Brasileiros em viagem no exterior relatam dificuldades para retornar ao País

Leonardo Cassol
18/03/2020  ·  16:3118 · mar · 2020  ·  16:31

Brasileiros em viagem no exterior relatam dificuldades para retornar ao País

Estamos recebendo muitos relatos de leitores em viagem ao exterior que estão com dificuldades para retornar ao Brasil, em meio à pandemia de coronavírus. Os principais problemas enfrentados são os repentinos fechamentos de fronteiras que alguns países estão adotando, o cancelamento de voos e de rotas pelas companhias aéreas, além da dificuldade de entrar em contato com as empresas para viabilizar assistência e alternativas de regresso.

Veja alguns exemplos:

Problemas na volta de Dubai via Europa

Nosso leitor Ederson estava voltando de Dubai para o Brasil, quando foi barrado dentro do avião hoje, em Zurique, em função da restrição imposta a entrada de turistas na União Européia. Ele ainda aguarda uma reacomodação em algum voo disponível, já que não permitiram uma conexão doméstica de sua viagem na cidade de Frankfurt, na Alemanha.

Brasileiros não conseguem deixar o Equador

Os influenciadores Ricardo e Bernardo do Instagram @ossaboresdomundo e mais um grupo de brasileiros estão em Quito sem conseguir deixar o Equador. Após o cancelamento de um voo com conexão em Lima, eles tiveram que ficar na cidade. Foi determinado o fechamento da fronteira amanhã e a expectativa é que o aeroporto não receba mais voos internacionais por 15 dias. Os viajantes dizem ter contatado a companhia aérea, que não ofereceu qualquer tipo de acomodação. Já a Embaixada do Brasil teria informado que não há o que ser feito, a não buscar apoio da companhia aérea.

Dificuldades na volta da Tailândia, via Qatar

Nossa editora de promoções Bruna Scirea está na Tailândia com seus pais, numa viagem de férias que começou muito antes da crise se agravar. Percebendo o movimento de cancelamento de voos e de fechamento de fronteiras, inclusive do Qatar, país onde faria uma parada de dois dias, tentou sem sucesso antecipar seu retorno para o Brasil. Procurou a companhia aérea no aeroporto de Bangkok que disse que nada poderia fazer a não ser manter o itinerário atual. E que se quisesse alterar deveria procurar o programa de fidelidade brasileiro utilizado para resgatar a passagem. Ela tentou contato com o programa, mas não conseguiu ser atendida. Percebeu também que parte das milhas usadas para comprar a passagem já teriam vencido, o que a levaria a perder tudo se decidisse cancelar o bilhete. Outra opção foi procurar voos com outras empresas, o que custaria quase R$ 10.000, ou 500.000 milhas… Sem opções, decidiu ficar na Tailândia até o dia 23, quando está previsto o seu retorno para o Brasil. Mas tem receio de até lá a companhia aérea suspender seus voos para a Tailândia, ou para o Brasil, como várias outras empresas fizeram nos últimos dias…

—-

Tem brasileiros em Portugal e em outros países da Europa tendo que deixar os hotéis que estão hospedados, pois esses estão fechando, mas sem conseguir voo de retorno para o Brasil. Alguns aeroportos, como o de Lisboa, estão com filhas para o lado de fora dos terminais, e os passageiros aguardam horas sem conseguir uma opção, já que a maioria dos voos está sendo cancelada. Em alguns casos, a situação é caótica.

Conforme enfatizamos em nosso editorial ontem, esse foi um dos motivos que nos levou a parar de postar as promoções por um tempo. Programar uma viagem neste momento de incerteza é muito arriscado. Não apenas pela ameaça de contrair e transmitir o vírus, mas também de ter os voos cancelados, encontrar atrações fechadas, ou enfrentar restrições imigratórias durante a sua jornada, no caso de viagens internacionais, como vimos nos exemplos acima. A situação está evoluindo muito rápido, sendo impossível prever seus desdobramentos.

Confira também: Devo adiar ou cancelar minha viagem por conta do coronavírus? Veja o que fazer e como!

E você, teve dificuldade para retornar ao Brasil nos últimos dias? Conhece alguém que está numa situação parecida? Comente e participe!

O que diz o Itamaraty?

Consultamos o Ministério das Relações Exteriores e o Itamaraty sobre que tipo de assistência os brasileiros podem contar nesses casos. Confira as recomendações:

Informamos que o Itamaraty – em Brasília e por meio das Embaixadas e Consulados no exterior – está trabalhando com total prioridade para viabilizar, em coordenação com outros órgãos, o retorno ao Brasil dos viajantes brasileiros que enfrentam dificuldades em países estrangeiros por restrições ligadas ao coronavírus.

Consulados e Embaixadas do Brasil permanecem à disposição para receber demandas dos brasileiros geradas por essa situação, sempre buscando prestar toda a assistência consular possível em cada caso concreto.

Recomenda-se a todos os cidadãos brasileiros no exterior que mantenham a serenidade e observem estritamente as medidas determinadas pelas autoridades locais, e que, se necessário, busquem contato direto com o Consulado ou Embaixada do Brasil responsável pela região onde se encontram.

Ressalta-se que nenhuma Embaixada ou Consulado brasileiros encontra-se fechado. No entanto, por conta das restrições impostas pelas autoridades locais, muitas vezes foi necessário adaptar o regime de trabalho, com horários especiais de atendimento ou teletrabalho.

Recomenda-se aos cidadãos brasileiros checar qual o regime de trabalho de cada repartição por meio da página de Embaixadas e Consulados na internet.

As páginas na internet de todos os Consulados do Brasil podem ser consultadas na seção do Portal Consular do Itamaraty.