Vietnã: roteiro e dicas para sua viagem

Wendell Oliveira 13 · dezembro · 2017

Viajar para o Vietnã é uma escolha fácil, difícil é montar o roteiro! Espremido entre os principais destinos do Sudeste Asiático e o Mar da China, o Vietnã tem montanhas, praias, desertos, além de museus, opções culturais e gastronômicas, e muito mais. É preciso planejamento para escolher os lugares certos a serem visitados e não perder nada deste incrível país!

Se você tem dúvidas de como viajar para o Vietnã, acompanhe nossas dicas abaixo e prepare-se para uma viagem inesquecível!

Halong Bay, um dos cartões-postais do Vietnã

Vietnã: Como chegar?

Promoções para o Vietnã não costumam ocorrer com frequência, apesar de já termos publicado passagens para o Vietnã a partir de R$ 2.050 voando Turkish, no início do ano.

O ideal é aproveitar as passagens baratas para a Tailândia, e de lá seguir para o Vietnã. Voos de Bangkok para as principais metrópoles vietnamitas (Hanói e Ho Chi Minh) duram em torno de 1h30 e costumam ter preços bem razoáveis, mesmo sem serem comprados com muita antecedência.

Visto para o Vietnã

Brasileiros precisam de visto para o Vietnã.

Além da opção de retirar o visto na Embaixada do Vietnã em Brasília (R$150, única entrada, permanência de até 30 dias – saiba mais), também existe a alternativa de obter o visto na chegada, se a sua entrada no país for feita por um dos aeroportos internacionais.

Para isso, é necessário solicitar uma carta de pré-aprovação, providenciado por agências. A maioria das embaixadas indica o site da Vietnam E-Visa. Depois de preencher o formulário disponível e efetuar o pagamento (a partir de U$19, dependendo do tipo de visto), aguarde pelo envio da Carta de Aprovação (Approval letter) para o seu e-mail. Essa carta deverá ser apresentada na chegada ao Vietnã – num balcão identificado como Landing Visa Counter -, acompanhada de duas fotos 5×7 ou 4×6. Também será necessário pagar a taxa de carimbo (25 dólares, em dinheiro).

Para quem chegou pela Tailândia e tem tempo disponível, também é possível solicitar o visto na Embaixada do Vietnã em Bangkok, bem como em qualquer representação diplomática do Vietnã em outros países.

Roteiro pelo Vietnã: Por onde começar?

Olhe no mapa: o Vietnã é um país longo e estreito – lembra vagamente o Chile. E assim como nosso vizinho, é um país de fácil deslocamento horizontal, mas com longas distâncias a serem percorridas de uma ponta a outra. É exatamente nesse sentido que o roteiro ideal pelo Vietnã deve ser montado: de Norte a Sul ou de Sul ao Norte.

Exemplo de roteiro no Vietnã

Para entender melhor o Vietnã, um pouco de História. Até 1975 o país era dividido em dois: Hanói, ao Norte, governada pelos comunistas, e Saigon, ao Sul, foi colonizada pelos franceses e ocupada pelos americanos durante a guerra (e posteriormente retomada pelos comunistas, tendo seu nome alterado para Ho Chi Minh).

As antigas capitais do Vietnã do Norte e Vietnã do Sul guardam diferenças entre si visíveis até hoje. Você pode escolher viajar somente para uma delas, ou visitar ambas enquanto conhece o meio do país – o que na nossa opinião é bem mais divertido, mas demanda tempo. O Vietnã é um país para ser explorado com calma.

Como é possível ver no mapa acima, um roteiro completo pelo Vietnã pode incluir Hanói, Sapa, Halong Bay, Hue, Da Nang, Hoi An, Nha Trang, Da Lat, Mui Ne e Ho Chi Minh (com o passeio em Can Tho para o Delta do rio Mekong). Alguns destes destinos podem ser imperdíveis para alguns viajantes, outros nem tanto.

Separamos abaixo um resumo dos destinos com o tempo ideal em cada um deles.

Quantos dias são necessários para conhecer o Vietnã?

Por conta das longas distâncias, conhecer o Vietnã exige tempo. Quem deseja visitar só as duas maiores cidades pode separar os dias da seguinte maneira:

HANÓI: Três noites, incluindo uma noite em um cruzeiro pela paisagem estonteante de Halong Bay. Acrescente pelo menos mais duas noites caso queira visitar Sapa, região montanhosa na fronteira com a China, famosa pelos coloridos povoados locais.

Hanói, atual capital do Vietnã, é repleta de praças com um urbanismo impecável

>> Confira nosso guia e saiba o que fazer em Hanói

HO CHI MINH: Duas noites são o suficiente para passear pela cidade e visitar o War Remnants Museum, mas dobre o número de dias caso queira fazer o tour do Cu Chi Tunnels (os famosos túneis utilizados pelos guerrilheiros vietnamitas durante a guerra) e visitar o Delta do rio Mekong, um passeio super tradicional pelas comunidades locais.

Ho Chi Minh é uma cidade cheia de contrastes

>> Confira nosso guia e saiba o que fazer em Ho Chi Minh

Entretanto, vale avisar: quem conhece o Vietnã apenas por suas principais metrópoles está perdendo o fascinante interior do país. Ainda tem muito mais para se ver, dá só uma olhada:

MUI NE: Se a ideia de um deserto em pleno Sudeste Asiático não faz sentido para você, melhor repensar. Mui Ne, a 200 km de Ho Chi Minh, possui um vasto conjunto de dunas brancas e vermelhas para serem exploradas, além de “vales encantados” e praias! Tudo é bem perto e uma noite é o suficiente.

As dunas de Mui Ne, o deserto do Vietnã

DA LAT: Com clima ameno das montanhas e arquitetura francesa (com direito a uma réplica da Torre Eiffel!), Da Lat é uma agradável surpresa no Vietnã e merece pelo menos duas noites. Muitos casais em lua-de-mel visitam a cidade para aproveitar o “frio” de 20ºC, coisa rara nessa região do globo. Lagos com pedalinhos, teleféricos e uma feirinha noturna dão ainda mais romantismo ao lugar.

Da Lat: Um pedacinho da França no Vietnã

NHA TRANG: O balneário mais famoso do Vietnã não deixa nada a desejar para as praias mais famosas do Sudeste Asiático. Além da paisagem paradisíaca, há também um belo calçadão e hotéis e resorts a preços convidativos. Separe pelo menos duas noites para relaxar na cidade.

Nha Trang: praia com areia branca e mar azul cristalino no Vietnã

HUE: Cidade histórica, é repleta de templos e palácios do período imperial. É interessante para quem gosta de História e uma noite é o suficiente. Devido à sua localização central, pode também ser um ponto de parada para quem segue para Da Nang, em uma dos trechos mais cênicos da ferrovia do Vietnã.

Hue: Cidade histórica do tempo do Império

DA NANG: Terceira maior cidade do Vietnã, Da Nang é bem mais tranquila do que Hanói e Ho Chi Minh e pode ser um excelente lugar de descanso, especialmente para quem visita suas praias. Duas noites são o suficiente, de acordo com seus planos de viagem.

Da Nang: Cidade grande com praia

HOI AN: Sem dúvidas a cidade mais charmosa do Vietnã, com um centro histórico bem preservado, elevado à posição de Patrimônio Mundial pela UNESCO. Além das centenas de alfaiatarias que produzem ternos de qualidade mundialmente reconhecida, a cidade também oferece à noite uma iluminação romântica, perfeita para jantares nos restaurantes à beira-rio. Separe pelo menos duas noites e não estranhe se quiser ficar mais!

Hoi An: Amor à primeira vista

PHU QUOC: No extremo sul do Vietnã, Phu Quoc é uma ilha banhada pelo Golfo da Tailândia e com uma beleza que rivaliza com o país vizinho. O governo incentiva a visitação isentando os turistas de visto – desde que você não vá para outro lugar no país. Quem gosta da sensação de exclusividade deve separar pelo menos 3 dias para curtir a ilha e até mesmo fazer cursos de mergulho!

Phu Quoc: Ilha no Vietnã com jeitinho de Tailândia

Melhor época para viajar para o Vietnã

O Vietnã tem um clima regido pelo sistema de monções, que afeta todo o Sudeste Asiático. Devido à sua longa extensão, pode-se esperar que o país tenha diferentes climas de acordo com a região.

>> Saiba mais sobre as monções asiáticas

Nas regiões Norte e Sul do Vietnã, o período chuvoso vai de maio a outubro. Aliás, o período seco, que vai de novembro a abril, coincide com a melhor época para visitar a Tailândia.

Já na região central o clima é totalmente diferente: as chuvas de monções começam no final de agosto e vão até o fim do ano.

Quanto se gasta em uma viagem para o Vietnã?

A exemplo de outros destinos no Sudeste Asiático, o Vietnã é um país com custos bem acessíveis ao turista. No entanto, prepare a carteira para o grande volume de notas, já que U$1 compram aproximadamente 22.000 dongs, a moeda local, disponível em notas de 500, 1.000, 2.000, 5.000, 10.000, 20.000, 50.000, 100.000, 200.000 e 500.000!

Hospedagem: Se hospedar no Vietnã é muito barato. Nas maiores cidades, a partir de U$15 por noite é possível reservar um quarto simples e aconchegante nas guesthouses locais. De U$15 a U$50 suas expectativas podem aumentar ainda mais, já que os hotéis no Vietnã são conhecidos pelo seu excelente custo x benefício. Para quem se dispõe a gastar mais do que isso, poderá encontrar até mesmo resorts à disposição.

>> Saiba onde ficar em Hanói

Alimentação: Espere gastar em torno de U$2 a U$10 com refeições fartas e deliciosas nos restaurantes locais. Se a culinária vietnamita não agradar, redes de fast food estão presentes nas principais cidades, a preços igualmente baratos.

Cao lầu, prato típico somente encontrado em Hoi An

Transporte: O transporte aéreo é o meio mais prático de se locomover pelo Vietnã. A maior parte das cidades turísticas possuem aeroporto e companhias low cost como a VietJet e Vietnam Airlines possuem preços arrasadores.

Viajar de trem também é uma excelente opção, já que a malha ferroviária do país é bem extensa. Os vagões de segunda classe são excelentes, limpos e climatizados. O problema fica por conta da compra dos tickets, nem sempre confiável por agências ou sites. O ideal é comprar diretamente nas estações, o que dá certo trabalho – mas os trajetos cênicos compensam.

Ônibus é certamente a opção mais barata para atravessar o país. Agências como a TheSinhTourist vendem tickets com trechos em aberto a preços absurdamente baixos – é possível cruzar o país de uma ponta a outra a partir de U$50. O problema está nas condições desses ônibus, quase sempre lotados. Vale mencionar que o trânsito do Vietnã não é exatamente o mais organizado do mundo e as condições das estradas em alguns pontos estão longe de serem consideradas seguras.

Atrações: Com exceção dos cruzeiros por Halong Bay, que podem facilmente ultrapassar as centenas de dólares dependendo do nível do seu barco, todos os passeios e atividades no Vietnã costumam ser bem em conta. Os tickets para o War Remnants Museum, por exemplo, custam 15.000 dongs, algo em torno de U$0,60! O tour pelas dunas de Mui Ne não passa dos U$10, e passeios de dois dias pelo Delta do rio Mekong com transporte, almoço, guia e acomodação inclusos começam a partir dos U$50 – uma pechincha!

Dicas de viagem para o Vietnã

Segurança: O país é seguro, mas também é notório pelos golpes aplicados por taxistas e operadores de turismo mal-intencionados. Tome precauções básicas. Vale mencionar que a falta de fiscalização nas leis de propriedade intelectual gera uma situação no mínimo inusitada: pirataria de serviços. É comum encontrar hotéis e até agências de turismo com o mesmo nome, às vezes na mesma rua, disputando a atenção e confundindo o viajante. Certifique-se de anotar endereços e telefones e esteja atento para não cair em roubadas!

Trânsito: Semáforos existem, mas são meramente decorativos. Em um país com quase uma moto para cada habitante, espere por um trânsito caótico, tornando o simples ato de atravessar a rua um verdadeiro desafio. Na dúvida, atravesse com calma, sem correr – são as motos que desviam de você, não o contrário. Pedir ajuda aos locais sempre é bom.

Política: O Vietnã é uma República Socialista, mas nem parece. Os resquícios da guerra também são coisa do passado e a relação atual com os EUA é muito boa. No entanto, convém respeitar alguns conceitos locais. Para eles, nunca houve “Guerra do Vietnã”, mas sim “Guerra dos Estados Unidos”. Não espere por imparcialidade nos museus.

Povo: Os vietnamitas se destacam dos demais povos do Sudeste Asiático. Não são nem um pouco tímidos, falam alto, encostam, e são sempre muito simpáticos e solícitos. Aproveite para fazer amigos e conhecer mais sobre a cultura do Vietnã!


E você, já foi ao Vietnã? Deixe suas dicas!

Autor

Wendell Oliveira - Editor
  • Oliveira Jr.

    Oi Wendell, muito bom! E qual a melhor época para combinar Sapa com Hallong Bay, sem chuvas e frio demais? Obrigado, Junior.

    • Wendell Oliveira

      Durante a primavera (março e abril) e o outono (setembro e outubro) é a melhor época. Halong Bay na verdade pode ser visitada durante todo o ano, o que muda é a quantidade de nuvens no céu. Já Sapa dificilmente faz “frio de verdade”. Boa viagem!

      • Oliveira Jr.

        Valeu Wendell, obrigado!

  • Ernesto Lippmann

    Muito bom, gostei do seu guia, parabens! Faz parte da minha lista, ainda não fui…