Especial: Roadtripping nos Estados Unidos 5 – Sweet Alabama

Denis Carvalho 23 · fevereiro · 2012

Após se encantar com a modernidade de Atlanta, a jornalista Isabela Rios mergulha no interior dos Estados Unidos e visita a cidade de Troy, no estado do Alabama. Ao som da música country, ela nos apresenta a hospitalidade da encantadora cidade e um pouco do seu cotidiano: 

O quinto capítulo da roadtrip não se concentra apenas em uma cidade, mas em um estado, um dos meus preferidos nos Estados Unidos. Entrar no Alabama é como entrar no clássico cenário de “interior do país”. As fazendas tomam conta da paisagem e as estações de rádio estão 100% ocupadas com a música country, todas elas.

Alabama não é um dos destaques na lista de destinos populares no país, mas está definitivamente no roteiro de quem deseja conhecer todos os lados da cultura americana. O estado é apelidado de “Heart of Dixie” – uma referência à sua localização central em relação aos estados sulistas (Dixieland) que decidiram separar-se dos Estados Unidos em 1861, fato que originou a Guerra Civil Americana.

A cidade de Birmingham é a maior do estado e divide atenção com Tuscaloosa e Auburn, onde estão localizadas as renomadas Universidade do Alabama e Universidade de Auburn e o pequeno litoral espremido entre os estados da Flórida e do Mississipi.

Continuamos 110 milhas pela Interestadual-85 até cruzarmos Auburn e irmos em direção ao sul pela Alabama-15. Nosso objetivo era encontrar velhos amigos e ter um descanso na pequena cidade de Troy.

Acostumadas com as gigantescas interestaduais americanas, nosso novo caminho tinha apenas uma faixa para carros em cada direção e algumas áreas cobertas por barro. “Bem-vindas ao Alabama” foi o que ouvimos de todo cidadão que se espantava com a placa do nosso carro de New Jersey. O caminho foi completo por um céu totalmente azul, o calor do sol e o vento refrescante. Os campos e as fazendas com suas grandes residências dos tempos dos fazendeiros do algodão após a Guerra Civil completaram o cenário.

O dia inteiro foi reservado em Troy para encontrar os amigos, vivenciar uma típica cidade sulista americana e perceber o tanto de histórias que já tínhamos para contar sobre a viagem – e não era nem a metade.

O almoço foi no Julia’s Restaurant (1215 Old Highway 231 North), um pequeno restaurante com ar country e garçonetes que juraram que éramos nova-iorquinas por estarmos à mesa atualizando o Facebook (vício típico de cidade grande). Minha opção foi uma Carolina Chicken Salad, grande o suficiente para alimentar umas três pessoas, um chá gelado e um pedaço de bolo de chocolate para sobremesa. Acreditem, toda a refeição saiu por $13, com gorjeta.

Muitas vezes não entender o pesado sotaque sulista, perceber as diferenças de comportamento e até vestuário da população, passar por lojas de tratores e nos divertir experimentando chapéus e botas de cowboys (todos muito caros por ser couro legítimo) estavam entre nossas atividades na cidade. Aproveitamos também para conhecer o campus da Universidade de Troy, casa dos populares Trojans, time de futebol americano que se torna a atração principal do pacato lugar em dias de jogo.

 

O jantar e entretenimento da noite foi o Half Shell Oyster Bar (119 Southland Vlg Ste C). Com decoração de bar esportivo, o lugar é famoso pelas ostras que custam entre $8,50 e $10,50 a dúzia. Após o jantar, os estudantes da Universidade de Troy se juntam em uma outra sala e aproveitam a noite com drinks e música ao vivo, country obviamente. Após algumas horas de sono acordamos cedo no dia seguinte para nos despedir dessa encantadora cidade.

Consideração final? O Alabama não está no topo de lugares com belezas estonteantes ou famosas atrações turisticas, mas me ganhou pela infinidade de lugares agradáveis, pela cultura super interessante, pelas pessoas extremamente amigáveis e pelo orgulho que a população tem de ter nascido nesse lugar.

Malas no carro, tanque cheio, rádio ligado: “Big wheels keep on turning, carry me home to see my kin, singing songs about the Southland, I miss Alabama once again, and I think its a sin, yes! ..Sweeet home Alabama, where the skies are so blue…”

Não deixe de ler os posts seguintes desta incrível viagem. Perdeu os textos anteriores? Leia os posts sobre os preparativos da viagem,  WashingtonCharlotte e Atlanta.  

 

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Isabela, eu venho acompanahndo a sua viagem, 0primeiro por também ter uma Blog e segundo porque estarei na estrada também a partir de 12 de março parea uma Roadtrip por esta região, que incluirá também o Mississipe, Luisiana, Tenesse, Kentucky. Mas verdadeiramente quero ir até as praias do Alabama. esta região é conhecida como o Red Neck Riviera, em referência a Riviera Francesa e ao interior dos USA. Bem, lemdo o seu artigo sei que estou encontrando também boas dicas da região. Apesar de ter vivido em New Orleans, não tive a oportunidade de conhecer a vizinhança. Portanto as suas dicas estão sendo muito valiosas e espero por adicionar ainda mais informações para os leitores de Blos. A minha viagem terá de 10 a 15 dias por todo esse sul americano. Até lá.

    Joao Lucena

    • Júnior

      Tou muito afim de fazer isso no ano que vem…até agora tenho em mente principalmente kentucky, mas gostei da sua roadtrip…ia tentar ir agora, só que nem achei preços bons de passagens pra kentucky com preços bons, ai agora o jeito é esperar um pouco mais =/ ! vlw ai

    • Fico feliz por estar ajudando! Aproveite bem a sua viagem!

  • Leticia

    Isabela tem sido uma deliciosa aventura acompanhar os seus relatos. Obrigada por compartilhar.

  • Guilherme Diniz

    Excelente relato.

    Parabens

  • jose ricardo vargas

    Oi , Isabela.Posso dizer que voce me deu aquele empurrao que faltava,dia 8 de maio vou pegar a estrada saindo de miami indo até San Francisco depois de dar algumas voltas por new york e orlando com minha esposa e miha filha de 7 anos.

    Só estou tendo problema com locadora de carro ja que nao encontrei nehuma que pratique aqueles preços que voce mencionou no inicio, se tiver alguma dica eu agradeço.

  • jose ricardo vargas

    Valeu Isabela! enquanto isto estou aqui em Floripa organizando a rota ,pelo que vi até agora nos seus post acredito que vou fazer o mesmo trajeto a partir do Alabama.Se tiver alguma daquelas dicas para evitar alguma enrascada eu agradeço.

  • Poxa! Vou fazer algo parecido em breve. Não sou nenhum escritor, mas estou documentando também e aprecio qualquer sugestão. Vou atravessar de NYC a San Francisco pelo caminho mais longo.. em 42 dias.

  • Laís Dias

    Achei esse post o mais fraquinho de todos, senti falta de dicas de verdade e fotos mais ilustrativas. Parece que vc falou mt mas ñ disse nd que a gnt realmente precisa saber. Talvez informações valiosas estejam sendo deixadas de lado? rs

    qual foi a parada seguinte??

    Abraços

  • Felipe Magalh&atilde

    Caraca, virei fã da Isabella..

    tô amando essa viagem.

    😉

  • Eduardo Favila

    Parabéns. Excelente guia.

    Todos os posts são excelentes, sem exceção.

  • Pingback: Especial: Roadtripping nos Estados Unidos 12 – as diferentes Los Angeles()

  • Pingback: Especial: Roadtripping nos Estados Unidos 12 – O fim do caminho: Highway 1()