logo Melhores Destinos

Kochi: Conheça a cidade da Índia eleita “o melhor destino do mundo”

Redação
Redação
10/11/2020 às 4:59

Kochi: Conheça a cidade da Índia eleita “o melhor destino do mundo”

Uma pesquisa feita pelo Tripadvisor elegeu a cidade de Kochi (ou Cochin), na Índia, como o destino mais bem avaliado do mundo pelos visitantes. Kochi também apareceu na lista de melhores destinos para 2020 da National Geographic e ainda no Top 10 da Lonely Planet desse ano. Mas afinal, o que uma cidade ao Sul da Índia que você provavelmente nunca ouviu falar tem de tão especial?

Para compartilhar o que fazer em Kochi e porque visitar esse destino, contamos com o relato da nossa leitora Carol Campos. Ela passou um mês por lá e define Kochi e o estado de Kerala como “uma outra Índia”: mais limpa, mais verde, com influência portuguesa e judaica, onde come-se churrasco e as mulheres têm voz. Se você nunca teve vontade de viajar para a Índia, prepare-se para mudar de ideia!

Leia também:
Os 10 erros mais comuns em uma viagem à Índia – e como evitá-los!
Voo de repatriação: Como foi o resgate dos brasileiros retidos na Índia durante a pandemia

Kochi (ou Cochin), na Índia

Tinha minhas dúvidas se deveria voltar uma segunda vez à Índia, mas fui convencida por uma colega de trabalho indiana. Ela falava de sua terra local, Kochi, no estado de Kerala, como um lugar mágico. “A terra do próprio Deus“, diz o slogan oficial. Onde mar e montanhas se encontram, uma cidade bem urbanizada, limpa e com o menor custo de vida de um país já conhecido por ser barato demais.

Kochi, Índia

Kochi: a Índia mais verde, limpa e organizada que eu não imaginava que existia

Um lugar bem diferente do restante da Índia, com natureza bem preservada, rios cênicos e coqueiros, além de ser o paraíso da Medicina Ayurvédica (ou Ayurveda). Outros indicativos também chamam a atenção: Kerala é considerado o estado mais limpo da Índia, com os menores níveis de corrupção, mortalidade infantil e analfabetismo. Também tem uma proporção maior de mulheres do que homens em sua população, com mais participação feminina nas universidades e mercado de trabalho.

Munnar, Kerala - India

Munnar, a 120 km de Kochi: uma das maiores regiões produtoras de chá do mundo

Os portugueses desembarcaram por lá antes mesmo de chegar ao Brasil. O grande navegador Vasco da Gama pisou em Kochi em 1498, sendo enterrado por lá mesmo — e só depois transladado para o Mosteiros dos Jerónimos, em Lisboa. Até mesmo Pedro Álvares Cabral deu o ar da graça em 1502. Juntos, levaram o cristianismo, a arquitetura lusitana que compõem os casarios, e a fome pela carne, para o azar das vacas, que são sagradas no restante do país, menos em Kochi. Há um intenso intercâmbio cultural que dura até hoje, no que podemos chamar de comunidade indo-portuguesa.

Influência portuguesa em Kochi, Índia

A influência portuguesa em Kochi pode ser vista na arquitetura dos casarios coloniais

Mas como qualquer outra turista, na minha primeira viagem à Índia inclui apenas as atrações mais famosas ao Norte do país, como o Taj Mahal e a rota cultural pelo “Triângulo Dourado”, onde ficam as cidades de Délhi, Agra e Jaipur. Essa última, aliás, fica localizada no Rajastão, o maior estado da Índia, rico em cultura e tradições, super colorido, exatamente como como assistíamos na novela. Apesar disso, a Índia realmente é digna de alguns estereótipos que tem. Isto é, ame ou odeie. Com seu jeitinho todo especial, a Índia reúne o que há de melhor e pior no mundo. As comidas mais deliciosas do mundo andam de mãos dadas com maus hábitos de higiene — às vezes literalmente. Há hotéis de luxo em bairros paupérrimos, um trânsito caótico cruzado por veículos modernos e Uber de riquixá.

Ainda bem que dei mais uma chance e viajei novamente para Índia. Dessa vez, para Kochi.

O que fazer em Kochi

O que chamam de “Kochi” é na verdade uma região metropolitana dividida em:

  • Fort Kochi, área mais antiga (centro histórico) e turística da cidade;
  • Ernakulam, centro comercial, interligado por metrô;
  • Edapally, subúrbio com alguns shoppings e atrações.
Mapa de Fort Kochi, Índia

Mapa artístico de Fort Kochi (Imagem: They Draw & Travel)

Existem outras áreas e ilhas conectadas por pontes, mas esses três lugares acima são os principais pontos. Além das regiões ligeiramente mais afastadas que merecem visita, como Munnar, onde ficam as plantações de chá; e Allepey, de onde partem os passeios de hotéis flutuantes pelos backwaters.

Eu recomendaria pelo menos uma semana em Kochi para ver com calma o que a região oferece.

Fort Kochi

Antes de ser transformada na primeira fortaleza portuguesa erguida no Oriente, Fort Kochi era apenas um vilarejo de pescadores. Por isso, não é de se espantar que séculos depois, a pesca ainda continue intrinsicamente ligada à cultura local. Mesmo as gigantes redes suspensas sobre o mar não estão posicionadas ali à toa: são uma herança dos navegadores chineses, que chegaram a Kochi ainda mais cedo que os portugueses, entre 1405 e 1433.

Redes de pesca chinesas em Kochi

Pescadores e redes de pesca chinesas ao redor de Fort Kochi

As redes de pesca chinesas chegam a medir 10 metros de altura e destacam-se no cenário, sendo um dos principais símbolos de Kochi. Há muito tempo já deixaram de ser apenas uma ferramenta de trabalho para se tornar uma atração turística. E se quiser peixe fresco, ali é o lugar certo!

Muito além dos pescados, Fort Kochi tem um centro histórico compacto e fácil de ser explorado a pé. Caminhar sem rumo pelas ruas arborizadas e pitorescas é um privilégio. A Praça Vasco da Gama fica a poucos minutos, com ruínas e uma pequena orla que leva até a Mahatma Gandhi Beach.

Mahatma Gandhi Beach

Mahatma Gandhi Beach: longe de ser a melhor praia de Kochi, mas é a mais próxima

As praias próximas de Fort Kochi não são exatamente boas para banho, com um grande trânsito de embarcações em direção ao porto. Mas são absolutamente perfeitas para curtir um pôr do sol inesquecível. Sente-se em um banquinho à beira-mar ou visite um quiosque, peça um masala chai (chá de especiarias indiano, não custa mais que 10 rúpias) e contemple o espetáculo da natureza.

Orla de Fort Kochi

Orla de Fort Kochi

Jew Town (Cidade Judaica)

Além dos chineses e portugueses, judeus sefarditas fugindo da Península Ibérica também chegaram a Kochi por volta do século XVI. Ali, foram bem recebidos pelos marajás e iniciaram uma longa e próspera parceria comercial, que se mantém até hoje com a existência da Jew Town, a “Cidade Judaica”, com lojas de tecidos, especiarias e até mesmo uma sinagoga. É uma viagem no tempo!

Jew Town, em Kochi

Jew Town, em Kochi: comércios centenários de judeus que fixaram raízes na Índia

A Sinagoga Paradesi, construída em 1568, é uma visita obrigatória para entender melhor a história. Além do templo religioso em si, há exposições de pinturas que revelam todos os detalhes.

Interior da Sigagoga Paradesi, em Kochi

Interior da Sinagoga Paradesi, em Kochi, construída em 1568

Kathakali Center

Com tantas influências estrangeiras, podemos até pensar que não existe uma cultura própria de Kochi. Nada poderia estar mais equivocado! Prova disso é a dança clássica indiana Kathakali, original do estado de Kerala. A manifestação cultural mistura dança e teatro, com personagens mitológicos do universo religioso indiano. Deuses, demônios e seres sobrenaturais apresentam-se no Kathakali Center, em espetáculos que duram duas horas. Uma hora é inteiramente reservada ao processo de maquiagem e caracterização dos personagens, em frente ao público!

Kathakali Center, em Kochi

Kathakali Center: apresentações culturais em Kochi

Igreja São Francisco (Túmulo de Vasco da Gama)

A Igreja São Francisco, construída originalmente pelos portugueses em 1503, é a mais igreja europeia mais antiga da Índia. O navegador português Vasco da Gama morreu em Kochi e seu corpo foi inicialmente sepultado na igreja, até ter seus restos mortais trasladados para Lisboa, catorze anos depois. O túmulo de Vasco da Gama ainda pode ser visto por lá.

Se quiser se aprofundar na história de Portugal em Kochi, vale a pena visitar o Museu Indo-Português.

Palácio Mattancherry

Construído pelos portugueses no século XVI como um presente para o rei de Kochi, o Palácio Mattancherry passou por reformas sob o domínio holandês, o que lhe deu o apelido de “Palácio Holandês”. Apesar da fachada simples, em seu interior há murais impressionantes e pedras preciosas.

Marine Drive

As Marine Drive são bem populares nas principais cidades da Índia. Consistem em calçadões beirando a orla, com várias opções de comida e entretenimento. No Marine Drive de Kochi é onde chegam os barcos em Ernakulam, uma ótima escolha para passar o tempo e ver a vida local acontecendo.

Marine Drive de Kochi

Marine Drive de Kochi

Ernakulam

O centro comercial de Kochi é Ernakulam, facilmente acessível de barco público saindo de Fort Kochi (ou de carro, embora em um trajeto mais demorado). Há poucas atividades turísticas, mas é um ótimo lugar para fazer compras. Há várias ruas ao maior estilo 25 de março, como a Broadway e MG Road, onde é possível encontrar roupas típicas, especiarias e lembranças da Índia a preços baixos.

Praça em Ernakulam

Praça em Ernakulam

Se encarar o calor das ruas não é sua praia, a dica é visitar o Lulu Mall, o maior shopping de Kochi. Além de praças de alimentação com redes internacionais e salas modernas de cinema, é possível encontrar as principais grifes, lojas de eletrônicos e até um supermercado — tudo com ar-condicionado e conectado diretamente por uma passarela à estação de metrô Edappally.

Hotéis em Kochi

Encontrar um hotel em Kochi não é difícil, há várias boas opções de hospedagem com padrão internacional de qualidade e preços moderados. Muitos deles oferecem um serviço superior a valores bem mais baixos do que você encontraria em outros destinos. Se puder, invista um pouco no seu conforto e aproveite o luxo que Kochi pode oferecer. Uma piscina para fugir do calor vale a pena!

Atrações próximas de Kochi

Backwaters de Kerala

A cerca de 50 km de Kochi, temos Allepey (ou Alappuzha), conhecida como “A Veneza do Oriente”. Sem dúvida a atração mais turística de Kerala, onde passeios em hotéis flutuantes percorrem uma rede de canais com mais de 900 km de extensão, conectados a rios e lagos, conhecido como Backwaters (remansos). As embarcações incluem quarto, banheiro e cozinha, permitindo uma imersão total na paisagem tropical para observar as belezas naturais e o ritmo tranquilo dos backwaters.

Backwaters de Kerala

Passeios nos “Backwaters” (remansos) de Kerala em hotéis flutuantes

Munnar

Munnar, a 120 km de Kochi, é uma região verde e montanhosa, preferida como veraneio dos britânicos na época do Império. Essa também é uma das maiores regiões produtoras de chá do mundo, o que atrai muitos turistas. Os resorts nas colinas possuem boa infraestrutura e ótimos preços, o que faz de Munnar um ótimo destino para curtir um friozinho, sem ter que sair da Índia.

Elefantes nas plantações de chá de Munnar

Elefantes nas plantações de chá de Munnar

Plantações de chá de Munnar

Plantações de chá de Munnar

Cherai Beach

As praias mais famosas da Índia estão em Goa, mas o estado de Kerala também tem boas opções. A praia de Cherai, a cerca de 25 km de Kochi, possui areia dourada e água limpa, repleta de resorts acessíveis para todos os bolsos. Um pouco mais longe, também é possível encontrar as praias de Kovalam Varkala, com falésias e ondas perfeitas para surfar.

Cherai Beach

Cherai Beach: uma das melhores praias nos arredores de Kochi

Como chegar em Kochi

Kochi é surpreendentemente bem conectada ao restante do mundo. Do Aeroporto de Kochi partem voos para vários destinos no Sudeste Asiático e Oriente Médio, inclusive com a Emirates e a Qatar. Ou seja, é possível comprar passagens aéreas saindo Brasil para Kochi com apenas uma conexão, sem nem passar pelas congestionadas cidades de Délhi ou Mumbai.

Aeroporto de Kochi

Kochi tem o primeiro aeroporto do mundo totalmente movido a energia solar

Para quem quiser adicionar outros destinos ao roteiro, Kochi é convenientemente perto do Sri Lanka e das Maldivas. Ambos estão a cerca de 1 hora de distância, com voos diretos.

Kochi também faz parte da rota de muitos cruzeiros. Não é incomum ver turistas passeando pelo porto de Fort Kochi, em navios que passam por Singapura, Maldivas e outros destinos.

Qual é o idioma falado em Kochi

Embora o idioma oficial do estado de Kerala seja o malayalam, o inglês é amplamente falado pela população local, inclusive vendedores de feiras e motoristas de tuk-tuks. Não tive maiores problemas com comunicação em Kochi (e nem em nenhuma parte da Índia), mas eventualmente o sotaque carregado pode ser difícil de compreender. Peça para repetir e acostume-se.

Mollywood, a indústria de filmes de Kerala

Kerala tem a “Mollywood”, sua indústria de filmes no idioma malayalam (e com legenda em inglês!)

O que comer em Kochi

A vaca é sagrada na Índia, mas nem tanto em Kochi. Kerala é o único estado do país onde o consumo de carne não só é legal e aceito, mas também é uma importante tradição cultural. Churrascos são eventos bem comuns, embora não existam churrascarias aos moldes brasileiros. Já os açougues vendem cortes de bifes generosos a preços bem baratos. Carne de búfalo também é bem comum.

Comer carne na Índia

Comer carne é proibido na Índia? Não em Kochi…

Apesar disso, os vegetarianos não estão desamparados. Um longo histórico de convivência entre cristãos, muçulmanos e hindus em Kochi fez um mix culinário, dando origem à uma enorme variedade de pratos. Eu disse “pratos”? Esqueça, em Kochi a tradição é ser servido em folhas de bananeiras!

Uma boa dica para começar é experimentar o delicioso thali indiano. Uma refeição servida com “um pouco de tudo”, acompanhada de arroz. A composição pode variar conforme restaurante e a região do país, mas em Kerala espere encontrar picles de manga, chips de banana, batata doce apimentada, pappadam (uma fina folha de massa crocante), legumes salteados envolvidos em especiarias, ghee, além de infinitas variações de curry e muito arroz.

Ah, sim, é para comer com as mãos. Afinal, estamos na Índia!

Comer na folha de bananeira

Comer na folha de bananeira é uma tradição de Kochi, em Kerala

Para quem ainda não conseguiu se adaptar ao paladar apimentado da Índia, boa notícia: as principais redes de fast food internacionais estão aqui, assim como concorrentes locais igualmente bons. Sugiro começar aos poucos com as opções de arroz biryiani, bem temperadas e não tão ardidas.

Fast food na Índia

Fast Food são uma boa opção para quem ainda não se adaptou ao paladar indiano

E na hora da sobremesa, não saia de Kochi sem experimentar o kulfi. Conhecido como o “sorvete tradicional indiano”, só que bem mais cremoso, o kulfi tem sabores fortes e marcantes, como manga, rosas, cardamomo, açafrão e pistache. É fácil de encontrá-lo à venda nos carrinhos de ambulantes.

Carrinhos de sorvete e kulfi indianos

Carrinhos de sorvete e kulfi indianos

Transporte em Kochi

A mobilidade urbana em Kochi é um destaque à parte. Sim, os infames tuk-tuks e trens indianos também existem por aqui, mas o sistema de metrô — barato, limpo e moderno — conecta os principais pontos da cidade. Mal dá para acreditar que a linha foi construída em apenas quatro anos, com bilhetes que variam por distância, entre ₹10 a ₹60 (de 15 a 90 centavos de dólar).

Metrô de Kochi

Metrô de Kochi: 25,6 km construídos em 4 anos, com passagens a partir de ₹10 (US$ 0,15)

Para o turista, no entanto, os barcos públicos podem ser bem mais interessantes. Eles partem em horários variados durante todo o dia e parte da noite, conectando Fort Kochi à Ernakulam (centro comercial) e outras ilhas vizinhas. As passagens custam a partir de ₹6 (equivalente a 8 centavos de dólar!) e são compradas em bilheterias divididas para homens e mulheres.

Turismo na Índia para mulheres

Meu relato seria incompleto se não mencionasse as dificuldades para mulheres que decidem viajar pela Índia, especialmente as que viajam sozinhas. Um dos primeiros choques ao visitar o Norte do país é perceber que há muito mais homens do que mulheres nas ruas, já que muitas ficam reclusas em casa, restritas às tarefas do lar. Ser mulher na Índia não é fácil, e não seria diferente com estrangeiras.

Mulheres viajando na Índia

Faça uma tatuagem de henna nas ruas e colabore com as trabalhadoras locais

Felizmente, ao Sul do país, no estado de Kerala, onde fica Kochi, a situação é bem melhor. Há bem menos olhares inconvenientes, gracejos e assovios na rua. Os indianos do sul tendem a ser mais reservados e religiosos. Ao mesmo tempo, são mais receptivos aos estrangeiros, graças às influências de vários povos que passaram pela região, e buscam mais formação educacional — Kerala é o estado com o maior nível de escolaridade da Índia, o que ajuda na conscientização.

Mulheres no metrô em Kochi, na Índia

Mulheres no metrô em Kochi: uma cena rara em outras cidades da Índia

Mas essa não é a regra. Assédios em outras partes da Índia são comuns. Em casos extremos, pode haver até contato físico não consentido. Fuja das aglomerações! Estrangeiras, especialmente as de pele e olhos claros que fujam ao biótipo da mulher indiana, atrairão atenção indesejada. Não há receita para evitar o assédio, mas é prudente evitar usar roupas decotadas, shorts e minissaias. A maioria das mulheres locais cobrem os braços e pernas, imitá-las é uma boa opção.

Vale a pena viajar para Kochi?

Assim como muitos leitores, também me surpreendi ao ver Kochi liderando a lista de destinos mais bem avaliados mundo. A cidade é realmente agradável, segura e organizada, mas está longe de ser a “Índia exótica” que os turistas querem ver. Se você planeja uma viagem para a Índia, sugiro que visite a região Norte primeiro, onde está o Taj Mahal e as principais atrações do país. E depois de alguns perrengues (que vão valer a pena, eu juro), aí sim tire alguns dias para descansar em Kochi.

Orla de Fort Kochi

Kochi: com ar puro, natureza e longe dos barulhos de buzina típicos da Índia

Para os nômades digitais, Kochi também me pareceu ser uma ótima opção. É bem mais compacta e aprazível do que Goa, outro destino indiano muito procurado. Apesar de Goa ter a fama das praias e baladas (para jovens hippies europeus) e da influência portuguesa (pouco visível atualmente), tive a impressão que era um pouco suja e desorganizada. Nesse ponto, Kochi é bem melhor!


Agradecemos à Carol pelo super relato! E você, quer compartilhar sua história de viagem com a gente? Envie um e-mail para convidado@melhoresdestinos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *