logo Melhores Destinos

Como foi o voo inaugural da Flybondi de São Paulo para Buenos Aires

Como foi o voo inaugural da Flybondi de São Paulo para Buenos Aires

GRU Guarulhos
EPA Buenos Aires
5801
Avião 737-800
Classe Econômica
Poltrona 5D
Data 24/01/2020
Partida 18h45
Chegada 21h50
Duração 3h05
Por Rafael Castilho
27/01/2020 às 12:14

A companhia low cost argentina Flybondi desembarcou em São Paulo depois de já voar para o Rio de Janeiro e Florianópolis. A ideia da empresa é disputar este grande mercado, já atendido pelas companhia nacionais e estrangeiras, com voos baratos e serviços básicos. As passagens de ida neste janeiro chegaram a ser vendidas a R$ 171 com as taxas incluídas.

A empresa conectará São Paulo a Buenos Aires três vezes por semana. O voo parte da capital argentina às 15h10 e regressa ao aeroporto de Guarulhos às 18h45. Pode ser uma boa pedida para quem busca aproveitar a Argentina e economizar.

Embarquei no voo inaugural da Flybondi de São Paulo a Buenos Aires a convite da companhia. Veja abaixo um review do voo inaugural e aproveite também para conhecer os detalhes de como foi a primeira viagem da companhia para o Rio de Janeiro em outubro passado.

Check-in em GRU

A companhia argentina realiza o seu check-in na Asa C do Terminal 2 do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Como a grande parte dos passageiros realiza o check-in com antecedência e não tem bagagem para despachar, pois esta tem a cobrança de R$ 100 (valor para compra antecipada, por trecho e bagagem até 20kg), o espaço estava bem tranquilo. Apenas alguns viajantes despachavam a bagagem sem problemas com filas ou demora. Realizei o meu check-in online e apresentei o cartão de embarque com QR Code para acessar a área de embarque. Vale destacar que a companhia cobra R$ 11 para check-in no aeroporto. Os assentos marcados durante o check-in online saem de R$ 7 a R$ 44 por trecho.

Embarque e cerimônia de inauguração

Depois de passar pelo controle de segurança e de documentos, acessei a área de embarque. A Flybondi ocupou o primeiro portão com finger da área internacional do Terminal 2, o portão 242. Uma cerimônia, que contou com dançarinos de Tango, marcou o voo inaugural. Havia também um bolo e doce, que foram distribuído a cada passageiro. Não houve discursos, ato habitual em cerimônias deste tipo.

O embarque, dividido em cinco grupos incluindo os primários por lei, foi tranquilo apesar do pequeno problema causado pelo leitor dos bilhetes que demora para reconhecer e ler o QR Code nos celulares de cada passageiro.

Aeronave e voo

Depois de o ticket ser escaneado é hora do embarque. A aeronave era um 737-800, tipo único na frota da Flybondi, que conta com cinco Boeings deste tipo. A configuração de assentos é de duas fileiras com três poltronas em cada lado. Todos numa classe única, econômica.

A grande maioria dos passageiros levava uma mala de mão, o que retardou o embarque devido à colocação das maletas no bin. Os últimos passageiros a embarcar tiveram que deixar suas maletas serem acomodadas longe do assento, pois os compartimentos superiores já estavam lotados. Isto é bem comum nas companhias aéreas que cobram pelo despacho de mala.

A Flybondi autoriza cada passageiro que voa de e para o Brasil a carregar uma mala de mão (45x25x55cm) de até 10 kg e mais um pequeno objeto pessoal como uma bolsa. Não é possível levar uma mochila mais uma mala de mão. Vale ressaltar que não tive a mala nem medida e nem pesada durante o embarque.

O avião não é novo e demonstra isto. Os revestimentos levemente amarelados mostram a idade da aeronave. O carpete é gasto e as poltronas exibem bastante uso. Não havia aquele protetor de cabeça grudado nos velcros sobre o assento.

Ao se sentar na poltrona 5D notei outro problema que poderia ser melhorado pela companhia: a limpeza. As mesinhas estavam bastante sujas, havia respingos de bebida secos no encosto da frente e os bolsos, utilizados para guardar revistas e outros itens, estavam impraticáveis, cheio de sujeiras e restos de alimentos. Até as saídas de ar e a iluminação sobre a cabeça tinham bastante sujeira. Meio ruim!! Sei que é uma low cost e não devemos esperar por um grande serviço cinco estrelas, mas a limpeza é o básico.

A reclinagem e o espaço entre as poltronas são bons, apesar de serem nada diferente das demais aeronaves. Me senti confortável, mesmo com a minha altura de 1,87 metro. Vale ressaltar que o voo é curto, menos de três horas.

O voo 5801 iniciou o pushback no horário marcado, 18h45. “Os voos da Flybondi no Brasil têm operado com 95% de pontualidade. As decolagens do Rio de Janeiro estão com média de 85% de ocupação e as de Florianópolis com 88%”, destacou Mauricio Sana, diretor comercial da companhia argentina.

A decolagem foi tranquila, assim como todo o voo. Sem turbulências. Com cerca de uma hora de viagem, a empresa iniciou o serviço de bordo, mas bem diferente do usual. Todos os 189 passageiros foram surpreendidos com uma degustação gratuita de vinhos argentinos. Além disto, teve sorteios de kit oferecidos pela Turismo Argentina, mas não tive sorte. Cada passageiro também recebeu de presente uma garrafa de vinho.

Devido a esta ação promocional de inauguração não rolou o serviço habitual de bordo e assim não pude avaliar. Mas todas as atendentes foram bem simpáticas e atenciosas. Checando o cardápio do serviço de bordo percebi que os preços são bem acessíveis (água e café por 80 pesos, cerveja a partir de 120 pesos), mas tem um grande problema: a companhia só aceita pesos argentinos como pagamento, nada de cartão de crédito. Isto dificulta a compra de bebidas e comidas dos passageiros que partem do Brasil sem trocar a moeda. Uma opção é fazer a compra de forma antecipada no site da Flybondi.

Se você quiser saber também como foi o voo inaugural da Flybondi partindo de Buenos Aires para São Paulo leia o post de nosso editadora do Mejores Destinos argentina, Leila Aisen.

Entretenimento

Neste item vale a pena ressaltar novamente que a Flybondi é uma low cost e não oferece nenhum entretenimento a bordo, a não ser pela revista mensal. Para te ajudar a passar o tempo é legal levar um livro ou carregar o celular ou tablet de filmes, séries ou podcasts.

Desembarque em Palomar

A Flybondi opera no aeroporto de Palomar, a cerca de 25 km do centro de Buenos Aires. Somente ela e a chilena JetSmart voam para este local. O pouso foi tranquilo às 21h50. Sem atrasos! Fazia bastante calor, 28 graus!!!

O desembarque foi efetuado somente pela porta dianteira e peguei um ônibus até o terminal, se pudermos chamar o espaço assim. O aeroporto é muito pequeno. Lembra uma pequena rodoviária. Só há quatro guichês de imigração e a fila para atender os 189 passageiros saía para a calçada. Apesar da lentidão no serviço e do tamanho do aeroporto, isto não compromete e você pode chegar tranquilamente a seu destino, utilizando táxi, transporte por aplicativo, ônibus e até trem.

Leia mais sobre o aeroporto El Palomar de Buenos Aires.

Do aeroporto segui para o Hotel Vitrum, no bairro de Palermo. O translado durou cerca de 30 minutos, sem nenhum trânsito. O hotel tem bons quartos com bastante espaço e café da manhã, além de piscina e spa. Uma ótima pedida para quem quer ficar perto dos restaurantes e da badalação de Palermo. Descubra mais dicas para explorar a vibrante Buenos Aires com o nosso guia gratuito.

Volta de Buenos Aires

Cheguei ao aeroporto de El Palomar com 2 horas de antecedência. O check-in online já havia sido feito para agilizar e evitar cobrança extra. Tudo bem tranquilo. A checagem policial foi de boa. A Argentina difere de outros países e é permitido levar até 5 garrafas de vinho na mala de mão em voos para o Brasil. A imigração apenas 2 dos 4 guichês estavam funcionando. Mesmo assim, não houve atrasos. A única sala de embarque internacional estava bem cheia e não havia cadeiras disponíveis para todos os passageiros se sentarem.

O embarque começou faltando 40 minutos para o horário de partida, 15h10. Tudo bem rápido e ágil. Apesar de tentarem separar por fileiras o embarque, não havia este controle na hora de seguir até o Boeing 737-800.

O avião tinha um aspecto de um pouco mais novo que o utilizado no voo de ida. Também estava mais limpo. O pushback foi às 14h55, antes do horário marcado. O serviço de bordo começou após 30 minutos de voo. A viagem foi tranquila e durou cerca de 2h30.

Avaliação Final

A companhia, que já voa para o Rio e para Floripa, chega ao maior mercado brasileiro com expectativas altas. “Acreditamos que teremos um crescimento no número de passageiros de negócios, além dos tradicionais turistas que visitam a Argentina e o Brasil”, destacou Mauricio Sana. Em março a empresa começará a viajar para Porto Alegre.

Depois de voar, pela primeira vez na companhia, destaco alguns pontos fortes e outros fracos.

Positivos:

Pontualidade;

Simpatia dos funcionários;

Preço;

Chegada ao aeroporto de Palomar, mais perto que Ezeiza.

Negativos:

Limpeza;

Cobrança do serviço de bordo somente em pesos argentinos.

Já voei com diversas low costs pelo mundo e não há nenhuma diferença em viajar com a Flybondi. Acredito que ao usar este tipo de companhia a mentalidade do passageiro deve ser mais aberta e não cheia de expectativas. Tendo segurança, bom serviço e atendimento, é possível, sim, trocar uma tradicional por uma low cost. É claro, que você deve levar em conta o preço da passagem e o serviço que você busca, principalmente se necessita despachar uma bagagem. Mas hoje em dia, a maior parte das empresas cobra a parte por este serviço.

Espero que os bons preços continuem e mais passageiros possam embarcar rumo a Buenos Aires!!!

Nota final.

Flybondi

Guarulhos - Buenos Aires

Voo 5801

7,3
Embarque 7
Assento 5
Entretenimento --
Amenidades --
Equipe 10
Fidelidade --