logo Melhores Destinos

É ético viajar para Cuba a turismo? Vale a pena? Confira nossas dicas!

Wendell Oliveira
Wendell Oliveira
04/09/2020 às 4:59

É ético viajar para Cuba a turismo? Vale a pena? Confira nossas dicas!

Nem esquerda, nem direita. Quem mais sofreu com os efeitos das discussões políticas dos últimos tempos foi uma ilha… da América Central! Cuba é um destino no mínimo incompreendido. Há quem veja o pequeno país do Caribe como um paraíso, outros como um inferno. E quase nunca considerando suas praias, arquitetura, cultura ou atrações turísticas.

Atendendo aos pedidos de “vai pra Cuba!“, passamos quase um mês por lá para ver com nossos próprios olhos, afinal, o que a ilha de Fidel Castro tem de tão especial. Será que é ético viajar para Cuba a turismo? Vale a pena viajar para Cuba? Essas e outras dicas você confere agora!

Mas sem política, tá ok? 🙂

É ético viajar para Cuba a turismo? Vale a pena?

Como chegar em Cuba?

Com promoções de passagens aéreas para Cuba surgindo, muitos leitores ficaram tentados a conhecer as belezas da capital Havana e as praias paradisíacas de Varadero. Não é difícil chegar lá: Cuba é um destino completamente aberto ao turismo, visitado por gente do mundo todo. Há voos diretos saindo do Caribe, Europa e até mesmo dos Estados Unidos! Passagens entre Miami e Havana custam em torno de US$ 100 o trecho com a JetBlue. As duas cidades estão a cerca de 220 milhas uma da outra — mais curta do que a ponte-aérea Rio x São Paulo!

O visto para Cuba também é bem simples e pode ser obtido ainda no portão de embarque, ao custo de US$ 25 (ou US$ 50, se seu voo partir dos Estados Unidos).

Leia também:
Havana, uma viagem no tempo
Vai pra Cuba? Roteiro de 11 dias por Havana e Varadero
Como tirar o visto cubano?
– Como tirar o visto Americano (Atualizado 2019)

É ético viajar para Cuba a turismo?

Viajar a turismo para Cuba está longe de ser uma unanimidade. Por um lado o país tem quilômetros de praias desertas e cristalinas, atrativos culturais e uma rica história, capazes de encantar a qualquer turista. Por outro, o país é comandado desde a década de 50 por um único partido, há denúncias de violação dos direitos humanos, liberdades individuais e de imprensa.

Some isto às polêmicas medidas de racionamento e pronto: temos a imagem de um país mergulhado no caos, quando na verdade é exatamente o oposto. Cuba é um destino seguro e com boa infraestrutura turística. Eventuais problemas do cotidiano são parte da vida dos cubanos, acostumados às limitações, sejam elas impostas por sanções internacionais ou pelo governo. Mas o turismo não chega a ser significativamente afetado.

Ao visitar Cuba, você não está “apoiando” o governo, independente de concordar ou não com ele. Você está apoiando os cubanos. A afirmativa é tão verdadeira, que a opção de “Support for the Cuban people” é uma das 13 alternativas na hora de marcar seu motivo de viagem para Cuba.

Marque a alternativa número 8 caso seu voo saia dos EUA

E se você ainda não está convencido de que visitar Cuba não tem absolutamente nada a ver com um “ato político”, então tente responder a essas simples perguntas:

  • Qual foi a última vez que você deixou de visitar um destino por motivos políticos?
  • O que a eleição do prefeito, governador ou presidente do seu último destino de férias afetou na sua experiência de viagem?
  • Você sabia que destinos como Tailândia, Dubai, Egito e Rússia também não são exatamente “democráticos”?
  • Por que motivos você não visitaria um destino seguro, receptivo aos turistas e com pousadas em frente à praia a partir de US$ 10?

Dicas de viagem para Cuba

Cuba tem algumas particularidades, então fique atento às nossas dicas:

Como trocar dinheiro em Cuba

Até 2020, Cuba possuía duas moedas em circulação, o CUP (“Peso Cubano”) e o CUC (“Peso Cubano Conversível”). Mas desde 1º de janeiro de 2021 o governo cubano unificou as duas moedas, mantendo apenas o CUP em circulação, na cotação oficial de 1 dólar americano = 24 CUP. A troca pode ser feita normalmente em qualquer casa de câmbio, conhecidas em Cuba como CADECA.

Peso Cubano (CUP, acima) e o extinto Peso Conversível (CUC)

Anteriormente, o CUC era a moeda de preferência para os serviços turísticos, como hotéis e táxis, à uma taxa pareada ao dólar (1:1). Isso causava a impressão errada de que os preços em geral fossem mais altos e facilitava golpes de viagem contra turistas, que não raramente pagavam preços diferenciados em relação à população local, para utilizar os mesmos serviços.

Desde a unificação das moedas os preços sofreram reajustes, já que o pacote econômico adotado por Cuba aumentou expressivamente os salários, causando inflação. Levar euros, libras, dólares canadenses ou pesos mexicanos para Cuba ao invés de dólares americanos pode ser uma boa ideia, já que o câmbio pode ser mais favorável e sem taxas adicionais.

Hospedagem barata em Cuba

Assim como tudo em Cuba, a estrutura dos hotéis é muito antiga. Para piorar, os preços podem ser supervalorizados devido às taxas. Que tal economizar se hospedando na casa de cubanos e viver o dia a dia da população local?

O aluguel de quartos e até casas inteiras para turistas é bem comum em Cuba. Além de serem facilmente encontradas no AirBnb, as residências disponíveis são sinalizadas com a plaquinha de “Casa Particular”. Os preços começam a partir dos US$ 10 e não raramente incluem café da manhã farto!

Faça amizade com seus anfitriões, eles darão dicas importantes, recomendações dos melhores lugares para ir, e ainda poderão te passar uma imagem bem mais humanizada de Cuba, sem preconceitos.

A localização da maioria das casas particulares são em bairros residenciais, o que permite vivenciar a realidade do país e contemplar a paisagem urbana, com monumentos, escolas, praças, fotos de Fidel Castro e Che Guevara e outros símbolos onipresentes de Cuba.

Comida em Cuba

A culinária cubana tem influência espanhola, africana e caribenha. Possui ingredientes simples e tradicionais, mas é rica em sabor. Assim como os brasileiros, os cubanos também não abrem mão do arroz com feijão!

A variedade de comida de rua também é incrível, com hambúrgueres, pizzas, churros e sanduíches à venda por poucos centavos de dólar. Existem até mesmo desafios de “como passar um dia comendo com US$ 1 em Cuba” no YouTube, com experiências surpreendentemente bem-sucedidas!

Para quem quiser experiências mais refinadas e provar deliciosos mojitos, daiquiris e outros drinks cubanos à base de rum, há ótimos restaurantes em Havana. Não deixe de passar pela Bodeguita del Médio, o bar mais famoso da cidade. Uma visita ao El Floridita e ao Los Nardos também é imperdível.

Como acessar a internet em Cuba

O acesso à internet em Cuba ainda é novidade, não espere por conexões estáveis, muito menos velozes. Nem mesmo nos hotéis é possível encontrar uma Wi-Fi de qualidade, sua melhor aposta será fazer como todos os cubanos: ir às pracinhas.

Sim, é nas praças lotadas de Cuba que ficam os pontos de acesso Wi-FI estatais. Por isso elas vivem cheias de jovens usando celular. Junte-se a eles comprando uma Tarjeta de Navegación nos diversos pontos de venda espalhados pela cidade. O cartão é vendido com um limite de tempo, você pode comprar 1h ou 5h de acesso. Felizmente é possível pausar o acesso, racionando sua conexão. Ao adquirí-lo, basta raspar o verso, obter as informações de usuário e senha, e inserir na tela de login.

Dica: Compre um cartão de Wi-Fi em postos autorizados, com o símbolo da ETECSA (Empresa de Telecomunicaciones de Cuba S.A.). Caso não encontre, você ficará restrito aos cambistas. Eles geralmente são jovens rapazes, que aparecem do nada enquanto você faz cara de quem precisa de uma informação na praça. A abordagem é suspeitíssima, parece comércio de drogas. Os cartões são vendidos à margem da lei — e pelo dobro do preço.

Sim, capitalismo selvagem existe em Cuba.

Vale a pena viajar para Cuba?

Sabe aquele pessoal que diz que em Cuba tudo funciona, todos trabalham, tem estudos e são felizes? Eles estão errados. Mas sabe aqueles que dizem que em Cuba todos passam fome, são contra o governo e querem fugir? Eles também estão errados!

Antes de viajar, é necessário entender que o mundo não é preto ou branco, mas cinza. Há nuances que devem ser observadas, sem radicalismo ou viés, mas apenas como elas são. Não dá para idealizar um destino. Você se surpreenderia ao ver que muitos cubanos alugam suas casas aos turistas, dirigem táxis, atuam como guias e fazem bastante dinheiro! Para esses, “fugir de Cuba” não faz sentido. Cuba é a zona de conforto deles, como provavelmente o Brasil é a sua, mesmo com todos os problemas.

No final das contas, o turismo é uma solução para Cuba. Seus 11,5 milhões de habitantes são formados por gente absolutamente normal, não por políticos ou ativistas. Em meio a discussões partidárias que não levam a lugar nenhum, a maioria dos cubanos está apenas interessada em viver a vida, recebendo de braços abertos os turistas que vão conhecer a cultura, curtir as praias, dançar salsa e tomar um mojito.

praia varedero cuba

Isso é o que você perde ao deixar de visitar Cuba

Por isso, nosso veredito é: Vale muito a pena viajar para Cuba! A menos que você prefira tirar conclusões com base no que os outros dizem, e não no que vê com os próprios olhos.


E você, tem curiosidade de viajar para Cuba? Deixe seu comentário!