logo Melhores Destinos

Metrô de São Paulo: dicas de como usar, destinos e projetos futuros

Rafael Castilho
Rafael Castilho
06/10/2020 às 4:45

Metrô de São Paulo: dicas de como usar, destinos e projetos futuros

Saiba como usar e não se perder no metrô de São Paulo, o maior e mais movimentado sistema metroviário do Brasil. Com mais de 100 quilômetros, relativamente pequeno para uma metrópole do tamanho da capital paulista, o metrô paulistano conecta várias regiões de São Paulo e é peça fundamental para quem quer se movimentar bem e facilmente pela cidade. Um sistema de transporte público fundamental para qualquer visitante.  Veja os tipos de bilhetes, linhas operantes, curiosidades e dicas para ter uma viagem tranquila no metrô de São Paulo.

Metrô e trem em São Paulo

O transporte público sobre trilhos em São Paulo conta com metrô e trens. São 370 km de linhas que ligam a capital paulista às outras cidades da região metropolitana. São seis linhas de metrô e sete de trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. Destas linhas, a maior parte é administrada pelo Governo do Estado de São Paulo e duas são operadas por concessionárias privadas.

Toda a malha ferroviária paulista é conectada. É possível fazer a integração e troca de linhas com uma única passagem. Somente o trem expresso para o Aeroporto Internacional de Guarulhos tem uma tarifa diferenciada. Veja o mapa do transporte metropolitano aqui.

 

Integração metrô de São Paulo

A rede de transporte público sobre trilhos de São Paulo é toda conectada. É possível fazer a integração e troca de linhas com uma única tarifa de R$ 4,40.

A integração é super simples. Pesquise o mapa do transporte metropolitano e descubra o seu caminho. Você pode usar tanto o metrô quanto os trens metropolitanos para chegar ao seu destino sem ter que comprar um novo bilhete.

Para conhecimento: a integração gratuita entre o metrô e os trens da CPTM entrou em vigor em maio de 2000. Antes desta data, o passageiro era obrigado a pagar dois bilhetes.

Linhas do Metrô de São Paulo

Linha 1 – Azul Metrô de São Paulo

A Linha 1 Azul que corta a maior cidade do país de norte a sul é a mais antiga. Em setembro de de 1974 foram inauguradas as primeiras estações ligando Jabaquara a Vila Mariana, na zona sul. Nos meses seguintes a linha foi ampliada e chegou ao centro e a Santana, na região norte da capital paulista. As últimas inaugurações foram 1998 no extremo norte da cidade. Hoje a Linha Azul corre por 23 estações ligando o Jabaquara ao Tucuruvi.

Linha 2 – Verde Metrô de São Paulo

A Linha 2 Verde teve as suas primeiras estações inauguradas em 1991. A linha é conhecida como a linha da Avenida Paulista, pois corta totalmente esta importante via paulistana da Consolação até o Paraíso. Depois de várias expansões a linha 2 chegou a zona leste, em 2010, ligando a Vila Prudente até a Vila Madalena. Hoje a Linha Verde do Metrô de São Paulo conta com 14 estações.


Linha 3 – Vermelha Metrô de São Paulo

A Linha 3 Vermelha é a mais movimentada de São Paulo. No ano passado mais de 420 milhões de pessoas passaram pela linha que liga as regiões leste, a mais populosa da capital paulista, a oeste. São 22 quilômetros percorridos por 18 estações entre Itaquera e a Barra Funda.

Linha 4 – Amarela Metrô de São Paulo

A Linha 4 é hoje operada sob uma administração privada e não estatal. Os trens são automatizados e não contam com operador a bordo. As primeiras estações foram inauguradas em 2010. Mesmo depois de 16 anos do início das construções a linha ainda não chegou a Vila Sônia, parte do projeto inicial. Hoje são 10 estações ligando Morumbi à Luz.

Linha 5 – Lilás Metrô de São Paulo

A Linha 5 também opera sob concessão à inciativa privada. As primeiras estações, no extremo da zona sul, foram inauguradas em 2002. Somente depois de muitos anos, o projeto foi continuado e a Linha Lilás foi integrada a toda a malha metroviária da capital paulista a partir de 2010. As últimas estações foram entregues somente em 2018. Hoje a Linha 5 Lilás conta com 17 estações ligando o Capão Redondo à Chácara Klabin.

Linha 15 – Prata Metrô de São Paulo

A linha mais nova do metrô de São Paulo registrou as primeiras inaugurações em 2015 e ainda continua em obras. Diferente das demais, a linha prata é totalmente suspensa e opera com trens monotrilho. A Linha 15 Prata liga a Vila Prudente a São Mateus, tudo na zona leste, com 10 estações.

 

 

linha prata metro sp

Linha Prata do Metrô de São Paulo

Tipos de bilhetes do metrô de São Paulo

O metrô de São Paulo não apresenta muitas opções de tipos de bilhetes e não há nenhum bilhete específico para os turistas que visitam a cidade. Agora também é possível usar o metrô ou CPTM com QR Code. Este tipo de bilhete está sendo comercializado em todas as 183 estações do sistema de transportes metropolitanos de São Paulo, mas em 16 delas o bilhete vendido é somente o novo de QR Code. Em algumas estações as bilheterias estão sendo desativadas e substituídas por máquinas de autoatendimento.

Foto divulgação Metrô

O bilhete comum, Unitário, é adquirido nas bilheterias da estação ao custo de R$ 4,40 e é utilizado para uma viagem por toda a malha metroviária da Grande São Paulo. Com este bilhete é possível acessar todas as linhas do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

Se você for utilizar o metrô ou os trens da CPTM em várias viagens vale a pena adquirir o Cartão Fidelidade. O cartão custa R$ 2, independentemente do modelo, e pode ser adquirido e recarregado nas cabines de recarga do Bilhete Único localizadas nas estações do Metrô. O Cartão Fidelidade pode ser recarregado com desconto para 8, 20 ou 50 viagens. Veja os valores abaixo:

Há o BLA – Cartão Lazer que proporciona desconto na utilização do Metrô e trens da CPTM entre às 18h dos sábados até o encerramento da operação dos domingos. Também é válido nos feriados nacionais e estaduais de São Paulo. O Cartão Lazer pode ser adquirido e recarregado nas cabines de recarga do Bilhete Único. Para adquirir o cartão há um custo inicial e único de R$ 2,00 sendo obrigatória uma carga inicial equivalente a 10 viagens a um custo de R$ 3,83 cada uma.

Outra forma de utilizar o metrô de São Paulo, que facilita às viagens principalmente se o usuário for utilizar ainda a rede de ônibus, é o Bilhete Único. Com este bilhete o usuário tem desconto em viagens integradas no transporte público envolvendo o uso de ônibus, trens e ônibus. Não vale a pena se você for utilizar só o metrô ou os trens da CPTM, pois não há descontos.

Com o Bilhete Único o usuário pagará pela integração Ônibus + Metrô/CPTM R$ 7,65 ao invés de R$ 8,80 se for pagar separadamente. A Tarifa Integrada Comum de R$ 7,65 permite até três embarques em ônibus, no período de 3 horas e um embarque no sistema de trilhos, nas duas primeiras horas. Mais detalhes no site da SPTrans.

A grande novidade do metrô e da CPTM agora é uso do bilhete por QR Code. O novo bilhete tem o valor de R$ 4,40, o mesmo do anterior e pode ser comprado e usado diretamente pelo celular, por meio do aplicativo TOP, disponível para Android e IOS. Pelo APP, o cliente pode adquirir, diariamente, até dez bilhetes, que ficam disponíveis no aplicativo para quando ele precisar. Não há prazo para expirar.

Trem do aeroporto para o centro de São Paulo

Desde 2018 há uma conexão rápida entre o Aeroporto Internacional de Guarulhos e o centro de São Paulo. É possível seguir da estação da Luz num trem expresso até o aeroporto com uma tarifa de R$ 8,80. Fique atento pois são poucas viagens durante o dia. O serviço é operado pela CPTM, mas tem integração com o metrô nas estações Brás e Luz.

Além da opção rápida, é possível acessar o aeroporto de Guarulhos com o Connect Aeroporto que sai da estação Brás (linha vermelha do metrô). A partir da estação Engenheiro Goulart, na zona leste, também é possível chegar ao aeroporto pela Linha 13-Jade da CPTM. Aqui não hausto extra para fazer a viagem.

Veja aqui os horários das viagens entre o centro de São Paulo e o aeroporto de Guarulhos.

Dicas para usar o Metrô de São Paulo

  • evite levar mochila nas costas, além de atrapalhar os demais usuários e fluxo dentro dos vagões você pode ser um alvo fácil para furtos;
  • evite andar de metrô nos horários de pico das 7h às 8h30 e das 17h às 19h. Neste período há filas nas plataformas e os trens andam bem cheio, tipo lata de sardinha;
  • não seja pego de surpresa! Baixe o App do Metrô de São Paulo Oficial para saber tudo que rola no sistema metroviário e ver se alguma linha está com problema atrasando o seu compromisso;
  • fique esperto em relação ao horário de funcionamento do metrô. Durante a semana e aos domingos o metrô funciona das 04h40 à 0h. Aos sábados das 04h à 1h da manhã. Cada estação tem um horário diferente. Conheça o horário da sua;
  • se vai comprar bilhete unitário para a ida sempre compre o da volta junto para evitar filas;
  • facilite o troco na hora de comprar o bilhete. Se for comprar poucos bilhetes o máximo que o metrô aceita é a nota de R$ 20
  • uma boa economia! Vale a pena fazer o cartão fidelidade se for utilizar o metrô por vários dias. ;
  • olho no mapa! Para não s perder, estude bem o caminho que vai fazer e qual estação descreva ou fará interligação;
  • saiba qual linha vai usar e qual é a ultima estação do seu destino. Nas plataformas os destinos finais da linha marcam o sentido que segue o trem;
  • qualquer dificuldade ou dúvida não hesite em perguntar aos atendentes do metrô. Eles estão uniformizados e são facilmente encontrados dentro das estações;
  • encontre aqui dicas e etiqueta para usar o metrô.

App do Metrô de São Paulo

O usuário do sistema de transporte ferroviário também pode utilizar um aplicativo para Android ou iOS. No aplicativo do metrô de São Paulo é possível ter informações sobre a operação das linhas, fazer denúncias, saber se há alteração no tarifário, etc. Infelizmente não é possível comprar bilhetes pelo App.

Segurança no Metrô de São Paulo

O sistema metroviário é muito bem cuidado, limpo e relativamente seguro. Mas fique atento à sua segurança. Furtos são registrados, principalmente nos horários mais cheios. Leve a frente do corpo mochilas e os pertences. Fique também atento aos seus bolsos para minimizar a possível ação de criminosos.

Expansão do Metrô de São Paulo

Há diversos planos e projetos de expansão do metrô paulistano. Muitas nem saíram do papel. Veja abaixo as principais obras, linhas previstas e andamento dos projetos:

Linha 2 Verde – em andamento

Projeto: expansão no sentido leste, com 14,5 km de extensão entre Vila Prudente e a cidade de Guarulhos, com 13 estações. O governo fará o trecho em duas fases, a primeira de 8,3 km até a estação Penha, com oito estações.

Linha 4 Amarela – previsão final 2021

Projeto: entregar a estação Vila Sônia e o Terminal de ônibus.

Obras na Vila Sônia

Linha 6 Laranja – em andamento

Projeto: nova linha ligando a região da Brasilândia (zona oeste) à estação São Joaquim (centro) com 15,3 km de extensão e 15 estações. A obra estava parada desde 2016, mas o Governo assinou um contrato de Parceria Público Privada em julho de 2020 para a retomada das obras ainda neste ano.

Linha 17 Ouro – em andamento

Projeto: nova linha de monotrilho cuja primeira fase ligará o aeroporto de Congonhas às linhas 5-Lilás e 9-Esmeralda.

Linha Ouro

A obra deveria ter sido entregue em 2014. Não há data de inauguração. A fase dois até a estação Morumbi está suspensa.

Curiosidades do Metrô de São Paulo

  • em 1972 foi a primeira vez que um trem trafegou no subterrâneo paulistano, dois anos antes da inauguração oficial;
  • a Estação Jabaquara (Linha Azul) é a mais antiga de toda a rede;
  • em 1974 a rede de metrô era bem pequena e tinha apenas 6,4km;
  • a média diária de passageiros em 1974 era de 2.858;
  • o metrô não funciona de madrugada devido à manutenção, é neste horário que ocorrem os reparos gerais nas linhas;
  • o metrô tem capacidade de substituir até 500 metros de trilhos numa noite;
  • cada trem do metrô tem seis vagões;
  • a Linha 4 Amarela opera sem condutor, tudo automatizado;
  • a Linha 3 Vermelha do Metrô é a mais lotada no período da manhã na cidade de São Paulo e transporta em média 7,1 passageiros por metro quadrado;
  • o movimento diário da Linha 3 Vermelha chega a atingir 1,5 milhão de passageiros transportados por dia;

  • a Linha 3 Vermelha é a mais extensa do sistema metroviário com 22 km de extensão e as Linha 1 Azul e 5 Lilás têm 20 km;
  • a Linha 3 Vermelha é tão movimentada que entre 1979 e 2019 foram transportados oito bilhões de passageiros, mais que população da terra que é de 7,53 bilhões;
  • desde a sua Fundação, o metrô já transportou cerca de 30 bilhões de passageiros;
  • cerca de 230 itens vão parar diariamente nos Achados e Perdidos das estações de metrô. A estação da Sé lidera o ranking;
  • a estação Santa Cruz da Linha 5 Lilás é a estação mais profunda do metrô com 41,5 metros de profundidade, são 6 subsolos e 43 escadas rolantes. A estação Chácara Klabin também da Linha 5 Lilás é a segunda com38 metros de profundidade;
  • desde 2011 o metrô conta com uma banda formada por funcionários que tocam duas vezes por mês nas estações;

  • 58% dos usuários do metrô têm entre 18 a 34 anos;
  • 57% dos usuários são mulheres;
  • 83% das pessoas fazem duas viagens por dia;
  • 27% são residentes da zona leste e 23% são residentes da zona sul;
  • 68% dos usuários realizam viagens exclusivas a trabalho;
  • 72% residem na capital paulista.

História do Metrô de São Paulo

Com o crescimento da metrópole e o surgimentos do metrô em diferentes cidades pelo mundo, a discussão sobre a implantação do metrô em São Paulo apareceu no início do século XX. Muitos estudos foram apresentados e feitos, mas nunca levado a diante. A ideia só ganhou forma em 1966 com a criação do Grupo Executivo Metropolitano (GEM), que contratou um consórcio de duas empresas alemãs, Hochtief e Deconsult, que se fundiu com a brasileira Montreal, formando uma nova empresa, a HMD. A companhia realizou uma “Pesquisa Origem e Destino” e assim apontou as linhas básicas a serem implantadas em São Paulo.

Em 1968 o antigo Grupo deu origem a Companhia do Metropolitano de São Paulo – Metrô. No fim do mesmo ano foi iniciais às obras da Linha 1 Azul que só teve o primeiro tenho inaugurado em 1974.

Hoje a rede metroviária da cidade de São Paulo é composta por 6 linhas, totalizando 101,1 km de extensão e 89 estações, por onde passam mais de 5 milhões de passageiros diariamente. Está integrada à CPTM nas estações Luz, Tamanduateí, Brás, Palmeiras-Barra Funda, Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Pinheiros e Santo Amaro e aos outros modais de transporte na cidade de São Paulo.

O Metrô de São Paulo, administrado pelo Governo do Estado, é responsável pela operação das Linhas 1-Azul (Jabaquara – Tucuruvi), 2-Verde (Vila Prudente – Vila Madalena), 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera – Palmeiras-Barra Funda) e o Monotrilho da Linha 15-Prata (Vila Prudente – Jardim Planalto), somando 69,7 km de extensão e 62 estações. Pela rede administrada pelo Metrô, passam 4 milhões de passageiros diariamente.

A Linha 4-Amarela é operada pela Via Quatro em regime de PPP desde 2010. Possui 11,4 km de extensão e 10 estações. A Linha 5-Lilás passou a ser operada em regime de concessão pela Via Mobilidade em 04 de agosto de 2018. Possui 20 km e 17 estações. (Informações Metrô São Paulo)

Vale a pena utilizar o metrô em São Paulo

O metrô é o melhor meio de transporte público de São Paulo. É o preferido dos usuários em apontamentos de diversas pesquisas. Conecta boa parte da cidade de forma rápida. Ótimo para fugir do trânsito congestionado. O metrô é uma ótima opção e deve ser levado em conta por qualquer turista que visita a capital paulista.

O metrô é limpo e seguro, apesar do pequeno registro de furtos. A maioria das estações conta com elevadores, sendo de fácil acesso para pessoas com mobilidade reduzida.

A integração gratuita com os trens metropolitanos auxilia muito na mobilidade urbana e extende a rede metroviária da cidade até outros municípios da Grande São Paulo.

Infelizmente, para uma metrópole de 11 milhões de habitantes, a rede de metrôs é pequena. A sua ampliação é custosa e lenta. Há diversos estudos e planos de expansão, mas que andam ao passo de tartaruga e muitos estão atrasados há anos. São Paulo com certeza precisa de mais metrô!

Já andou pelo metrô de São Paulo? Como foi a experiência? Tem alguma dica para viajar tranquilo no metrô de São Paulo? Deixe seu comentário logo abaixo.