Avaliação da S7 Airlines

Redação 12 · junho · 2018
Econômica
DME - OSS
S7 967
Airbus A320neo
10/02/2018

Embarque

Previsto: 22:35h
Efetivo: 22:35h

Partida

Previsto: 23:05h
Efetivo: 00:15h

Chegada

Previsto: 03:05h
Efetivo: 03:35h

A S7 Airlines (oficialmente PJSC Siberia Airlines) é a maior companhia doméstica da Rússia e membro da aliança Oneworld, a mesma da Latam e da American Airlines. Com uma frota de 86 aeronaves voando para mais de 146 destinos, ao redor do mundo. Certamente uma opção a se considerar para quem vai visitar o país durante o Mundial de Futebol 2018. Nosso leitor Léo Lins enviou uma avaliação caprichada diretamente das longínquas terras do Quirguistão para o MD, confira!


A Siberia Airlines é quase uma vovó da aviação, já que seu voo inaugural data do período pós-guerra, precisamente em 1957, saindo de Novosibirsk na Rússia, ainda quando fazia parte do grupo Tolmachevo.

Os anos se passaram, a malha aérea cresceu, e a S7 tem seu novo hub em Moscou, apesar de manter uma base em Novosibirsk até os dias de hoje. Depois de 20 anos de independência, mais de 80 aeronaves operam voos partindo da Rússia para diversos lugares da Europa e da Ásia. E, graças a parceria com a Oneworld, seus destinos alcançam mais de 150 países do globo.

Segundo a Skyway Service Award a S7 é melhor companhia aérea para voos domésticos na classe econômica na Rússia; e, oferecendo o melhor serviço online para os clientes europeus. Ademais, a National Geographic Traveller posicionou a S7 como a melhor companhia aérea da Rússia em 2015.

Ok, mas porque você voaria com a S7?

Talvez, porque você venha para o Mundial de Futebol 2018, ou porque independente desse gigante evento esportivo você quer conhecer a beleza de Moscou — uma das top 10 das cidades mais requisitadas para visitar em 2017, segundo o Travellers Choice TripAdvisor.

Dá uma olhadinha no Guia de Moscou do MD, uma cidade bem singular.

Eu voei com a minha família partindo da cidade que estamos morando — Osh, no Quirguistão. Se você nunca ouviu falar nesse país, não se preocupe, que já já enviarei um post sobre este cantinho da Terra para o MD. Mas, só para matar sua curiosidade, o Quirguistão é um pequeno país da Ásia Central, entre outros “ãos” mais conhecidos, como Cazaquistão e Afeganistão; ao lado da China também. Contudo sua maior relação comercial é com a Rússia. E, por esse motivo, temos voos desde país para muitas cidades do antigo império Czar. E existe esse voo direto de Osh para Moscou, pela S7.

Então, saímos de Osh para a Moscou, para o início da viagem de férias rumo ao Brasil. Porém, como o Quirguistão é um país um pouquinho mais complicado, digamos assim, para ficar tirando fotos no aeroporto e da aeronave. Fiz a avaliação da viagem de retorno, saindo de Moscou.

Partimos do Aeroporto Internacional Domodedovo, no dia 10 de fevereiro, no voo 967 da S7, previsto para decolar às 23h05, horário de Moscou. E, realmente, embarcamos no horário. Mas ficamos mais de 1h na aeronave em terra antes do piloto receber autorização para decolar, devido as difíceis condições climáticas (havia muita neve).

Foram 5h de voo, mais do que as 4h30 previstas originalmente. Ficamos mais 30 minutos sobrevoando a cidade antes de pousar. Mas uma vez, o clima não ajudou. O resultado é que chegamos mais de 2 horas atrasados em Osh. Mas não posso culpar a S7 por isso.

Vamos à companhia então!

Compra

Comprei as passagens direto no site da companhia. Está em russo e em inglês. A pagina é leve, simples e de fácil uso. Em três etapas estará concluída sua compra:

1. Na página principal você aponta seu destino, origem, data, quantidade de pessoas;

2. Então, aparecem as opções de horários de voos e as 4 classes de compra da S7 (Econômica Básica / Econômica Flex / Business Básica / Business Flex). A maior diferenças entre as classes está na franquia de bagagem, politica de remarcação e alguns outros detalhes; alem do preço obviamente.

3. A terceira e última etapa é a hora do pagamento. Que pode ser feito no seu cartão de crédito internacional. Sem parcelar.

A S7 não é uma Low Cost, mas os valores são bons e justos. Esse voo de ida e volta, similar a um voo de Salvador Buenos Aires, por exemplo, numa comparação simples. Saiu por 230 dólares.

Detalhe, os valores sempre aparecem em Rublos (moeda local russa). Mas, no canto inferior direito da página, você poderá clicar e ver algumas opções de cálculo, incluindo mudar para Euros ou dólar. Infelizmente, não aparece real. Você só saberá de verdade quando fechar a sua fatura.

Check-in

10

Como estou falando da viagem de retorno, o check-in foi feito no Aeroporto Domodedovo. Aproveito para dar uma dica aqui. Na entrada do aeroporto, me parece que de propósito, os carros (particular, Uber, taxi etc.) não chegam na porta principal. Param a uns 100 metros de distância, numa pista lateral.

Apesar de ser pouco, se estiver no inverno a -15ºC e cheio de malas, você será tentado a usar um dos “carregadores” que oferecem os serviços ali. Eles falam apenas russo, embolado e sem muitos detalhes. E já vão pegando sua bagagem. Realmente, carregam tudo e só desgrudam de você após o check-in completo (ele carrega as malas e põe na balança). E também tem a esteira do raio-x na entrada do aeroporto.

Logo quando entramos pelas portas giratórias do aeroporto, depois de passar pelo controle e fiscalização das bagagens (isso mesmo, nessa região do mundo é comum na entrada do aeroporto suas malas e você passarem pelo primeiro controle com raios-x e de documentos de viagem). E não seria estranho depois disso, sem motivo algum, um policial lhe parar e pedir novamente seu passaporte.

Eu usei o serviço do carregador, é cômodo e eficiente. Usei porque estava com minha família (com crianças e muitas malas), com muita neve no caminho e focado em tirar fotos para compartilhar aqui no MD. Me arrependi, pois o valor que eles querem cobrar depois é abusivo: 500 rublos por mala ($10 dólares = R$33,00). FUJA!!!

Segure a respiração e leve suas malas. Como consigo me comunicar em russo, depois de muita conversa, consegui pagar apenas 1.000 rublos nas minhas 5 malas. UFA!!! (Mesmo assim, minha mulher quase me bate kkk).

Bom! Uma vez dentro do saguão do aeroporto, o balcão da S7 fica a extrema direita de quem entra. O verde quase extravagante da companhia se torna fácil enxergar de longe.

Se você estiver fazendo um voo interno e fizer o check-in pelo app da S7 você poderá imprimir seu cartão de embarque nessas maquinetas interessantes.

Como meu voo era internacional e eu não tenho passaporte russo, não tinha essa opção. Uma vez que, para realizar o check-in, eu precisaria mostrar meu visto para o Quirguistão. Então, não tive a experiência de usar.

Fiz o check-in no balcão. Usei a prioridade por ser Fidelidade LATAM Oneworld. Não peguei fila e a atendente foi super gentil e rápida.

Após a saga da imigração, chegamos ao portão de embarque. Nesses países com histórico de atentados e de recente regime comunista, a severidade e demora na imigração é irritante. Embora, já esteja acostumado.

Uns 30 minutos antes do embarque o portão mudou, mas para outro ao lado e continuamente a atendente avisava nos auto falantes do aeroporto em russo, quirguiz e inglês. Foi bem tranquilo identificar.

Além de que, no próprio painel de controle, no portão de embarque, também tinha o aviso da mudança. Fique ligado, mesmo assim.

Chegada a hora embarcamos, usando mais uma vez a prioridade Oneworld.

Cabine

8,0

Voamos num Airbus A320 Neo.

Gostei bastante da aparência da aeronave. Super limpa e nova, e pra mim o verde me traz uma sensação de vida.

As comissárias foram muito corteses na recepção (à maneira russa, obviamente). Receberam meus filhos com o presente para crianças. E com um adorável Dobroe Vecher (“Boa noite”).

Como vimos na compra, avião dispunha da classe Business e da econômica.

Não consegui fazer boas fotos da classe Business, pois tinha que passar rápido (deixar a galera esperando simplesmente porque eu estava fazendo fotos não seria nada cortês, e pior ainda aqui nessa região).

Mas me pareceu com bom espaço entre as poltronas, no tradicional formato 2–2.

Na classe econômica, me lembrei bastante dos bons e novos aviões das companhias brasileiras.

No formato 3-3, espaço adequado entre as poltronas, reclinação da cadeira em apenas uma posição, sem encosto para os pés, e com aquele encosto dobrável para a cabeça.

Não tem luxo algum. Não é um sofrimento, tampouco um gozo.

Entretenimento

5,0

Esse foi o calcanhar de Aquiles da nossa viagem. A S7, ao menos nessa aeronave, não oferece nada de entretenimento. Não há TV na poltrona, nem mesmo rádio, muito menos um app específico para lazer.

Até mesmo a revista de bordo era sem graça e cansativa. Alem de ser 100% em russo. Como dificilmente você lerá essa difícil língua, vai ficar a ver navios.

As crianças ainda conseguiram ganhar um tempinho com as atividades da “sacolinha” que eles ganharam. Mas não deu mais que 40 minutos para se cansarem.

O melhor é levar seu filme ou série no seu notebook ou tablet e curtir a viagem.

Um detalhe interessante que achei nessa revista foi um cartão “priority”. Caso você não tenha prioridade e vai fazer outro voo com a S7, vale a pena pegar e usar. #ficaadica

Serviço de bordo

7,0

A temperatura do voo estava agradável, logo não precisei daquele típico lençol de aeronave. Mas vi que eles tinham e deram para as famílias que tinham crianças (incluindo a minha).

Não esperava muita coisa da refeição num voo relativamente curto de 4h30. Então, não me decepcionei. Mas poderia ser melhor.

Nos serviram um sanduíche frio. Que tinha as opções de queijo ou frango. Escolhi o de frango. Que além do recheio principal tinha pepinos.

Para bebida eles ofereceram agua, suco de caixa ou refrigerante.

Antes do final do voo, voltaram a servir apenas água. Nem uns snacks para contar história kkk.

Comissários e equipe de solo

9,0

Todos os atendentes foram muito profissionais. Quem ja viajou por essa região do mundo sabe que não dá para esperar a simpatia e alegria típica de um latino, mas ao menos bom trato e cordialidade. Quanto à isso, não tenho o que reclamar da S7.

No avião achei interessante a apresentação das normas de segurança pelas comissárias russas. Como não havia telas, elas apresentaram daquela tradicional forma a frente da aeronave. Mas nunca havia visto com tanta seriedade e firmeza — típico dos russos em tudo que fazem.

Os idiomas falados por eles (aeroporto e aeronave) eram russo e inglês. E as gravações também saíam em Quirguiz.

Sempre escuto críticas de alguns usuários quanto ao inglês dos comissários não nativos da língua. Não sou nenhum especialista, mas como um falante e viajante, para mim há o inglês e inglês. Como assim, o que quero dizer é que há o inglês nativo, mesmo com seus diferentes sotaques (americano, britânico, australiano etc.); e há inglês global, profissional, usual; que normalmente escutamos em outros lugares do mundo e nas viagens. Para mim “a regra é clara”: se você entende, não importa o acento, sonoridade, ritmo etc. Se comunica, é inglês, e, é suficiente.

Quanto ao inglês que os russos falam, normalmente maior diferença no sotaque é a troca do W por V. Como Vill no lugar de Will.

Programa de fidelidade

6,0

A S7 tem seu próprio programa de fidelidade, o S7 priority. Mas, dificilmente será útil para quem não vive por essas bandas do mundo. Logo, melhor é você usar o beneficio da parceria como a Oneworld e pontuar onde achar melhor.

No caso do Brasil a LATAM com seu Multiplus Fidelidade seria a parceira para pontuar. Faça no check-in. Antes é confuso e, depois, quase impossível. Esqueci de fazer no check-in e quando fui tentar depois no site da LATAM, não consegui, simplesmente porque não aparece o nome da minha cidade (Osh) na lista sugerida no ato do preenchimento do pedido. Um erro ridículo, mas que me custou perder essas milhas.

Nota final

7,5

Daria essa carinha da foto para eles.

Voar com a S7 foi muito tranquilo e eficiente. O custo-benefício valeu a pena. E comparada à outras companhias do mesmo porte e tipo de aeronaves aqui na Euroásia, realmente a S7 tem algumas vantagens.

Diria que o melhor da S7 está nas aeronaves novinhas e no bom atendimento.

O pior sem duvida é a falta que o entretenimento faz.

Espero em breve ter outras experiências com a S7 em diferentes trechos e aviões. E não se preocupem, vou dividir tudo com vocês, amigos do MD.


Agradecemos ao Léo pelo relato! Quer ver a sua avaliação publicada no Melhores Destinos? Peça as instruções, capriche no texto e nas fotos e mande para a gente: avaliacao@melhoresdestinos.com.br