logo Melhores Destinos

Temporada de furacões no Caribe: tire suas dúvidas!

Camille Panzera
Camille Panzera
12/01/2021 às 11:55

Temporada de furacões no Caribe: tire suas dúvidas!

A Temporada de furacões no Caribe é sempre tema de discussão e dúvida entre os viajantes. Muitos querem saber quais os meses com mais furacões, as áreas mais afetadas e se correm perigo ao passar férias no Caribe. Para esclarecer o assunto, o MD preparou essa matéria especial com nossa editora Camille Panzera, que já visitou várias vezes a região. Confira!

Sol o dia todo, mar com água cristalina e paisagens naturais de cair o queixo — isso é o que muitas pessoas esperam de uma viagem ao Caribe e é isso que a grande maioria realmente encontra.

A região tem diversas ilhas diferentes, cada uma com cultura própria, praias paradisíacas e pontos de mergulho maravilhosos. As promoções para o Caribe são frequentes aqui no Melhores Destinos e milhares de pessoas já aproveitaram nossas dicas! Mas ao passo que surgem as promoções, surgem também as dúvidas sobre a melhor época para viajar ao Caribe e evitar a temporada de furacões.

Leia também:
Como planejar sua viagem ao Caribe e economizar

mapa do caribe

Mapa do Caribe

Quando é a temporada de furacões no Caribe?

O período oficial da temporada de furacões no Caribe é de 1 de junho a 30 de novembro de cada ano. Embora haja chances de furacões ocorrerem em qualquer época do ano, esses 6 meses concentram cerca de 97% das atividades tropicais ocorridas entre 1851 e 2013. 

Dentro da temporada de furacões, as maiores atividades ocorrem entre agosto e outubro, especialmente em setembro. Nesses três meses, há a concentração média de 78% das tempestades tropicais anuais, sendo 87% dos furacões de categorias 1 e 2 (mais fracas) e 96% de categorias 3, 4 e 5 (mais fortes) de todo o ano. As atividades mais frequentes acontecem na primeira quinzena de setembro.

Os maiores estragos ocorrem, de fato, quando os furacões atingem a terra; quando estão apenas no mar, as consequências são muito menos desastrosas.

Outro dado importante e que pode, de fato, afetar a escolha do melhor momento para viajar, é que os meses da temporada de furacões no Caribe são também os mais chuvosos — leve essa informação em consideração no momento de escolher a data da viagem. As chuvas também atrapalham o aproveitamento da viagem e os meses mais chuvosos no Caribe são, geralmente, entre agosto e outubro.

O que são furacões?

Para entender a situação, é preciso primeiro saber o que é um furacão. Segundo o INMET, Instituto Nacional de Meteorologia, um furacão é o “nome dado a um ciclone tropical de núcleo quente, com ventos contínuos de 118 quilômetros por hora (65 nós), ou mais, no Oceano Atlântico Norte, mar caribenho, Golfo do México e no Norte oriental do Oceano Pacífico. Este mesmo ciclone tropical é conhecido como tufão no Pacífico ocidental e como ciclone no Oceano Índico”.

Esses ciclones tropicais podem ser classificados, com relação à sua intensidade, como perturbação tropical, depressão tropical, tempestade tropical, tufão e furacão — que, por sua vez, tem 5 níveis de intensidade, sendo o 1 mais brando e o 5 mais forte.

Essas variadas manifestações de ciclones tropicais ocorrem naturalmente através da combinação de diferentes fatores, entre eles a baixa pressão atmosférica, altas temperaturas e umidade. São fenômenos que ocorrem também no Brasil, mas de maneira geralmente mais branda, sem chegar a formar um furacão, que é caracterizado por ventos mais fortes.

Quais as chances de pegar um furacão no Caribe durante minha viagem?

Estatisticamente as chances são muito baixas! Mesmo viajando em setembro, o mês com mais ocorrências, e visitando uma área suscetível a furacões, as chances não são grandes.

Segundo o site da NOAA, Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos, que dentre outros temas pesquisa furacões e faz previsões climáticas no país, se você visita Porto Rico (um dos lugares mais afetados por furacões no Caribe) no mês de setembro (historicamente o mês mais afetado por furacões), a chance de ser diretamente atingido por um furacão ficando na ilha o mês inteiro é de 8%. Se você viaja a Porto Rico durante uma semana do mês de setembro, a chance de ser atingido é de apenas 2%!

Isso significa que se você fizesse 50 viagens de uma semana a Porto Rico no mês de setembro, você seria afetado diretamente por um furacão em uma dessas 50 viagens feitas — e esse é o pior cenário possível, já que estamos falando de uma localidade bastante afetada por furacões, no mês historicamente mais afetado.

Vale lembrar que um furacão atingir um destino é uma situação atípica e que eles se formam no mar, nem sempre atingindo terra firme. O curioso é que há mais chances de ser “atingido” por um furacão na Flórida ou no Golfo do México, por exemplo, do que no Caribe.

No site da Hurricane Research Division, divisão que pesquisa furacões nos Estados Unidos, você pode encontrar mais informações sobre o tema.

temporada de furacoes no caribe

Curaçao

Quais os lugares mais atingidos por furacões no Caribe?

Segundo o site Hurricanes City, as seguintes cidades e ilhas abaixo foram as mais atingidas apenas por furacões entre 1871 e 2018 – quando consideradas as tempestades tropicais, o número aumenta consideravelmente. Perceba como o arquipélago de Bahamas e cidades do estado norte-americano da Flórida são bem atingidos ao longo dos anos. 

Os números indicam a quantidade de furacões que atingiram as cidades desde 1871.

  • Great Abaco Island – Bahamas (atingida 40 vezes)
  • Grand Bahama Island, Bahamas (atingida 37 vezes)
  • Bermuda (atingida 37 vezes)
  • Cape Hatteras, Carolina do Norte – EUA (atingida 36 vezes)
  • Eleuthera, Bahamas (atingida 34 vezes )
  • Bimini, Bahamas (atingida 33 vezes)
  • Andros, Bahamas (atingira 31 vezes) 
  • Miami, Flórida – EUA – (atingida 31 vezes)
  • Cat Island, Bahamas (atingida 30 vezes)
  • San Salvador, Bahamas (atingida 29 vezes)
  • Delrey, Florida – EUA (atingida 29 vezes)
  • Homestead, Flórida – EUA (atingida 29 vezes)

Veja aqui a lista de cidades mais atingidas por furacões e tempestades tropicais

Quais os lugares menos atingidos por furacões no Caribe?

São as ilhas na porção Sul do Caribe. Entre os locais raramente afetados por furacões estão Aruba, Curaçao, Bonaire, San Andrés (Colômbia), o caribe panamenho de Bocas del Toro, San Blas, Grenada, Trinidad e Tobago e a costa de países como Venezuela e Colômbia. As ilhas no Oeste do Caribe também tendem a ser menos afetadas do que as ilhas no lado leste.  

furacoes no caribe - cancun

Cancún

É possível prever a ocorrência de furacões?

Não é possível prever com meses de antecedência que irá ocorrer um furacão em uma data específica, mas o Centro de Previsões Climáticas do NOAA faz prognósticos sobre a temporada de tempestades tropicais e seu potencial para que as tempestades se tornem um furacão. O órgão faz suas previsões sobre a temporada a cada ano, e ao longo dos meses atualiza a precisão de suas previsões com dados obtidos através de satélites.

Quando há potencial de tempestades tropicais e furacões, a divisão meteorológica emite alertas para a população, dessa forma é possível preparar-se e ter uma ideia do que esperar, buscando um local abrigado e que o proteja de ventos e chuvas fortes. Geralmente os locais sujeitos a essas tempestades estão mais preparados para essas situações, inclusive os hotéis.
Você também pode acompanhar notícias do NOAA e ver as condições do tempo através de sites e aplicativos de previsão do tempo como o Weather.com, o Wunderground e o Wind Guru.

 

furacoes no caribe

Providência – Colômbia

Como é o turismo na época de furacões no Caribe?

As ilhas, hotéis, cruzeiros e destinos turísticos do Caribe continuam funcionando normalmente nesse período, com o diferencial de que em muitos lugares os preços são mais atrativos. Lembre-se que em alguns destinos na região também recebem mais chuvas nessa época. Já estivemos no Caribe várias vezes, visitamos vários destinos, como Cancún, Playa del Carmen, Tulum, Cartagena e Punta Cana, inclusive nos meses que fazem parte da temporada de furacões, sem qualquer problema.

Viajar ou não para o Caribe na época de furacões?

Os riscos de sofrer com furacões existe, mas são muito pequenos mesmo nos meses de maior atividade e não há necessidade de cancelar uma viagem nessa época. Ainda assim, é recomendável ficar atento a notícias na internet e noticiários locais durante a viagem, além de fazer um seguro de viagem que lhe dê suporte em caso de necessidade.

Fazer um seguro viagem é um cuidado que vale a pena fazer não apenas pensando em furacões, mas qualquer outra eventualidade que possa afetar sua viagem, em qualquer destino!

Caso haja a chance real de alguma atingir o lugar em que você está passando as férias, são emitidos alertas para preparar a população, preparar as residências, hotéis e evacuar cidades, caso preciso. A cada ano as temporadas de furacões são diferentes e nada impede que sua viagem ao Caribe nessa época seja linda e cheia de dias ensolarados! 

furacao no caribe

Cancún – México

 


Para mais informações, sugerimos a visita ao site da National Hurricane Center, parte do National Oceanic and Atmospheric Administration dos EUA, que pesquisa a respeito de tempestades tropicais e furacões.

Na Wikipedia também há uma ótima página com informações sobre as temporadas de furacões detalhadas ano a ano.

E você, tem mais dicas sobre a temporada de furacões no Caribe?

35 Comentários

  • Dayse says:

    Ano passado o furacão Gonzalo passou por St Maarten uma semana antes da minha viagem! Haja coração, rs.
    Se não me engano, chegou lá com intensidade 4 e uma pessoa morreu porque não quis abandonar o veleiro em que estava, na Simpson Bay. Quando estive lá, deu pra ver o veleiro dele todo destruído.
    No mais, a única atração que ficou danificada foi o borboletário no lado francês.
    Choveu bastante apenas em um dia, no total de 7 dias em que estive lá. Detalhe que ninguém te avisa: as ruas alagam e passamos por bons apuros até acharmos um local seguro. Fica a dica: em dia de chuva forte, permaneça no hotel.

  • Henry says:

    Excelente tópico… é super importante conhecer estas informações…
    Principalmente onde indica os locais que são bem menos propensos a furacões, como, por exemplo, San Andrés….

  • Henry says:

    Uma dúvida que eu sempre tive sobre furacões e que nunca consegui saber é se na Florida, MIAMI / ORLANDO, se existe nos hotéis ou em outros locais, abrigos seguros para furacões..
    Alguém saberia informar ???

    • Leonardo F J says:

      Estive em Orlando em novembro 2014 quando “passou” um tufão, e não tinha abrigo. O primeiro andar do prédio virou uma piscina.
      E uma vez em Miami, teve o alerta de furacão, e o hotel TB não tinha nada do gênero, mas as vidraças foram protegidas com madeiras.
      O que achei interessante, agora em 2014, é que em todos os canais de TV ficava uma tarja anunciado a posição do tornado, e os celulares ficavam recebendo SMS com informações do fenômeno.

      • Marcelo Teixeira says:

        Leonardo, não existem tufões no ocidente. Eles acontecem na região da Ásia. Em Orlando podem existir, depressões tropicais, tempestades tropicais e furações nível 1 a 5. E em relação aos abrigos, geralmente não são subterrâneos. Os abrigos são os próprios hotéis ou abrigos da prefeitura que ficam nas escolas.

  • Sidney Santos says:

    Parabéns pelo tópico apresentado pelo MD. Estou querendo conhecer o Caribe (Aruba ou Curaçao) em junho de 2016 e o post me deixou mais tranquilo.

    • critico poa says:

      Vai, fui esse ano e é perfeito, não é a chatice de Punta Cana e nem os agitos sem noção de Cancun( a não ser que esteja pela loucura) hehehe

      Aruba é D+, inclusive já andei estudando pra tentar me mudar pra lá, mas não é tão simples também hehehe.

      Outra coisa, se quiser aproveitar bem lá, economiza na estadia, a que eu fui era ótima e super barata. pelo Boooking tu consegue reservar, é Elements of Aruba.

      Como o que tu gastaria num hotel meia boca, tu fica nessa, aluga um carro por todos os dias de viagem e passeia a vontade pela ilha e não fica na dependência dos ônibus que é uma bomba(fica no sol, um calorão do inferno e sem horário certo)
      A vantagem do caro é que tu se manda de um lado pro outro rapidamente e conhece muito melhor a ilha por um custo ótimo, na Alamo e na Nacional(parceiras) uns 38 dólares uma diária, lembre de ter um cartão platinum pra não precisar contratar os seguros extras.

      E seja feliz. huahuahuahua

    • Camille Panzera says:

      Que bom, Sidney! Temos guias de Destinos sobre Aruma e Curaçao! Passa lá no guia depois! 😉 http://guia.melhoresdestinos.com.br/destinos

  • critico poa says:

    Realmente não são problema, gosto mesmo de Aruba e Curaçao, pra mim basta pelo resto da vida hehehhe.

  • Francieli Campos says:

    Quem quer garantia de que vai se safar 100% dos furacões/tufões/tempestades, vá para as ilhas ABC. Mas como diz o texto, o risco é maior em Miami do que no Caribe. Eu, sinceramente, nunca dei bola para os períodos de viagem. Estava em Miami certa vez, em fevereiro, e teve ameaça de tufão, mas foi um dia de chuva e ventania e nada mais… Todas as vezes que estive no Caribe foi em época de furacão, só me toquei disso lendo o texto, agora 🙂

  • Thiago Castro says:

    Muito bom o post e bastante pertinente. Tem gente que se grila com isso e deixa de fazer uma viagem bacana por falta de informação. A questão não é ir ou não ir na temporada de furacões, mas estar plenamente informado e tomar sua decisão baseado nisso.

    Uma coisa que eu acho ruim nessa época dos furacões (além dos próprios) é que o clima é quente demais e bem úmido. Eu prefiro viajar em Março por exemplo que é mais tranquilo.

    Porém, se tiver que chover, vai chover a época que for. Estive em Cancún por 2 semanas em Março/2011 e não pareceu uma nuvem no céu dia nenhum, maravilhoso. Estive na mesma época em 2013 por 5 dias e choveu 2 dias. O jeito é torcer! rs

    Outra coisa importante de fazer nesse tipo de lugar (além do seguro viagem) é a reserva cancelável. Às vezes na empolgação, pegamos aquela não reembolsável mais barata e depois fica difícil ter o reembolso.

    • Camille Panzera says:

      Boas dicas. Valeu, Thiago. 🙂

    • Aconteceu isso agora com meus amigos que estão indo pro Black Friday em Orlando, pegaram uma boa tarifa não reembolsável num quatro triplo, um deles não pode mais viajar devido ao trabalho, e o que era barato pra 3 acabou ficando mais caro para duas pessoas pagarem.
      Depois disso eu aprendi que nunca mais compro uma reserva de hotel em qualquer site que seja se a política não seja de cancelamento grátis.

  • Thiago Trevisan says:

    Viajei 2014, para República Domenicana, Peguei chuvas apenas a noite e 2015 agora em Setembro fomos para México, Playa del Carmem, Todos dias ensolarados, e eu lembro que meu medo era sempre de Tempestades ou Furacões, Detalhe sempre aproveitando as promoções aqui do MD!!!

  • Andrêzza Castro says:

    Seria legal também fazer uma matéria nesse sentido sobre a Ásia.

  • Tarcísio Medeiros says:

    Isso me fez lembrar de quando peguei o terremoto de 8.4 Richter no Chile em setembro. Apesar de estar no alto de um prédio, foi interessante a experiência. Ver esse lance dos alertas (de tsunami), do pós (com as réplicas), foi algo que melhorou a viagem. Acho que viagem também é isso, e quando termina tudo bem, melhor ainda.

    • Imparcial says:

      Ah, pois! Só se acaba tudo em bem!! Mas com terremoto de 8,4, que pânico V. sentiu enquanto o abanão durou??? E parece sempre que dura uma eternidade!! Só para quem gosta de filmes de terror, hehehe! E com a verdade de não ser um filme!!!

      • Tarcísio Medeiros says:

        É pq na verdade depende do tipo de terremoto. Os do Chile a terra vai de um lado pro outro, que é um terremoto menos agressivo (Do que por exemplo os que se movimentam cima-baixo, que foi o que atingiu a Itália). Tanto que minha preocupação maior foi mais pelo desconhecimento e por não saber direito da situação. Mas exceto pelo temor das réplicas, ao menos em Santiago minutos depois estava como se nada tivesse acontecido (Exceto pela minha mãe querendo me fazer voltar no próximo voo hahaha). Sem falar que em geral, o Chile é bem preparado pra terremotos, o que também diminui o estrago.

  • Edson Iahn says:

    Aruba e Curação são nota 10, água muito limpa e morna. Fui numa Lan house e paguei 1 dólar a hora de uso. As duas ilhas são colônias holandesas, mas o castelhano e a língua mais falada lá. Curação é muito moderna e organizada, com suas casas coloridas e tem uma ponte muita alta, para fotos é um show.

  • Adriana says:

    Camille boa tarde, estou querendo ir viajar com minha fanilia para Punta Cana agora em outubro, mas, estou um pouco preocupada com Furacões, pois me falaram que essa é a época. Por favor poderia me dar uma ajuda? Obrigada, Adriana

  • Imparcial says:

    O artigo está de acordo com a realidade! Há uns anos – e na IGNORÂNCIA total! – viajei de férias para a Colômbia (onde já tinha estado em serviço e, por isso, sem conseguir fazer turismo) em pleno mês de SETEMBRO!!! O pior mês de furacões! Pois, creiam ou não, nem em Bogotá ou Cali (terra firme) nem em Cartagena de Índias (na costa) tive sequer uma aragenzinha enquanto lá estive. Mas tive uma experiência com um furacão, de facto. Na viagem para lá o piloto teve de desviar consideravelmente a rota para fugir de um furacão que estava no caminho. Chegámos um bocado mais tarde, mas nem ao longe o vimos. E só soubemos do que se passara depois de aterrarmos.

  • Rosangela Petenuzzo says:

    Depois do que o furacão Irma fez na ilha de San Martin, Barbuda, Cuba e na Flórida acho que essa matéria deveria ser reescrita. Penso que quem vai passar férias no Caribe tem que se preocupar sim, com os furacões. O clima do planeta está mudando. Os turistas que estavam nessas ilhas devastadas que o digam.

  • Francieli Campos says:

    Estive em Cancun no final de julho, só peguei sol. Depende muito de onde você vai, como falei acima se quer ficar fora da rota tem que ir para as ilhas ABC. O mês da viagem só importa se você já souber o destino. Ir para Barbados é muito diferente de ir para Curaçao, por exemplo… Estive em novembro em San Andres e peguei muita chuva, 3 dias depois que saí teve um furacão que fechou o aeroporto. Fui para Aruba em outubro, 100% de sol e Bahamas em fevereiro, 100% de sol.

    • Bruna Correia says:

      Olá!! De todos os lugares do Caribe que você esteve, qual você mais gostou? Já fui pra Cancun e sonho com Bahamas ??

      • Francieli Campos says:

        Olha, são lugares com propostas muito diferentes. Cancun tem uma mega estrutura em função da grande quantidade de turistas norte-americanos, mas a praia em si, é ok. San Andrés é uma ilha de natureza sensacional, mas estrutura quase zero se comparada a Cancun, porque o turismo lá é mais do povo colombiano, sem grandes redes de hotéis, é um caribe de terceiro mundo no quesito estrutura, mas tem a vantagem de ser barato. Bahamas é lindíssimo, mas não é um local que eu voltaria. Mas a praia que eu certamente irei retornar é Aruba. Ilha maravilhosa, praias belíssimas, água quente (Bahamas fui em fevereiro, muito sol mas água fria), fora da rota de furacões, estrutura nota mil (pertence à Holanda), povo educado, muita coisa pra fazer e lugares para visitar. Eu amo mar e o de lá é perfeito, fiquei hospedada no Hotel Hilton, excelente custo-benefício. Fui à Cartagena também e estou retornando agora em novembro, mas não coloco na lista Caribe, porque a praia definitivamente não é o atrativo de lá, mas dessa vez tentarei ir em alguma das ilhas. Se quer mesmo conhecer Bahamas, sugiro que vá em algum cruzeiro, mas não vejo sentido em ficar hospedada uma semana lá…

        • Bruna Correia says:

          Jura? Nossa que balde de água fria kkkk
          Cancun eu amei! Amei a praia, achei sensacional, amei as atividades… Mas acho que vou pesquisar mais aruba mesmo então.. O fato de a água ser gelada foi o fator determinante das Bahamas pra você não gostar de lá?
          Você já foi pra Los Roques?
          San Andrés apesar das imagens belíssimas, não me atrai por não haver muita estrutura. Não sou muito aventureira kkkk
          Muito obrigada pelas dicas!

        • Magda Santos says:

          Para curtir as praias de Cartagena, tem sim que ir para pelo menos uma das ilhas de lá. A estrutura de lazer das ilhas é divina e o mar bonito está lá. Fui em novembro (2017) onde o mar não está com águas cristalinas. O periodo bom de ir, se não me engano, é abril, maio.

  • Marcelo Teixeira says:

    Tem uma informação totalmente errada em relação às datas. A temporada de furações de de JUNHO A NOVEMBRO!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *