Azul vai oferecer ração para animais de estimação de passageiros no check-in

Denis Carvalho 15 · setembro · 2016

A Azul distribuirá mais de cinco mil sachês de alimento para passageiros que voarem com seus animais de estimação. As rações, das marcas Pedigree e Whiskas, serão entregues no check-in que que embarcarem com seus cães ou gatos em 14 aeroportos nacionais atendidos pela companhia. A ação, que faz parte da estratégia de divulgação do filme ‘Pets – A Vida Secreta dos Bichos’, estreia hoje e ocorre por tempo indeterminado.

Os terminais que participam são: São Paulo (Viracopos e Guarulhos), Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro (Santos Dumont), Curitiba, Manaus, Cuiabá, Goiânia, Salvador, Recife, Vitória, Belém e Porto Velho.

Os aeroportos foram escolhidos com base no histórico de transporte de animais domésticos nos últimos seis meses – mais de 5,5 mil cães ou gatos estiveram a bordo da companhia em voos que decolaram das 14 bases, sempre de acordo com as regras de transporte de animais. As amostras de sachês serão entregues aos clientes que se apresentarem no check-in com seu cão ou gato.

“Os animais domésticos de nossos clientes passarão a ter um tratamento ainda mais especial a bordo. Esta ação fortalece nossa proximidade com os consumidores, sobretudo aqueles que gostam de viajar junto de seu cãozinho ou gatinho. Agora, os voos são ainda mais confortáveis também para os bichinhos”, comenta Claudia Fernandes, diretora de Marketing e Comunicação da Azul.

Regras para transporte de animais em voos domésticos

Um dos pontos mais importantes é o peso do animal e do contêiner, que não podem exceder 5 kg. Os animais precisam ter mais de quatro meses para viajar e ficar acomodados dentro do contêiner, entre os pés de seu dono. São permitidos no máximo três pets a bordo e o cliente pode levar apenas um por voo. A taxa de serviço cobrada é de R$ 200.

A Azul pede a seus clientes que sempre levem o comprovante de vacinação antirrábica e o atestado de saúde do animal emitido por um médico veterinário, com validade de até dez dias da data da emissão. Nos voos internacionais, o transporte de animais ainda não é permitido.

A caixa de transporte deve ser um contêiner rígido (fibra ou plástico) ou mala flexível (com hastes internas de metal para reforçar a estrutura – ambos devem ter pisos absorventes de fezes e urina). Dimensões: máximo 43 cm de comprimento, 31,5 cm de largura e 20 cm de altura.

Os documentos exigidos são: comprovante da vacinação antirrábica com o nome do laboratório produtor, tipo da vacina e o número da partida/ampola utilizada. A vacina precisa ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos de um ano do embarque. Também é necessário atestado de saúde do animal emitido por médico veterinário com validade de dez dias da data de emissão. Para viagens com destino a Fernando de Noronha, além da documentação é necessária a autorização de entrada de animais na ilha, expedida pela Secretaria de Meio Ambiente e Turismo de Fernando de Noronha.

Saiba mais sobre como levar seu animal de estimação em viagens de avião

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Amon Parnaíba

    5kg para cães limita muito. Tenho viajado só de Latam e Gol por conta disso: meu Pet tem 6kg.

  • Natalia de Assis

    Dar sachê isso é pensar no conforto do pet??? Acho que não né!! Vc paga 200 reais por trecho sendo que os animais tem que ficar em baixo do assento.. nem no banco pode ficar. Ficam que nem mala no chão. Eu viajo sempre com meu gato, ele fica muito quietinho, as pessoas nem percebem que estou com ele… pq ele não tem privilégio nenhum! Nem um potinho pra água, nada! Se eu pudesse comprar um assento pra ele ficar ao meu lado, isso sim seria conforto! Absurdo pagar 200 reais ou mais dependendo da cia para eles serem tratados pior q mala, pq mala vc tem um compartimento só pra elas, pros animais nem isso tem!!

    • Marcelo

      A não ser que as companias comecem a distribuir antialérgico antes dos vôos, eu que não ia querer ficar num assento onde um gato esteve horas antes rsrs

  • Kelly Magalhães

    As cias aéreas reclamam da baixa taxa de ocupação dos vôos, algumas alegam crise, mas simplesmente IGNORAM a oportunidade de negócios existente com a demanda altíssima (e crescente) de transporte de pets na cabine junto com seus tutores. Meu cachorro é um lhasa apso de 8kg e ele teria viajado comigo uma dezena de vezes se fosse permitido. Assim como eu, muitas pessoas pagariam o preço de uma passagem inteira para poder levar seu cachorro ou gato que pesa mais de 5 kg, em vez de despacha-los no compartimento de CARGA, como manda a regra atual, a qual jamais vai servir no meu caso. No caso de cães, pouquíssimas raças possuem peso abaixo de 5kg (incluindo o conteiner), então limita muito o público-alvo. Acredito que antes de fazerem ações de MKT como essa deveriam criar políticas mais tolerantes e justas de transporte de animais de estimação!

  • Gabriel

    A azul chegou atrasada. Atualmente, a LATAM e a GOL já dispõem de ração. Só que essas servem para os passageiros.

  • Edu Thepoint

    Mas como eles iriam caber em baixo do banco da frente, esse peso e medidas do kenel são calculados para isso, eu sei que é ruim essa medidas, mas só seria possível se mudasse as normas da aviação para poder levar no banco do lado ou algo parecido.

  • Ricardo

    Não acho, como muitos dos comentaristas, que as cias aéreas ignorem a oportunidade de negócios de levar pets a bordo. E sim, elas avaliam e muito o risco de perder clientes levando cães e gatos a bordo, por isso só permitem os de tamanho pequeno.
    Com todo o respeito, animais de estimação são como um peido, pois só aguentamos os próprios! Pessoalmente, eu não viajaria em uma empresa aérea que permita um zoológico nos ares.
    Animais de estimação não deveriam viajar nunca, só em casos extremos de mudança da familia, e mesmo assim, dopados e no porão.
    Assina um feliz dono de um gato e de um cachorro.