Luiza e a Tatiana pelas dicas! E você, fez uma viagem inesquecível e quer compartilhar com a gente? Envie seu texto e fotos para convidado@melhoresdestinos.com.br!