logo Melhores Destinos

Como é voar com a Royal Air Maroc para Lisboa com conexão em Casablanca

Como é voar com a Royal Air Maroc para Lisboa com conexão em Casablanca

GRU São Paulo
LIS Lisboa (via Casablanca)
214
Avião Boeing 787-9 Dreamliner
Classe Econômica
Poltrona 30A
Data 15/01/2020
Partida 23h43
Chegada 11h26
Duração 9h43
Por Jackson Lincoln Lopes
Leitor do Melhores Destinos
19/11/2020 às 8:50

A Royal Air Maroc voava para mais de 90 destinos antes da pandemia a partir de seu hub no Aeroporto Internacional Mohammed V, em Casablanca. Além de voos domésticos pelo Marrocos, a companhia tem rotas para vários destinos na Europa, Oriente Médio, África, Estados Unidos e Canadá – e também voos para o Rio e São Paulo. Nosso leitor Jackson Lincoln Lopes foi conferir os serviços da companhia, confira a avaliação que ele enviou para o MD. O voo foi realizado em janeiro, antes do início da pandemia em março. Vale lembrar que os voos da RAM ao Brasil estão suspensos no momento e têm previsão de retorno para março do ano que vem:

Compra das passagens com a Royal Air Maroc

Primeiramente gostaria de agradecer ao Melhores Destinos por ter me indicado esta oferta de voos da Royal Air Maroc, foi graças a seguir a página no Facebook que pude encontrar uma passagem bastante acessível para a Europa em tempos de euro nas alturas. Pagamos R$2.153,00 na ida e volta de São Paulo a Lisboa, com uma bagagem de mão de 10kg e duas bagagens despachadas de 23 kg em cada um dos quatro trechos. Obrigado, MD!

A viagem foi feita por mim e minha esposa. Já conhecíamos alguns países europeus, mas queríamos vivenciar Portugal. E a oferta melhor foi da RAM. Comprei as passagens no Viajanet, mas pesquisei também no site oficial da companhia marroquina, no entanto, não encontrei a opção de parcelamento e optei por comprar no site de agência parceira do MD. Os bilhetes e o código de reserva caíram no meu e-mail assim que a compra foi aprovada pelo cartão de crédito. A compra foi em 20 de junho de 2019.

Parada grátis em Casablanca

Existia a possibilidade de chegar a Casablanca e poucas horas depois partir para Lisboa, mas como já havia lido bastante na internet sobre a companhia bancar literalmente hospedagem, alimentação e transfer para o hotel deles, preferi fazer um stopover em Casablanca às custas da RAM. O que recomendo a todos. Só o café da manhã do hotel já vale essa parada.

Check-in

Dois dias exatos antes da viagem eu corri para o computador fazer o check-in e confirmar os assentos, pois já havia reservado logo que acessei o site da RAM. Como de costume, reservei a janela para mim e o corredor para minha esposa, deixando o assento do meio vago, pensando naquela possibilidade de ninguém comprar o lugar. Na ida não funcionou nossa tática, mas na volta sim. Voltamos do Marrocos deitados, quase que uma primeira classe de gambiarra. Lembrando que o tempo total de viagem são nove horas. Isso também contou muito por optarmos em escolher a RAM.

A parada no Marrocos é fundamental para quem vai para a Europa, pois é caminho para o velho continente, então, parar lá e descansar, trocar de aeronave, já destrava a pessoa e nãoab  obriga a ficar onze ou doze horas no avião direto.

Embarque

Cheguei bem antes ao Aeroporto de Guarulhos, pois sou do Paraná, então não podia perder o voo de forma alguma. Nas telas de informações apareceu o portão de embarque apenas lá pelas 19h, era o Portão 237.

As filas para o embarque começaram a ser formadas às 22h, mas o embarque começou de fato às 23h. Havia duas moças brasileiras que trabalhavam na RAM e chamavam por passageiros que não fizeram o check-in até aquele momento. Realmente achei normal a movimentação para um voo que iria embarcar 300 pessoas. Já li muita gente criticar a organização da RAM. Até então, tudo normal em São Paulo. 23h40 o avião começou a taxiar na pista e logo partimos. Um atraso de meia hora mais ou menos do previsto.

Cabine

Eu os considero bons os aviões da RAM. Tanto na ida quanto volta aqui do Brasil, fomos em Boeing 787-9 Dreamliner. E entre Lisboa e Casablanca um B738. Os espaço era bem melhor do que o Latam que fui em 2017 para a Europa e também os da Alitalia que fui em 2018.

Entretenimento de bordo

O entretenimento tinha jogos, musicas árabes (um montão) e vários filmes. A maioria em português e filmes novos. Assisti dois lançamentos no voo de volta. No voo de ida e dormi bastante.

Serviço de bordo

Confesso que sou um pouco enjoado para comer, mas gostei bastante da comida deles. Na ida um arroz com frango e vários legumes. A comida tinha um caldinho bem bom. Não era ressecada. Tinha uma saladinha de frutas e um chocolate. Na volta para o Brasil a mesma coisa, mas o frango estava mais gostoso ainda e tinha um salmão. Sempre acompanhado de iogurte, pão, uma sobremesa e um chocolate. Refrigerante e água eram a vontade. Na volta, peguei umas cinco latas de Coca-Cola em árabe para trazer de lembrança (embora eu não beba Coca).

Entre Casablanca e Lisboa, como o voo é bem curto, vem um pão com apresuntado e queijo, um bolinho doce de sobremesa, um refrigerante e um chocolate, Kinder Bueno. Excelente se comparado ao que temos no Brasil em um voo dessa distância.

Pouso no Marrocos

O pouso no Marrocos foi tranquilo, ver o deserto do Saara é algo incrível, acabamos de sair do mar de água e ficamos sobrevoando por dezenas de minutos o mar de areia. O aeroporto em Casablanca não é grande, do tamanho de cidades médias do Brasil.

Quem iria fazer a imigração e sair do aeroporto iria para um caminho e quem seguiria para outro destino, iria para outro, mais rápido. Lá passamos por duas fiscalizações policiais e umas três revistas nas bagagens. Viram que eu estava levando maquina profissional e perguntaram por drones, que não levei.

No dia seguinte, fomos para Portugal depois de vivenciar uma cultura muito diferente no Marrocos. O voo estava previsto para as 10h15 e a chegada em Lisboa às 10h45. Nossa, meia hora só entre os dois países? Não. Marrocos está uma hora a frente do horário de Lisboa. A viagem era para durar 1h30, mas acabou durando mais de duas horas. Isso porque estava uma névoa terrível em Lisboa e ninguém pousava e nem levantava voo na capital portuguesa. Ficamos sobrevoando a região litorânea de Setubal e Cascais por alguns minutos.

Desembarque

Como não despachamos malas na ida, apenas as bagagens de mão, saímos rapidamente do desembarque para a imigração. Incrível, né?! Logo em Lisboa que poderiam fazer um milhão de perguntas, já que saberíamos responde tudo pela língua ser igual a nossa, a fiscal disse apenas: Sejam bem-vindos em nosso país.

Comissários e atendimento solo

É interessante ressaltar a competência dos pilotos da RAM, todos os pousos foram feitos na maior tranquilidade com impacto mínimo para os passageiros. Arrisco a dizer que foram as melhores aterrissagens que estive em uma aeronave grande como essas.

Todos são muito atenciosos, principalmente no voo entre o Brasil e Marrocos. Vi apenas um que conseguia falar português. Entre Casablanca e Lisboa ninguém falava uma palavra de nossa língua, apenas árabe e francês, alguns conseguiam se comunicar em inglês. Entre Brasil e Casablanca todos falavam inglês.

Programa de fidelidade

Com relação ao programa de fidelidade, eu já transferi minhas milhas para a Accor Hotels. Deu mais de dois mil pontos na Accor, o que resulta em uma diária de 40 euros em qualquer parte do mundo. Convertendo rapidamente, são 200 reais. Só aí, já tem uma economia na passagem.

Conclusão

Eu voaria muitas vezes novamente com a RAM. Na volta despachamos todas as bagagens de mão e uma mala que compramos em Portugal para trazer vinhos e chocolates. Quando chegamos ao Brasil, tudo intacto e da mesma forma que embarcamos em Lisboa.

Como não falo quase nada de inglês, e nenhuma palavra de árabe ou francês, acredito que a RAM deveria colocar comissários brasileiros ou portugueses, já que 90% dos passageiros entre a rota Brasil/Portugal falam a língua portuguesa. Todos atendem bem, mas o português ajudaria na comunicação e até mesmo no entretenimento durante as nove horas de voo.


Agradecemos ao Jackson pelo relato! Quer ver a sua avaliação publicada no Melhores Destinos? Peça as instruções, capriche no texto e nas fotos e mande para a gente: avaliacao@melhoresdestinos.com.br

Nota final.

Royal Air Maroc

São Paulo - Lisboa (via Casablanca)

Voo 214

8,8
Embarque 8
Assento 9,5
Entretenimento 9,5
Amenidades 9,5
Equipe 7
Fidelidade 9,5

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *