logo Melhores Destinos

Mais de 25 mil voos serão cancelados no mundo em agosto! E tem empresa brasileira no topo da lista

Rafael Castilho
15/07/2022 às 13:59

Mais de 25 mil voos serão cancelados no mundo em agosto! E tem empresa brasileira no topo da lista

O caos nos aeroportos continua pelo mundo e infelizmente não há uma previsão de melhora para as próximas semanas. Para agosto as companhias aéreas já programaram o cancelamento de 25.378 voos e este número pode aumentar, pois ainda estamos apenas na metade do mês de julho.

A grande maioria das viagens atingidas está na Europa, que representa mais de 60% do total. Entretanto, entre as dez companhias que mais cancelarão voos em agosto está a Azul, na terceira posição.

De acordo com a plataforma de dados aéreos Cirium, as companhias aéreas já planejam um alto número de cancelamentos para agosto. Na semana passada estavam programados para o próximo mês 3.040.112 voos pelo mundo. Agora este número caiu para 3.014.734 de viagens. A diferença de 25.378 de voos representa o cancelamentos já adotado pelas empresas aéreas para o próximo mês. Serão cerca de 800 decolagens suprimidas por dia.

A Europa será o lugar mais atingido pelos cancelamentos. Serão 15.788 voos retirados dos planos, cerca de 2% do total no continente. A Turkish Airlines lidera o ranking com mais de 4.400 voos cancelados. Destaque negativo também para a British Airways, Esayjet, Lufthansa e Wizz Air.

Fora da Europa, a companhia aérea Azul aparece em terceiro no ranking mundial de cancelamentos com mais de 2.200 voos suprimidos em agosto. No Top 15 ainda aparece a KoreanAir, IndiGo (Índia) e a United Airlines. Veja o ranking abaixo:

1 – Turkish Airlines: 4.408 voos (queda de 9.6% no total programado para o mês)

2 – British Airways: 3.600 (-13,9%)

3 – Azul: 2.211 (-7,9%)

4 – Korean Air: 2.133 (-25,2%)

5 – easyJet: 2.045 (-3,8%)

6 – IndiGo: 2.030 (-3,9%)

7 – Indonesia AirAsia: 1.906 (-35,6%)

8 – Lufthansa: 1.888 (-4,7%)

9 – United Airlines: 1.757 (-1,4%)

10 – Wizz Air: 1.256 (-4,4%)

11 – SalamAir: 961 (-54,6%)

12 – KLM: 944 (-4,6%)

13 – Volaris: 651 (-3,8%)

14 – Aerolineas Argentinas: 549 (-5,9%)

15 – Cape Air: 473 (-6,1%)

Segundo a assessoria da Azul, a empresa passa por processo normal de ajuste de capacidade: “Diante do consecutivo aumento do preço do querosene de aviação (QAV) e da desvalorização do câmbio, a Azul realizou algumas adequações de oferta para o mês de agosto. É importante ressaltar que as ações estão sendo feitas de forma planejada, com poucos impactos aos clientes da companhia, que estão sendo avisados com antecedência e reacomodados.”

Procurada pelo Melhores Destinos, a Latam afirmou que “não prevê o cancelamento de voos em agosto. A expectativa da companhia é seguir operando nos mesmos níveis de junho de 2022, antes da inclusão de voos extras na malha da empresa para atendimento da demanda da alta temporada das férias de julho. No mês de agosto, a companhia prevê operar 18.984 voos, sendo 17.464 voos domésticos e 1.520 voos internacionais.”

Já a companhia Gol não respondeu o nosso questionamento sobre os cancelamentos já programados para agosto.

Caos na aviação mundial

Nas últimas semanas as imagens de caos nos aeroportos ganharam o mundo. Na Europa e nos Estados Unidos, os atrasos e cancelamentos viraram rotina. Filas gigantes se formaram. Quem conseguia viajar ainda tinha que ter sorte da bagagem chegar. Para se ter uma dimensão do problema, em grande parte dos aeroportos do europeus a taxa de voos decolando com atraso supera os 70%.

Companhias aéreas e administradores dos aeroportos apelaram para uma paralisação da venda de passagens aéreas. A Lufthansa já anunciou que limitará a venda de bilhetes para as próximas semanas. A administração do aeroporto londrino de Heathrow solicitou que as empresas aéreas reduzam a venda de passagens para os próximos dois meses e impôs limites na capacidade diária de 100.000 passageiros.

Uma das companhias fortemente atingidas pelos atrasos e cancelamentos é a TAP. A grave situação levou a CEO da companhia portuguesa, Christine Ourmières-Widener, a pedir desculpas aos clientes: “reconhecemos que não estamos a oferecer o serviço de excelência…e de acordo com as previsões mais recentes, não deverá melhorar nas próximas semanas”.

Por de trás do caos aéreo estão diversos fatores. Aeroportos e companhias aéreas estão reduzindo os serviços principalmente devido à falta de pessoal em várias áreas, como equipes de solo, comissários e pilotos. Muitos países também registram greves no setor aéreo afetando ainda mais a demanda crescente de passageiros.

Se você tem viagem programada para o exterior nas próximas semanas saiba mais sobre caos aéreo e como amenizar problemas.

Não perca nenhuma oportunidade!
ícone newsletter E-mail diário com promoções Receba as ofertas mais quentes no seu e-mail
tela do app do melhores destinos
Baixe grátis o nosso app Seja notificado sempre que surgir uma promoção