Má notícia! Latam adia projeto de criação do novo hub no Nordeste!

Thayana Alvarenga 4 · julho · 2016

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

O projeto da Latam para a criação de um novo hub (centro de distribuição de voos) no Nordeste brasileiro está suspenso, pelo menos por enquanto. A confirmação foi dada por Claudia Sender, presidente da Latam Brasil, em entrevista ao jornal O Globo. Ela informou que os estudos continuam, porém até o final deste ano não haverá decisão.

“Mesmo com a crise, o Nordeste continua sendo a esquina do continente. Ele tem posição geográfica estratégica para ser o ponto de conexão entre América do Sul e Europa. Continua sendo um objetivo estratégico para a gente. Mas, dado o nível de demanda hoje, tem que ser levado com um pouco mais de cautela. O projeto está on hold (em suspenso). A gente vai continuar avaliando a demanda e a infraestrutura disponível. Este ano não sai decisão”, afirmou ela.

A escolha está entre as capitais Fortaleza, Recife e Natal. A cidade vencedora passará a receber 2 milhões de passageiros adicionais a partir de 2018 com expectativa de chegar a 3.2 milhões em 2038. Segundo o MD apurou, a disputa estava bastante acirrada, mas com leve favoritismo para Fortaleza – se de fato o aeroporto for concedido à iniciativa privada, como previsto.

Claudia Sender durante evento da Latam
Claudia Sender durante evento da Latam

Na entrevista, Sender também falou sobre o aumento do capital estrangeiro. Ela acredita que o setor precisa desta alternativa para “sair do coma” em que se encontra. “O capital estrangeiro ajuda que as empresas passem por ciclos econômicos mais críticos sem quebrar. Mas, se o Brasil continuar com a estrutura de custos que tem, com a complexidade jurídica que tem, com a estrutura trabalhista que tem, não existe empresa no mundo que invista a fundo perdido. (…) Para mim, é um pouco difícil de entender o porquê da resistência à abertura do capital ao estrangeiro”, ressaltou.

Outro assunto abordado foram as propostas de alteração nos direitos dos passageiros, como a franquia de bagagens. A Anac estuda mudar algumas regras do setor, como reduzir ou acabar com a franquia nos voos domésticos, atualmente em 23kg, e internacionais, de 32kg. “O Brasil é o um entre quatro países no mundo que não permite a cobrança da primeira bagagem. Está ao lado de países como Bolívia e Venezuela, que não têm uma indústria de aviação desenvolvida como a brasileira”, resumiu Sender.

A presidente comentou também a queda do número de passageiros nas rotas entre Brasil e Estados Unidos, que levou ao corte de 35% dos voos da Latam. “A demanda pelos voos Brasil-EUA caiu 50% nos últimos dois anos. O brasileiro usava os Estados Unidos como um destino de compras. E aí, quando já não é tão interessante fazer o enxoval em Miami ou fazer compras nos outlets… Os outlets de Miami e de Nova York entraram numa grande crise com a desvalorização do real”.

Confira a entrevista completa aqui.

Autor

Thayana Alvarenga - Repórter