logo Melhores Destinos

Pode levar comida no avião? Confira as regras para os voos no Brasil

Daniel Akstein Batista
11/10/2023 às 5:00

Pode levar comida no avião? Confira as regras para os voos no Brasil

Bem provavelmente você já deve ter tido essa dúvida em algum momento de sua viagem: pode levar comida no avião? E que alimentos pode levar? Seja para consumir durante o próprio voo ou para levar alguma lembrancinha para casa, muita gente já se perguntou se poderia entrar com comida no avião.

Mas, afinal, pode ou não pode subir a bordo com os alimentos? E comer um lanche preparado em casa (ou comprado no aeroporto) durante o voo? E despachar frutos do mar e outras comidas? Vamos ver todas essas questões a seguir, mas já te adianto: as regras são bem flexíveis e você pode quase tudo!

Alimentos e bebidas no avião

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que é o órgão regulador da aviação no Brasil, não tem quase nenhuma regra específica para o assunto – o que acaba deixando nas mãos das companhias o que pode ser aceito ou não, além de algumas restrições estarem de acordos com as regras agropecuárias e sanitárias do país.

No site da Anac, há apenas regras específicas sobre bebidas alcoólicas – e as bebidas com teor alcóolico acima de 70% não podem ser transportadas de jeito nenhum, seja na bagagem de mão ou despachada.

Além disso, a Agência fala também da alimentação de bebês e líquidos de dietas especiais, que podem ser levados sem nenhum problema.

Para descobrir mais sobre o que pode ou não ser levado no avião, entramos em contato com a Gol, a Latam e a Azul para trazer mais informações. Confira a seguir as principais questões sobre o assunto.

O passageiro pode entrar com comida a bordo e comer durante o voo?

As três companhias aéreas ressaltaram que os passageiros podem consumir o próprio alimento durante o voo, mesmo que elas ofereçam snacks no serviço de bordo.

Segundo a Latam, o passageiro pode levar alimentos, como lanches e frutas, e consumi-los nos voos domésticos e internacionais. Mas, pelas regras da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a tripulação não pode manipular ou acomodar comidas de passageiros nas galleys (cozinha) e fornos da aeronave.

A Gol afirma também ser permitido que o passageiro ingresse na aeronave com alguma refeição e possa consumir a bordo, pois “a alimentação passou por um canal de inspeção e não apresenta risco à segurança de voo”.

A Azul ressalta que se o passageiro quiser levar alimentos e bebidas, “o mais indicado é optar por produtos industrializados, uma vez que alguns perecíveis podem ser barrados na inspeção do aeroporto pelo raio-x”.

O importante é que toda a comida esteja bem embalada, sem forte odor e, de preferência, fechada em sua embalagem original, para não correr o risco de precisar ser descartada antes do embarque

As comidas infantis não costumam ter restrição de quantidade, mas devem ser transportadas na embalagem original ou transparente para consumo durante o voo. As companhias também costumam disponibilizar aquecimento de mamadeira para passageiros com bebê de colo.

Alimentos dietéticos também não têm restrição em quantidade se forem para consumo durante o voo e de acordo com a duração da viagem.

Qual a regra para despachar ou embarcar com bebida alcoólica?

Já falamos que nenhuma companhia aceita transportar bebidas com mais de 70% de teor alcoólico. Mas isso muda em relação a outras porcentagens de álcool.

Nos voos nacionais da Azul e da Gol, as quantidades são ilimitadas para as com teor alcoólico menor que 24%, e até 5 garrafas (de até 1 litro) para as bebida com até 70%. As bebidas, no entanto, devem estar obrigatoriamente em embalagens à prova de vazamentos, rotuladas, lacradas e levadas por um maior de 18 anos; caso contrário, podem ter o transporte negado.

Já a Latam diz que as bebidas alcoólicas com menos de 70% de teor alcoólico devem estar em recipientes lacrados e em sua embalagem original, sem ultrapassar o máximo de 5 litros por passageiro.

Ao contrário dos alimentos levados pelos passageiros, que podem consumi-los dentro do avião, os viajantes não podem consumir sua própria bebida alcoólica no voo, somente aquela servida pela tripulação.

Pode levar frutos-do-mar no avião?

Conheço várias pessoas que quando viajam para um destino de praia acabam trazendo frutos-do-mar no avião de volta para casa, já que o preço do alimento é muito mais barato “direto da fonte”. E eu sempre fiquei na dúvida: é seguro?

Para começar, vamos falar o óbvio: para fazer isso, o alimento deve estar muito bem embalado e fechado. Cumprindo essa regra, não há nenhum problema em transportar frutos-do-mar (e outras comidas perecíveis) no avião, seja na cabine ou no porão.

“A fim de evitar derramamentos de líquidos que possam danificar os pertences de outros passageiros, alimentos perecíveis transportados como bagagem despachada devem estar acondicionados em uma embalagem à prova de vazamento e mau cheiro”, diz a Latam. “No caso de peixes, crustáceos e demais frutos-do-mar, adicionalmente devem ser transportados dentro de um isopor ou bolsa térmica revestida interna e externamente com saco plástico resistente. O gelo transportado deve ser em gel ou em sacos plásticos herméticos. Os passageiros podem embarcar com alimentos perecíveis conservados com até 2,5 kg de gelo seco por pessoa apenas na bagagem de mão”, reforçou a companhia.

A Gol e a Azul seguem a mesma linha de raciocínio, e reforçam que alimentos mal-acondicionados ou com forte odor podem ser proibidos de serem levados, mas, se estiverem bem embalados, podem ser transportados na bagagem de mão ou no porão.

Importante ressaltar que a se a caixa de isopor (ou qualquer outro tipo de embalagem) possuir dimensões superiores às exigidas da bagagem de mão (35 x 25 x 55 cm – comprimento x largura x altura), o item tem de ser despachado.

bagagem de mão

Quais alimentos são proibidos levar no avião?

Na verdade, não há nenhum alimento específico que seja proibido de ser transportado no avião. Mas é tudo questão de bom senso. “Não é permitido o transporte de alimentos e bebidas em embalagens inadequadas (avariadas, úmidas/molhadas, que permitam vazamento), itens com forte odor, bebidas alcoólicas em embalagens sem rótulo e abertas”, disse a Gol.

“Reforçamos que alimentos e bebidas não industrializados nem lacrados estão sujeitos à análise no momento do check-in, com base na tabela de artigos da Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata)”, afirmou a Azul.

Cuidados e dicas ao levar comida no avião

Como vimos, para poder levar comida no avião é mais uma questão de bom senso do que de regras e normas. Por isso separamos uma listinha com alguns cuidados e dicas caso você queria voar com algum alimento.

1 – Levar a comida em temperatura ambiente

Se sua ideia é consumir alguma coisa durante o voo, dê preferência para comidas que estejam em temperatura ambiente e em sua embalagem original, como bolacha/biscoito, barrinha de cereal, frutas. Lembre-se que os comissários de bordo não podem esquentar ou esfriar a sua comida.

2 – Embale bem a comida

Essa regrinha vale principalmente para os alimentos perecíveis ou congelados. Embalagens molhadas e com vazamento podem ser negadas de ir a bordo pela tripulação ou até mesmo proibidas de serem despachadas.

3 – Evitar alimentos com forte odor

Esse é mais um ponto que as companhias aéreas ressaltam. Alimentos que exalam forte odor provavelmente não poderão ser levados no avião, seja na cabine ou mesmo no porão.

4 – Respeitar as dimensões do que vai ser levado

Não adianta querer levar um monte de comida no avião em sua viagem se tudo não cabe na mochila. É preciso respeitar também as regras das bagagens, seja a de bordo ou despachada: ou pagar a mais para despachar uma mala extra com os alimentos/bebidas.

4 – Ter bom senso

Essa talvez seja a principal dica. Como não há muitas regras sobre o que pode ou não pode ser levado no avião, tudo vai partir do bom senso do passageiro. Coloque-se no lugar dos outros: você gostaria que alguém ao seu lado estivesse comendo um lanche gorduroso cheio de molho que pudesse te sujar? Ou ter ao seu lado alguém com um isopor cheio de peixe fresco escorrendo o gelo derretido e com cheiro ruim?

Se sua ideia é viajar de avião com algum alimento, seja para consumir durante ou voo, ou para levar até o destino final, pense bem em todas essas questões – e se realmente vale a pena subir com a comida a bordo.

Alimentos em Voos internacionais

Se há poucas regras nos voos nacionais, nas viagens internacionais o assunto é outro. Alimentos líquidos, por exemplo, só podem ser transportados em embalagens de 100 ml transparentes, que permitam a visualização do seu conteúdo.

E o mais importante: cada país tem uma restrição para certos alimentos, então o ideal é confirmar todas as regras do país que você está visitando para não correr o risco de ter o alimento perdido ou mesmo de tomar uma multa.

Veja também:

Comida a bordo? Saiba como é a preparação das refeições servidas nos voos internacionais


Você já embarcou com comida no avião? Diz nos comentários como foi a sua experiência.

 

 

Não perca nenhuma oportunidade!
ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
tela do app do melhores destinos
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção