Voos da Ryanair poderão ser gratuitos em cinco anos, afirma seu presidente!

Leonardo Cassol 23 · novembro · 2016

Michael O’Leary, principal executivo da Ryanair, companhia de baixo custo da Europa, informou ao jornal britânico Metro que tem como meta disponibilizar voos gratuitos na companhia em cinco anos. Já pensou que incrível?

Parece absurdo, mas a Ryanair não está muito longe desse objetivo. Ela já faz com alguma frequência promoções arrasadoras com passagens a partir de apenas 2 euros, ou por menos de 9,99 euros já incluindo as taxas!

Mas como a companhia iria sobreviver oferecendo passagens gratuitas? Segundo o executivo, a receita seria gerada através do consumo nas lojas e nos restaurantes do aeroporto, que seria compartilhada, bem como através dos serviços complementares que já são comercializados hoje, como reserva de assentos, despacho de bagagens e alimentação a bordo.

A companhia, que vai transportar 119 milhões de passageiros esse ano, pretende reduzir suas tarifas entre 10% a 15% em 2017, além de iniciar as negociações com os aeroportos onde opera.

“Tenho esta visão de que, nos próximos cinco ou dez anos, as tarifas aéreas na Ryanair serão gratuitas, no caso de os voos estarem cheios, e nós vamos fazer dinheiro com a partilha da receita dos aeroportos, de todas as pessoas que vão passar pelos aeroportos, tendo uma participação nas vendas das lojas de varejo”, mitou O’Leary.

File photo dated 16/05/16 of Ryanair chief executive Michael O'Leary who has compared Government ministers to the characters of television sitcom Dad's Army due to their "lunatic optimism" over Brexit. PRESS ASSOCIATION Photo. Issue date: Tuesday November 22, 2016. The chief executive of the Dublin-based carrier claimed the UK is about to "walk off a cliff" by leaving the European Union. See PA story AIR Brexit. Photo credit should read: Stefan Rousseau/PA Wire
Crédito: Stefan Rousseau/PA Wire

Será que esse modelo vinga? Ou melhor, seria possível sonhar com isso aqui no Brasil? Comente e participe!

A entrevista foi concedida ao jornal Metro e reproduzida pelo jornal O Globo.

Publicado por

Leonardo Cassol

Editor

  • Feliciano Martins

    Seria muito bom isso na América do Sul, mas é muito baixa a possibilidade de isso um dia funcionar aqui!
    Valeu MD!

    • Marcio

      A empresa é irlandesa, acho difícil virem pra cá!!!

      • Alexandre Martins

        A Ryanair já está no México e na Colômbia. Porque seria impossível vir pra cá?

        • Marcio

          Primeiro pq acredito que não há interesse! Segundo pq com as leis de m**da do Brasil, a empresa operaria mas não com preços tão baixos como acontece na Europa.

          • Alexandre Martins

            Respeito opiniões, mas o Brasil continua sendo uma mãe para as grande empresas. Basta fazermos um balanço de quantas grandes corporações chegaram e quantas se retiraram do país nos últimos anos. Mas, deixa baixo. É opinião, todo mundo tem em si um expert em assuntos gerais.

          • Marcio

            Okay… só me fala então qual companhia aérea opera com preços baixos no Brasil como a Ryanair? Eu já viajei de Dublin a Londres pagando EUR 12,00 ida e volta na época euro estava na casa dos R$3,00. Ou seja, uma viagem cujo a distância é equivalente a Belo Horizonte-São Paulo por R$36,00!! Aqui meu caro, nem de ônibus vc viaja por esse preço. Esse é o Brasil.

  • Marcos

    Para quem cobra menos de 10 euros por uma passagem, a gratuidade não estaria longe.

  • Renan Pitz

    ryanair costuma praticar preços surreais. Eu ja vivoo da Irlanda pra Noruega por 0,30 centavos. Se voce tivesse SE QUER lido a matéria, saberia onde eles vão ganhar o dinheiro.

    • Ernesto Lippmann

      Quanto voce pagou efetivamente pela passagem com todas as taxas? E o deslocamento para o Aeroporto? Foi para um aerporto comum, ou alguns que eles ultiazam que ficam há mais de 100 km. da Cidade.

      • Rogério Luiz Da Fonseca

        Deslocamento pra aeroporto? e aeroporto de Natal? e aeroporto de Salvador? e Galeão? e Confins?
        Pegue um taxi do centro da cidade para qualquer um destes aeroportos e pague no mínimo 50 reais….

  • azi

    O Brasil precisa de livre mercado. Sem isto Ryanair não prospera.

    • Marcio

      Ryanair é estatal, e o foco é tranporte aéreo de carga!!!

      • azi

        Não vou nem comentar tamanha bobagem.

        • Marcio

          Pq vc conhece bem a empresa? Ou descobriu que existe depois dessa reportagem?

  • LuRodamilans

    Passagem Grátis, porém vão cobrar até pelo ar que você respirar sob a pressurização do avião hahahahah

  • Lucas R. Martins

    Isso faz sentido para clientes que tem potencial de consumo. Talvez eles limitem para quem tem um determinado cartão de crédito com limite bom, por exemplo.

    • Guilherme

      Esse é um dos maiores absurdos que já li na vida…

      • Lucas R. Martins

        Hein?

  • Danielle Fabri

    “[M]itou O’Leary”
    Hahahahah, esse MD…!

    Extremamente improvável algo assim acontecer aqui num futuro nem tão próximo. Mesmo que o Brasil de repente apresentasse um crescimento astronômico, a cultura da nossa economia me parece incompatível (vejam a qualidade de prestação de serviços e o respeito aos direitos do consumidor que temos aqui — ou a falta de). Só se viesse uma empresa de fora disposta a implementar algo assim aqui.

    • Marcio

      Ryanair é uma empresa irlandesa, e opera na Europa!! Aqui no Brasil para acontecer algo do tipo daqui 200, 300 ou até 400 anos pode ser possível.

  • LuigiPaolo

    O serviço que eu preciso, separadamente, é sair do ponto A para o ponto B, num avião seguro, sentadinho, levando uns 15 kg de “coisas”, mais nada. Estou entre os 90% que utilizam o transporte aéreo. Iria voar de graça sistematicamente? NÃO! Óbvio. Então dizer que não cobra a minha ida do ponto A para o ponto B, mas sim os meus pertences ou a água (que ninguém pode levar de casa), ou o “sentadinho”, ou a minha entrada no avião, é blá blá blá, é ENGANOSO, SIM!!

    • Ernesto Lippmann

      Exatemnte, acho que o preço deve ser transparente, e isto a Raynar não faz.

    • José Otávio Carlomagno Filho

      Não vejo falta de transparência nos preços da RyanAir, desde que a pessoa leia as condições da tarifa quando estiver fazendo a compra. Já viajei com eles algumas vezes e nunca fui surpreendido por alguma cobrança inesperada antes, durante ou depois da viagem. As regras e valores estavam todos bem explicados.

      A questão é que você paga pelo que precisa e não paga o que não quer usar. Acho que no Brasil nós nos acostumamos a ter certas coisas inclusas no preço da passagem (serviço de bordo, despachar mala, escolher o assento, fazer check-in no aeroporto, etc), o que não necessariamente significa que seja o melhor modelo de negócio pois muita gente prefere pagar menos na tarifa se não precisar utilizar alguns (ou nenhum) destes serviços.

      O modelo da RyanAir é bem diferente das aéreas brasileiras, mas na Europa o pessoal já conhece bem e a maioria sabe o que esperar e sabe também que as passagens baratíssimas só aparecem pra voar em dias e horários que ninguém quer viajar e geralmente para lugares pouco procurados naquela época do ano. Como exemplo, um casal de amigos meus que pagou 10 libras ida e volta (todas as taxas inclusas) pra voar de Londres a Oslo em janeiro, quando faz 16 graus negativos lá e deve ter umas 5 horas de luz solar por dia, e tiveram que pegar o voo 6 da manhã no sábado e voltar domingo a noite.

  • Ernesto Lippmann

    Eu não estou defendendo a Gol, apenas acho que o modelo de cobrança da Raynair é pouco transaparente. E, pode ter certeza de que se voce comprar passagem de úlitma hora com eles, não vai ser barato.

  • Ernesto Lippmann

    Guarulhos Braslia, com antecedência, e dependendo do horário dá para achar por este valor, desdeque não seja no domingo a noite e segunda feira, dias de maior movimento.

  • Rogério Luiz Da Fonseca

    Eu prefiro essa sua proposta Ernesto.
    porque ao invés de todo mundo pagar 100 euros,
    Eu que não vou despachar bagagem nem marcar assento, nem imprimir o cartao nem comer, só pago 40 euros…
    E aquele que quer fazer tudo isso paga 160….
    muito mais justo cada um pagar pelo que usar do que todos pagarem igual.