TAM tem passagens para Nova York por 20 mil pontos no Fidelidade saindo de todo o Brasil

Denis Carvalho 10 · abril · 2013

A TAM está oferecendo passagens por 20 mil pontos para Nova York saindo de todo o Brasil no programa Fidelidade. É possível encontrar datas nos meses de abril e maio e combinar emitindo ida e volta por apenas 40 mil pontos! Apesar deste valor constar na tabela do programa, é muito difícil encontrar disponibilidade de passagens por ele. Mas o que é ainda mais raro: é possível encontrar essa oferta saindo de praticamente todos os aeroportos brasileiros! É claro que não testamos todos, mas simulamos das principais capitais e de cidades pequenas e conseguimos encontrar as passagens por 20 mil em todos! Dependendo da cidade de saída, é uma verdadeira pechincha!

Como dissemos, os bilhetes estão disponíveis em abril e maio. Em todas as nossas pesquisas, houve uma boa oferta de datas, mas em alguns casos as combinações de ida e volta estão um pouco restritas, sendo mais fácil encontrar na primeira quinzena de maio. Quer um conselho? Se essas passagens te interessam emita o quanto antes, pois com uma oferta dessas valendo para saídas de tantas cidades dificilmente os assentos promocionais vão durar muito e é possível que eles se esgotem ainda hoje!

Para fazer a busca, basta selecionar as cidades e datas no site da TAM e selecionar a opção “utilizar pontos Multiplus”. A pesquisa vai aparecer já mostrando o número de pontos. Você também pode usar as opções de mostrar os preços do mês todo e dos meses seguintes, que são muito úteis para localizar as passagens mais baratas. Não esqueça que além dos pontos, você terá que pagar a taxa de embarque.

Confira algumas telas com as passagens promocionais:

Dica dos leitores Lauro Magalhães, Derossi Mariz e Luis Rocha

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Leandro Vinhas

    Mas qnt deve sair a taxa? Cara, nao?

    • Luciano

      As taxas devem ser em torno de R$ 200,00

  • Katiúscia Ram

    Galera, aproveitem!!!

    Infelizmente não posso aproveitar!

    Valeu MD!

    • Luiz Thiago Moura da

      Tava por 720 doletas hj cedo !!!

      Agora ta 1300 !!

      Passagens p/ EUA flutuando como nunca !!!

      • Débora Gianes

        Estou acompanhando para comprar passagens para Orlando e no mesmo dia as passagens caem e aumentam. Estou esperando um valor melhor com saida de curitiba.

  • Wellington Sousa

    Transferi 100K pontos do Itau pro Infidelidade na segunda. To aqui esperando cair … ehhhh agonia!

    • Juliana

      Wellinton sousa vi que seu cartao eh itau, o meu nunca fiz resgate, liguei la agora, e as atendentes pessimass nao passam as informacoes com clareza.

      Voce pode me ajudar? Explicando como funciona?? Fica juntando la para resgatar por ate qnt tempo? A cada qnt gasto da direito a um ponto ? Agradeco muito

      • Camila

        Gente, esta semana saiu aqui no MD uma reportagem sobre trocar passagens direto pelo banco. Dei uma olhada no do itau e parece bom para esses casos que demora para entrar os pontos no multiplus…Ali vc nao trnsfere os pontos, troca direto no site.

        Só nao sei se é atualizado as promoçoes nele.

        Da uma lido na reportagem

        http://www.melhoresdestinos.com.br/troca-pontos-p

      • Fabricio Oliveira

        Juliana,

        Entre no site do Itaú (https://ww2.itau.com.br/programasemprepresente/Premios/Categoria/179-173-174-184/viagem-e-turismo/3) que tem resposta para todas suas perguntas.

        Cada programa que você for transferir tem sua regra e se seu cartão Itaú for diferente do que está no link acima, vc pode entrar nesse link http://www.itau.com.br/semprepresente/ e escolher seu cartão para dar o direcionamento correto.

        O Itaú acabou de criar um programa próprio para compra de passagens, mas como já mostrado em comparativo no Melhores Destinos, ele é o pior de todos e não compensa você comprar suas passagens por lá.

        Boa sorte…

      • Wellington Sousa

        Oi Juliana,

        As respostas pra suas perguntas vão variar de acordo com o cada cartão.

        O meu é um um Itaú PJ, um dos únicos PJ que conheço que acumulam pontos. A taxa de conversão não é boa (1 USD gasto = 1 ponto/milha) mas pra um cartão PJ, tá bom. Nesse cartão as milhas não expiram.

        Tente ligar novamente e falar com outro atendente ou conversar com seu gerente pra ver a taxa de conversão do seu cartão e se expira.

        Espero ter ajudado um pouco!

  • FABIANO MIRANDA

    Preciso de uma promo destas para set/out/nov. Pena que a TAM vai aumentar a pontuação a partir de julho.

    • Katiúscia Ram

      Junho

  • Gentil Meireles

    Já não existe mais… o Aumento já aconteceu.. 90k ou 140k… BSB-JFK.

    • Gentil Meireles

      Retificando!! Parece que existe algum bug, pois no firefox, inserindo meus dados fidelidade, apareceram valores exorbitantes, e no safari já apresentou o valor promocional.

      • Luciano

        Esses valores 90 ou 140k são pra Classe Executiva, tem que selecionar Classe Econômica

  • Leonardo G. De Souza

    Eu tenho 44 mil pontos mas pela United (Star Alliance), dá pra usar?

    • Luciano

      Não, é só pra TAM Fidelidade (Multiplus).

    • Anderson Viana

      Você voa pela United, mas antes fecha com a TAM!

  • André

    Acabei de encontrar! Saindo de Maceió tem várias opções de datas em abril e maio.

    Realmente é um achado, pois mês passado consegui com muita dificuldade para Miami com a mesma quantidade de pontos. Tive que ficar monitorando o site o tempo todo e depois de dez minutos já não era mais possível

  • Ronald Sekkel

    Em compensação parece que um único trecho de/para JFK em Junho e Julho custa 100.000 !

  • Romero Mantovani

    Era comum encontrar passagem bra-usa por 20 mil pontos cada trecho. Agora não será mais? O que mudou? Qual a pontuação normal hoje para o trecho?

  • Lairton da Silva

    Transferi meus pontos do cartão credito para o Gol Smiles, infelizmente fiz um péssimo negocio, já faz 4 meses, que estou tentando emitir passagem para Europa, ja tentei varias cidades, Paris, Londres, Berlin, Lisboa, enfim todas cidades nao tem disponibilidade, no máximo só a ida, como para Amsterdã. Em varias datas, maio, junho, julho, agosto e setembro.

    E o pior que estou 150.000 pontos e sem conseguir fazer nada com eles.

    O que será que esta acontecendo?

  • Alessandro Luciano S

    na capa do site da tam informa: De: SP (GUARULHOS)Para: MADRIUS

    $ 680,00**

    Mas não achei nada. Vocês já viram?

  • Camila

    Wellington Sousa,

    Vc fez essa catão de PJ no Itaú mesmo? Queria fazer um e me falaram que nao acumula pontos….

  • Candido Jr Terra

    $ 890,00 de SAO-NYC-SAO em Dezembro(ano Novo) é um boa tarifa?

    Pela United.

  • Junior

    Companhias aéreas ampliam cobranças extras

    Fonte: O Globo

    Assentos mais espaçosos, comida e até taxa de emissão de bilhete comprado por telefone estão entre elas. Algumas tarifas ferem o Código de Defesa do Consumidor, diz Idec.

    Diante de prejuízos sucessivos e pressionadas pela alta nos custos, companhias aéreas brasileiras estão se aproveitando de lacunas na regulamentação do setor para cobrar por serviços que eram gratuitos no passado. São as chamadas receitas auxiliares, que complementam os ganhos com a venda de passagens. A estratégia, porém, esbarra nos direitos dos consumidores. Na avaliação do Idec, algumas dessas cobranças ferem o Código de Defesa do Consumidor e até o Código Civil, e podem ser contestadas na Justiça.

    No rol das receitas auxiliares está a cobrança pela reserva dos assentos mais espaçosos, localizados nas primeiras fileiras dos aviões ou ao lado da saída de emergência das aeronaves. TAM, Gol e Azul cobram entre R$ 30 e R$ 40 pelo conforto em voos nacionais. Nos voos internacionais, o valor chega a R$ 229 na TAM, dependendo das cidades de origem e de destino. Apenas a Avianca não cobra pela reserva de assentos.

    Pesquisa da consultoria internacional IdeaWorksCompany estima que a receita auxiliar das aéreas tenha atingido, em todo o mundo, US$ 36,1 bilhões em 2012. A cifra é 11,3% maior que a registrada em 2011 (US$ 32,5 bilhões). Embora a América do Norte (US$ 15,6 bilhões) e a Europa (US$ 10 bilhões) concentrem as maiores fatias desse mercado, o ritmo de crescimento das receitas auxiliares é maior na América Latina e Caribe. A consultoria estima alta de 30% nesta região — de US$ 835 milhões em 2011 para US$ 1,1 bilhão em 2012. Na América do Norte, a expansão dessa fonte de receita é estimada em em 4,6% em 2012.

    A Gol também cobra desde o ano passado R$ 28 do passageiro que quer viajar sem vizinho ao lado em voos na ponte aérea. Isso é possível porque os assentos que ficam entre os da janela e do corredor são bloqueados em algumas fileiras. Este ano essa possibilidade será estendida a todos os voos que partem do Santos Dumont. O serviço é limitado ao aeroporto carioca porque, por questões de infraestrutura, os aviões da companhia, que têm 180 lugares, só decolam com 150 passageiros. Portanto, os assentos bloqueados estariam vazios de qualquer forma.

    Outra novidade criada pelas empresas é a taxa de emissão, cobrada em compras de bilhetes por telefone, em lojas ou no balcão do aeroporto. O valor varia de R$ 30 a R$ 40 para passagens até R$ 300 (no caso da Azul) ou R$ 400 (demais aéreas). Quando a tarifa ultrapassa esses valores, a taxa equivale a 10% do valor do bilhete nos voos nacionais. Os clientes que efetuam a compra pela internet estão isentos da taxa.

    Se o passageiro tiver que remarcar a passagem por algum motivo, lá vem mais cobrança. Qualquer alteração resulta em taxas que variam de R$ 80 a R$ 150, dependendo da companhia e do perfil da tarifa escolhida. Caso a remarcação seja feita em até 24 horas após a aquisição do bilhete, o cliente costuma ser poupado da taxa.

    Há ainda a cobrança pelo serviço de bordo, prática adotada pela Gol em parte dos voos nacionais com duração superior a uma hora e 15 minutos. Em junho, o serviço será estendido a todos os voos. O café com leite ou refrigerante sai por R$ 5. E os sanduíches custam R$ 13. Quem não estiver disposto a desembolsar esses valores só tem direito a água.

    A Gol teve prejuízo em 2012 de R$ 1,5 bilhão. Avianca e Azul não divulgam balanços porque têm capital fechado. Já os números da TAM foram incorporados ao balanço da Latam desde que a companhia concluiu a fusão com a chilena LAN no ano passado.

    Para o advogado do Idec Flavio Siqueira Júnior, algumas dessas cobranças contrariam o Código de Defesa do Consumidor (CDC). No caso dos assentos mais espaçosos, a cobrança vai de encontro ao artigo 39, inciso 10 do código. Neste, é dito que não se pode elevar sem justa causa o preço de serviços e produtos. Como as poltronas mais confortáveis já existiam na planta dos aviões e nada era cobrado por sua reserva alguns anos atrás, as empresas não poderiam introduzir a cobrança, na avaliação de Siqueira.

    No caso de remarcação das passagens, Siqueira afirma que o prazo para desistência ou alteração sem ônus deveria ser de sete dias e não de 24 horas, desde que a compra tenha sido feita fora do estabelecimento comercial (feita pela internet ou por telefone, por exemplo), conforme o artigo 49 do CDC. O advogado diz ainda que taxas de remarcações ou cancelamentos não podem superar 5% do valor do bilhete, de acordo com o artigo 740 do Código Civil, embora uma portaria da Anac mais antiga fale em 10%. Ainda assim, na sua avaliação, não deveria haver qualquer cobrança de taxa por alteração da viagem.

    — A alteração nada mais é que uma mudança nas condições do contrato, sem caráter unilateral, já que está prevista nas cláusulas contratuais. Não há justificativa para a cobrança de taxa nesse caso, nem mesmo quando a alteração é solicitada momentos antes do horário marcado, porque as empresas já estimam que determinado número de passageiros não irá embarcar e vendem mais bilhetes do que a aeronave comporta — afirma Siqueira.

    Ele ainda lembra que, no Brasil, o recente crescimento da demanda, com a incorporação de passageiros que não tinham o hábito de viajar de avião, criou um ambiente favorável a esse tipo de cobrança, pois muitas dessas pessoas não têm conhecimento de como era a oferta desses serviços no passado.

    Na avaliação do consultor em aviação José Wilson Massa, da JW Massa, as cobranças ocorrem porque “a legislação do setor é omissa”.

    — As empresas se valem dessas lacunas para cobrar por serviços que antes eram gratuitos. Como se mexer no sistema, para reservar um assento ou remarcar uma passagem, fosse um serviço — diz Massa.

    De fato, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) não estabelece regras para todos esses serviços. Não há nada na legislação do setor sobre a cobrança de valor adicional por reserva de assento, por exemplo. No caso de reembolsos por cancelamento, a portaria 676/2000 da Anac prevê que a empresa pode cobrar 10% do valor do bilhete cancelado, reembolsando o passageiro com 90% do total.

    Na prática, as empresas retêm 10% do valor da passagem apenas quando esta corresponde ao valor cheio da tarifa. Como a portaria 676 diz que “reembolso de bilhete adquirido mediante tarifa promocional obedecerá às eventuais restrições constantes das condições de sua aplicação”, as empresas classificam todos os demais perfis de tarifas de promocionais — mesmo que estes não sejam promoções pontuais — e ficam com até 50% do valor do bilhete cancelado.

    Quanto às demais taxas, como taxa de remarcação e taxa de emissão, a Anac não regulamenta valores mas entende que a cobrança é permitida, desde que tenham sido definidas no contrato de transporte entre a companhia aérea e o passageiro. Para a agência, a cobrança desses serviços é apenas a desagregação dos elementos que compõem o preço final da passagem e que, antes, não estavam explícitos.

    A Anac diz ainda que essas cobranças são o outro lado da moeda da redução dos preços médios das passagens desde que passou a vigorar o modelo de liberdade tarifária. Desde 2002, o preço médio das passagens caiu 45,8%, com a maior competição e a oferta de perfis diferenciados de tarifas, o que permitiu a popularização da viagem de avião.

    As empresas também enfatizam que o Brasil adota o regime de liberdade tarifária desde 2002 e que a cobrança por esses serviços é um movimento mundial. Por aqui, ele ganhou força há cerca de três anos e, mesmo com as críticas por parte de órgãos de defesa dos consumidores, só tende a crescer. (Danielle Nogueira)

  • Samir Samaan Filho

    Ótima! Nao pense e compre! Passagens nessa época pra nyc são caríssimas.

    E pela united, show!! (acho a melhor das cias americanas, e se der sorte melhor q a Tam).

    Abxx

  • Luis Rocha

    Enviei essa dica em 20/03/2013

  • Francisco Carlos Dos

    Promoções da Tam é Coisa pra inglês ver.