Como é voar na Cubana e Aerogaviota

Denis Carvalho 25 · janeiro · 2013

Uma viagem a Cuba é sempre uma experiência com direito a muitas surpresas com relatos surpreendentes. Não foi diferente com nosso leitor Maicon Falavigna, que viajou com a namorada à ilha socialista e avaliou os voos domésticos com as companhias aéreas Cubana e Aerogaviota, com direito ao já mítico Antonov An-26 e o aeroporto mais estranho que já teve a imagem publicada aqui no Melhores Destinos. De quebra, ela dá dicas excelentes para quem se interessa em conhecer as belezas da ilha caribenha. Acompanhe o relato: 
Buenas, recentemente me mudei para o Canadá e como minha namorada continua em Porto Alegre achamos que uma alternativa interessante seria nos encontrarmos no meio do caminho quando aqui começasse a esfriar. Para animar um pouco, temos o Caribe entre o Brasil e o Canadá, então fomos à busca de passagens para destinos caribenhos para os quais os preços não fossem muito caros, os horários fossem bons para ambos e as datas coincidissem.

Destino
Acabamos optando por Cuba, em um itinerário compreendendo Varadero (uma cidade praiana ao norte, banhada pelo Atlântico), Cayo Largo (uma ilha ao sul banhada pelo mar caribenho, chamada também de “Maldivas genérica”, com areia branquíssima e águas megatransparentes) e Havana. Para chegar a Cuba, ela conseguiu uma passagem razoável pela TACA: serviço decente, sem maiores surpresas, exceto um pneu que tiveram que trocar de última hora em Lima. Na capital peruana também foi possível comprar o “visto turístico” para Cuba por 20 dólares, já que não dispunham em Porto Alegre. Para mim as coisas foram um pouco mais complicadas e vou descrever aqui.

Compra de passagens
Bem, uma coisa importante a saber sobre Cuba é que devido ao embargo norte-americano sempre haverá algumas dificuldades a mais para viajar para lá. Primeiro, sites americanos (e alguns simpatizantes) não irão te ajudar em nada. Por exemplo, Decolar e Viajanet não possuem cidades cubanas como destinos; uma busca por hotéis no Booking ou no Expedia resultará numa irritante pergunta do sistema: “Você quis dizer Havana, Illinois ou Havana, Flórida?”.

Quem salvou a pátria foi o Skyscanner, que realiza a busca através de diversos outros sites, redirecionando para os mesmos. Através dele, descobri que duas companhias regulares voam de Toronto a Cuba: a Westjet, segunda maior empresa de aviação canadense, e a Cubana de Aviación, empresa estatal cubana. Além dessas temos também a Airtransat que opera voos fretados, sendo possível a compra apenas por companhias de turismo, contudo possui voos diretos para Cayo Largo, sendo uma boa opção. Encontrei passagens interessantes, com ida Toronto – Varadero e retorno Havana – Toronto, com um preço levemente superior a 500 dólares. Com o Skyscanner redirecionando a compra para alguns sites não preocupados com o embargo americano, de procedência duvidosa – provavelmente organizados por universitários em alguma garagem na Índia – decidi comprar pelo site da companhia para evitar problemas.

Bem, aí começam os problemas. O site da empresa aérea (www.cubana.cu) estava com erro no sistema de busca, não sendo possível reservar voos e nem mesmo consultar tarifas; por sinal passou mais de um mês até o erro ser corrigido. Os e-mails disponíveis dos escritórios em Toronto e do setor de venda davam erro, retornando minhas mensagens à caixa de entrada. Enviando um e-mail para o suporte ao cliente, me forneceram um novo e-mail para o escritório no Canadá.

Procedi com a reserva diretamente e o atendimento via e-mail foi atencioso. Quem fez minha reserva, por coincidência, foi uma funcionária brasileira (tudo bem que no meio do processo ela ficou doente e ninguém assumiu suas tarefas, demorando cerca de três dias para eu ter resposta dos meus e-mails, mas fora isso não posso me queixar). Para finalizar a compra, nada de site seguro, solicitaram que eu preenchesse um formulário com os dados do cartão e minha assinatura. Não tenho ideia do que fazem com esse papel depois, mas tudo bem: por razões como essa eu pago com prazer o seguro do cartão.

Para o trajeto Varadero – Cayo Largo – Havana, foi ainda mais complicado. A busca foi feita em um site Cubano (www.cuba-junky.com) sendo encontrado um voo operado pela Aerogaviota, outra empresa estatal cubana. O país possui ainda outra empresa de aviação, a Aero Caribbean; como tudo é de posse da turma do Fidel (ou então, digamos, do povo cubano, se algum comunista for me criticar nos comentários), os voos frequentemente são compartilhados, como comentarei logo mais.

O voo saía de Varadero pela manhã e ia para Havana à noite; decidi comprar por uma empresa de turismo cubana, achando mais garantido do que comprar via internet. O voo, segundo eles, era esse mesmo operado pela Aerogaviota, mas os horários exatos só seriam confirmados no dia anterior e seriam similares (M-E-D-O). Incluindo os traslados, saiu por 175 dólares por pessoa.

Empresas Aéreas Cubanas

A Cubana foi fundada em 1929 e estatizada em 1959. Segundo a Wikipedia, ela opera com três Airbus A320, um Antonov, três Ilyushin e quatro Tupolevs; sendo que os últimos provavelmente carecem de manutenção desde o fim da União Soviética. Não opera voos no Brasil, mas voa a partir de Buenos Aires, Toronto, Montreal, Cancún e de algumas cidades na Europa. Um dado interessante sobre a companhia: a Cubana é tida como a empresa aérea regular com os piores índices de segurança, com índices mais de cinco vezes piores do que a média (fonte: http://www.grumpytraveller.com/lists/worst-airline-safety-records-cubana-china-airlines-aeroflot/ e http://www.travelvivi.com/top-10-most-dangerous-airlines/ ).

Para os supersticiosos, as estatísticas ainda estavam desfavoráveis para mim – a Cubana seria a 13ª empresa regular com a qual eu iria voar e Cuba o 13º país para o qual eu iria viajar. A meu favor contava que as rotas para o Canadá são operadas com os Airbus e que os democratas foram reeleitos por mais quatro anos na Casa Branca.

As outras duas empresas são a Aerogaviota, principal empresa doméstica cubana, e a Aero Caribbean. Os trechos de e para Cayo Largo eram operados pela Aerogaviota, contudo o voo de ida foi realizado em um avião da Aero Caribbean e o de volta em uma aeronave com logotipos da Cubana.

Voo Cubana: Toronto – Varadero

Varadero é um dos principais destinos turísticos dos canadenses. Possui resorts all-inclusive a preços baixos (mas não se engane, você recebe pelo o que paga: comida de péssima qualidade e banheiros sem papel higiênico). Um pacote em resort 4 estrelas saindo de Toronto custa em torno de 700 dólares por pessoa. Descobrimos que em novembro Varadero tem um mar gelado e com ondas (não é mar do Caribe), mas está ok para os canadenses que querem apenas fugir do frio e encher a cara no bar. O check-in foi tranquilo e pontual; no balcão pude comprar o “visto de turista” por 20 dólares, o voo era direto, estava cerca de 90% lotado, não teve atrasos e durou cerca de 3h15min, chegando 15 minutos antes do esperado.

O avião era um Airbus A320, possuía oito assentos de classe executiva e os demais (cerca de 130) na econômica. O avião tinha aspecto agradável, cheiro de novo, bancos de couro sintético, mas as poltronas não eram reclináveis. Não havia nada para entretenimento, também não havia sacos de enjoo ou local para colocar lixo.

Três comissários de bordo cordiais, com inglês e espanhol perfeitos, assistiam o voo. Não havia cardápio, como serviço de bordo opcional durante todo o trajeto serviam bebidas de boa qualidade cerveja cristal, rum e vinho (Casillero) por dois dólares. Possuíam refrigerantes também, eu ia pedir uma Coca para saber se tinham, mas fiquei com medo de me servirem um Ciego Montero Cola no lugar e me contive; água era de graça.

Bem, o clima do voo lembrou-me das excursões do ensino médio: pessoal em pé no corredor com latinhas na mão, gritos e brincadeiras, com metade dos passageiros bêbados antes de chegar no destino final. No meio do voo serviram um lanche decente: um donut, pão, manteiga, queijo, presunto, salada, um bolinho de chocolate, suco de laranja e café.

O aeroporto de Varadero era pequeno, parecia uma rodoviária, mas era limpo e organizado. Fica a cerca de 30 km dos resorts. O processo na imigração foi rápido (10 a 15 minutos) e o tempo de espera pela mala pequeno; não tenho do que me queixar.

Táxi do aeroporto para os resorts custa em torno de 30 dólares, mas é possível ir diretamente nos ônibus de turismo que fazem o translado para as companhias e negociar seu transporte. Aí outro ponto interessante de Cuba: apesar de ser socialista, há um capitalismo paralelo às margens da legalidade. A estrutura é do governo, contudo os funcionários que a operam acabam tirando sua parcela – com 10 dólares, negociados diretamente com o motorista, me deixaram na porta do hotel; por 25 dólares minha namorada foi de Havana a Varadero (cerca de 130 km), valores que não entram na contabilidade estatal.

Às informalidades do país podemos incluir também as bebidas desviadas dos resorts e vendidas no mercado negro, os charutos desviados que vendem nas ruas de Havana e potencialmente qualquer produto ou serviço que te venderem e você não receber um recibo. Em Varadero, sugiro trocar dinheiro no aeroporto; as taxas são bem melhores do que nos hotéis e creio que não compensa ficar saindo na cidade para encontrar uma casa de câmbio por lá. Não leve dólares americanos, as taxas são sempre piores, as melhores moedas para trocar são dólares canadenses e euros.

Varadero – Cayo Largo

Realmente confirmaram o voo no dia anterior. O voo que era para ser às 8h30, foi transferido para as 10 horas; passaram no hotel cerca de 45 minutos mais tarde do que o combinado, mas deu tudo certo. Acredito que o voo foi realizado em um Embraer 110 Bandeirante da Aero Caribbean, com capacidade para 18 passageiros. O voo foi tranquilo, serviram balinhas antes da decolagem, teve duração de 45 minutos e paisagens maravilhosas pela janelinha.

O aeroporto de Cayo Largo é minúsculo, fazendo qualquer rodoviária de interior parecer o Charles de Gaule, contudo organizado. Me passou uma boa impressão; sem problemas até então. De fato, Cayo Largo é um local que merece ser visitado. É uma pena que tanta gente vá para Varadero em vez de ia para lá: se eu pudesse escolher novamente, ficaria só em Cayo Largo, nem passaria por Varadero.

Uma dica em Cayo Largo: há um transfer gratuito para as praias mais bonitas (Sirena e Paraiso). Agora, se o que você paga em Cuba é de péssima qualidade, imagine o que é de graça. É um trenzinho lento, desconfortável, que tá sempre quebrando e por isso frequentemente não aparece no horário. O táxi que leva para as praias custa dois dólares por pessoa, além do conforto, não depende de horários e chega de 20 a 25 minutos antes (lembrando que esse tempo de sol no Caribe vale muito mais do que dois dólares, na minha opinião).

Cayo Largo – Havana

Cayo Largo é de fato um lugar maravilhoso; agora no retorno está a pior parte da viagem. Não nos colocaram no voo que compramos junto à companhia. Em vez de embarcarmos no voo da noite, colocaram-nos em um voo que saia às 8h30e perdemos um dia inteiro de sol no Caribe. Entramos em contato com a empresa e disseram que não podiam fazer nada e que o outro voo estava lotado, sendo dada a preferência do voo noturno às pessoas que estavam a menos tempo na ilha. Perdemos o transfer (que dessa vez foi pontual), solicitamos um táxi e em alguns minutos na porta do hotel chegou um ônibus turístico de 40 lugares, exclusivo para nós. Bem, coisas de Cuba! O translado custou cinco dólares e a contragosto fizemos nosso check-in.

Àqueles que desejam planejar suas férias com empresas cubanas, cuidado pois nem sempre elas oferecem o que prometem. Atenção quando dizem algo como “confirmaremos do dia anterior”,” o horário é similar” ou “o quarto é semelhante”. Para constar, as passagens, compramos através do site Hicuba.com, sendo os vouchers emitidos pela empresa “Servicios Global”, mas não sei se mudaria alguma coisa se a compra fosse realizada por outro escritório cubano. Uma opção é consultar as empresas canadenses que fornecem esse tipo de serviço.

O voo, apesar de operado pela Aerogaviota, foi realizado num avião com logotipos da Cubana: um Antonov An-26 (avião projetado para fins militares, que não é mais fabricado desde 1985), comportando cerca de 40 passageiros, fabricado supostamente em 1978. Tenho minhas dúvidas se o avião era tão novo assim, mas o mais provável é que apenas não tenha manutenções periódicas desde o fim da guerra fria.

No seu interior tinha cheiro de mofo, assentos velhos ainda com cinzeiros em seus braços, em péssimo estado de conservação. O mais legal era ver a cara dos passageiros, com um semblante de quem esperava alguém entrar com uma câmera e microfone na mão anunciando que era pegadinha.

Um comissário de bordo serviu café, água, refrigerante e algumas balinhas antes da decolagem; o embarque e desembarque foram realizados pela porta traseira, que começou a se abrir ainda com o avião em movimento (pelo menos ganhamos tempo no desembarque assim).

Bem, esses voos com a Aerogaviota são muito variáveis, pelo jeito podem te colocar em qualquer avião. Por sinal já vi relatos de pessoas que acabaram fazendo o trajeto em um helicóptero Mil Mi-8 da Aerogaviota (vi um estacionado no aeroporto de Cayo Largo).

Quem acha que a parte trash da viagem era o avião, não sabe do que se trata o Aeroporto de Playa Baracoa onde aterrissamos. Anteriormente utilizado para fins militares, ele fica a cerca de 30 km do centro de Havana e opera atualmente voos domésticos. Para descrevê-lo, pensem em um aeroporto do tamanho de Cayo Largo e adicionem nele um bombardeio, um terremoto e um furacão: temos então o que vocês podem ver nas fotos.

Juro nunca mais reclamar das goteiras do Galeão! Não deixem de prestar atenção na esteira de bagagem. Bem, ao menos não vi nenhuma placa sarcástica dizendo “estamos em obras”. A parte boa do voo é que foram apenas 45 minutos, com belas paisagens da janelinha.

Havana – Toronto (com estranha escala em Cienfuegos)

O retorno foi a partir do aeroporto internacional de Havana (Jose Martí); pequeno, porém organizado, com lojinhas que me surpreenderam por estar em Cuba. Esse foi um voo estranho. Estava estimado em 5h30, contando com uma escala em Cienfuegos, que fica fora de rota, ao sul de Havana, seguindo viagem para Toronto. Bem, mais estranho ainda foi o fato de o voo ter saído quase vazio (cerca de 40 passageiros) de Havana e o Airbus ter lotado em Cienfuegos.

Seria mais ou menos como se um avião partisse quase vazio do Rio, desviasse da rota para fazer uma escala em Macaé, lotasse, e então seguisse viagem para Buenos Aires. Mais uma vez, coisas de Cuba.

O avião era um Airbus A320 semelhante ao da rota Toronto-Varadero, contudo mais antigo. Também com oito poltronas executivas, e as demais na classe econômica; três comissários de bordo, dessa vez nada simpáticos e mais hostis. Para entretenimento distribuíram uma cópia do jornal Granma (www.granma.cu), cheio de notícias tendenciosas sobre as maravilhas do governo cubano, sempre culpando o embargo americano pelas coisas ruins.

O lanche era inferior ao da ida, consistia de um sanduíche  pão, manteiga, bolinho inglês, sendo servido junto com suco ou refrigerante. O serviço de bordo opcional iniciou só na última metade do voo, com bebidas que me pareciam de inferior qualidade, ao custo de 3 dólares dessa vez. Como ponto positivo, o voo chegou a Toronto 30 minutos antes do estipulado.

Parecer final
O processo de compra de passagens para companhias cubanas é complicado; talvez o melhor seja organizar tudo com uma empresa de turismo não cubana para evitar surpresas. Há diversas empresas canadenses que podem vender pacotes de hotéis, traslados e voos internos, vale a pena conferir.

Os voos foram pontuais; importante comentar que a pontualidade é uma das principais queixas sobre a Cubana nos fóruns internacionais. O custo é de mercado, com a desvantagem de não estar vinculada a nenhum programa de milhagem e desconheço a existência de promoções. O valor das passagens parecem ser sempre o mesmo, não seguindo o padrão de lotação de assentos das companhias em geral.

Os voos foram tranquilos; o serviço de bordo e a qualidade dos aviões é variável. Eu voaria novamente com a Cubana, mas não faço questão. Em relação aos voos domésticos, é uma experiência única por seus aviões e aeroportos (única, mas não necessariamente positiva).

Levem euros ou dólares canadenses; para a troca de dólares americanos é cobrada uma taxa de conveniência a mais e não sei se trocam reais por lá. Para o visto, vejam com sua companhia aérea. É possível ver isso com antecedência junto ao consulado, mas não compensa financeiramente, além de ser perda de tempo. É bom levar 20 dólares, já que em Lima não aceitam outra moeda para comprar o visto.

Em Havana não deixem de andar nos táxis Ladas, lá basicamente todos são 16 válvulas (8 no motor e 8 no rádio).

Os resorts cubanos são baratos, mas não se iludam, vocês recebem o que pagam – levar um rolo de papel higiênico de boa qualidade na mala não é uma má ideia. Mas o mais importante, se forem visitar Cuba, considerem fortemente Cayo Largo, mesmo se seu agente de viagem insistir que Varadero é muito melhor (a afirmação pode até ser verdadeira, só que ele não está dizendo para quem é melhor).
Boas viagens!!

 

Agradecemos ao Maicon pelo ótimo relato, não apenas da companhia, mas de boa parte de sua viagem. E você, já voou para Cuba? Conte suas dicas e histórias nos comentários!  Confira também o relato do leitor Alexandre Alves sobre voos com a Aerogaviota e Aero CaribbeanSe você fez ou vai fazer uma viagem com alguma empresa aérea que ainda não foi avaliada aqui no Melhores Destinos ficaremos felizes em publicar sua avaliação: entre em contato pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br Você pode conferir todas as avaliações publicadas pelo MD neste post.

Não esqueça de dar uma passadinha no nosso Guia de Companhias Aéreas, onde você pode avaliar as empresas e ler as opiniões dos demais leitores.

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Leonardo Camiza

    Só eu achei pior a experiência em Cuba do que a na Coréia do Norte? hahaha

    • Nelson Godoy

      Cuba é pior com certeza… E 8 válvulas no carro e 8 no radio foi ótima hahaha

  • FH

    Belo relato. E muita coragem, rs.

    • Suzana

      E poe coragem nisto! hahah

  • Leandro

    Parabéns pelo excelente relato! Muito bom mesmo, dos melhores que já vi aqui no MD.

  • Isabela

    Maicon,

    Parabéns pelo post! Eu e meu namorado estivemos em Cuba em Abril de 2012 e tivemos exatamente as mesmas impressões e experiências suas. Ficamos em Varadero primeiro e depois Cayo Largo.

    Eu organizei a viagem sem agência, e nenhuma informação batia! Compras das passagens pelo site da própria AeroGaviota : você não fica com comprovante algum. Muito estranho!! Depois fiz efetivamente a compra pelo cubajet.com e por esse site pelo menos comprovante eu tinha!

    Situações engraçadas acontecem com viajantes independentes em Cuba: a atendente do hotel de Cayo Largo (rede Meliá) não sabia que possível fazer reserva pelo próprio site do hotel! No check-in dos voos internos mesma situação…os atendentes perguntam: "mas como assim vocês estão viajando sem agência/guia?" rsrsrs

    Pena que na época que não planejei não havia nenhum post sobre Cuba aqui MD. Confesso que deu trabalho, mas é uma viagem que vale a pena! 🙂

    Interessados em Cuba: não troquem dias em Cayo Largo por Varadero!!! Varadero nos decepcionou com péssimo hotel e mar com bandeira vermelha devido às ondas. Cayo Largo foi a praia mais bonita que já fui na vida!!! Vale a pena toda a aventura citada no post…

    Isabela

    • Maicon Falavigna

      Realmente Isabela, Varadero nem se compara a Cayo Largo (e essa opinião é bem dizer unânime das pessoas que conheceram ambos os destinos). Esse "alerta" é muito importante, ainda mais que de uns tempos pra cá os sites de compra coletiva passaram a vender pacotes combinando Havana com Varadero.

    • Nelson Carpilovsky

      Isabela,

      Assim como vc, pretendo ir por conta propria a Cuba (Havana, Cayo Largo e Cayo Coco. Passagens e estadia dá para resolver aqui do Brasil pela Internet. Mas a parte dos transfers é que está complicado. A rede Melia, por exemplo, diz no site que pode providenciar o transfer do aeroporto de Cayo Largo pra o resort, mediante pagamento extra. Mandei um e-mail para eles perguntando sobre isso tem duas semanas, mas eles não responderam.Minha pergunta: Como vcs fizeram para se deslocar do aeroporto para o hotel, e vice-versa. obrigado. abço

  • Alessandro Paschoal

    Post legal ! Parabéns !

  • Luiz Cunha

    Excelente relato, que aventura!!! Muito obrigado por compartilhar detalhadamente seu roteiro. Otimas dicas, quem sabe um dia eu me aventure por lá???

    Valeu mesmo, Abraços!

  • Carolina Bello

    Fiz a mesma viagem que vcs neste mes! Adorei Cuba! Tambem andei neste aviao AN-26, sem janela, e por incrivel que pareca, foi o melhor pouso que fiz na minha vida. Eu nao sabia se estavamos no ar ou se estavamos andando na pista e so soube quando a porta traseira do aviao se abriu.

    Os cubanos sao muito educados, gentis e parece que pararam no tempo. Se vc quiser ver um pais nao-global, com certeza, deve ir a Cuba antes que o socialismo termine. A experiencia e os contratempos sao unicos rsrs! Brasileiros quase nao vi, mas em compensacao havia muitos canadenses (parece que Cuba eh o Porto Seguro deles rs), italianos, argentinos, alemaes e russos.

    Cayo Largo eh uma ilha linda, mas se vc estiver indo a Cuba so pelo mar do Caribe, recomendo San Andres, na Colombia, isso sim eh paraiso. Nada se compara a San Andres, nem Belize, nem Mexico, nem Cuba.

    Fui com milhas da Avianca ate Havana e comprei tudo pelos sites http://www.cubaaccomodation.com e http://www.cubatravelnetwork.com, ja a ida de Varadero a Havana fui de onibus – http://www.viazul.com.
    Em Havana, fiquei em casa de familia e pude aprender um pouco da historia deles.

    Com certeza, voltarei num futuro proximo para la!!Adorei!!

  • Marlos Sousa

    Parabéns pelo relato excepcionalmente rico em detalhes ! Realmente magnífico !!!

  • drummond

    Parabéns pelo relato. Realmente um dos mais claros e mais ricos em detalhes.

  • Salvatore Carrozzo

    Excelente relato, a muito divertido. a parte do aeroporto cacareco foi surreal..so nao entendi a frase : "O voo saía de Varadero pela manhã e ia para Havana à noite"..

    • Maicon Falavigna

      Olá, os voos tinha trajetos diferentes. Ida: Varadero – Cayo Largo (manhã); retorno: Cayo Largo – Havana (noite). Ao menos isso é o que foi combinado; o que aconteceu foi que nos colocaram no voo para havana que saia pela manhã.

      Bem, o que acontece em Cuba é o que ocorre com algumas empresas de ônibus. Se há mais gente indo ou voltando da ilha, eles vão colocando mais vôos, e alterando os horários. Por isso que eles só confirmam no dia anterior.

  • Theógenes Fre

    Nossa, muito bom o relato, esse é um dos melhores e mais engraçados que ja li!!!

  • Ranerio Vieira

    Jesus do céu,

    Que insanidade esse "turismo". Acho que tratamento de canal é menos aterrorizante. Parece que Cuba tem tanto potencial, será que não cai essa ditadura dos Castro e vira um lindo destino turístico caribenho e tira o pessoal da miséria?

    Fiquei apavorado lendo as descrições dos aviões (sem manutenção desde o fim da URSS, eu lembro do fim da União Soviética quando eu era criança) e pensando em tanto que somos felizes de ter os TAM sem reversor e o Air France de Pitot congelado…

    Não é mais fácil (e seguro) ir para outros destinos no Caribe, que podem ter natureza e praias tão exuberantes quanto?

  • Fabio

    Deus que me livre

    De buraco quente já me basta o Brasil

  • Nelson Carpilovsky

    Todo ano tento ir a Cuba e acabo abandonando o projeto por conta das dificuldades em fazer reservas de hoteis, tranfers, etc. Os sites de busca que normalmente utilizo, tipo Booking, Viajanet, Hotel.com, Decolar, aderiram a esse bloqueio vergonhoso promovido pelos EUA, e literalmente riscaram Cuba do mapa. Qualquer informação que alguem possa me dar, principalmente sobre os transfers entre os aeroportos de Cayo Largo e Cayo Coco e os respectivos resorts da rede Melia, eu agradeço. Tambem vou deixar uma dica que ja andei pesquisando: pode-se ir a Cuba bem mais barato a partir de Caracas. Ou seja, com 10.000 ptos Smiles (cada trecho), vc vai a Caracas e, pela Cubana de Aviacion, vc paga U$ 480,00 (ida e volta)para Cuba. Os voos são às segundas, quartas e sextas. Se for na sexta, vc ainda dispensa qualquer pernoite em Caracas. Outra possibilidade de voo para Cuba a partir de Caracas é pela Conviasa, que voa diariamente para lá, menos aos sabados. Só que para conciliar com a Gol, por exemplo, precisa pernoitar em Caracas, tanto na ida como na volta. A Conviasa só vende passagens em bolivares, ou seja, não dá para comprar aqui do Brasil. Mas essa aparente desvantagem, pode se transformar numa maneira mais barata de se ir a Cuba, pois se pode aproveitar a grande diferença entre os cambios oficil (4 bolivares= 1 dolar) e paralelo(15 bolivares = 1 dolar). Assim, a pasagem ida e volta´para Cuba pode sair por cerca de U$ 190,00 !!!! Para isso, tem que contactar alguma agencia de viagens em Caracas e perguntar qual o valor do dolar eles utilizariam para adquirir essas passagens. Tem várias agencias no aeroporto de Maiquetia. É só uma ideia…

  • Thiago Cavalcante

    Excelente post!

  • Alisson Freitas Rizz

    Parabéns Maicon!

    Melhor relato de viagem do MD. Muito bem escrito, rico em informações e muitas fotos interessantes.

    Excelente mesmo. continue publicando!

  • Renata Bruel

    Fui para Cuba em fevereiro de 2012 e não tive nenhum

    problema. Viajei pela Cubana, comprei as passagens diretamente no escritório em São Paulo e fui muito bem atendida(11)32144571. Eles fecham um pacote que vai com a TAM até Caracas e depois com a Cubana até Havana. Lá mesmo eles te fornecem o visto por $20. Depois de passar 5h no avião da TAM espremida como uma sardinha achei o avião da Cubana, apesar de antigo, muito bom e espaçoso. Lá aluguei um carro que facilitou muito na locomoção e viajei pelo país por 20 dias. Cuba é um lugar fantástico e conhecê-lo é realmente enriquecedor. Recomendo!

  • Gustavo Medeiros

    Nossa que DEMAIS. Adorei o relato e as fotos. Obrigado por compartilhar! ahahah o avião sem janelas foi minha parte favorita. Tem mais fotos dele?

    • Maicon Falavigna

      Oi, tenho sim algumas fotos a mais. Mas o avião tem sim janelas (poucas, mas tem), se quiser, me passa teu email que eu encaminho as fotos. O interessante dele é que é um Antonov projetado para fins militares que foi convertido em um avião comercial, então explica coisas como as poucas janelas e a porta de embarque/desembarque traseira.

      Ah, para ver a precariedade, em Havana ouvi relato de uma pessoa que viajou com uma criança de colo, reclamando que eles não tinham aqueles assentos ajustáveis para crianças.

  • Maicon Falavigna

    Te lembra quanto pagou das passagens?

    Uma alternativa possível é emitir passagem com milhas até Caracas, e voar de Caracas até Cuba, pode compensar financeiramente. A cubana também voa a partir de Buenos Aires.

    • Nelson Carpilovsky

      Em primeiro lugar, Maicon, parabéns pelo relato. Eu estou planejando ir a Cuba e ja decidi ir via Caracas, ja que será bem mais barato. O bilhete ida e volta pela Cubana custa U$ 480,00 (vende pela internet), ja com as taxas de embarque (na Venezuela são bem altas, quase R$ 300,00). A Cubana tem voos às segundas, quartas e sextas, sendo que se vc for e voltar na sexta a espera no aeroporto de Maiquetia será longa para os voos da Gol ou Tam, mas sem necessidade de pernoite em Caracas. já nos outros dias, vc precisará dormir em Caracas, pelo menos na ida. Existe outra possibilidade que é voar pela Conviasa. Esta Cia voa diariamente para Cuba, menos aos sabados. Os horários dos voos tornam necessário o pernoite em Caracas, tanto na ida como na volta. Ela só vende em VEF (bolivares fortes), ou seja, não dá para comprar pela internet. O que aparentemente é uma grande desvantagem, pode se tornar uma "enorme economia", ja que a passagem está 1946,00 VEF, o que no cambio paralelo de lá dá cerca de U$ 130,00 !!!!!Então, estou mantendo contato com uma das diversas agencias de viagens localizadas no setor de desembarque do Aeroporto de Maiquetia para saber por quantos dolares eles me comprariam essa passagem. São 4 VEF/ 1 dolar no oficial, e 15 VEF/ 1 dolar no paralelo. Esta semana devo receber a resposta. Tenho duas questões para vc sobre Cayo Largo: Como se faz, por conta própria, o transfer do aeroporto de Cayo Largo para o hotel, e vice-versa? A segunda, é sobre os horários dos voos da Aerogaviota ou da Caribbean, que na ida chegam em torno das 08:00hs da manhã, e na volta partem para Cuba por volta das 18:00hs. Como vc resolveu isso com o hotel de Cayo Largo, tendo em vista os horários de checkin/out? Se puder me ajudar, agradeço. abço

      • Maicon Falavigna

        Olá, em Cayo Largo há táxis coletivos (funciona bem o serviço). Por 2 dólares te leva para qualquer lugar em Cayo Largo. Na chegada pode pegar um desses taxis ou mesmo ver com o onibus que faz esse transfer.

        Os horários de check-in e check-out são tranquilos, os hotéis sabem como funciona essa questão dos vôos e eles flexibilizam. Cheguei as 11:30 e eles já disponibilizaram o quarto (sendo o check-in as 15:00). Para o check-out, como disse, nos colocaram no voo que ia para Havana pela manhã, então não cheguei a ver como funcionava o late check-out.

        Recomendo a dar uma olhada na TACA e promoções. POA-HAV custou 1.050 dólares (ano passado teve promo por cerca de 600 dolares em agosto), e ainda sobrou 11.000 milhas, que com mais 17 dolares foram utilizados para emitir duas passagens de ida e volta para Cartagena nessa promoção do Life miles… 🙂

      • Carolina Bello

        Olá, Nelson! Eu fiz late Check out em Cayo Largo. No hotel Playa Blanca eles cobram 25 CUC ( mais ou menos 25 USD) se vc sair às 16hs ou 30 CUC se sair às 18hs por habitação, o que valeu à pena, pois estávamos em 3 pessoas e pudemos usufruir durante à tarde do all inclusive. Vc pode ver os horários dos voos da Aerogaviota ou da Aerocaribbean no site: http://www.cubatravelnetwork.com . Agora, se vc comprar a passagem com uma agência (Cubatour, Habanatur, etc), vc ganha o transfer. Acho que vale à pena comprar a passagem lá (pacote aéreo + hotel), pois sai o preço preço da internet só que vc economiza o táxi até o aeroporto Playa Baracoa em Havana (cerca de 30 USD). Fique tranquilo que lá vc consegue passeio na mesma semana para Cayo Largo, pois dificilmente os hotéis lotam.

      • Marina

        Bom dia Nelson,

        Estou indo para Cuba no ano que vem e gostei das duas dicas, queria saber se é possível conversar via email.

  • Maicon Falavigna

    Pois é Raneiro, eis uma coisa que me deixou triste. Cuba tem lugares lindos, e Havana tem uma arquitetura incrível, contudo a conservação do lugar deixa muito a desejar. Se os aviões eram desse modo, imagina os resorts, os prédios, etc. No próprio museu da revolução (um dos maiores símbolos do Estado), era comum encontrar vidraças quebradas, e os elevadores estavam em estado precário. Espero que daqui a alguns anos, com a queda do regime, haja melhoras importantes para Cuba e para seu povo.

    Em relação a segurança, Cuba é um lugar bem seguro, com baixa criminalidade, em especial ao turista (reflexo da ditadura, que reprime os delitos dos criminosos comuns). O Antonov que relatei parece aqueles trem fantasmas que tem nos parques de diversões, pode ser feio e dar medo, mas os vôos que eu fiz em Cuba foram tranquilos; não sei avaliar se o avião é seguro ou não, a brincadeira da falta de manutenção foi em relação ao seu aspecto.

    Sim, há lugares lindíssimos no Caribe, e Cuba é um lugar que merece ser visitado. Não quero que ninguém desanime com meu relato, tive uma impressão muito positiva de Cayo Largo e achei Havana bem interessante. Além disso, tem o potencial de proporcionar estórias interessantes e inusitadas! 🙂

    Só não recomendo Cuba para lua-de-mel… para isso acho que os outros lugares devem ser mais adequados, não sendo sujeitos a tantos imprevistos. :p

  • Isabela

    Nelson,

    Existem umas vans que fazem os trajetos na ilha, acho que cobram U$ 2,00. No nosso voo que chegou de Varadero praticamente todos os passageiros iam para o Sol Cayo Largo ou para o Sol Pelicano. Então as empresas de turismo ficam com os ônibus já esperando os turistas na frente do aeroporto. Perguntamos ao guia da empresa se poderíamos ir com eles até o hotel pagando esse transfer, e ele disse "claro" e não nos cobrou nada! Mesmo assim pagamos os U$ 2 e o motorista ficou feliz da vida. Coisas do regime? Não sei…só sei que acontecem umas coisas engraçadas! rsrsrs

    Na volta aconteceu a mesma coisa…

    Outro detalhe: Ficamos hospedados no Sol Cayo Largo. Fizemos check-in por volta de 9h, e pela teoria só poderíamos entrar no quarto às 15h. Entretanto havia quartos vagos e nos liberaram o quarto na hora!

    Nosso voo de volta saia só às 18:30. A equipe nos deixou fazer o late check-out sem cobrar nada por isso (redes americanas de hotéis vc paga alguns bons dólares por hora do late check-out). Inclusive fizemos todas as refeições do dia sem pagar nada a mais. Certamente uma atitude que fez a gente gostar ainda mais do hotel! 🙂

    Abraços

  • Marcos Sobral

    Pronto, pra completar vamos esperar algum relato de viagem para o Irã kkkkk.

  • Rafael

    Ótimo relato!

    E de quebra a dica da praia de Cayo Largo… gostei. Já estava com uma vontadinha de ir a Cuba, esse relato (mesmo com os perrengues) mantém essa vontade acesa.

    Parabéns!

  • Leila Rigatos

    Sou super medrosa! Voei de Cubana e Aerogaviota e, apesar das aparências, foram voos bem tranquilos. Cayo Largo é incrível, vale a pena conhecer.

  • Ana

    Realmente voar pelo aerogaviota e o aeroporto de Playa Barracoa são experiências únicas. Os voos são super tranquilos, mas ao mesmo tempo assustadores. A cara das pessoas ao embarcar naquele aviao russo, sem janela, pela traseira é impagável ( incluindo a minha!rs). Cheguei hj de Cuba, e como tive dificuldades de informações para a minha viagem, vou deixar algumas dicas aqui. Taxi ou onibus do aeroporto de Cayo largo p os hoteis, passa toda hora, 2 CUC por pessoa. Pegamos um ônibus q esperavam os turistas do nosso voo ( afinal, praticamente todos fazem por alguma agencia). Melhor levar euros, 1 euro=1,3 CUC, 1 dólar= 0,89 CUC. Fizemos tudo por conta própria, as passagens internas foram compradas pelo http://www.cubatravelnetwork.com/. Eles te enviam um email, sem confirmação de voo, assento, nada, mas apresentei no aeroporto e foi tranquilo. Os hoteis de cayo e varadero foram comprados pelo Logitravel (Booking, hoteis.com, n tem, por causa do embargo). Em Havana, ficamos em casa particular, 30 CUC/dia o quarto.
    Cayo é lindo ( ficamos no Sol Cayo Largo, funcionarios simpaticos, variedade de comida p o padrão cubano, praia paradisiaca. Nosso voo de volta era as 18:30, e fizemos o late check-out: 7 cuc/hora), se tiverem poucos dias, tirem Varadero sem medo ( hotel fraco, com comida pessima, atendimeto ruim. Ficamos no BeLive Las Morlas ).
    Ah, taxi havana-aeroporto playa barracoa (30 cuc), aeroporto de varadero-aera dos hoteis (30 cuc, confesso q foi caro, mas o trajeto e longo), taxi varadero-aeroporto de havana ( 80cuc, 2h15 de viagem).
    Aproveitem!!

  • ANTONIO

    TUDO MUDOU. ESTIVE EM CUBA NO FINAL DO MÊS DE MAIO DE 2.014 VOANDO PELA CUBANA DESDE SÃO PAULO/BRASIL. COMPREI AS PASSAGENS DIRETAMENTE NO STAND DA CUBANA COM O GERENTE SR. PEDRO, MUITO ATENCIOSO QUE PROVIDENCIOU INCLUSIVE O VISTO CUBANO. O RESTANTE FOI NORMAL. HAVANA UM PASSEIO AO PASSADO. VARADERO COM SEUS HOTÉIS PARA TURISTAS E RETORNO EM ÔNIBUS DE TURISMO. LEVEM EUROS, MAS INDIRETAMENTE ACEITAM DÓLARES. ANTONIO = SERRA GAÚCHA

    • Olá, pretendo ir em abril/2015 para um congresso e aproveitar para conhecer alguns lugares, estou esperando uma boa promoção para comprar as passagens.

  • Katia Flavia

    Acho perigoso/pretensioso dizer que aviões estão a tanto tempo sem manutenção. Uma grave acusação que penso ser um pouco impossível, caso fosse verdade você provavelmente teria morrido, nos poupando de um post infeliz, anacrônico, onde faz comparações totalmente descabidas.

    Visitar um destino como cuba com essa mentalidade preconceituosa, era melhor ter ido para Cancún.
    Li os comentários e fiquei realmente desanimada. Quem diz que quem viaja agrega conhecimento esta bem enganado!!
    Vocês estão muito mal informados.

    Lamentável tanto anacronismo, preconceito e desrespeito.

    Não, não sou comunista.

    Acredito que para realmente conhecer um lugar você deve tentar entender ou ao menos respeitar aquela cultura. Comparações não cabem nesse contexto.
    Evitem ou vão sair do lugar que entraram sem ter agregado nenhum conhecimento.

    • Andrew Bueno Piolli

      Acho que ele falou mais no lado de criar um humor mesmo.
      É meio obvio que seria impossível um avião voar sem manutenção desde 1985, fora que ele apesar de velho estava até que bonito dentro.
      Tipo aquela conversa informal entre amigos (mais presente entre homens) que xinga o time de futebol inteiro, mas não perde um jogo.