Como é voar na South African Airways – mais uma avaliação

Denis Carvalho 1 · novembro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

A South African Airways foi uma das primeiras companhias aéreas avaliadas pelo Melhores Destinos, no início de 2011. Apesar de ótima avaliação, faltaram algumas fotos sobre a companhia, por isso trazemos hoje mais uma opinião sobre a SAA. Dessa vez ninguém pode reclamar: são quase 60 imagens de todos os detalhes do voo, feitas com capricho pelo nosso leitor Rodolpho Farias, um dos mais participativos da comunidade MD. Acompanhe o relato e conheça um pouco mais sobre esta empresa, que provavelmente estará em sua rota caso queira conhecer os encantos da África do Sul:

A SAA é a única companhia a fazer voos diretos do Brasil para a África do Sul operando em média dez frequências semanais entre o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, e o Aeroporto Internacional O.R. Tambo, em Johanesburgo.

Compra das passagens:

Comprei as passagens pela internet através de agências online, 6 meses antes de viajar e paguei cerca de US$ 800, já com as taxas. Colocados todos os dados e escolhidos os trechos, o e-ticket estava no meu e-mail cinco minutos após a compra. A única coisa ruim foi que não pude escolher os assentos na hora da compra, o que foi feito um mês antes do voo.

Check-in:

Em São Paulo, fica localizado no Terminal 2, ASA D. Abriu 4 horas antes do voo. Ao chegar, tinha uma fila pequena e o atendente pediu o passaporte e o CIV ( Certificado Internacional de Vacina) contra a febre amarela, obrigatório para viajantes indo para a África do Sul. Esse certificado é emitido rapidamente na sede da Anvisa do próprio aeroporto, basta apresentar o cartão de vacinas nacional e um documento oficial com foto.

Conferidos os documentos, foi só despachar a mala e pegar o cartão de embarque. O limite de peso era duas malas de 32kg. Atendimento rápido e eficiente. Na volta para o Brasil, não houve problemas. O mesmo procedimento foi adotado e em cerca de 30 minutos já tinha realizado o check-in.

Embarque:

Uma hora antes da partida (tanto na ida como na volta) teve início o embarque. Primeiro foram embarcados os passageiros com prioridade (idosos, crianças desacompanhadas, adultos com crianças de colo). Em seguida, foram chamados os passageiros da business class e econômica. Em menos de uma hora, todos estavam dentro do avião.

Avião

Na ida, voamos num A330-200, com capacidade para 222 passageiros, divididos em duas classes: business e econômica. O avião não estava muito limpo, visto que nos bolsões ainda estavam restos de papéis e copos.


O A330-200 tem monitor individual com tela touchscreen,com legendas apenas em inglês, espaço entre as poltronas bastante confortável (tenho 1.75m). O que achei ruim foi que o assento não reclina muito, o que torna o voo um pouco desconfortável.

Na volta, viemos num A340-600, com capacidade para 317 passageiros, divididos também em business class e econômica. Esse avião estava super limpo, em perfeito estado de conservação. Possui também tela individual, desta vez com legendas em português e inglês, ótimo espaço entre as fileiras e o lado ruim fica por conta da poltrona que também reclina pouco.

Voo

Na ida, nosso voo teve um atraso de cerca de 40 minutos, por causa de uma prisão que ocorreu quando o avião estava prestes a sair. Tempo que foi compensado durante o percurso, o que nos fez chegar adiantados ao destino. O voo estava previsto para sair às 18 horas de Guarulhos e saímos as 18h40. A previsão para chegada a  Johanesburgo era 07h40 (horário local). Chegamos às 07h10. O tempo de voo na ida foi mais ou menos de 8 horas e na volta 10 horas. Na volta, saímos da África as 18h05 (horário local) e pousamos em São Paulo as 23 horas, cerca de 30 minutos antes do horário previsto.

Os comissários eram bastantes simpáticos, sempre prestativos desde a entrada do passageiro no avião até o momento em que o cliente deixava a aeronave. Os avisos da tripulação foram dados em inglês na ida e em inglês e em português (de Portugal) na volta. O curioso é que eles são bem enfáticos ao dizer que durante o voo é terminantemente proibido dormir no chão da aeronave. Não sei o porquê, mas certamente deveriam fazer muito isso por lá.

Em cada assento da classe econômica é colocado um kit contendo travesseiro e manta, que ajuda muito durante o voo, visto que faz um pouco de frio. Durante todo o trajeto são exibidos vídeos com exercícios para a melhoria da circulação, visto que o tempo de voo é longo e passar muito tempo em uma posição só pode causar danos circulatórios.

Serviço de Bordo

Refeições na ida:

Ao embarcar as bebidas já estavam disponíveis, era só pedir a um comissário que prontamente ele te servia. Logo após a decolagem, mais bebidas foram oferecidas, entre as diversas opções estavam água, suco, cerveja e até vinho ou Amarula, típica da África do Sul.


Cerca de uma hora após a decolagem, foi servida a primeira refeição. Poderia escolher entre carne e frango. Escolhi a carne e não gostei muito, pois como a maioria das comidas africanas, era um pouco apimentada.

Duas horas antes do pouso, a segunda refeição foi servida: o café da manhã, com batatas, ovos, pão, iogurte, salada de frutas e bebidas a seu gosto, incluindo café com ou sem leite. Durante toda a viagem, no final do corredor da aeronave, ficavam disponíveis as bebidas. Bastava ir até lá e escolher a sua.

Refeições na volta:

Ao entrar e sermos acomodados no avião, foram servidas bebidas. As opções eram sucos de laranja, maçã, morango e uva, água, refrigerante, vinho, cerveja e Amarula. O passageiro tinha direito de escolher dois tipos. Uma hora após a decolagem, foi servida a primeira refeição, com três tipos à escolha: carne, frango e vegetariana. Acompanhava bebidas (alcoólicas ou não), café com ou sem leite e chá.

Duas horas antes do pouso mais uma refeição foi servida, desta vez as opções eram carne e frango, sempre acompanhadas por bebidas. Após essa segunda refeição, ainda foi dado um pacote de batata chips.
Todas as refeições eram fartas, satisfazendo sem nenhum problema o passageiro.

Vale destacar ainda que as refeições eram todas com talheres de metal.

Entretenimento

As opções de entretenimento eram muitas, em ambas as aeronaves. Havia vários filmes, mapas interativos, vários canais de música, jogos de videogame, além da revista de bordo Sawobona e da revista do Duty-Free, que é mais uma forma de passar o tempo, comprando dentro do avião. Os preços eram os mesmos praticados em terra.


O diferencial do A340-600 é a câmera colocada na parte externa da aeronave, o que possibilita ver o pouso e a decolagem de uma forma inovadora. Vale a pena conferir!

Conclusão

Viajar pela SAA foi uma experiência maravilhosa. Além dos vôos serem diretos, a equipe de terra e de bordo é super atenciosa e prestativa, estando sempre disposta a ajudar o passageiro desde o checkin até o momento do desembarque

Agradecemos ao Rodolpho pelo excelente relato. Para ler a primeira avaliação da SAA clique aqui.  Já viajou com a South African? Deixe sua impressão nos comentários abaixo e ajude outros leitores! Se fez ou vai fazer uma viagem com alguma empresa aérea que ainda não foi avaliada aqui no Melhores Destinos ficaremos felizes em publicar sua avaliação: entre em contato com a gente pelo e-mail dicas@melhoresdestinos.com.br Você também pode conferir todas as avaliações publicadas pelo MD neste post.

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe