logo Melhores Destinos

Descubra todos os detalhes de como levar seu cão ou gato para Europa

Rafael Castilho
19/01/2021 às 5:00

Descubra todos os detalhes de como levar seu cão ou gato para Europa

Os animais de estimação fazem parte da família. Quem os têm sabe o amor e todo o carinho que temos com nossos pets. Entretanto, na hora de viajar ou se mudar de país vem a dúvida: levar ou não levar? Temos receios de todo processo documental, custos, adaptações e da longa viagem de avião. Neste post detalhamos todos o processo de como levar o seu cão ou gato para Europa. Descubra o passo a passo da viagem de um pet para o Velho Continente.

Levei o meu cachorro recentemente para Europa e fiz todo o processo que deve começar bem antes da viagem ou da mudança planejada. Eu me mudei para Portugal e tive que tirar todos os documentos necessários para o meu pet desembarcar tranquilamente em Lisboa. Conto todos os detalhes abaixo para lhe ajudar no planejamento da viagem de seu animalzinho.

Passo a passo para levar seu pet para Europa

A viagem com o seu pet para Europa deve ser bem planejada para que não ocorra problemas e você não consiga embarcar com o seu bichinho. Tenha em mente que todo o processo leva no mínimo 4 meses. Veja o passo a passo:

1 – Microchipagem

Tudo começa com a microchipagem do seu pet. Hoje já é comum os animais serem microchipados logo após o nascimento, principalmente em grandes criadouros ou quando o seu animal é comprado em pet shops. Entretanto, o meu cão não era, então tive que providenciar a implantação do microchip.

Vale ressaltar que o chip deve ser padrão ISO 11784 e ISO 11785. Em São Paulo o custo é de cerca de R$ 200. A implantação é tranquila. O chip, com cerca de 1,5mm, é instalado por meio de uma injeção no dorso entre as escápulas do animal.

O veterinário deve emitir um certificado com a data de implantação do microchip.

2 – Vacina antirrábica

Todos os anos o animal deve tomar a vacina antirrábica. Entretanto, desta vez é diferente. A vacina só é válida para você viajar para Europa se ela foi aplicada após a data de implantação do microchip. É isto mesmo! Se o seu animal já tomou, ela deverá ser repetida.

Fiz a vacinação no meu pet três dias após a microchipagem. Depois o processo segue normal com vacinação antirrábica marcada na carteirinha do animal.

Fique atento às datas nos registros feitos pelo veterinário, pois se ele errar alguma delas você poderá ter problemas na emissão do seu Certificado Veterinário Internacional.

3 – Exame de sorologia

Esta parte é uma das mais caras de todo o processo e vale muita pesquisa. A União Europeia exige que todos os pets (cães, gatos e furões) provenientes do Brasil realizem o exame de sorologia para comprovar que a vacina antirrábica surtiu efeito. É basicamente um exame de sangue que detecta se o animal criou anticorpos para a doença. Atenção! O teste de sorologia só pode ser realizado 30 dias após a aplicação da vacina antirrábica.

Somente o laboratório TECSA em Belo Horizonte está apto pela União Europeia a realizar este exame no Brasil. Mas não fique preocupado, você não terá que viajar até a capital mineira. Muitos laboratório na sua cidade ou até mesmo seu pet shop favorito realiza o exame. O que eles fazem é coletar o sangue e depois encaminham as plaquetas para análise em BH.

Fique atento! Aqui vale um pouco de pesquisa. Como o exame é exclusivo e há esta logística complicada, muitos laboratórios abusam do preço. Em São Paulo consultei a pet shop e outros importantes laboratórios, a diferença de preço superou os 100%. Paguei R$ 700.

É importante consultar o laboratório escolhido para saber se é necessário um pedido médico para a realização do exame. No dia da coleta do sangue você deve levar a carteirinha de vacinação do animal e o certificado da microchipagem. O pet deve estar em 12 horas de jejum.

4 – Resultado da sorologia

O resultado do exame de sorologia sai em cerca de 30 dias. O laboratório, onde foi realizado o exame, entrará em contato para a retirada do certificado emitido pelo TECSA, fundamental e obrigatório para sua viagem.

O resultado esperado deve apontar um nível de anticorpos de neutralização do vírus da raiva no soro deve ser igual ou superior a 0,5 UI/ml.

Caso seu animal não desenvolva anticorpos igual ou superior a 0,5 UI/ml, todo o processo de vacinação, 30 dias de espera e novo exame de sorologia devem ser refeitos e pagos novamente.

Tive um problema com exame do TECSA. Dias após a retirada do certificado, me ligaram dizendo que o laboratório em Belo Horizonte teve problemas com um lote de amostragens e que o exame seria refeito por eles nos Estados Unidos. O meu animal não precisou retirar novamente sangue, mas o resultado demorou mais quase 30 dias.

Por isso é importante fazer tudo com calma e levar em conta que a emissão do Certificado Veterinário Internacional só é possível 90 dias após a coleta da sorologia.

5 – Atestado de Saúde

No máximo 10 dias antes do embarque para Europa é hora de passar novamente no veterinário. O seu pet passará por uma consulta e emitirá um atestado de saúde de seu animalzinho. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento fornece um modelo de atestado.

O veterinário também indicará a renovação a vermifugação e a aplicação de anti-pulgas no cão. Sobre a prescrição de algum medicamento calmante para o dia da viagem o veterinário disse que não é recomendado. No máximo algum medicamento natural com base floral.

6 – Emissão do Certificado Veterinário Internacional – CVI

Com todos os documentos e passagem em mãos é hora de emitir o CVI. Você deve procurar a Unidade de Vigilância Agropecuária Internacional – Vigiagro no Aeroporto Internacional de partida. Encontre aqui a unidade mais próxima.

Normalmente, você deve agendar um horário para levar os documentos da Vigiagro preenchidos e mais: certificado de microchipagem, carteira de vacinação, atestado da sorologia, atestados de saúde do animal, passagem aérea e documentos do proprietário. Mas devido a pandemia, todo o processo está sendo feito por email e segue as orientações do Ministério da Saúde e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Para ter seu CVI (Certificado Veterinário Internacional) emitido, deverá o usuário enviar toda documentação scaneada a partir do original com boa resolução e colorida. São aceitos os formatos-padrão de arquivos de imagem (por exemplo: JPG, BMP E PNG) e também os arquivos em formato PDF. De preferência enviar todos arquivos em um único PDF.

CVI emitido

O meu voo partiu do Aeroporto Internacional de Guarulhos e tive que enviar os documentos para o e-mail cvi.gru@agricultura.gov.br. Vale destacar que o envio do email deve respeitar o prazo de 10 dias anteriores ao embarque.

O prazo de análise documental é de 48 horas. Caso necessitem de mais alguns dados a Vigiagro entra em contato por email. Já a entrega do CVI é presencial e você deverá retirá-lo na Vigiagro do aeroporto em horário agendado durante os dias úteis.

– Documentos exigidos para emissão do Certificado Veterinário Internacional

Planilha de Solicitação do CVI com dados Viagem;

Requerimento de Fiscalização de Animais de Cia devidamente preenchido e assinado (com tinta azul);

Declaração de Regularidade para Emissão CVI não Presencial;

Autorização para viajar/despachar animal ou emitir CVI em nome do proprietário;

Documento oficial do proprietário (pode ser RG, CNH ou passaporte);

Comprovante da viagem (e-ticket);

Comprovante de Vacina (é necessário digitalizar a frente e verso da carteirinha da vacina);

Comprovante de Microchip;

Laudo da Sorologia.

7 – Comunicar o país de destino

É interessante procurar informações sobre a Vigilância Veterinária do país de destino. Normalmente é conseguida no site do aeroporto ou com a companhia aérea. Em alguns casos as autoridades locais pedem que a Vigilância seja avisada entre 24 e 48 horas antes da chegada do animal.

Em Portugal, há um arquivo a ser preenchido que deve ser enviado por e-mail com os documentos do pet para as autoridades veterinárias do aeroporto de desembarque. Obtenha este arquivo e veja mais detalhes aqui.

8 – Dia da viagem

Durante todo o processo de documentos é legal que você comece a familiarizar o seu pet com a caixa de transporte. Deixei a caixa do meu cão no quarto para ele dormir. Antes da data do voo é bom levar o seu animal para um banho e uma tosa higiênica.

No dia da viagem siga a rotina normal do pet. Leve ele para passear e dê comida. Chegando ao aeroporto é legal dar uma volta com ele na área externa para fazer xixi. Dentro da caixa você deve colocar somente uma fralda higiênica. Fomos informados pelos atendentes da Latam que mantas não são permitidas na caixa, pois podem sufocar o animal. Como o porão do avião pode ser um pouco gelado também colocamos uma roupinha no cachorro.

A caixa de transporte deve ser bem fechada. A companhia aérea coloca fitas para lacrar e evitar que caixa se abra. Check-in feito, pet despachado.

8 – Desembarque na Europa / Portugal

Ao chegar ao país de destino você deve retirar a caixa e seu animal numa área reservada de retirada ao lado das esteiras de malas. Depois é só procurar o serviço de vigilância veterinária e apresentar o CVI. Os documentos são inspecionados e é emitido um certificado liberando o trânsito do seu pet. Em Portugal há uma taxa a ser paga de 40€.

Compra da passagem

Aqui vai um alerta. Você deve levar em conta que todo o processo de liberação do pet para viajar leva no mínimo 4 meses, então faça as contas antes de emitir o seu bilhete aéreo. A minha sugestão é fazê-lo assim que sair o atestado de sorologia, no mínimo 90 dias antes da partida. Sendo assim não haverá surpresas e a viagem de seu animal estará garantida.

Antes de comprar a passagem verifique as restrições e se companhia aérea pretendida transporta animais.

Eu comprei a minha com mais de 150 dias de antecedência, mas devido à pandemia a viagem foi algumas vezes adiada. Somente consegui realizar o voo até Portugal quase 10 meses após a compra. Um caso extraordinário.

Transporte de animais nas companhias aéreas

A maioria das companhias aéreas transporta animal de estimação na cabine ou no bagageiro. A regra difere em relação ao peso e preço. Para Portugal, a Azul é a única que não transporta pets. Veja abaixo o detalhe do transporte de animais de algumas companhias para Europa.

Vale destacar que não são feitas reservas para transporte no porão de animais braquicéfalos (“braqui” quer dizer curto e “céfalo” significa cabeça), ou seja cães e gatos de focinho curto e achatado.

Transporte de animais na Latam

Cabine

Para voar com gato ou cachorro na cabine, o passageiro da Latam deve respeitar as restrições:

Peso máximo de 7 kg (contando o animal mais a bolsa de transporte). Custo do transporte dos voos para Europa é de US$ 250. O serviço não está disponível nos aviões Boeing 767 e 787.

Bagageiro/Porão

Se o seu pet não se enquadra nas atribuições para ser levado a bordo, ele terá que ir no bagageiro. O meu cão foi no voo LA8132 de Guarulhos para Lisboa, num Boeing 767. A viagem foi tranquila e ele chegou bem.

Já os valores para o transporte no bagageiro difere conforme o peso do animal. O mais barato é US$ 150 (0 a 23kg), US$ 225 (24 a 32kg) e US$ 300 (33 a 45kg).

O serviço do transporte de animal deve ser reservado pelo call center da Latam com no máximo 48 horas antes do voo. O pagamento pode ser feito no Call Center ou diretamente no aeroporto.

Transporte de animais na TAP

Cabine

A TAP permite um peso um pouco mais para os animais transportados na cabine.

Há algumas regras a serem respeitadas na TAP, veja aqui.

Bagageiro/Porão

Na TAP o peso máximo para o transporte de animais no porão também é de 45kg.

Já os preços pelo transporte de animal na TAP variam de US$ 185 até US$ 355.

Transporte de animais na Air France

Cabine

Pode transportar na cabina, mediante autorização do Serviço de Apoio ao Cliente da Air France, um cão ou gato cujo peso não exceda 8 kg (bolsa incluída). O animal deve ter, no mínimo, 10 semanas e as suas vacinas devem estar em dia. O custo é de 125€.

Bagageiro/Porão

São aceitos gatos e cães com peso superior a 8 kg até 75 kg. O transporte no porão está limitado a 3 animais, no máximo, por passageiro. Relembra-se que esta quantidade pode ser limitada em função do tipo de avião.

A companhia solicita que o passageiro já comunique o transporte de um animal no porão no ato da reserva do seu bilhete aéreo. O custo é de 200€.

Estão proibidos de transporte no porão os animais de focinho curto, como os cães de raça pug, boxer, buldogue, shih-tzu ou os gatos persas ou birmaneses.

Veja aqui detalhes da caixa de transporte permitida na Air France.

Transporte de animais na KLM

Cabine

A KLM permite o transporte na cabine de animais com, no mínimo, 10 semanas de idade e 8 kg (caixa inclui que deve ter no máximo 46 x 28 x 24 cm).

Bagageiro/Porão

Já no porão a KLM transporte animais até 75 kg, mas o serviço não está disponível no Boeing 787-9 e Boeing 787-10. O custo do transporte na companhia holandesa varia de 30€ até 200€ dependendo da origem e destino.

Em casos de escalas superiores a 3 horas no Aeroporto de Schiphol, em Amsterdã, a companhia conta com um hotel e serviço diferenciado, mas ao custo de mais de 150€.

Transporte de animais na Lufthansa

Cabine

Apenas cães e gatos, que não pesem mais do que 8 kg incluindo a transportadora, podem ser transportados na cabine do avião como bagagem de mão adicional e sob determinadas condições. Cães e gatos maiores não são permitidos na cabine, bem como todos os outros tipos de animais, independentemente do seu peso e tamanho.

A caixa de transporte permitida pela Lufthansa tem o tamanho máximo de 118 cm (55 x 40 x 23 cm). O custo é de 110€.

Bagageiro/Porão

Cães e gatos com peso superior a 8 kg, incluindo a caixa de transporte, poderão ser transportados no porão climatizado do avião, como excesso de bagagem. Veja mais detalhes aqui. O custo é de 190€.

Custo médio para levar seu pet para Europa

A viagem de seu animalzinho para Europa não é barata. Demanda tempo, planejamento e dinheiro. Em média, tranquilamente, passa dos R$ 2.000. Tanto o valor cobrado pelas pet shops, laboratórios e companhias aéreas diferem bastante e interferem sensivelmente no seu orçamento.

Microchip: de R$ 150 a R$ 300

Vacina contra raiva: de R$ 60 a R$ 150

Sorologia antirrábica: de R$ 700 a R$ 1500

Caixa de transporte: a partir dos R$ 100

Passagem aérea: entre US$ 150 a US$ 300 (somente ida)

Atestado de saúde: custo de uma consulta veterinária

CVI: gratuito

Você já levou seu animal para o exterior? Como foram preparativos e a viagem? Conte para nós nos comentários abaixo.

Não perca nenhuma oportunidade!

ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção