Aeroporto de Brasília terá 50 novas lojas e maior sala vip da América Latina

Denis Carvalho 12 · dezembro · 2012

O Consórcio Inframerica, novo administrador do Aeroporto de Brasília, apresentou hoje o plano comercial e as novidades de serviços para os usuários do terminal. Até a Copa do Mundo, o aeroporto deve ganhar mais de 50 novas lojas, entre opções de varejo e alimentação, um terraço zen e a maior sala VIP da América Latina, com mini cinema e carrinhos de golf para deslocamento dos usuários. O Duty Free também deve triplicar de tamanho.

De acordo com a empresa, a mega Sala Vip vai ocupar metade do segundo andar do aeroporto e terá home theater, serviço de transporte com carrinhos de golfmini cinema, sala de conferências e cabines exclusivas com TV, área gastronômica, serviço de massagem e serviço de secretaria personalizado. O acesso à sala vip será permitido por meio de convênios com cartões de crédito e de companhias aéreas ou por compras individuais ou corporativas. A previsão é que o novo espaço esteja completamente operante no segundo semestre de 2013.

Segundo a apresentação, realizada pela empresa no próprio terminal, o aeroporto deve receber em breve sistemas de auto atendimento de de check-in e despacho de bagagem compartilhados e balcões virtuais de atendimento ao usuário. Na área de serviços, estão incluídos atendimento por chat 24 horas, valet parking e um centro bancário. Entre as novidades, a mais inusitada será um espaço de convivência com bar e lanchonete em forma de um mini estádio de futebol já de olho na Copa de 2014.

Para os passageiros que tenham mais tempo e queiram aproveitar para relaxar, será criado o Terraço Zen, um espaço de 430 m² pensados para o descanso e bem-estar, com gastronomia de alto nível.  Todo o layout comercial, incluindo sala vip e lojas,  foi feito considerando resultado de pesquisa feita com mais de 7.000 passageiros e que traçou o perfil do usuário.

Até o final da concessão, a Inframérica vai investir R$ 2,8 bilhões em obras de melhoria e ampliação. Até a Copa do Mundo, o investimento será de R$ 750 milhões. As reformas nos terminais existentes já começaram e estão em andamento com reforma da cobertura, de banheiros, conserto e manutenção de escadas rolantes e elevadores, limpeza e pintura da estrutura metálica do saguão principal, troca de sinalização, redesenho do layout da área de assentos do embarque, melhoria dos serviços dos carros de bagagem, melhoria das pontes de embarque existentes com pintura e troca de forro e piso, polimento do piso em granito, entre outros. Nos meses de dezembro e janeiro, de alta temporada, a prioridade são as obras que causam menos transtorno na movimentação do aeroporto. As obras externas do novo pátio de aeronaves, por exemplo, não causam grandes alterações e seguem normalmente, com o local devidamente cercado.

O MOP – Módulo Operacional Provisório da Infraero – já foi desmontado, e a entrada do embarque ocorre agora na frente da rampa principal. A desmontagem foi necessária, uma vez que a estrutura de ampliação com novos fingers passa por cima do local onde o MOP funcionava. Após os trabalhos de fundação, começa a etapa das estruturas de concreto, metálicas e da cobertura.

Para as obras de ampliação, foram contratadas as estruturas de concreto armado pré-fabricado para as 15 novas pontes de embarque. Estão em fase de contratação 4 novas escadas rolantes, 20 elevadores e 14 esteiras rolantes. O novo sistema de bagagem está em negociação.

Para a Copa do Mundo, o Consórcio irá trabalhar na reforma total dos terminais 1 e 2 e na construção do novo terminal, com 15 novas posições de embarque, divididas em dois píeres, aumentando de 13 para 28 o número de pontes de acesso aos aviões. Até o evento esportivo, o estacionamento irá dobrar, alcançando três mil vagas disponíveis; a entrada do aeroporto ganhará novas cobertura e pista. As obras de expansão aumentarão a sua capacidade de cerca dos atuais 16 milhões de passageiros para 20 milhões até 2014, chegando a 41 milhões na fase final da concessão.

Com informações da Inframérica

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Tito Bosco

    Se tudo isso sair do papel vai ser uma maravilha! 2014 taxas de embarque na casa dos 40 reais, que é pra investimento sabe…

    • Bruno Caporalini

      Hoje, na GloboNews, abordaram a questão da alta no preço das passagens, que dentre vários outros fatores foi causada também por significativa elevação nas taxas aeroportuárias para as empresas.. Segundo um especialista em aviação, isso já é consequencia da privatização dos aeroportos… Ou seja, já estamos pagando mais por conta da "eficiente iniciativa privada"!

  • Daniel Matos

    Benefício pra meia duzia de ricaço.

  • ALEX DE OLIVEIRA GAL

    Não sei se vai fazer diferença a triplicação do Duty free, pois ele é minusculo.

  • Márcio Dantas

    Notícias alvissareiras. Só falta abrir o mercado para as companhias internacionais operarem rotas domésticas, ciando a concorrência hoje inexistente.

    • Henrique Moreira Gen

      Verdade! É o que precisamos, deixar o mercado na mão de gol e tam não legal…..

    • Bruno Caporalini

      Tam que pertence a uma chilena… Avianca, histórica cia colombiana… Azul, a famosa JetBlue dos EUA. Gol em constantes negociações com Delta e Qatar… Passaredo em recuperação judicial. Webjet, Trip, Varig, Pantanal, BRA – já era! Será q ainda temos alguma cia brasileira de verdade?

      TransBrasil? Panair? VASP? Cruzeiro do Sul!?

      Como diria o Kiko: É, não deu.

      • Daniel Matos

        Na verdade, a Jet Blue que é a Azul do Brasil. O dono é o mesmo brasileiro mas ele criou a empresa primeiro lá e depois aqui.

  • Diones Reis

    Sem politicagem, mas precisou de muitos anos e de um bom esporro da FIFA para que estas agencias reguladoras da aviação se tocassem que elas NÃO TEM condições de gerir e atualizar aeroportos brasileiros, de acordo com a demanda atual.

    Ou seja, finalmente entregaram esta competência para a iniciativa privada, como era pra ter sido há muito tempo.

    Esperamos que isto traga melhorias, e que finalmente possamos ter melhores aeroportos, pois infelizmente pagamos preços de união européia, para viajar em aeroportos de infra africana sub-sariana.

  • Mauricio Carneiro

    Excelente ver que o aeroporto de Brasília está recebendo a atenção devida. Trata-se de um aeroporto muito movimentado e ainda com espaço para a expansão e se ela não for feita logo o aeroporto pode cair no mesmo problema de Guarulhos ou de Congonhas, sobrecarregado e sem ter muito para onde expandir.

  • Valeria Moraes

    e a lanchonete com preços populares? É, essa não teremos.

  • Mauricio

    Só para acomodar os ladrões dos politicos. dela

  • Eduardo

    Impressionante como voces do Melhores Destinos fazem a propaganda dessa Inframerica, sem olhar o outro lado: o do usuário. Implantar todas essas lojas no aeroporto de Brasília está implicando em acabar com os espaços de circulação no piso de embarque. Além disso retiraram todas as cadeiras desse piso, que serviam para passageiros e familiares aguardarem os vôos e conexões. Não há nem assento para idosos. Está no ponto para se fazer uma reclamação na ANAC e na INFRAERO. Não sei se vai adianter muito, pois essas duas são parceiras das ineficiências dos nossos aeroportos.

    • Eduardo, antes de julgar se estamos fazendo propaganda, tenha o bom senso de ver a DATA DO POST! Há quase um ano, quando publicamos, não havia nenhum problema