Dicas e regras para o transporte de animais de estimação em voos

Leonardo Cassol
Leonardo Cassol
27/07/2015 às 10:05 - atualizado em 11/09/2019

Dicas e regras para o transporte de animais de estimação em voos

Um dilema comum às famílias que possuem animais de estimação é o que fazer com eles durante uma viagem de férias, ou quando é necessária uma mudança de cidade? As três principais companhias aéreas brasileiras decidiram investir nesse mercado, oferecendo transporte de cães e gatos na cabine de passageiros, ou no compartimento de cargas das aeronaves. A seguir você conhece dicas, regras e procedimentos para poder voar com o seu pet em sua próxima viagem! (Atualizado em agosto de 2019)

Voar com o um pet não é uma tarefa simples. Mas atualmente, é plenamente viável. Requer um pouco de planejamento, adaptação do animal e o cumprimento de algumas exigências das companhias aéreas, além, é claro, do pagamento de taxas.

É importante avaliar as condições do animal antes de decidir leva-lo na viagem e consultar um veterinário. Por mais calmo que seja o seu cão ou seu gato, ou por mais bem acomodado que eles estejam durante a viagem, voar será sempre um fator de estresse. Um sugestão inicial é programar voos diretos e trajetos curtos, na medida do possível. Isso diminui a ansiedade dos bichanos e de seus donos, bem como a chance de desidratação, um dos riscos de saúde que os animais correm durante uma viagem de avião.

Passo a passo para a viagem de avião com o seu animal de estimação

Informe-se das regras de transporte de animais da companhia aérea antes de comprar a passagem. Algumas empresas que não permitem o transporte de animais na cabine e tem restrições para o transporte no porão;

Verifique a documentação de vacinação do seu animal. É necessário apresentar o certificado de vacinação antirrábica (para animais com mais de 3 meses de idade), aplicada entre 30 dias até 1 ano antes da data do embarque. Caso a vacina esteja vencida ou não seja possível comprovar a vacinação (como acontece em campanhas públicas), é necessário reaplica-la pelo menos 30 dias antes do voo.

Procure a bolsa ou caixa de transporte mais adequada em petshops ou lojas especializadas. A caixa de transporte precisa ser resistente, bem ventilada e com tamanho adequado ao animal. Leve as especificações da companhia aérea para medir e comparar as dimensões na loja. Lembre-se que o animal precisa de espaço para se movimentar e que vai ficar naquele espaço durante toda a viagem.

caixa-transporte-cachorro-aviao

Uns 15 dias antes da viagem inicie a adaptação do animal a bolsa ou caixa de transporte. É uma etapa muito importante. Alguns procedimentos sugeridos nos sites das companhias aéreas podem ajudar muito nesse processo:

  • Torne a caixa de transporte um local familiar para o animal. Deixe-a sempre aberta, acessível e o tempo todo disponível em um local da casa onde o animal costuma ficar;
  • Faça dela um local de experiências agradáveis, oferecendo petiscos dentro dela, ossos para roer e brinquedos;
  • Diariamente, ofereça ao menos uma das refeições de seu animal na caixa de transporte e, à medida em que ele se mostre confortável enquanto come lá dentro, feche a portinha. Abra quando o animal terminar. Gradativamente, aumente o tempo em que ele permanece dentro da caixa, mesmo já tendo finalizado a refeição supervisionando o processo;
  • Uma vez acostumado com o esquema de alimentação dentro da caixa de transporte, comece a colocar o animal dentro dela em outros momentos, preferencialmente quando estiver tranquilo. Procure manter-se afastado, para que o animal vá também se acostumando com a sua ausência enquanto confinado.

Cerca uma semana antes do voo procure um veterinário e peça o atestado de saúde para viagens aéreas para o seu animal. Cada companhia tem sua regra, mas atestados emitidos no máximo 10 antes da data do voo são aceitos por todas as empresas nacionais. É também uma boa oportunidade para avaliar as condições de saúde do animal antes da viagem.

Calmantes não são recomendados em viagens de avião, pois podem provocar efeitos colaterais, tais como sedação excessiva, relaxamento muscular ou até excitação e ansiedade paradoxal. Só utilize se for expressamente recomendado pelo veterinário.

Na véspera da viagem, recomenda-se dar banho e aparar as unhas do animal. Ofereça alimentos leves no dia da viagem. A última refeição deve ocorrer 2-3 horas antes do embarque, para evitar enjoos. Água pode e deve ser oferecida à vontade, inclusive no aeroporto, logo antes do embarque.

Caso o animal vá no porão, identifique-o e identifique também a caixa de transporte. Utilize um tapete higiênico para forrá-la e deixe uma pequena peça/pedaço de roupa com ele dentro da caixa.

Leve a coleira e passeie com seu cão um pouco antes do voo. Incentive ele a urinar/defecar. Dê água.

Evite embarcar com muita antecipação, a menos que o animal não se mostre tranquilo no ambiente do aeroporto. Brinque e ofereça carinho a ele. Vai ajudá-lo a relaxar.

No porão, as caixas de transporte são mantidas presas no chão por cordas e cintos. O local tem a mesma pressurização da cabine e é iluminado. Se o animal estiver viajando na cabine, ele deverá ser colocado abaixo do assento e deve permanecer dentro da caixa durante toda a viagem.

No desembarque, caso tenha viajado no compartimento de carga, o animal será retirado do avião e colocado na área de retirada das bagagens. Ele não será colocado na esteira.

A seguir você conhece em maiores detalhes os procedimentos para voar com o seu pet nas três maiores companhias aéreas brasileiras.

Voando com animais de estimação na GOL

Na cabine de passageiros

A taxa cobrada é de R$ 250 em voos nacionais (por trecho e por animal) e R$ 600 em voos internacionais (valores de agosto de 2019).

Podem ser transportados na cabine de passageiros cães e gatos a partir dos quatro meses de idade e com peso máximo de 10 kg, incluindo a caixa de transporte (kennel). Podem ser transportados a bordo das aeronaves em todos os voos domésticos e internacionais operados pela GOL.

Podem ser usados dois tipos de caixas de transporte, que devem ser resistentes a vazamentos:

  • Kennel rígido: altura: 22 cm, largura: 32 cm e profundidade: 43 cm
  • Kennel flexível: altura: 24 cm, largura: 32 cm e profundidade: 43 cm

Kennel de tecido permeável, madeira ou palha não serão aceitos.

O Kennel precisa ter espaço suficiente para o animal se mover, mudar de posição, dar a volta em torno de si, tombar para o lado, de forma que fique confortável. Além disso, o kennel deve ter abertura para circulação de ar.

O pet deverá permanecer dentro da caixa de transporte na sala de embarque, durante o voo, na sala de desembarque, ou no GOL Premium Lounge. O pet deverá ser transportado obrigatoriamente nos assentos localizados nas janelas, com exceção das saídas de emergência.

Cada passageiro poderá levar até 1(um) animal ou 1 criança. Apenas adultos (a partir de 12 anos completos) podem transportar animais.

Não é possível comprar um assento exclusivo para acomodar o PET..

Em caso de No-show (não comparecimento ao embarque), cancelamento do voo ou não utilização do serviço, o passageiro poderá solicitar o reembolso do valor pago pelo serviço.

Cão-guia pode ser transportado sem custos adicionais.

O PET na cabine não é aceito em voos de cias parceiras.

O check-in online não é permitido para passageiros com PET e deve ser feito com 2h de antecedência para voos nacionais e 3h de antecedência para voos internacionais.

O pet deverá estar com toda a documentação necessária dentro da validade.

Documentação necessária em voos nacionais

Documentação necessária em voos internacionais

Para mais informações, clique aqui.

No porão

Caso seu bichinho de estimação ultrapasse as dimensões ou peso máximo para viajar na cabine não se preocupe, ele voa com você, apenas em outro ambiente.
Até 30 kg – no porão dianteiro da aeronave, que possui a mesma pressurização e temperatura da cabine de passageiros.

Para levar o seu animal de estimação no compartimento de cargas, é necessário entrar em contato com a GOL pelo 0300 101 2001. Esse passo não pode ser pulado, pois garante a reserva para a data e o horário desejado. A solicitação do serviço deve ser feita com antecedência e há um limite de pets por voo, de acordo com o tipo de serviço em que seu bichinho se enquadra.

Os animais com peso entre 10kg e 30kg devem ser transportados nos porões das aeronaves, onde eles são acomodados em um compartimento específico para transporte de animais.

Nas situações em que o dono não irá viajar, o transporte do animal será realizado pela GOLLOG. Nesse caso, o animal deve ter mais de 10 kg e ele será transportado, obrigatório, no porão de carga da aeronave.

Para o transporte como carga é cobrada uma taxa no valor de R$ 650 em voos nacionais e R$ 800 em voos internacionais, por trecho e por animal.

Atenção:

  • Não é permitido o transporte de animais que, com a caixa de transporte (kennel), pesem mais de 30 kg. Também não é permitido o transporte de outros animais, que não cães e gatos. Nesses casos, a GOLLOG, o serviço de cargas da GOL, deve ser consultada sobre a possibilidade de transporte. Acesse aqui para mais informações.
  • A GOL não transporta, no compartimento de cargas, cães e gatos de focinho curto, por conta das características de seu sistema respiratório. Confira e ateste com o médico veterinário de sua confiança se o animal não se enquadra nessa condição, garantindo o conforto e a segurança no transporte.
  • Raças de cães não permitidas como carga: Boston terrier, Boxer, Buldogue americano, Buldogue francês, Buldogue inglês, American bully, Cavalier King Charles spaniel, Chow-chow, Dogue de Bordeaux, Griffon de Bruxelas, Lhasa apso, Pug, Pug chinês, Pug holandês, Pequinês, Shih-tzu etc.

Saiba mais sobre as regras de embarque de pets como carga na GOL clicando aqui.

Voando com animais de estimação na Latam

Na cabine de passageiros

O serviço de transporte de animais de estimação da Latam permite que você viaje na maioria das rotas da empresa com seu cachorro ou gato, tanto na cabine, com você, quanto no bagageiro do avião. Para isso, o animal deve estar em bom estado de saúde, ter comportamento dócil e pelo menos 8 semanas de vida, com exceção de rotas para os Estados Unidos, nas quais deve ter ao menos 4 meses. Os animais não poderão estar sedados no momento da viagem.

O custo em voos nacionais é de R$ 200 por trecho e por animal.

Para levar o seu animal de estimação com você na cabine Economy, ele deverá viajar dentro de uma caixa de transporte rígida ou flexível que deve atender aos seguintes requisitos:

  • O peso total, da caixa com o animal, deve ser de até 7 kg (15 libras);
  • As dimensões máximas da caixa de transporte devem ser 19 cm x 36 cm x 33 cm (altura, comprimento, largura), para o caso de que seja rígida, ou 23 cm x 36 cm x 33 cm (altura, comprimento, largura), para caixas flexíveis;
  • A caixa não pode ter rodas e deve poder caber sob o assento dianteiro. Por razões de segurança, não é permitido viajar com um animal de estimação na primeira fila ou junto a saídas de emergência;
  • A caixa deve ter uma trava que garanta que o animal não saia durante o voo;
  • A caixa deve ser feita de material resistente e deve ter uma base impermeável e absorvente, além de ventilação adequada;
  • O seu animal de estimação deve ter espaço suficiente para ficar em pé, mover-se e girar dentro da caixa.

É possível pedir o serviço no momento da reserva, ou até 24 horas antes da saída do voo nas lojas Latam no aeroporto, ou pela central (11) 4002-5700 ou 0300-5705700.

Para viajar com o seu animal de estimação na cabine, é obrigatório apresentar um atestado emitido por um médico veterinário até 10 dias antes do seu voo. O documento deve atestar que o cachorro ou gato está saudável para realizar a viagem. Em algumas rotas, você deve apresentar documentação adicional.

Em voos dentro do Brasil, é necessário também apresentar um atestado de vacinação antirrábica, recomendada para filhotes com mais de 90 dias de vida. Após a aplicação da 1ª dose, deve-se aguardar 30 dias para o embarque. Se esse período não estiver completo ou se a vacina estiver fora do período de validade, o embarque será negado.

Saiba mais sobre as regras de embarque para pets na Latam clicando aqui.

No porão

Se o animal de estimação exceder o tamanho ou o peso máximo permitidos para viajar na cabine, ele poderá ser transportado com conforto e segurança no bagageiro do avião. O animal deverá ser levado em uma caixa de transporte que atenda aos seguintes requisitos:

  • A caixa deve ter até 115 cm de altura e 300 cm linerares (soma de altura, largura e comprimento);
  • A caixa não pode ter rodas e deve ser feita de material resistente e deve ter uma base impermeável e absorvente, além de ventilação adequada e recipiente adequado para que o animal possa beber água durante o voo sem derramar;
  • O animal deve ter espaço suficiente, dentro da caixa, para poder se mover e girar;
  • A caixa deve ter porta metálica com trava dupla e não deve permitir que o animal exponha as patas ou o focinho.
  • Para garantir a segurança e a integridade do seu animal, algumas raças de cachorros e de gatos não podem ser transportados no bagageiro. Essas raças poderão viajar na cabine, desde que atendam aos requisitos desse tipo de transporte.

Custo para transporte no porão – voos Latam

 

Voando com animais de estimação na Azul

A Azul aceita apenas cães e gatos transportados na cabine de passageiros apenas em voos nacionais. Não é permitido o transporte no porão. A empresa limita o transporte de 3 animais por voo sendo 1 por passageiro e por embalagem, desde que tenham mais de 4 meses de idade. O peso total (animal + container) deve ser de, no máximo, 5 kg. O animal deverá estar limpo, saudável e sem odor desagradável.

O animal deve ser acomodado em um pet contêiner, que deve atender as seguintes especificações: Altura = 20 cm; Largura = 31,5 cm; Comprimento = 43 cm.

A taxa cobrada é de R$ 250 em voos nacionais (valor de agosto de 2019).

Saiba mais sobre as regras de embarque para pets na Azul aqui.

—-

E se o voo atrasar? O horário de decolagem do voo é checado no momento do check-in. Em caso de voos com conexão em atraso, os funcionários da empresa são orientados a fornecer ao animal água e comida, se necessário.

E você, já voou ou pretende voar com o seu animal de estimação? Como foi sua experiência? Compartilhe nos comentários.

Também temos o conteúdo desse post em vídeo. Se preferir assista abaixo:

101 Comentários

  • Roberta says:

    Excelente post! Já voei com meu cachorro e as regras são realmente bem diferentes entre as cias. O mais importante é lembrar que tem que chegar beeem mais cedo porque tem vários formulários a preencher. Mas tudo dá certo, os funcionários costumam ser muito simpáticos e ajudar bastante, afinal todo mundo adora um bicho fofinho!

  • Franco says:

    Olá, alguém sabe se o peso do animal obedece o maior voo em caso de conexões ? Por exemplo a Tam aceita apenas até 7kg na Cabine, porém na Air Canadá o limite é 10kg. Se eu fizer um trecho doméstico Tam antes do Internacional, vale a regra da Air Canadá ou da Tam ?

    • Franco, recomendamos consultar as empresas aéreas formalmente. Geralmente se aplica a regra mais restritiva, mas, nesse caso, pode ser diferente.

      • Franco says:

        Valeu Leonardo, eu liguei na Tam e eles me informaram que é exatamente como a bagagem e vale o estipulado pelo maior voo. O problema é que eles não mandam isso por escrito escrito/email e não achei a confirmação desta informação em nenhuma parte do site deles.

        • Monica Tulsi says:

          Franco, a informação que eu tenho ( por experiencia pela Turkish) é que se vc comprou juntas (domestica e internacional) o que vale é a maior, caso vc tenha comprado por trecho…ai uma acaba não tendo nada haver uma com a outra…mas isso logico pode mudar de cia para cia….

        • Leonardo Faria says:

          Mas e quanto ao tamanho das caixas? O tamanho das caixas permitidas pela Gol/Tam é bem menor do que da Air Canada =/

  • Hermann HTG says:

    Como sugestão, e devido a grande procura, que tal um novo artigo sobre o transporte de animais na rota BR-EUA (nas companhias americanas)? Pelo que eu pesquisei, apenas AA e UA transportam. A primeira somente no porão, a segunda somente na cabine. Como carga a United é uma das mais “renomadas” internacionalmente, tendo um departamento exclusivo para cuidar dos pets.

    Eu transportei meus cachorros como carga para os EUA, devido a restrições de peso X tamanho, e ainda assim fui obrigado a viajar até um dos pontos de alfândega da UA (IAD, IAH ou EWR) para retirá-los, pois os voos internos eram todos feitos com equipamentos com limitação de tamanho onde somente a caixa tamanho “kennel 500” era permitida.

    • Andre S says:

      A Delta também permite, pois mês passado em um voo GIG x ATL vi uma brasileira embarcar com seu cachorro em mãos.

    • Lorena Monteiro says:

      A TAM também transporta para os EUA, mas tem restrição de peso e dimensões, procure confirmar no atendimento essas restrições antes de embarcar, mas com certeza pode sim!

  • HAPRI says:

    Muito bom esse post. Eu não tenho pet, mas eu entendo as dificuldades de quem trabalha na área da carga. É muita responsabilidade. Uma vez o gato esta numa gaoila não muito fechada e ele conseguiu abrir e fugiu assim que o porão dianteiro do avião foi aberto. Que sufoco. 20 funcionários correram no pátio para recuperar o gato. Em outra um pitbull destruiu a gaiola e também o porão do avião, nesse caso foi cobrado do passageiro o prejuízo. Coisa acima de seis mil reais. Então pessoal , cuide do seu pet conforme as recomendações, pois o choro de uma pessoa apegada ao animal não é fácil pra contornar.

  • renata maia says:

    Excelente tópico! Parabéns pela iniciativa! Já precisei transportar um cão filhote que poderia ter ido comigo na cabine tranquilamente mas por falta de preparo da companhia e de conhecimento meu das regras vigentes, tive que despachá-lo no compartimento de cargas (ô dó!).

  • Cleiton STk says:

    mais uma coisa pra encher o saco no avião……..
    miimimimimi mmiii ….

  • Fernando says:

    Se houver despressurização da cabine, haverá também do porão? E, nesse caso, como ficaria a situação do pet?

    • Hermann HTG says:

      O que acontece normalmente: durante a preparação do voo, a tripulação da cabine recebe a documentação do que está sendo embarcado no porão – também chamado de “load balance”, que é um documento técnico do carregamento do avião. Nesse documento há também a informação se há apenas carga ou também carga viva (animais).
      A tripulação fará o possível para manter o bem estar do animal durante todo o voo mas, caso necessário, ele irá seguir os procedimentos de emergência adequados para a situação.
      Só lembrando (para acalmá-lo também) que os casos de despressurização são raros, muito raros.

  • diana says:

    Melhores destinos, entre no site do ministerio da agricultura e completem a informacoes com a parte internacional. http://Www.agricultura.gov.br, no banner como viajar com seu cao ou gato.

  • Kyrodes says:

    Alguma companhia transporta outros animais como coelhos, hamsters, pássaros ou lagartos?

  • Feliciano Martins says:

    Excelente matéria! Já levamos nossa cadelinha numa viagem e deu tudo certo!
    Apenas um ponto que é importante lembrar é que essa tarifa cheia que fala no post é a tarifa mais cara do voo em questão, ou seja a tarifa top. Por isso que é bastante caro o transporte do animal no porão do avião.
    Valeu MD!

  • Maria says:

    Se meu vôo tem escalas pago só uma vez ou seria calculado para cada trecho?

  • Edu Thepoint says:

    Já fiz várias viagens com minha cachorra dentro do Brasil, nunca tive problema, só você pesquisar e seguir as regras exigidas pelas empresas que vc nunca vai ter problema, o grande problema é sempre o mesmo, os Brasileiros sempre querem dar um jeitinho, comprar kennel maior, comprar kennel mais pesado, chegar em cima da hora, não fazer reserva antecipada, assim que já compro a passagem no mesmo dia faço a reserva, pq se já tiver outras reservas, eu ainda tenho tempo de 24 horas para cancelar a compra da passagem em problema algum, na verdade antes de comprar eu ligo na empresa para saber se já existe alguma reserva, respeitar as regras de documentos os animais e pronto, não tem segredo.
    Eu só viajo na cabine, pq a minha é bem pequena, então já é uma garantia de não ter maus tratos, no porão existe inúmeros caos de maus tratos e eu não arriscaria minha cachorra no porão.

    • Susiane Lima says:

      to querendo viajar de pernambuco para SP – e to com medo de levar minha cachorra na cabine e ela fazer muita zuada e me fazer passar vergonha – Obs – vou com uma criança tb de 3 anos. alguem pode me dar algguma diga?

  • Guilherme says:

    Alguém sabe quais os procedimentos para um voo para a Itália? Vou morar lá e gostaria de alguma informação para transportar meu cachorro!
    Grato.

  • Ernesto Lippmann says:

    Tambem gostei, cada vez mais os pets fazem parte da familia, pena que os hoteis tenham tantas restrições, assim como os onibus urbanos e os metros brasileiros( no exterior é bem comum levar cachorro ou gato em trem, ou metro)

  • Cyssa Monteiro says:

    Eu e minha cachorrinha viajamos várias vezes com a cia Avianca e nunca tivemos nenhum contratempo. O embarque era preferencial, sempre fomos muito bem tratadas, sem burocracia. Não tinha uma taxa fixa; o valor era calculado de acordo com o peso dela e sempre era bem acessível….

  • Daniel Henrique says:

    Eu tenho um Bulldog Francês, que é um braquicefalico, portanto ele não pode voar no porão (nenhuma empresa do Brasil aceita) e por ter mais de 120kg, tem 13kg na verdade, nenhuma empresa aceita na cabine… Resultado… Meu cachorro não pode voar no Brasil… Pelo menos que eu saiba. Tanto é que no ano passado cancelei uma passagem minha e viajei de carro pra levar ele. Foi extremamente tranquilo!!! Ele foi dormindo 90% do tempo e por ser uma raça que não costuma latir ele não incomodou nada!
    Não seria interessante as empresas verem alguma alternativa para esses casos??? Até sugeriria permitir a compra de assento pra levar cachorro, ou seja, a compra de passagem cheia mesmo e aumentar um pouco esses limites de peso e tamanho do kennel. Algo para até uns 25kg dentro de um kennel específico, assim todos sairiam ganhando.

    • Ana Lucia says:

      Daniel tenho um Bulldog Inglês e também tenho essa dificuldade – braquicefalico e peso. Não consigo passagem em nenhuma companhia, nem para voos nacionais nem internacionais. A única pessoa que consegue voar é o Louis Hamilton, ele voa com seus dois Bulldogs na primeira classe, junto com ele ( Fiquei com inveja rsrsrsrsr). Seria a hora das companhias disponibilizarem algum setor no avião para pessoas que como nós não tem opções. Acredito que tem muita gente disposta a pagar pelo conforto desse membro da família.

      • Guilherme Morais says:

        Estou com o mesmo problema. Estou de mudança de BH para Manaus, e tenho uma bulldog inglês de 19kg. Estou sem saber como faço para levá-la, porque de carro não existe a possibilidade! Não tem estrada pra lá!

        • Guilherme Morais says:

          Só para informação, consegui despachar minha bulldog de BH para Manaus pela Tam Cargo. Única que aceita envio de cães braquicéfalos. Minha cachorra pesa 21 kg, e paguei mais de R$1.200 pelo envio

  • Bruna says:

    Pessoal uma dúvida… Meu cachorro costuma dar um pouco de trabalho quando viaja em baixo do assento da poltrona… Será que é possível a compra de uma poltrona para a caixa de transporte?

    • Bruna, nos Estados Unidos sim, mas no Brasil desconheço essa prática. Seria interessante consultar as Cias Aéreas. Entendo bem o que você está falando. É muito difícil mantê-los calmos embaixo dos assentos…

  • Lorena Monteiro says:

    Post super necessário. Tive que voar com minha maltês e em cada companhia que perguntava as regras eram diferentes. Acabamos voando com a TAM, por ser mais flexível no desembaraço do processo (mais fácil) embora não seja a mais barata. Vale lembrar que se você é beneficiário da companhia GOL as regras não se aplicam, ou seja, se você voa de benefício você não pode transportar animais, pelo menos temporariamente, foi o que me informaram em um voo que fiz em junho. Espero que isso mude logo. As dicas de tratamento pré-voo com os animais são realmente ótimas e funcionam. O voo é estressante demais, minha maltês ficou arranhando o tapete e a tela o tempo todo e olha que o voo só era de 50min. Depois que segui essas dicas ela melhorou muito. Parabéns MD!

  • Lorena Monteiro says:

    A Air Italia transporta animais no porão. Minha amiga que é de lá e veio morar aqui trouxe uma Labrador de 21Kg e deu tudo certinho. Como disse o Edu é só seguir as recomendações e dar todas as vacinas direitinho e comprová-las. O resto é só dar muito amor pra o seu pet!

  • Aline says:

    Eu tenho uma dúvida com relação a braquicefálicos maiores que os permitidos para voar na cabine. Em caso de mudança de Estado/País, como levar um shihtzu que não cabe na bolsa estipulada pelas companhias e nem pode ir no porão?

    • Aline, eu já levei um shitzu pesado na cabine, sem maiores problemas. Tinha o atestado do veterinário e a TAM permitiu uma bolsa flexível maior que a indicada no site. A caixa rígida eles não permitem fora das especificações. Seria interessante ir ao aeroporto com a bolsa para avaliar com a empresa que você deseja voar essa possibilidade.

      • Lilian Hana says:

        Leonardo, estou aqui quase infartando para levar a minha pequena comigo a bordo mas ultrapassa um pouco as medidas indicadas. Infelizmente para o Perú só tem a TAM (LATAM agora) e a Avianca não transporta carga viva além de 3 hrs de voo, sendo que Lima leva 5 hrs de voo, então morremos com a Tam…qual o tamanho da sua bolsa que a Tam deixou a sua embarcar? obrigada

        • Camila De Figueiredo Argus says:

          Lilian como foi a sua ida para o Peru com sua pet. Estou indo agora em fevereiro e é a primeira vez que viajo com pet.

          • Lilian Hana says:

            Oi Camila, ainda não fomos. Vamos agora em maio de mudança. Não encontrávamos uma bolsa flexivel para por a nossa pequena, medidas ruins e inflexivéis. Mandamos fazer em uma ONG Amigos do pêlo (Dona Lourdes) aqui em SP mesmo que saiu nas medidas que queríamos e ficou com espacinho a mais pra ela =)

            Olha, minha cachorra é uma fox paulistinha de 6.400 kg + 1.300 kg da bolsa = 7.700kg. Então só vai poder voar com a Avianca que aceita 8kg, pois LATAM só aceita 7kg.

            Meu marido já foi com a bolsa vazia para o Perú e perguntou na hora do check in do Brasil (ida) e Perú (volta), ambas disseram que a bolsa está ok, e que o cachorro deve estar confortável e dar 1 voltinha dentro. Dentro do avião ela entrou perfeitamente em ambos os lados.

            Lóoooogico ela não fica de pé, mas dá várias voltinhas querendo ver tudo em volta…rsrsrs…mas em todos os blogs em que você procurar, você verá que os bichinhos estão deitados e se ficarem de pé/ sentado vão empurrar/tocar a cabeça na bolsa.

            Minha bolsa tem as seguintes medidas:
            Altura: 27cm
            comprimento:42cm
            largura: 30cm

            Como você irá primeiro, passe depois para nos contar a experiência =D

  • Com certeza, Daniel. Fica a sugestão para as empresas!

  • Rafael says:

    Ótimo post!
    Poderiam aproveitar e complementar ou criar um novo post pra falar sobre o transporte de animais braquicefálicos.
    Eu tenho uma bulldog de 23kg e não vou poder levá-la no mesmo voo na viagem ao Canadá que farei ano que vem, pois assim como a maioria das companhias, a AirCanada não permite, devido às restrições desse tipo de animal (dificuldade de respirar e manter a própria temperatura, temperamento, etc.). Por isso terei que enviá-la pela AirCanada Cargo, que transporta também animais silvestres e/ou perigosos, e custa bem mais caro.

  • David E Tati De Souza says:

    Parece que o relato de todo mundo aqui só conta o lado bom e feliz das viagens com animais (muito provavelmente porque viajaram somente uma vez…).
    Bom, para quem viaja todo mês para competições, como é o meu caso, isso não acontece! É um desencontro de informações absurdo, e a regra tem dois pesos e duas medidas (literalmente depende do atendente!!).
    Na TAM, principalmente, são todos muito mal-humorados, que acham que estão fazendo um favor ENORME de preencher a documentação (à mão, diga-se de passagem!!), apesar de agora pagarmos R$200,00 por trecho… Não tem nenhum apreço pelos animais transportados e sequer se importam ou sabem manuseá-los… Tratam todos de forma igual (gatos e cachorros).
    O aumento de tarifas este ano foi colossal!!!! Passamos a pagar USD200.00 por trecho na América Latina, sendo que antes era cobrada a taxa de R$90,00 + porcentagem da tarifa cheia… Gente – duzentos dólares para transportar um animal em um voo de 3 horas é um absurdo!! É o mesmo valor para transporte em voos para a Europa… Não faz sentido algum…

  • Henrique Torricelli says:

    Já voei com meu filhote uma vez, porém o fato que achei ruim é que não fizeram a reserva para que eu o levasse. A companhia disse que sempre depende da carga no momento do voo e, mesmo que consegui leva-lo, fiquei dias com uma certa ansiedade de não ter a confirmação do embarque dele.
    Acho que deveriam dar a confirmação no momento da reserva para que tudo seja programado, pois, já pensou se na hora não houvesse vaga para o embarque do pet???

  • David E Tati De Souza says:

    Parece que o relato de todo mundo aqui só conta o lado bom e feliz das viagens com animais (muito provavelmente porque viajaram somente uma vez…).
    Bom, para quem viaja todo mês para competições, como é o meu caso, isso não acontece! É um desencontro de informações absurdo, e a regra tem dois pesos e duas medidas (literalmente depende do atendente!!).
    Na TAM, principalmente, são todos muito mal-humorados, que acham que estão fazendo um favor ENORME de preencher a documentação (à mão, diga-se de passagem!!), apesar de agora pagarmos R$200,00 por trecho… Não tem nenhum apreço pelos animais transportados e sequer se importam ou sabem manuseá-los… Tratam todos de forma igual (gatos e cachorros).
    O aumento de tarifas este ano foi colossal!!!! Passamos a pagar USD200.00 por trecho na América Latina, sendo que antes era cobrada a taxa de R$90,00 + porcentagem da tarifa cheia… Gente – duzentos dólares para transportar um animal em um voo de 3 horas é um absurdo!! É o mesmo valor para transporte em voos para a Europa… Não faz sentido algum…

  • Laura says:

    Gostei muito do post!
    Mas tenho que concordar que nossas companhias estão ainda muito abaixo da expectativa de serviço. Viajamos quase todo mês com nosso cachorrinho em cabine, os funcionarios são despreparados, parecem que estão nos fazendo um favor sem falar que pagamos muitas vezes cada trecho mais caro que uma passagem para nós humanos!Já houve uma vez com a Gol, que cheguei ao avião e a tripulação nem sabia o que fazer com o papel e que tinha um animal que viajaria na cabine. Fora que estes padrões de peso e medidas do kennel são fora da realidade, e nenhum padrão entre companhias. Eu só consigo viajar com a Gol pois meu pequeno cão tem 7kg mais o kennel flexivel são 7 e pouquinho, fora que ficamos a mercê da “vontade” da companhia de levar, já vi casos no aeroproto em que a companhia simplesmente “não permitiu” sendo que tanto o animal quanto o kennel e procedimentos previos estavam corretos. A falta de preparo dos funcionarios quanto ao serviço CARO e falta de padrão REAL para transporte de animais pequenos principalemnte em cabine são ridículos…ainda tem muito por evoluir neste sentido. CAda vez que vou ao aeroporto fico nervosa em pensar se vou conseguir embarcar com o meu pequeno ou não.

    • Jean Dias says:

      Concordo plenamente. Em especial a TAM não possui qualquer compromisso com a qualidade do serviço que está sendo prestado, afinal, estamos pagando por este transporte. Recentemente, em Viracopos, até o supervisor de aeroporto foi chamado para auxiliar no preenchimento da documentação. Reclamam até da marca da caixa de transporte, sem haver nenhuma orientação neste sentido. Sem contar a indiferença com que consideram a possibilidade do animal de estimação não embarcar, causando um grande transtorno psicológico nas mulheres e crianças.

    • Amanda says:

      É isso mesmo Laura! Tenho uma poodle pequena de 6k e fui impedida de viajar com ela na cabine com a GOL, apesar de estar tudo dentro do estabelecido pela companhia a atendente não nos deixou embarcar, pois na avaliação dela, minha cachorrinha não estava confortável! Resultado: perdemos nossas férias!

  • Eduarda santana says:

    Pessoal, alguem
    Sugere uma
    Cia aerea que voe pra europa e aceite cao + caixinha ate 10kg???? Fui olhar a Iberia achando que era esse o peso mas descobri que é de 8kg :/ estou ficando desesperada pq mudo ano que vem e tenho que levar minha cav de 8,5 kg.
    Morro de medo de mandar na carga…alguem ja teve problemas com caes no compartimento de carga??? Por favor postem suas experiencias!!!!
    Obrigada

  • Joie Canasvieiras says:

    Ola, alguem me indica uma cia aerea que voo para europa e aceite caes ate 10kg dentro da cabine?? Tenho uma cav que pesa 8,5kg mais o kennel vai ficar em uns 9kg. Como tecnicamente é considerada um cao braquicefalico nao poderia ir no compartimento de carga…mas estou desesperada por nao encontrar uma ampresa que aceite caes ate 10 kg (a iberia que eu iria so aceita ate 8kg).

    Para quem ja “despachou” o cao no compartimento de carga, como foi a experiencia??? Tenho medo de roubo e da cachorra passar mal e acontecer alguma coisa…

    obrigada!!

  • Lana says:

    Caramba, só agora li esse post!
    Comprei passagem na TAM com espaço + justamente pensando no gato que vai viajar comigo, mas não poderei usar, nem serei reembolsada. Adeus 434 reais…

  • Lidia says:

    Ótimo post. Gostaria de saber de quem já transportou animal, especialmente na avianca, se as exigências em relação ao espaço para o animal no interior da caixa são tão rígidas mesmo. Tenho um Dash e ele cumpre o peso estipulado, mas por ser muito comprido, não cabe tão confortável na caixa, ele ficará meio apertado lá dentro. Vi algumas pessoas falando que para as caixas flexiveis eles não são tão rigidos. Isso procede?

  • Iza Cristina Dias says:

    Minha duvida? onde acho o kennel rigido ou flexigel nos tamanhos especificos? irei viajar pela gol e estou a procura pelo tamanho ideal, porem nada encontrado, sempre tem uma diferenca a maior. O que devo fazer? onde achar?

    Transporte pela gol
    Kennel rígido: 22cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura, conter dados de identificação do dono do bichinho, resistente, feito de fibra ou plástico rígido;
    ​Kennel flexível: 24cm de altura x 43cm de profundidade x 32cm de largura, conter dados de identificação do dono do bichinho, com estrutura rígida interna para que fique firme, além de ser de material impermeável;

  • Adriana says:

    Gostaria de saber se existe um prazo para liberação do animal ou ele fica retido tipo uma “quarentena”? Vou trazer meu cão do EUA para o Brasil e gostaria de saber, se no desembarque eu já pego ele ou existe algum prazo para retirada. Se alguém puder me ajudar. Obrigada.

  • Aline Castilho Sanches says:

    Pessoal vou para Abu Dhabi sozinha e tenho 2 gatos, não consigo nem me imaginar sem eles. Alguém sabe dizer se consigo leva-los?

  • Silvio Firmino says:

    Boa tarde!

    Moro nos EUA, e tenho uma pessoa conhecida que esta vindo de Curitiba-Guarulhos-Miami com meu cachorro, a passagem sera para dia 25/05.
    Vocês sabem o procedimento para uma pessoa embarcar com animal que não seja dela?
    Obrigado!

  • Karol Pistache says:

    preciso de ajuda ! Sou italiana e moro no brasil eu vou levar o meu Chow Chow comigo no meu pais mais a doutora falou que a caixa custa 800 reais porque é uma caixa importada pra não ter problema no aeroporto ! eu acho que é uma mentira ! por favor alguém sabe que tipo de caixa precisa para ir na italia ? precisa ser uma marca o outra niguem sabe

  • Leila Conz says:

    existe alguma cia aérea que permite o animal ficar fora do kennel quando estiver em cruzeiro?

  • Beto Leski says:

    Estou sendo transferido para a Cidade do
    México em 2 semanas.

    Não terei tempo hábil de vacinar minha
    cachorrinha e fazer a cirurgia de castração dela.

    É possível algum amigo enviá-la sozinha depois
    pela companhia aérea?

    Obrigado

    Roberto

  • Renata Lima says:

    Vi que a Gol não transporta Lhasa Apso. Por quê será???

  • Arianne Martell says:

    Gente, publiquem mais coisas sobre viagens internacionais, por favor. Sabemos que é impossível para um gato adulto ficar de pé dentro de uma bolsa abaixo de uma poltrona com 20-25 cm de altura. Eles vão ficar 13 horas na mesma posição?

  • Evelin says:

    Vou viajar para Portugal e vou levar minhas calopsitas (tres…rs). Alguem sabe algo sobre as regras de transporte e se posso viajar na cabine com eles?

  • Você liga para o call center e paga antes. Tem que reservar com antecedência. Na hora não tem como

  • Érica, não que a gente conheça. Se você for viajar com mais algum humano, pode ser possível sim, pois cada um levaria um dos gatos.

  • Cristiana Soares says:

    Oi pretendo ir para Nova York em dezembro e pretendo levar minha Shitizu alguem ja viajou pela TAM sem problemas?

  • Eduardo Barbosa Barros says:

    Pessoal, eu tenho um poodle de 6 meses que está com 4.4kg. Queremos levar ele na Azul. No entanto a caixa tem mais 1kg e o limite é 5kg. Sabem me dizer se são muito rígidos com isso?

  • Sarah Stephane Carneiro says:

    Bom dia, tudo bem? Precisava de relatos de pessoas que viajaram recentemente com seus cães no compartimento de carga. O meu baby é grandão (70 cm de altura e 22 kgs) e por isso tem q ser transportado no compartimento de cargas e no Brasil só a Gol o aceita (o limite da Latam é 65 cm :/). Vi algumas reclamações no Reclame aqui acerca de cobranças abusivas e to com um pouco de receio disso, além da preocupação com o bem estar do meu baby durante o vôo. Alguém tem alguma experiência mais recente com a empresa?

  • Sarah Stephane Carneiro says:

    Recebeu algum retorno? Viajo com o meu baby, que é grandinho (70 cm de altura e 22 kg), ano q vem e to meio com o coração na mão:(

  • Samara Castioni says:

    Eles pedem mesmo o cartão de vacina lá na hora? Perdi o cartão de vacina da minha cachorrinha

  • Raziel Silveira says:

    Estou numa situação complicada, tenho 3 gatos e não sei como embarcá-los, estou me mudando para o sul do país e preciso leva-los comigo. Alguém sabe se tem como embarcar com 3 gatos, ou despachá-los em segurança para o local de destino? Quais os procedimentos?

  • Adriana Gomes says:

    Tenho um samoieda idoso e muito dependente. Meu esposo é militar esta sendo transferido para Boa Vista em Roraima. Estamos muito preocupados, porque ele é nosso filhotão e nunca fica longe de nos, e a viajem é muito longa. Tenho medo dele entrar em panico e se machucar, ou passar mal.

    • Luana A. De Carvalho Minato says:

      Boa noite Adriana! Como foi a viagem com seu amigo? Tenho duas goldens, uma idosa, e gostaria de saber como foi a viagem com seu amigo. Preciso levar minhas meninas mas estou com dificuldades em saber como está sendo a experiência em voos nacionais. Podes me ajudar?

  • Talita Melech says:

    Alguém já fez vôo internacional com seu cãozinho? Estou de mudança para Itália no final do ano. E não gostaria de deixá-lo, meus filhos amam ele.. estamos bem apreensivos. Tenho lido as regras…. mas tenão muitas dúvidas. …

    • Ruth Vasconcellos says:

      Olá Talita, estamos levando nosso amigo para a Itália, agora em Junho. Optamos por um voo direto pela Alitália. O problema é o tamanho da caixa X o tamanho do cão. As medidas maximas da caixa para o voo não comportam nosso cão pelas regras internacionais. Ninguem na companhia sabe explicar o que acontece nesses casos. Já fomos diretamente na esteira do aeroporto pra perguntar e nem lá sabem. Estaremos com 2 caixas!!! Uma gigante no padrão dele e uma menor no padrão da companhia. . . Poucas informações e muita burocracia. QUanto a documentação a dele já está tudo em ordem e deve ser feita com um minimo de 5 meses de antecedencia. Comprei num blog um livro com o passo a passo, recomendo que vc faça o mesmo. Lá tem todas as explicações necessárias e reúne o maior número de informação da internet. Chama-se Pequenos Monstros. Vale a pena e boa sorte. http://www.pequenosmonstros.com/

      • Claudia Forgiarini says:

        Olá Ruth , se puderes atualizar aqui quando chegares à Itália, contando como foi a experiência, te agradeço. Também vamos mudar pra lá no final do ano e pretendo levar meus dois cachorros: um pastor alemão e uma border collie. Boa sorte na viagem.

        • Ruth Vasconcellos says:

          Oi Claudia, aviso sim, só por favor me envie depois de 14/06/2017 outro email/post. Tenho medo de esquecer de responder depois da mudança :D.

          • Vanessa says:

            Olá Ruth, Claudia e Talita

            eu também vou levar minha Shitszu para Itália, estou no processo de documentação, mas com ata dúvida se levo despachada ou na cabine, se vocês puderem atualizar aqui o feed back da viagem de vocês ficarei muito agradecida.

            Boa viagem a todas.

          • Ruth Vasconcellos says:

            Pode deixar Vanessa. Aviso sim. O meu vai no porão 🙁 por ser muito grande.

          • Ruth Vasconcellos says:

            Olá meninas, viemos pela Alitalia, Tião no porão, foi super bem recebido. Deixaram prender o saco de ração pelo lado de fora da caixa. Deixaram também o colchão e brinquedos dentro da caixa, tudo pesou 65 kilos. Ele chegou muito bem, tranqüilo. Ao todo foram 11 horas de vôo, sem atrasos. Fizemos o check in e ficamos com ele até o embarque. Marcaram 1h antes do vôo para retornarmos ao check in para despacha-lo e mais uma hora aproximadamente para liberação. Sobre a caixa, a medida máxima permitida pela Alitalia era de 500l. Mas ele ficava sem conseguir levantar a cabeça completamente. Acabou embarcando numa caixa de 700l sem problema. ( levei as duas caixas no embarque )

          • Claudia Forgiarini says:

            Oi Ruth, que bom que correu tudo bem. Conta como foi a questão de alfândega, documentos, são tranquilos?

          • Ruth Vasconcellos says:

            Claudia, comprei um livro do Blog “Pequenos Monstros”e segui passo a passo o que indicaram. Deu tudo muito certo. Tudo tem prazo e tem que ser EXATAMENTE como solicitam. Uma pessoa na minha frente quando fui buscar os documentos do embarque, teve a autorização do seu PET negado, alguma informação ou solicitação estava fora do prazo ou padrão. Esse documento a gente tira 48h antes do embarque e se não sair o bichinho não embarca, pois não dá pra fazer tudo desde o começo em 48h. O exame de sorologia + chip + vacina ( não nesta ordem) demora a média de 4 meses. Boa sorte.

          • Claudia Forgiarini says:

            Obrigada Ruth.

            Em 30 de jun de 2017 1:11 PM, “Disqus” escreveu:

          • Vanessa says:

            Ruth mto obrigada pela atualização, fico feliz em saber que correu tudo bem para vcs. A minha shitzu virá para Itália em março, no porão, confesso que estou apreensiva, mas os relatos que tenho lido são todos bons, atualizo aqui qndo ela chegar.
            Abraços.

          • Ruth Vasconcellos says:

            Boa sorte. Mande notícias.

  • Vanessa says:

    Olá Vivian,
    tenho planos de viajar com minha shitszu, pesa 7kg. O veterinário informou que, pela experiência dele, ela teria que ir mesmo despachada, por restrições de peso. Mas ainda não me conformei e estou pesquisando as alternativas. Hoje encontrei um perfil no instagram que se chama VoePet, não conheço o serviço deles, nunca experimentei, mas pelo que vi eles conseguem realizar o transporte do cão dentro da cabine no colo do dono. Sugiro que vc se informe a respeito do serviço deles, acho que eles têm facebook. De quer forma, transportar um cão braquicéfalo como carga eu acho arriscado, apesar de o veterinário alegar que os riscos são pequenos.
    Espero que encontre uma forma de levá-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *