Como é voar com a GOL para Nova York

Denis Carvalho 25 · março · 2013

Quando noticiamos aqui no MD, em setembro do ano passado, que a GOL ofereceria voos para Nova York para os clientes Smiles, muitos ficaram curiosos sobre como seria a experiência de voar com a brasileira para a maior cidade americana. Será que os Boeing 737 ofereceriam conforto para uma viagem tão longa? E quanto aos serviços de bordo e entretenimento? Será que valeria a pena escolher a GOL entre tantas opções? Nosso leitor Felipe Rossi , ao lado do amigo Octavio Bosi, foi um dos que embarcaram nessa viagem e traz para nós, neste relato muito completo, as respostas para essas e outras dúvidas.  Enquanto a GOL prepara sua companhia internacional com sede na República Dominicana, vale a pena conferir como são os serviços da companhia do amendoim – ou seria do flan? Acompanhe:

Em outubro eu e um amigo tentamos resgatar passagens de São Paulo para a cidade de Nova York. Buscamos o trecho GRU – JFK através do programa Smiles. Desde cedo, enfrentávamos o problema da não disponibilidade de bilhetes para os clientes Smiles em outras companhias parceiras do programa. Quando encontrávamos, era um trecho de ida sem volta ou vice-versa. Até pensamos em fazer o resgate de um trecho e pagar pelo outro, mas a tarifa cobrada por um trecho é igual ao trecho de ida e volta, o que desestimula a qualquer um.

Um fato vale a reflexão: quando entrávamos em contato com as companhias aéreas e seus respectivos programas de milhagem, havia a possibilidade de efetuar os voos. Conclusão: a parceria do Smiles não dispõe de um número mínimo de assentos nos voos das cias parceiras, diferente do que ocorre, por exemplo, na Star Alliance.

Pensamos em resgatar a ida por alguma cia aérea e a volta por outra, mas a GOL não possibilitava o resgate de bilhetes Smiles one-way (apenas um trecho), somente round trip (ida e volta). Em meio à busca, quase conseguimos sair de GRU, chegar em JFK e voltar pelo Rio (GIG), mas todo esse trabalho para apenas 5 dias na Big Apple e ainda mais uma passagem nacional era inviável.

Optamos (por não ter outra forma de voar com nossas milhas Smiles) em experimentar a promoção de 50.000 milhas pela GOL, ida e volta, saindo de Guarulhos. Era um voo onde os bilhetes só poderiam ser emitidos através de milhas Smiles, não havia comercialização de poltronas através da compra nem a possibilidade de se pagar por elas de outra forma.

Bagagem
Ansiosos com a viagem e em busca de informações, abrimos um chamado pelo site do Smiles. Por nós dois sermos clientes Smiles da categoria diamante, questionamos qual seria a franquia de bagagem permitida para este voo, uma vez que em cada aeroporto que íamos a informação variava de 23kg por pessoa até 3 malas de 32kg para cada um – sendo duas de 32kg por direito e a terceira cortesia para as categorias Smiles diamante ou ouro, mas ninguém tinha certeza e o que foi dito, não pode ser provado.

Passadas algumas semanas, como de costume, nenhuma resposta da equipe de atendimento do site Smiles. A viagem se aproximava e a incerteza continuava. Resolvemos utilizar outro meio de contato com a cia aérea, meio este que tem se mostrado eficiente há um certo tempo. Entramos em contato com o perfil da GOL pelo Facebook, na parte da tarde, enviamos uma mensagem inbox e… surpresa! No dia seguinte, pela manhã, obtivemos a resposta, que era de fato três volumes de 32 kg.

A resposta do chamado aberto no site Smiles? Ah sim, ela chegou no dia, mais exatamente, na hora em que fazia o check-in para embarcar para NYC. Para agravar, informaram-me, erroneamente, que para ter direito a um terceiro volume, independente da categoria, teria que pagar US$ 200 e estaria sujeito à disponibilidade (quanta falta de preparo, de respeito e de informação dos atendentes do site!).

Reserva dos Assentos
Passagens resgatadas através das milhas Smiles no mês de novembro. Nossa primeira decepção: a marcação dos assentos. Como clientes Diamante, temos direito (na teoria) aos assentos especiais (chamados de assento conforto – aqueles em que a poltrona do meio não é vendida e fica bloqueado para uso). Porém, assim que efetuamos os resgates e o mapa de assentos veio à tela, as poltronas de 01 a 16 estavam todas bloqueadas, a 17, saída de emergência, também, o que impossibilitou a marcação dos assentos. Entramos em contato com o 0300 para clientes Smiles Ouro e Diamante, após cinco tentativas em diversos dias, só tivemos acesso ao atendimento eletrônico, que nada mais faz além de dar as instruções de como efetuar a marcação pelo site (ora… isso nós já estamos cansados de saber).

Alguns dias depois, através do SAC, conseguimos ser atendidos por um atendente “humano”. Solicitamos a remarcação das poltronas para alguma mais à frente. O pedido foi negado, sobre a justificativa de que o avião estava lotado nas fileiras de 01 a 16. Pedimos a fileira 17 (saída de emergência). Pedido negado, pois estavam bloqueadas e ocupadas.

Não deixamos barato. Fizemos o pedido na loja da GOL em Brasília e Campinas – quem sabe tivéssemos mais sorte… porém, foi em vão. Eis que conseguimos, sabe-se lá porque, através de um funcionário de Congonhas. Apesar de termos direito como clientes diamante, ninguém explicava o real motivo dos bloqueios. Ok, estávamos satisfeitos com o espaço a mais para nossas pernas, garantido pela fileira 17 para quase 14 horas de voo.

Check-in

Finalmente, o esperado dia da partida. Chegamos ao aeroporto de Guarulhos por volta das 11 horas – o voo G3 9117 GRU – JFK com escala técnica (para abastecimento) em Punta Cana sairia às 14h35. No balcão de check-in internacional da GOL, uma funcionária solicitava os cartões Smiles para que os clientes ouro e diamante tivessem direito ao atendimento exclusivo, pois, segundo ela, algumas pessoas com o cartão vencido estavam utilizando o serviço sem terem o direito. Não demorou muito e fomos atendidos. Nota 10 para a educação e cordialidade das atendentes. Mas, infelizmente, começaram os problemas novamente.

Perguntamos sobre a disponibilidade dos assentos conforto. A funcionária que nos atendia disse que o voo não estava lotado e havia sim disponibilidade, mas era um serviço cobrado à parte (diferente de todas as informações obtidas pelas centrais Smiles, SAC e lojas que diziam que o voo estava lotado e que afirmam que os clientes diamante podem ter acesso a eles sem sobretaxa). Solicitamos a troca (ou para alguns, o upgrade), já que (outra vez na teoria) é um direito do cliente Diamante. A resposta foi que não poderia ser feita a mudança, já que a GOL e o Smiles agora são empresas distintas. Para solicitar o serviço, deveríamos ligar para a Central Smiles (o que acarretaria na perda do voo graças à longa demora, como é de conhecimento de todos os clientes que por lá um dia arriscaram se comunicar).

Questionamos que, se era um direito, se era de acordo com a disponibilidade, porque então, não poderíamos ser contemplados com tal mudança. A funcionária, com verdadeiro desejo de auxiliar e se questionando a mesma coisa, vai a loja, conversa com alguém e esse alguém se nega a efetuar a mudança. Pedimos para falar com a supervisora. Ela prontamente veio, educada e cortês, ficou a par da situação.

Ainda em dúvida sobre a possibilidade da mudança, apresentamos uma mala direta que nos havia sido enviada pela GOL, citando os direitos dos clientes Smiles diamante, que acompanhava o cartão físico, como já noticiado aqui no MD. Ao ver o papel, de pronto ela se convenceu e disse que faria a mudança manual, ainda que o sistema não permitisse “por algum erro de atualização”, conforme suas palavras. Conseguimos mudar para as poltronas 7D e 7F (a 7E é a bloqueada).

Poltronas marcadas! Vamos ao despacho das bagagens. Mas antes, como já estava virando rotina, mais um contratempo (quando a viagem começará a ser diversão?!?!?!). Meu amigo não teve problemas para efetuar o check-in e despachar as malas, utilizando um passaporte nacional e seu visto americano. Mas, como sempre há de haver um porém, na minha vez, não me autorizaram fazer o check-in nem embarcar. Motivo? Estava utilizando meu passaporte italiano o que me permite entrar nos EUA através do programa chamado ESTA, onde, resumindo, se faz um cadastro no site do consulado americano, paga-se uma taxa e recebe-se uma autorização de entrada válida por 2 anos. A minha só vencerá em dezembro de 2013.

Mais uma prova da falta de clareza da empresa com seus clientes. Como de costume, em nenhum lugar do site ou do bilhete eletrônico havia o aviso de que eu deveria levar a cópia do ESTA ou seu número. O próprio site do consulado diz que não é necessário imprimir o comprovante, pois o sistema é eletrônico e o passaporte será identificado automaticamente quando for lido pelos computadores norte-americanos. Porém, graças à (constante) falta de informação da GOL, exigiam que eu comprovasse ter o ESTA.

Muitos devem se perguntar por que não levei o conjunto de letras e números. Ora, se a TAM, a DELTA e outras não cobram, como deveria adivinhar que a GOL exigiria o documento? Sugestão das funcionárias: “Corre na lan-house e tenta imprimir a segunda via ou conseguir o número” (mais uma dica: vai viajar com passaporte de outro país? Leve seu ESTA em anexo!). Utilizei um smartphone, acessei o site da embaixada e apresentei a foto do número do dito documento. Agora sim, tudo ok!

Sala VIP

Após o check in, recebemos um voucher que nos daria acesso à sala VIP internacional (uma das últimas da GOL no país…). Ao adentrar a sala VIP, uma surpresa: éramos aguardados com um almoço, onde o menu foi strogonoff, arroz branco e batata palha. Brigadeiro de colher como sobremesa e para beber, vodca nacional, vinho branco nacional e as tradicionais bebidas servidas nos voos da empresa.

Após algum tempo de descanso da correria e um período de relaxamento para tentar esquecer todos os problemas, fomos convocados para o embarque pelo sistema de som da sala.

Embarque

Primeira surpresa: embarque remoto. Ok, sem problemas, no Brasil estamos acostumados, não é? Segunda surpresa: anunciado no sistema de som que apenas as prioridades garantidas por lei (idosos, crianças de colo, PNEs, gestantes, etc) seriam embarcadas antes. Os clientes se surpreendem e questionam ao funcionário autor do aviso “e os clientes Smiles?” O funcionário com um sorriso irônico e em um tom sarcástico replicou “80 a 90% dos passageiros são ouro ou diamante, preferência pra que?”

Pelo que pudemos observar, o número citado por ele estava superestimado, visto que os bilhetes reservados para o voo só podiam ser adquiridos por pessoas possuidoras de milhas no programa Smiles, e não só clientes ouro ou diamante.

Outra novidade. Os 12 (Sim! 12 funcionários para fazer um embarque…) apenas tumultuavam o portão de embarque. Na fila do embarque remoto, havia uma colaboradora da GOL que “sorteava” passageiros para passarem por um detector de resíduos (em busca de pólvora, drogas, explosivos, etc). Outros, em meio ao portão de embarque, tinham sua bagagem vasculhada sobre uma mesa improvisada, no meio de todos. Ainda que exigência, constrangedor não?

Embarcado

O avião era um Boeing 737-800 sky interior, com botes salva-vidas no teto, coletes sob os assentos. Dentro da aeronave, alguns mimos aguardavam os passageiros. Um kit com travesseiro e coberta dando as boas-vindas e pedindo para que nós o guardássemos para o voo de volta.

Uma necessaire patrocinada por uma empresa de dentifrícios, uma rede de farmácias e uma fábrica de cosméticos onde se encontrava creme dental, colutório (enxaguante bucal), escova de dentes e um mini kit com sabonete, creme para as mãos e hidratante corporal. Havia também, uma tag de plástico para identificar bagagens. Acho que seria mais lógico tê-la recebido no check-in, pois com as malas despachadas, só na volta poderíamos usá-las.

Entretenimento
O serviço GOL no Ar de entretenimento para smartphones, tablets e notebooks não estava disponível, pois (ainda?) não possui autorização para operar em voos internacionais.

Em nossos bolsões havia algumas revistas que podiam ser interessantes, não fosse o fato de nos fazer sentirmos tal qual quando esquivamos daqueles promotores de editoras de revistas que nos cercam e oferecem um brinde nos saguões dos aeroportos do país. O que isso significa? Bem… a revista mais “nova” era datada de julho de 2012 (uma desatualização de 7 meses). Os mais sortudos podiam encontrar uma revista de palavras cruzadas e passatempos.

Muitos desconheciam as tomadas de energia elétrica sob os assentos, o que não foi avisado pela tripulação. Tivemos que pedir à aeromoça, um tempo após o aviso de atar cintos ser desativado, que as liberassem para uso.

Ao nos verem conectando nossos eletroeletrônicos sob o assento, muitos descobriram que também possuíam aquela facilidade e que estava disponível para todos. A expressão de alívio dos passageiros ao saber que poderiam recarregar seus apetrechos eletrônicos durante o voo foi inesquecível.

Serviço de bordo
Hora de nos recompormos e alimentarmos. E nada de BOB (buy on board – venda a bordo). Para matar a sede, todas as bebidas conhecidas no serviço de bordo gratuito, além de café e whisky oito anos. Nada de cerveja. Para comer, tínhamos a opção de massa ou frango com vagem e arroz, um pãozinho, salada de folhas verdes e um flan como sobremesa. Nada extraordinário, não fosse o feito inédito de algo comestível quente dentro de um voo da GOL.

Estávamos quase chegando a Punta Cana para o reabastecimento e troca da tripulação. Mas antes do pouso, lá estavam eles! Se vocês acharam que eles seriam esquecidos ou excluídos, enganaram-se! Os famosos – e já falecidos – amendoins servidos na GOL (que substituíram as lendárias barrinhas de cereais). A parte dois do serviço de bordo foi composta pelas mesmas bebidas e pelos amendoins.

Segundo voo
Chegamos no horário, por volta de 21h30 horário local. O reabastecimento foi rápido. O que demorou foi a necessidade de se consertar o flush (descarga) de um dos toaletes da parte posterior da aeronave. Cerca de 30 minutos em solo. Tripulação trocada, flush em ordem.

Era notável que agora estávamos sobre os cuidados de funcionários da extinta (e saudosa) Varig. A cortesia, o bom humor e a simpatia eram contagiantes. Aeronave pronta, decolamos. Tempo de voo previsto até o aeroporto JFK de 3h30min.

Nesse trecho, os comissários avisaram sobre a existência das tomadas de força e, inesperadamente, o serviço GOL no Ar estava operante, salvando do tédio aqueles que achavam que teríamos outras opções de entretenimento na aeronave ou não se preparam para as horas de voo. Serviram-nos as mesmas bebidas. Os alimentos embarcados em Punta Cana. Um sanduíche de frios e folhas, um outro tipo de flan, um sache de maionese e uma salada de grão de bico.

Chegada
O comandante avisa que estamos em procedimento de descida. Temperatura na cidade: 5 graus negativos. O pouso ocorre de forma tranquila e fomos saudados por uma leve nevasca. Desembarcamos no terminal 4 (guarde esse número pois em nenhum lugar de seu bilhete aéreo existe a indicação de qual terminal partirá seu voo de volta), passamos pela imigração (e não! não me cobraram o ESTA em forma impressa. Como das outras vezes, tudo on line). Recebemos as malas e fim do primeiro trecho da viagem.

O VOO DE VOLTA
Após dois dias de incertezas por causa da tempestade de neve que cancelou mais de 4 mil voos na costa leste dos EUA, ficamos sabendo que nosso voo decolaria normalmente no dia previsto apenas pelo fato de ter amanhecido um belo, ensolarado e gélido dia pós tempestade de gelo. Ou seja, nenhum e-mail ou nenhuma assistência por parte da GOL, avisando ou alertando aos clientes sobre a volta a normalidade. Já era esperado.

Primeira dúvida: de onde sairia nosso voo? Em qual dos terminais, do monstruoso JFK ocorreria nosso embarque? Nossa sorte é que decoramos (ou prestamos atenção) que a chegada ocorreu pelo terminal 4. Há uma placa na estrada quase em frente ao terminal, mas até que você passe por todos os outros terminais em busca dela, já pode ser tarde, resultado? No show. Dificilmente seu motorista ou taxista saberá de onde partem os voos da GOL, pois é uma cia de apenas um voo por semana em meio a milhares de enormes e famosas empresas aéreas que operam no JFK com centenas de pousos e decolagens (lembrem-se chegada e partida pelo terminal 4).

Check-in
Pois bem. Chegamos ao balcão. Quatro posições de atendimento, realizados por americanos terceirizados e sob a supervisão de uma brasileira. Com certeza remanescente da Varig, prestativa, cuidadosa, carismática e conhecedora de seu trabalho. Havia duas posições para clientes Smiles diamante e ouro e outras duas para os demais clientes.

Nenhum problema com relação ao despacho das bagagens, apenas solicitado que apresentássemos os cartões Smiles para obter a gratuidade no terceiro volume. Em relação à tentativa de troca da saída de emergência na poltrona 17, por uma mais a frente, não foi possível. O voo estava lotado, provavelmente por reacomodações decorrentes dos voos cancelados no dia anterior (lembrem-se que a Delta e a GOL agora são “parceiras”).

Embarque
Antes de mais nada uma outra dica. O terminal 4 é deserto no período da madrugada. Tenha a precaução de se alimentar antes e levar algum petisco para casos de emergência, pois há apenas uma lanchonete de certa rede famosa de fast food e nada mais. Não espere muito dos free shoppings, salvo 1 ou 2, os demais estão fechados devido o avançar da hora. Existe uma fila para clientes top dos programas de milhagem e para passageiros em classe executiva para o raio-x e para passar na imigração, mas os benefícios não são estendidos aos clientes GOL, independente de sua categoria ou assento.

A aeronave pousou com 45 minutos de atraso em relação ao horário de saída, por ter deixado São Paulo com demora. Para decolar, levamos quase duas horas além do horário inicial. Motivo? Inexplicado. O horário previsto de decolagem era 1h30 da manhã. Decolamos quase 3h30. Notem que o voo é semanal, chega na madrugada de sábado, reabastece e volta nas primeiras horas do domingo.

Após a espera, os passageiros começaram a formar fila, muitos haviam deixado seus hotéis ao meio-dia, chegando ao aeroporto por volta das 22 horas, respeitando a recomendação norte-americana de se chegar 3 horas antes do horário do voo, fato que aumentava o cansaço, conforme escutávamos entre os companheiros de jornada. Solicitaram-nos que aguardássemos sentados mais um tempo até a chamada para o embarque.
Nossa surpresa foi que, ao sermos convocados para o embarque, a prioridade foi apenas para os clientes diamante, deixando os das outras categorias e as outras prioridades para uma segunda chamada. Todos embarcados, voo lotado, hora de decolar.

Primeiro voo
Havia apenas os restos das revistas utilizadas pelos clientes do voo de ida, algumas rasgadas, outras intactas. Lembrou de guardar sua necessaire e sua manta/travesseiro? Não havia outras à disposição no voo. Gol no Ar? Desligado. Tomadas de força? Desligadas. O cansaço era tanto que não havia mais disposição para se preocupar com estas regalias.

Na primeira etapa do voo de volta, o menu foi sanduíche de frios e alface, uma salada, manteiga, molho tipo italian e um flan (sim, um terceiro tipo de flan). As bebidas? As mesmas servidas durante a ida.

Segundo voo
A escala técnica ocorreu na capital venezuelana, Caracas. Além do abastecimento, houve a troca de tripulação, O sono não permitiu que prestássemos atenção em muita coisa. Após a decolagem em Caracas, o cansaço era tanto, que não lembrávamos mais da existência de GOL no Ar, somente sabíamos que as tomadas funcionavam porque carregávamos os celulares nelas.

No trecho até São Paulo, o cardápio oferecido foi composto por massa (penne ao sugo com manjericão) ou frango ao molho branco acompanhado de arroz e abobrinha; pão, manteiga, uma salada de batata com tomate e azeitona e, é claro, nosso fiel e sempre presente companheiro de viagem e serviço de bordo: o flan! As bebidas, as mesmas e já citadas nos trechos anteriores.

Chegada a São Paulo
Apesar do atraso na partida, chegamos praticamente no horário previsto, as 16:45. Desembarcamos (remoto, é claro). Passamos pela Polícia Federal sem filas, a essa hora o terminal onde chegamos encontrava-se vazio. A passadinha de praxe pelo free shopping, a passagem compulsória pela Receita Federal, que agora, submete todas as bagagens pelo raio-x e o final feliz: de volta e dessa vez a GOL não destruiu nenhuma de nossas malas!!!

CONCLUSÃO
NYC de GOL? Não, obrigado. É muita falta de experiência, muita falta de informação e de preparo da companhia aérea. Impossível não tirar um tempo para refletir e até se preocupar: se esse foi o tratamento dispensado a clientes frequentes, considerados especiais pela quantidade de milhas que acumulam, através de voos ou de empresas parceiras, como seria (ou como será) com os clientes que não possuem nenhum tipo de fidelização ou são pouco frequentes nos voos da empresa?

Com um pouco mais de milhas, poderíamos ter ido à Europa, voando por empresas que dispõem de know how, de preparo e até mesmo de aeronaves para voos intercontinentais. Pensem bem antes de tomar sua decisão e reflitam aonde e como utilizar suas milhas.

Esperamos que este relato seja útil e facilite sua viagem de alguma forma, acreditamos que se tivéssemos tido um pouco mais de informação da cia aérea, de amigos ou de pessoas que já vivenciaram esta experiência, teríamos optados por outro destino, outro momento e quiçá, outra companhia aérea. Ou, em contra partida, poderíamos ter viajado sem enfrentar nenhum desses problemas que somados, podem minar a viagem de pessoas.

Agradecemos ao Felipe por esta ótima avaliação que certamente será bastante útil para quem estiver planejando uma viagem aos Estados Unidos. Vale lembrar que todas as companhias que voam do Brasil para lá estão no nosso Ranking de Companhias Aéreas, que ajuda muito na hora de escolher a melhor. Se você voou ou vai voar com alguma companhia aérea que não esteja aqui no Melhores Destinos envie sua avaliação para nós! Entre em contato pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br. Você pode conferir todas as avaliações publicadas pelo MD neste post.

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Luciano Rego

    Muito bom o relato. Quanto à revista mais rigorosa na bagagem de mão creio que seja praxe de voos que têm os EUA como destino. Já embarquei para NYC por Lima, Santiago e Guarulhos e em todas as vezes as malas de mão foram revistadas e alguns passageiros foram revistados de forma mais "enfática".

  • Guilherme Wendt

    Nossa, surpreso com o relato (bem completo, aliás). Eu devo dizer que estava confiante que a Gol faria um bom serviço no voo pra NYC. Em todo caso, eu ainda gostaria de experimentar esse trecho, com direito a escala em Punta Cana.

  • Alex Freitas

    Poxa GOL ! Perderam uma ótima oportunidade para fazerem a lição de casa e cativar o público fiel ou acumulador de milhas ! Repensem e melhorem, do contrário, não haverá futuro promissor para os vôos internacionais de longa distância !

  • Pablito

    Ranking de Cias não está funcionando pessoal. Está dando "página não encontrada" Favor verificarem.

  • Fernando Vieira

    Pelo que o leitor descreve, parece que a Gol está dando um passo maior que as pernas. Voar até NYC no mesmo 737 que faz uma ponte aérea? As pernas devem sofrer.

    O 737, mesmo o NG não foi projetado para isso. Pode aguentar como aeronave, mas a configuração de poltronas não é para isso.

    A Gol pode fazer direito, ela tem o know-how, basta procurar no pessoal da saudosa Varig, além disso ela é uma excelente cliente da Boeing, pode arrumar uns 777 ou mesmo 787 para esses voos de longo curso.

    A Gol se prendeu na idéia de padronizar a frota com o 737 e parece ser um dogma interno da companhia. Mas se ela quer fazer voos longos, precisará de aeronaves adequadas.

    • Thiago Castro

      Não é uma questão de dogma, é uma questão de custo!!! Não que eu concorde com eles, mas é isso.

    • Alex Freitas

      A estratégia é manter os 737 em uso, até aí, tudo bem, existe público ! Só precisam corrigir a lição de casa e fazer o be a ba corretamente !

  • Flávio Gon&cc

    Fiquei cansado com tanto sofrimento de vcs.

  • Ivo Duran Filho

    Fui pra San Francisco, CA em Janeiro, com milhas da Smiles. Optei por pegar passagens da parceira DELTA, pois sabia que indo de GOL pro exterior seria uma cilada. Peguei por 25mil milhas a IDA normal e 37mil milhas a volta via Executiva. Foi muito bom, não tenho do que reclamar da DELTA. Classe A!

  • Jé Silva

    Valeu Felipe!

    Excelentes dicas… GOL –> Nem pensar!!!

  • Hermann

    Sobre o ESTA: A American Airlines está pedindo o ESTA de forma aleatória – é um DIREITO da empersa aérea solicitar os documentos de viagem, INCLUSIVE o ESTA. Não brigue com o funcionário: ele só está fazendo o seu trabalho!

    O CBP não exige o ESTA impresso, porém eu já peguei a imigração americana fora do ar, e o oficial de imigração disse que se eu estivesse com uma cópia IMPRESSA do ESTA iria facilitar a minha imigração naquele caso.

    Assim serve de recomendação para TODOS que tem passaportes que participam do ESTA: imprimam sua autorização eletrônica e guardem-no junto dos documentos de viagem. Uma hora ele vai te ajudar – e MUITO!

  • Guto Netto

    Confesso que por muitas vezes me peguei suspirando de cansaço, apreensão, desespero e raiva pela falta de preparo da equipe que atendeu o voo. Ir para NYC pela GOL só mesmo em mega promoções. Costumo fazer viagens curtas pelo Brasil (VIX-RIO ou VIX-BSB) e mesmo assim já sofro! Outro dia fui de VIX para SDU e utilizei o cartão de embarque eletrônico pelo celular e a cara da pessoa que conferia o documento de identidade com o ticket foi de uma interrogação tamanha! Vale a pena a GOL investir um pouco mais em treinamento e preparo do seu pessoal! Vergonha para essa companhia!

  • Fred K. Chagas

    Em Hamlet diriam que no final só resta o silêncio. Eu digo, perante tal relato trágico-fantasmagórico, que ao final resta o medooo… tô fora!

  • Andre Luis

    Excelente texto. Realmente, é tanto problema que chega a cansar. Imagino o viajante. Já fomos para os EUA 2x na antiga LAB (MIA), de Delta (LAX), de Iberia (MIA), de American (JFK) e de Copa (MCO). Agora, no meio deste ano, será novamente de Delta, com milhas da Gol (onde o usuário perdeu muitas boas opções, com o rompimento com a American). Vou procurar fazer um relato detalhado.

  • Julio Cezar

    Muito bom o relato de vcs!!!!

    Tb me senti cansadíssimo com tamanha dor de cabeça que passaram.

    Realmente, quando soube da GOL em fazer vôos para os EUA, logo já li as condições. Coclusão: Não compensava. Algo estava me cheirando "dor de cabeça". Bingo!!!!!

    Lamento pelo que vcs passaram e obrigado pelo relato. A GOL ainda não me deu confiança para viajar internacionalmente com ela.

  • Jonas

    Ótimo relato! Fiquei cansado por vocês.

  • Luiz

    Otimo Relato…

    Mas fiquei com uma dúvida, ou não entendi corretamente:

    – O Colega ficou 5 dias em NYC e queria levar 3 Malas de 32 Kilos?

    Inclusive com esse volume todo existe a chance da Imigração Americana desconfiar de IMIGRAÇÃO ILEGAL, pois a quantidade de malas não era compativel com a viagem.

    Voltar com 3 Malas eu até concordo e recomendo (rsrsrs) mas ir???

    Não entendi essa parte…

    • Felipe Rossi

      Luiz, levar não!

      Trazer!!!!

      • Joao Ricardo

        Felipe, os procedimentos da alfandêga estavam pesados?

  • Claudia

    Fiz uma viagem para os EUA pelo programa Smiles. Na volta, o primeiro vôo foi pela American airlines e o segundo, conexão em Punta Cana, foi pela Gol. Esse segundo trecho foi horrível. Para começar, haveria duas escalas. ate aí tudo bem. Ocorre que eu recebi vários emails alterando os horários, outro mudando a escala Sao Paulo – Rio de Janeiro para uma conexão nao prevista (sendo que o vôo em que eu estava viria para o Rio, mesmo assim tive que desembarcar, esperar duas horas em Sao Paulo para então chegar ao Rio) e, pior, durante a viagem, vi um email cancelando esse ultimo trecho. Minha sorte é que so vi esse email quando cheguei em casa e embarquei sem problema. O vôo Punta Cana – Rio pela Gol foi horrível: de jantar, pasme, um sanduíche de queijo, o café da manha foi amendoim. Nem aceitei o dito amendoim, sinceramente senti uma humilhação um vôo internacional com esse tipo de atendimento, preferi beber água . Nada de diversão a bordo, música, nada. Quem nao tivesse um iPad ou coisa do gênero estava mal. Os funcionários sao gentis e educados, minha irresignaçao é em relação a cia aérea e ao Smiles, que cada dia crescem mais porém com serviço de péssima qualidade. Fiz reclamação no site Reclame Aqui, porém ninguém me respondeu – o que eu já previa…

    • Claudia

      A ida foi pela Delta, nao tenho reclamação. Concordo com o autor do texto, bem escrito e detalhado, muito útil: NYC pela Gol, só se nao houver mais nenhuma outra opção para gastar minhas milhas.

    • Claudia

      Só pra esclarecer melhor, o cancelamento do trecho São Paulo – Rio foi mandado para o meu email durante a realização da viagem, ou seja, eu já tinha embarcado em Punta Cana, com escala em Caracas, com destino a São Paulo (onde seria a conexão para o Rio), mas só li o email quando cheguei em casa. Teria ficado desesperada se tivesse lido em alguma escala!

      • Raquel Oliveira

        Claudia tive a mesma percepcao que vc, infelizmente nao tive a mesma sorte. So vi a primeira alteracao de data, que me mandaram por e -mail. A Segunda, anteciparam a saida em 1hora e nao recebi aviso..E embora eles me garantam que me mandaram e mail avisando, ja vasculhei toda a minha caixa e nada!!!! Fui ao aeroporto, no terminal que eles disseram, fiquei rodando com malas pesadas (gravida de7 meses) para ir a caça do terminal correto. Foi dificil achar, pq eles sao muito miudos, e ficam quase que escondidos no final de um vao, imprensados entre outras operadoras.

        Quando chego para fazer o check in, nao tem ninguém e fico uma meia hora esperando, quando uma atendente aparece (com uniforme air france) outro casal vai tirar agumas duvidas.

        Quando chega a minha vez, sou informada que perdi o voo pois cheguei tarde. Mostro para ela a minha reserva, e aviso que cheguei na hora certa, mas nao tinha ninguem. Ai ela me fala que o voo Sairia as 22h e nao as 23h, como està na minha reserva. Muito atenciosa e educada, ela fala com seu supervisor para ver se da ainda tempo, lamenta e diz que nao pode me ajudar. Pior que isso, ela diz que nao tem como me passar qq informacao. nem mesmo um telefone nos EUA que eu possa ligar.

        Meu voo foi no domingo, e precisava estar na segunda feira em casa para ir ao trabalho, e realizar exames do meu bebe. Quando consegui falar com um atendente foi por chat. me jogaram para um voo na terca. Fique 2dias num outro pais, perdi meu exame faltei 2dias de trabalho, e Tudo isso, sem qq assistencia da gol, nem mesmo um pedido de desculpas. Tudo o que eles me dizem e que enviaram um e mail, isso mesmo 1unico e maldito e mail. O resto e se vire ai…lamentavel. Ficou uma licao, a nao ser que vc tenha um baita suporte e espirito aventureiro, (o que nao e o caso de uma gravida de 7 meses), nunca faça um vôo internacional com uma empresa iniciante e de baixa representatividade nesse pais. Principalmente, se essa empresa, nao tiver respeito pelo seu cliente.

    • RABUGENTO

      Há muita gente completamente alérgica a amendoim.

      O choque anafilático pode matar.

      Nem entendo porque os lá do norte gostam tanto de pasta de amendoim.

      Não deveriam distribuir em viagens sem indagar se a pessoa pode ou não ingerir tal produto.

  • Marcos Sobral

    Não entendo a GOL. A maioria das empresas do mundo se sustentam com voos internacionais. A Gol tem uma oportunidade de fazer isso no Brasil, com a vaga deixada pela antiga Varig, e fica com a velha "cultura rodoviária" de tratar todo mundo como passageiro de ônibus.

    • HERMES BENTO

      Desculpa, mas faço viagens de ônibus SP-RIO e SP-CWB e o atendimento pré e pós viagem nem se compara ao da GOl. Tem suas falahas como qualquer empresa, porém, o atendimento da GOL e depreparo dos funcionários (principalmente os funcionários em terra) são demais!!! Conclusão…. a Gol não sabe tratar o passageiro nem como passageiro de ônibus!

  • Marcos Sobral

    Segue uma dica: acho promo da Copa por R$ 1200,00 (sem taxas) no trecho Recife x Miami para Abril/Maio.

  • Beto Borja

    Ivo,

    Nao tenho cadastro na Delta e vc poderia me informar se ba Executiva sao 37 mil milhas? Pra qq cidade EUA? Incluindo Havaí?

    Se sim estarei resgatando pontos do santander para ela.

    Obrigado.

    Beto B.

    • Ivo Duran Filho

      Oi Beto.

      Para emitir executiva por 37k você faz pelo proprio site da Smiles, é so ir no menu "emitir por cia parceira". La você pesquisa e ai vai aparecer as datas disponiveis. As vezes não tem data, você precisa ficar pesquisando varias combinacoes de datas, tem um menu de datas em carrosel, ai é so ir colocando pro lado que ele mostra se tem data disponivel.

      As vezes aparece só executiva e não classe normal.

      Pelo site da Delta é muit mais caro viajar com milhas, não sei porque, executiva la é coisa de mais de 100k milhas.

      Abs

  • Daniel Bazetto

    Fiquei cansado só de ler! Viajar com a Gol pra destinos internacionais só se for uma super hiper mega promoção.

  • Beto Borja

    Fiz agora em Janeiro o Vôo GruxMia, pela gol parando na republica dominicana para abastecimento, realmente o vôo foi sofrido. Nao faria novamente.

    No meu caso fui deslocado de um vôo fretado da nascimento que nao partiu no dia, para este da gol.

    Boa sorte a quem se aventurar mas eu nunca mais.

    Beto B.

  • Beto Borja

    MD – Excelente Promo Citibank/AAdvantage

    Acabo de emitir vôo pela AAdvantage ( programa de milharem AA) por 15.000 milhas trecho para qualquer cidade EUA, incluindo Havaí, Canadá e Caribe. Eu acabei torrando as milhas em 3 viagens Pra lá.

    Tem direito a um Stopover gratuito na chegada ou saída – Mia – JFk ou Dallas.

    Emissão ate 05 abril

    Vale para voar ate 16/dezembro apenas embargo 15 julho a 04 agosto.

    Faz 3 anos que a AA fez uma promo como esta e acredito ser a melhor promo da atualidade.

    Era isto.

    Beto B.

    • leo avelino

      Onde consigo emitir com 15 mil, no site ou por telefone? e como faço para marcar o stop? a promoçao vale para qulauqer cliente advantage?

      Obrigado

      • Beto Borja

        Leo, isto mesmo, pra ser mais rapido e facil vc procura no site seu trecho dentro deste período que relatei, se achar emissão com 20 ou 30 mil, vc anota os vôos que quer fazer com esta tarifa e ligue no atendimento.

        No atendimento eles vão pedir seu trajeto e por lá eles reservam Pra você neste valor de milhas e ao fazer o pagamento com cartão Citi/AAdvantage já irão debitar apenas as 15mil por trecho.

        Eu emiti 2 vôos gru/mia – 1) Mco/ JFK – JFK/gru Stopover de 5 dias na ida em mia/Orlando.

        2) gru/JFK – JFK/Lax – Lax/gru na ida Stopover New York.

        Quando pesquisei havia inclusive honolulu. Por 15 mil milhas.

        Mas as taxas precisam ser pagas com o cartão credito Citi/AAdvantage.

        Boa sorte.

        Beto B.

        • leo avelino

          Muito obrigado pela dica. Vou tentar. ab

        • leo avelino

          Muito obrigado. ab

    • Claudia

      Puxa, vou procurar me informar melhor sobre isso, parece bem melhor!

  • Legal, Andre, pode mandar que a gente publica

  • Diego Dama

    O que vc falou é uma verdade. o ESTA é um direito da cia aérea solicitar ou NÃO. Eu tenho passaporte europeu, voei com a DL e eles me solicitaram. Alegam que, eles não tem como garantir que vc realmente tem o documento exigido.

  • Raoni Fonseca Duarte

    Excelente relato! Tem que ter coragem pra encarar a GOL pra ir pros EUA! Só sendo a última opção…

  • Carolina Silva

    Voltei de Miami pra Guarulhos pela Gol agora em Janeiro/2013 por 25 mil milhas. Não sou cliente Ouro nem Diamante, portanto acho que minha experiência foi mais próxima do senso comum!

    Realmente, o vôo é desconfortável, mais do que outras classes econômicas. o que mais me angustiou, porém não foi nd disso: a falta de opções de diversão a bordo deixava td mt tedioso!! até o conteúdo do Gol no Ar são vídeos pequenos (acho q o maior tem 20 min), nd se compara com os filmes e outras opções de qualquer outra empresa… fora que esse desencontro sobre as tomadas me sabotou; só vim saber que tinha onde carregar os eletrônicos aqui, ou seja, fiquei parte razoavel do tempo sem ver nd!!

    Ah! Senti falta tb de da 1ª classe e da executiva. Fiquei com pena de qm pagou mais caro só p n ter a poltrona do meio ocupada (nd de maior espaço pra coluna da frente, ou cadeirasais reclináveis!!)

    Resumindo: pelo preço que paguei, considerando que voltei logo dpois do reveillon, voaria de nv, mas DEFINITIVAMENTE, se eu achar outra cia no msm valor, não optaria pela Gol!!!

  • Hermann

    A Copa usa o 737-800 para interligar suas rotas de longa distância (GRU-PTY. PTY-MIA, PTY-MCO, PTY-JFK etc etc etc).

    Não há nada de excepcional ou extraordinário em voar com 737 – o problema é a configuração utilizada e o (péssimo ou ótimo) serviço de bordo.

    Mas, claro, via de regra voar longas distâncias com um 737 só se você for masoquista ou faquir. Ou ambos.

    • HERMES BENTO

      Na minha opnião o problema maior não é a aeronave! Conforme relatado o atendimento (que já conhecemos) antes da viagem, emails sem respostas, ligações para as centrais de atendimento sem sucesso e quando tem não há informações, falta de comprometimento com as regras do programa Smiles para participantes ouro e diamante (priridade de atendimento, reserva de assentos, prioridade no embraque independente de terem 99% de prioridades dentre outros), falta de preparo dos funcionários do check-in, do embarque, relaxo na organização do avião para o retorno! Falta de informação com relação ao período climático em NYC, falta de informação com relação ao terminal de embarque no retorno!!!!!! Enfim, podem ver que as falahas principais e que mais estressam o passageiro é o desrespeito ou despreparo da GOL e não a configuração da aeronave…. que colabora com tudo isso, mas se fosse só a configuração da aeronave sem todos os contratempos relatados, acredito que seria possível uma viagem tranquila e prazerosa! Na minha conclusão o problema principal é o ATENDIMENTO pré- venda e pós-venda dos bilhetes!

  • FH

    Gol só pra Buenos aires. Fora daí, não dá. Essa barca de NY era favas contadas. Parabéns pelo relato.

  • Thiago Brondani

    Na verdade a solicitação do ESTA impresso não é exigência exclusiva da Gol. A Delta e a American Airlines me pediram também, talvez se eu não tivesse impresso eles iriam providenciar no sistema deles o número, mas eles também pedem.

  • Diego Rafael

    Numa boa, a situação descrita não é pior que a Delta e as escalas nos seus McDonnell Douglas MD-80 bizarros com turbinas que BERRAM nos seus ouvidos nos voôs de Atlanta a Nova Iorque, via aeroporto de Newark/NJ.

    Além disso, neste trecho, eles servem um pacotinho composto de -juro!- 8 (OITO) amendoins ou, alternativamente, 4 (QUATRO) micro-pretzels (salgadinhos estilo Stikzy da Elma Chips, só que enrolados) de 3 cms, e refrigerantes. A Delta, pra mim, ainda é a pior cia aérea do Brasil para os EUA, pelo menos saindo de Brasília.

    Eu voaria de Gol usando milhas (mas jamais compraria uma passagem, a não ser que estivesse MUITO mais barata que as concorrentes).

  • Lucas Senger Jacobus

    Lamentável.

    A Gol tinha que ter vergonha de seu serviço. Pelo jeito, nem isso.

  • Marcello Oliveira

    ótimo relato. Mas além de eu não me aventurar em ir para os EUA com a Gol, não acumulo minhas milhas no Smiles. Prefiro sempre o Fidelidade (embora tb eu não goste muito da TAM), mas gosto muito do Fidelidade e por causa dele, já voei sem nenhum estresse (inclusive com´grande facilidade de emissão) em companhias da Ásia.

    Uma coisa que não entendi. Por que tanta preocupação com o tala ssento conforto sendo que ele tem um espaço entre poltronas menor do que a saída de emergência?

    Fazer longos voos com 737 e A320 é realmente um desgaste e tanto. Já fiz Rio-São Luís de 737 da Gol e Bogotá-São Paulo de A320 da TAM e só falo que não é agradável não.

  • Tito Bosco

    Eu heim que viagem! Que despreparo da equipe em relacao ao voo internacional. Tem que pegar a velha guarda da VARIG que tem o know how com excelencia!

    Serao precisos muitos ajustes, nada é perfeito, mas tao imperfeito assim nao poderia ser né? rsrsrs

    • Felipe Rossi

      Ahhhhh a velha Varig….

      • Enrico

        Sim,a boa e "velha" VARIG… Incomparável!

  • Vitor J. Nunes

    O atendimento da Gol é terrível, de fazer chorar de tão triste. Desinformação, informações contraditórias, mal humor, dificuldade para ser atendido, site confuso, enfim, passaria minha vida relatando situações constrangedoras e estressantes ao tentar ser atendido pela Gol. Quando penso que preciso ligar ou tentar resolver algo com a Gol já dá um desânimo.

    • Vitor J. Nunes

      Putz! Se o que escrevi acima fosse premeditado não seria tão bem feito.

      A Gol precisa entender que enquanto o atendimento dela for tão horrível como tem sido, ela vai ser sempre a última opção dos passageiros e isso significa, necessariamente, "só compro se for promoção e bem barato". O resultado é esse:

      Prejuízo da Gol dobra em 2012 e chega a R$ 1,51 bilhão

      A empresa aérea Gol teve prejuízo de R$ 1,51 bilhão em 2012, alta de 101,3% em relação ao resultado do ano anterior (quando perdeu R$ 751,5 milhões).

      O resultado, segundo a empresa, reflete o momento "desafiador" pelo qual passam as empresas aéreas, principalmente com a alta no preço do combustível.

      A desvalorização de 17% do real em relação ao dólar, além do baixo crescimento da economia brasileira em 2012, também foram apontados como responsáveis pelo prejuízo da empresa.

      No 4º trimestre, a Gol teve um prejuízo líquido de R$ 447,1 milhões, ante lucro líquido de R$ 54,3 milhões um ano antes.

      A Gol também informou que, com o objetivo de elevar a receita por passageiro (rask) em pelo menos 10% e retomar as margens operacionais, reduzirá a capacidade doméstica em entre 8% e 10% no primeiro semestre de 2013 e em cerca de 7% no ano fechado, ante os níveis de 2012.

      Webjet

      A companhia aérea afirmou ter contabilizado no balanço do quarto trimestre custos adicionais de R$ 197 milhões referentes ao fim das operações da Webjet e a provisões para perda com ativos.

      Em novembro, a empresa anunciou o encerramento das atividades da WebJet, comprada pela Gol em 2011, com a demissão dos 850 funcionários.

      (Com Reuters)

  • Jorge Henrique Garci

    Fui no primeiro vôo deles, em dezembro. O cardápio é horroroso de ruim. A Volta foi em uma aeronave velha, nada de interior sky. A volta não teve kit nenhum, nem travesseiro nem cobertor que foi oferecido na IDA. A falta de informação é realmente o que é mais revoltante. GOL para NY, nunca mais.

  • Paulo Oliveira

    Não sei se tem um padrão, pois já embarquei pra NY pelo Galeão e só houve a passagem normal pelo raio-x, ninguém pediu pra ver a bagagem de mão.

  • Eduardo Henrique Oli

    Pelo que eu estou vendo, a melhor cia para voar aos EUA hoje é a Delta. AA que tem mais voos para o Brasil, está se recompondo com os novos 777-300ER que pode ser uma opção pra quem vai utilizar o aeroporto de Dallas.

    Acho que a GOL não deveria nem se arriscar a fazer esses voos.

    Mas e o lance da receita federal passar todas as malas por raio-X na chegada ?

    Mesmo as pessoas que passarem pelo NÃO DECLARAR ?

    Voltei dia 28/12/2012 de Dallas e minha mala não passou obrigatoriamente pelo raio-x…

    Alguma coisa mudou ?

  • Ronald Sekkel

    Excelente relato. Eu estava realmente muito curioso para saber como seria este voo para os USA com a GOL.

    Infelizmente minhas piores expectativas foram confirmadas….

  • Pierre Acioli

    Não consigo compreender o porque de tantas reclamações dos serviços prestados pela Gol, a empresa faz um voo teste (promocional) para clientes smiles, todos que utilizam os serviços da Gol sabe que as aeronaves são desconfortáveis e que o serviço de bordo é mínimo, criam-se expectativas surreais que algo será diferente. Liso anda em voos promocionais, não criam expectativas, só se espera que o voo saia e retorne na hora marcada. Tem muita gente abusada, se não gostam do serviço, vão na primeira classe de outra empresa, usem outro benefício de milhagem.

  • Raphael Chaves

    Legal seu comentário sobre essa fatídica experiência!

    Senti desespero só de ler!

    Eu já me recuso a voar pela GOL em vôos domésticos, portanto jamais passarei por uma experiência dessas!

    Viajei de TAM para o JFK em outubro de 2012; não tenho nada a dizer contra o atendimento, e os A330 utilizados, muitos deles novos, são confortáveis na econômica (dentro do possível)

  • Renan

    Excelente relato pessoal.

    Uma dica e pedido para quem passar por aqui: daqui mais uns 6 meses, seria legal ter um outro relato. Vai que a GOL também ta lendo o MD e melhora as coisas ? hehehehehe

    Abraços a todos

  • José Maria Fr

    Realmente estamos muito mau servidos no Brasil… seja Gol, seja TAM…

    Saudades da Varig… tempos áureos.

    A vontagem é que como o Brasil é a bola da vez, podemos escolher várias companhias que cada vez fazem mais e mais promoções para conquistar os clientes…

    Aos que reclamam da AA ou LAN… isso da GOL é café pequeno…

  • Roberto Jardim Caval

    A propósito, Andre Luis, como você fez para emitir passagem da Delta usando milhas da Gol? Há dias estou verificando a disponibilidade da Delta, no site da Gol ("Companhias Parceiras"), em julho, para a Flórida e não encontro disponibilidade em nenhuma data…

    Grato!

  • Felipe Vieira

    NYC com a Gol só se for grátis. De milhas ou pagando($), vou não!

    Com a TAM nos A330 já chego quebrado em NYC, imagine nesses 737. Deus me livre…

  • Enrico

    O problema da Gol é que esta não respeita os contratos. Descumpre horários, cancela vôos a seu bel-prazer, pouco se importa com os interesses de seus clientes-passageiros, e ainda os trata com descaso. Não é uma empresa séria…não é confiável! A julgar pelo tamanho do passivo acumulado e por sua péssima administração,a Gol não deve ter "vida longa" nesse mercado cada vez mais competitivo. O tempo irá nos dizer.

  • Nishan

    Eu emiti sem problemas um trecho EUA-BRASIL pelo Smiles voando Delta sem problemas. Não entendi o que foi dito da Gol não possibilitar o resgate.

  • Paula

    Oi Denis!

    Dá um help aqui…

    O Ivo falou que pegou uma boa promoção de milhas pelo advantage da Delta.

    Tenho Advantage, mas está zerado. É possível emitir com smiles? Outra dúvida, é possível migrar pontos do cartão CEF e Santander para o Advantage?

    • Paula

      Desculpa, Denis.

      Coriigindo: não é o advantage. Acho que é o skymiles…

  • Andre Stein

    Tenho passaporte alemão e SEMPRE levo o ESTA impresso nas minhas viagens pra fora. E ainda mantenho um PDF no Dropbox para emergências.

  • Marcelo Araujo

    Estou programando uma viagem com a família (esposa + filho de 3 anos) para Orlando, e achei o seu post excelente! Acredito que muita coisa seja parecida (embarque, burocracia, stress).

    Estou dando prioridade a Gol pelo valor proposto para essa viagem. CWB > MCO > CWB sai por R$ 7000 aprox. enquanto em outras cias aéreas, sai por volta de R$ 10.500. Portanto, o valor tem um peso importante na decisão.

    Porém, a máxima diz: "O barato sai caro" e tenho receio em investir num vôo desses (apesar de ser bem mais em conta) e sofrer com a falta de preparo da equipe, serviço de bordo ou até mesmo a configuração de poltronas da aeronave. Estou indo com uma criança e penso muito no conforto e a disponibilidade de entretenimento para o meu filho.

    Bem, o post valeu e está pesando na minha decisão. Até a próxima…

  • Daniel Ribeiro Trind

    Sobre a dificuldade de emissão de bilhetes nas companhias parceiras: tb tive problemas para emitir duas passagens para a Europa pela falta de disponibilidade de voos.

    Procurei passagens do período de 1 de abril até 1 de novembro e nada para a Europa. Ao ligar pro Smiles e questionar a indisponibilidade por um período tão grande, me disseram que eles não tinham como fazer nada pois era a empresa parceira (AirFrance/KLM) que controlava isso. Falaram tb que eu deveria procurar com frequência pois as vezes havia a surpresa de novas vagas serem liberadas. Piada isso.

    Eu então fiz uma reclamação no Reclameaqui. Recebi uma resposta padrão dizendo as mesmas coisas de sempre. Decidi ligar de novo pro Smiles e tive a sorte de encontrar uma atendente que me deu a dica: procurar por voos saindo de Buenos Aires! A disponibilidade era muito maior segundo ela e, uma vez que eu achasse as datas que eu queria, ela poderia montar um voo de conexão até a Argentina. Fora de mão, mas fazer o que. Fica a dica pelo menos.

    Minha sorte é que de repente apareceram uma porrada de voos disponíveis e eu não precisei do voo de Buenos Aires. Os voos apareceram exatamente um dia depois de eu ter feito a reclamação no Reclame Aqui. Será que foi coincidência?

  • Vicente Cassepp Borg

    Para mim, parece que a Gol está aprendendo a ser internacional. Muito bom relato.

  • Angela Brandã

    Denis, foi muito esclarecedor seu artigo.

    Infelizmente já fiz a opção com milhas para GRU/JFK em novembro. Embora na classe executiva também não consegui marcar meu assento!

  • Pamella Prado

    Não entendi o trecho final.. da passagem compulsória pela Receita Federal… agora estão obrigando todos a passarem pelo raio-x?? desde quando??

  • Não foi meu, mas do Felipe =)

  • Rafael

    Documentos nunca são demais. Vejam, são só algumas folhas de papel, peso quase zero e quando não está em uso, basta dobrar (se for cópia) e enfiar na bolsa/mala. O custo-benefício é muito grande para deixar ao acaso.

    Quanto ao relato: quanto sofrimento! Miami nos 737 da Gol já parece surreal, imagino NYC. Ainda mais com esse atendimento despreparado… muito perrengue para pouca economia.

  • cassio felix de mour

    Agradeço ao autor pelo esforço, muito útil para todos que pretendem viajar e também para dar um respaldo para a GOL e Smiles para ver se alguém "se manca" e melhora alguns aspectos…

    Além disso, está muito bem escrito e com boa riqueza de detalhes, dentro do texto existem muitas dicas adicionais, posso afirmar que aprendi muito com essa descrição de viagem. Agradeço também ao pessoal dos MelhoresDestinos pelo ótimo trabalho, sou fã e divulgador deste ótimo site sempre que posso!

  • Marcos Sobral

    É meu. Tem razão. Tá pior do que o ruim.

  • Claudia

    Puxa, Raquel, lamentável o que aconteceu com vc, a sua situação foi bem pior do que a minha. No ano passado fiz uma viagem por outra cia aérea (Tam) e alteraram o horário do voo em meia hora. Além de me mandarem email, um funcionário me ligou para saber se eu estava ciente da mudança. Uma atitude de respeito e que custa muito pouco.

  • Cristiano Alencastro

    Estados Unidos continental é uma quantidade de milhas, já para o Havaí são mais milhas.

    Dá uma olhada: http://www.voegol.com.br/smiles/pt-br/milhas/resg

  • Rafael

    Pierre, uma coisa é você esperar pouco da empresa. Outra coisa é você não esperar que será (des-)informado com informações contraditórias, não terá alguns confortos que teve no voo da ida (manta e travesseiro, por exemplo), funcionários sem preparo, falta de distinção entre Smiles Diamante e passageiros comuns e por aí vai.

    Mesmo quem está pagando barato, quem é liso, espera que, no mínimo, o serviço prestado tenha "o mínimo" de decência – o que não ocorreu, conforme o relato.

  • Tito Bosco

    fuon fuon fuon

  • Tito Bosco

    Se vc chegar numa padaria pequena, nova, no bairro pra comprar seu pão, aceitaria que o manuseio do seu produto fosse sem uma proteção? Tipo, o cara coloca o pão dentro saco com as mãos sem as luvas, só pq o preço é promocional ou o lugar é simples?

    Há coisas que esperamos o mínimo de qualidade até mesmo para cativar o cliente e então o serviço se firmar no mercado.

  • Felipe Rossi

    🙂

  • Felipe Rossi

    TODOS os passageiros tiveram toda as malas e mochilas submetidos ao raio-X.

  • Felipe Rossi

    Esse relato foi de uma viagem ocorrida em 02/13. Todos os passageiros submeteram as malas ao raio-X. Tanto os nada a declarar quanto os que declararam algo. O procedimento esta virando (ou já virou?) padrão? Em Bsb todos passam. Em Gru, nos últimos vôos internacionais que fiz, todos passaram tb.

  • Felipe Rossi

    Desde novembro de 2012, todos os vôos internacionais que fiz, chegando em BSB, GRU ou POA o raio-X foi obrigatório para todas as malas. Creio que tenha virado procedimento padrão. .

    • Leonardo Gomes

      Fiz MIA/CNF no fim de novembro de 2012 e um colega fez o mesmo no início de março 2013 e NÃO teve isso de raio X pra todos. Parece que CNF (ainda) não está nessa.

    • Carolina

      Não é padrão não (ainda!): voltei de NYC por Toronto (Air Canada), desci em Guarulhos em 23/01/13 e não houve passagem de bagagem pelo RX.

      A escolha é aleatória, porém tenho visto que os voos vindos de Miami, Orlando e NY são os mais cotados para inspeção, por motivos óbvios.

      • Sérgio Garcia

        depende do fluxo, se tiver poucos passageiros no horário e o carinha da receita estiver animado passam todos, mas se tiver muitos VOôs chegando e fluxo de passageiros for maior eles só escolhe alguns ou se estiver sem coragem nehum, o melhor horario para se chegar em GRU é de madrugada, cheguei estes dias de Miami pela Avianca 01:00h e o carinha nem deu bola mandou todo mundo passar direto, estava morrendo de sono, e só tinha ele de fiscal.

  • Felipe Rossi

    Eduardo,

    Esse relato foi de uma viagem ocorrida em 02/13. Todos os passageiros submeteram as malas ao raio-X. Tanto os nada a declarar quanto os que declararam algo. O procedimento está virando (ou já virou?) padrão? Em Bsb todos passam. Em Gru, nos últimos vôos internacionais que fiz, todos passaram tb.

    • Hermann

      No começo de dezembro (02/12 segundo seu comentário) eles poderiam estar começando a operação "Papai Noel", e todo mundo era enviado para o raio-x da alfândega.

      Eu passo pela alfândega de SP com relativa frequência e agora eles não estão muito preocupados: a Receita Federal tem alguns furgões raio-x, e a pré-vistoria é feita ainda na pista, em 100% das bagagens despachadas.

      Mandar 100% dos passageiros para o raio-x é muito estranho – não é usual em dias normais. Nunca vi isso.

  • Diógenes

    É muito estresse pra uma viagem só. Nosso amigo Felipe ficou traumatizado. 😀

  • Sérgio Garcia

    Pelo jeito este felipe é muito exigente, pois o Boings 737-800 da gol são as aeronaves mais modernas seguras e econômicas do mundo, e os espaços entre as poltronas são melhores que muitos Airbus e 767 ou 777, e outra felipe vc foi para New York logo nas primeiras viagens que a Gol fez e não se deveria exigir tanto ainda mais com milhas, já fiz muitas viagens para Miami, com Avianca, Lan e Taca, e para mim uma viagem que fiz para recife pela Gol foi a melhor de todas com um 737-800. Agora incidentes acontecem sempre como atrasos, e outros contratempos, já estou acostumado, em julho viajarei para MIami novamente e vou de GOL com escala em Santo Domingo, e não estou nem um pouco preocupado.

  • Sérgio Garcia

    Pelo jeito este felipe é muito exigente, pois o Boings 737-800 da gol são as aeronaves mais modernas seguras e econômicas do mundo, e os espaços entre as poltronas são melhores que muitos Airbus e 767 ou 777, e outra felipe vc foi para New York logo nas primeiras viagens que a Gol fez e não se deveria exigir tanto ainda mais com milhas, já fiz muitas viagens para Miami, com Avianca, Lan e Taca, e para mim uma viagem que fiz para recife pela Gol foi a melhor de todas com um 737-800. Agora incidentes acontecem sempre como atrasos, e outros contratempos, já estou acostumado, em julho viajarei para MIami novamente e vou de GOL novamente com escala em Santo Domingo, e não estou nem um pouco preocupado. Fui pela Tam e já tive vários contratempos, mas sorte é sorte, um dia sempre alguem passa por isso, mas acho que não deverias deixar as pessoas que já tem passagens compradas apreenssivas, pois esta é uma experiencia que vc teve, mas tem muita gente que não teve problema algum.

    • Fabio Rudolfo

      Prezado Sérgio Garcia, lendo todos seus relatos não sei se é impressão somente minha mas é no mínimo estranho o tanto que você defende a GOL…

      Tudo bem que o nível de exigência varia de pessoa pra pessoa (viva as diferenças!) mas querer comparar uma viagem Brasil x EUA pela LAN/TACA ou AVIANCA e dizer que é de qualidade inferior à uma pela GOL com um 737 já é demais… Tive oportunidade de experimentar a TAM e a AVIANCA nos trechos GRUxMIA e minha mãe já voou POAxMIA com a TACA, posso afirmar sem sombra de dúvidas que as melhores experiências foram com a dupla TACA/AVIANCA… Tendo por base os voos internos onde a TAM é superior à GOL, imagino o quão sofrível deva ser um voo internacional em um 737…e não falo em segurança e modernidade, e sim em CONFORTO da aeronave e EXPERIÊNCIA da tripulação!!

  • Sérgio Garcia

    Não tenha medo não, também comprei 4 passagens para a Familia para julho para Miami, e não estou nem um pouco preocupado, os 737-800 da Gol são uma das aeronaves mais seguras, confortaveis, econômicas e modernas do mundo, quase todas as companhia aéreas estão comprando esta aeronave, são todas novas, e a Gol tem encomenda mais 80. Agora o relato do nosso amigo foi logo nas primeiras viagens que a Gol fez para os EUA.

    • Josimar Ambrosio

      A aeronave realmente é tudo isso sim, só não é preparada para uma viagem de 14 horas…

      Acho que o preço tem que valer muito a pena para "aguentar"…

  • Josimar Ambrosio

    Ótimo relato, muito bacana. Embora vindo da GOL já não me surpreenda muito…

    Eu sempre achei a Gol muito enrolada pra muitas coisas. Na minha opinião, realmente é pior que ônibus.. entre meus amigos, nós a apelidamos de “ônibus aéreo”.

    Esses dias, em um voo doméstico de Curitiba pro Galeão, com uma conexão em Campinas, tive uma dor de cabeça tremenda por se tratar de um voo INTERNACIONAL.

    Começou por eu não conseguir fazer o check-in online, dizia que eu tinha que ir pro aeroporto… No aeroporto, não consegui fazer no totem, me pedia para me dirigir ao balcão… Ok, fui pra fila (gigante) e chegando ao balcão, fui informado que o avião que faz esse trecho, vem de Buenos Aires, por isso eu teria que passar por todos os tramites de um voo internacional. Até entendo ter que passar pelos tramites de um voo internacional se o voo vem de Buenos Aires e apenas tem uma escala em Curitiba, o detalhe, é que sempre vou de CWB pro Rio, e tudo que levo é uma pequena mochila (bagagem de mão –jamais despacho bagagem nesse trecho). Minha mochila estava com meu computador dentro, minha câmera e algumas pequenas coisas que são proibidas em voos internacionais (desodorante aerosol, mais de 100gr/ml de qqer coisa, líquidos, pote, frasco, alimentos, comida da vó e etc) em fim, o chato foi ter que despachar a mala, levar o computador, a câmera, e tudo mais que eu não podia despachar, NA MÃO, sem nenhuma proteção. Sem contar que tive que comprar um cadeado (no aeroporto – ou seja, caro), porque não fui preparado para despachar bagagem – menos ainda minha mochila. Vocês podem imaginar a cena e os detalhes…

    E tudo isso, simplesmente por um pequeno erro da parte da GOL que teria feito toda diferença: A falta de comunicação. Se no ato da compra eles informassem isso, nenhum desses transtornos teria acontecido.

    Voo G3-7497, Curitiba 16:37 – Campinas 17:10 – Única vantagem é caso queira ir no Duty Free de Curitiba, só que na minha opinião, mais parece uma banca de jornal, não tem quase nada.

    Viajar de GOL? Apenas mesmo se tiver MUITO barato. Voo internacional? Só de graça e olhe lá!

  • Sérgio Garcia

    Fica tranquila, vai dar tudo certo, já fui para Miami pela Gol em janeiro e não tive problema algum, agora vou novamente em julho com escala em Santo Domingo, ache que contratempos acontecem, já estou acostumado com outras empresas.

  • Sérgio Garcia

    concordo com vc o preço vale apena principalmente nas altas temporadas, entretenimento leva uma revista um livro ou um jogo, fui em janeiro para miami via santo domigo sem problemas e vou novamente em julho, para mim o que manda é o preço, 10 horas passan rapido.

  • Sérgio Garcia

    Pierre, concordo plenaqmente com VC, já viajei para Miami pela Avianca, TAm, Taca e Gol, e não vi muita diferença uma das outras, todas sempre atrasam, imprevistos sempre tem ainda mais com uma empresa que está começando as rotas internacionais, não tenho que reclamar da Gol. Agora quem quiser mordomia comida melhor entretenimeto melhor, procure outra empresa com preços maiores, o que para mim só vão jogar dinheiro fora, pois a viagem é curta 10horas de viagem passa rápido, e o que importa para mim são os preços, acho que autor do relato é muito exigente.

    • Joaquim Lustosa

      Também achei o autor do post muito exigente. Mas valeu escutar sua experiência.

  • Luis

    Tão boa que faliu! Mortinha da silva..

  • André Meluzzi

    Se vc vai de executiva, não é com a Gol, pois ela só oferece econômica em vôos próprios!

    Será que você não emitiu através do Smiles uma passagem com a parceira Delta?

    Se for isso, basta usar o mesmo localizador no site da Delta para marcar o assento! Vou de executiva também e acabei de fazer isso!

  • Marcelo Ataide de Ol

    Gol para o exterior nunca mais! Fiz o trecho Curitiba /Miami/Curitiba com partida dia 02/03 e retorno 16/03. A Gol antecipou meu retorno sem avisar , em Miami a Gol fica em um local isolado, funcionários terceirizados totalmente despreparados! Enfim um caos.Fica a dica não viagem de Gol para o exterior.

  • BernardoCrettonVieir

    Felipe, excelente descritivo. Apesar de criticado por alguns amigos, pois prefiro pagar pra ter um bom serviço no voo (sou autor de uma publicação de como voar na Executiva da TAM aqui no MD), ainda insisto que uma boa viagem começa no aeroporto. Se eu estava com 1% de dúvida em experimentar esse voo, agora seu excelente relato me tirou esse 1%, reduzindo-o a 0% (ZERO!). Vergonhoso realmente o serviço prestado por uma companhia que tinha tudo pra fazer frente à TAM, mas que optou pela triste "ECONOMIA PORCA" que algumas Empresas (de todos os ramos de serviço) vêm adotando. Parabéns!

  • BernardoCrettonVieir

    Diego, a pior americana (antes da fusão) é a US AIRWAYS, acredite!

  • BernardoCrettonVieir

    Eduardo, já voei 2 vezes com a Delta e 2 com a TAM (sendo 1 com executiva) e posso afirmar que a melhor opção é a TAM, atualmente, para os EUA, nos A330 dela (pelo menos pra NY ela usa esse modelo). Depois da TAM, por relatos de amigos, apostaria, como segundo lugar, na United. A AA precisou enxergar que somos o maior mercado deles pra apresentar novos equipamentos (B777), por que não fez isso bem antes?

  • BernardoCrettonVieir

    Concordo com vc, Raphael!

  • Felipe

    Marcelo, fiz GRU-MCO em Dezembro pela Gol.

    Minhas criticas seriam em relação as poucas opções de entretenimento (não tinha sistema de entretenimento individual e o GOL No Ar não funcionava). Já algo que me deixou extramemente irritado foram as refeições. Ridiculas! Teve um jantar que teve um sanduiche quente, e o almoço da volta tinha uma massa em uma quantidade absurdamente pequena. Passei fome no voô, e olha que sou magro e tenho costume de comer pouco e ficar satisfeito.

    Eu não recomendo, já fiz o trecho 5x por diferentes companhias (falecida Transbasil, American, Avianca, Aeromexico e Gol) e de longe a Gol foi o pior serviço.

    Acho que poderiam melhorar itens pequenos e aumentar muito a satisfação dos clientes, como esses relacionados as refeições a bordo.

  • Naldo Mundim

    Juro que cansei só de ler o relato…

    O que esperar de cias aéreas brasileiras? Ainda mais o primeiro voo da GOL para NYC?

    Olha a dificuldade que é coneguir retirar passagem por milhas, conseguir informações reais, utilizar os beneficios fornecidos por "xyz" do cartao cliente especial, enfim…

    Que tristeza!

  • Sérgio Garcia

    Fabio não é defender a Gol, é que eu já tive experiencia pela Taca e Avianca Tambem, mas também tive imprevistos, a escala que fiz pela Avianca na Colombia que era de 5 horas demorou 8 horas, e não fiquei nem um pouco chateado por isso e a aeronave éra um airbus a 319 o que para mim é a mesma configuração do 737/800, A tam me deixou esperando em Guarulhos mais de 2 horas alegando problemas tecnicos na aeronave, agora a Gol tirando o entretenimento que não tem mesmo, cumpriu todos os horarios de saida e escala inclusive em Santo Domingo(rep. Dominicana)e Miami. A Taca foi a melhor mas éra um 737 também. Então relato que não é assustador assim viajar pela Gol como todos estão comentando e deixando quem já comprou as passagens com medo. Claro que vale o Relato do autor e experiencia também, e temos empresas bem melhores que a Gol para Voos internacionais, mas como viajo a cada 6 meses para Miami e já passei por muitos emprevistos e procuro sempre o melhor preço, acho que vale apena pois não são todos os voos que acontecem o que aconteceu com o autor.

  • Eduardo Albino

    Kkkkkkk, olha pessoal sinceramente, é pra chorar de rir e não de raiva, essa Gol, sei não, sou cliente Smiles e estou tremendamente preocupado, agora com a mais absoluta certeza, se um dia dia tiver um lapso de memória e cair em um vôo desses certamente lembrarei, " de procurar as tomadas, de tomar cuidado com o flan, de observar a quantidade de funcionários " coordenando " o embarque, lembrarei sim e com certeza absoluta do famigerado terminal 4, na ida e na volta, e acima de tudo não procurarei o Gol no Ar ( deve estar no ar em outro país, na Argentina, talvez ! ), e guardarei com todas as minhas forças a bendita necessaire e a manta e o travisseiro, meu caro amigo que escreveu suas impressões, Muito Obrigado, de verdade, me salvou.

  • Guilherme Martins

    Minha msg será mais direcionada a equipe do MD: É impressionante a quantidade de gente insatisfeita com a Gol. Dada a dimensão disso, vocês não conseguem formalizar para a Gol esse excesso de clientes insatisfeitos? Talvez eles vendo que os clientes principais deles (sim, nós cliente diamantes somos principais pq voamos mais ou gastamos mais com parceiros Smiles), eles se mexam e tentem corrigir algumas coisa.

    Uma grande bola fora da Gol, a meu ver, foi cancelar os voos para Santiago…

  • André Feith

    Felipe, ótimo relato e muito esclarecedor. Sim, parece que a GOL está trilhando o caminho para ser internacional e isso é louvável. Mas quero ressaltar que a experiência da Varig se perdeu de forma lastimável. Toda hora que a antiga companhia é citada pelo atendimento e boa vontade dos seus remanescentes é contagiante. Esses "veteranos" devem ser largamente aproveitados nesses casos, desde o check-in no aeroporto até a despedida dos passageiros. Só a experiência pode influenciar positivamente esta nova geração que ainda vai voar muito. E hoje a concorrência é grande.

  • Beto Borja

    Obrigado Ivo.

    Abs.

  • Raquel Oliveira

    Pois e Claudia. o maior stress! Meu bebe passou mais de um dia sem mexer coitado. Mas agora esta tudo bem! Chegamos ontem de viagem! A Gol para fechar com chave de ouro, me mandou novamente para o terminal errado, apesar de eu ter alertado ao atendente que verificasse se era esse mesmo, ja que eles ja tinham errado uma vez. Ao inves de checar ele resumiu a resposta em me dizer que era esse o terminal que estava no sistema! O minimo que eu podia esperar e que eles tivessem o cuidado e respeito de controlar melhor esses avisos de mudanca de etinerario. Como vc disse, nao custa nada para eles, e evitaria todo esse transtorno para o cliete! Por isso que no Brasil, a maioria das pessoas preferem voar de Tam a voar de Gol.

  • Jose Aprigio Nogueir

    Vôos para o exterior com a Gol? Jamais! Falta de preparo é o de menos. O desrespeito com o cliente, o péssimo atendimento nos canais existentes para isso, além do inacreditável (de tão ruim) programa de milhagens Smiles, me fizeram passar a acumular milhas em companhias estrangeiras. As que ainda estão no Smiles serão gastas em vôos nacionais de curta duração.

  • Jose Aprigio Nogueir

    Faliu por problemas outros, nunca pelo atendimento e consideração com seus clientes. Alguns talvez não tido a oportunidade de conhecer.

  • Jose Aprigio Nogueir

    Basta ver o que têm de reclamação em sites específicos para isso.

  • Jose Aprigio Nogueir

    Experimenta resgatar qq trecho em parceiras para a Europa. E experimenta também ser atendido pela central do Smiles. Esse programa vai acabar trocando de nome para : Smolas.

  • Luísa

    Cadê o botão "curtir" pro comentário do Rafael? Hahaha!

    É bem isso que o Rafael disse, Pierre. Não dá pra exigir tratamento de primeira classe, é óbvio. Mas tamanha desinformação por parte dos atendentes é ABSURDA! Cancelamento/adiamento/alteração de voo enviado por e-mail em cima da hora, informações desencontradas… isso já é uma falta explícita de profissionalismo.

    Não se trata de ter uma refeição mais palatável ou mimos sobre a poltrona, mas de se chocar com o quanto os funcionários da Gol estão alheios à própria empresa! Não sabem dar uma informação decente! E os contatos desencontrados? Graças a Deus nunca precisei viajar de Gol (pago um pouco mais mas evito essa cilada o quanto eu puder), mas conheço várias pessoas que não conseguem fazer isso (né? Dependendo do lugar do congresso não dá pra escolher muito) e, sempre que estão prestes a viajar por essa "empresa", ficam checando seus e-mails doentiamente, apreensivos, esperando notícias ruins (principalmente com essa bagunça recente de reacomodação de voos). E se o voo envolve conexão? O medo é dobrado – perder a conexão por problema no voo anterior.

    Tenho um amigo que, quando não consegue uma cia melhor pra voar a um congresso ou curso, prefere ir de ÔNIBUS a enfrentar a Gol. As estradas brasileiras são terríveis, de fato. Mas as empresas de ônibus ainda podem garantir, na medida de suas forças, que você VAI viajar – afinal, foi pra isso que você a contratou. Já a Gol (que sim, você contrata pra que ela te leve de um lugar a outro – e não pra comer ou ter luxo) não consegue SEQUER garantir isso ao cliente!

    Você disse bem, Pierre, que quem quer luxo deve voar em outra cia.. Mas o "liso" que precisa viajar contata a Gol para ser transportado de um aeroporto a outro em segurança, é o MÍNIMO que uma cia. aérea se propõe a fazer. E a Gol não consegue assegurar NEM ISSO sem toda a adrenalina do "e se". "E se mudarem o horário em cima da hora?", "E se cancelarem o voo e eu perder a conexão?".

    Já é péssimo ficar "com as calças na mão" em um voo nacional, imagina em outro país? E nem sempre isso é uma "dor de cabeça no retorno das férias". E se você estiver indo pra algum evento, a trabalho? (Lembrando que você PAGA pra participar de um congresso, né?) E se você tiver um compromisso importante? Não dá pra se dar ao luxo de ter um imprevisto desses às vésperas da viagem e dizer "Ah, remarcaram o voo pro dia seguinte. Ok, vou avisar lá em casa e pronto…".

    Certo, eles não consultam o cliente na hora de alterar o horário do voo. E se você tenta entrar em contato pra buscar uma alternativa? Bom, o relato foi BASTANTE claro a respeito dos canais de atendimento da Gol: você dificilmente consegue falar com alguém – e esse alguém dificilmente saberá resolver o seu problema.

    Eu já me questionava se uma empresa tão despreparada para lidar com o cliente em voos nacionais poderia alçar voos mais longos (literalmente). Agora temos a confirmação.

  • Luísa

    É o já famoso "Padrão GOL de qualidade"… aff!

  • Sol Representante

    Fria total tentar usar milhas Smiles! Impossivel conseguir disponibilidade nas aeronaves, e o chat só dá as mesmas respostas padrão. É fria

  • Daniel

    Olha, Sergio, aposto que voce nunca ficou 11 horas em um boeing 737, com um atendimento digno de Iberia, senao pior. Nunc voaria com a GOL para fora, prefiro pagar um pouco a mais e ir em um voo direto

  • Arthur

    Ótimo e esclarecedor relatório de viagem. Espero que alguém da GOL responsável por esta rota leia isto e se coloque no lugar do cliente e otimize este serviço, que precisa MUITO de profissionais mais qualificados.

  • samuel sergio

    a gol não da conta de um vôo de SP/RJ …
    quem diras um SP/NY . o problema é querer dar "o passo maior que a perna".

  • Katbe

    Alguém viajou de Gol para os EUA recentemente? Estou estarrecida com a informação que acabei de receber do Atendimento On line da GOL. Segundo me foi informado, mesmo nos voos internacionais a única "refeição" grátis servida são os amendoins e o cardápio pago são aqueles mesmos sanduiches dos voos nacionais! Alguém me confira essa informação? Obrigada!

  • Leopoldo Simoes

    Viajei para Orlando partindo do galeao Rj(ida 22/9 retorno29/9) pela gol.Inicialmente qdo comprei o bilhete estava impresso que a ida teria uma conexao em Guarulhos e a volta com com duas conexoes (San domingo e Guarulhos).Fomos e retornamos em uma aeronave sem video ou outra forma de entretenimento , no trecho de Guarulhos a San Domingo(?) com duracao de cerca de 6=40min so foi oferecido pao para comer (e e voo internacional) .Nao entendi como esta companhia aerea fornece estas informacoes na venda e nao foi o constatado na prestacao dos serviços.A pontualidade dos voos e a cordialidade de seus colaboradores amenizaram esta experiencia.Conclusao : Nao gostei da experiencia e nao recomendo pra ninguem pelo dinheiro gasto e o retorno em serviços .

  • jose carlos

    A Gol assumiu um lugar que nao é dela. Essa empresa é uma transportadora rodovirai travestida de empresa aerea…Ai que saudade da Varig…