Avianca Brasil vai iniciar cobrança pelo despacho de bagagens a partir de 25/9!

Leonardo Cassol 21 · setembro · 2017

A Avianca Brasil confirmou hoje que vai iniciar a cobrança pela bagagem despachada nas tarifas promocionais de voos nacionais, nos bilhetes comprados a partir de 25 de setembro, conforme noticiamos em primeira mão.

Na próxima segunda-feira, a companhia vai lançar novos perfis tarifários. A tarifa Promo, a mais barata, não vai mais oferecer franquia de bagagem despachada incluída, apenas bagagem de mão, com até 10kg e dentro das dimensões especificadas pela empresa (Tamanho: 115 cm, somadas as três dimensões, sendo no máximo 35 cm de largura + 55 cm de altura + 25 cm de comprimento). A tarifa Economy vai incluir o despacho de uma peça de até 23kg, e a Flex de até 2 volumes de até 23kg cada.

Nos voos para a América Latina a franquia foi mantida, mas agora com um volume de até 23kg. Para os Estados Unidos, continua valendo os 2 volumes de até 23kg que a companhia implementou no meio do ano.

Clientes com bilhetes emitidos até 24 de setembro terão as franquias honradas conforme a regra válida no momento da compra, não importando a data do voo.

Quanto vai custar?

O valor para voos nacionais será de R$ 60 no aeroporto. Quem comprar a bagagem até 6 horas antes do voo vai ter 50% de desconto no valor, pagando R$ 30. A compra poderá ser pelo site, central de vendas, lojas ou agências de viagem.

Excesso de bagagem

Quem levar malas com mais de 23kg vai pagar pelo menos R$ 80 de multa em voos nacionais, e US 100 em voos internacionais.

Passageiros frequentes do programa Amigo

Quem tiver status no programa Amigo não vai precisar se preocupar. Clientes Amigo Silver e Gold terão direito a uma peça adicional de até 23kg. Clientes Diamond terão direito a duas peças adicionais de até 23kg.

Clientes Star Alliance Gold também terão uma bagagem adicional de até 23kg. Clientes Star Alliance Silver não terão direito a bagagem adicional.


A companhia era a única dentre as quatro grandes empresas aéreas nacionais a não efetuar a cobrança pelo despacho de bagagens em voos nacionais.

Mais informações no site da Avianca Brasil.

Autor

Leonardo Cassol - Editor Editor e especialista em programas de fidelização do Melhores Destinos.
  • Italo Silveira

    Bad!

    • Murilo

      Come on, you know!

  • Albino

    Uma coisa não ficou clara: caso a pessoa tenha duas malas, como ficará a cobrança do segundo item despachado ?

    • Albino, realmente não ficou tão claro como em outras cias, masd segundo o site da Avianca é R$ 30 ou R$ 60 por peça, dependendo da antecedência de compra. “Confira o preço por peça para bagagens despachadas até 23kg…” Não foi informado se há um limite de peças.

      • Albino

        Se for assim, tá bom.

        • você quis dizer TA MENOS MAU, pq bom não ta mesmo.

          • Victor Machado

            Deixa de ser chorão. Se vc quer levar mais bagagem é justo pagar mais por isso. Ou todos os outros passageiros tem que pagar pelo seu serviço extraordinário?

          • Eu não preciso de bagagem despachada, não estou falando por mim, estou falando pelas pessoas que estão pagando a mais por algo que era gratuito, e que foi mudado com a promessa de redução no preço das passagens. Você esta vendo passagens mais baratas depois desta mudança? Eu não estou.

          • Arthur Riani

            👏🏻👏🏻 nos fazem de otarios todos os dias nesse país

          • Victor Machado

            Não houve promessa de redução no preço. Isso foi uma dedução que a mídia fez. Houve promessa de uma precificação mais justa e eficiente.

          • marcosvalenca

            Tu queres dizer que, como uma mala de 23 Kg custa agora US$ 92 para a Europa e América do Norte, nós tivemos um desconto neste valor no preço da passagem? Só na Terra do Nunca.

          • Victor Machado

            Acredito sim, que se está mais caro hoje é porque tem outros fatores envolvidos que impactam os custos das empresas. Querosene de aviação, impostos, inflação, etc… Provavelmente os preços estariam ainda maiores se não fosse esta alteração.

          • marcosvalenca

            Victor, por favor, pense comigo. A inflação brasileira é a menor em anos. Até os juros básicos são os menores em décadas. Não houve alteração nos impostos relacionados a aviação. O preço do combustível é regulado pelo valor internacional. As aéreas, em sua maioria, cobram pelo lanche agora. Ou seja, menos custo e mais lucro. O que mais você quer alegar? Na verdade, o que faz você, como consumidor, procurando ou inventando desculpa para os altos preços das companhias aéreas? Alguma tendência masoquista? Faça mais: Anote os preços de 3 destinos hoje e vamos ver como ficarão os preços daqui a 1, 2 e 3 anos. Vamos ver se seu mundo de fantasia, onde as companhias aéreas são amigas dos consumidores, se realiza.

          • Marcelo Ribas

            O que eles não falam é que hoje a maioria viaja com mala de bordo e não há espaço para todas bagagens então o vôo atrasa pois sua mala deve ser enviada para o porão e você fica esperando na esteira sua mala chegar para poder sair do aeroporto. Você parece ser daqueles que acreditam que os voos baratearam, #sqn

          • Victor Machado

            Pouco importa se os voos baratearam. É claro que isso é um desfecho desejável, mas não é o objetivo final.

          • marcosvalenca

            Claro que as aéreas não falam da falta de espaço nos bins sobre os passageiros para bagagem. Ainda têm o topete de dizerem “ponham sob a poltrona”. Como se o espaço embaixo da poltrona fosse enorme e como se a bagagem não retirasse espaço dos pés. Mas Victor Machado, aí em cima, acha que as aéreas têm direito de implementar qualquer cobrança imaginável. Eu já posso até imagina: Desconto para quem não usa o finger e chega a aeronave à pé; desconto para quem não usar o banheiro ou cobrança para quem entrar no banheiro etc. Não é tudo imaginação minha! Houve low cost euro-asiática querendo cobrar pelo uso do banheiro!! Graças as autoridades isso não virou realidade. Eu já achava o fim as companhias americanas venderem bebidas à bordo com as aeromoças dando troco…

  • Guilherme Zogbi

    Leonardo, p. Eua quem costuma viajar com apenas uma mala c. Aprox. 26-29kgs vai ser obrigado a viajar c. 2 p. Nao ter sobretaxa??teoricamente a franquia foi reduzida p. 2x23kgs totalizando 46kgs, mas a azul me informou q. Pode levar apenas 1 respeitando o limite total em kgs da franquia; mas na tam nao souberam confirmar…acho q. O negocio é abandonar as aereas daqui e ir de empresas americanas com AA…

    • Victor Machado

      Eventualmente a AA e outras estrangeiras começarão a fazer regras mais restritivas também.

      • Guilherme Zogbi

        na verdade nao da p. Entender qual a vantagem da empresa em obrigar, no caso em tela o passageiro levar 2 malas (14kgs cada) ao invés de uma mala com 28 kgs… a aerea ira transpostar a mesma carga/peso, porém o volume de 2 malas é bem maior e obviamente ira ocupar mais espaço!!!
        uma mesquinharia que so serve p. Nos confundir pelo fato de nao serem iguais tanto as franquias qto os valores a serem cobrados em tds as empresas…

    • Vai sim, infelizmente. E as cias de outros países começaram a seguir o mesmo modelo. Fique atento a regra válida no momento da compra.

      • Guilherme Zogbi

        Agora esses pequenos diferenciais, diga se de passagem uma mesquinharia que so serve p. Nos confundir pelo fato de nao serem iguais tanto as franquias qto os valores a serem cobrados em tds as empresas; q. Vao fazer a diferença na escolha da empresa! E na verdade nao da p. Entender qual a vantagem da empresa em obrigar, no caso em tela o passageiro levar 2 malas grandes(14kgs cada) ao invés de uma mala grande com 28 kgs… a aerea ira transpostar a mesma carga/peso, porém o volume de 2 malas é bem maior e obviamente ira ocupar mais espaço!!!

  • Carla Bontempo

    Tá cada dia pior, viu… Num país em que as empresas que deveriam ser fiscalizadas assumem o órgão que as deveriam controlar dá nessa porcaria mesmo. De fato eu que viajo bastante e com bebê ficou muito, muito pior!

  • Mauricio Laukenickas

    Obrigado ANAC!!!! Vcs são um bando de FDP!!!!!

  • marcosvalenca

    Victor: a) Quarenta por cento de R$ 200 não dá R$ R$ 60. O valor carreto é R$ 80. b) Não tenho tempo e nem vontade de verificar seu cálculo de 40% de inflação em 5 anos. Mas, acho muito provável, que as aéreas não seguraram seus preços durante esse período. Repassaram tudo que conseguiram para nós. Voos e frequências, assim como pessoal, foram cortados para reduzir custos ao máximo. Até os simples caramelos que o Comandante Rolin usava distribuir antes de voos da Latam foram cortados. c) Que bom que você reconhece que a inflação “veio destruindo (o) poder de compra de todos nós há alguns anos de forma brutal”. Assim sendo, só posso entender a sua defesa inabalável aos aumentos de preços, retirada de direitos dos passageiros e queda da qualidade dos serviços prestados pelas aéreas pelo pensamento de que você é funcionário ou analista de redes sociais de alguma aérea e está aqui para defender e promover estas organizações. d) Sou administrador e tenho perfeita noção de toda a enorme engenharia financeira que permite as aéreas, de hoje, funcionarem. Situação muito mais difícil vivem os planos de saúde, mas não vejo pessoa alguma querer pagar mais ou permitir que serviços e coberturas sejam alijados de seus planos de saúde. e) Eu só não vou anotar teu nome, registrar preços de passagens hoje, em 1, 2 e 3 anos, porque você me parece funcionário de uma aérea. Deste modo, não importa o que eu diga. f) Mas, por favor, explique-me a necessidade de cobrar pela escolha da poltrona.

    • Victor Machado

      Os 40% devem ser aplicados em cima do valor original… 40% de 140 dá 56.

      Eu não trabalho em aérea não rsrsrs… Pelo que eu saiba as cias aéreas hoje só cobram mais pela poltrona que tem mais espaço. Estão cobrando para marcar em qualquer lugar? Bom, se estiverem fazendo isso ainda assim é direito deles (mas o que provavelmente geraria um marketing negativo).

  • Victor Machado

    Você está certíssimo. A gente tem que comprar o que mais nos agrada. Normalmente o que o brasileiro quer, acima de tudo, é o preço mais baixo. Mas quem se preocupa um pouco mais com outras coisas deve levar sim isso em consideração. O valor agregado do serviço, o custo-benefício.

  • DaniL

    Boa noite. Alguem sabe qual era a regra antiga para compra de volume extra comprado com antecedência? Ou a Avianca apenas cobrava excesso de bagagem? Comprei minhas passagens antes de 25/09 e agora vi que vou precisar de mais mala. Já tentei comprar mais 23kg mas o SAC diz que não posso e preciso pagar excesso, o q sai $400.