O que Fazer em Amsterdã – as dicas de uma brasileira que mora na cidade

Gisela Cabral 26 · junho · 2014

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Atualizado em maio de 2018

Estava nublado e bem chuvoso quando o meu voo, enfim, aterrissou no Aeroporto Internacional de Schiphol. E naquele longo trajeto entre o avião e o setor de bagagens, fui tomada por um mix de sensações, que iam desde o clássico friozinho na barriga, à emoção pela chegada, saudades do meu país e, claro, muita vontade de explorar cada canto de Amsterdã, a cidade que a partir daquele junho de 2011 eu chamaria de casa.

Acho que nem preciso dizer que, logo de cara, me apaixonei pela cidade e me arriscaria a afirmar que neste “estado de graça” permaneço até hoje, mesmo depois de passada a empolgação inicial, que geralmente nos faz enxergar apenas as qualidades e ignorar os defeitos. Na verdade, passados alguns bons anos, ainda me considero turista aqui e assim espero permanecer por muito tempo, sem perder o “brilho nos olhos” diante de uma nova paisagem, ponto turístico e afins. 

Canal de Amsterdã em um dia de Sol/fotos: Rafael Dantas e Gisela Cabral

Bem, o que posso dizer é que Amsterdã é capaz de encantar o visitante desde o primeiro momento e não são poucas as pessoas que aqui voltam várias e várias vezes. Um destino cheio de paisagens encantadoras, arquitetura de tirar o fôlego, ruas “cortadas” por ciclovias, canais e onde encontram-se pelo menos mil pontes.

Uma cidade com uma atmosfera incrível, cheia de história, romântica e com opções de entretenimento que agradam pessoas dos 8 aos 80: museus como o Van Gogh e o Rijks, bares e restaurantes para todos os gostos, bairros vibrantes como o Jordaan e o De Pijp, parques como o Vondelpark, praças como a Ledseplein, a Dam e a Rembrandtplein, e festividades como O Dia do Rei (27 de abril), a Parada Gay e muito mais.

A praça Dam enfeitada para o último Natal

Pensando naqueles que estão planejando uma viagem para a cidade mais popular da Holanda, elaborei este resumo de dicas que, ao meu ver, são simplesmente imperdíveis. Portanto, Welkom in Amsterdam! Sejam bem-vindos a Amsterdam!

Antes, porém, uma breve explicação…
Afinal, qual seria o termo correto, Países Baixos ou Holanda? Muita gente não sabe, mas Países Baixos é a denominação oficial. A explicação para o segundo nome (não oficial) é que realmente existiu uma província chamada Holanda inserida na região onde hoje se encontram os Países Baixos.

Essa província surgiu como uma potência dominante no século XVII e por isso o nome é tão famoso no mundo todo, inclusive no Brasil. Atualmente, a região da antiga Holanda corresponde às províncias da Holanda do Sul e da Holanda do Norte (exatamente onde está Amsterdã).

Museus

Van Gogh – pinturas importantes como O Quarto (1888), Girassóis (1889), alguns autorretratos, entre outras, estão todas reunidas neste museu dedicado ao famoso pintor holandês. Reserve pelo menos uma hora para conhecer e apreciar os diversos ambientes do local e, depois da visita, não deixe de saborear um cappuccino com uma fatia da verdadeira torta holandesa no café do térreo.

Rijksmuseum – reaberto em 2013 depois de vários anos em obras, o Rijks é considerado um dos melhores museus da Europa. E não é para menos, lá o visitante vai encontrar uma enorme coleção de artistas holandeses, entre eles Rembrandt (“A Ronda Noturna” é uma das obras imperdíveis!) e Vermeer. Além disso, o prédio do museu é um espetáculo à parte, assim como o café do local, que tem um cardápio gostoso e uma atmosfera incrível.

 

O museu Van Gogh é um dos mais famosos da cidade/foto: Jan-Kees Steenman

A Casa de Anne Frank – os horrores da Segunda Guerra podem ser vistos e sentidos durante a visita à casa de Anne Frank. Um anexo secreto na rua Prinsengracht 263 onde a menina e sua família viveram escondidos do regime nazista por dois anos. Emocionante, porém nada recomendado para os que têm fobia de lugares muito fechados. Dica importante: adquira o seu ingresso com o máximo possível de antecedência, pelo site da atração, ou então você corre o risco de ficar sem.

Heineken Experience – você é fã da cervejaria Heineken? Então, não perca a visita ao Heineken Experience e saiba tudo sobre a famosa marca holandesa, desde a sua fundação até os dias atuais. O ingresso é um pouco caro, mas o museu é interessante e muito interativo. Além disso, visitantes aptos podem degustar duas tulipas de cerveja no final do tour.

 

Ao fundo, “A Ronda Noturna”, de Rembrandt – Rijksmuseum/foto: Erik Smits

Madame Tussauds – as estátuas de cera do Madame Tussauds são famosas mundialmente e podem ser vistas de perto em várias capitais do mundo, entre elas Amsterdã. São artistas de cinema, políticos e personalidades das mais diversas áreas, algumas delas tão bem feitas que parecem de verdade. O Madame Tussauds Amsterdã fica na Praça Dam e a entrada custa €23,50 (na hora) e €19,50 (pelo website).

De Nieuwe Kerk (Igreja Nova) – a bela e imponente igreja da Praça Dam – onde acontecem as cerimônias de inauguração dos monarcas holandeses desde 1814 – é um local que guarda tesouros importantes e também sedia várias exposições, entre elas a World Press Photo. Quer saber o que está rolando por lá neste momento? Clique aqui.

A Casa de Anne Frank é um dos museus mais procurados de Amsterdã

Museu de Amsterdam – aqueles que desejam conhecer a história de Amsterdã a fundo, não podem deixar de visitar esta atração, que fica a poucos passos da praça Dam. Isso por que, além do interessante acervo, o Museu de Amsterdam é super interativo (não perca a exposição Amsterdam DNA).

Pontos turísticos

Vondelpark – o maior e mais famoso parque de Amsterdã atrai uma grande quantidade de locais e turistas não só pela área verde, mas também pelos lagos, pista de corrida, bares/restaurantes e claro, pelos gramados superconvidativos para um piquenique em um dia de Sol. Está vindo entre os meses de maio e agosto? Então, não deixe de consultar a programação de eventos ao ar livre do Vondelpark, clique aqui.

Leidseplein – a praça que parece “não dormir nunca” é uma das mais famosas e turísticas da cidade. Rodeada de bares/restaurantes (nem sempre os melhores) e lojas como a da Apple, o local também é palco de apresentações artísticas, principalmente no verão. Já no inverno, a Leidseplein recebe barraquinhas que vendem waffles e os famosos Oliebollen – deliciosos bolinhos com uvas passas, fritos e passados no açúcar – além de uma pista de patinação.

Vondelpark

Museumplein (Praça dos Museus) – localizada entre os museus Van Gogh e Rijks, próxima ao museu Stedelijk (arte moderna) e à casa de espetáculos Concertgebouw, a praça dos museus é um dos pontos de encontro em Amsterdã, além de palco para alguns eventos e festivais da cidade. É nesse local que você também vai encontrar o monumento I Amsterdam, uma homeganem à cidade em letras garrafais. Prepare a câmera fotográfica!

Praça Dam – a praça super movimentada – e cheia de história – fica a pouco mais de 1 km da Estação Central de Trens (Amsterdam Centraal). Lá o visitante vai encontrar o Memorial Nacional aos Mortos, um monumento que homenageia as vítimas da Segunda Guerra Mundial, além de bares, restaurantes, casas noturnas e lojas com opções para os mais diversos gostos (muito bom para os que querem comprar suvenir).

Amsterdã tem excelentes opções de feiras

Albert Cuyp Market – esta é a maior feira a céu aberto de Amsterdã e onde você vai encontrar de tudo um pouco, roupas, sapatos, acessórios, produtos de beleza e, claro, uma série de comidinhas deliciosas: os famosos queijos, como o holandês Gouda, o kip saté (espetinho de frango com molho à base de amendoim) e o stroopwafel (biscoito típico holandês recheado com caramelo). Ah, o melhor stroopwafel da feira é feito na hora. É só seguir o aroma para encontrar a barraca!

Bairro da Luz Vermelha (Red Light District) – fica nas mediações da Oude Kerk (igreja antiga). Uma área onde prostitutas oferecem seus serviços legalmente e, curiosamente, dentro de pequenas vitrines iluminadas com a luz vermelha. Ao andar pelo labirinto de ruelas, que abriga, ainda, lojas como sex shops, jamais tire fotos das mulheres nas vitrines e fique atento para a ocorrência de furtos.

Biblioteca Pública de Amsterdã (Open Bare Bibliotheek) – a biblioteca fica bem pertinho da estação central de Amsterdã – em Oosterdokseiland, a cinco minutinhos de caminhada da central, sentido Museu de ciência Nemo. Do topo do belo prédio se tem uma das vistas mais legais da cidade, além de um café cheio de delícias. A entrada é gratuita.

Pôr do Sol às margens do rio Amstel

Passeios

De Barco – excelente pedida para quem deseja conhecer Amsterdã, a bela cidade dos canais e pelo menos mil pontes, de um ângulo diferente. Em geral, os cruzeiros comuns têm guias em áudio em português e duram 75 minutos. A minha empresa favorita é a Blue boat , mas aqui você adquire mais informações sobre passeios e outras empresas.

Tour de Bicicleta – faça como os habitantes locais, explore Amsterdã sob duas rodas! Como já é sabido, a cidade é toda cortada por ciclovias bem sinalizadas, fazendo com que este seja o meio de transporte preferido dos amsterdammers. No entanto, é preciso ficar atento, pois o roubo de bicicletas é algo muito comum na cidade (jamais deixe a sua bike sem a corrente, ao estacionar). Ah, o aluguel de bicicletas em Amsterdam deve custar algo em torno de 15, o dia, lembrando que nas áreas mais afastadas do centro turístico é possível pagar menos.

Zaanse Schans – a dica é para os que desejam conhecer de perto os famosos moinhos holandeses. Zaanse Schans fica a 17 minutos, de trem, da Estação Central de Amsterdam e a visita ao local vale a pena pela paisagem encantadora, cafés/restaurantes, museus e muito mais. Como chegar lá: pegue o trem na direção Uitgeest e desça na estação Koog-Zaandijk. Da estação até o local você vai caminhar cerca de 15 minutos, é só seguir as placas.

Keukenhof – vai visitar Amsterdã entre os meses de março e maio? Então, não deixe de ir ao Keukenhof, o belíssimo parque das flores situado próximo à cidade de Lisse, de fácil acesso para quem está em Amsterdã. Para saber mais sobre a atração, confira as fotos abaixo e clique nesta matéria que eu fiz para o MD.

Área central do Foodhallen, em Amsterdam Oude West

Den Haag (Haia) e Roterdã – aqueles que estiverem com tempo sobrando também podem aproveitar para dar um pulinho em Haia, a capital política da Holanda, ou Roterdã, a segunda maior cidade dos Países Baixos. Da estação central de Amsterdã partem trens a todo momento para as duas cidades e a viagem dura, em média, 50 minutos, para Haia, e 1h10, para Roterdã. (dependendo do horário e do trem escolhido, a viagem pode ser mais longa ou mais curta).

Onde Comer

Febo – a famosa rede de snacks holandesa faz a festa de nativos e turistas ao comercializar seus produtos – baratos e deliciosos – em vitrines, onde o cliente faz o pagamento e retira o alimento por conta própria. Não deixe de experimentar os hambúgueres, os croquetes de carne e o kasssouflé (com queijo derretido).

Gollem’s Proeflokaal – o bar tem uma atmosfera incrível, excelentes cervejas e um cardápio repleto de delícias, a exemplo do hambúrguer e do fondue de queijo trapista. Ah, o Gollem’s fica a mais ou menos 10 minutos de caminhada da Leidseplein. Reservas são altamente recomendadas e podem ser feitas pelo website!

Foodhallen – uma espécie de mercado gastronômico onde você encontra uma série de estandes, todos pertencentes à restaurantes da cidade. E o interessante do lugar – que fica dentro do complexo De Hallen – é justamente poder experimentar várias comidinhas de uma só vez.

Aqueles que curtem um bom hambúrguer, por exemplo, irão gostar do The Butcher e suas criações como o The Daddy, angus beef coberto com queijo Edam derretido, bacon, molho barbecue e cebola grelhada (mais do cardápio aqui). Mas se você gosta de comida oriental, não pode deixar de provar as delícias do Việt View, especializado em street food vietnamita. Os rolinhos spring roll fritos são sensacionais!

Já os apaixonados por carne não devem deixar de experimentar a farta tábua de carnes do The Rough Kitchen ou os deliciosos bitterballen (snacks holandeses recheados com carne) do De BallenBar. Lembrando que no complexo De Hallen há, ainda, um cinema, uma biblioteca, hotel e uma feirinha de produtos locais, que acontece duas vezes no mês, aos sábados e domingos.

Cone de batatas fritas com maionese do Vlaams Friteshuis

Vlaams Friteshuis Vleminckx – sabe aquelas batatas fritas supersequinhas e saborosas, servidas em um cone? Pois bem, assim como a Bélgica, a Holanda também é apaixonada por elas e um excelente local para experimentá-las, em Amsterdã, é na Vlaams Friteshuis Vleminckx. Uma “portinha” situada bem próxima à Kalverstraat, a movimentada rua das compras, onde sempre tem uma fila, de tão famosa que a iguaria é. Os cones estão disponíveis nas versões small (pequeno), medium (média) e large (grande). Confira aqui o cardápio.

New King – o restaurante especializado em comida oriental fica em Chinatown, uma das áreas mais conhecidas do centro de Amsterdã. O local costuma ser bastante concorrido, pois o pato à moda chinesa, servido pela casa, é bem famoso na cidade. Ao sair do restaurante, não deixe de explorar a rua, onde está o belo Templo Budista de Amsterdã!

Cannibale Royale – se você é um apaixonado por carnes e hambúrgueres suculentos, o Cannibale é uma ótima pedida. São quatro restaurantes espalhados pela cidade, todos com ambientes informais, excelente atendimento e coquetéis deliciosos. A dica é fazer a reservar pelo site, para não correr o risco de ficar sem mesa.

Torta holandesa da Winkel 43. Simplesmente deliciosa!

Pikoteo – O Pikoteo é uma taverna de tapas comandada pelo chef espanhol Miguel Gómez. No local são servidas várias delícias, a exemplo do jamón ibérico, batatas bravas, croquetes, além de criações mais elaboradas do chef, que nasceu em Madri, mas viajou o mundo todo. Reservas são altamente recomendadas e podem ser feitas pelo website.

Winkel 43 – neste local você vai experimentar a torta holandesa mais famosa da cidade. Tão famosa que em certos dias fica difícil até entrar no café, devido à grande quantidade de clientes. Servida com chantily ou não, a torta tem sabor e textura incríveis, além de um farto recheio de maçãs. Vale a pena conferir!

De Bekeerde Suster – lá você vai encontrar cardápio farto, com cervejas diversas (inclusive a produzida pela casa) e uma série de petiscos e pratos deliciosos. A cervejaria De Bekeerde Suster fica a pouquíssimos passos da Nieuwmarkt, outra praça bem famosa de Amsterdã, rodeada de bares.

Troost – o Troost é uma cervejaria holandesa que, além da própria cerveja, fabrica licor e até limonada. São três endereços na cidade – um quarto será aberto em breve – todos eles superconvidativos e com um cardápio de dar água na boca (destaque para os hambúrgueres da casa). Reservas são recomendadas, clique aqui para fazer a sua.

Febo, a rede de snacks mais famosa da Holanda

Compras

Albert Heijn – a rede de supermercados mais famosa da Holanda é um lugar onde você vai encontrar pratos prontos – como sanduíches, sushis e saladas – bebidas, chocolates, queijos e os famosos biscoitos stroopwafel, todos a preços bem mais em conta do que nas lojas de souvenir! Procure pela placa AH (há lojas espalhadas por toda a cidade), mas, atenção, nenhum dos estabelecimentos da rede aceita cartões do tipo Visa e Mastercard, por isso é sempre bom ter algum dinheiro em espécie no momento da compra!.

Kalverstraat – nesta rua há opções de compras para os mais diversos gostos; são grandes lojas de departamento, um mini-shopping (o Kalvertoren), cafés e restaurantes, redes de fast food, museus e até uma igreja. Sim, em plena rua de compras, exatamente no número 58, você encontra a discreta De Papegaai (O Papagaio, na tradução literal).

Kalverstraat

Leidsestraat – ao sair da Leidseplein é só seguir a linha do tram (direção Central Station). Nesta rua você vai encontrar lojas de todos os tipos e para os mais diversos bolsos.

PC Hoofstraat – neste endereço encontram-se grandes lojas e grifes mundiais, como Prada, Armani, Diesel, Chanel, Louis Vuitton, Nespresso, entre outras.

De 9 straatjes (As 9 ruas) – eis aqui uma área que vale a pena ser explorada, mesmo que não haja a intenção de comprar nada. São nove ruas situadas no Jordaan, um dos meus bairros preferidos em Amsterdã, cheias de lojinhas interessantes, galerias de arte, cafés, restaurantes e belos canais.

De Bijenkorf – Localizada em um enorme prédio na esquina da praça Dam, a loja de departamentos holandesa funciona como um grande shopping onde são vendidas não apenas roupas masculinas, femininas e infantis (a maioria de marcas famosas), mas também cosméticos, artigos para casa (a seção de cozinha é maravilhosa), livros, entre outros. Dica: não perca o café/restaurante que fica no 5º andar do prédio. Falo dele aqui.

vida-noturna-amsterda

Vida Noturna

Bourbon Street – Jazz, rock, funk e soul são alguns do estilos musicais que reinam neste bar/casa noturna, que já foi palco para apresentações de músicos famosos como Bruce Springsteen, Sting e Joss Stone. Clique aqui para conferir a agenda da casa, que fica a poucos passos da Leidseplein.

The Waterhole – mais uma casa noturna de Amsterdã – próxima à Leidseplein – com música ao vivo todos os dias (Pop rock é o carro-chefe), menu de bebidas variado e uma atmosfera pra lá de animada. Para conferir a programação do momento, clique aqui.

Rembrandtplein – a praça Rembrandt é um dos endereços mais indicados para aqueles que desejam curtir a noite de Amsterdam, pois o local está cercado de casas noturnas, bares e lanchonetes que costumam fechar bem tarde.

Paradiso – uma antiga igreja onde funciona, atualmente, uma das casas de shows mais famosas da cidade. Antes de conhecer e curtir a noite por lá, no entanto, é bom dar uma conferida na agenda do local, que já recebeu gente muito famosa, a exemplo da banda Rolling Stones e a cantora Amy Winehouse (1983-2011).

Melkweg – mistura de casa noturna, casa de shows e eventos, o Melkweg tem sempre uma programação bacanérrima e que costuma agradar a todos, tanto locais quanto turistas. Você pode conferir a agenda completa do local aqui, mas, caso nada agrade, é só atravessar a rua e dirigir-se até o Sugarfactory, outra casa que vale a pena conhecer.

I amsterdam.com – neste website você vai encontrar tudo sobre Amsterdã, além de uma agenda de eventos supercompleta, com tudo o que está rolando na cidade nesse exato momento.

E para quem curte um boa cerveja…

Brouwerij De Prael – tradição é palavra de ordem nesta cervejaria situada em uma das áreas mais antigas de Amsterdã. Todas as cervejas produzidas na casa são orgânicas e foram batizadas com nomes de cantores holandeses. Vale a pena conferir o produto e curtir a atmosfera do local!

Brouwerij ’t IJ – a tradicional cerveja holandesa servida em um ambiente mais típico, impossível: um dos moinhos de Amsterdã. Fundada em 1983, a Brouwerij ’t IJ produz no local toda a bebida servida, além disso você pode fazer um tour pela fábrica e conhecer de perto todo o processo. Atenção: o local só funciona

É fã de uma cervejinha? Amsterdã, então, não vai te decepcionar nesse sentido

Café de Spuyt – escondido em uma das ruas próximas à Leidseplein está o Café de Spuyt, um bar de Amsterdam com um cardápio de cervejas de “encher os olhos”. Lá, por exemplo, você vai apreciar a cerveja trapista (belga) Westvleteren, entre outras bem famosas.

Café Belgique – o café é pequeno, porém bastante disputado. Lá, além de uma atmosfera incrível, o visitante vai encontrar um interior típico do século 17 e um cardápio repleto de cervejas belgas (são mais de 50 rótulos). O Café Belgique fica perto da praça Dam.

In de Wildeman – o bar oferece 250 tipos de cerveja engarrafadas e 18 “tiradas na hora”, marcas belgas e holandesas, em sua maioria. Em dúvida sobre qual cerveja escolher? Pergunte a um dos garçons da casa, eles entendem tudo do assunto! O In de Wildeman fica a poucos minutos da Estação Central de Trens de Amsterdã.

amsterda-dicas

Dicas

Clima – as estações costumam ser bem definidas ao longo do ano, sendo o inverno bastante rigoroso para os padrões brasileiros. Chuvas ocasionais, mas com possibilidades de aberturas de sol, podem ocorrer em qualquer época do ano.

O que Levar na Mala – capas de chuvas são importantes e muito mais úteis do que guarda-chuvas, por conta do vento forte. Vai visitar Amsterdã no verão? Então, não esqueça de trazer um casaco leve, pois o clima aqui sempre pode mudar! Já aqueles que pretendem se aventurar em terras holandesas, no inverno, não podem deixar de trazer casacos apropriados, roupas de baixo, as chamadas “segunda-pele”, luvas, gorro, meias, cachecol e sapatos próprios para o frio.

Onde Ficar – Amsterdã não oferece apenas um bairro ideal para se hospedar, mas vários. O Joordan, por exemplo, é repleto de canais, ruazinhas, cafés e restaurantes de todos os tipos – ideal para quem pretende experimentar esse lado mais charmoso da cidade. A região próxima à Estação Central de Trens também abriga boa quantidade de opções, muitas delas pertencentes às grandes redes. Mas se a intenção é ficar próximo da movimentação noturna, as regiões ideais são as das praças Leidse, Rembrandt e Dam.

Para economizar na estadia em um hotel/hostel ou apartamento de temporada, faça a reserva com antecedência, de preferência com cancelamento gratuito, e fique atento para o surgimento de uma oferta melhor.

Entardecer em Amsterdam

Segurança – Em geral, Amsterdã é uma cidade bastante tranquila, sendo o roubo de bicicletas o crime mais comum da cidade (nunca deixe a sua bicicleta destravada ao estacioná-la). Mesmo assim, é bom ficar atento em lugares com grande concentração de pessoas (evite deixar a carteira à mostra e andar com a bolsa aberta) ou em regiões como a da Red Light District tarde da noite.

Alguns golpes também têm sido aplicados na região da Red Light District nos últimos tempos: pessoas mal-intencionadas abordam turistas de um jeito rude, se dizendo da Polícia, e aproveitam da situação para furtar carteiras. Dica: tente se comportar o mínimo possível como turista nestes lugares, falando alto em outro idioma ou exibindo bens, como celulares e câmeras fotográficas. Todo cuidado é pouco!

Transporte – Amsterdã é uma cidade muito bem servida de bondinhos elétricos, ônibus, trens, táxis e Uber, além disso o destino é perfeito para ser explorado à pé ou de bicicleta. Aqueles que pretendem usar bastante o transporte público da cidade, economizarão mais se adquirirem tíquetes disponíveis nas versões 24 horas, 2, 3, 4, 5, 6  e 7 dias. No Guia de Amsterdã eu explico tudo sobre o assunto. Saiba mais aqui.

Loja de departamentos De B’jenkorf

Idioma – o idioma oficial da cidade é o holandês, mas com o inglês o visitante se vira perfeitamente por aqui. Quer agradar os habitantes locais? Tente falar algo em holandês, como “Dank u wel” (pronuncia-se “Dank ú vel”), “muito obrigado”, na tradução para o português. Aliás, os holandeses costumam ser bastante solícitos com o turista, portanto, se precisar de alguma informação na rua não pense duas vezes, pergunte!

Como economizar em Amsterdã – muita gente reclama dos preços de Amsterdã e a verdade é que o destino, realmente, não é dos mais baratos para turismo. Para economizar durante a sua estadia, evite fazer todas as refeições em restaurantes, procure por opções mais em conta como lanchonetes, cafés e supermercados que vendem comida pronta. Além disso, no quesito locomoção é sempre mais vantajoso percorrer a cidade de bike ou optar pelo cartão de 24 horas, 4 ou 7 dias, ao invés de comprar uma passagem a cada viagem de bondinho elétrico (tram) ou ônibus. Outra opção é adquirir o cartão da cidade, saiba mais sobre ele no próximo tópico.

Quer saber como levar dinheiro em viagens internacionais (e fugir do IOF)? Clique aqui.

I Amsterdam City Card – o cartão pode ser muito bom para os que desejam visitar vários pontos turísticos, museus (incluindo o Van Gogh e o Rijks), fazer o passeio de barco, utilizar o transporte público e, ainda assim, economizar. O benefício está disponível nas versões 24, 48, 72 e 96 horas, em todos os casos, no entanto, é preciso avaliar se você vai conhecer todas as atrações incluídas no “pacote”, naquele determinado espaço de tempo, para valer a pena. Adquira o seu cartão aqui.

Coffee Shops – o uso de drogas leves, como a maconha, é tolerado em Amsterdã. Isso quer dizer que você pode adquirir a substância em um local apropriado, num dos vários coffee shops da cidade, e fazer uso no local. Mas, ao contrário do que se imagina, não é permitido fumar na rua, além de ser estritamente proibido cruzar fronteiras portando qualquer quantidade que seja.

Balcões de Informação ao Turista – estão sinalizados pelas letras VVV (Vereniging voor Vreemdelingenverkeer) e você pode encontrar um logo em frente à Estação Central, na rua Stationsplein 10 – Tel: +31 (0) 20 201 8800

Guia turístico em português – A Tahiba Melina é uma guia brasileira supercompetente e apaixonada pela Holanda. Ela monta os passeios de acordo com os gostos do cliente, para saber mais sobre os tours e preços, você pode mandar um e-mail para umaguiaemamsterdam@gmail.com ou acessar a página dela no Facebook.

Essas são apenas algumas dicas desta cidade fantástica, que tem muito mais a oferecer! Já visitou Amsterdã? Deixe suas dicas nos comentários e participe!

Autor

Gisela Cabral - Editora de destinos - Europa Jornalista brasileira vivendo uma grande aventura na terra dos queijos, moinhos e tamancos!