logo Melhores Destinos

Viagem à Itália – dicas para criar seu roteiro!

Camille Panzera
Camille Panzera
19/10/2020 às 20:02

Viagem à Itália – dicas para criar seu roteiro!

A Itália é um dos destinos de viagem mais visitados e mais amados do mundo. E motivos não faltam para isso! A rica cultura, a maravilhosa culinária, o patrimônio histórico, as belas cidades e os encantadores vilarejos: poucos países conseguem oferecer tantas atrações aos turistas quanto a Itália! Organizar um roteiro pela Itália é uma delícia e a curtição para muitos de nós, viajantes, já começa na fase de planejamento, pensando nas atividades que se fará pelo país!

Para te ajudar a planejar uma viagem incrível pela Itália, listamos alguma sugestões de roteiro pelo país. Apesar de não ser tão grande, a Itália tem incontáveis atrações, por isso a menos que tenha muito tempo o ideal é não tentar ver tudo, mas aproveitar bem os destinos italianos que escolher, pois todos têm muito a oferecer!

Confira também: Dicas essenciais para saber antes de viajar para a Itália

Qual o melhor roteiro pela Itália?

Certamente é aquele que agrada você! Não há fórmula mágica de um roteiro que agrade a todo mundo, o ideal é você desenhar sua viagem de acordo com seus interesses e gostos. Como dissemos, a Itália tem destinos muito variados e por mais tempo que tenhamos, nunca será possível conhecer tudo. Assim como o Brasil, a Itália é um país com muitos em um só, em que as pessoas falam dialetos diferentes, têm costumes diferentes e paisagens diferentes.

italia toscana

Quanto tempo ficar na Itália?

Para conhecer as principais cidades da Itália, o que recomendo é ficar ao menos 9 ou 10 dias inteiros, que podem ser divididos entre Roma, Veneza e Florença. Com menos tempo do que isso pode acabar sendo muito cansativo conhecer essas três cidades. Se você ainda não comprou suas passagens aéreas, pense em ficar ao menos esse tempo no país!

Entendendo a Itália: Onde fica e história

A Itália é um país que está localizado na Europa, às margens do Mar Mediterrâneo e faz fronteira com países como França, Suíça, Áustria e Eslovênia. A unificação da Itália, chamada Risorgimento, se deu durante vários anos do século XIX, em um processo que uniu diferentes reinos. Com a unificação do país, em 1861, a língua oficial da Itália passou a ser o italiano, que era a língua falada em Florença, na Toscana. Por causa da forte herança histórica, grande parte dos italianos falam não apenas o italiano como diferentes dialetos de suas regiões de proveniência.

Roma, com mais de 4 milhões de habitantes é a capital da Itália e assim é já há vários séculos, desde a época do Império Romano. O país, que faz parte da União Europeia desde 1958, utiliza o euro como sua moeda oficial desde 1999. As cidades que recebem mais visitantes na Itália são Roma, Milão, Veneza e Florença, mas há muitas outras cidades de menor porte que merecem sua atenção em seu roteiro pela Itália.

mapa da italia

Onde fica a Itália? Confira no mapa

Norte da Itália: Lombardia, Veneto, Emilia Romagna e outras províncias

O norte da Itália é marcado pelas montanhas, tem estações de esqui e os maiores lagos do país, como o Lago di Garda, Maggiore e o Lago di Como, além de cidades como Milão, Turim, Veneza e Bolonha. Milão, na província da Lombardia é a segunda cidade mais visitada do país, e é conhecida por ser a capital da moda e de negócios no país. É uma cidade charmosa, que muita gente acaba por não incluir no roteiro ou ficar apenas um ou dois dias.

Veneza, que já foi muito importante por sua localização estratégica para o comércio, se destaca dentre todas as cidades que você verá na Itália (quiçá no mundo) porque ao invés de ruas, tem canais e ao invés de carros, tem barcos. É uma cidade muito diferente, com uma dinâmica que só há ali. Tem ruazinhas impressionantes, cenários românticos… é um lugar com uma mágica difícil de descrever.

Centro da Itália: onde estão a Toscana, Lazio (Roma), Umbria e Marche

O centro da Itália, onde ficam Florença e Roma, é marcado por cidades com atrações históricas e pelas paisagens naturais bucólicas da Toscana. A região central tem charmosas cidades medievais e é a parte mais visitada do país. Roma, recebe mais de 25 milhões de pessoas a cada ano e guarda o enorme prestígio de ter sido capital do Império Romano, além de ter o Vaticano, sede da Igreja Católica. É, geralmente, a cidade que não falta no roteiro de quem visita o país pela sua importância histórica e pela riqueza de atrações. É uma cidade grande, movimentada e um pouco caótica.

Florença, ou Firenze, em italiano é o berço do renascentismo, e o grande destaque no país para os amantes das artes. Pessoas de grande importância passaram por Florença, contribuindo para a evolução de movimentos artísticos e grandes inovações. É um destino que serve como base ou início de uma viagem pela Toscana, região de paisagens naturais incríveis, vinhos tradicionais e comida de dar água na boca!

Sul da Itália e ilhas: Campanha, Puglia, Sicília, a Sardenha e outros

Já o sul da Itália é marcado principalmente pelo litoral e pelas belíssimas praias. No sul estão cidades como Nápoles, a Ilha de Capri e a região da Costa Amalfitana, área incrível com paisagens que mesclam montanhas e mar de uma forma impressionante. Na parte insular da Itália estão as ilhas da Sicília e Sardenha, destinos sem igual para quem busca praias com um mar maravilhoso! O sul da Itália não costuma ser a primeira opção de quem viaja ao país pela primeira vez e tem tempo curto, mas é surpreendente!

Com essa pequena prévia sobre a Itália, talvez fique mais fácil elencar seus interesses ao visitar o país.

Roteiro de 7 dias na Itália

Se você tem uma semana inteira na Itália, sugiro dividir o roteiro em duas cidades principais, com as seguintes opções:

  • 4 dias em Roma + 3 dias em Veneza
  • 4 dias em Roma + 3 dias em Florença
  • 3 dias em Roma + 4 dias em Florença (incluindo dois bate-volta que poderiam ser a Pisa, Siena, Cinqueterre, passeio pela Rota do Chianti)
  • 2 dias em Veneza + 5 dias em Roma (um deles para visitar Pompeia)

Vale lembrar que muitos voos chegam a Roma durante a manhã. Com isso, após chegar ao aeroporto, você gastará algum tempo passando pela fila de imigração, depois deverá buscar sua mala na esteira e em seguida passar pela alfândega. Isso leva um tempinho. Após desembarcar, siga caminhando para o Terminal de trem Leonardo Express, que leva a Roma Centrale, a principal estação de trem da cidade. A partir daí basta pegar um táxi ou ônibus até seu hotel.

Esse procedimento entre o pouso do avião e a chegada ao hotel deve levar um tempinho, que comprometerá parte do seu dia. Por isso, o que sugiro para o primeiro dia em Roma é não fazer tudo afobadamente porque você estará cansado(a) da viagem. Visite a parte central da cidade e tente dormir cedo para se ajustar ao novo fuso-horário.

italia coliseu roma

Roteiro de 9 dias na Itália

Se você tiver esse tempo Itália, é perfeito para conhecer 3 das cidades mais visitadas do país. Lembre-se que sempre há um tempo gasto no deslocamento entre as cidades, então, algumas vezes, parte do seu dia será gasto dentro do trem. Opte por viajar de trem de manhã cedo ou no fim do dia para gastar menos tempo “útil” do seu dia.

Com 9 dias na Itália, sugiro organizar-se da seguinte forma:
2 dias em Veneza + 2 dias em Florença + 4 dias em Roma

Essas três cidades são incríveis e certamente te darão um bom gostinho do que é a Itália! O roteiro sugerido para essa combinação de dias você pode conferir logo abaixo!

toscana

Roteiro de 15 dias na Itália

Se você tem em torno de 15 dias para explorar a Itália, poderá conhecer muito mais do país, é claro. Isso também significa que ficará menos mais fácil o seu roteiro, já que haverá menos daquela sensação de que algo está ficando de fora da programação.

Sendo assim, para esse roteiro mais elaborado, é interessante que você compre passagens para chegar em um aeroporto e voltar por outro. Por exemplo, chegando por Roma e voltando ao Brasil pelo pelo norte da Itália. Ou chegando pelo norte (Milão ou Veneza) e deixando o país por Roma.

Sugestão do Roteiro de 15 dias na Itália
2 dias em Milão (um deles para o Lago de Como ou outro lago que você prefira);
1 dia em Verona;
2 dias em Veneza;
5 dias em Florença + Toscana (sendo, 3 noites em Florença + 2 dias indo para outras cidades);
2 dias em Cinqueterre;
3 dias em Roma.

Para esse roteiro, considere chegar à Itália por Milão e irá embora através do Aeroporto de Roma.

Roteiro de 20 dias na Itália

Se você tem 20 dias para conhecer a Itália, poderá visitar várias cidades, curtir um pouco melhor a região da Toscana, incluir alguns dias em Cinqueterre e ir também mais ao sul, onde fica a Costa Amalfitana.

2 dias em Milão
1 dia em Verona
2 dias em Veneza
7 dias em Florença + Toscana (sendo 3 noites em Florença + 4 noites dormindo em outras cidades da Toscana)
2 dias em Cinqueterre
3 dias em Roma
3 dias na Costa Amalfitana

Roteiro de 30 dias na Itália

Com mais dias na Itália você poderá optar por incluir mais cidades no seu roteiro ou também realizar uma viagem com um ritmo mais leve e tranquilo, optando por ficar mais dias em cada cidade. Embora a gente queira aproveitar tudo que os destinos oferecem, 30 dias de férias podem ser exaustivos se você não se der um tempo para descanso.

Sendo assim, uma sugestão para 30 dias na Itália, incluindo novas cidades são:

2 dias em Milão
3 dias pelos lagos e Norte da Itália (Como, Maggiori, Garda)
1 dia em Verona
2 dias em Veneza
3 dias na Emilia Romagna
8 dias em Florença + interior da Toscana (sendo 3 noites em Florença + 5 noites dormindo em outras cidades da Toscana)
2 dias em Cinqueterre
4 dias em Roma
4 dias na Costa Amalfitana
1 dia em Capri

Nesse roteiro, você verá algumas novidades em relação à sugestão com menos dias, incluindo alguns dias fazendo um circuito pelos Norte da Itália, dias na Emilia Romagna e um dia em Capri, ilha luxuosa e de águas cristalinas.

 


Principais destinos da Itália

Roma

3 ou 4 dias é o período mínimo, ideal para conhecer Roma em uma primeira vez, eu diria. Vale lembrar que cada um tem seu jeito próprio de viajar. Alguns se interessam mais do que outros pelas atrações de uma cidade. Há pessoas que fazem questão de entrar em todos os museus que o tempo permitir, outros que apenas passam pelas atrações e a admiram externamente. Então, esse tempo gasto em cada cidade é relativo e depende muito do tipo de viagem que você gosta de fazer e das filas que encontrará pelo caminho.

Esses 3 ou 4 dias em Roma podem ser divididos da seguinte forma:

– Dia 1: – dia da chegada, em que provavelmente houve tempo gasto em deslocamento do aeroporto ao Centro de Roma- Dia de andar no Centro de Roma, visitando atrações como Piazza Navona, Panteão, Igreja de Santo Inácio de Loyola e a Piazza Spagna no fim da tarde.
– Dia 2: complementar as andanças em Roma, visitando a Galleria Borghese, Castello de Sant’Angelo, Piazza Venezia e Monumento a Vittorio Emanuelle II, além de Trastevere à noite.
– Dia 3: para Coliseu, Fórum Romano e Palatino
– Dia 4: para o Vaticano (Praça de São Pedro, Basílica de São Pedro e Museus do Vaticano)

Se tiver mais dias: Possíveis bate-volta para fazer a partir de Roma: Nápoles, Pompéia e Tivoli.

veneza italia

Veneza

Com 2 dias você consegue conhecer bastante de Veneza. A princípio a cidade pode não parecer tão grande, mas o legal é poder andar a pé, sem hora marcada, sempre descobrindo ruas novas e cantinhos diferentes. Com 3 dias disponíveis a viagem pode abranger ainda as ilhas de Murano e Burano, que ficam um pouco mais distante e levam mais tempo no deslocamento.

Sendo assim, 3 dias em Veneza você poderia dividir da seguinte forma:

– Dia 1: Chegada pela manhã à Veneza. Durante à tarde, passeio pela Praça de San Marcos, visita à Basílica de San Marcos, subida ao Campanário, passadinha para fotos na Ponte dos Suspiros e visita ao Palácio Ducal (que entre março e novembro fica aberto até as 21h).

– Dia 2: Trajeto de vaporetto pelo Gran Canal com a linha 1 ou 2. Ou, por quê não, ambas as linhas? Compre o ticket que tem validade de um ou dois dias inteiros para economizar e circular pela cidade com tranquilidade. Pare para fotos na Ponte Rialto, entre na Basílica de Santa Maria della Salute, caminhe pela rua Callaresco com lojas de grifes famosas e se quiser desembolsar um pouco mais, faça um passeio de gôndola pelos canais mais estreitos da cidade. Se gostar de artes, escolha entre visitar o museu Guggenheim ou a Academia de Belas Artes de Veneza.

Dia 3 – Utilize seu ticket de do vaporetto ainda válido do dia anterior e organize-se para visitar as ilhas de Murano e Burano. Burano fica mais distante e recomendo visitar primeiro, para depois fazer a parte mais “fácil do passeio”. Depois de conhecer as casinhas coloridas de Murano, siga para Murano, onde você pode visitar uma fábrica e ver ao vivo a fabricação das famosas peças de vidro da cidade e depois visitar o Museu do Vidro.

Se tiver mais dias, aproveite para conhecer Verona, cidade que foi palco do Amor entre Romeu e Julieta. é um lugar lindo, com arquitetura muito nintessante e que pode proporcionar belos passeios

Florença

Dois dias em Florença permitem conhecer as principais atrações dentro da própria cidade. Com mais dias no roteiro, pense em explorar os arredores de Florença, como passar um dia em Pisa mais Lucca, um dia visitando a região de Cinqueterre ou explorando o interior da Toscana.

florenca

Florença, assim como outras cidades italianas, têm muitas atrações legais e seu tempo na cidade vai depender bastante do que você quer visitar internamente, isso porque caso queira visitar algumas atrações, vale a pena reservá-las ANTES de realizar a viagem.

Dia 1 em Florença – Caso você chegue a Florença pela manhã, deixe as malas no hotel e vá explorar o lugar. Comece pela Catedral de Santa Maria del Fiore, cuja entrada é gratuita. O complexo da igreja engloba outras atrações, que são pagas, e vale muito a pena subir na Cúpula da igreja (reserve antes), que tem uma vista sensacional! Não muito distante dali, visite o Mercado Central de Firenze para comer algo, o mercado tem várias opções. Mais tarde no dia, você pode visitar passear pelo centro da cidade, admirando por fora locais como o Palazzo Vecchio e Ponte Vecchia e caminhar até a Piazzale Michelangelo, melhor lugar da cidade par admirar o pôr do sol.

Dia 2: Em seu segundo dia em Florença, é hora de conhecer por dentro as principais atrações da cidade. A Galleria Degli Uffizi, é o principal museu de Florença, com obras de grande importância mundial. Fique algum tempo por ali descobrindo o local. Você pode também visitar a Basílica Maria Novella, a Piazza della Republica, o Palazzo Pitti e os Jardins de Boboli, com muitas árvores e lindas paisagens – o ideal é administrar seu tempo e focar nas atrações que você tem mais interesse em conhecer.

Se tiver mais dias: Florença é uma cidade que está em meio a muitas outras cidades legais e que serve como base para explorar a Toscana. A região da Toscana não é muito simples de ser conhecida de trem, um carro é melhor para isso, mas há algumas cidades em que se pode visitar de trem, que é o caso de Pisa + Lucca, o principal bate-volta feito a partir de Florença, e Siena.

toscana dicas viagem

Se você tem mais de 3 dias disponíveis em seu roteiro, uma boa ideia é alugar um carro e explorar as paisagens da região.

Com ainda mais tempo disponível, pense em montar seu roteiro da seguinte forma: um dia na região do Chianti, um dia entre San Giminiano + Volterra, um dia em Siena, um dia no Val D’orcia… as opções são inúmeras e as cidades da Toscana são maravilhosas! Não é a toa que essa região é uma das mais queridas do país!

Milão

Ela é a segunda cidade mais visitada do país, mas muita gente acaba deixando-a fora do roteiro. Há quem diga que Milão merece apenas um dia do roteiro, mas acho esse parecer um pouco injusto. Milão realmente não tem a quantidade de atrações de Roma, por exemplo, mas tem atividades muito legais para fazer e que podem surpreender quem busca apenas uma passadinha superficial pelo lugar.

Dia 1 em Milão: Com apenas um dia na cidade, você deve se concentrar no que é realmente essencial: as principais atrações de Milão são a Pizza del Duomo, onde fica o Duomo de Milão (que você deve visitar por dentro e acessar seu telhado), a Galleria Vittorio Emmanuelle II e a Última Ceia, afresco pintado por Leonardo da Vinci na Igreja Santa Maria delle Grazie (requer ingresso comprado com meses de antecedência). Nesse mesmo dia, organizando-se, ainda é possível andar um pouco pelo centro histórico de Milão e passear por Brera, o bairro descolado da cidade ou pelo Quadrilátero della Moda, com todas as lojas mais famosas do cenário da moda.

Dia 2 em Milão: Como sempre, a vida é feita de escolhas. Se você tem apenas dois dias na cidade, penso que deva escolher entre ficar de fato em Milão e conhecer atrações como o Parque Sempione, a Pinacoteca de Brera, o Castello Sforzesco e a noite de Navigli OU visitar o Lago de Como e algumas de suas cidades, como Bellagio. Confesso que a decisão é muito difícil, mas se fizer um bonito dia de sol, escolheria o Lago de Como.

milao italia

Se tiver mais dias em Milão: Com mais dias em Milão você não precisa ficar tão dividido em conhecer a própria cidade ou visitar o Lago de Como, por exemplo. Além disso, pode fazer bate-volta para cidades como Turim, Bolonha e Verona. Verona, a cidade de Romeu e Julieta, fica no caminho entre Milão e Veneza, então, se você pretende fazer o roteiro sugerido para 15 dias, poderá incluí-la na programação sem dificuldade.

Verona

Localizada a cerca de 1h de trem de Milão ou 1h de Veneza, Verona costuma ser uma agradável parada no meio do caminho entre essas duas cidades. Famosa por ter sido o cenário de uma das histórias mais conhecidas do mundo, a do amor entre Romeu e Julieta, Verona é uma simpática cidade, com um centro histórico gracioso e bela arquitetura.

A maior parte dos turistas chega à Verona de trem. Para quem está com malas em mãos, há um estabelecimento com armários (lockers) na própria estação onde é possível deixar seus pertences enquanto passeia pela cidade.

A partir da estação Porta Nuova você pode tomar um ônibus até a região histórica de Verona e dali conhecer atrações como a Piazza Bra, a Arena de Verona, passear pela via Giuseppe Mazzini, visitar a Torre dei Lamberti, conhecer a Casa di Julieta e lá tirar sua tradicional foto com a estátua da personagem, visitar a Ponte Castelvecchio e o próprio Castel Vecchio.

Cinqueterre

Cinqueterre é uma região belíssima da Ligúria, formada por 5 vilas na beira do mar. O local é considerado patrimônio da UNESCO: é lindo, com construções coloridas, mar deslumbrante e paisagens maravilhosas. Leia aqui todas as nossas dicas de Cinqueterre.

Costa Amalfitana

A Costa Amalfitana é uma região de pequenas cidades localizadas na costa da Província de Salerno, ao sul e Nápoles. Entre as principais cidades da região estão Amalfi, Positano e Ravello – é possível hospedar-se em todas elas e fazer passeios para conhecer outras cidades. Se você viaja no verão, poderá curtir as praias do lugar e se viajar em um período mais frio, poderá desfrutar de suas paisagens impressionantes.

As cidades da Costa Amalfitana possuem praias, igrejinhas, trilhas, bons restaurantes, passeios de barco e belos jardins, mas suas atrações principais mesmo são as cidades em si. Cada uma das cidades tem um charme especial e como são pequeninas você pode conhecer uma ou duas cidadezinhas no mesmo dia. O deslocamento entre elas pode ser feito de barco, com carro próprio ou com ônibus.

roteiro italia

Norte da Itália e seus lagos

As regiões de lagos reservam aos visitantes cenários incríveis e cidadezinhas altamente fotografáveis, já que as águas esverdeadas sempre estarão à frente e, as montanhas, ao fundo. Vale a pena alugar um carro e escolher as margens de um dos principais lagos italiano, como Maggiore, Como e Garda, para passear. O verão e a primavera são as estações mais indicadas, quando a temperatura está mais agradável e os vilarejos floridos – muitos deles com pés de limão siciliano formando verdadeiras paredes amareladas. Apesar de algumas vinícolas e fábricas de azeite de oliva, além de castelos e ruínas que podem ser visitados, o bem-bom é passear a pé pelas cidadelas, aproveitar os bons restaurantes, comer muito sorvete e fazer longas pausas pra admirar a paisagem.

lago de como - italia

Lago de Como

Emilia Romagna

A Emilia Romagna é conhecida como o paraíso gastronômico. Nela são produzidos alguns dos produtos italianos que mais dão água na boca no mundo todo, como o queijo parmigiano-reggiano, o presunto de Parma e o aceto balsâmico, o expoente de Modena (onde também fica o museu da Ferrari). A região ainda concentra cidades históricas que valem a visita, como Bolonha, Ferrara e Ravenna. E o mais curioso: a Emilia Romagna cerca parte de uma das menores e mais antigas nações do mundo, da qual você talvez jamais tenha ouvido falar: San Marino, que tem cerca de 34 mil habitantes e área de 61 quilômetros quadrados.


Transporte na Itália

Para ir de uma cidade a outra na Itália o meio mais prático geralmente são os trens, especialmente em se tratando viagens entre cidades “grandes”. As viagens de trem na Itália são bem confortáveis e os bilhetes podem ser comprados com antecedência através da internet. Não deixe para comprar seus bilhetes em cima da hora, organize-se e planeje sua viagem antes porque a chance de encontrar passagens de trem em promoção é grande. Leia aqui algumas dicas para viajar de trem pela Europa.

Em situações mais específicas, principalmente em um roteiro entre cidades pequeninas, como acontece no interior da Toscana ou em uma viagem entre os lagos do norte da Itália, um carro alugado pode ser mais confortável, oferecer mais autonomia e praticidade para viajar.

transporte italia

O aluguel de carros na Itália têm valores bem justos. Recomendamos que você faça sua reserva com antecedência pela internet.

Veja alguns exemplos de como viajar entre as cidades da Itália

Roma a Florença: trem direto com 1h26 de duração
Florença a Veneza: trem direto com 2h15 de duração (também há a opção de fazer conexão em Bolonha)
Florença a Siena: melhor usar um carro alugado ou agências de passeios
Veneza e Milão: trem direto, com 2h15 de duração (lembrando que você pode fazer uma parada em Verona)
Milão a Verona: trem direto com duração de 1h15
Roma a Nápoles: trem direto com duração de 1h
Roma a Costa Amalfitana: trem direito para Nápoles + linha local até Sorrento: em torno de 3, 4 horas de duração
Nápoles a Capri: embarcação, em torno de 60 minutos


Quando ir para a Itália?

A melhor época para ir para a Itália dependerá de seus gostos pessoais. O país tem estações bem definidas, tem um inverno frio e verão quente, além de destinos que oferecem as mais diversas possibilidades; então é preciso pensar no tipo de destino e situação que você deseja encontrar ao viajar.

Se a ideia é aproveitar as estações de esqui, você deverá viajar no inverno. Se quiser aproveitar as praias, o melhor é viajar no verão, claro. Mas se seu turismo for focado em grandes cidades e sem um objetivo específico, o ano todo funciona bem. Viajar durante a primavera e outono é uma ótima pedida para não enfrentar nem muito calor e nem muito frio. Meses como abril, maio, setembro e outubro são boas dicas, geralmente com preços de passagens aéreas bem razoáveis.

Vale lembrar que o verão europeu (junho, julho, agosto) é período de alta temporada, com atrações mais cheias. Não subestime o calor que faz na Itália e na Europa durante o verão, porque fazer turismo nos meses mais quentes pode ser difícil pelo calor excessivo. Além disso, em agosto acontece o Ferragosto, feriado italiano, em que cidades muito pequeninas boa parte do comércio fica fechado.


Comida na Itália – Mangia che ti fa bene

A gastronomia italiana é reconhecida em todo mundo por seus sabores autênticos e pratos tradicionais, conquistando fãs através de sua simplicidade e produtos frescos. Baseada em tradições familiares, a gastronomia é um assunto sério para os italianos.

As massas, sejam aquelas cozidas na água quente ou as pizzas, são os principais pratos que as pessoas se recordam ao falar da Itália, mas o país também serve excelentes carnes, peixes e doces. Como não se apaixonar com um tiramisú ou com um bom parmigiano reggiano? Ou por uma pizza com um molho de tomate preparado lentamente?

onde comer italia

Cada região da Itália possui suas tradições e seus pratos típicos. O risotto alla milanese é tradicional de Milão, a lasanha à bolonhesa em Bolonha, o cacio & pepe em Roma ou e a bistecca alla fiorentina em Florença.

A verdade é onde quer que você vá, será difícil comer mal na Itália. Mesmo os restaurantes simples e lanchonetes oferecem excelentes opções, com queijos e embutidos de qualidade, tornando qualquer panino (uma espécie de sanduíche) um excelente almoço. E todo lugar sempre serve vinho… Se não quiser inovar, peça o “vinho da casa”, opção econômica e que funciona bem em qualquer lugar!

Não é caro comer na Itália, comer em restaurantes é algo muito popular entre os próprios italianos. É claro que em tempos em que nossa moeda está instável a conversão não ajuda, mas em geral não é preciso desembolsar muito para comer bem.

Ingressos para atrações na Itália

A Itália é um país muito visitado, com muitas atrações incríveis. Antes de viajar para o país, é importante saber que algumas dessas atrações são bastante disputadas, não apenas com longas filas para serem visitadas, mas também com número de ingressos limitados.

Para não correr o risco de voltar de viagem sem ver aquele lugar que era seu sonho ou então ficar longas horas na fila para comprar um ingresso, reserve todos os ingressos com antecedência pela internet. As maiores atrações da Itália oferecem bilhetes através de seus sites oficiais, com um pequeno valor agregado pela compra online. Quando estiver na atração que deseja, basta mostrar o bilhete comprado através do celular que você conseguirá ter seu ingresso e fazer sua visita.

Aqui você confere os ingressos que deve comprar ANTES de viajar para a Itália.


Documentos necessários para viajar à Itália

Brasileiros que viajam a turismo por até 90 dias não necessitam de visto para conhecer a Itália. Entretanto, é necessário que você tenha um passaporte válido, passagem de ida e retorno, uma cópia das reservas nos hotéis, comprovação de que possui condições financeiras para permanecer no país pelo período desejado e um seguro saúde que cubra despesas médicas de ao menos 30 mil euros.

Para dirigir na Itália você deverá ter a PID, Permissão Internacional para Dirigir, que nada mais é do que sua CNH traduzida. A PID pode ser requerida junto ao Detran do local onde você mora.

Adquira aqui seu seguro-viagem com desconto.

costa amalfitana italia

Passagens aéreas para a Itália

O principal aeroporto da Itália é o Aeroporto de Roma – Fiumicino / Aeroporto Internacional Leonardo da Vinci (FCO). O segundo maior aeroporto do país é o de Milão – Malpensa (MXP). Ambos os aeroportos recebem voos diretamente do Brasil, inclusive da Alitalia, companhia área italiana, mas por causa da pandemia nem todas as rotas estão em operação.

O país ainda tem outros importantes aeroportos, como o de Bergamo, Bolonha e Veneza. Embora as viagens de trem sejam práticas para boa parte dos trajetos dentro da Itália, em algumas situações, quando as distâncias são longas, o aéreo pode ser viável.

Para quem pretende fazer uma volta grande ao viajar pela Itália, é interessante comprar o trecho de ida com chegada em um aeroporto e retorno em outro. Chegando ao país pelo norte, por exemplo, onde está Milão e voltando por Roma.

Com enorme frequência encontramos promoções de passagens aéreas para a Itália aqui no Melhores Destinos. Para não perder uma promoção, baixe nosso aplicativo que sempre avisaremos quando encontrarmos uma oferta!

pisa italia

Países próximos para incluir na viagem

Se você pretende fazer uma “Eurotrip” com direito a vários destinos, pode pensar também em incluir outros países próximos em seu roteiro. A partir de Milão é possível ir para a Suíça com trens e também para a França, tanto para a capital Paris quanto para a Riviera Francesa. A Áustria e a Eslovênia também fazem fronteira com a Itália e estão a pouca distância.

Se quiser fazer um roteiro mais exótico, você pode aproveitar para conhecer e os Balcãs e visitar países como a Croácia, Bósnia, Bósnia e Herzegovina, Montenegro e outros.

Informações básicas sobre a Itália
Onde fica: Europa
População da Italia: 60,3 milhões de habitantes
Capital da Itália: Roma
Moeda: Euro
Língua: Italiano
Fuso horário: UTC/GTM +1
Site oficial 
Embaixada da Itália no Brasil


E você, tem mais dicas para uma viagem à Itália? Compartilhe com a gente nos comentários!