logo Melhores Destinos

11 Dicas de Mendoza, na Argentina: o que fazer, onde se hospedar e muito mais!

João Goldmeier
João Goldmeier
20/04/2020 às 17:45

11 Dicas de Mendoza, na Argentina: o que fazer, onde se hospedar e muito mais!

Mendoza, na Argentina, segue sendo um destino incrível, tanto para os amantes do vinho como para quem gosta da boa gastronomia e da vida no campo. Essa foi a conclusão que cheguei, depois de passar o feriado de Carnaval de 2020 na cidade, cinco anos depois da última visita. Voltei com dicas fresquinhas para ajudar sua próxima viagem ao destino. Confira:

O que fazer em Mendoza além das vinícolas?

Logo de cara eu quero chamar atenção para um aspecto muito importante de Mendoza: ela oferece muito mais que vinícolas (que são excelentes, diga-se de passagem!). No verão há esportes de aventura, como rafting, hiking e se pode vivenciar a vida no campo. No inverno há estações de esqui por perto como Los Penitentes e Las Leñas. E durante o ano todo a gastronomia é um ponto alto, com excelentes restaurantes na cidade e nas vinícolas. Leia mais sobre pontos turísticos em Mendoza.

Onde trocar dinheiro em Mendoza

A Argentina novamente convive com diversos tipos de câmbio além do oficial. Como há um imposto de 30% sobre os gastos em cartão de crédito no exterior e uma limitação para se comprar legalmente o papel moeda, há uma significativa diferença entre o câmbio oficial e o chamado “dólar blue” – equivalente ao dólar paralelo no Brasil.

Durante a minha visita, um dólar comprava 63 pesos no câmbio oficial e 74 no paralelo, uma diferença de quase 20%! Os cambistas, chamados de “arbolitos”, ficam perto das casas de câmbio da Avenida San Martín. Consulte a cotação do dia antes de negociar, o que você pode fazer neste site. Só não esqueça de conferir bem as notas que receber – eu não tive problema algum com notas falsas.

Hospedagem no centro de Mendoza

Pra quem vai pela primeira vez, a dica é ficar hospedado no centro de Mendoza, onde ficam as agências de turismo e os principais hotéis, como o Sheraton e o luxuoso Park Hyatt Mendoza.

Em uma viagem anterior, aproveitando pontos no programa da Hyatt, me hospedei no Park Hyatt Mendoza. Sua localização é bem central, com várias lojas e restaurantes por perto, além de possuir um pequeno cassino dentro.

Hospedagem em vinícola em Mendoza

Mas se já for sua segunda (ou décima) visita ou estiver numa viagem mais longa, vale apostar em alguns dias de hospedagem em uma vinícola de Mendoza. Algumas opções desse tipo de estadia são o Entre Cielos (Lujan de Cuyo), Posada Salentein e Casa de Huespedes La Azul (Vale do Uco). Eu experimentei as duas últimas e aprovei! Leia mais sobre onde ficar em Mendoza.

Onde comer em Mendoza?

Leve roupas folgadas para voltar para o Brasil, pois come-se muito bem em Mendoza! Aqui também a carne é o carro chefe, mas a cidade oferece muito mais do que isso. No centro da cidade de Mendoza destaco Azafrán e Josefina.

Nas vinícolas o destaque absoluto vai pra El Enemigo que foi sem dúvida alguma a melhor refeição da viagem (peça a costela assada por 12h, me agradeça depois), mas considere os também excelentes restaurantes das vinícolas Susana Balbo, O. Fournier, Casarena, La Azul e Posada Salentein (não confundir com o restaurante da vinícola). Leia mais sugestões sobre onde comer em Mendoza.

O que fazer em Mendoza à noite?

Se ainda tiver pique para sair a noite depois de um dia de passeios, aponte o GPS para a Avenida Aristides Villanueva, onde ficam os bares e restaurantes mais descolados da cidade de Mendoza. São três quadras com diversas opções de diversão noturna. Fui e gostei no Chachingo, cervejaria artesanal do incansável Alejandro Vigil (enólogo da Catena Zapata e fundador da El Enemigo). Não deixe de consultar as promoções de happy hour, quando fui tinha chopp por 90 pesos (+- 6 reais).

Vinícolas que valem a visita em Mendoza

Ainda que vinho não seja a sua praia, inclua na sua visita um passeio por algumas vinícolas de Mendoza que investiram pesado em projetos maravilhosos de arquitetura. Nessa linha indico a Piedra Infinita da Zuccardi, que foi premiada como a melhor vinícola para visitar em 2019 e O. Fournier. Ambas ficam no Vale do Uco.

Finca Piedra Infinita da Bodega Zuccardi – Vale do Uco, Mendoza

Falando na Zuccardi, seu restaurante, que também se chama Piedra Infinita, tem uma vista deslumbrante para a cordilheira e parreirais.

Vinhos autorais em Mendoza

É claro que você vai querer visitar aquela vinícola grande que produz os vinhos que você gosta de tomar no Brasil, mas não deixe de visitar as pequenas propriedades, onde a visita é muito mais intimista (muitas vezes é conduzida por alguém da família) e os preços mais camaradas. Três ótimas opções nessa linha são Domaine San DiegoMatias Riccitelli (Lujan de Cuyo) e La Azul (Vale do Uco). Leia mais sobre as vinícolas de Mendoza.

Degustação de vinhos na Riccitelli – uma das vinícolas butique de Mendoza

Reservas são muito importantes

Tudo em Mendoza funciona por meio de reserva. Desde os serviços mais óbvios, como hospedagem até os passeios às vinícolas. O meio mais fácil de efetuar a reserva é pelo do e-mail (não estranhe se a resposta demorar alguns dias). Não tem reserva? Tudo bem, você pode contratar um tour em uma agência de viagens local que já tem lugares garantidos. Outra dica: se estiver apenas em casal, arrisque a visita assim mesmo. Mesmo no Carnaval consegui lugar em tours e vagas para almoçar simplesmente por estar lá e aproveitar a desistência de outros turistas – consegui almoçar no concorrido Piedra Infinita, da Zuccardi. Se não der certo, você ainda pode fazer um passeio pela sede e comprar vinhos na lojinha.

O que fazer nas vinícolas de Mendoza, além de provar vinho

A não ser que você seja um enófilo inveterado, depois de várias visitas às vinícolas tudo parece igual. Claro que cada uma tem suas particularidades, mas todas seguem mais ou menos o mesmo roteiro: introdução, visita aos parreirais, à produção e terminam com uma degustação. Que tal variar a programação? Algumas propriedades oferecem outras atividades como piquenique nos vinhedos, passeios de bicicleta, dentre outros. Considere também visitar o Aconcágua, ponto mais alto da América do Sul. É um tour que dura o dia inteiro e não tem nada de vinho envolvido, ideal pra deixar o fígado se recuperar.

Mendoza no Carnaval vale a pena?

Por ser um feriado prolongado no Brasil, passar o Carnaval em Mendoza significa que você precisa se planejar com maior antecedência se quiser garantir vaga nos hotéis, restaurantes e atividades. A hospedagem é mais cara. Porém o clima é super agradável, com dias ensolarados e noites fresquinhas. Os parreirais estão carregados e a colheita em pleno vapor. Pra quem quer fugir do agito, passar o Carnaval em Mendoza é uma excelente pedida!

_________________________

Essas são as principais dicas que eu trouxe dessa viagem para compartilhar com você, espero que tenham gostado e qualquer dúvida é só perguntar nos comentários. Não deixe de ler também nosso guia gratuito de Mendoza e se tiver alguma dica compartilhe com a gente!