logo Melhores Destinos

Conheça os melhores programas de fidelidade nacional!

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
31/10/2019 às 6:15

Conheça os melhores programas de fidelidade nacional!

Talvez essa tenha sido a votação mais difícil do Prêmio Melhores Destinos 2019. Não foi um ano fácil para os usuários de milhas. Mudanças negativas nos regulamentos, problemas contínuos com sites e sistemas, aumento dos preços das passagens com milhas, são apenas algumas das situações enfrentadas pelos clientes dos três programas de fidelidade nacionais vinculados às companhias aéreas. Como escolher o melhor (ou seria o menos pior?) nesse contexto tão conturbado?

A votação esse ano teve mais de 30 mil votos e o seguinte critério de seleção: cada leitor votava apenas nos programas que havia utilizado, dando notas para os seguintes itens: facilidade para acumular os pontos ou milhas, facilidade para utilizar, promoções, atendimento e benefícios para passageiros frequentes.

Campeão em 2017 e em 2018, o TudoAzul foi eleito mais uma vez pelos nossos leitores como melhor programa nacional, com uma nota média geral de 7,8. A segunda colocação ficou com a Smiles, com nota média de 6,7, com a Multiplus em terceiro lugar, com média de 6,5. Quer saber o que levou a esse resultado? Confira!

AVALIAÇÃO DOS LEITORES – PRÊMIO MELHORES DESTINOS 2019

Vale reforçar que a avaliação foi integralmente feita pelos leitores que votaram na pesquisa e não reflete, necessariamente, a minha opinião e a dos nossos editores. Todos os votantes tiveram que informar o CPF, para evitar fraudes.

1° lugar: TudoAzul

O TudoAzul teve média geral de 7,8 pontos. A nota mais alta foi para o atendimento e para o acúmulo. A menor nota, no quesito promoções, com 7,5. Mas o programa teve bons resultados em todos os itens avaliados.

Na opinião dos leitores, o programa tem sido consistente com o que promete. Não costuma oferecer a passagem mais barata em pontos, mas tem preços competitivos para quem compra com bastante antecedência, além de resgates promocionais em determinados períodos. Tem o maior número de destinos nacionais, graças à grande cobertura da Azul, e têm crescido junto com a companhia na oferta de voos nacionais e internacionais. Certamente o programa se beneficia da imagem positiva da companhia aérea, na avaliação dos leitores.

Por outro lado, o TudoAzul mantém velhos problemas. As tarifas em pontos sofrem variações bizarras, não sendo incomum encontrar trechos nacionais por mais do que inacreditáveis 60 mil pontos, especialmente com pouca antecedência da data do voo. É o programa nacional que possui a menor quantidade de parcerias internacionais, contando apenas com United, TAP e Copa, sem disponibilizar resgates online. Substituiu o TudoAzul internacional, que permitia resgatar voos em outras companhias aéreas, por um sistema interline que não mostra o mesmo inventário com os trechos mais baratos. E cobra uma taxa de (in)conveniência para resgates realizados pelo site (no app é possível escapar da cobrança).

A votação também ocorreu antes da mudança do regulamento que vai alterar o limite de resgate de passagens para 5 terceiros mais o titular e seus filhos.

 

2° lugar: Smiles

A Smiles manteve a segunda posição do ranking conquistada em 2018. O programa recebeu a maior nota na facilidade para acumular milhas. Certamente, também foi reconhecido pela quantidade de inovações que vem trazendo para o mercado, como a compra fiado de passagens com milhas, podendo o cliente quitar o saldo devedor até 60 dias antes da viagem, ou a qualificação e upgrade de categoria também pelos trechos voados com milhas, ou a validade de 10 anos nas milhas para clientes Diamante ou membros do Clube Smiles, entre outras. Além disso, tem um grande número de parcerias e faz promoções quase que diárias, facilitando a vida de quem quer juntar milhas. Tem ainda 100% do inventário disponível online, e a opção mais eficiente de pagamento de passagens com milhas e dinheiro do mercado, o que facilita muito a compra de quem não tem saldo suficiente.

Por outro lado, a Smiles vive um grande desafio. Aumenta ano a ano a quantidade de milhas no mercado numa proporção bem maior que a oferta de assentos, especialmente na malha internacional. A GOL não tem voos para a Europa e viu suas rotas para os Estados Unidos duramente afetadas pelos problemas com o Boeing 737 MAX. É dependente de suas parceiras nos voos de longo curso que, com a alta ocupação dos voos, tendem a diminuir a disponibilidade de assentos para uso de milhas. Está bem mais difícil encontrar voos da Alitalia, Aeroméxico, Delta e Qatar Airways. Para piorar, a Smiles ainda deve perder a parceria com a Delta, que vai se unir à Latam. As recentes parcerias com a Air Europa, South African e Royal Air Maroc nem de perto compensam esse problema. Além disso, a grande queixa dos leitores é em relação aos preços dos resgates, que andam muito caros, especialmente para quem deseja viajar para o exterior.

 

3° lugar: Latam Pass / Multiplus

O Latam Pass, programa que ficou no lugar da Multiplus e do Latam Fidelidade, ficou em terceiro lugar na preferência dos leitores, de acordo com a votação. Mas com uma nota geral muito próxima à da Smiles. Todas as médias ficaram abaixo de 7. As piores notas foram para os benefícios e para promoções, essa última certamente impactada pelas tímidas ofertas de transferência bonificada de pontos de cartão de crédito, o que gera frustração entre os leitores.

Em 2018, a Latam fez uma mudança crítica no seu sistema de reservas, piorando um site que já era ruim para a emissão de passagens com pontos. Desde então, ficaram indisponíveis resgates com a Qatar e Cathay, por exemplo, e emitir passagens com pontos para Ásia ficou quase impossível, por problemas na tarifação. O programa também mudou as regras de qualificação para mudança de categoria, acabando com a qualificação por trechos e por distância, adotando o critério do valor gasto em passagens. A tabela de resgate de voos com parceiros Oneworld e as regras para uso dos cupons de upgrade também sofreram alterações que desagradaram os usuários. Os bilhetes com pontos também deixaram de ser reembolsados ou remarcados depois da data do voo.

O Latam Pass tem condições de melhorar. Tem ao seu dispor a ampla e crescente malha internacional da Latam, repleta de voos para os Estados Unidos, Europa, México, América do Sul e África do Sul. Vende passagens com pontos até o último assento disponível. Além disso, oferece preços em pontos bem competitivos para os destinos internacionais. Vamos torcer para que a reincorporação do Latam Pass pela companhia aérea, a aliança da Latam com a Delta e as melhorias no serviço prometidas pela empresa reflitam positivamente no programa de fidelidade daqui pra frente!

E você concorda com o resultado? Qual é o melhor programa de fidelidade nacional? Comente e participe!

Veja também: