Volta ao mundo: dicas sobre Doha, no Qatar, pelo leitor Rodrigo Militão

Redação 7 · novembro · 2017

No fim de outubro, o leitor do Melhores Destinos Rodrigo Militão iniciou mais uma etapa de sua viagem de volta ao mundo. Gaúcho de Panambi, no interior do Rio Grande do Sul, o jovem já visitou mais de 150 países. E está relativamente próximo de sua meta: conhecer os 193 países que fazem parte das Nações Unidas!

Militão irá compartilhar seus relatos de viagem com a gente! Começamos com suas impressões e dicas sobre Doha, a capital do Qatar – a primeira parada desde que partiu do Brasil, em 24 de outubro. Confira!

Gaúcho Pelo Mundo
|Primeira parada: Doha, Qatar

Por Rodrigo Militão

Me chamo Rodrigo Militão e assim como vocês, sou apaixonado por viagens – facilitadas por sites como o Melhores Destinos. Desde 2005 viajo pelo mundo todo e meu objetivo é conhecer os 193 países membros da ONU. Viajo em tempo integral, mantenho o blog Gaúcho Pelo Mundo, além do meu perfil pessoal no Facebook.

Em outubro deste ano, uma conjunção de fatores me levou a iniciar uma odisseia: percorrer todos os países da Ásia e Oceania, conforme matéria apresentada sobre mim e meu projeto aqui no Melhores Destinos. Minha passagem de ida foi emitida com a Qatar Airways, com destino a Doha, capital do Qatar. Parti de Guarulhos às 3h55 de 24/10/2017 – sem data prevista para o retorno.

A partida

O avião decolou 4 minutos antes do previsto, às 3h51, chegando em Doha à meia-noite e meia (hora local), já no dia 25/10/2017. Foram aproximadamente 15 horas de voo, sem escalas! Foi a segunda vez que eu voei com a Qatar – ambas experiências foram positivas. A qualidade do serviço a bordo da empresa é incrível, todos os atendentes são extremamente simpáticos e prestativos o tempo todo. Chamou atenção o fato de os banheiros serem higienizados várias vezes ao longo da viagem, mesmo quando o voo já estava quase chegando.

Fui de classe econômica e, em relação à comida é aquilo, né? Comida de avião. No meu ponto de vista, nada diferente das demais empresas aéreas. O diferecnail da Qatar em comparação a outras companhias é sem o serviço prestado pela tripulação, que é fantástico. Logo após a decolagem foi servido um café da manhã bem interessante, inclusive com muitas frutas frescas. Durante todo o trajeto também era possível solicitar lanche, caso a fome batesse. Ainda foi servida uma refeição principal com bebidas variadas.

O Trajeto do Voo

Chegando no Qatar

O voo aterrissou no Qatar precisamente à 0h30. Logo na saída do aeroporto, descobri que em Doha existem dois tipos de táxis: os oficiais (de cor verde) e os outros chamados de “limosines“. O nome, no entanto, engana. Trata-se de um veiculo normal – o termo é utilizado somente para distinguir dos táxis oficiais. Eu optei por um táxi oficial verde até a cidade antiga, onde ficava meu hotel. O preço não foi caro: 50 qataris (cerca de R$ 50). Uma dica importante é você ficar na cidade antiga de Doha, onde estão localizadas as principais atrações turísticas.

Logo na chegada, mesmo sendo aproximadamente 1h, o calor do deserto já me deu as boas-vindas. Além da alta temperatura, também já percebi que o país tem grande parte de sua população formada por imigrantes vindos de diferentes países da Ásia, principalmente da Índia, Nepal, Bangladesh, Filipinas, Tailândia, Iraque e Irã. É muito difícil você encontrar um nativo, por mais estranho que isso possa parecer.

Pela manhã, por volta das 4h30, já no hotel, finalmente percebi que estava em um país muçulmano: fui despertado pelos belos cantos de chamamento a oração, vindos de uma pequena mesquita próxima ao meu hotel (na verdade quase ao lado do meu quarto). Os cantos me acompanharam todos os dias até o final da minha estaria – e eu adorei. Essa era uma experiência que me interessava muito. Tanto que no primeiro dia já entrei nesta mesquita para conhecer um pouco mais. E até orar, porque nunca é demais agradecer. Não é?

O que fazer em Doha

Não deixe de conhecer o Parque Corniche – tanto de dia como a noite, pois as imagens serão lindas – e aproveite para visitar o Museu de Arte Islâmica, que fica ao lado. Trata-se de uma construção de arquitetura hipnotizante. O museu tem entrada é gratuita e abre às 9h. Dele, é possível ter lindas imagens da cidade de Doha.

Já no Souq Waqif, uma “mistura de mercado de pulgas” e vendas de animais de estimação, tecidos, especiarias, artesanato, quadros, guloseimas árabes, você também encontra uma infinidade de restaurantes de diferentes países do Oriente Médio. Minha sugestão é passear por ele após as 19h, horário em que o calor escaldante dá uma amenizada. Você vai ver muitos narguilés nos estabelecimentos – aliás, nunca tinha visto tanto narguilé como vi aqui. Para quem gosta, fica a dica!

Outra atração é o Emir Palace, a residência oficial do Chefe de estado do Qatar. Minha sugestão é não chegar muito próximo do palácio, uma vez que o local é bastante vigiado e os seguranças não costumam ser muito simpáticos com quem ousa se aproximar muito. Mas não tem problema, pois mesmo de longe você consegue tirar fotos incríveis e apreciar a bela arquitetura do Palácio Real Emir. Inclusive, fotos do próprio Emir estão espalhadas por todos os lugares do país. É impossível não se deparar com algumas centenas delas ao longo da viagem pelo Qatar – sem exageros! Hahaha! Tem nas fachadas dos prédios, nas camisas, nas lojas, nos carros, nos hotéis… só dá a cara do Emir Sheikh Tamim bin Hamad Al-Thani. O cara é mais do que um pop-star, me falta adjetivo para qualificar o “populismo” do cidadão.

Nos meses de outubro, novembro e dezembro, as temperaturas costumam ser mais amenas no Qatar. Mesmo assim, os dias são muito quentes. Não poderia ser diferente: o país fica localizado no meio do deserto.

Recomendações

– Importante lembrar: sempre tenha muito respeito pelos costumes locais. Não se esqueça de que o consumo de álcool e drogas são proibidos pela lei islâmica.

– As condições de segurança são muito boas. E não existe vestígio algum de pobreza – aliás, o país é considerado um dos mais ricos do mundo.

– VISTOS: brasileiros conseguem obter o “visa on arrival” (visto à chegada) pelo período de um mês (renovável apenas uma vez). Na imigração será pedida a passagem de retorno ao Brasil e um comprovante de hospedagem. O processo foi relativamente rápido e totalmente grátis! No meu caso, não pediram seguro de viagem, mas é sempre bom ter! Não vale a pena correr o risco.

– Onde comer: encontrei um local barato para comer, o “Tea Pot Cafeteria”, não muito longe do Centro Cultural Islâmico. O lugar é limpo e tem como foco a típica culinária árabe. E o melhor de tudo: com cerca de R$ 15,00 é possível comprar sanduíches árabes, sanduíches de Doha, falafel, shawarma, e muitas outras opções.

…….

Próximo destino: Japão. Em 27 de outubro, embarquei, novamente com a Qatar Airways, para o Japão. O relato da minha passagem pelo país asiático em breve estará por aqui! Acompanhem tudo, com mais detalhes, pelo meu blog e perfil pessoal. Abraços e até a próxima parada, o Japão!

__________________________

Agradecemos ao leitor Rodrigo Militão por compartilhar com a gente a sua saga mundo afora! A meta do “viajante em tempo integral”, como ele mesmo se define, é conhecer os 193 países que fazem parte das Nações Unidas! Os relatos desta longa viagem serão publicados aqui no Melhores Destinos. Começamos com a passagem pelo Catar. E a próxima parada é o Japão. Fique ligado!

Autor

Redação - redacao
  • Edimar Eustaquio

    Eu também tive a oportunidade de conhecer Doha no Qatar, é uma cidade fantástica e belíssima. Parabéns Rodrigo Militão pela brilhante matéria, também estou nesta mesma caminhada,e sei o quanto este sonho custa caro. Sucesso e que Deus o abençoe.

  • Tlars22

    Rodrigo,
    Vc fez o cambio direto no aeroporto na chegada ? Levou dollares ou euros pra trocar por qataris ? Indicaria alguma casa de cambio la ?
    Qual hotel vc se hospedou ?