logo Melhores Destinos

O que fazer em Barcelona – dicas para a sua viagem à capital da Catalunha

Gisela Cabral
Gisela Cabral
30/10/2019 às 9:55

O que fazer em Barcelona – dicas para a sua viagem à capital da Catalunha

Quer ficar por dentro de tudo o que há para fazer em Barcelona? Nesse post a gente lista os principais pontos turísticos do destino, além de dar dicas essenciais para uma estada perfeita nessa cidade tão vibrante!

O que fazer em Barcelona

Não é exagero algum dizer que Barcelona – a capital da região espanhola da Catalunha – é um destino turístico completo. Uma cidade onde a história está viva, impressa em cada ruela da Ciutat Vella, e a beleza de construções como a Sagrada Família é de deixar qualquer um de queixo caído.

A arquitetura, inclusive, é uma das marcas da cidade, que abriga criações de grandes mestres do Modernismo Catalão como Domènech i Montaner (Palau de la Música Catalana) e Antoni Gaudí (Sagrada Família, Casa Battló, La Pedrera e Parque Güell).

O Parque Güell de Barcelona

Barcelona tem vários outros pontos turísticos interessantes, museus, praças que são verdadeiros pontos de encontro, restaurantes que servem as tradicionais tapas – pequenas porções de petiscos – e praias que tornam-se verdadeiros refúgios nos dias mais quentes do ano.

Com tantas opções do que fazer, o destino tornou-se uma dos queridinhos da Europa nos últimos anos. Um título nem sempre celebrado pelos habitantes locais, que reclamam da enorme quantidade de turistas, algo em torno de 32 milhões, em 2017.

Confira tudo o que Barcelona tem de bom para oferecer:

Pontos turísticos de Barcelona

Sagrada Famíliaa obra do Temple Expiatori de La Sagrada Familia foi assumida por Antoni Gaudí em 1883, tornando-se um dos maiores feitos do mestre na cidade. Uma construção suntuosa que está em obras até os dias de hoje, sendo a previsão de entrega para 2026.

Quando finalizada, serão, ao todo, dezoito torres, doze delas representando os apóstolos. E se o exterior impressiona pela magnitude e riqueza de detalhes, o interior não deixa por menos, principalmente na ideia de Gaudí em criar uma “floresta de colunas”, estruturas que se assemelham a árvores, além, é claro, da beleza dos vitrais.

o término da obra está previsto para 2026

Para visitar o templo, onde o arquiteto está enterrado, só adquirindo o tíquete pelo site oficial. No momento da compra é preciso escolher o dia e o horário da visita, assim como optar pelo tipo do ingresso: básico (€17), com guia em áudio (€25), com acesso à uma das torres (€32) – a subida é de elevador, mas na descida serão 400 degraus – com um guia local (€26) ou ingresso combinado que dá acesso à Casa Gaudí, no parque Güell (€27).

Dica 1: não deixe para comprar o seu ingresso de última hora ou correrá o risco de ficar sem. Estive na igreja em julho, reservei a entrada uma semana antes da minha chegada, e já não havia ingressos mais baratos e muitos horários disponíveis.

Dica 2: não é permitido entrar no local com roupas curtas e ombros à mostra, além disso, na entrada o visitante passará por um detector de metais. 

Tudo o que você precisa saber antes de contratar um seguro de viagem

Os melhores seguros de viagem na avaliação dos viajantes!

 

Casa Milà (La Pedrera)o edifício criado por Gaudí – entre 1906 e 1912 – é considerado a mais importante obra local depois da Sagrada Família. Ele é todo feito de pedras naturais e foi planejado de maneira com que todos os cômodos recebessem luz natural.

A visita marcada online (com dia e horário) custa €22, €3 mais barata do que no local, e inclui guia em áudio, wifi gratuito e o benefício de não ter que esperar na fila. Outros ingressos mais caros oferecem a primeira entrada do dia, tours noturnos, exclusivos, entre outros. 

A Sagrada Família vista do topo da Pedrera

Casa Batlló – feita de arenito e coberta de mosaicos coloridos, a fachada da casa, situada na Passeig de Gràcia, principal rua do bairro Eixample, é realmente impressionante. Primeiramente porque nesta criação de Gaudí não existem linhas retas. Janelas ovais e varandas com pilares diferentes também chamam a atenção daqueles que visitam o local, impressionante por fora e por dentro.

A entrada mais simples custa €25 (adultos) no site oficial, €4 mais barato do que o tíquete comprado na bilheteria. Lembrando que no site ainda são oferecidos tours com acesso VIP, Magic Nights, visita noturna + concerto musical, entre outros. 

O meu mapa de Barcelona está aqui prontinho e com todas as atrações desse post

Palau de la Música Catalana – a casa de concertos instalada em um prédio estilo “Art Nouveau catalão” foi erguida entre 1905 e 1908, pelo arquiteto Lluís Domènech i Montaner. O local, patrimônio mundial pela Unesco, foi palco para a apresentação de artistas renomados como a soprano Montserrat Caballé, o cantor Gilberto Gil, entre outros. Lembrando que a casa também é famosa pelas apresentações de flamenco.

Visitas guiadas no prédio considerado uma das joias de Barcelona são realizadas diariamente. Durante o tour, o visitante fica sabendo tudo sobre a história do local – Gilberto Gil é um dos destaques do filme, dá um orgulho! – além de ver de perto toda a exuberância da sala principal. O ingresso pode ser adquirido no site oficial. 

A sala principal do Palau de la Música Catalana

Parque Güell – o parque mais famoso de Barcelona tem uma área ampla, cheia de belas vistas da cidade, além de obras-primas de Antoni Gaudí em meio a uma natureza exuberante. A principal entrada fica no lado sul, pela Carrer d’Olot e já na chegada é possível visualizar a bela escadaria: dupla e cercada por dois muros convexos, com acesso à imponente sala das colunas.

Outras atrações imperdíveis no local são a Casa del Guarda, uma construção de Gaudí que hoje pertence ao MUHBA – Museu de História de Barcelona, o Teatro Grego, uma área aberta, colorida por belos mosaicos e que oferece uma linda vista da cidade, além da Casa Museu Gaudí, a residência do mestre da arquitetura entre os anos de 1906 e 1925 (entrada cobrada à parte). 

Patrimônio da Unesco, o parque Güell está dividido em duas áreas, uma de acesso gratuito e outra onde o visitante precisa adquirir um ingresso online e escolher o dia e horário da visita. A entrada na chamada zona monumental custa €10, incluindo o transporte de ônibus shuttle que sai da estação de Metrô Alfons X (Metrô L4) até a entrada do parque. 

O parque fica a pouco mais de 3 km do centro de Barcelona e a caminhada até lá é bastante agradável. Saiba, porém, que a atração fica no topo de uma colina, portanto, prepare-se para enfrentar algumas escadas na parte final (no dia em que estive lá, a escada rolante não estava funcionando).

La Rambla a rua, extremamente central atrai uma grande quantidade de moradores locais e turistas por estar rodeada de opções de restaurantes e lanchonetes (nem sempre os melhores da cidade), lojas de todos os tipos, pontos turísticos, o Mercado La Boqueria e muito mais.

La Rambla

Para se ter uma ideia, a Rambla é tão extensa, que conecta a Praça da Catalunya (Plaça de Catalunya) ao Monumento de Cristóvão Colombo e também à orla da cidade (se puder, estique a caminhada até a Rambla de Mar). Uma área movimentada muito boa para ser explorada a pé e com uma atmosfera incrível, tanto de dia quanto à noite. Dica: a área costuma atrair batedores de carteira que se aproveitam da distração dos turistas. Todo cuidado é pouco!

Fonte Mágica de Montjuïc – um show de música, luzes, cores e acrobacias aquáticas, a Font màgica de Montjuïc foi criada por Carles Buigas em 1929 e estreou pela primeira vez durante a Grande Exposição Universal. A obra do design tem cerca de três mil jatos de água e um repertório musical bastante eclético. O espetáculo da Fonte Mágica acontece em horários distintos e de acordo com o período do ano.

Camp Nou Experience (Estádio do Barcelona Futebol Clube)os apaixonados por futebol que estiverem em Barcelona não podem perder a chance de visitar a sede da entidade esportiva fundada em 1899, onde atuaram/atuam grandes craques do esporte mundial, entre eles os brasileiros Ronaldo Fenômeno, Rivaldo, Romário, o argentino Lionel Messi e muitos outros.

Durante o tour, você vai conhecer o museu do Barça, interativo e com um acervo interessantíssimo, além de dependências do estádio, como a sala de imprensa, o túnel dos jogadores e a arquibancada. Em média, a visita tem duração de 1 hora e meia, lembrando que no local o visitante ainda encontra uma loja fantástica, cheia de produtos com a marca do Barça, restaurantes e lanchonetes. O ingresso custa €25 e pode ser adquirido online.

Catedral de Barcelona – a catedral de Santa Cruz e Santa Eulália é uma construção no estilo gótico catalão que começou a ser erguida em 1298, sob o comando do Rei Jaume II. A igreja de 90 metros de comprimento por 40 de largura possui, ao todo, três naves. Embaixo do altar encontra-se a cripta com o túmulo de santa Eulália, em um belíssimo sarcófago feito por escultores de Pisa, no século XIV. A entrada no templo é gratuita.

Museus de Barcelona

Museu Picasso – o museu é todo dedicado aos trabalhos do mestre Pablo Ruiz Picasso – entre eles a série Las Meninas, de 1957. Várias dessas obras, a maioria datada do início da carreira do artista, mostram uma relação íntima entre Picasso e a capital da Catalunha, algo que começou na juventude e perdurou até a morte do pintor.

O museu fica instalado na movimentada Carrer de Montcada, em um conjunto de belas casas antigas. O ingresso que dá acesso a coleção permanente custa €12 e deve ser adquirido online, com marcação de dia e horário. Jovens entre 18 e 25 anos, adultos a partir de 65 anos e estudantes universitários credenciados pagam €7. Ah, às quintas-feiras, das 18h às 21h30, a entrada é gratuita, porém ainda assim é preciso adquirir o seu ingresso online – e com antecedência – já que o museu só comporta um certo número de visitantes.

 

Muhba Plaça del Rei – quem passeia pela movimentada praça do centro de Barcelona mal pode imaginar o tesouro existente no subsolo: um sítio arqueológico romano ocupando uma área de 4 mil metros quadrados, onde um dia existiu a Colonia Iulia Augusta Paterna Faventia Barcino, fundada pelo imperador Augustus por volta de 10 a.C..

Nas dependências do Muhba, o visitante é conduzido por intermédio de passarelas que o levam às ruínas de ruas, redes de esgoto, locais que um dia abrigaram fábricas, indústrias de vinho, lavanderias, tinturarias, entre outros. Imperdível! A entrada custa 7.

Fundação Joan Miró – mais de dez mil pinturas, desenhos, entre outras obras de arte estão todas reunidas no museu fundado pelo grande artista do século 20, Joan Miró. Na construção incrível, de autoria do arquiteto Josep Lluís Sert, há um terraço de onde se tem belas vistas de Barcelona, emolduradas pelas esculturas do próprio Miró. O museu fica próximo à Plaça Espanya e a entrada custa 13.

Museu Nacional d’Art de Catalunya (MNAC) – situado no belo Palácio Nacional de Montjuïc, o museu reúne obras de artistas do modernismo catalão, como Gaudí e Casas, grandes renascentistas europeus e pintores barrocos, uma coleção enorme de fotografias, fora a bela vista de Barcelona, do topo do prédio. A entrada no museu custa €12 e é válida por dois dias, a partir da data da compra, já a entrada + o guia em áudio custam €14 (somente online). Aos sábados, a partir das 15h, e aos primeiros domingos do mês, a entrada é gratuita.

Dica: ir caminhando da Plaça d’Espanya até o museu vale muito a pena, pois este lado de Montjüic oferece fantásticas vistas panorâmicas da cidade, sem contar com o esplendor do próprio edifício do museu.

Mercados de Barcelona

Costumo dizer que mercados são passeios completos que “falam” muito sobre a cultura local. Em primeiro lugar, na lista de Barcelona, aparece sempre o famoso Mercat de la Boqueria, que fica na Rambla. Lá, encontra-se uma porção de barracas que vendem frutos do mar, frutas, sucos e vitaminas, delícias típicas da Espanha, como chouriço, presunto Ibérico, vinhos e muito mais.

O grande problema é que, de tão famoso, o local consegue ficar insuportavelmente cheio, sem contar com os preços superaltos. A boa notícia é que por toda Barcelona estão espalhados outros mercadinhos tão bons ou melhores que o Boqueria, entre eles o Mercat de Santa Caterina, o Mercat de Sant Antoni, o Mercat de la Concepció e o Mercat del Ninot.

Ah, não posso deixar de dizer que em cada mercadinho desse há um ou dois bares de tapas/restaurantes, onde é possível sentar-se com calma e experimentar várias delícias da gastronomia local, acompanhadas de uma taça de cava ou sangria.

Praias de Barcelona

La Barceloneta – é a praia mais famosa da cidade, cheia de bares de tapas, restaurantes e estrutura com chuveiros de água doce e banheiro gratuito. Durante as férias de verão, costuma ficar lotada de banhistas e pessoas vendendo de tudo um pouco, altamente contra-indicada para quem deseja momentos de paz e tranquilidade. Dica: o aluguel de cadeiras de praia e guarda-sóis custam €15 a unidade. Para economizar, portanto, é preciso é levar o seu próprio material. 

Nova Icaria – a praia costuma atrair jogadores de vôlei de areia, além de muitos praticantes de esportes aquáticos (empresas locais oferecem aulas em inglês). Por ser vizinha de Barceloneta, Nova Icaria costuma ficar bem cheia em certos dias de verão, principalmente nos finais de semana e feriados. Ah, é bom levar o seu próprio material de praia, caso não queira desembolsar 30 numa cadeira e num guarda-sol.

Ocata – um cenário mais tranquilo para estender a toalha encontra-se a meia hora de viagem, de trem, do centro de Barcelona. Água mais limpa, areia clarinha e vários bares de tapas complementam o cenário para um dia perfeito sob o Sol. Ah, a estação de trem de Ocata fica a poucos passos da praia. Mais fácil impossível!

Restaurantes de Barcelona

É muito provável que em Barcelona o visitante tenha uma experiência gastronômica incrível, principalmente se o local escolhido for um tradicional bar de tapas. Nesses estabelecimentos é possível degustar clássicos da culinária local em pequenas porções, geralmente compartilhadas por todos que estão na mesa.

Ao listarmos alguns pratos imperdíveis, podemos começar pela clássica paella. E o restaurante Can Ros, em Barceloneta, é um dos lugares que bem sabem preparar essa delícia. No almoço, de terça a domingo, é servido um menu especial de €15, composto por entrada, prato principal e sobremesa – huevos rotos com linguiça de Mallorca, arroz valenciano com lulas, linguiça catalã e mousse de chocolate branco com creme de morango, para finalizar, foram as minhas escolhas. Faça sua reserva pelo site!

Arroz valenciano

Outro grande achado, na minha opinião, foi o Agut, um restaurante antigo da cidade, que preza muito pela qualidade. A começar pela excelente carta de vinhos e delícias que podem ser degustadas no formato tapas ou pratos principais, destaque para as lulas fritas (€7,50/meia porção), o fabuloso arroz cremoso de camarões (€12/meia porção), e um secreto ibérico (€15,90) para “comer de joelhos”. 

Nas proximidades da Sagrada Família há uma porção de armadilhas para turistas, mas a Vic Braseria, com certeza, não faz parte dessa lista. No cardápio, vários assados na brasa: entrecôte, frango, linguiças tradicionais da região e alcachofras. Ah, o crema catalana feito na casa – a versão catalã do crème brûlée – é imperdível! A Vic Braseria faz reservas online.

Para os que não comem nada de origem animal encontram-se opções de restaurantes especializados pela cidade, além disso, praticamente todos lugares em que estive ofereciam uma ou várias opções de pratos vegetarianos muito gostosos.

Churros

Assim como o Brasil, a Espanha também é apaixonada por churros. Porém, em vez de recheado como o nosso, a massinha supercrocante vem acompanhada de uma calda à parte. O tamanho também é não é o mesmo, sendo o espanhol maior e mais fino, além de vir em grande quantidade, feito mesmo para compartilhar. O melhor lugar de Barcelona para saboreá-los é na Carrer de Petritxol, uma rua com vários estabelecimentos especializados na guloseima frita!

Outra dica “apetitosa” são os cafés da cidade, que servem refeições ao longo do dia: flautas (pão tipo baguete com recheios variados), bikini (o nosso clássico misto quente), orxata geladinha (bebida valenciana leitosa, feita com água, açúcar e amêndoas), cafés de todos os tipos e mais. Anote aí os meus preferidos: Buenas migas para uma boa focaccia, Sandwichez para um café da manhã gostoso e tranquilo, Jaime Beriestain para aqueles que curtem uma decoração mais glamurosa e, claro, tortas e croissants muito bem feitos.

Passes de Barcelona

O visitante que deseja conhecer os principais pontos turísticos de Barcelona e, ainda assim, economizar, tem à disposição passes turísticos diversos. Escolher o melhor, no entanto, não é tarefa das mais fáceis diante da oferta. 

Primeiramente, é preciso que o visitante responda às seguintes questões:

  • Quanto tempo vou ficar em Barcelona?
  • Quais atrações são imperdíveis para mim?
  • Farei uso do transporte público com muita frequência?
  • “Pular a fila” é um recurso importante para mim?
  • Qual é o meu limite de gastos durante a viagem?

A Praça da Catalunha

Barcelona Card 

O cartão é chamado de 3 em 1. Com ele o usuário tem acesso a 25 museus da cidade – entre eles o Museu Picasso – tem direito ao uso de transporte público e também pode usufruir de descontos em sítios como a Casa Batlló, a Casa Milà, passeios em ônibus turísticos, tours guiados a pé, apresentações de flamenco e muito mais.

O Barcelona Card para adultos está disponível nas versões 72 horas (€46), 96 (€56), 120 horas consecutivas (€61) e pode ser adquirido online. Após o pagamento, o usuário receberá um voucher que deverá ser apresentado num dos escritórios de turismo espalhados por Barcelona ou no próprio aeroporto.  

A Sagrada Família está incluída?

Não. Para visitá-la será preciso reservar à parte – e com o máximo de antecedência – no site oficial da basílica.    

O Barcelona Card compensa?

Sim, caso a sua intenção seja visitar várias das atrações inclusas na lista, além de fazer um uso considerável de transporte público, dentro do período pretendido. Não compensa para aqueles que pretendem passar menos de 3 dias na cidade ou têm um ritmo de visitas mais lento.

Barcelona Pass

O passe disponível nas versões 2 e 3 dias consecutivos também mostra ser uma boa opção para os que desejam ver muito de Barcelona em pouco tempo. Nele, estão inclusas a entrada em mais de 20 atrações famosas – entre elas a Casa Milà e a Casa Batlló – tours diversos, um dia no ônibus Hop on Hop off, além de descontos em restaurantes e atrações noturnas. 

Para fazer uso de transporte público durante o período, o usuário vai ter que adquirir um Hola BCN travelcard, à parte. Inclusive, ele pode ser utilizado no trajeto aeroporto – centro da cidade, porém, é bom lembrar que o tempo começa a contar a partir do primeiro uso. O Barcelona pass é vendido online e durante a compra o usuário deve indicar se deseja receber o cartão em casa, pelo correio (opção paga) ou coletá-lo em Barcelona (opção gratuita).

Algumas das atrações inclusas no Barcelona Pass:

  • FC Barcelona – Camp Nou
  • Casa Batlló
  • Gaudí Exhibition
  • Casa Milà – La Pedrera
  • Poble Espanyol
  • Barcelona Zoo 

A Sagrada Família está incluída no passe?

Não. Para visitá-la será preciso reservar à parte – e com o máximo de antecedência – no site oficial da basílica.   

O Barcelona Card compensa?

Talvez não seja uma boa opção para os que não estão interessados em visitar pelo menos 4 ou 5 das atrações incluídas no passe.

Fachada do Hotel Majestic, na Passeig de Gràcia

Barcelona City Pass

Enfim, um passe que inclui a entrada em duas atrações superpopulares de Barcelona, a Sagrada Família e o Parque Güell, lembrando que o dia e o horário das visitas devem ser marcados já no momento da compra. Outra vantagem do Barcelona city pass é ser 100% online, ou seja, basta apresentar o tíquete na tela do seu celular para ter a entrada liberada.

Descontos também estão inclusos no passe, transporte saindo do aeroporto, assim como o benefício skip the line (“pule a fila”, em português). Em atrações como a Casa Batlló, o Camp Nou e o museu Picasso é possível utilizar um desconto de 20%. Ah, o cartão Hola Barcelona, que permite o uso de transporte público, também pode ser adicionado ao pacote. O passe de um dia, incluindo o ônibus hop on hop off, custa €76,50 (adulto), já o de 2 dias custa €86. 

Pontos positivos: ser 100% online, incluir a Sagrada Família e o Parque Güell;

Pontos negativos: caso a bateria do seu celular acabe, você fica sem acesso ao cartão. 

Como chegar em Barcelona

Voos diários – diretos e com conexões – partem das principais capitais brasileiras com destino à Barcelona. Quer ficar por dentro de todas as promoções de passagens aéreas para a capital da Catalunha? É só baixar o aplicativo do Melhores Destinos ou fazer a sua pesquisa/compra no nosso site

Como ir do aeroporto para o centro de Barcelona

Aqueles que já estiverem na Europa também podem aproveitar os preços de passagens de companhias low cost ou optar pela viagem de trem. Tenha em mente, no entanto, que nem sempre a passagem é mais em conta do que a de avião ou ônibus, principalmente se for adquirida em cima da hora. A dica para pagar menos é comprar o bilhete com três meses de antecedência no site da Renfe, a operadora de trens da Espanha.

Outra boa opção para o bolso, e para os que estão com mais tempo livre, é optar pelo ônibus como meio de transporte. A Flixbus conecta cidades como Paris, Lisboa e Munique a Barcelona. Outra empresa que promove viagens de ônibus de vários destinos europeus até a capital da Catalunha é a Eurolines. Vale a pena conferir os preços!

Onde ficar em Barcelona

Bairro Gótico – local que um dia abrigou a cidade romana de Barcino e uma região onde você vai encontrar muitas construções antigas, como casarões e palácios, restaurantes, bares e lojinhas que vendem de tudo. A dica é se perder nas charmosas ruelas e explorar cada cantinho…sem pressa!

La Rambla e região – a famosa rua é conhecida como a “artéria vital de Barcelona”, uma avenida voltada para pedestres com um comércio vibrante, restaurantes (nem sempre os melhores), hotéis e muito mais. Experimente ir andando da Praça da Catalunha (Plaça de Catalunya) até o finalzinho da La Rambla. Toda a área – tanto de dia quanto à noite – tem uma energia contagiante!

Não perca as 30 melhores opções de hospedagem em Barcelona

El Eixample – o vibrante bairro foi erguido em meados de 1860, depois da demolição das muralhas medievais. Lá o visitante vai encontrar vários exemplares de construções modernistas e mais uma série de atrações imperdíveis. É o meu preferido!

La Barceloneta – na região que um dia foi uma vila de pescadores, você vai encontrar o balneário mais famoso de Barcelona. E, além da praia em si, com uma excelente infraestrutura para o turista, a área reúne excelentes restaurantes, bares e uma vida noturna agitada. Excelente para os que desejam ficam perto do mar! 

Gràcia – mais a noroeste, entre Eixample e as colinas, fica Gràcia – praticamente uma aldeia dentro de uma cidade. Um bairro bastante residencial, ideal para os que desejam se sentir mais “em casa”; Também é o lar do popular Parque Güell, de Gaudí.

Confira nesse post todas as opções de transporte na capital da Catalunha 

Casa Batlló

Segurança em Barcelona

Este foi um assunto muito perguntado pelos seguidores do Instagram do MD, durante a minha estada em Barcelona. Até porque muito tem se falado sobre a ação de batedores de carteira na cidade e dos riscos de atentado terrorista, devido ao ataque na Rambla, em 2017.

Como viajante solitária, e brasileira precavida que sou, tomo sempre alguns cuidados, entre eles:

  • minha mochila está sempre trancada com pequenos cadeados na parte de fora;
  • nunca levo o passaporte dentro da bolsa, mas sim uma cópia autenticada;
  • à noite, opto por táxis credenciados;
  • confio no meu instinto, se a região está esquisita, nem piso lá;
  • não costumo dar papo para estranhos;
  • escolho sempre um hotel melhor localizado;

Bem, a minha viagem em Barcelona ocorreu da maneira mais tranquila possível. E a dica geral é que você cuide bem dos seus pertences e evite regiões desertas, tarde da noite, principalmente na Ciutat Vella. Boa viagem e aproveite cada minuto nessa cidade tão vibrante e linda!

Alguma dica de Barcelona a acrescentar? Deixe a sua contribuição nos comentários!

Este post foi publicado originalmente em agosto de 2019 e vem sendo atualizado desde então.