Azul negocia compra de jatos Boeing 737 ou Airbus A320 e está perto de entrar na Star Alliance

Denis Carvalho 12 · setembro · 2014

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Esta é mesmo uma semana da Azul. Após o lançamento das passagens para os Estados Unidos (ainda disponíveis para Miami / Fort Lauderdale por R$ 1.507 ida e volta), o presidente da companhia, David Neeleman, deu uma entrevista não menos bombástica para o site americano Bloomberg sobre os próximos passos da companhia. Duas revelações merecem destaque.

A primeira é que a companhia negocia a compra de jatos Airbus A320neo ou Boeing 737 Max para substituir parte dos Embraer nas rotas mais movimentadas. Seria uma mudança significativa na frota da companhia, que hoje opera voos domésticos apenas com modelos da fabricante brasileira e turboélices ATR. A segunda é a confirmação de que a companhia está em processo de filiação à Star Alliance, a maior aliança de companhias aéreas do mundo, com possibilidade de se tornar membro ainda neste ano.

Segundo Neeleman, a ideia de comprar os novos aviões não é apenas para aumentar a capacidade, mas também para deslocar os jatos Embraer para novas rotas regionais – a ideia da Azul é aproveitar o programa de incentivo à aviação regional incluir mais 50 destinos à sua malha, que já é a maior do Brasil, com mais de 100 cidades atendidas.“Se sair o programa de aviação regional, vai ser um grande estímulo”.

Na estimativa do executivo, a Azul pode precisar de até 30 aeronaves de fuselagem estreita (narrow body) e a decisão será entre o B737, atualmente usados no Brasil pela GOL, ou  A320, empregados tanto pela TAM quanto pela Avianca Brasil. A opção da Azul pelos Airbus A330 e A350 para suas aeronaves maiores dão vantagem à fabricante europeia.

“As pessoas tendem a viajar mais se houver uma linha aérea, um avião saindo da sua cidade”, disse Neeleman. “Mais pessoas fariam viagens internacionais se tivessem a conveniência e bons preços”.

A matéria do Bloomberg informa que 737 Max da Boeing está previsto para ser lançado em 2017 e promete reduzir o consumo de combustível em até 20%. Já os A320neo começam a ser entregues em 2015, prometendo redução de 15%. O site americano destacou que o preço do combustível para aviões no Brasil está entre os mais caros do mundo devido a impostos altos.

Star Alliance

A entrevista do presidente da Azul também traz boas novas com relação a futuras conexões e milhas. Neeleman não entrou em detalhes, mas confirmou a notícia de que a Azul foi convidada a ingressar na Star Alliance – e mais: o casamento pode ser concretizado ainda neste ano!

Como noticiamos várias vezes aqui no MD, a saída da TAM, que neste ano seguiu a LAN para a Oneworld, deixou um vazio no país que até agora não foi preenchido. A candidata natural é a Avianca Brasil, já que a Avianca Internacional é parte da Star Alliance. A entrada dela está prevista para o ano que vem, mas a direção da aliança considera que a antiga OceanAir não tem frota nem malha aérea suficiente para substituir a TAM, o que abre espaço para a Azul.

Para nós isso é importante por dois motivos principais: a possibilidade de fazer conexões dos voos da Azul para todas as companhias que fazem parte da Star Alliance e de acumular milhas e resgatar voos nessas mesmas empresas. Se confirmado, também será possível usar os pontos do TudoAzul para emitir passagens em todas as empresas da aliança mundo a fora.

Dica do leitor Marcio Correa

 

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe