logo Melhores Destinos

Chapada dos Veadeiros: 47 dicas imperdíveis para a sua viagem!

Monique Renne
Monique Renne
26/02/2021 às 21:45

Chapada dos Veadeiros: 47 dicas imperdíveis para a sua viagem!

A Chapada dos Veadeiros é o destino certo para quem busca dias de descanso, contato intenso com a natureza e pouca complicação. Em meio ao cerrado do estado de Goiás, a Chapada dos Veadeiros é um paraíso cercado de cachoeiras e cânions, onde a força das quedas d’água presenteia os viajantes com revigorantes banhos de energia. A região – que tem como principais cidades de apoio Alto Paraíso de Goiás, a Vila de São Jorge e Cavalcante – se tornou mais cobiçada entre os turistas depois que as águas azuis da Cachoeira Santa Bárbara passaram a ilustrar muitas fotos nas redes sociais.

Ainda que a Cachoeira Santa Bárbara seja mesmo maravilhosa, ela não é o único cenário dos sonhos e outros destinos te esperam por lá, entre eles o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Mergulhe fundo nas águas geladas do centro-oeste e aproveite cada minuto dessa fantástica viagem! Para te ajudar a desbravar mais um destino do Brasil, preparamos um post especial cheio de dicas, cachoeiras, pousadas e o tudo o que fazer na Chapada dos Veadeiros.

Chapada dos Veadeiros

Jardim de Maytrea

1- Onde fica a Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros está localizada no noroeste do estado de Goiás, distante 230 km de Brasília. A região, que engloba oito municípios do interior de Goiás, tem como principais bases de apoio para os turistas a cidade de Alto Paraíso de Goiás, a Vila de São Jorge e Cavalcante. Grande parte das atrações da região está concentrada nas três localidades, entre elas o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e quedas d’água espetaculares, como a Cachoeira Santa Bárbara, que se tornou famosa pela água em tons de azul Caribe.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

2- O que fazer na Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros é o destino perfeito para os amantes de natureza que buscam descanso, boas trilhas e deliciosos banhos de cachoeira. Sem falar, claro, no sempre espetacular pôr do sol que presenteia os viajantes em meio ao cerrado da região centro-oeste. Quem vai à Chapada dos Veadeiros contará com dezenas de opções de cachoeiras, muitas delas fora do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Além dos revigorantes banhos gelados, a Chapada dos Veadeiros reserva ainda aos viajantes outras experiências espetaculares, como um final de tarde no Jardim de Maytrea, banhos nas piscinas naturais de águas termais, e, para os mais alternativos, uma grande variedade de tratamentos místicos e holísticos. Sem falar nas deliciosas noites entre os bares, restaurantes e feirinhas da Vila de São Jorge e de Alto Paraíso, ou ainda a vida pacata e tranquila de Cavalcante e do território Kalunga. A Chapada dos Veadeiros é lugar para curtir sem pressa e onde a boa troca de energia é sempre bem-vinda!

Poço do salto de 80 m no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Poço do salto de 80 m no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

3- Cachoeiras da Chapada dos Veadeiros

As cachoeiras da Chapada dos Veadeiros são os grandes atrativos da região e cada uma delas é especial. Há cachoeiras com mais de cem metros de altura e outras que agradam pelas cascatas em sequências sem fim. Tem cachoeira com incríveis poços em tons de azul claro e outras com intenso verde esmeralda. Tem até cachoeira com poços que parecem extraterrestres ou, para sermos mais exatos, saídos da Lua. Visitar todas elas em uma mesma viagem é tarefa impossível. O importante mesmo é não abrir mão de um banho revigorante e aproveitar cada minuto.

É importante dizer que a água por lá é quase sempre bem gelada, porém, com o clima quase sempre quente, o mergulho é um grande prazer. Ao montar um roteiro pela Chapada dos Veadeiros para visitar diversas cachoeira é preciso ficar ligado na localização de cada uma delas. Muitas vezes a distância impede que várias sejam visitadas em um mesmo dia. Para ajudar a organizar a sua viagem, separamos as cachoeiras por proximidade com as principais bases, o que facilitará a escolha dos passeios em um mesmo dia e também ajudará na escolha da localização da sua pousada. 

Cachoeira Santa Bárbara

Cachoeira Santa Bárbara

4- Cachoeiras nos arredores da Vila de São Jorge

São Jorge é uma pequena vila localizada a apenas 37 km de Alto Paraíso. Com ar mais rústico e alternativo, ruas de terra e pousadas charmosas, São Jorge atrai quem busca um pouco mais de sossego em meio à Chapada. É em São Jorge que está localizada a entrada oficial do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, onde está a Trilha dos Santos, com passagem pelo Salto de 120 e o Salto de 80; a Trilha dos Cânions, com passagem pelos Cânions e Cachoeira da Carioca; a Travessia das Sete Quedas, com pernoite em camping dentro do parque; e a recém-inaugurada Trilha Carrossel, que leva a diversos mirantes e à Cachoeira Carrossel.

Além do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, a Vila de São Jorge conta com diversas outras atrações e algumas delas estão entre as mais famosas da região. A partir de São Jorge, será tranquilo conhecer o Vale da Lua, a espetacular trilha da Cachoeira do Segredo, as Cachoeiras Almécegas I e II, a Cachoeira São Bento, a Cachoeira Raizama e a Cachoeira Morada do Sol. Com um pouco de disposição, vale investir também na trilha que leva ao Mirante da Janela, com visita à Cachoeira do Abismo (com água apenas no período de chuva). Para relaxar, vale ainda um bom banho nos parques de águas termais, como o Eden, ou um percurso de boia cross no Vale Dourado.

5- Cachoeiras nos arredores de Alto Paraíso

A cidade de Alto Paraíso de Goiás é a base mais famosa e que atrai a maior parte dos turistas da Chapada dos Veadeiros. Bem próxima de São Jorge, Alto Paraíso acaba dividindo com a vila muitas das atrações que estão na estrada de ligação entre elas, como a Cachoeira São Bento, as Cachoeiras Almécegas I e II e o Vale da Lua. A partir de Alto Paraíso, além das cachoeiras que estão também na rota de São Jorge, não deixe de passar um dia na espetacular Catarata dos Couros, onde uma deliciosa sequência de quedas e poços agrada em cheio aos turistas que buscam belas paisagens.

Vale também percorrer a trilha com diversas quedas na Cachoeira dos Cristais, os poços de águas transparentes das Cachoeiras Loquinhas e dar um mergulho caprichado na Cachoeira Poço Encantado. As três são boas pedidas para quem procura acesso fácil e infraestrutura para passar o dia. Já quem busca mais aventura certamente irá gostar das Cachoeiras Macaquinhos, das Cachoeiras Anjos e Arcanjos e da trilha da Cachoeira Sertão Zen. Boas pedidas para ir mais a fundo na Chapada dos Veadeiros.

6- Cachoeiras nos arredores de Cavalcante

Cavalcante é a base mais distante para quem pretende explorar as cachoeiras mais famosas da Chapada dos Veadeiros. Com infraestrutura turística incipiente, Cavalcante tem poucas pousadas e restaurantes se comparada a Alto Paraíso e São Jorge. Ainda que pareça contramão ir até lá (são 100 km a partir de Alto Paraíso), Cavalcante tem uma das atrações mais espetaculares da Chapada: a Cachoeira Santa Bárbara. Com incrível água azul claro, que mais parece uma piscina, Santa Bárbara ganhou fama e hoje é cenário certo para lindas fotos dos viajantes.

Apesar da fama, a Cachoeira Santa Bárbara não é a única de Cavalcante. Vale dividir o tempo também com a Cachoeira Candaru e a Cachoeira da Capivara (as duas no mesmo roteiro da Santa Bárbara) e ficar um dia a mais para conhecer as lindas quedas das Cachoeiras do Complexo do Prata, que competem bem em beleza com a Santa Bárbara. Com um tempinho a mais, será possível ainda visitar a Cachoeira Santa Maria, a Cachoeira São Bartolomeu, a Cachoeira Veredas e a Cachoeira Poço Encantado (no meio do caminho para Alto Paraíso).

7- Melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros

É impossível conhecer todas as cachoeiras da Chapada dos Veadeiros em apenas uma viagem. Então vale fazer uma listas com as mais procuradas pelos viajantes que passam por lá e também as que você gostaria de conhecer. Claro que outras cachoeiras não tão famosas também merecem a sua visita, por isso listamos algumas das nossas favoritas com todos os detalhes que você precisa saber para curtir cada uma delas!

Salto de 120 m visto a partir do Mirante da Janela/ Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Salto de 120 visto a partir do Mirante da Janela. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

8- Saltos do Rio Preto – Salto de 120 e Salto de 80 – Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Parte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, os saltos e corredeiras do Rio Preto formam um dos mais exuberantes passeios da região. Conhecido como Trilha dos Saltos, esse roteiro inclui um mirante que permite lindo visual para o Salto de 120 e outro para o Salto de 80, onde também é possível tomar um delicioso banho! Os nomes dos saltos é devido às suas alturas: 120 metros e 80 metros.

Além dos saltos, também estão no roteiro as Corredeiras do Rio Preto. Serão 10 km de trilha (ida e volta) percorrendo o intenso cerrado que recobre o parque nacional. A dificuldade não é alta, mas certamente não é um percurso para quem não tem nenhum preparo físico. A boa notícia é que os turistas com dificuldade de locomoção poderão solicitar acesso de carro ao trecho das corredeiras. Assim o banho está garantido a todos! Veja mais sobre a Trilha dos Saltos.

Salto de 120 m no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Salto de 120 m visto a partir do mirante no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

  • Acesso a partir de São Jorge;
  • Trilha de nível fácil a médio – 10 km ida e volta;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 18 por pessoa.
Salto de 80 m no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Salto de 80 m no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

9- Cânions e Cachoeira das Cariocas – Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Um dos maiores clássicos da Chapada dos Veadeiros, a Trilha dos Cânions agrada em cheio aos turistas que buscam paisagens arrebatadoras. Parte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e com trajeto total de 12 km (ida e volta), a Trilha dos Cânions tem como principais atrações o Cânion II e a Cachoeira das Cariocas. A trilha, apesar de longa, não tem grandes declives e pode ser percorrida tranquilamente por visitantes sem grande preparo físico.

O visual do cerrado ao longo do passeio ajuda a passar o tempo e cada minuto em meio à natureza será um grande presente. Durante a trilha será possível curtir o visual e tomar um bom banho no grande poço do Cânion II e também se deliciar sobre as incontáveis quedas d’água da Cachoeira Carioquinhas (ou Cachoeira das Cariocas). Veja mais sobre a Trilha dos Cânions e Cachoeira das Cariocas.

  • Acesso a partir de São Jorge;
  • Trilha de nível fácil a médio – 10 km ida e volta;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 18 por pessoa.
Cânion Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Cânion no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

10- Cachoeira do Segredo

O nome da Cachoeira do Segredo já é um grande atrativo para conhecê-la, mas o que desperta mesmo a vontade dos viajantes para irem até lá são as lindas fotos da queda d’água com cerca de 100 metros em meio a um mágico paredão de pedra repleto de verde, mas não só isso: a trilha para a Cachoeira do Segredo está entre as mais bonitas da Chapada dos Veadeiros. Com diversas passagens por dentro de rios, o caminho ganha ares de conto de fadas, com paisagens encantadoras a cada metro de caminhada.

No percurso, há diversas paradas para banho em piscinas naturais, sendo a melhor delas uma deliciosa prainha com piscina transparente, decks de madeira e muito sol para aquecer o corpo. A trilha é bem sinalizada, quase toda em mata com sombra e poucos desníveis. Há cordas que auxiliam a passagem pelos rios e setas que indicam o caminho até a parada final, onde está a cachoeira. Veja mais sobre a Cachoeira do Segredo.

Cachoeira do Segredo

Cachoeira do Segredo

  • Acesso a 11 km de São Jorge;
  • Trilha de nível fácil a médio – 9 km ida e volta (na seca) e 16 km ida e volta (se o rio estiver cheio);
  • Não é obrigatório guia;
  • O ingresso pode ser adquirido em agência de turismo em São Jorge ou no estacionamento de acesso à trilha. O custo é entre R$ 35 e R$ 40 por pessoa, a depender do local da compra.

11- Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo

Destino de quem busca um lindo cenário e aquela foto especial, o Mirante da Janela atrai cada dia mais turistas na Chapada dos Veadeiros. As pedras, no alto da montanha, formam um linda janela natural com vista para o Salto de 120 metros do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Um visual inesquecível e arrebatador. De quebra, o caminho (no período da chuva) ainda reserva uma visita à Cachoeira do Abismo.

A Trilha do Mirante da Janela não está entre as mais fáceis da Chapada dos Veadeiros, mas também não é nada impossível de ser percorrida. O trajeto, ida e volta, tem cerca de 8 km de distância e se alterna entre trechos de níveis fácil e difícil. Vale dizer que o banho no caminho, na Cachoeira do Abismo, só é possível quanto tem água, o que não acontece nos meses de maior seca na região. Se for o caso, a trilha será recompensada somente pelo lindo visual do Salto de 120. Veja mais sobre o Mirante da Janela.

Mirante da Janela / Foto: Daniel Scheck

Mirante da Janela / Foto: Daniel Scheck

  • Acesso a partir de São Jorge;
  • Trilha de nível médio – 8 km ida e volta;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 15 por pessoa.

12- Vale da Lua

O Vale da Lua está entre as paisagens mais famosas da Chapada dos Veadeiros e também entre as atrações mais visitadas da região. O lugar já foi cenário de seriados e filmes e todos os dias serve de pano de fundo para fotos espetaculares. Difícil não se encantar com as pedras lapidadas pela água do Rio São Miguel, que desce desenhando as formas inusitadas do Vale da Lua. Com uma grande sequência de corredeiras e caldeirões, o Vale da Lua se torna um lugar delicioso para curtir durante o período da seca.

Já na temporada de chuvas, o Vale se torna um bocado arriscado para banhos e o espaço fica com diversos pontos inacessíveis ao turismo. Quando ocorre cabeça d’água, o risco de acidentes é grande e os caldeirões formam grandes liquidificadores. É preciso atenção redobrada ao visitar o Vale da Lua na época da chuva. Já na seca, o lugar se torna uma deliciosa piscina, com prainhas à beira das corredeiras que são um convite a curtir sem pressa. Veja mais sobre o Vale da Lua.

Vale da Lua

Vale da Lua

  • Acesso a 9 km de São Jorge;
  • Trilha de nível fácil, com apenas 1200 m de caminhada (ida);
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 20 por pessoa.

13- Cachoeiras Almécegas I e Almécegas II

As Cachoeiras Almécegas I e Almécegas II formam uma deliciosa dobradinha de passeio, que vale ser extendido ainda à Cachoeira São Bento, também na mesma propriedade. A Cachoeira Almécegas I é a mais imponente entre elas e oferece um dos mais belos cenários da Chapada dos Veadeiros, sendo que durante a trilha é possível vê-la do alto de um lindo mirante e, ao final, você será recompensando com um delicioso banho nas diversas quedas d’água.

A Cachoeira Almécegas I, com 45 m de altura, tem poço bem profundo e alguns turistas até se aventuram a saltar das pedras que já são marca registrada do lugar. A irmã menor, Almécegas II, ajuda a formar o belo roteiro para um dia de passeio e é um convite a relaxar, já que tem um grande poço e quedinhas convidativas no melhor estilo massagem natural. Veja mais sobre as Cachoeiras Almécegas I e Almécegas II.

Cachoeira Almécegas I

Cachoeira Almécegas I

  • Acesso a 8 km de Alto Paraíso;
  • Para a Cachoeira Almécegas I serão apenas 2 km de trilha (ida e volta), mas tem um subidão no retorno. Já para a Cachoeira Almécegas II serão 600 m de trilha fácil (ida e volta);
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 40 por pessoa (incluso a visita a Almécegas I, Almécegas II e Cachoeira São Bento).
Cachoeira Almécegas II

Cachoeira Almécegas II

14- Cachoeira São Bento

Uma das mais populares e acessíveis atrações da Chapada dos Veadeiros, a Cachoeira São Bento é uma boa pedida para quem busca pouco esforço aliado a um lindo visual. Localizada entre Alto Paraíso e a Vila de São Jorge, São Bento facilita muito a vida do turista que não deseja ir longe demais. O complexo onde está a Cachoeira São Bento conta ainda com a Cachoeira Almécegas I e a Cachoeira Almécegas II. A Cachoeira São Bento tem acesso muito fácil e por isso é procurada por pessoas de todas as idades e graus de habilidade física. O poço principal é bem grande e a pequena queda d’água, com 6 m, fica ao fundo. Nadar até lá exige um pouco de fôlego, mas nada que seja impossível. Quem não tem habilidade para natação poderá usufruir das pequenas quedas d’água, onde o rio segue o curso. Veja mais sobre a Cachoeira São Bento.

Chapada dos Veadeiros cachoeiras

Cachoeira São Bento

  • Acesso a 8 km de Alto Paraíso;
  • Trilha de nível fácil, com 600 m ida e volta;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 15 se a visita for só para a São Bento ou R$ 40 incluso também a visita a Almécegas I e Almécegas II.

15- Catarata dos Couros

A Catarata dos Couros é indicada para quem deseja fugir do movimento das atrações mais populares da Chapada dos Veadeiros. A grande quantidade de atrações em uma trilha tão pequena é o que faz da Catarata dos Couros um destino tão especial. E como o caminho segue sempre pela margem do Rio dos Couros, você poderá curtir incontáveis banhos em águas transparentes que formam piscinas deliciosas.

Poços ao longo da trilha da Catarata dos Couros

Poços ao longo da trilha da Catarata dos Couros

Durante a trilha, as principais atrações da Catarata dos Couros são a Cachoeira da Muralha e a Cachoeira Almécegas 1000, mas há diversos pontos sem nomes que também merecem atenção. Com trilha de nível fácil e muitos pontos de parada para visitação, é o tipo de roteiro que agrada a quem busca passeios que tomam um dia inteiro sem repetir um ponto de banho sequer. A depender da beleza deste roteiro, ele tem tudo para se tornar um dos mais procurados da Chapada dos Veadeiros. Chegar à Catarata dos Couros não é difícil, mas a falta de sinalização na estrada faz com que um aplicativo de locomoção (como o Google Maps) e um de trilha (como o Wikiloc) sejam necessários para o passeio (caso você não queira contratar um guia). Veja mais sobre a Catarata dos Couros.

Almécegas 1000

Almécegas 1000

  • Acesso a 53 km de Alto Paraíso, sendo que 18 km são de asfalto pela GO-118 (sentido Brasília) e mais 35 km em estrada de terra;
  • Trilha de nível fácil a médio, com 6 km ida e volta;
  • Não é obrigatório guia, mas é recomendado para quem não tem habilidade e costume de fazer trilhas, já que o local é mal sinalizado;
  • Ingresso: Não há cobrança de ingressos, no entanto há a prática de vigia de carros no estacionamento. A cobrança é ilegal e o pagamento não é obrigatório. 

16- Cachoeira dos Cristais

A Cachoeira dos Cristais é ideal para toda a família e para quem não abre mão de infraestrutura, sendo também uma excelente pedida para dias em que não se deseja grandes deslocamentos ou muita atividade física nas trilhas. Com diversos poços e quedas d’água para banho, a Cachoeiras dos Cristais oferece diferentes experiências a cada passo da trilha. Tem queda d’água com poço que parece piscina, outras que parecem hidromassagens, quedas em meio à vegetação fechada e cenários dignos de livros de história.

O percurso é por um trilha única com diversas saídas à direita. Cada saída leva a uma nova surpresa. Não deixe de passar por elas. A última das quedas d’água, e principal atração da trilha, é a Cachoeira Véu de Noiva, formada por diversas quedas que são deliciosas para banho. O poço é raso e por isso é ideal para quem não sabe nadar ou tem medo de cachoeiras mais violentas. Boa pedida também para crianças. O percurso total é curto e bem fácil de ser percorrido. As bifurcações para as quedas d’água não exigem longas caminhadas e os desvios são rápidos. Depois do banho, aproveite o restaurante e o convidativo jardim pra um bom descanso. Veja mais sobre a Cachoeira dos Cristais.

Cachoeira dos Cristais

Cachoeira dos Cristais

  • Acesso a 8 km de Alto Paraíso;
  • Trilha de nível fácil, com 1k m ida e volta e diversas saídas no caminho para outros atrativos;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 20 por pessoa
Gramado no restaurante da Cachoeira dos Cristais

Gramado no restaurante da Cachoeira dos Cristais

17- Cachoeiras Loquinhas

O complexo de cachoeiras da Fazenda Loquinhas é um dos mais indicados para famílias com crianças. Com dezoito poços e quedas d’água com cor de esmeralda, o circuito da Fazenda Loquinhas oferece trilha com excelente infraestrutura, acesso fácil, diversas opções para banho e simpáticos macaquinhos soltos na natureza, que acompanham os turistas e dão espetáculo para fotos. O trajeto total conta com três trilhas — a Trilha Violeta, a Trilha Loquinhas e a Trilha Ruby — e pode ser feito calmamente com várias paradas para banho.

É uma boa pedida para aliar a outras cachoeiras ou para aquele dia em que tudo o que se deseja é um passeio fácil e sem grandes obrigações. É importante dizer que os fãs de grandes quedas d’água não irão gostar muito da Loquinhas. Se o que você procura é aventura e uma boa trilha de nível mais avançado, melhor escolher outra atração da Chapada dos Veadeiros. Na Fazenda Loquinhas, as trilhas são em palafitas de madeiras, com percursos autoguiados e muito bem sinalizados. Ideal para famílias com crianças. Veja mais sobre as Cachoeiras Loquinhas.

Cachoeiras Loquinhas Chapada dos Veadeiros

Cachoeiras Loquinhas

  • Acesso a 4,4 km de Alto Paraíso;
  • Trilha de nível fácil, com 2,2 km (ida) e diversas saídas no caminho para outros atrativos;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 30 por pessoa

18- Cachoeira Poço Encantado

Localizada no caminho entre Alto Paraíso e Cavalcante, a Cachoeira Poço Encantado é ideal para quem está viajando entre as duas cidades base da Chapada dos Veadeiros, mas não abre mão de um banho no caminho. Com excelente infraestrutura para receber os visitantes e fácil acesso pela GO-118, o Poço Encantado agrada especialmente às famílias e aos turistas que não abrem mão de serviço. No Poço Encantado há restaurante, lanchonete, banheiros, pousada e até aluguel de pranchas de SUP para curtir dentro da água.

Claro que a infraestrutra agrada a muita gente, mas a grande estrela do Poço Encantado é mesmo a cachoeira. A queda, com 38 metros de altura, divide-se em várias à medida que desce o paredão de pedra e proporciona um belo espetáculo. De quebra, ainda há uma prainha com areia à beira da cachoeira que agrada em cheio às crianças. As sombras das árvores completam o cenário, ideal para passar o dia todo tranquilo com a família. Veja mais sobre a Cachoeira Poço Encantado.

Cachoeira Poço Encantado

Cachoeira Poço Encantado

  • Acesso a 52 km de Alto Paraíso;
  • Praticamente não há trilha;
  • Não é obrigatório guia;
  • Ingresso: R$ 20 por pessoa.

19- Cachoeira Santa Bárbara

Queridinha entre os turistas, a Cachoeira Santa Bárbara já se tornou uma das principais atrações da Chapada dos Veadeiros. A água, com intensos tons de azul claro, dá um certo ar de Caribe ao lugar. A cachoeira não é muito alta e tem apenas 30 metros, entretanto a beleza do poço que cerca a queda d’água é mesmo de apaixonar. Em dias de água perfeita, a transparência é capaz de causar comoção entre os amantes do mergulho e, claro, de fotografias. Prepare a câmera! Na Santa Bárbara será irresistível tirar muitas fotos. Vale dizer durante a trilha há outra cachoeira menor, conhecida como Cachoeira Santa Barbarinha, atração que antecede a Cachoeira Santa Bárbara e que dá uma pequena ideia do que está por vir. A cachoeira é uma mini Santa Bárbara. A água tem tons semelhantes, mas o poço e a queda d’água são bem menores.

Chegar à Cachoeira Santa Bárbara não está entre as tarefas mais fáceis da Chapada dos Veadeiros. Localizada a 120 km de Alto Paraíso, na cidade de Cavalcante, a Santa Bárbara exige tempo e desapego dos turistas. E quando falamos em desapego, estamos nos referindo ao carro, que sofre um bocado nas estradas de terra de péssima qualidade que levam até o povoado Kalunga Engenho II, porta de entrada para quem deseja visitar a Cachoeira Santa Bárbara, a Cachoeira Capivara e a Cachoeira Candaru. Veja mais sobre a Cachoeira Santa Bárbara.

Trilha para a Cachoeira Santa Bárbara

Trilha para a Cachoeira Santa Bárbara

Dica! Para aproveitar melhor a cachoeira com água em intenso azul, tente fazer o passeio ao meio-dia, quando o sol bate diretamente na água. Fique ligado ao tempo de visitação, que em dias movimentados é limitado a 1h por grupo. Se viajar em alta temporada, dê preferência ao início da manhã, quando é mais tranquilo. Na Cachoeira Santa Barbarinha não há limite de tempo e você poderá curtir a água transparente com mais calma.

  • O acesso à Cachoeira Santa Bárbara é pelo povoado Kalunga Engenho II, localizado a 27 km do centro de Cavalcante. A estrada final é de péssima qualidade e exige um bocado dos carros. É possível pagar um transfer que faz a parte final do trajeto por R$ 20 (ida e volta).
  • Trilha de nível fácil, com 1500 m de caminhada leve (só ida);
  • É obrigatório guia, que pode ser contratado no CAT do povoado Kalunga Engenho II e permite grupos de até 6 pessoas pelo custo de R$ 100 (para Santa Bárbara e Capivara) ou R$ 150 (incluindo também a Candaru);
  • Ingresso: R$ 20 por pessoa, sendo possível comprar o pacote que também inclui a Cachoeira da Capivara e a Cachoeira Candaru. Cada cachoeira a mais custará R$ 10.

20- Cachoeira da Capivara

A Cachoeira da Capivara faz parte do combo de cachoeiras do território Kalunga Engenho II, onde está também a Cachoeira Santa Bárbara e a Cachoeira Candaru. A Capivara conta com um lindo conjunto de quedas d’água, com 40 metros de altura, e um grande poço de água transparente para banho. O poço tem trechos rasos e profundos, por isso é importante ficar atento na hora de nadar. Os arredores são todos de pedra e você terá que buscar um cantinho mais confortável para se esticar ao sol depois do banho. No alto da cachoeira, a piscina é mais rasa e também há uma pequena queda d’água. Ao pôr do sol, o topo da Capivara ganha contornos ainda mais bonitos. E, diferente da Cachoeira Santa Bárbara, o tempo para curtir esse paraíso é livre! Sendo assim, aproveite até o finalzinho da tarde. Veja mais sobre a Cachoeira da Capivara.

Cachoeira da Capivara Cachoeira Santa Bárbara

Cachoeira da Capivara

  • O acesso à Cachoeira da Capivara é pelo povoado Kalunga Engenho II, localizado a 27 km do centro de Cavalcante;
  • Trilha de nível fácil, com 1.600 m de caminhada (ida e volta), sendo que há uma descida íngreme ao final;
  • É obrigatório guia, que pode ser contratado no CAT do povoado Kalunga Engenho II e permite grupos de até 6 pessoas pelo custo de R$ 100 (para Santa Bárbara e Capivara) ou R$ 150 (incluindo também a Candaru);
  • Ingresso: R$ 10 por pessoa, sendo possível comprar o pacote que também inclui a Cachoeira Santa Bárbara e a Cachoeira Candaru por R$ 40.

21- Cachoeira Candaru

A Cachoeira Candaru é um daqueles segredinhos ainda bem guardados na Chapada dos Veadeiros. Apesar de fazer parte da mesma rota da Cachoeira Santa Bárbara e da Cachoeira da Capivara, próximas ao povoado Kalunga Engenho II, em Cavalcante, a Cachoeira Candaru não é muito visitada devido ao tempo corrido. Podemos garantir, no entanto, que ela está entre as mais bonitas da Chapada dos Veadeiros.

A Cachoeira Candaru é formada por uma linda queda d’água com cerca de 70 metros de altura, que cai em um grande poço de água verde e transparente. Uma delícia para nadar em meio à exuberante natureza que cerca o lugar. Uma banheira de hidromassagem se forma aos pés da cachoeira e faz da Candaru uma atração ainda mais especial. É preciso força para vencer a água e subir até o banheirão, contudo, uma vez aos pés da queda d’água, você só precisará curtir! Veja mais sobre a Cachoeira Candaru.

Cachoeira Candaru na Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Candaru

  • O acesso à Cachoeira Candaru é pelo povoado Kalunga Engenho II, localizado a 27 km do centro de Cavalcante. O acesso final por estrada de terra é possível apenas para carros com tração, pois há trechos muito íngremes, onde carros comuns não conseguem subir. Em períodos de alta temporada, há um carro que faz o transfer até bem próximo da cachoeira (custo de R$ 20 por pessoa);
  • Caso não haja transfer disponível, a caminhada final pode ser feita pela mesma estrada dos carros (4 km ida e volta) ou pela trilha no interior da mata (3 km ida e volta). Nas duas opções, o esforço será o mesmo;
  • • É obrigatório guia, que pode ser contratado no CAT do povoado Kalunga Engenho II e permite grupos de até 6 pessoas pelo custo de R$ 100 ou R$ 150 (incluindo Santa Bárbara e Capivara);
  •  Ingresso: R$ 10 por pessoa, sendo possível comprar o pacote que também inclui a Cachoeira Santa Bárbara e a Cachoeira da Capivara por R$ 40.
Cachoeira Candaru Cachoeira Santa Bárbara

Cachoeira Candaru

22- Cachoeiras do Prata

Ainda pouco explorado pelos turistas que vão a Cavalcante, o roteiro das Cachoeiras do Prata chamam cada dia mais atenção pela beleza. Com águas extremamente transparentes e de tom esmeralda, o Rio da Prata forma diversas quedas e corredeiras ao longo de uma trilha de 14 km (ida e volta). A principal delas é a Cachoeira do Prata, que conta com enorme poço para banho em intenso tom de verde. Os paredões que cercam a Cachoeira do Prata formam lindos jardins verticais e o verde da água se mistura lindamente ao da mata. O banho no poço é delicioso e vale cada quilômetro da caminhada. 

Além dela, vale curtir também a Cachoeira Pratinha e o visual para a Cachoeira Urubu. O trajeto é permeado de deliciosas opções para banho e não faltarão paradas para um bom refresco. É uma das mais belas trilhas da Chapada dos Veadeiros e, apesar da distância, não tem alto grau de dificuldade. Assim como a Cachoeira Santa Bárbara, para visitar as Cachoeiras do Prata é obrigatória a contratação de guia. O valor médio, para grupos de até cinco pessoas, é R$ 180, sendo que há ainda a cobrança de taxa de visitação de R$ 20 por pessoa. Veja mais detalhes sobre as Cachoeiras do Prata.

Cachoeira Rei do Prata na Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Rei do Prata

  • O acesso às Cachoeiras do Prata está distante 60 km de Cavalcante e a estrada de terra é de qualidade bem ruim. Use aplicativos de locomoção, como o Google Maps (busque por “entrada da Cachoeira do Prata”) e o Wikiloc para encontrar a estrada exata. A partir de Cavalcante, o caminho começa pela GO-241 e segue por 40 km até uma bifurcação. A estrada continua para a esquerda e o acesso para as cachoeiras estará à direita da pista. A partir desse ponto, serão mais 20 km até a entrada para o acesso às cachoeiras, sinalizado à direita da pista;
  • Trilha de nível médio, com 14 km (ida e volta), sendo que há diversas paradas para banho;
  • É obrigatório guia, que pode ser contratado no CAT do povoado Kalunga Engenho II, em Cavalcante ou no CAT de Alto Paraíso. O custo médio é R$ 180 para grupos de até 5 pessoas;
  • Ingresso: R$ 20 por pessoa.
Rei do Prata

Cachoeiras Pratinha

23- Outras cachoeiras da Chapada dos Veadeiros que merecem a sua visita

Uma dobradinha que faz sucesso entre os turistas que não desejam passeios com muito esforço é a Cachoeira Morada do Sol com a Cachoeira Raizama, próximas a São Jorge. As duas são vizinhas e boas opções para quem não quer ir longe demais ou encarar grandes trilhas. Ambas têm acesso por trilha fácil com trajetos de apenas 2,4 km. Se a pedida for apenas relaxar, vale experimentar o passeio de boia cross no Vale Dourado, com descida pelas corredeiras do Rio dos Couros. Quem também faz sucesso em dias em que o que se deseja é descansar são os banhos de águas termais, como o Eden, onde a água é menos gelada e o banho delicioso. Ótimo para relaxar depois das trilhas.

Se a vontade for de um roteiro mais difícil ou se a ideia for fugir um pouco do movimento de turistas, experimente ir às Cachoeiras Macaquinhos, às Cachoeiras Anjos e Arcanjos ou fazer a trilha da Cachoeira Sertão Zen. Mais afastadas de Alto Paraíso e com percursos de trilha que chegam ao nível médio de dificuldade, essas cachoeiras garantem o baixo número de visitantes, o que permite curti-las com mais tranquilidade. Macaquinhos está distante 33 km de Alto Paraíso e conta com mais de vinte quedas d’água e poços em trilha que segue por 2 km margeando o Rio Macaquinhos. O passeio tem custo de R$ 30 por pessoa e rende o dia todo.

As Cachoeiras Anjos e Arcanjos — localizadas a apenas 13 km de Alto Paraíso — se destacam pelas duas quedas principais e, apesar da trilha curta, chegar às cachoeiras exige habilidade e fôlego nas subidas e descidas. O ingresso, por pessoa, tem custo de R$ 15. Sertão Zen, entre as cachoeiras da Chapada dos Veadeiros, é uma das que exige melhor preparo físico. São quase 20 km de caminhada até chegar ao mirante de onde se vê a cachoeira. Vale dizer que essa trilha é gratuita, porém mal sinalizada. Caso deseje percorrê-la, é recomendada a contratação de um guia.

Ainda para quem gosta de longas trilhas, no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros há também a Travessia das Sete Quedas, trilha dedicada especialmente a quem deseja fazer um pernoite no parque e curtir a natureza mais intensamente. São 23 km de caminhada e é preciso agendar o trajeto com antecedência, já que o camping comporta apenas 30 pessoas.

São João da Aliança, município que também faz parte da Chapada dos Veadeiros, ainda está engatinhando no turismo e por isso é pouco procurado pelos viajantes. Se quiser investir em uma parada no caminho de Brasília até a Chapada, vale conferir a grandiosa Cachoeira do Label; a trilha que leva ao Cânion Bocaina do Farias, com direito a lindo percurso e mergulhos em águas em meio aos paredões de rochosos; além da Cachoeira do Buracão e da Cachoeira do Fundão, as duas no Vale do São Pedro.

Cachoeira Poço Encantado na Chapada dos Veadeiros

Cachoeira Poço Encantado

24- Melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros para ir com criança

  • Loquinhas
  • Cristais
  • Poço Encantado
  • São Bento
  • Almécegas II

25- Melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros para quem gosta de trilha

  • Cachoeira do Segredo
  • Trilha das Sete Quedas
  • Saltos 120 m e 80 m
  • Rei do Prata
  • Sertão Zen
  • Mirante da Janela

26- Melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros para quem quer uma linda foto

  • Santa Bárbara
  • Mirante da Janela
  • Vale da Lua
  • Catarata dos Couros
  • Almécegas I

27- Melhores cachoeiras da Chapada dos Veadeiros para fugir do movimento

  • Candaru
  • Catarata dos Couros
  • Macaquinhos
  • Rei do Prata
  • Anjos e Arcanjos
Catarata dos Couros na Chapada dos Veadeiros

Catarata dos Couros

28- Pontos turísticos da Chapada dos Veadeiros além das cachoeiras

As cachoeiras e lindas paisagens que as cercam são as principais atrações da Chapada dos Veadeiros, mas se o que você busca é um rápido intervalo nos banhos gelados, há alguns lugares que merecem a sua visita. A começar por Alto Paraíso e São Jorge, duas das principais bases para quem pretende explorar a Chapada dos Veadeiros. São Jorge é porta de entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, enquanto Alto Paraíso é a base mais movimentada e com maior número de turistas. As duas merecem a visita, não só pelas cachoeiras, mas por terem clima delicioso para um passeio ao final de tarde ou ao anoitecer. Além das duas cidades, vale investir em uma parada para apreciar o Jardim de Maytrea, o Morro da Baleia e até para fazer a clássica foto no estradão que leva a São Jorge.

Pôr do sol com os chuveirinhos do Cerrado

Jardim de Maytrea

29- Vila de São Jorge

São Jorge é uma vila charmosa, bem alternativa, com grande produção de arte e artesanato e bons restaurantes para recuperar as forças depois de um passeio. As pousadas de lá seguem a linha charme rústico e o clima místico impera no ar. Nos arredores de São Jorge, vale subir até o mirante conhecido como Aeroporto de Discos Voadores para apreciar o belo pôr do Sol. O aeroporto, como é conhecido, marca o início da trilha que leva até o Mirante da Janela. Um dos pontos altos da Chapada dos Veadeiros para quem busca uma boa foto.

Clima da vila de São Jorge na Chapada dos Veadeiros

Clima da vila de São Jorge

30- Alto Paraíso de Goiás

Alto Paraíso é a cidade mais famosa e movimentada de toda a Chapada dos Veadeiros. É lá também onde está a melhor infraestrutura turística. Há grande oferta de pousadas, restaurantes e agências de turismo que oferecem passeios. Uma voltinha pela cidade é uma delícia e vale caminhar pela Av. Ary Valadão Filho, ver as lojinhas de artesanatos nos arredores da Praça do Artesão e visitar a Feira do Produtor Rural. Outra boa pedida é conhecer alguns dos centros de tratamento alternativo que existem por lá. Há diversas vertentes e, se estiver no clima, você encontrará uma que combine mais com você. 

Alto Paraíso

31- Jardim de Maytrea e Morro da Baleia

A paisagem que cerca a Chapada dos Veadeiros pode ser bem resumida na beleza do Jardim de Maytrea. Localizado às margens da GO-239, esse campo aberto de cerrado é permeado de buritis, chuveirinhos e montanhas grandiosas que dão o tom da imensidão desse paraíso no interior de Goiás. Aproveite um final de tarde para se deliciar com o pôr do sol em meio a esse pedaço mágico da Chapada. Observe a forma do Morro da Baleia, o imponente Morrão e a estrada que parece levar direto para dentro do entardecer.

Não deixe de registrar os raios de sol que passam entre as delicadas flores nos campos de chuveirinho e, se o tempo permitir, fique até o anoitecer, quando a Via Láctea aparece imponente em meio à escuridão da área preservada. O Jardim de Maytrea faz parte da área de proteção do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros que está cercada para recuperação após o grande incêndio que atingiu a região em 2016. Mesmo do lado de fora, será fácil entender a riqueza que esse pedacinho da Chapada guarda. É comum, especialmente ao final da tarde, ver filas de carros parados à beira da rodovia para apreciar o Jardim de Maytrea durante a golden hour.

Jardim de Maytrea na Chapada dos Veadeiros

Jardim de Maytrea

32- Como chegar à Chapada dos Veadeiros

Brasília é a cidade com aeroporto mais próximo para quem está em outros estados, já que não há aeroportos nos arredores da Chapada dos Veadeiros. A partir do Aeroporto Internacional de Brasília será fácil alugar um carro para pegar a estrada até a Chapada dos Veadeiros ou ir de ônibus até Alto Paraíso de Goiás. A partir de Alto Paraíso, serão mais 36 km até a vila de São Jorge e 90 km até Cavalcante. Outra opção de aeroporto, esse já não tão próximo, é o Aeroporto de Goiânia, localizado a 425 km de Alto Paraíso e com passagem via terrestre por Brasília. Podemos adiantar que um carro será bem útil na Chapada dos Veadeiros para chegar às principais cachoeiras do roteiro. Sendo assim, essa é a melhor maneira de viajar até a Chapada dos Veadeiros.

Dicas Chapada dos Veadeiros

Alto Paraíso de Goiás

Como chegar a Alto Paraíso de carro saindo de Brasília

A estrada que liga Brasília à Chapada dos Veadeiros é muito boa e foi recentemente recuperada. O trajeto para Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante é 100% asfaltado e a viagem será bastante tranquila. A estrada que liga Brasília à Chapada dos Veadeiros é a BR-010. Serão 235 km a partir do Aeroporto Internacional de Brasília até a cidade de Alto Paraíso de Goiás. O trajeto leva, em média, 3h50. A estrada é bem conservada, sem buracos e com pouco trânsito de caminhões.

Como chegar a Alto Paraíso de ônibus

Para quem não pretende alugar carro, a melhor opção para chegar à Chapada dos Veadeiros é fazer o trajeto da Rodoviária Interestadual de Brasília até Alto Paraíso de Goiás. Não há ônibus direto até São Jorge ou Cavalcante. Para ir às duas cidades, será obrigatória uma parada em Alto Paraíso. O trajeto, a partir de Brasília, é operado pela Real Expresso. O trecho tem custo aproximado de R$ 52 e há, em média, três ônibus por dia, sendo um pela manhã e dois à noite. A viagem tem duração aproximada de 4h30.

Carona solidária para Alto Paraíso

É bem comum entre os frequentadores da Chapada dos Veadeiros a carona solidária. Há até comunidades no Facebook que organizam o esquema entre os turistas e motoristas, como o Conexão Chapada e o Carona Solidária Chapada dos Veadeiros. Outra opção para os caroneiros é usar o serviço de aplicativos como o Blá Blá Car. Nós não usamos nenhum dos serviços de carona, por isso não podemos dar mais detalhes. Entretanto, é bem comum por lá a prática dos caroneiros. Na dúvida, entre em contato com a pousada para ter indicação de motoristas confiáveis. O valor da carona varia de R$ 35 a R$ 50.

Mirante em São Jorge na Chapada dos Veadeiros

Mirante em São Jorge

Como chegar a São Jorge

Não há transporte público de Brasília ou de Alto Paraíso até São Jorge. Por isso será necessário contar com outros veículos até lá. Para quem está viajando de carro, o acesso a São Jorge é à esquerda no trevo de Alto Paraíso, seguindo então pela GO-239. A pista, antes de terra, agora é totalmente asfaltada e com excelente qualidade. O trajeto entre Alto Paraíso e São Jorge tem 37 km e levará meia hora. A estrada é linda e já rende muitas fotos. Ao chegar a São Jorge, a pista será de terra.

Para quem viaja até Alto Paraíso de ônibus, vale pedir carona no trevo (é bem comum a prática e a parada da carona tem até sombra) ou contratar um serviço privativo de táxi, transfer ou carona solidária. A partir da Rodoviária de Alto Paraíso, será possível conseguir um transfer ou táxi até São Jorge por R$ 80, em média. Vale fazer amigos no caminho para rachar o valor do transporte. Ao fazer reserva em uma pousada em São Jorge, peça indicações de motoristas que fazem a rota. Negociar o preço é sempre importante.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Como chegar a Cavalcante

Para quem está de carro, a viagem até Cavalcante, a partir de Alto Paraíso, será de 90 km. O trajeto segue pela BR-110 até Teresina de Goiás, quando se deve pegar o desvio para a GO-241. A viagem leva, em média, uma hora e a estrada segue em boas condições até Teresina de Goiás, quando o asfalto fica um pouco pior.

Já quem pretende viajar de ônibus enfrentará um pouco mais de dificuldade. Infelizmente não há ônibus disponível que faça o trajeto até Cavalcante, nem de Brasília e nem de Alto Paraíso. Em ambos os casos será necessário viajar até Teresina de Goiás (localizada a 22 km de Cavalcante) e lá contratar um serviço de transporte particular para fazer o trecho final. O custo do trecho Brasília﹣Teresina de Goiás é R$ 66 e a viagem leva, em média, 5h10.

Para quem já estiver na Chapada dos Veadeiros, vale pegar o ônibus a partir da Rodoviária de Alto Paraíso. Nesse caso, o custo aproximado será de R$ 15 e a viagem terá uma hora de duração. Ao chegar em Teresina de Goiás, será necessário pegar uma lotação até Cavalcante. O mesmo serviço pode ser contratado também a partir de Brasília.

Veja mais detalhes sobre como chegar à Chapada dos Veadeiros.

Chapada dos Veadeiros como chegar

Vale da Lua

33- Quando ir à Chapada dos Veadeiros: clima e melhor época

A Chapada dos Veadeiros pode ser visitada o ano inteiro, mas é importante dizer que a região tem duas estações bem definidas e que oferecem experiências bem distintas aos viajantes. Entre os meses de maio e setembro, a Chapada dos Veadeiros tem clima seco e ausência quase total de chuvas. Já nos meses de outubro a abril, o clima muda e as chuvas tomam conta da região. E como estamos falando de um destino onde o foco é o turismo de natureza, a previsão do tempo tem bastante influência na experiência de viagem.

Cachoeira Almécegas II

Cachoeira Almécegas II

Estação seca — de maio a setembro

Essa é a época ideal para visitar a Chapada dos Veadeiros sem se preocupar em pegar chuvas nos passeios ou trombas d’água nas cachoeiras. Os dias são quentes e ensolarados e as noites costumam ser bem frescas. Os meses de seca coincidem também com o período de alta temporada na Chapada dos Veadeiros, especialmente no mês julho, devido às férias escolares.

O início da estiagem, entre abril e junho, é altamente recomendado para a viagem. A Chapada não estará tão cheia de turistas, a vegetação ainda apresentará tons de verde, as cachoeiras estarão com muita água e a umidade do ar não marcará índices tão desérticos. É, sem dúvida, a melhor época para visitar a Chapada dos Veadeiros.

À medida que a seca avança, a vegetação muda para tons marrons, as cachoeiras perdem força (algumas até mesmo desaparecem) e a umidade do ar extremamente baixa pode ser um grande incômodo para quem mora em regiões repletas de chuva, como o litoral. Os meses mais críticos da seca são agosto e setembro, quando é comum queimadas na região. A partir de outubro, as chuvas retomam força e a Chapada ganha novamente cores de intenso verde e muita água nas cachoeiras.

Chapada dos Veadeiros

Chuveirinho do cerrado

Período das chuvas — de outubro a abril

As chuvas na Chapada dos Veadeiros começam a partir de setembro e ganham força a partir de novembro, quando temporais passam a ser mais comuns. Junto com tanta chuva, vem o risco de cabeças d’água, quando o nível de um rio sobe rapidamente e, em casos extremos, não há tempo hábil para encontrar um lugar seguro. Sabendo disso, é aconselhável tomar cuidado ao viajar nos meses com maior índice pluviométrico. Importante também dizer que o grande volume de chuvas deixa a água de algumas cachoeiras mais barrenta, o que pode decepcionar os turistas (como acontece na Cachoeira Santa Bárbara, conhecida pelas cristalinas águas azuis).

O início da temporada de chuvas, entre setembro e outubro, ainda é um bom período para visitar a Chapada dos Veadeiros. As cachoeiras começam a retomar força e ainda não há grandes temporais. Já os meses de novembro a março, quando as cachoeiras estão em volume máximo, exigem bem mais atenção dos visitantes. O visual é espetacular, mas o cuidado deve ser redobrado e muitas delas são fechadas em dias de grande nível de chuva.

Trilha das Cachoeiras Loquinhas

Trilha das Cachoeiras Loquinhas

Alta temporada na Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros sofre grande influência do período de férias e também dos feriados prolongados. Os preços ficam inflacionados e as atrações bem mais cheias. Pode ser bastante complicado visitar algumas cachoeiras mais disputadas, como a Cachoeira Santa Bárbara, em Cavalcante. Para fugir do grande fluxo de turistas e dos altos preços, evite viajar nos meses de férias (dezembro, janeiro e julho) e em feriados como Ano Novo, Carnaval e Semana Santa, além dos feriados emendados. Acredite! Será bem mais prazeroso percorrer as trilhas e tomar banho em cachoeiras mais tranquilas e menos concorridas.

  • Melhores meses – abril, maio, junho e julho;
  • Piores meses – dezembro e janeiro;
  • Meses mais secos – junho, julho e agosto;
  • Meses mais chuvoso – novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março.
Poço superior da Cachoeira da Capivara

Poço superior da Cachoeira da Capivara

34- Onde se hospedar na Chapada dos Veadeiros: pousadas e hotéis

As principais bases para quem procura pousadas e hotéis na Chapada dos Veadeiros são Alto Paraíso de Goiás, São Jorge e Cavalcante. Vale dizer que as principais atrações da Chapada dos Veadeiros não estão todas na mesma base de hospedagem e, a depender da localização da sua pousada, o deslocamento pode ser bem longo e cansativo. Para evitar tempo demais perdido na estrada, vale conferir antes da viagem a localização das principais cachoeiras que você gostaria de visitar para só então decidir onde ficar. O ideal, para quem tem vários dias na região, é dividir a hospedagem entre duas ou três bases.

A Chapada dos Veadeiros não tem como foco hospedagens luxuosas e o que predomina na região é o estilo rústico. Não há grandes redes hoteleiras ou resorts e muitas das pousadas costumam ter o foco em sustentabilidade ou exoterismo. Os campings também fazem bastante sucesso na Chapada dos Veadeiros, assim como os hostels. Baratear os custos é o que muitos turistas buscam quando visitam a região, isso porque os preços variam bastante de acordo com a alta temporada e feriados prolongados. Reserve a sua pousada na Chapada dos Veadeiros com antecedência para não pagar caro demais.

Pousada Casa de Shiva em Alto Paraíso / Foto: Booking

Pousada Casa de Shiva em Alto Paraíso / Foto: Booking

Pousadas em Alto Paraíso

Alto Paraíso oferece a melhor infraestrutura turística da Chapada dos Veadeiros e está próxima a diversas atrações. Além disso, a diversidade de pousadas em Alto Paraíso é bem maior. Apesar de ter tantos pontos positivos, nem sempre é Alto Paraíso que encanta os turistas. Muita gente que viaja para a Chapada dos Veadeiros prefere investir em ambientes mais tranquilos e alternativos, como São Jorge. Por isso, apesar de muito movimentada, Alto Paraíso não é unanimidade entre os viajantes. Boas pedidas de pousadas em Alto Paraíso são a Pousada Casa de ShivaPousada Meu Talento, a Vila Toá, a Woodstock guesthouse, Casa da Lua Pousada, Pousada Jardim da Nova Era e os econômicos Buddy’s Hostel & Pousada Alto ParaisoHostel Catavento. Veja mais opções de pousadas em Alto Paraíso.

Pousada Casa da Lua em Alto Paraíso / Foto: Booking

Pousada Casa da Lua em Alto Paraíso / Foto: Booking

Pousadas em São Jorge

A pequena vila de São Jorge é a base predileta de muitos viajantes que buscam ambientes mais tranquilos na Chapada dos Veadeiros. Porta de entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, São Jorge é ponto de visita obrigatório de grande parte dos turistas que exploram a região em busca das mais belas cachoeiras. São Jorge mantém o ar de interior em meio às ruas de terra, que, mesmo depois da chegada do asfalto na rodovia, mantiveram-se assim. O clima em São Jorge é mais lento e descontraído. Há boas opções de restaurantes, lojas e pousadas, porém tudo em menor escala se comparada à vizinha Alto Paraíso. Boas pedidas de pousadas em São Jorge são a Pousada Bambu Brasil, Pousada Casa das Flores, Pousada Cristal da Terra, Pousada Raizes, Pousada Rancho dos Ipês, o Camping Hostel Passarim, a Namaste Pousada e Terapias e o alternativo Estância Céu de Agartha Pousada & Charm Camping. Veja mais opções de pousadas em São Jorge.

Pousada Bambu Brasil em São Jorge

Pousada Bambu Brasil em São Jorge

Pousadas em Cavalcante

Cavalcante é a base mais distante e também a menos procurada e conhecida entre os turistas que visitam a Chapada dos Veadeiros. O acesso mais difícil faz com que muitos visitantes não cheguem até lá. A questão é que em Cavalcante é onde estão algumas das mais belas cachoeiras da Chapada dos Veadeiros. Sendo assim, vale cada quilômetro de viagem. A cidade em si não tem nada demais, porém as atrações ao redor são mesmo deslumbrantes, sendo que muitas delas estão localizadas em território kalunga. A região oferece poucos restaurantes e pousadas se comparada a Alto Paraíso e São Jorge. Boas pedidas de pousadas em Cavalcante são a Aruana Pousada, Chácara Lápis Lazuli, Pousada Recanto da Mata, a Pousada da Ana e a Pousada Toca da Raposa. Veja mais opções de pousadas em Cavalcante.

Aruana Pousada em Cavalcante / Foto: Booking

Aruana Pousada em Cavalcante / Foto: Booking

35- Como se locomover na Chapada dos Veadeiros

Para circular entre essas bases da Chapada dos Veadeiros e visitar as cachoeiras, o mais recomendado é estar de carro. Não há transporte público eficiente na região e muito menos até os pontos turísticos, que muitas vezes exigem longos trechos em estrada de terra. A logística pode não ser nada fácil e até bem cara para quem não viaja de carro. Vale lembrar que muitas cachoeiras da Chapada dos Veadeiros exigem que os turistas percorram longas trilhas a pé. Sendo assim, prepare o físico e as botas de caminhada!

Trilha para as Cachoeiras do Prata na Chapada dos Veadeiros

Trilha para as Cachoeiras do Prata

Chapada dos Veadeiros de carro

Se a ideia é economizar e ter liberdade de roteiros e horários, vá para a Chapada dos Veadeiros de carro! A distância entre as cachoeiras e as cidades muitas vezes é longa e se torna inviável conhecer muitas atrações sem estar motorizado. Ainda que o carro seja a melhor opção, é preciso saber que as estradas para as cachoeiras são quase todas de terra e algumas vezes de péssima qualidade. Ainda que o acesso às cachoeiras seja ruim, não é necessário um carro com tração (salvo raríssimas exceções).  É importante dizer que somente há postos para reabastecimento em Alto Paraíso e Cavalcante. Não há postos em São Jorge e nem nas estradas que conectam as três bases. Esteja sempre com combustível de sobra para não passar aperto.

Noite estrelada na Chapada dos Veadeiros

Noite estrelada na Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros sem carro

Viajar sem carro para a Chapada dos Veadeiros pode ser um grande limitador, já que não há transporte público na região e as agências de turismo ainda são raras por lá. Quem viaja sem carro contará com algumas alternativas para se locomover. A mais barata delas é a carona, prática bastante comum na região. Os turistas costumam ser legais e a Chapada dos Veadeiros é um convite a fazer amigos. Dificilmente um turista ficará sem passeio por falta de transporte. Se você não é adepto da carona e não quer viajar de carro, o esquema será contratar as poucas agências de turismo, sendo que a maior está em Alto Paraíso:

Jardim de Maytrea na Chapada dos Veadeiros

Jardim de Maytrea

Chapada dos Veadeiros a pé

Para chegar às cachoeiras da Chapada dos Veadeiros quase sempre será necessário percorrer um trecho de trilha a pé. Quase sempre bem sinalizadas e autoguiadas, as trilhas da Chapada dos Veadeiros ajudam bastante a vida dos turistas que preferem ser independentes. E a boa notícia é que as trilha não costumam ser muito longas. Há, no entanto, algumas exceções importantes que devem ser levadas em consideração, como as cachoeiras do território Kalunga (Cachoeira Santa Bárbara, Cachoeira Candaru e Cachoeira da Capivara) e as Cachoeiras do Complexo do Prata, onde a contratação de guia é obrigatória.

Trilha na Chapada dos Veadeiros

Trilha na Chapada dos Veadeiros

Ainda que percorrer grande parte das trilhas seja possível sozinho, atente-se sempre para o fato de que a região é acometida pelo fenômeno da cabeça d’água. Se você não se sente seguro para fazer os passeios por conta própria, contrate um guia. Se você pretende se aventurar sozinho, recomendamos o uso de aplicativos de locomoção em trilha (como o Wikiloc). Além disso, é importante deixar avisado com alguém o local para onde você está indo. Mesmo em trilhas tranquilas acidentes podem acontecer e é sempre bom ter alguém alerta para o caso de um resgate. Essa preocupação deve ser ainda maior no período de chuvas, quando há maior risco de cabeça d’água.

36- Quanto tempo ficar na Chapada dos Veadeiros

Para conhecer as principais cachoeiras e atrações da Chapada dos Veadeiros, o ideal é ficar na região por, no mínimo, uma semana. Um roteiro de quatro dias — que casa bem com um feriado — ajudará a conhecer o básico, como as trilhas do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, o Vale da Lua, as Cachoeiras Almécegas I e II, a Cachoeira São Bento e a Cachoeira do Segredo. Para ir um pouco mais a fundo, o ideal é ficar por de sete a dez dias. Esse tempo será suficiente para percorrer as cachoeiras mais procuradas de Alto Paraíso, São Jorge e também Cavalcante.

Uma viagem mais longa permitirá conhecer a Cachoeira Santa Bárbara, a Cachoeira Candaru, Cachoeira Capivara, a Cachoeira dos Cristais, o Poço Paraíso, as Cachoeiras Macaquinhos, o Mirante da Janela e ainda investir em belas trilhas, como o Complexo do Prata e a Catarata dos Couros. Se tiver apenas um feriado prolongado, programe-se para voltar mais vezes! Certeza que ao chegar lá a vontade será de ficar um pouco mais!

Cachoeiras do Prata Chapada dos Veadeiros

Cachoeiras do Prata

37- Onde comer na Chapada dos Veadeiros

As refeições na Chapada dos Veadeiros têm características bem distintas entre o almoço e o jantar. O almoço, quase sempre tardio e depois do dia na cachoeira, costuma ter padrão mais simples e com aquele tempero (e volume de comida) de casa de vó. Já o jantar ganha ares charmosos e os restaurantes capricham na iluminação e ambiente aconchegante para receber os turistas que buscam relaxar. Outra característica muito comum na Chapada dos Veadeiros é o “kit trilha”. Passar o dia nas cachoeiras exige energia e os restaurantes locais são atentos a isso. É fácil encontrar, principalmente em São Jorge, estabelecimentos que oferecem o pacote completo de alimentos. O lanche vem na medida certa para suprir as necessidades do turista durante o passeio.

onde comer

Alto Paraíso e São Jorge são os principais polos gastronômicos da Chapada dos Veadeiros. Nas duas cidades, será fácil encontrar restaurantes de excelente qualidade. Já a cidade de Cavalcante tem opções mais simples para refeições, porém não menos saborosas. Nas cachoeiras, não é comum encontrar restaurantes, por isso é sempre bom ter um lanche para emergências. Alguns complexos turísticos, entretanto, oferecem bons restaurantes aliados a lindas cachoeiras. É o caso da Cachoeira dos Cristais, Cachoeira do Paraíso e Cachoeira São Bento, onde há até uma deliciosa cervejaria artesanal.

38- Restaurantes em Alto Paraíso

A maior parte dos restaurantes de Alto Paraíso está localizada nos arredores da Av. Valadão Filho. Na região, aproveite a decoração e cardápio regional do Vendinha 1961, as carnes do La Parrilla e as pizzas do Vila Chamego. Para um ambiente descontraído e com jeito de almoço entre amigos, experimente os risotos e massas do Zu’s Bistrô. Para repor as energias, vá ao Quiri Quiri Gourmet Burger, coma uma das “jantinhas” (espetinho com mandioca, farofa, vinagrete e feijão tropeiro) na calçada ou experimente o almoço self-service do Tapindaré Restaurante. Se a pedida for por pratos vegetarianos, tente o Alquimia e o Cravo & Canela.

Alto Paraíso

39- Restaurantes em São Jorge

A Vila de São Jorge, apesar de não ser a maior base da Chapada dos Veadeiros, é a que oferece os restaurantes mais interessantes e charmosos. Os restaurantes estão concentrados no centro da vila, que é bem pequena. Será fácil caminhar por todos eles e escolher um para experimentar. Para o almoço, o mais tradicional é o Restaurante da Nenzinha. Há vinte anos ela serve comida de qualidade no quintal de casa, que cresceu um bocado desde o começo. Outra boa pedida é o restaurante Casa das Flores, com boas porções para quem chegou quase morto da trilha. Se a ideia for petiscar, aproveite o movimentado Bar do Pelé e o Luar com Pimenta.

Restaurante da Nenzinha

Restaurante da Nenzinha

No jantar, comece pelo lindíssimo ambiente da Santo Cerrado Risoteria e Café. Se quiser uma boa pizza, vá à Pizzaria Lua de São Jorge. E se o desejo for por um suculento corte de carne, recorra ao Rústico Premium Grill. A tradição da “jantinha” também está presente em São Jorge, e uma excelente opção para comer o PF de churrasquinho é a Lanchonete Seriema, escondida em uma rua longe do agito, mas deliciosa!

São Jorge

São Jorge

40- Restaurantes em Cavalcante

A cidade de Cavalcante é a que oferece opções mais simples entre os restaurantes da Chapada dos Veadeiros. Alguns deles, entretanto, conquistam os turistas pelo sabor dos pratos regionais oferecidos. Para um cardápio mais elaborado e receitas inusitadas, sem perder o toque regional, experimente o Canela de Ema. Se a procura for por tempero caseiro e boas porções, vá ao Flor do Cerrado. Quem quiser investir na comida acompanhada de cervejas especiais pode conferir a Cervejaria Aracê. O Empório da Chapada agrada com hambúrgueres repletos de sabor e jeitinho de feitos em casa, já o Encanto da Pizza oferece massa fininha em deliciosas pizzas. Para repor as gordurinhas, coma o pastel da Dona Preta.

Cachoeira Santa Bárbara

Restaurante no Engenho II

41- Noite na Chapada dos Veadeiros

Alto Paraíso e São Jorge são os principais destinos da Chapada dos Veadeiros para quem busca algum agito noturno. Não espere, no entanto, casas noturnas grandiosas. O que reina na Chapada são os bares charmosos regados a música ao vivo ou boa trilha sonora, sempre acompanhados de cerveja gelada ou taças de vinho que ajudam a aquecer nas noites frias do cerrado. Muitos restaurantes oferecem fogueiras, lounges ao ar livre e almofadas convidativas a um romance inesperado. Aproveite o clima descontraído e faça amizades. A Chapada costuma unir as pessoas. Na alta temporada, feriados prolongados e durante o Festival de Culturas Tradicionais (com data diferente a cada ano), a Chapada dos Veadeiros recebe grande número de artistas e o agito aumenta consideravelmente. A noite será ainda mais animada com a Chapada repleta de turistas.

Alto Paraíso

Alto Paraíso

42- Compras na Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros é cercada de misticismo e de um público muito conectado às práticas naturais. E esse perfil se reflete diretamente nas oportunidades de compras na região. Cristais, artesanatos com peças naturais, roupas alternativas, obras de arte com temas da região e receitas gourmets com ingredientes do cerrado – como o baru – estão entre os produtos que podem ser adquiridos na Chapada dos Veadeiros. Há ainda um “mascote” que é recorrente entre as lojas: o extraterrestre. Sim! Estamos falando de uma localidade onde se acredita que haja aparições de ovnis. E você pode até não os ver no céu, mas certamente os verá em grande quantidade nas vitrines.

São Jorge

São Jorge

A maior concentração de lojas da Chapada dos Veadeiros está na cidade de Alto Paraíso, especialmente na Av. Ary Valadão Filho, onde há diversas lojas e também a feirinha do Centro de Atendimento ao Turista (Praça do Artesão). Vale conferir os trabalhos de artistas como Cris Maia e o Marcos Brasil, com exposição no Ateliê Preguiça.

Para quem está em São Jorge, não faltará opções para levar uma bela lembrança da Chapada. Uma das favoritas é a camiseta “Eu vi a baleia no Mirante da Baleia”, que brinca com o formato de um dos morros mais famosos da Chapada. Se você é da turma que coleciona sabores, experimente levar um pote de barutella (doce de cacau com castanha de baru) ou um dos cafés da região. E se o apego foi com o vilarejo de São Jorge, há diversas representações de São Jorge com o dragão nos mais diferentes formatos.

São Jorge na Chapada dos Veadeiros Cachoeira Santa Bárbara

São Jorge

43- Dinheiro na Chapada dos Veadeiros

Ao viajar para a Chapada dos Veadeiros, fique atento ao fato de que praticamente não há bancos na região. Em Alto Paraíso, há uma agência do Itaú, casa lotérica e Correios (onde é possível sacar dinheiro do Banco do Brasil). Em Cavalcante, há guichês do Banco do Brasil apenas para transações (não há saque) e também uma agência dos Correios.

Em São Jorge, não há serviços bancários e para conseguir dinheiro será preciso negociar “saques” com os comerciantes e donos de pousada em troca de pagamentos com taxa extra no cartão de crédito. A prática é bem comum na região, exatamente porque o dinheiro de muitos turistas acaba no meio da viagem. Nem todos os estabelecimentos aceitam cartão e outros aceitam apenas débito. Esteja preparado com diversos meios de pagamento para não passar aperto.

Alto Paraíso na Chapada dos Veadeiros

Alto Paraíso

44- Internet e telefonia na Chapada dos Veadeiros

Há sinal de celular na cidade de Alto Paraíso e na Vila de São Jorge, mas nem todas as operadoras funcionam bem. Já em locais mais remotos praticamente não há sinal. Caso precise resolver algum problema, não conte com a internet ou o telefone na Chapada dos Veadeiros. O serviço poderá estar indisponível. As pousadas quase sempre oferecem Wi-Fi, mas acontece com frequência de o sinal estar ruim. Se for importante para você, consulte a agência ou pousada contratada para ter certeza de que haverá internet durante a sua estada. No mais, a Chapada dos Veadeiros é lugar para se desconectar do mundo e relaxar. Aproveite que a internet é bem precária e desapegue do celular por alguns dias.

Cachoeira dos Cristais na Chapada dos Veadeiros

Cachoeira dos Cristais

45- Quanto custam as cachoeiras da Chapada dos Veadeiros?

É muito importante deixar claro que quase todas as cachoeiras da Chapada dos Veadeiros tem acesso pago. O valor da entrada nos atrativos é usado muitas vezes para manutenção e construção de trilhas, o que permite aos visitantes fazerem tudo por conta própria, sem a necessidade de contratar um guia. Os valores variam bastante e muitas vezes há descontos para crianças, estudantes e idosos. Até mesmo o acesso ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é pago. Vá com o orçamento preparado! Os valores vão de R$ 10 a 40, sem serviço de guia.

Entrada do complexo São Bento

Entrada do complexo São Bento

46- Quanto custa viajar para a Chapada dos Veadeiros?

Uma viagem para a Chapada dos Veadeiros pode ser bem econômica, mas para isso é preciso abrir mão de alguns luxos. O destino, apesar de um pouco rústico, ainda tem preços elevados para pousadas, o que encarece a viagem de quem vai para lá. É preciso se organizar para fazer reservas com antecedência e assim encontrar melhores preços. Outro ponto que encarece a viagem para a Chapada dos Veadeiros são os custos com entrada nas cachoeiras, que podem chegar a R$ 40 por pessoa, sem contar o valor do guia (que é obrigatório em alguns casos). Alugar um carro (para quem não mora nos arredores e pode ir em carro próprio) também é um custo a ser considerado. E quanto mais gente for com você, melhor será para dividir o valor.

Um bom cálculo para começar uma viagem para a Chapada dos Veadeiros é o valor de R$ 180 por dia/ por pessoa. Esse orçamento inclui o custo da entrada em uma cachoeira (que tem valores entre R$ 10 e R$ 40), o aluguel do carro (custo previsto de R$ 50 a diária dividido com mais uma pessoa), duas refeições básicas (R$ 30 cada) e hospedagem em pousada de padrão simples (R$ 150 a diária dividida com mais uma pessoa). O valor é apenas uma estimativa básica, mas te ajudará a decidir onde cortar ou onde será possível gastar mais durante a viagem.

Chapada dos Veadeiros

Vale da Lua

47- Para fechar, assista sempre ao pôr do sol na Chapada dos Veadeiros

O pôr do sol é sempre um espetáculo na região centro-oeste do Brasil, mas na Chapada dos Veadeiros ele é potencializado pelo amplo horizonte, chuveirinhos que dão tom delicado ao momento e buritis centenários que fazem a silhueta perfeita para um retrato do cerrado. As cores, especialmente no período da seca, são sempre potencializadas pela poeira vermelha que paira no ar, o que torna os tons entre amarelo, laranja e rosa sempre mais intensos. Na hora do pôr do sol, pare onde estiver para apreciar o espetáculo. Ele será lindo de qualquer lugar!

Pôr do sol na Chapada dos Veadeiros

Pôr do sol na Chapada dos Veadeiros

A Chapada dos Veadeiros é um destino apaixonante! Aproveite as dicas e corra o mais rápido possível para um bom banho de cachoeiras por lá! Já esteve na Chapada dos Veadeiros? Conta pra gente como foi a sua experiência e ajude outros viajantes a descobrirem as belezas do cerrado brasileiro. E se você nunca esteve por lá, confira nosso exclusivo Guia da Chapada dos Veadeiros.


Leia também: