Qual o melhor programa para resgatar passagens internacionais com pontos ou milhas – confira a nossa pesquisa exclusiva

Leonardo Cassol 2 · julho · 2015

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Quer utilizar suas milhas para viajar para o exterior? O Melhores Destinos elaborou uma pesquisa exclusiva que mostra qual o programa de fidelidade brasileiro que apresenta o melhor custo x benefício na hora de resgatar uma passagem para voos internacionais, além de apresentar dicas importantes. Confira!

Nesta nova e inédita pesquisa, apresentamos a quantidade de pontos necessária para se resgatar passagens para 10 destinos internacionais, entre os mais procurados pelos brasileiros e com maior oferta de voos, nos Estados Unidos, Europa e América do Sul, partindo de 17 cidades brasileiras. Foram analisados e comparados os programas de fidelidade da TAM/Multiplus, GOL/Smiles, Azul/TudoAzul e Avianca/Amigo.

Este é o segundo estudo exclusivo do Melhores Destinos sobre o custo do resgate de uma passagem aérea com milhas. Recentemente, publicamos outra pesquisa exclusiva que analisou qual programa de fidelidade nacional oferecia as melhores opções de resgate para voos domésticos. O resultado de ambos estudos foi replicado pela Exame.com

CRITÉRIOS DE ANÁLISE:

Para elaborar o ranking, consideramos três critérios de análise:

  • Disponibilidade de assentos com pontos em voos internacionais para os destinos pesquisados, a partir das 17 cidades brasileiras com maior movimento em seus aeroportos;
  • Quantidade de vezes que cada empresa ofereceu a opção de resgate com o menor custo, considerando o universo de 147 trechos de ida e de volta pesquisados; e
  • Quantidade média de pontos necessários para resgate de passagens de ida e volta para os destinos analisados.

 RESULTADOS DA PESQUISA:

Quem se saiu melhor? Quais as vantagens e desvantagens de cada programa para o resgate de passagens internacionais? Confira abaixo o resultado de nossa pesquisa exclusiva:

Resultados-Conjunto

1o lugar: TAM / Multiplus

A TAM / Multiplus ficou em primeiro lugar por disponibilizar a maior quantidade de trechos e oferecer o maior número de trechos com a menor quantidade de pontos, na comparação direta com as demais empresas brasileiras. É possível viajar com pontos pela TAM a partir de todas as cidades pesquisadas para todos os 10 destinos selecionados (99% de disponibilidade). A TAM ofereceu a opção com menor custo em milhas em 79 dos 147 trechos possíveis.

No entanto, o programa peca por possuir a pior tabela de resgate em voos próprios para o exterior, podendo cobrar até inacreditáveis 230 mil pontos para uma passagem para os Estados Unidos e até 260 mil para a Europa (apesar de não termos encontrado essas tarifas em pontos durante a nossa pesquisa).

A média geral de pontos exigidos por um bilhete de ida e volta na TAM e seus parceiros foi de 73.979 pontos, cerca de 9% a mais do que suas concorrentes. O fato dela disponibilizar assentos para todos os destinos e origens pesquisados (incluindo os mais distantes e mais caros) contribuiu para isso, mas é certo que o aumento da concorrência nas rotas internacionais será saudável e deverá obrigar a TAM a rever sua política de pontos (e sua tabela de resgate).

Destaques positivos:

  • Possui a maior malha aérea internacional, com opções de voos diretos para muitas cidades dos Estados Unidos, Europa e América do Sul e conexões das maiores cidades brasileiras. A união com a LAN deverá ampliar ainda mais as possibilidades de resgate de bilhetes internacionais, especialmente para destinos da América Central e América do Sul; e
  • Cartões TAM Fidelidade Vermelho, Vermelho Plus e Black oferecem uma tabela diferenciada, com maior disponibilidade de vagas e menor quantidade de pontos. Para ter direito ao benefício, é necessário pesquisar as passagem após ter feito o login no site.

Destaques negativos:

  • A tabela de resgate de voos internacionais está bastante inflacionada, permitindo a cobrança de um número muito grande de pontos por bilhete, a critério da TAM. É comum achar passagens para a Europa em classe econômica por 180 mil pontos ou para os EUA por 140 mil;
  • A TAM penaliza quem mora fora do eixo São Paulo – Rio de Janeiro, local de onde parte a maioria dos seus voos internacionais, cobrando caro pela inclusão do trecho doméstico no bilhete com milhas. Em alguns casos, a diferença em pontos chega a ser tão grande, que justifica que a emissão do trecho doméstico seja feita separadamente, em outro bilhete (atenção, lembre-se de que fazendo isso a empresa não é obrigada a honrar o bilhete em caso de atrasos ou cancelamentos); e
  • Oferece poucas vagas em voos operados por parceiros (onde a tabela é fixa) e não disponibiliza todos os voos de parcerias no site (determinados trechos são encontrados apenas através da central de atendimento).

2o lugar: GOL / Smiles

O Smiles vem trabalhando para ampliar a disponibilidade de destinos e de vagas em passagens com milhas, através da celebração de novas parcerias, como recentemente ocorreu com a TAP e com a Copa Airlines. Prova disso é que conseguiu oferecer passagens com pontos para 111 dos 147 trechos pesquisados (75% de disponibilidade), apesar de a GOL não voar diretamente para metade dos destinos pesquisados. O Smiles ofereceu a opção com menor custo em milhas em 66 dos 147 trechos possíveis, apenas 13 trechos a menos do que a primeira colocada. Na média geral de pontos exigida por um bilhete de ida e volta, o Smiles ficou em primeiro lugar, com 67.871 pontos. No entanto, o programa ainda peca pela pouca disponibilidade de assentos em algumas rotas e por oferecer passagens em determinados trechos por uma quantidade de pontos exorbitante.

Destaques positivos:

  • Permite a realização de stopover, uma parada intermediária com duração maior do que 24h durante uma escala e conexão, sem custo adicional, em voos próprios ou de parceiros. A consulta de disponibilidade e emissão com stopover precisa ser realizada pela central de atendimento. É uma ótima pedida para quem vai voar múltiplos trechos. Por exemplo, é possível conhecer Miami e Punta Cana numa mesma viagem, sem gastar mais pontos para isso, já que os voos da GOL para os Estados Unidos fazem escala na República Dominicana;
  • Todos os voos próprios e de parceiros podem ser consultados pelo site do Smiles;
  • Clientes Clube Smiles e Cartão Smiles Diamante podem obter pequenos descontos na passagem com milhas, mas isso ocorre por tempo determinado e é restrito a alguns voos.

Destaques negativos:

  • A tabela de resgate de voos internacionais está bastante inflacionada, permitindo a cobrança de um número muito grande de pontos por bilhete, a critério do Smiles. É comum achar passagens para a Europa em classe econômica por 160 mil milhas ou para América do Sul por 90 mil;
  • O Smiles vem promovendo mudanças no valor do resgate (para pior), sem aviso prévio aos clientes. O pior é que o atual regulamento permite alterações a qualquer momento; e
  • Todos os voos internacionais operados pela GOL utilizam as mesmas aeronaves que fazem voos dentro do Brasil, sem telas com conteúdo de entretenimento, espaço diferenciado entre as poltronas, encosto para os pés etc., enquanto suas concorrentes operam com aeronaves específicas para longo curso e oferecem voos diretos sem escalas para os Estados Unidos e Europa, com mais conforto e opções de entretenimento.

3o lugar: Azul / TudoAzul

Apesar de atualmente possuir apenas 2 destinos internacionais, ambos para os Estados Unidos, a Azul tem oferecido boas tarifas e planeja expandir fortemente a quantidade de destinos nos próximos anos. A empresa conta ainda com uma interessante parceria com o site de passagens Viajanet. Trata-se de um acordo válido para voos internacionais, por meio de várias empresas aéreas, dando maior flexibilidade aos clientes que possuem pontos no TudoAzul. Nessa parceria, cada 10 mil pontos TudoAzul valem cerca de R$ 217 em voos disponíveis na agência. Ou seja, pode ser uma boa opção quando houver tarifas promocionais, mas desvantajoso quando os preços das passagens em dinheiro estiverem altos. No entanto, há restrições de trechos e de empresas aéreas (por exemplo, não é possível emitir passagens nos voos das concorrentes TAM e GOL). Por outro lado, como a passagem será emitida como se fosse paga em dinheiro, dependendo da regra da tarifa e da cia aérea, é possível ainda acumular milhas. A cotação do valor de pontos TudoAzul em créditos no Viajanet pode variar conforme a cotação do dólar e a negociação de novos lotes de pontos entre as empresas.

Através do TudoAzul foi possível encontrar passagens com pontos para 76 dos 147 trechos possíveis (51% de disponibilidade). Em 45 desses trechos, o TudoAzul ofereceu a opção de resgate com menor quantidade de pontos. No critério de média de pontos exigidos para resgate de uma passagem internacional, ficou em segundo lugar, com 68.790 pontos. Podemos dizer que é um bom começo, considerando também que a empresa encomendou inúmeras novas e confortáveis aeronaves para longo curso (os recém lançados Airbus A350, que começam a ser entregues ainda em 2015), e tem realizado promoções genuinamente vantajosas para seus clientes. Por outro lado, o programa ainda tem uma longa jornada a percorrer. Espera-se que a Azul permaneça competitiva após a consolidação de suas primeiras rotas internacionais, o lançamento das novas rotas (Nova Iorque é o próximo destino, com início de operação em 2015) e a implementação completa da parceria com a United Airlines e uma provável parceria com a TAP, que foi comprada pelo consórcio liderado pelo fundador da Azul, David Neeleman.

Destaques positivos:

  • Parceria com o Viajanet, que permite resgatar passagens em diversas empresas, onde 10 mil pontos TudoAzul equivalem a aproximadamente R$ 217;
  • Parceria anunciada com a United Airlines, para emissões de passagens com pontos TudoAzul na United e vice-versa, com previsão de funcionamento pleno a partir de agosto de 2015; e
  • Todos os voos próprios e de parceiros podem ser consultados pelo site da Azul.

Destaque negativo:

  • Possui apenas 2 destinos internacionais próprios, ambos para os Estados Unidos: Fort Lauderdale (muito próximo e equivalente a Miami) e Orlando.

 

4o lugar: Avianca /Amigo

O quarto lugar da Avianca Brasil é natural, já que os membros do Programa Amigo dispõem de pouquíssimas alternativas para resgate de passagens internacionais. O Programa ofereceu opção de saída em apenas 6 dos 147 trechos pesquisados (pouco mais de 4% de disponibilidade), todos eles através de sua parceria com a Avianca Internacional. Ficou na última colocação também na quantidade média de milhas para resgate de bilhetes internacionais, com 76.667 pontos. A entrada da Avianca Brasil na Star Alliance, a partir deste mês, será providencial para ampliar as opções de resgate para os seus clientes.

Destaque positivo:

  • O resgate de passagens internacionais em parceiros segue uma tarifa fixa em pontos, sem grandes variações. Resta saber se o mesmo ocorrerá com as novas parceiras da Star Alliance, como United, Air Canada, Copa, TAP, Lufthansa, Swiss, Turkish, Singapore e Air China, dentre outras.

Destaques negativos:

  • Possui um único destino internacional próprio (Bogotá – destino que ficou fora da pesquisa), com voos a partir de Fortaleza apenas uma vez por semana (aos sábados);
  • Dispõe de apenas uma parceria internacional (Avianca Internacional), mesmo assim com saídas do Brasil somente de São Paulo e do Rio de Janeiro; e
  • Voos da Avianca Internacional exigem conexão em Bogotá e têm disponibilidade limitada.

 

OBSERVAÇÕES SOBRE O RESULTADO DA PESQUISA

A quantidade de pontos para resgate de passagens internacionais pode ser maior do que a apresentada na pesquisa em feriados, durante as férias escolares (julho, dezembro, janeiro e fevereiro) e na alta temporada dos destinos internacionais (por exemplo, no verão europeu, de junho a agosto), período onde os voos têm maior ocupação. Ficamos impressionados com a grande quantidade de pontos que uma passagem internacional pode exigir, já que as tabelas de resgate permitem grande variação na quantidade de pontos, podendo ser bem desfavoráveis ao passageiro.

Muitas vezes, são quantias em pontos que não se justificam do ponto de vista econômico, já que volta e meia aparecem boas promoções de passagens a dinheiro e que o acúmulo de milhas vem ficando mais caro com a alta do dólar (para pontos transferidos do cartão) e com mudanças nas regras dos programas de fidelidade (como fizeram a GOL e a TAM). Portanto, fique atento e valorize suas milhas.

Além disso, o resultado da pesquisa precisa ser analisado numa perspectiva mais ampla. Não estamos afirmando que o programa A é melhor que o programa B. Mas a pesquisa indicou um padrão de custo de milhas por trecho que se manteve igual nas datas de consulta, em diferentes semanas. No entanto, para uma reflexão mais completa, é importante considerar também como funciona o acúmulo de pontos em cada programa, já que as regras são diferentes.

Conheça as principais regras e diferenciais dos 4 programas de fidelidade brasileiros, com foco nos resgates de passagens internacionais.

 

INFORMAÇÕES DOS PROGRAMAS DE FIDELIDADE (FOCO EM VOOS INTERNACIONAIS)

1-Regras Programas

CONFIRA A PESQUISA EM DETALHES

CUSTO MÉDIO POR REGIÃO

Em nossa pesquisa, uma passagem de ida e volta para os Estados Unidos saiu, em média, por 56.524 pontos, quase metade do necessário para ir à Europa, 101.620 pontos. Para viajar para a América do Sul, paga-se, em média 23.684 pontos por uma passagem de ida e volta com milhas.

É mais custoso sair das Regiões Norte (cerca de 13% a mais que a média) e Nordeste (cerca de 7% a mais que a média) do Brasil, qualquer que seja o destino. Isso ocorre em função da grande concentração das saídas internacionais na Região Sudeste, especialmente em São Paulo e no Rio de Janeiro e da decisão das empresas aéreas de, muitas vezes, cobrar mais caro para adicionar o trecho doméstico.

FIGURA2-MILHAS

CONFIRA AS MELHORES OPÇÕES DE RESGATE POR REGIÃO DE DESTINO

ESTADOS UNIDOS

Os consumidores já podem sentir os efeitos positivos de uma maior competição em voos para os EUA.

  • Miami: O Azul/TudoAzul foi disparado a melhor opção, com sua superpromoção de voos de ida e volta a partir de 30 mil pontos. Exceção de Manaus (onde a TAM/Multiplus foi a melhor opção), Goiânia e Vitória (onde o Smiles foi melhor).

MIAMI

  • Orlando: A GOL/Smiles foi imbatível, com bilhetes de ida e volta por 40 mil pontos, partindo de todas cidades.

ORLANDO

  • Nova York: A TAM/Multiplus foi de longe a melhor opção, além da única empresa a oferecer saída de todas as cidades pesquisadas, por 50 mil pontos. Pelo TudoAzul, foi possível sair de São Paulo por 45 mil pontos.

NY

 

EUROPA

Para a Europa, houve um predomínio do TAM/Multiplus e do Smiles, com um cenário bem equilibrado:

  • Espanha (Madri): Smiles, para o Sul e Sudeste e TudoAzul, para Norte e Nordeste ofereceram as melhores opções. A passagem de ida e volta mais barata encontrada foi com saída de São Paulo, por 70 mil pontos.

MADRI

Itália (Milão/Roma): o Smiles ganhou disparado em todos os trechos, com saídas através da boa parceria com a Alitalia por 70 a 100 mil pontos, ou com os parceiros TAP, Air France e KLM. Os trechos de 70 mil pontos foram encontrados com saídas das Regiões Sudeste, Centro Oeste e Nordeste do Brasil, além de Porto Alegre e Manaus.

MILAO

Reino Unido (Londres): TAM/Multiplus ganhou disparado em todos os trechos, com exceção de Rio de Janeiro e de Fortaleza, oferecendo trechos entre 80 e 90 mil pontos. Os trechos de 80 mil pontos foram encontrados na TAM/Multiplus e na Avianca Internacional/Amigo com saídas de parte das Regiões Sudeste e do Sul do País.

LONDRES

França (Paris): TAM/Multiplus ganhou disparado em quase todos os trechos, com exceção de BH, Rio de Janeiro, Fortaleza e Natal, com a maior parte dos resgates a caros 130 mil pontos. O trecho mais barato foi saindo de São Paulo pela TAM/Multiplus.

PARIS

 

AMÉRICA DO SUL

Para a América do Sul, houve um novamente um predomínio do TAM/Multiplus e do Smiles, com uma pequena vantagem para o Multiplus:

  • Argentina (Buenos Aires): Smiles foi a melhor opção para quem sai do Sul e do Sudeste e o TAM/Multiplus para quem sai do Centro Oeste, Norte e Nordeste. Encontramos voos de São Paulo e de Porto Alegre por apenas 12 mil pontos pela GOL/Smiles.

BUENOSAIRES

Chile (Santiago): Smiles foi a melhor opção para quem sai do Sul e do Centro Oeste do Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo. O TAM/Multiplus foi melhor para quem sai do Norte, Nordeste, BH e Vitória. A promoção da GOL/Smiles com passagens por 12 mil pontos (ida e volta) foi o grande destaque.

SANTIAGO

Se a sua cidade ou destino não apareceu na pesquisa, lembre-se que você pode pesquisar a quantidade de pontos necessários para resgate no site ou na central de atendimento das empresas aéreas.

 

METODOLOGIA DA PESQUISA

  • Foram selecionadas 17 cidades brasileiras como origem, considerando os aeroportos mais movimentados do Brasil, de acordo com a ANAC e Infraero;
  • Foram selecionadas 10 cidades internacionais como destino, entre as mais procuradas pelos brasileiros, bem como entre as que possuem maior competição e oferta de voos, sendo:
    • 3 cidades nos Estados Unidos: Miami (ou Fort Lauderdale), Nova York e Orlando;
    • 5 cidades na Europa: Madri (Espanha); Paris (França); Milão e Roma (Itália); Londres (Reino Unido) – os resultados de Milão e Roma foram apresentados e analisados conjuntamente;
    • 2 cidades na América do Sul: Buenos Aires (Argentina) e Santiago (Chile);
  • Foi considerada a menor pontuação disponível em voos diretos entre as localidades, ou com escala ou conexão com intervalo máximo de 5 horas de duração entre os voos. Voos com conexões maiores que 5 horas foram considerados em casos de única disponibilidade, mas foram sinalizados nas tabelas, para que fossem diferenciados dos demais;
  • A pesquisa foi realizada no dia 05/06/2015 (sexta-feira), com voos entre 105 e 122 dias de antecedência, considerando de 6 a 14 dias de permanência no destino, com ida entre 20/09/2015 e 06/10/2015 e volta entre 26/09/2015 e 21/10/2015. Foram computados sempre os resultados com menor custo em pontos, respeitados os demais critérios da pesquisa;
  • A pesquisa foi realizada anteriormente no mês de maio de 2015, para fins de definição da metodologia, considerando 60 e 120 dias de antecedência e seguindo os demais critérios. Não foram notadas diferenças significativas nos resultados da pesquisa de maio para junho;
  • A pesquisa no Fidelidade TAM e no Smiles foi realizada sem utilizar o login, considerando, respectivamente, o status de cartão branco na TAM e cartão Smiles na GOL, para que os benefícios da tabela diferenciada de resgate para cartões vermelho e black na TAM ou a promoção de desconto para cartões Smiles Diamante ou Clube Smiles na Gol não gerassem uma distorção na comparação com as demais empresas aéreas;
  • A pesquisa da Avianca precisou ser realizada pela central de atendimento, uma vez que a empresa não disponibiliza a consulta de voos pela parceira Avianca Internacional na Internet;
  • Os dados pesquisados foram registrados pelo Melhores Destinos em imagens e estão disponíveis para avaliação das empresas aéreas e de outras partes interessadas.

 

DICAS PARA EMITIR PASSAGENS INTERNACIONAIS COM MILHAS:

Pesquisar uma passagem internacional com um preço justo em milhas não é uma tarefa simples. A variação na quantidade de pontos para resgates é tão grande, que torna a lógica de preços difícil de compreender, até mesmo para os viajantes mais experientes. É possível achar boas tarifas, mas isso pode demandar algumas horas de pesquisa. É importante ficar atento e pesquisar.

Confira nossas dicas:

  1. O melhor período para emissão de passagens internacionais com milhas é entre 90 e 180 dias de antecedência para alta temporada – ex: férias escolares (julho, dezembro, janeiro e fevereiro), feriados, meses de verão na Europa e Estados Unidos etc., e entre 30 e 120 dias para os demais períodos. O importante é ter em mente o custo padrão do trecho desejado e emitir a passagem no momento certo;
  2. Planeje sua viagem com alguma flexibilidade nas datas de voo. Quanto maior a flexibilidade, maiores as chances de encontrar boas tarifas;
  3. Voos diurnos e voos com conexão tendem a custar menos pontos do que voos diretos, sem escalas. Considere esse alternativa se quiser economizar milhas;
  4. Se for viajar em grupos de 4 ou mais passageiros, considere, se possível, dividir os passageiros em diferentes voos ou datas, aumentando as chances de encontrar passagens com menor custo;
  5. Pesquise voos utilizando a opção de “ida + volta”. Em trechos internacionais operados pelas empresas brasileiras é possível a tarifa em pontos sem mais alta quando se pesquisa apenas trecho único, apesar de ser permitido esse tipo de resgate;
  6. Consulte a disponibilidade de voos em empresas parcerias que operam o destino desejado. Em nossa pesquisa, foi comum encontrar resgates mais vantajosos em parceiros do que nos voos próprios das empresas brasileiras;
  7. Não confie integralmente nos mostradores de disponibilidade de tarifas em múltiplas datas. Tanto na TAM quanto na GOL, encontramos recorrentemente trechos com custo maior ou menor do que o indicado em múltiplas datas x a pesquisa por data específica. Vale a pena garimpar;
  8. Consulte sempre o preço da tarifa em dinheiro antes de emitir uma passagem com pontos e valorize suas milhas. Encontramos passagens por 100 mil pontos, cuja tarifa em dinheiro estava custando menos de R$ 1.000,00 (e onde o cliente ganharia no mínimo 10 mil milhas adicionais).

Lembre-se: você fica sabendo de todas as promoções aqui no Melhores Destinos! Curta o Melhores Destinos no Facebook, no Twitter ou ainda baixe o APP do Melhores Destinos no seu celular, e fique sabendo das promoções em primeira mão.

 

DICAS PARA QUEM VAI CONVERTER OS PONTOS DO CARTÃO DE CRÉDITO EM MILHAS

  1. Aproveite as promoções que oferecem bônus para transferências de pontos do seu cartão de crédito para os programas de fidelidade. É possível ganhar entre 10% e 100% de bônus sobre o valor transferido;
  2. Fique atento às promoções de resgate de passagens internacionais. Oportunidades de viajar com 30 mil milhas (ida e volta) para os Estados Unidos (Promoção Azul) ou 12 mil milhas para a América do Sul (Promoção Gol) se concretizaram no primeiro semestre de 2015;
  3. Lembre-se de que a quantidade de pontos necessários para a viagem pode variar a qualquer momento, da mesma maneira que funciona a tarifa em dinheiro. E, no caso dos voos internacionais as tabelas de resgate das companhias aéreas podem ser bem desfavoráveis ao passageiro; e
  4. Cuidado com a validade das milhas. Geralmente, na conta do programa de fidelidade da empresa aérea, os pontos vencem após 2 anos a contar da data de crédito. Alguns programas permitem recuperar milhas vencidas, mas isso custa muito caro e pode não valer pena.

 

E você, o que achou do resultado da pesquisa? Teve alguma experiência recente positiva ou negativa no resgate de passagens internacionais? Tem alguma dica para compartilhar? Deixei o seu comentário e interaja com os demais leitores.

O Melhores Destinos é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas e artigos de interesse de seus leitores. Ele não vende nenhum produto ou serviço e possui total isenção em seu conteúdo editorial. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada programa de fidelidade.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Economista, apaixonado por viagens, aviação e milhas! Especialista em programas de fidelidade do Melhores Destinos