logo Melhores Destinos

Alentejo, Portugal: o que fazer em Évora, Monsaraz, Elvas e Marvão

Bruna Scirea
Bruna Scirea
05/01/2021 às 4:55

Alentejo, Portugal: o que fazer em Évora, Monsaraz, Elvas e Marvão

Uma imensa planície muito pouco habitada, com vilas charmosas, boa e farta gastronomia e algumas das melhores vinícolas de Portugal. Esse é o Alentejo, a extensa faixa entre Lisboa e o Algarve que tem Évora como sua maior e mais conhecida cidade, mas que encanta turistas com outros tantos vilarejos despretensiosos e pra lá de surpreendentes.

O ritmo é outro no Alentejo. O tempo parece passar com mais calma. Seu povo é atencioso e simpático. Sirva-se de uma boa taça de vinho alentejano e: demore-se! O Alentejo não combina com pressa.

Como chegar e se deslocar no Alentejo

Para poder entender a geografia e a rotina da região, apreciar as belas (e por vezes monótonas paisagens) e conhecer o maior número de vilarejos, a melhor maneira de viajar pelo Alentejo é de carro. Assim será possível visitar não somente Évora, mas também a vinícola Herdade do Esporão (em Reguengos de Monsaraz, a cerca de 40 min de Évora), a surpreendente vila medieval Monsaraz, além de Elvas e Marvão.

Trem de Lisboa para Évora

Quem tiver menos tempo de viagem e preferir visitar somente Évora, uma maneira cômoda é pegar um trem a partir de Lisboa. O trem de Lisboa para Évora leva cerca de 1h30 de viagem e as passagens custam em média 7 euros (mas já encontramos bilhetes promocionais por menos de 3 euros).

Origem Chegada Distância
Lisboa Évora 134 km
Évora Herdade do Esporão (Reguengos de Monsaraz) 44 km
Évora Monsaraz 55 km
Évora Elvas 83 km
Évora Marvão 122 km

Quantos dias ficar no Alentejo

Em um dia inteiro já é possível conhecer os principais pontos turísticos de Évora e ainda ter uma ideia da agradável vida noturna da cidade, com mesinhas espalhadas pelas coloridas ruas do centro histórico. Com dois dias, é possível incluir algumas vinícolas da região no roteiro, como a Cartuxa (em Évora) e a Herdade do Esporão (em Reguengos de Monsaraz). Em três dias ou mais pela região, já dá para conhecer o Alentejo “mais profundo”, cruzando a extensa planície e chegando a destinos pitorescos como Monsaraz, Elvas e Marvão.

Onde ficar no Alentejo

Évora é uma boa base para explorar, além da própria cidade, as vinícolas próximas e também vilarejos como Monsaraz (55 km) e a cidade de Elvas (83 km, feitos em cerca de uma hora), a maior cidade fortificada da Europa. Já Marvão, a vila mais alta do Alentejo, fica a 122 km de Évora, uma viagem que leva cerca de uma hora e meia. Para alguns, um bate-volta pode já ficar cansativo até Marvão, então é recomendável buscar uma hospedagem mais próxima — sobretudo para aqueles que pretendem seguir viagem em direção ao norte de Portugal, passando pela Serra da Estrela, por exemplo.

alentejo

Roteiro pelo Alentejo

Quando estivemos no Alentejo fizemos o seguinte roteiro:

1° dia: Évora
2° dia: Évora
3° dia: Herdade do Esporão e Monsaraz (noite em Estremoz, pois não encontramos estadia mais próxima)
4° dia: Elvas (noite em Estremoz)
5° dia: Marvão (noite na Serra da Estrela)

É preciso considerar que boa parte das estradas no Alentejo, sobretudo mais no interior, são de pista simples e as viagens podem demorar mais do que o previsto. Então este não é um roteiro para aproveitar os dias sem pressa. Se tiver mais tempo, durma uma noite na região de Reguengos de Monsaraz (onde fica a Herdade do Esporão) ou no próprio vilarejo de Monsaraz (onde não há muitas opções de hospedagem).

Marvão não está tão distante dos outros destinos do Alentejo, mas ao incluí-lo no roteiro você irá se distanciar um pouco para o norte alentejano, onde não há muitas outras atrações, nem estradas de alta velocidade. Marvão é sim um destino lindo, mas pode não valer a pena todo o deslocamento se você não pretende seguir viagem naquela direção. Agora, se você for um fissurado por vilas medievais, tranquilas e belíssimas, com belas vistas desde o topo de montanhas, esqueça o que eu disse.. e vá para Marvão!

Origem Destino Distância
Évora Herdade do Esporão 44 km
Herdade do Esporão Monsaraz 22 km
Monsaraz Estremoz 61 km
Estremoz Elvas 42 km
Estremoz Marvão 76 km

O que fazer no Alentejo

Évora

Évora é o coração do Alentejo. Uma cidade com ares pacatos, mas movimentada devido à beleza, ao grande número de atrações turísticas e de universitários que vivem ali. Passear pelas ruas do centro histórico, admirar as casas de paredes brancas com azulejos nas varandas e sentar-se em algum restaurante, pedir uma cerveja ou um vinho e apreciar um bom petisco, é um programa por si só. Mas é claro que Évora tem muito mais a oferecer aos seus visitantes.

Uma das mais bem conservadas cidades medievais de Portugal, Évora um verdadeiro museu à céu aberto: um passeio por suas ruelas centrais nos leva por diferentes períodos históricos. No topo da cidade, o Templo de Diana remonta à fase romana. As principais igrejas são góticas. E ainda não é difícil perceber resquícios da passagem dos mouros pela região. Não à toa, Évora é considerada Patrimônio Mundial pela Unesco desde 1986. Confira a seguir as principais atrações de Évora:

O que fazer em Évora

A Capela dos Ossos, nas dependências da Igreja de São Francisco, é certamente o ponto turístico mais famoso de Évora. Pudera, suas paredes são revestidas com mais de 5 mil crânios e ossos de todos os tipos, provenientes de sepulcros de conventos e cemitérios da cidade.

Logo na entrada da capela, um aviso inscrito sobre a porta já dá o tom da conversa: “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. É sobre a transitoriedade da vida que chamavam atenção os monges franciscanos que construíram a Capela dos Ossos no século 17. E parece que atingiram o objetivo. O aspecto bizarro de se ver paredes forradas de ossos causa um certo desconforto, mas também reflexões sobre a existência humana. O ingresso para visitar a Capela dos Ossos, Núcleo Museológico e a Coleção de Presépios (super interessante!) custa 5 euros. Mais informações aqui.

alentejo évora

Ao cruzar parte do centro histórico em direção à parte mais alta da cidade, você irá encontrar a belíssima Catedral de Évora, a maior catedral medieval de Portugal. Concluída em 1204, toda em granito, a Sé marca a transição do período românico para o gótico. No seu interior, capelas revelam alguns dos mais belos exemplares da talha dourada (técnica em que a madeira é esculpida e depois revestida por películas de ouro) e toda a expressão artística e arquitetônica de várias épocas. Um dos principais atrativos da Sé de Évora, no entanto, está no seu topo. A partir do seu telhado é possível ter uma bela vista sobre a cidade e os vastos campos do Alentejo. Um lugar que rende fotos incríveis – e uma paz inexplicável.

alentejo

No topo da cidade, toda a atenção vai para o Templo Romano de Évora, também conhecido como o Templo de Diana, símbolo da ocupação romana na cidade. Nas proximidades do templo, estão ainda o Museu de Évora, a Biblioteca Pública e o Centro de Arte e Cultura – Fundação Eugénio de Almeida, com exposições e eventos artísticos. Nos fundos do Templo Romano, o belo e florido Jardim de Diana é o lugar perfeito para curtir um fim de tarde com vista para o infinito horizonte do Alentejo.

alentejo évora

Uma vez em Évora, não deixe de percorrer a muralha medieval do século 14, que contorna todo o centro histórico da cidade. Caminhe pelo Largo dos Colegiais e passe em frente à Universidade de Évora, a segunda mais antiga de Portugal. A instituição passou dois séculos sob comando da Companhia de Jesus, e ficou mais de duzentos anos fechada após a expulsão dos jesuítas de Portugal.

alentejo

De volta ao burburinho do Centro Histórico, conheça a Praça do Giraldo e um dos melhores restaurantes de Évora, ali pertinho, o Café Alentejo. No agradável Largo d’Álvaro Velho, visite a incrível loja de artesanato alentejano Oxalá. E para descansar, pegue bebidas, queijos e embutidos no Mercado Municipal de Évora e faça um piquenique no Jardim Público.

À noite, aproveite o calor do Alentejo com uma boa refeição, petiscando ou bebericando na clássica rua Alcarcova de Baixo, onde se concentram bons restaurantes e bares com mesinhas na calçada, como a Petiscaria Morcega. Outros restaurantes famosos de Évora, que ficam em outras áreas da cidade são o Dona Laura, Luar de Janeiro, Dom Joaquim e O Combinado.

Visita à Vinícola Cartuxa

O Alentejo é conhecido pela qualidade de seus vinhos. E quem visita Évora pode conhecer uma das mais aclamadas vinícolas de Portugal: a Cartuxa, sediada na Quinta do Valbom, a apenas dois quilômetros do centro da cidade. A área, que já foi casa de repouso dos jesuítas, passou um longo tempo recebendo o excedente da produção vitivinícola da região e, no século 19, foi comprada pela família Eugénio de Almeida.

Hoje, a Adega Cartuxa é um dos centros de maturação dos vinhos da Fundação Eugénio Almeida. Os amantes dos vinhos devem saber: a Cartuxa é a produtora do Pêra Manca, um dos vinhos mais antigos e aclamados de Portugal, com produção limitadíssima e o custo de cerca de 200 euros a garrafa (com venda limitada a uma por pessoa). A visita à Cartuxa tem valores que vão de 5 (sem prova) a 45 euros, conforme o número de vinhos escolhidos. Mais informações no site da vinícola.

Visita à Vinícola Herdade do Esporão

Em Reguengo de Monsaraz, a cerca de 40 minutos de carro do centro de Évora, está uma das mais conhecidas vinícolas portuguesas: a Herdade do Esporão, também famosa por seus azeites de oliva. A propriedade da vinícola, as vinhas e hortas, valem a visita por si só. A paisagem é incrível, bem como a sede da Herdade do Esporão, uma construção modernista, bastante decorada e com muitos espaços incríveis para provar vinhos e curtir um dia em contato com a natureza. Na vinícola, também há um restaurante, bastante disputado por visitantes, principalmente durante a alta propriedade – reservas com bastante antecedência são recomendáveis.

A vinícola oferece diferentes tipos de visitas, com ou sem provas de vinhos e azeites de oliva. E para quem quiser ficar um bom tempo e conhecer ao máximo a propriedade, a Herdade do Esporão aluga bicicletas para que seus visitantes façam passeios por conta própria, além de trilhas e piqueniques. Veja no site da vinícola todos os passeios e valores.

Monsaraz

A 22 km de Évora em direção à fronteira de Portugal com a Espanha está uma das mais belas e famosas vilas portuguesas: Monsaraz, que esparrama o seu casario branco no topo de uma colina. Cercado por uma muralha, o pequeno vilarejo tem uma única rua principal, uma igreja do século 13 e um castelo do século 16, além de uma vista lindíssima para o Alentejo e para a Barragem de Alqueva.

Por ali, moram apenas cerca de 100 habitantes. E não é preciso mais do que algumas horas para percorrer toda a vila e se encantar com as paisagens vistas desde seus terraços, as lojas de artesanato e também alguns poucos e bons restaurantes. Aos que quiserem aproveitar mais do sossego do lugar, vale a pena reservar uma hospedagem (são pouquíssimas) em Monsaraz. Dizem que o fim de tarde e a noite por lá são experiências fantásticas.

alentejo

Para quem chega à vila de carro, não faltará estacionamento no entorno da muralha. Aproveite que está motorizado e faça também uma visita a São Pedro de Corval, freguesia com a maior concentração de olarias de Portugal. Um destino certo para os amantes das cerâmicas. Um conselho: vai fazendo um lugarzinho na mala, pois a beleza e os preços são irresistíveis.

Elvas

Conhecida como a “Rainha da Fronteira”, Elvas está colada na fronteira com a Espanha e tem uma história marcada pela guerra. É maior cidade fortificada da Europa e suas fortificações abaluartadas do século 17 são consideradas as maiores do mundo. Para além de todo o patrimônio militar, que deram a Elvas o título de Patrimônio da Humanidade pela Unesco, o centro histórico da cidade é cheio de belas Igrejas, palacetes, conventos e fontes que desfilam por vários estilos arquitetônicos, do Românico ao Gótico, passando pelo Manuelino, Barroco e pelo Rococó.

alentejo

Entre as principais atrações da cidade estão o Castelo de Elvas, o Aqueduto da Amoreira, a Igreja Nossa Senhora dos Aflitos, o Largo de Santa Clara e o Forte da Graça, uma das mais poderosas fortalezas abaluartadas do mundo.

Marvão

Marvão é a mais alta e uma das mais belas vilas do Alentejo. Localizada em uma colina do Parque Nacional da Serra de São Mamede, na divisa de Portugal com a Espanha, Marvão é daqueles lugares que convidam à contemplação — por lá, as vistas são 360º, já que há pontos para observar o belo entorno em todos os cantos do vilarejo.

alentejo

A história de Marvão remonta ao final do século 1, período Romano. Um dos principais pontos turísticos do vilarejo é o Castelo de Marvão, onde é possível percorrer as muralhas, subir na torre de menagem e visitar a cisterna, que é uma das maiores de Portugal com capacidade para acumular água e abastecer a localidade durante seis meses, em caso de cerco (uma preocupação na época da construção). O jardim em frente ao castelo também é muito bonito, com uma vista espetacular para a serra.

alentejo

No Museu Municipal é possível conhecer um pouco mais do vilarejo, com exposições de arte sacra, arqueologia e etnografia. Na Casa de Cultura, que funcionou como tribunal e prisão, ocorrem exposições temporária sobre assuntos diversos. E não deixe de entrar nas igrejinhas do vilarejo, cada uma com suas características próprias.

alentejo

Assim como Monsaraz, Marvão é daqueles lugares pequenos, que podem ser conhecidos em poucas horas — mas suas belas vistas e ruelas aconchegantes, certamente vão fazer você passar um tempinho a mais por lá. Só se lembre: se preferir passar uma noite em Marvão, reserve a hospedagem com antecedência, pois são poucas as opção. E um aviso a quem interessar possa: no início de novembro sempre ocorre a tradicional Feira da Castanha em Marvão, um dos momentos mais turísticos do vilarejo.

Para onde ir depois de Marvão?

Castelo de Vide e Portalegre são destinos interessantes bem próximos à Marvão. Vale até combinar o vilarejo no topo da montanha com uma visita mais pernoite em alguma destas cidades. De Marvão a Lisboa, o percurso tem 234 km e leva em média duas horas e meia de viagem, passando pelas estradas A23 e depois a A1. Quem estiver de carro, pode optar por parar em destinos como Fátima e Tomar no retorno a Lisboa, sem precisar sair muito da rota.

No nosso roteiro, aproveitamos que já estávamos no Alto Alentejo e seguimos de carro até a Serra da Estrela. Como já conhecíamos Covilhã, tocamos em uma viagem de mais de três horas até a freguesia de Piódão, um lugar encantador encravado na Serra do Açor, onde todas as construções são feitas de xisto. À noite, um espetáculo a parte… não à toa, a pouca iluminação do vilarejo e a disposição das casas se esparramando pela serra deu a Piódão o apelido de “Aldeia Presépio”. Só fique atento: no caminho entre Marvão e Piódão a estrada é estreita, bem na encosta de altíssimas montanhas. Se você tiver medo de altura ou preferir não dirigir por rotas mais perigosas, evite este trajeto. Confira nosso post com dicas do que fazer em Piódão, Portugal.


Já viajou pelo Alentejo e tem mais dicas do que fazer nesta bela região portuguesa? Participe nos comentários!