União Europeia reabre fronteiras para apenas 15 países amanhã! Brasil está fora da lista

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
30/06/2020 às 11:27

União Europeia reabre fronteiras para apenas 15 países amanhã! Brasil está fora da lista

Agora é oficial! A Comissão Europeia decidiu que vai permitir a entrada de viajantes de apenas 15 países a partir de 1° de julho, data em que os países do bloco irão reabrir as suas fronteiras externas. Por enquanto não serão aceitos viajantes vindos do Brasil e de vários outros países, como Estados Unidos, México, Russia, Turquia, Argentina e Chile. A medida foi acordada após reuniões dos embaixadores dos 27 integrantes da UE e do espaço Schengen, cuja votação final terminou há poucos minutos.

Com a aprovação da medida, viajantes de apenas 15 nações terão acesso liberado a partir de amanhã: Argélia, Austrália, Geórgia, Canadá, Japão, Montenegro, Marrocos, Tunísia, Nova Zelândia, Ruanda, Tailândia, Coreia do Sul, Sérvia e Uruguai. Cidadãos do Reino Unido e dos Estados-cidades ou enclaves europeus de Andorra, Mônaco, Vaticano e San Marino também poderão ingressar na UE e serão considerados residentes, de acordo com o comunicado.

A China poderá receber autorização do bloco, desde que os cidadãos europeus possam voltar a entrar em território chinês. É o princípio de reciprocidade, que já havia sido indicado pela Comissão Europeia na última reunião.

Vale destacar que a medida não atinge brasileiros com residência na Europa, ou com passaporte de algum país da União Europeia, que continuarão sendo admitidos de acordo com a política de cada país.

A lista foi elaborada com o objetivo de reativar o turismo da região e iniciar de forma coordenada o processo de reabertura do bloco.

Liberação se baseia em dados epidemiológicos

A Comissão Europeia fixou critérios epidemiológicos para que um país seja ou não liberado, como a taxa de novos casos, que deve ser igual ou inferior a 16 para cada grupo de 100 mil habitantes, que é a taxa média do bloco nos últimos 14 dias. Segundo a UE, a taxa de novos casos no Brasil é atualmente superior a 120, bem distante da meta estabelecida.

Países terão autonomia para decidir

A decisão da Comissão Europeia não é vinculativa. A lista funciona como uma recomendação aos integrantes do bloco, que permanecem soberanos no controle de suas fronteiras. Mas, na prática, contrariar a orientação do bloco teria consequências na circulação entre estados membros. Por isso, é pouco provável que a situação do Brasil seja reconsiderada individualmente por algum governo, especialmente enquanto a pandemia estiver longe de ser controlada por aqui.

Essa autonomia está sendo usada apenas para impor algumas restrições internamente. Por exemplo, a Grécia existe testes de coronavírus para quem chega da Espanha, França, Holanda ou Itália. Já a República Checa não está aceitando turistas de Portugal e da Suécia.

Vale destacar que a maioria dos governos europeus luta para evitar uma segunda onda de contaminação no continente, após travarem uma verdadeira batalha para conter a disseminação do vírus.

Lista será revisada a cada duas semanas

Nem tudo está perdido! De acordo com a Comissão Europeia, a lista de países com entrada liberada na UE será revisada a cada duas semanas. Se a situação sanitária nos países banidos melhorar, seus residentes poderão ser novamente autorizados a entrar no bloco. É o que esperamos!

Resta saber quanto tempo ainda vai levar para que a pandemia de coronavírus seja controlada no Brasil.

E você, teve planos de viajar para Europa atingidos pela pandemia de coronavírus?

Com informações da Comissão Europeia


Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *