logo Melhores Destinos

Tudo sobre Amsterdã: as dicas de uma brasileira que mora na cidade

Gisela Cabral
Gisela Cabral
26/06/2019 às 7:00

Tudo sobre Amsterdã: as dicas de uma brasileira que mora na cidade

Amsterdã – ou Amsterdam -, a bela capital holandesa, tem muitas atrações imperdíveis! Confira nesse post tudo sobre as principais atrações do destino, onde ficar, onde comer, melhores museus, entre outros segredinhos que tornarão a sua viagem ainda mais especial!

O que fazer em Amsterdã – as dicas de uma brasileira que mora na cidade

Estava nublado e bem chuvoso quando o meu voo, enfim, aterrissou no Aeroporto Internacional de Schiphol Amsterdam. E naquele longo trajeto entre o avião e o setor de bagagens, fui tomada por um mix de sensações, que iam desde o clássico friozinho na barriga, à emoção pela chegada, saudades do meu país e, claro, muita vontade de explorar cada canto de Amsterdã, a cidade que a partir daquele junho de 2011 eu chamaria de casa.

Acho que nem preciso dizer que, logo de cara, me apaixonei pelo destino que oferece muito o que fazer e me arriscaria a afirmar que neste “estado de graça” permaneço até hoje, mesmo depois de passada a empolgação inicial. Na verdade, passados alguns bons anos, ainda me considero turista aqui e assim espero permanecer por muito tempo, sem perder o “brilho nos olhos” diante de uma nova paisagem, ponto turístico e afins. 

Canal de Amsterdã em um dia de Sol

Bem, o que posso dizer é que Amsterdã é capaz de encantar o visitante desde o primeiro momento e não são poucas as pessoas que aqui voltam várias e várias vezes. Um destino cheio de paisagens encantadoras, arquitetura de tirar o fôlego, ruas “cortadas” por ciclovias, canais e onde encontram-se pelo menos mil pontes.

Uma cidade com uma atmosfera incrível, cheia de história, romântica e com opções de entretenimento que agradam pessoas de todas as idades: museus como o Van Gogh e o Rijks, bares e restaurantes para todos os gostos, bairros vibrantes como o Jordaan e o De Pijp, parques como o Vondelpark, praças como a Ledseplein, a Dam e a Rembrandtplein, e festividades como O Dia do Rei (27 de abril), a Parada Gay e muito mais.

Árvore de Natal na Praça Dam

Onde fica Amsterdã?

Afinal, Amsterdã é a capital dos Países Baixos ou da Holanda? Muita gente não sabe, mas Países Baixos é a denominação oficial. A explicação para o segundo nome (não oficial) é que realmente existiu uma província chamada Holanda inserida na região onde hoje se encontram os Países Baixos.

Essa província surgiu como uma potência dominante no século XVII e por isso o nome é tão famoso no mundo todo, inclusive no Brasil. Atualmente, a região da antiga Holanda corresponde às províncias da Holanda do Sul e da Holanda do Norte (exatamente onde está Amsterdã).

Como chegar em Amsterdã

Voos diários partem das principais capitais brasileiras com destino aos Países Baixos. A companhia holandesa KLM realiza o trecho direto, partindo do Rio de Janeiro e de São Paulo. Lembrando que tanto no site quanto no app do Melhores Destinos você encontra passagens aéreas a preços imperdíveis! Nossa equipe monitora os preços e envia alertas assim que encontra alguma ótima promoção para você aproveitar!

Para quem já está no Velho Continente, a dica é aproveitar os excelentes preços e promoções oferecidas por companhias low cost como Easy Jet, Transavia e Ryanair. O ponto de chegada dos passageiros na Holanda é o Aeroporto de Schiphol, que fica a mais ou menos 20 quilômetros de distância e oferece excelentes conexões com o centro de Amsterdã. 

Uma outra excelente opção é a viagem de trem até a capital holandesa. De Paris, por exemplo, são pouco mais de três horinhas de viagem, já de Bruxelas são cerca de duas horas e cinquenta minutos. A dica para economizar na passagem é adquirí-la o quanto antes. No site da companhia holandesa NS, por exemplo, é possível fazer a compra do bilhete online, com três meses de antecedência.

Leia também: Dicas para escolher a mala ideal para a sua viagem de avião

Casas flutuantes em Amsterdam Oude West

Onde ficar em Amsterdã

Amsterdã não oferece apenas um bairro ideal para se hospedar, mas vários. O Joordan, por exemplo, é repleto de canais, ruazinhas, cafés e restaurantes de todos os tipos – ideal para quem pretende experimentar esse lado mais charmoso da cidade. A região próxima à Estação Central de Trens também abriga boa quantidade de opções, muitas delas pertencentes às grandes redes. Mas se a intenção é ficar próximo da movimentação noturna, as regiões ideais são as das praças Leidse, Rembrandt e Dam.

Para economizar na estadia em um hotel/hostel ou apartamento de temporada, faça a reserva com antecedência, de preferência com cancelamento gratuito, e fique atento para o surgimento de uma oferta melhor.

Museus de Amsterdã

Van Gogh – pinturas importantes como O Quarto (1888), Girassóis (1889), alguns autorretratos, entre outras, estão todas reunidas neste museu dedicado ao famoso pintor holandês. Reserve pelo menos uma hora para conhecer e apreciar os diversos ambientes do local e, depois da visita, não deixe de saborear um cappuccino com uma fatia da verdadeira torta holandesa no café do térreo.

Rijksmuseum – reaberto em 2013 depois de vários anos em obras, o Rijks é considerado um dos melhores museus da Europa. E não é para menos, lá o visitante vai encontrar uma enorme coleção de artistas holandeses, entre eles Rembrandt (“A Ronda Noturna” é uma das obras imperdíveis!) e Vermeer. Além disso, o prédio do museu é um espetáculo à parte, assim como o café do local, que tem um cardápio gostoso e uma atmosfera incrível.

 

O museu Van Gogh é um dos mais famosos da cidade/foto: Jan-Kees Steenman

A Casa de Anne Frank – os horrores da Segunda Guerra podem ser vistos e sentidos durante a visita à casa de Anne Frank. Um anexo secreto na rua Prinsengracht 263 onde a menina e sua família viveram escondidos do regime nazista por dois anos. Emocionante, porém nada recomendado para os que têm fobia de lugares muito fechados. Dica importante: adquira o seu ingresso com o máximo possível de antecedência, pelo site da atração, ou então você corre o risco de ficar sem.

Heineken Experience – você é fã da cervejaria Heineken? Então, não perca a visita ao Heineken Experience e saiba tudo sobre a famosa marca holandesa, desde a sua fundação até os dias atuais. O ingresso é um pouco caro, mas o museu é interessante e muito interativo. Além disso, visitantes aptos podem degustar duas tulipas de cerveja no final do tour.

 

Ao fundo, “A Ronda Noturna”, de Rembrandt – Rijksmuseum/foto: Erik Smits

Madame Tussauds – as estátuas de cera do Madame Tussauds são famosas mundialmente e podem ser vistas de perto em várias capitais do mundo, entre elas Amsterdã. São artistas de cinema, políticos e personalidades das mais diversas áreas, algumas delas tão bem feitas que parecem de verdade. O Madame Tussauds Amsterdã fica na Praça Dam e a entrada custa €23,50 (na hora) e €19,50 (pelo website).

De Nieuwe Kerk (Igreja Nova) – a bela e imponente igreja da Praça Dam – onde acontecem as cerimônias de inauguração dos monarcas holandeses desde 1814 – é um local que guarda tesouros importantes e também sedia várias exposições, entre elas a World Press Photo. Quer saber o que está rolando por lá neste momento? Clique aqui.

A Casa de Anne Frank é um dos museus mais procurados de Amsterdã

Museu de Amsterdam – aqueles que desejam conhecer a história de Amsterdã a fundo, não podem deixar de visitar esta atração, que fica a poucos passos da praça Dam. Isso por que, além do interessante acervo, o Museu de Amsterdam é super interativo (não perca a exposição Amsterdam DNA).

Pontos turísticos de Amsterdã

Vondelpark – o maior e mais famoso parque de Amsterdã atrai uma grande quantidade de locais e turistas não só pela área verde, mas também pelos lagos, pista de corrida, bares/restaurantes e claro, pelos gramados superconvidativos para um piquenique em um dia de Sol. Está vindo entre os meses de maio e agosto? Então, não deixe de consultar a programação de eventos ao ar livre do Vondelpark.

Leidseplein – a praça que parece “não dormir nunca” é uma das mais famosas e turísticas da cidade. Rodeada de bares/restaurantes (nem sempre os melhores) e lojas como a da Apple, o local também é palco de apresentações artísticas, principalmente no verão. Já no inverno, a Leidseplein recebe barraquinhas que vendem waffles e os famosos Oliebollen – deliciosos bolinhos com uvas passas, fritos e passados no açúcar.

Vondelpark

Museumplein (Praça dos Museus) – localizada entre os museus Van Gogh e Rijks, próxima ao museu Stedelijk (arte moderna) e à casa de espetáculos Concertgebouw, a praça dos museus é um dos pontos de encontro em Amsterdã, além de palco para alguns eventos e festivais da cidade. Eu, particularmente, adoro sentar-me no gramado da praça em dias ensolarados.

Praça Dam – a praça super movimentada – e cheia de história – fica a pouco mais de 1 km da Estação Central de Trens (Amsterdam Centraal). Lá o visitante vai encontrar o Memorial Nacional aos Mortos, um monumento que homenageia as vítimas da Segunda Guerra Mundial, além de bares, restaurantes, casas noturnas e lojas com opções para os mais diversos gostos (muito bom para os que querem comprar suvenir).

Amsterdã tem excelentes opções de feiras

Albert Cuyp Market – esta é a maior feira a céu aberto de Amsterdã e onde você vai encontrar de tudo um pouco, roupas, sapatos, acessórios, produtos de beleza e, claro, uma série de comidinhas deliciosas: os famosos queijos, como o holandês Gouda, o kip saté (espetinho de frango com molho à base de amendoim) e o stroopwafel (biscoito típico holandês recheado com caramelo). Ah, o melhor stroopwafel da feira é feito na hora. É só seguir o aroma para encontrar a barraca!

Bairro da Luz Vermelha ( Amsterdam Red Light District) – fica nas mediações da Oude Kerk (igreja antiga). Uma área onde prostitutas oferecem seus serviços legalmente e, curiosamente, dentro de pequenas vitrines iluminadas com a luz vermelha. Ao andar pelo labirinto de ruelas, que abriga, ainda, lojas como sex shops, jamais tire fotos das mulheres nas vitrines e fique atento para a ocorrência de furtos.

Biblioteca Pública de Amsterdã (Open Bare Bibliotheek) – a biblioteca fica bem pertinho da estação central de Amsterdã – em Oosterdokseiland, a cinco minutinhos de caminhada da central, sentido Museu de ciência Nemo. Do topo do belo prédio se tem uma das vistas mais legais da cidade, além de um café cheio de delícias. A entrada é gratuita.

Passeios em Amsterdã

De Barco – excelente pedida para quem deseja conhecer Amsterdã, a bela cidade dos canais e pelo menos mil pontes, de um ângulo diferente. Em geral, os cruzeiros comuns têm guias em áudio em português e duram 75 minutos. A minha empresa favorita é a Blue boat , nessa matéria você adquire mais informações sobre passeios e outras empresas.

Tour de Bicicleta – faça como os habitantes locais, explore Amsterdã sob duas rodas! Como já é sabido, a cidade é toda cortada por ciclovias bem sinalizadas, fazendo com que este seja o meio de transporte preferido dos amsterdammers. No entanto, é preciso ficar atento, pois o roubo de bicicletas é algo muito comum na cidade (jamais deixe a sua bike sem a corrente, ao estacionar). Ah, o aluguel de bicicletas em Amsterdam deve custar algo em torno de 15, o dia, lembrando que nas áreas mais afastadas do centro turístico é possível pagar menos.

Zaanse Schans – a dica é para os que desejam conhecer de perto os famosos moinhos holandeses. Zaanse Schans fica a 17 minutos, de trem, da Estação Central de Amsterdam e a visita ao local vale a pena pela paisagem encantadora, cafés/restaurantes, museus e muito mais. Como chegar lá: pegue o trem na direção Uitgeest e desça na estação Koog-Zaandijk. Da estação até o local você vai caminhar cerca de 15 minutos, é só seguir as placas. Para conhecer mais detalhes da charmosa vila, confira a nossa matéria O que fazer em Zaanse Schans.

Keukenhof – vai visitar Amsterdã entre os meses de março e maio? Então, não deixe de ir ao Keukenhof, o belíssimo parque das tulipas situado próximo à cidade de Lisse, de fácil acesso para quem está em Amsterdã.

Área central do Foodhallen, em Amsterdam Oude West

Den Haag (Haia) e Roterdã – aqueles que estiverem com tempo sobrando também podem aproveitar para dar um pulinho em Haia, a capital política da Holanda, ou Roterdã, a segunda maior cidade dos Países Baixos. Da estação central de Amsterdã partem trens a todo momento para as duas cidades e a viagem dura, em média, 50 minutos, para Haia, e 1h10, para Roterdã. (dependendo do horário e do trem escolhido, a viagem pode ser mais longa ou mais curta).

Onde comer em Amsterdã

Febo – a famosa rede de snacks holandesa faz a festa de nativos e turistas ao comercializar seus produtos – baratos e deliciosos – em vitrines, onde o cliente faz o pagamento e retira o alimento por conta própria. Não deixe de experimentar os hambúgueres, os croquetes de carne e o kasssouflé (com queijo derretido).

Gollem’s Proeflokaal – o bar tem uma atmosfera incrível, excelentes cervejas e um cardápio repleto de delícias, a exemplo do hambúrguer e do fondue de queijo trapista. Ah, o Gollem’s fica a mais ou menos 10 minutos de caminhada da Leidseplein. Reservas são altamente recomendadas e podem ser feitas pelo website!

Foodhallen – uma espécie de mercado gastronômico onde você encontra uma série de estandes, todos pertencentes à restaurantes da cidade. E o interessante do lugar – que fica dentro do complexo De Hallen – é justamente poder experimentar várias comidinhas de uma só vez.

Aqueles que curtem um bom hambúrguer, por exemplo, irão gostar do The Butcher e suas criações como o The Daddy, angus beef coberto com queijo Edam derretido, bacon, molho barbecue e cebola grelhada (confira o cardápio completo). Mas se você gosta de comida oriental, não pode deixar de provar as delícias do Việt View, especializado em street food vietnamita. Os rolinhos spring roll fritos são sensacionais!

Já os apaixonados por carne não devem deixar de experimentar a farta tábua de carnes do The Rough Kitchen ou os deliciosos bitterballen (snacks holandeses recheados com carne) do De BallenBar. Lembrando que no complexo De Hallen há, ainda, um cinema, uma biblioteca, hotel e uma feirinha de produtos locais, que acontece duas vezes no mês, aos sábados e domingos.

Cone de batatas fritas com maionese do Vlaams Friteshuis

Vlaams Friteshuis Vleminckx – sabe aquelas batatas fritas supersequinhas e saborosas, servidas em um cone? Pois bem, assim como a Bélgica, a Holanda também é apaixonada por elas e um excelente local para experimentá-las, em Amsterdã, é na Vlaams Friteshuis Vleminckx. Uma “portinha” situada bem próxima à Kalverstraat, a movimentada rua das compras, onde sempre tem uma fila, de tão famosa que a iguaria é. Os cones estão disponíveis nas versões small (pequeno), medium (média) e large (grande). Confira o cardápio.

New King – o restaurante especializado em comida oriental fica em Chinatown, uma das áreas mais conhecidas do centro de Amsterdã. O local costuma ser bastante concorrido, pois o pato à moda chinesa, servido pela casa, é bem famoso na cidade. Ao sair do restaurante, não deixe de explorar a rua, onde está o belo Templo Budista de Amsterdã!

Cannibale Royale – se você é um apaixonado por carnes e hambúrgueres suculentos, o Cannibale é uma ótima pedida. São quatro restaurantes espalhados pela cidade, todos com ambientes informais, excelente atendimento e coquetéis deliciosos. A dica é fazer a reservar pelo site, para não correr o risco de ficar sem mesa.

Torta holandesa da Winkel 43. Simplesmente deliciosa!

Pikoteo – O Pikoteo é uma taverna de tapas comandada pelo chef espanhol Miguel Gómez. No local são servidas várias delícias, a exemplo do jamón ibérico, batatas bravas, croquetes, além de criações mais elaboradas do chef, que nasceu em Madri, mas viajou o mundo todo. Reservas são altamente recomendadas e podem ser feitas pelo website.

Winkel 43 – neste local você vai experimentar a torta holandesa mais famosa da cidade. Tão famosa que em certos dias fica difícil até entrar no café, devido à grande quantidade de clientes. Servida com chantily ou não, a torta tem sabor e textura incríveis, além de um farto recheio de maçãs. Vale a pena conferir!

De Bekeerde Suster – lá você vai encontrar cardápio farto, com cervejas diversas (inclusive a produzida pela casa) e uma série de petiscos e pratos deliciosos. A cervejaria De Bekeerde Suster fica a pouquíssimos passos da Nieuwmarkt, outra praça bem famosa de Amsterdã, rodeada de bares.

Troost – o Troost é uma cervejaria holandesa que, além da própria cerveja, fabrica licor e até limonada. São três endereços na cidade – um quarto será aberto em breve – todos eles superconvidativos e com um cardápio de dar água na boca (destaque para os hambúrgueres da casa). Reservas são recomendadas, não esqueça de fazer a sua.

Febo, a rede de snacks mais famosa da Holanda

Compras em Amsterdã

Albert Heijn – a rede de supermercados mais famosa da Holanda é um lugar onde você vai encontrar pratos prontos – como sanduíches, sushis e saladas – bebidas, chocolates, queijos e os famosos biscoitos stroopwafel, todos a preços bem mais em conta do que nas lojas de souvenir! Procure pela placa AH (há lojas espalhadas por toda a cidade), mas, atenção, nenhum dos estabelecimentos da rede aceita cartões do tipo Visa e Mastercard, por isso é sempre bom ter algum dinheiro em espécie no momento da compra!.

Kalverstraat – nesta rua há opções de compras para os mais diversos gostos; são grandes lojas de departamento, um mini-shopping (o Kalvertoren), cafés e restaurantes, redes de fast food, museus e até uma igreja. Sim, em plena rua de compras, exatamente no número 58, você encontra a discreta De Papegaai (O Papagaio, na tradução literal).

Kalverstraat

Leidsestraat – ao sair da Leidseplein é só seguir a linha do tram (direção Central Station). Nesta rua você vai encontrar lojas de todos os tipos e para os mais diversos bolsos.

PC Hoofstraat – neste endereço encontram-se grandes lojas e grifes mundiais, como Prada, Armani, Diesel, Chanel, Louis Vuitton, Nespresso, entre outras.

De 9 straatjes (As 9 ruas) – eis aqui uma área que vale a pena ser explorada, mesmo que não haja a intenção de comprar nada. São nove ruas situadas no Jordaan, um dos meus bairros preferidos em Amsterdã, cheias de lojinhas interessantes, galerias de arte, cafés, restaurantes e belos canais.

De Bijenkorf – Localizada em um enorme prédio na esquina da praça Dam, a loja de departamentos holandesa funciona como um grande shopping onde são vendidas não apenas roupas masculinas, femininas e infantis (a maioria de marcas famosas), mas também cosméticos, artigos para casa, livros, entre outros. Dica: não perca o café/restaurante que fica no 5º andar do prédio.

vida-noturna-amsterda

O que fazer de noite em Amsterdã

Bourbon Street – Jazz, rock, funk e soul são alguns do estilos musicais que reinam neste bar/casa noturna, que já foi palco para apresentações de músicos famosos como Bruce Springsteen, Sting e Joss Stone. No site oficial você confere a agenda da casa, que fica a poucos passos da Leidseplein.

The Waterhole – mais uma casa noturna de Amsterdã – próxima à Leidseplein – com música ao vivo todos os dias (Pop rock é o carro-chefe), menu de bebidas variado e uma atmosfera pra lá de animada. A programação de shows completa também encontra-se no site.

Rembrandtplein – a praça Rembrandt é um dos endereços mais indicados para aqueles que desejam curtir a noite de Amsterdam, pois o local está cercado de casas noturnas, bares e lanchonetes que costumam fechar bem tarde.

Paradiso – uma antiga igreja onde funciona, atualmente, uma das casas de shows mais famosas da cidade. Antes de conhecer e curtir a noite por lá, no entanto, é bom dar uma conferida na agenda do local, que já recebeu gente muito famosa, a exemplo da banda Rolling Stones e a cantora Amy Winehouse (1983-2011).

Melkweg – mistura de casa noturna, casa de shows e eventos, o Melkweg tem sempre uma programação bacanérrima e que costuma agradar a todos, tanto locais quanto turistas. Você pode conferir a agenda completa do local no site oficial, mas, caso nada agrade, é só atravessar a rua e dirigir-se até o Sugarfactory, outra casa que vale a pena conhecer.

I amsterdam.com – neste website você vai encontrar tudo sobre Amsterdã, além de uma agenda de eventos supercompleta, com tudo o que está rolando na cidade nesse exato momento.

Cerveja em Amsterdã

Brouwerij De Prael – tradição é palavra de ordem nesta cervejaria situada em uma das áreas mais antigas de Amsterdã. Todas as cervejas produzidas na casa são orgânicas e foram batizadas com nomes de cantores holandeses. Vale a pena conferir o produto e curtir a atmosfera do local!

Brouwerij ’t IJ – a tradicional cerveja holandesa servida em um ambiente mais típico, impossível: um dos moinhos de Amsterdã. Fundada em 1983, a Brouwerij ’t IJ produz no local toda a bebida servida, além disso você pode fazer um tour pela fábrica e conhecer de perto todo o processo. Atenção: o local só funciona

Café de Spuyt – escondido em uma das ruas próximas à Leidseplein está o Café de Spuyt, um bar de Amsterdam com um cardápio de cervejas de “encher os olhos”. Lá, por exemplo, você vai apreciar a cerveja trapista (belga) Westvleteren, entre outras bem famosas.

Café Belgique – o café é pequeno, porém bastante disputado. Lá, além de uma atmosfera incrível, o visitante vai encontrar um interior típico do século 17 e um cardápio repleto de cervejas belgas (são mais de 50 rótulos). O Café Belgique fica perto da praça Dam.

In de Wildeman – o bar oferece 250 tipos de cerveja engarrafadas e 18 “tiradas na hora”, marcas belgas e holandesas, em sua maioria. Em dúvida sobre qual cerveja escolher? Pergunte a um dos garçons da casa, eles entendem tudo do assunto! O In de Wildeman fica a poucos minutos da Estação Central de Trens de Amsterdã.

O que fazer em Amsterdã no inverno

Para começar, a cidade fica ainda mais bela, toda enfeitada para as festas de fim de ano. Não deixe de conferir o Amsterdam Light Festival, uma exposição de luzes a céu aberto, que acontece por toda a área central. Inclusive, vale a pena pegar o passeio de barco noturno só para admirar uma porção de obras cheias de criatividade, que deixam o cenário ainda mais encantador.

Em pontos estratégicos como a Praça dos Museus e a Leidseplein também são instaladas pistas de patinação e Mercados de Natal cheios de barraquinhas que vendem o famoso oliebol, tradicional bolinho frito, passado no açúcar refinado. Lembrando que o clima frio é mais uma deixa para explorar muito bem os famosos museus do destino.

Pode ser que você tenha sorte suficiente em ver a cidade toda branquinha, coberta pela neve. Outro fenômeno que, nos últimos anos, não anda acontecendo com muita frequência é o congelamento dos canais da cidade, devido à baixa temperatura. Caso isso aconteça, considere-se no lugar e na hora certa, aproveitando, é claro, para patinar naqueles liberados pela prefeitura.

amsterda-dicas

Mais dicas…

Clima em Amsterdã

As estações costumam ser bem definidas ao longo do ano, sendo o inverno bastante rigoroso para os padrões brasileiros. Chuvas ocasionais, mas com possibilidades de aberturas de sol, podem ocorrer em qualquer época do ano.

O que levar na mala – capas de chuvas são importantes e muito mais úteis do que guarda-chuvas, por conta do vento forte. Vai visitar Amsterdã no verão? Então, não esqueça de trazer um casaco leve, pois o clima aqui sempre pode mudar! Já aqueles que pretendem se aventurar em terras holandesas, no inverno, não podem deixar de trazer casacos apropriados, roupas de baixo, as chamadas “segunda-pele”, luvas, gorro, meias, cachecol e sapatos próprios para o frio.

Transporte público em Amsterdã

Amsterdã é uma cidade muito bem servida de bondinhos elétricos, ônibus, trens, táxis e Uber, além disso o destino é perfeito para ser explorado à pé ou de bicicleta. Aqueles que pretendem usar bastante o transporte público da cidade, economizarão mais se adquirirem tíquetes disponíveis nas versões 24 horas, 2, 3, 4, 5, 6  e 7 dias. No Guia de Amsterdã eu explico tudo sobre o assunto.

Entardecer em Amsterdam

Amsterdã é segura para o turista?

Em geral, Amsterdã é uma cidade bastante tranquila, sendo o roubo de bicicletas o crime mais comum da cidade (nunca deixe a sua bicicleta destravada ao estacioná-la). Mesmo assim, é bom ficar atento em lugares com grande concentração de pessoas (evite deixar a carteira à mostra e andar com a bolsa aberta) ou em regiões como a da Red Light District tarde da noite.

Alguns golpes também têm sido aplicados na região da Red Light District nos últimos tempos: pessoas mal-intencionadas abordam turistas de um jeito rude, se dizendo da Polícia, e aproveitam da situação para furtar carteiras. Dica: tente se comportar o mínimo possível como turista nestes lugares, falando alto em outro idioma ou exibindo bens, como celulares e câmeras fotográficas. Todo cuidado é pouco!

Loja de departamentos De B’jenkorf

Idioma em Amsterdã

o idioma oficial da cidade é o holandês, mas com o inglês o visitante se vira perfeitamente por aqui. Quer agradar os habitantes locais? Tente falar algo em holandês, como “Dank u wel” (pronuncia-se “Dank ú vel”), “muito obrigado”, na tradução para o português. Aliás, os holandeses costumam ser bastante solícitos com o turista, portanto, se precisar de alguma informação na rua não pense duas vezes, pergunte!

Como economizar em Amsterdã

Muita gente reclama dos preços de Amsterdã e a verdade é que o destino, realmente, não é dos mais baratos para turismo. Para economizar durante a sua estadia, evite fazer todas as refeições em restaurantes, procure por opções mais em conta como lanchonetes, cafés e supermercados que vendem comida pronta. Além disso, no quesito locomoção é sempre mais vantajoso percorrer a cidade de bike ou optar pelo cartão de 24 horas, 4 ou 7 dias, ao invés de comprar uma passagem a cada viagem de bondinho elétrico (tram) ou ônibus. Outra opção é adquirir o cartão da cidade, saiba mais sobre ele no próximo tópico.

Saiba como levar dinheiro em viagens internacionais (e fugir do IOF).

I Amsterdam City Card – o cartão pode ser muito bom para os que desejam visitar vários pontos turísticos, museus (incluindo o Van Gogh e o Rijks), fazer o passeio de barco, utilizar o transporte público e, ainda assim, economizar. O benefício está disponível nas versões 24, 48, 72 e 96 horas, em todos os casos, no entanto, é preciso avaliar se você vai conhecer todas as atrações incluídas no “pacote”, naquele determinado espaço de tempo, para valer a pena. Adquira o seu cartão aqui.

Coffeeshops em Amsterdã

O uso de drogas leves, como a maconha, é tolerado em Amsterdã. Isso quer dizer que você pode adquirir a substância em um local apropriado, num dos vários coffeeshops da cidade, e fazer uso no local. Mas, ao contrário do que se imagina, não é permitido fumar na rua, além de ser estritamente proibido cruzar fronteiras portando qualquer quantidade que seja.

O que fazer em Amsterdã em 1 dia

  • Passeio de barco saindo da Estação Central de trens: os barcos ficam logo na saída, na parte da frente da estação; 1 hora de duração
  • Visita à Museumplein e ao museu Van Gogh; 3 horas
  • Passeio pela Red Light District; 1 hora e meia

O que fazer em Amsterdã em 2 dias

  • Primeiro dia: O que fazer em Amsterdã em 1 dia;

Segundo dia:

  • Passeio pela Praça Dam e lojinhas de suvenir nos arredores; 2 horas e meia
  • Passeio pelas 9 ruas (9 straatjes) e pelo bairro Jordaan; 2 horas
  • Visita ao Museu Anne Frank; 1 hora
  • Balada no Waterhole ou bares de cerveja;

O que fazer em Amsterdã em 3 dias

  • Primeiro dia: confira O que fazer em Amsterdã em 1 dia;
  • Segundo dia: confira O que fazer em Amsterdã em 2 dias;

Terceiro dia:

  • Passeio pelo Vondelpark; 1 hora e meia
  • Passeio pela Leidseplein e arredores; 1 hora
  • Visita ao Heineken Experience; de 1 a 3 horas
  • Passeio pelo bairro de Pijp; 1 hora
  • Jantar na cervejaria Troost (de Pijp);

Essas são apenas algumas dicas desta cidade fantástica, que tem muito mais a oferecer! Já visitou Amsterdã? Deixe suas dicas nos comentários e participe!

121 Comentários

  • Alvaro says:

    Passamos o natal de 2012 em Amsterdam … muito bom … e para quem está de trem, o IBIS ao lado da estação central é uma excelente opção, mas tem que reservar com bastante antecedência porque esgota rápido.

  • Jean says:

    Excelente post Gisela,muito obrigado!
    Estarei em Paris em Setembro próximo.Não inclui ''oficialmente' Amsterdam em meu roteiro,mas a cada dia fico mais tentado a conhecer.
    Eis a dúvida:Só terei dois dias ''livres'',acha que vale a pena ir(De Paris) num Sábado pela manhã e voltar no Domingo a noite?Sei que dois dias é um período muito curto,mas ainda assim acha que vale a pena pro ''basicão''?Obrigado.

    • Marcia says:

      Quando fui a Paris, na volta, fiz uma parada de duas noites em Amsterdam. Ceguei a noite, me hospedei perto do aeroporto e no dia seguinte cedinho peguei o trem que vai do aeroporto até a estação central. Voltei para o Brasil no terceiro dia cedinho.
      Passei 1 dia inteiro em Amsterdam e gostei muito. Não deu para visitar museus, porque ficaria corrido. Visitei só o museu da Anne Frank (um dica essencial é comprar os ingressos pela Internet para não pegar mais de 2 horas de filas que se forma mesmo pela manhã). Eu comprei ingresso para o primeiro horário do dia, para me obrigar a chegar realmente cedo na estação de Amsterdam, depois que eu sai desse museu, andei o dia inteiro pela cidade (pelos pontos turísticos) e ainda fiz umas comprinhas de fim de viagem.
      1 dia valeu muito a pena, então acredito que como você tem 2 dias deve ir sim. É tempo suficiente para conhecer o ar da cidade. É só fazer um bom roteiro com as atrações que você quer conhecer e comprar entradas antecipadas pela Internet para não perder tempo em filas.

    • Gisela says:

      Oi Jean, que bom que gostou 😉 Então, se vc chegar no sábado cedinho, dá sim…vc não vai conseguir ver tudo, mas vai conhecer alguns pontos bem legais. Te indicaria o passeio de barco (legal pra ter uma geral da cidade) e um dos museus (como o Van Gogh) se vc curtir…no mais, é pegar um mapa e bater perna. Experimente ir Da museumplein até a Central station à pé…vc vai ver muita coisa (leidseplein, vondelpark, leidsestraat, mercado das flores, praça Dam, red light…)

    • Vale muuuito a pena, fiz isso quando fui a Paris., em outubro do ano passado. Dos passeios recomendados deu pra fazer quase tudo recomendado no post, e ainda fui ao show de um dos meus artistas favoritos. Lógico que quero voltar com mais tempo, vc não irá se arrepender!

      • LUZIANNE says:

        Oi!
        Tb estou indo para Paris em outubro e estamos vendo quais cidades iremos. Pensamos inicialmente apenas em Paris, Londres e passar o dia em Bruges e vamos passar 11 noites. Você acha que daria para conhecer Amsterdan com esses dias? Qual a sua sugestão de noites em cada cidade?
        Grata,

      • Sheila says:

        Olá Giulianne, estou indo a Paris em outubro deste ano e queria saber como estava o clima nessa época…

  • Daniel Aguiar says:

    Que excelente!

  • Junior@hotmail.com says:

    Heineken experience é a maior furada. Não percam tempo. Caro e sem graça.

  • Luiz Cunha says:

    Estive em Amsterdã há muitos anos mas achei encantadora e inesquecível!
    Muito obrigado por todas as dicas atualizadas e pelo excelente e detalhado guia pratico que fez.
    Quem sabe outros leitores do MD que estão morando em diferentes cidades pelo mundo possam fazer o mesmo que você Gisela Cabral? Mais uma vez PARABÉNS !!!

  • Daniele says:

    Gisela, me deixou morrendo de ansiedade.

    Daqui 10 meses caso e vou pra Amsterdam como a primeira parada na minha lua de mel. Estou encantada com seu post, adorei as dicas. Excelente!

    Estou querendo alugar um houseboat durante minha estadia, dizem que é uma ótima experiência.

  • Jaqueline says:

    Excelente post!! Estive mês passado em Paris e estiquei até Amsterdam e foi a melhor viagem da minha vida!! Cidade maravilhosa, opções de lazer, limpa, pessoas educadas e bem ao contrário de Paris, muito em conta. A Heineken Experience vale MUITOOOO a pena – eu e meu grupo, que incluía 2 idosos, nos divertimos muito lá dentro… Excelente Post, o que me lembrou o quanto preciso voltar para lá!!! Obrigada MD!!

  • titobosco says:

    Boas dicas! Sei que minha grande viagem vai ser por AMS e essas dicas sao preciosas e objetivas. Como é a imigracao la no aeroporto? Mto burocratica? A KLM faz otimas promos pra europa e sempre pesquiso com stopover em AMS. Grandes possibilidades de março e comecinho de abril de 2015 pisar as canelas secas aí. a temperatura nao está muito baixa nao né?

  • Vinicius says:

    Muito bom o post!!! parabéns!! Amsterdam é sensacional!!!

    Aproveitando, lá eu provei umas batatas fritas clássicas, que vem num papel em forma de cone, mas não me recordo o nome ou local (não sei por que! rs), se alguém souber!!! agradeço!! =D

    • Gisela says:

      Oi Vinicius, olha, essas batatas fritas são vendidas em praticamente todas as esquinas…hehe…mas a do Vlaams Friteshuis – perto da Kalverstraat – é uma das mais famosas!

  • Rafaella says:

    Adorei as dicas! Mês que vem vou pra lá e suas dicas foram muito úteis. Obrigada!

  • Virginia Wyatt says:

    Que sorte a sua morar numa cidade tão maravilhosa! Sou completamente apaixonada por Amsterdam,já estive ai por 3 vezes,conheço bem a cidade,mas sempre é bom mais dicas. Obrigada!!!

  • Suzy Campos says:

    Gigi, adorei o texto! Fiquei morrendo de vontade de voltar em Amsterdã! Saudades

  • Top Gisela,
    Parabens pelo post! Estou chegando amanhã em Amsterdã e creio que será muito util! Estou fazendo uma eurotrip e na estrada desde março, fazendo couchsurfing e outras coisas, na loucura, sem planejamento haha! Se tiver disponibilidade no fds e quiser mostrar algo da cidade seria legal! Só mandar inbox no fb 🙂
    Abraço!

    • Gisela says:

      Pôxa, Eduardo, no momento estou fazendo um guia do MD em Barcelona. Mas aproveite a sua viagem. Descobrir destinos desse jeito também tem um sabor especial!

  • Renata says:

    Faltou falar mais do Stedelijk, museu de arte moderna e design, também na Museumplein. Muito bom!

  • Maria Clara Kalil says:

    Adorei todas as dicas…Um verdadeiro guia e escrito de maneira clara, objetiva e agradável. Parabéns!

  • Leo says:

    Tb adoro Amsterdã, mas não me lembro de não aceitarem Visa e Creditcard no AH… Keukenhof é lindo, pena que são poucos dias pra ver as flores… E alugar apto por temporada sai MUITO mais barato que hotel, se forem mais de 2 pessoas. Hotéis baratos em promoção só pra 2 pessoas. Como fomos em 3, o apto valeu super a pena, economizamos comendo "em casa" e ainda nos sentimos como os locais, num prédio do séc. XVIII. Só de passear, de barco ou a pé, pelos canais, comendo batata frita em cone, já vale a pena!

  • Andre Marques says:

    Gisela, td bem?
    estou na Espanha e amanhã pego vôo para a Holanda para assistir o moto Gp, pode me orientar como chegar a Assen utilizando o meio de transporte público!?

  • titobosco says:

    Ta faltanto do Pieter van der Meer aqui pra dar a contribuição dele.

  • LUZIANNE says:

    UAUUU!! ai se houvesse um post assim de cada cidade! Seria PERFEITOOO!

  • Ingrid says:

    Muito bom o post! Gostaria de uma dica! Vou ficar 6 horas no aeroporto e gostaria de uma dica do que fazer durante esse período! Tem alguma dica de algum lugar que posso ir que não seja muito longe do aeroporto? Beijos e obrigada Gisela e Denis

    • Gisela says:

      A viagem de trem do aeroporto até a estação central é rapidinha, Ingrid. Dá pra você ir até la e pegar o passeio de barco, por exemplo, pra ter uma geral da cidade em um curto espaço de tempo (do lado de fora da central tem um píer). Perto da central também está a região da Red light…dá pra ir andando até lá e explorar um pouco. Ou você pode estudar os trajetos e ir a um museu…mas daí acho que você vai ter se organizar direitinho, pra não perder o vôo

  • Ivanilde says:

    Ah! é um dos meus sonhos visitar Amsterdã e certamente eu irei. É tudo isso e muito mais,eu acredito.

  • Ivanildo Tobias says:

    Essas dicas são fundamentais para quem quer conhecer um destino, principalmente pela primeira vez. Parabéns pela matéria. Vou me organizar para fazer um a viagem dessas, com minha linda esposa.

  • Carolina says:

    Gisela presenteou os futuros viajantes com um post completíssimo!
    Parabéns!
    Fiquei 3 dias em Amsterdã e vi quase tudo o que está no post. Então acho que quem tem apenas dois dias deve se arriscar e ir sim!
    Fui ao Madame Tussauds em Londres e achei muito chato… Considero dispensável para quem tem pouco tempo.O passeio a Zaanse Schans é muuuuito legal e vale a pena provar o queijo provolone de cabra (sensacional!).
    O almoço na Biblioteca é bem econômico (opções entre 8 e 12 euros) e ganha de graça a melhor vista da cidade 😉 adicione uma Amstel e fica tudo melhor ainda!
    Brouwerij ’t IJ – uma das melhores experiências de viagem que já tive! Aquelas mesas compridas com cada grupo falando uma língua diferente, aqueles petiscos engraçados e cerveja top! Ai, que saudade!
    Dos museus, fui ao Van Gogh e Anne Frank e são ambos muito interessantes.
    O transporte é realmente excelente. Como hospedagem econômica (aprox. 70 euros) e bem localizada no Joordan sugiro o BB La Festa.
    Quando fizemos a imigração, o oficial perguntou se tínhamos dinheiro suficiente, ele foi tão simpático que eu disse que sim e "to drink a lot of heinekens" kkk! Ele riu e carimbou.
    Uma observação: fui em junho e peguei 12 graus.

  • Nadja Borba says:

    Excelente! Estive agora em maio, e adorei! Imagine se tivesse todas essas dicas e informações! Tenho que voltar.

  • Dhiogo Curis says:

    ótimo! Perfeito! Minha esposa e eu vamos fazer nossa viagem em agosto baseado nesse roteiro! Muito legal mesmo!

  • Norberto says:

    Estou com viagem marcada em outubro para amsterdam. Esse post veio na hora certa. O melhor que encontrei. Facil leitura, dicas reais do dia dia de um turista, verdadeiramente util. Deveriamos ter post deste nivel de outros locais mundo a fora. De pessoas que realmente vivem nas cidades e podem transmitir a realidade para o turista. Parabens!!

  • Nos últimos 5 anos estive por 3 vezes e Amsterdã e a minha dica é que faça o passeio rural, é lindo. Além de ver uma cidade com muitos moinhos você ainda vai ver como se faz os tradicionais tamancos e os deliciosos queijos. Vale muito. Fiz o passeio o a Haia e não é tão bom como o rural. Outra dica é o aluguel de apartamentos. Fica mas barato e há a privacidade de se estar em casa. Outra informação útil é que no supermercado ah você pode pegar gratuitamente e sem burocracia um cartão bônus. Como se fosse um cartão fidelidade que dá desconto em muitos produtos. As garrafas de água mineral ( acho que de cerveja também) podem ser devolvidas em uma máquina que costumam ficar no final do mercado e você ganha um vale para comprar o que quiser no mercado.

  • Bruna says:

    Ai que saudade!!!! Amsterdã é umas das cidades mais maravilhosas que conheci!!!! Quero voltar! Só achei que no guia foi só citada a Oude Kerk, que, para mim, foi umas das visitar mais interessantes… Deveria ter mais informações sobre ela pois é parte importante da história de Amsterdã. Pra quem for passar pelo distrito Vermelho, vale a pena entrar na Igreja Velha!!!!

  • Micheli says:

    Post show de bola. Já imprimi, porque em agosto/2014 estarei por ai 🙂

  • Sílvia Frungilo says:

    Parabéns pelo guia, mto bom., já guardei.Estive duas vezes em Amsterdan e adorei, pretendo voltar. Um restaurante que gostei mto foi o Bazaar, localizado em frente ao Albert Cup Market, é uma antiga mesquita que foi transformada. Comida árabe com bons preços , fartura e de qualidde, recomendo.abraços

  • Abrao says:

    Uma boa dica para comer é no restaurante da Biblioteca Publica perto da Central Station.
    Lá, vc alem de comer relativamente barato podera desfrutar de uma vista maravilhosa da cidade pois fica no ultimo andar do prediio.
    Ainda na biblioteca, voce tera acesso gratuito a internet.
    Não deixe de comer as batatas fritas servidas em cones de papel com inumeras coberturas a escolher.
    Comi as referidas num quiosque que fica na avenida que liga a Central Station à praça Dam.

    Abraços
    Abrão Goldfeder

  • Meire says:

    Que legal! Amei as dicas! Estou querendo passar ano novo em Amsterdã, tem alguma dica de onde passar a entrada de ano comemorando?!

    • Depende do que você deseja fazer, Meire. Se gosta de festa, lugares cheios, o local mais indicado é a Praça Dam. Mas os restaurantes da cidade também promovem festas, jantares…só não esqueça que esta época do ano é bem fria por aqui, mas a comemoração não deixa de ser boa!

  • Estarei em Lisboa no fim de setembro e pensei em passar em Amsterdã por uns dois dias, visto que minha viagem à Portugal também é curta. Acho que vai valer a pena, mas preciso melhorar meu inglês URGENTE 😛

  • Osvaldo says:

    Um passeio que recomendo é fazer algum trajeto de pedalinho. Você pega em um ponto e devolve em outro. É muito divertido além de observar a cidade por um ângulo diferente, explorando seus canais. Utilizamos esse transporte para ir ao museu Van Gogh.

  • Yáskara says:

    Ótimas dicas e comentários!! Estarei lá em setembro, na verdade chegarei por Munique (em pleno oktoberfest), e pensei em passar por Amsterdã, depois Bruges e/ou Bruxelas e venho embora por Londres, no total 10 dias. Desses lugares conheço apenas Londres. Quantos dias em cada cidade vcs sugerem?Tks Abçs

  • Vinicius says:

    Matéria excelente e imprescindível pra quem quer conhecer os Países Baixos!
    Ótimas dicas e, com certeza, o melhor guia que existe virtualmente.

  • Davidson says:

    Gisela, excelente! você caiu do céu para nós com seu post. Estarei chegando aí dia 06/08 com minha esposa e partiremos dia 08 para Hamburgo de trem. Pela dica do Álvaro é melhor ficar então, em um hotel perto da Central Station, certo? e o deslocamento para outros centros de turismo fica fácil a partir daquele ponto? No início de agosto as temperaturas estarão agradáveis, correto?

  • Davidson says:

    Gisela, mais uma "exploração": você saberia quanto tempo dura o pesseio rural? como faço para toma-lo?

  • Gisela says:

    Oi Davidson, tudo bem? A localização está excelente. De lá vcs vão fazer muito à pé ou de tram. Sobre o clima…bem…é imprevisível. Em geral, a época é mais quente, sim, mas se eu fosse vcs traria um casaquinho leve e capa de chuva, só pra garantir 🙂 Abs

  • Art says:

    Gisela, eu mudarei para Amsterdã no mês que vem. Ficarei um ano, pois fui selecionado para o CSF. A minha dúvida é se poderei levar meu smartphone e comprar um chip de uma operadora local ou terei que comprar um novo aparelho.

    • Gisela says:

      Oi Art, tudo bem? Não, não precisa comprar um aparelho novo. Apenas venha com o aparelho desbloqueado e adquira um sim Card em alguma operadora como Tmobile, vodafone ou Lebara. 🙂

  • Mari Rocha says:

    Gisela adorei suas dicas! Em setembro estarei em Amsterdam com uma amiga, mas os preços das hospedagens estão bem salgados 🙁 O que acha dos hostels de Amsterdam, são tranquilos, ou melhor evitar?

  • João Celso says:

    Morei na Holanda em ´68 e voltei mais duas vezes ao país (´90 e ´92). Certamente, houve muitas mudanças, porém as lembranças antigas permanecem vivas e o sonho de voltar também. Da Centraal Station eu descia Ronkin e Damrak para Rembrandtsplein, conhecendo praticamente todas essas atrações descritas acima. A novidade maior é o roubo de bicicleta, eu nunca precisar tomar cuidado com minha bromfiet. Valeu pela revisita virtual.

  • Joao says:

    Tenho planos para morar la , queria saber como e a taxa de emprego para estrangeiros la e se tem como sobreviver tranquilamente trabalhando la.

  • Ana Adipietro says:

    Vou para Amsterdã vinda de Paris de trem.Viajo só, gosto muito! Chego no final da tarde do dia 11 de outubro e parto dia 14 no meio do dia! Minha pergunta é:Consigo ir ao Van Gogh Museu, Casa de Anne Frank e passear pelos canais nestes quase 3 dias?me hospedo na Kerkstraat, Amsterdã Centrum…outra coisa! Falo francês, italiano e espanhol, nada de inglês, consigo me comunicar??Agradeço sua atenção!

    • Gisela Cabral says:

      Oi Ana, tudo bem? Você vai se hospedar em uma área muito legal e super central da cidade. De lá vai conseguir acessar todos os pontos turísticos mencionados acima e com muita facilidade. Acho que em três dias você consegue ver tudo, sim, mas vai depender muito do seu ritmo. Sobre o idioma, acho que você não terá dificuldades para se comunicar em francês, espanhol ou italiano…talvez se precisar de algo muito específico e em regiões não-turísticas, por exemplo! Boa sorte e aproveite a cidade!

  • Luiza Morelli says:

    Vale a pena pegar I amsterdam card para passear apenas dois dias?

  • Ivana Codo Custodio says:

    Adorei suas dicas sobre a cidade, anotei muita coisa. Passarei o Natal de 2015 com marido e filhos adolecentes em Amsterdã. De todas as cidades da Europa que vou visitar, esta é a que mais deixa ansiosa. Um sonho e ao mesmo tempo muito feliz em poder proporcionar essa experiência aos meus filhos. Sobre Zaanse Schans, é aconselhável visitá-la no inverno? Grata, Ivana

    • Gisela Cabral says:

      Olá Ivana, obrigada! Olha, eu acho que compensa sim. A paisagem é diferente e também tem a questão do frio, mas com as roupas certas não haverá problema 🙂

  • Lara Magalhães Dias says:

    Post excelente! Vou para Amsterdã agora no final de outubro e várias dica me servirão! Gostaria de saber se você tem indicação de algum guia que fale português! Se sim, favor, passar contato!

    • Gisela Cabral says:

      Obrigada, Lara. Tem o nosso guia de Amsterdã aqui no site. Você já viu? Mas se vc está se referindo a um guia de papel, acho que pode procurar o Lonely planet aí no Brasil. Abs!

  • amanda says:

    Oii Gisela! Passarei a virada do ano novo lá e estou procurando um festival/festa que tenha música comercial, mais eclética e tal. Te dizer que está beeem difícil de achar… Tem alguma sugestão?

    • Gisela Cabral says:

      Oi Amanda, tudo bem? você pode ser mais específica? hehe seria todo tipo de música?

      • Gisela Cabral says:

        Bem, se for isso, a minha sugestão é passar a meia noite na praça Dam, para a queima de fogos, e depois bater perna nas praças, onde estão vários barzinhos e boates com música mais comercial e muita festa. Leidseplein e Rembrandtplein são as minhas sugestões. É bem divertido “pular” de um bar para o outro (pelo que sei vc só paga pelo consumo de bebidas)

      • amanda says:

        Ah, algo com o que estamos acostumados aqui no Brasil: pop, rap, eletro, funk, pop rock, hits internacionais e tal.
        Revirei sites e eventos e acho que eles só escutam house e techno por lá, blé.

        • Gisela Cabral says:

          hehehe entendi. Olha, nesses lugares que sugeri tocam de tudo, viu? Muita música eletrônica, mas um repertório mais variado, acho que você vai gostar

  • Viviane Noal Esteves says:

    Olá Gisele
    Amei o post!
    Estou indo a Amsterdan dia 23 de abril e passarei o dia do Rei por lá!
    Tem alguma dica para mim?
    Ficaremos 4 noites, eu e meu marido.

  • Gisela Cabral says:

    Oi Viviane, tudo bem?
    Aproveitem pra visitar o Keukenhof, o parque das tulipas.
    Este período é maravilhoso para ver as flores, o parque é um espetáculo!
    Vocês vão adorar o Dia do Rei, a festa para a cidade e é muito animada.

  • Jhonathan Klopper de Oliveira says:

    Olá Gisela. Primeiramente, parabens pelo post. Estive em Amsterdam faz oito dias e me apaixonei pela cidade. Como vc fez para morar na Holanda? É um país amigável à imigração?

    Abraços!

    • Gisela Cabral says:

      Oi Jhonathan, tudo bem? A cidade é apaixonante mesmo!! Vim pelo trabalho do meu marido, que trabalha numa empresa holandesa. O país é mais friendly, sim, no quesito estrangeiros vivendo aqui. Ainda mais quando você aprende o idioma!

  • Lyvia Poliana Montoril says:

    Olá Gisela,
    Sei que o post é antigo mas as dicas são ótimas e super atuais, parabéns!
    Estou indo passar o natal com a família (marido e 2 crianças) em Amsterdam e de lá seguimos pra Belgica, Louxemburgo e Paris.
    Enfim, já fui várias vezes à Europa mas nunca nessa época e com crianças.
    Preciso muito de dicas do que fazer com criancas no inverno de Amsterdam. Obrigadíssima!

    • Gisela Cabral says:

      Patinar no gelo também é um dos programas de inverno mais legais. Na Leidseplein e na Museumplein você vai encontrar pistas e também barraquinhas com comida de rua, não deixem de experimentar os oliebollen, bolinhos fritos passados no açúcar.

      • Lyvia Poliana Montoril says:

        Oi Gisella, muito obrigada pelas dicas, estou amando! Quanto às pistas de patinação, são pagas? Tem lugar para alugar os patins? Meu filho tem 3 anos, tem alguma atividade no gelo para ele?

  • Wilma Espíndola Nogueira says:

    Adorei suas dicas. Obrigada. Estarei em Amsterdan em julho 2.017
    Wilma Espíndola Nogueira

  • Bianca says:

    Gisela, adorei as dicas! Qual bairro vc indicaria pra 2 senhoras que vao passear por aí por 3 dias. Quando fii fiquei Joordan, mas rlas querem ficar no centro. Algum hotel pra indicar nessa região?! Obrigada! Bia

    • Gisela Cabral says:

      Oi Bia, que bom que gostou!Procurem hotéis que fiquem a uma curta caminhada da central station ou da praça Dam. O único hotel que tenho referência também fica mais fora do “miolo” (Ibis Styles Amsterdam City), mas se você jogar no Booking o nome da estação e da praça, vai ver o que tem por perto com avaliação dos hóspedes que ficaram e etc.

    • Gisela Cabral says:

      Oi Bianca, tudo bem? Procurem hotéis que fiquem próximos às Praça Dam e Leidseplein, tudo que estiver a uma curta distância, à pé, desses lugares será supercentral. Infelizmente, não posso indicar nenhum nessa área, mas pesquisando no booking dá pra ter uma excelente ideia, pelo comentários dos hóspedes. Comigo sempre dá certo! 😉

  • Yara says:

    Adorei as dicas…. eu e meu marido iremos em novembro para Amsterdam visitar nosso filho que está fazendo mestrado por lá….. e vamos aproveitar pra conhecer a cidade. Muito obrigada pelo post!!! Estamos pensando em ficar hospedado num barco hotel, o que vc acha?? E qual o melhor lugar pra ficarmos?? Abraços.

    • Gisela Cabral says:

      Olá Yara, que legal, acho que vocês vão adorar a cidade! Acho a ideia da casa barco fenomenal e a minha dica é que vocês se hospedem no centro histórico: canais como o Prinsengracht ou qualquer um que fique perto da estação central de trens, perto da Nieuwmarkt (praça) também é legal. Ficando nessas áreas mais centrais vocês poderão curtir bastante e locomoverem-se sem dificuldade alguma.

  • Ana Rosa Pasiani says:

    Oi Gisela, estamos programando ir para Amsterdam no início de maio/2018, é muito frio ainda nesta época?

    • Gisela Cabral says:

      Oi Ana, olha, maio já é primavera, mas é provável que ainda esteja meio friozinho. Nada exagerado, no entanto…na minha opinião maio é um dos melhores meses do ano aqui! 🙂

      • Ana Rosa Pasiani says:

        Oi Gisela, tudo bem?
        Estamos indo para Amsterdam no dia 03/05 e retornando para Paris no dia 07/05, fiquei preocupada com o feriado do dia 05, tem risco das atrações estarem fechadas?
        Segue a programação:
        – 04/05 Keukenhof Gardens
        – 05/05 Van Gogh e Heineken Experience
        – 06/05 Zaans Schans – Vila dos Moinhos e na volta o passeio de barco pelos canais
        Posso manter ou melhor rever a programação?
        Obrigada e bjs,

        • Gisela Cabral says:

          Oi Ana, acredito que estarão funcionando normalmente. Geralmente, as principais atrações da cidade só fecham em feriados como Natal/Ano Novo. Qualquer dúvida é só entrar nos sites das atrações que você citou 😉

  • Leonardo Silva says:

    Olá Gisela, suas dicas são excelentes, parabéns! Vale a pena ficar hospedado em Zaandam? Vi que a viagem de trem dura só 11 minutos até a Estação Central de Amsterda. Obrigado!

    • Gisela Cabral says:

      Oi Leonardo, obrigada! Olha, é perto sim, mas não aconselho caso você pretenda sair à noite e voltar tarde. Isso porque os trens funcionam até a meia noite (um pouquinho mais tarde nos finais de semana). Abs!!!!

  • Alexsandro Luiz Julio says:

    OI. O I amstam city card pode ser comprada lá mesmo ou só entregam pelo correio? Estou saindo do Brasil dia 22/8/17 e tenho medo que não chegue a tempo, até por não morar em um grande centro.

  • Dealins says:

    Gisela, excelente matéria, muito obrigada! Em breve será muito útil.

  • Gisela Cabral says:

    Olá, em março já não tem mais. Boa viagem!

  • Valéria De Holanda Bezerra says:

    Gostaria de saber que lugares levar adolescentes de 15banos em Amsterdam,bandas locais,hambúrgueres,locais de reuniao de jovens.Grata.

  • Marcia Cruz says:

    Olá Gisela adorei suas dicas. Tenho 63 anos, estou indo com 2 primas para Amsterdã passar 3 dias e quero conhecer muitos lugares. Não sabemos falar inglês e muito menos holandês. Somos aventureiras. Gostaria de saber se você tem alguém para nos indicar que fala português e quanto cobraria para estar nos acompanhando nesses três dias.Obrigada. bj.

  • Marcia Cruz says:

    Olá Gisela, tudo bem? Você me passou o e-mail da guia Melina. Escrevi para ela faz uns 10 dias, mas ela não me respondeu. Será se o e-mail está certo. Ou está muito ocupada. Fiquei em dúvida e preocupada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *