ANTT regulamenta tarifa promocional para linhas de ônibus e trem

Bruna Scirea 8 · agosto · 2017

Empresas de ônibus e trem podem a partir de agora oferecer tarifas promocionais aos seus passageiros. A regulamentação foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). As informações são do site G1.

A resolução implementa a oferta pra os serviços de transporte rodoviário e ferroviário regular interestadual, internacional e semiurbano. Os valores promocionais poderão ser ofertados em linhas e horários específicos e com um número limite de poltronas disponíveis.

“O objetivo é que o setor rodoviário passe a trabalhar com a oferta de tarifas de forma similar ao transporte aéreo, em que, de acordo com a demanda e com a estratégia comercial de cada operadora, podem ser ofertadas promoções de forma mais ágil para os usuários”, afirmou a ANTT, em comunicado.

A resolução é necessária porque, a contrário do transporte aéreo de passageiros, que tem liberdade tarifária, o serviço de ônibus tem preços regulados pela ANTT. Para cada trecho há uma tarifa máxima a ser praticada.

A promoção tarifária poderá ser aplicada a passagens com isenções e descontos estabelecidos em lei, como estudantes e idosos. Conforme a publicação, a ANTT poderá vetar ou suspender a promoção em caso de identificar indícios da prática de concorrência predatória ou qualquer fato ou situação que caracterize infração à ordem econômica.

E aí, o que acharam da novidade?

Autor

Bruna Scirea - Editora
  • Ernesto Lippmann

    Só que provávelmente daqui há pouco vão cobrar mais caro nos períodos de pico, e nas viagens compradas na hora, principalmente nas linhas mais longas. Neste governo está sendo dificil pensar em alguma medida que beneficie o consumidor, vide o “desconto” que foi “oferecido” para os passageiros que viajam sem bagagem, e que no fundo transformou a tarifa promocional em tarifa sem bagagem. Agora, ou voce compra uma mala nova para as viagens curtas, ou paga a bagagem.

    • Rafael Chagas

      você leu o post?

      • Alexandre Martins

        Desculpa o Ernesto, amigo. Ele é brasileiro, sabe como funcionam as coisas aqui. Abraços, fica a vontade no país.

    • RAFA ALVES OLIVEIRA

      O preço mais caro já era cobrado e continuará sendo cobrado sempre que possível. O teto não mudou.

      • jorge moraes

        A matéria foi mal redigida. Realmente o preço máximo não mudou, o que poderá agora é oferecer um preço menor nos horários de pouca procura.

  • Carlos Neto

    Em tese , a ideia parece boa. Mas existe maior empecilho a ordem economica que a tributacao complexa nacional? Por que acerca deste tema vermelhinhos, azulzinhos e demais se calam?

  • Felipe Gondim

    Mas continuará havendo o teto regulamentado?

    • Charles Barros

      Cai o teto. A liberdade tarifária faz com que a empresa cobre o quanto quiser. Fica igual a avião: quando vazio tem “promo”; quando está perto da capacidade máxima é exorbitante a tarifa e se comprar na hora, mesmo com o ônibus vazio, paga-se 5x mais. A bagagem inclusa na tarifa ficou para as cenas do próximo capítulo.

      • Rafael Chagas

        Você é desinformado mesmo ou só quer tumultuar?

      • É só ler, não cai o teto, dentro do limite do teto é possível compor o preço como a empresa desejar.

    • Rafael Chagas

      Sim. Teto continua mantido.

  • Luiz Pereira

    Se o mercado fosse desregulado teríamos competitividade e melhores tarifas. De que adianta permitir promoções se a maioria das linhas é explorada por uma única empresa, as vezes há décadas?

    • Rafael Chagas

      Perfeito! a intenção até vai ser útil para que as cias. de ônibus possam oferecer tarifas mais interessantes que as promo das aéreas. Mas a concorrência verdadeira, entre as companhias de ônibus, continua mantida, com concessões que valem por décadas, em processos licitatórios no mínimo obscuros.

      • Ernesto Lippmann

        Neste ponto voce tem razão!

      • Rodrigo Rodrigues

        Aqui no RJ nao tem nenhuma concorrencia

        TODA REGIÃO DOS LAGOS só tem a 1001, assim é o preço que querem…

    • Guilherme Oliveira

      O exemplo disso é o aplicativo Buser, similar ao Uber. Sempre que vão fazer uma viagem com preços baixos, chega a justiça proibindo. O governo não gosta de concorrentes.

  • César Novaes

    O que tinha que mudar é a maneira compensa distribuídas essas concessões, onde em cidades como a minha, Assis, somente 1 empresa a liga a São Paulo, sendo que pela rodoviária passam mais 3 cias que ligam o interior de SP a capital, mas não podem vender bilhetes nessas rotas… aumentem a concorrência que melhora para o cliente!

  • Alberto Kiess

    Pena que não temos linhas de trem de passageiros, em um país com dimensões continentais como o Brasil.

    • Vem CaTeconheco

      3o mundo.

    • Bruno Bastos

      Agradeça a JK e à ditadura militar que sucatearam a rede ferroviária brasileira…

  • Leonardo Azevedo

    A matéria diz: “o serviço de ônibus tem preços regulados pela ANTT. Para cada trecho há uma tarifa máxima a ser praticada.” Ou seja, dá a entender de que atualmente só existe limite máximo, e não mínimo. Então acho que as empresas de transporte terrestre não fazem promoção porque não querem, correto?

    • Guilherme Appolinario

      O artigo no G1 explica melhor… até então as empresas tinham de aprovar toda promoção com a ANTT, o que deve tornar as coisas inviáveis quando se queria cobrar menos que o valor fixo estipulado.

      • Ernesto Lippmann

        Já vi algumas promoções, no ano passado da empresa Aguia Branca, de Vitória para SP.

  • Ernesto Lippmann

    Fica a sugestão do MD também divulgar as promoções dos bumbas, pois os tempos estão dificeis, nem sempre dá para viajar de avião.

  • Ernesto Lippmann

    A falta de opções e concorrencia incomoda. De SP para Poços de Caldas, há uma só empresa e que faz paradas em 5 cidades. Um trajeto que leva 3 horas de carro demora quase 5 de onibus.

  • Alan Araujo

    Seria lindo se não fosse a exclusividade que as empresas tem nas linhas rodoviárias.
    Porque farão promoção, se eles detém o monopólio? Sejamos realistas e compreendamos que infelizmente no caso de transporte terrestre (leia-se rodoviário, porque o ferroviário inexiste) a desilusão do consumidor sempre será maior.

    • Hugo Leonardo

      Se você tem uma media de 20 pagantes naquele trecho e dia específico, para facilitar, cada passagem custa R$100, então ela tira R$2000, mas se naquela quarta-feira que pouca gente viaja, ela vender 20 passagens pelo preço normal e 20 com desconto de 50%, ela ganha R$3000. Claro que é um exemplo bem simplista, mas estudar a demanda por horário é linha e achar estratégia para maximizar a capacidade do ônibus passa a ser uma realidade.

      Antes todas as passagens deviam ser vendida das pelo mesmo preço até o máximo, agora poderá ter diferença de preços no mesmo Ônibus até o teto do preço.

  • Carlos Neto

    O ideal.agora é torcer para que empresas novas possam entrar nas redes existentes e de preferencia que essas novas empresas sejam abertas, s.a, devendo satisfacoes publicas aos seus acionistas. So assim para minar com o cartel existente