Promoção de passagens aéreas da Europa para o Brasil a partir de R$ 407 (ida e volta)

Denis Carvalho 9 · janeiro · 2013

O Melhores Destinos tem um público cada vez maior entre os brasileiros que moram no exterior. Atendendo ao pedido deles, decidimos postar uma pesquisa com passagens da Europa para o Brasil e encontramos preços muito bons.  Apesar da passagem estar com um ótimo preço, as taxas estão com um valor incomum e fazem com que o preço final aumente bastante. Passagens de ida e volta + todas as taxas ficam em torno de R$1.350, é um preço muito bom, porém longe dos R$407.

Interessante notar que duas companhias norte-americanas – Delta e American Airlines – estão oferecendo preços arrasadores e forçando a concorrência nos trechos. Podem ser uma boa pedida para quem pretende fazer um stopover (parada de um dia ou mais) nos Estados Unidos, já que a conexão é feita por lá. Quem não tem essa intenção pode optar pelas empresas europeias, como British Airways, Air France ou Iberia, que estão com preços idênticos às concorrentes.

Fizemos as pesquisas com datas em fevereiro e março, mas pode haver bons preços nos meses seguintes, por isso recomendamos pesquisar. Pode haver também bons preços saindo de outras cidades europeias ou para outras brasileiras. Par fazer a pesquisa, clique em qualquer link e altere as cidades.

Confira os preços de algumas passagens sem as taxas:

Amsterdam – Brasília R$ 705 (ida+volta) American
Amsterdam – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 531 (ida+volta) American
Amsterdam – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 531 (ida+volta) British Airways
Amsterdam – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 531 (ida+volta) Delta
Amsterdam – São Paulo (Guarulhos) R$ 531 (ida+volta) American
Amsterdam – São Paulo (Guarulhos) R$ 531 (ida+volta) British Airways
Amsterdam – São Paulo (Guarulhos) R$ 531 (ida+volta) Delta
Londres – Brasília R$ 785 (ida+volta) American
Londres – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 407 (ida+volta) Iberia
Londres – São Paulo (Guarulhos) R$ 507 (ida+volta) Iberia
Madri – Brasília R$ 527 (ida+volta) American
Madri – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 444 (ida+volta) Air France
Madri – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 444 (ida+volta) American
Madri – São Paulo (Guarulhos) R$ 527 (ida+volta) Air France
Madri – São Paulo (Guarulhos) R$ 527 (ida+volta) American
Paris – Brasília R$ 770 (ida+volta) American
Paris – Rio de Janeiro (Galeão) R$ 677 (ida+volta) American
Paris – São Paulo (Guarulhos) R$ 770 (ida+volta) American

Dica do leitor Bruno Feliciano

Esse post foi atualizado às 13:06h.

Publicado por

Denis Carvalho

Editor chefe

  • Marcos Sobral

    Denis, sempre os voos Exterior X Brasil são muito mais baratos que o inverso. Esta diferença é por vezes injustificável já que não tem relação com a demanda (isto porque todo mundo que compra passagem de ida também compra de volta). Cai sempre no velho hábito de vender mais caro para os brasileiros e culpar os impostos. De Corola (que é um carro popular americano – seu preço SEM impostos no Brasil é o dobro do preço COM impostos no US) a camisas da Tommy Hilfiger (que custam até 7 dólares lá e são vendidas aqui por 139 reais – experiência própria e recente). Falo com propriedade que isso não passa de cartel com aval do governo. E quanto mais os brasileiros vão ao exterior mais se percebe isso. E que a história de altos impostos não cola. Talvez por isso o governo e empresários não gostam muito que brasileiros viajem para o exterior. Porque quando volta tem a certeza de que as explicações convencionais para as disparidades de preços não colam mais. Vou falar uma coisa polêmica aqui, mas na minha opinião todo mundo deveria viajar antes para o exterior para depois conhecer o Brasil, só assim poderia ter um bom parâmetro de comparação sobre qualidade de atendimento e preços praticados.

    • Leandro

      Algumas coisas que você falou são verdades, mas o conceito de custo da passagem, não. Se você olhar bem o preço final, vai ver que a diferença não é muito maior do que os preços que são cobrados nas promoções daqui. R$ 1350 é um preço promocional que, de vez em quando, se encontra aqui.

      Há algumas diferenças entre os bilhetes comprados lá fora e os com origem aqui, além do tal "custo Brasil". Existe um adicional de combustível (YQ) que é cobrado em vôos com origem fora do Brasil, mas não com origem aqui. Isso aí costuma, às vezes, ser maior do que o preço da própria passagem (como parece que é o caso da promoção exposta).

      Além disso, franquia de bagagem em vôos origem Brasil é SEMPRE 2x32kg. Como você deve saber, o maior gasto de um avião é com combustível o que faz com que o peso seja determinante nos custos. Se cada passageiro levar 2 malas de 32 kgs ele vai ficar mais pesado do que se cada um levar uma de 23kg (regra dos Europa – Brasil) ou mesmo se tiver que pagar uma taxa (entre USD 40 ou 70) para despachar uma bagagem.

      Como você também deve saber, espaço vazio no bagageiro significa que o avião pode trazer mais carga paga, que é cobrada (e muito cara) e fonte de renda de muitas das low cost…

      Sempre que você olhar as regras de bagagem das cias aereas existem pelo menos duas regras: uma para o Brasil e outra para o resto do mundo. Provavelmente para trazer os 2x32kg de compras que os brasileiros tanto adoram, eles teriam que pagar preços acima do que os europeus pagam para virem "leves" para cá.

      Isso não me impede de concordar quanto aos preços absurdos cobrados aqui, principalmente em relação a hoteis e comida em destinos turísticos. Só viajo para dentro do Brasil quando não tenho muito tempo disponível. Do contrário, também prefiro o exterior, principalmente nas praias…

      • Marcos Sobral

        Leandro, ainda assim isso não justifica a disparidade.

        As taxas sobre a passagem são altas mas ai os custos estão relacionados com a infraestrutura. O preço real da passagem é o que a companhia ganha, já que as taxas, em tese, não são revertidas para as empresas, embora sejam pagas integralmente por quem viaja.

        É como eu sempre respondo aqui no MD quando alguém reclama das taxas: taxas são inegociáveis e não sofrem promoção pois não vão para as companhias aéreas mas sim para os órgãos ambientais, concessionária do aeroporto, impostos, etc. O que faz vai para a empresa aérea é a tarifa cobrada sem a taxa. Por isso que sempre achei correto a forma do MD de divulgar as passagens sem as taxas, já que cobrando R$ 1,00 ou R$ 10.000,00 na passagem as taxas em tese serão as mesmas.

        A bagagem realmente é uma discrepância oriunda do início do século. Quando os voos ainda competiam com os transatlânticos existia a necessidade de altas franquias. Isto porque na época, em função da própria demora dos navios uma pessoa que ia para a Europa precisava passar muito tempo no destino (meses até). Até hoje altas franquias para voos oriundos do Brasil para fora do Mercosul são fruto da ideia antiga que quando uma pessoa vai para a Europa ou US precisará de muita bagagem pois vai passar muito tempo. Realmente isto impacta no custo, mas ainda assim não justifica tamanha discrepância de preço, principalmente se a empresa usar novos jatos especiais para cruzar o atlântico que possui espaços de sobra para bagagem e carga e que já podem ser customizados para esta realidade.

        Na verdade eu me referi ao cartel de empresários com o aval do governo sobre a regulamentação da ANAC que somente terminou por completo em 2010 e que limitava a empresa de oferecer descontos nas passagens. Antes de 2010 era literalmente proibido as companhias aéreas venderem abaixo de um determinado patamar. Milhares de voos partiram do Brasil com assentos vazios porque as empresas não podiam fazer promos relâmpago.

        Isto acabou em 2010, mas depois de décadas sobre este regime até hoje os brasileiros nutrem a cultura que viagem para o exterior é cara. Por isso as empresas se sentem confortáveis em divulgar uma promo (sem taxas) de 800 dólares quando isso é muito menos da metade do preço sem promo no exterior.

        As empresas aéreas estrangeiras estão lucrando muito quando voam para o Brasil e isto vem justamente de passagens caras que eles conseguem nos vender.

        • Láisa Chamun

          Preciso dizer que concordo plenamente com o Marcos. Simplesmente não viajo pelo Brasil e ponto final.

          • Sheila

            Tbém concordo. Eu, prefiro viajar pra fora do país. É muito melhor e mais barato .

          • Rodrigoclt

            Tbm não dou dinheiro para esses empresários safados do nosso país!

      • Rberto Aranha

        Concordo, Leandro. O "custo Brasil" vai muito além dos impostos. Uma empresa para operar no Brasil, mesmo cia aérea, precisa abrir escritório, ter conta bancária aqui, contratar funcionários (e encarar as nossas leis trabalhistas arcaicas), fazer remessas ao exterior pagando absurdos 20% de taxas e impostos, custo do capital alto, infra ultrapassada, custo de mídia alto para anúncios, etc. Somando tudo isso o Brasil acaba ficando menos competitivo, sendo assim um investimento de risco, então só vale à pena uma empresa estrangeira operar por aqui se for muito lucrativo. E a gente paga o pato por isso, infelizmente.

        E viajar no Brasil é insanamente caro, mesmo. Mas nesse caso, o problema é que todo dono de pousada "boutique" e restaurante descolado acha que tem o direito de ser rico e ter vida de bacana, mesmo oferecendo um serviço comum.

    • Vitor J. Nunes

      Concordo contigo, Marcos. Tenho ido muito mais para fora do que viajado pelo Brasil nos últimos 3 anos. Toda vez faço as contas e fico decepcionado.

    • Guy Silva

      Só uma informação extra, nem todos vôos Europa-brasil praticam o 2×23… voltei a poucos meses de ibéria, preço normal, e era 2X32

      • Marcos Sobral

        Então enfraquece ainda mais o argumento de que a bagagem é fator que encarece a passagem.

        • Leandro

          Os vôos Europa – Brasil possuem maior flexibilidade na franquia. Algumas cias igualam para que não haja discrepâncias. Outras não, como a Air France, por exemplo.

          Quanto às taxas, você tem razão. Mas YQ não é taxa, é uma cobrança que vai para as Cias aéreas para cobrir custos com a variação do combustível. Se o petróleo subir de preço, eles mantém a tarifa da passagem e sobem o YQ, para justificar o aumento. Isso é para demarcar claramente qual é o ganho da cia e qual é o seu custo. É uma forma de se pensar, mas no fundo, é a mesma coisa. Seria como se o taxi tivesse uma tabela de valores e quando o combustível subisse ou caísse ele aplicasse uma determinada alíquota em cima do preço. Isso foi proibido no Brasil, já que, como no caso em tela, muitas vezes equivale a mais do que o preço da própria tarifa.

          Reitero que nesta promoção, com as taxas, os preços não são muito diferentes dos cobrados aqui. E acho que os brasileiros precisam aprender um pouco mais sobre seus direitos e deveres antes de termos tanta flexibilidade nas passagens como existe no resto do mundo.

          A cultura do jeitinho e do "é só um pouquinho a mais, que mal tem" ainda impede que tenhamos essa definição clara entre o que é transporte e o que é "extra". É só ver o tanto de reclamações que existem aqui porque o serviço de bordo da Cia X sumiu, porque não servem uísque no da Cia Y, etc.

          Essa questão do custo da passagem passa, naturalmente, pela evolução do consumidor brasileiro. Que está aprendendo e ficando ciente dos seus direitos e deveres, mas ainda engatinha quando se compara com Europa e EUA…

  • Isabella

    Poxa, as saídas são do exterior… Aí soa como pegadinha 🙁

  • Lara Freitas

    As taxas dão cerca de R$ 1.300,00! Tiram da passagem e jogam nas taxas, não adianta nada. =/

    • Marcos Sobral

      Ninguém pode fazer isso! As taxas são definidas pelo governo e não pela Cia aérea…

      • Mauricio Carneiro

        No caso em especial as passagens são como se estivessem sendo vendidas no exterior, uma vez que é um "produto" para o exterior, logo a legislação é diferente. De qualquer modo impostos e taxas de embarque são definidos pelo governo/aeroportos, porém existem algumas como a famosa fuel surcharge que em vários lugares é definida pela empresa aérea.

  • Carol Tafuri

    Até onde isso entra como 'propaganda enganosa'? Alguém sabe de alguma legislação?

  • Mauricio Carneiro

    Há!! Pegadinha do Malandro. Mais uma vez uma notícia bombástica que no final não dá em nada.

    As passagens realmente custam em torno de R$ 500, R$ 600, porém ao adicionar as taxas de embarque e impostos o valor sobre para R$ 1500,00, R$ 1700,00.

    A passagem de R$ 407,00 mais as taxas, mais a taxa que o Submarino cobra para emissão e para a comissão do site resultam em uma passagem de: R$ 1858,01, ou seja o valor normal de uma passagem Brasil – Europa (ida e volta).

    Agora se puder fazer stopover (coisa que o site do submarino não deixa, pode valer a pena para conhecer os EUA e tb a Europa, mas neste caso eu prestaria MUITA atenção na questão da bagagem no trecho entre EUA e Europa que chega a cair para 1 de 20Kg.

    • Raphael Fanezze

      Não compre pelo submarino, decolar, etc… é besteira! Faça sua consulta nesses sites, mas compre diretamente da companhia aérea. É bem simples.

      • Thiago Castro

        Tb faço isso. Mas as vezes, essas empresas conseguem preços melhores do q direto na cia aérea (foi assim q fui pra Alemanha por R$891 ida e volta. Dica aqui do MD, mas só tinha comprando no submarino). Por isso, é sempre bom olhar todas as alternativas.

  • Mario Junqueira

    Saindo de Brasilia não existe nenhuma passagem por menos de 2000 reais.

    • Mauricio Carneiro

      Verdade, aguarde que as promoções aparecem. Já vi saindo de BSB por R$ 1500,00 com as taxas incluidas. Fui ver agora e realmente para Março está um pouco salgado.

  • Sandra Ferreira

    Meu filho mora na Europa e eu vim aqui correndo (e fui para o submarino, via link) para ver como funcionava este preço, adivinhem só o preço das taxas? 1289,00, rsrsrsrs. Então a passagem sai 1800,00, claro que ainda está em conta, mas bem menos vantajoso. Impressionante o valor das taxas né? De qualquer forma agradeço muito, sou fã do MD!

  • Cleber, existem inúmeros casos como esses no Submarino e em outras OTA, mas a gente nunca posta. Dessa vez quando percebemos essa questão o post já estava no ar e achamos melhor mantê-lo, apenas mudamos a introdução do post para já alertar que não seria um negócio tão bom.
    Peço desculpas.

    • Mauricio Carneiro

      De fato. Antigamente quando a interface ainda era em ASP o Decolar mostrava o valor com as taxas, era simplesmente espetacular, mesmo porque em alguns casos o segundo colocado em valor ficava mais barato devido a taxas menores. mas acho que com o tempo eles viram que anunciar passagens a R$ 2000,00 era pior do que anunciar passagens a R$ 1000,00, gerar visitantes, ganhar nos anuncios e depois avisar que tinham mais R$ 1000,00 de taxas.

      Infelizmente é o mercado.

      Acho que das grandes OTA, nenhuma mostra o preço total na primeira página de pesquisa.

      • É Maurício, no Brasil nem as OTA e nem as próprias empresas aéreas mostram com as taxas, então quem resolver mostrar sairá "prejudicado".

        • Henrique

          No site da Iberia os preços das passagens aparecem sempre com as taxas inclusas, inclusive na pagina inicial.

          • Muitas empresas de fora mostram com as taxas, mas como eu disse nenhuma do Brasil mostra.

  • Guilherme Ortale

    Pessoal do MD, vocês viram no G1 o mesmo relato de viagem da Air Koryo feito para cá?

    Eles estão tão atrasados… hehehe.
    http://g1.globo.com/turismo-e-viagem/noticia/2013

    • Marcos Sobral

      Eita e não colocaram nenhum crédito do MD.

      • Pedro Calixto

        Pelo amor de deus, é cada um que aparece aqui… Quem fez esse relato foi o gabriel do blog gabriel quer viajar e não tem nada a ver com o MD que apenas replicou a matéria… que preguiça

  • Livia

    Dá até depressão ler uma notícia dessas

  • Bruno Feliciano

    Pessoal, vocês tentaram buscar nos sites das companhias??

    Ontem procurei para um amigo e a passagem AMS-GRU ficava 1200 reais no site da Delta com todas as taxas. Obvio que esse preço do Submarino esta exagerado.

  • Suzana Oliveira

    Madri – Rio – Madri, por 444 reais ida e volta.

    Taxas de embarque: R$ 1278,93

    Taxa do submarino: R$ 100,00

    Valor total: R$ 1823,19

    essa taxa de embarque nesse valor todo tá correta?

    • Tem algum erro na composição dos valores. Pena que a gente só viu minutos depois de colocar o post no ar, senão a gente nem teria postado.

    • Guilherme Ortale

      Na verdade os vôos que partem da (e na) Europa têm esse tipo de composição de preços.

      Tendo um valor básico da passagem e OUTRAS taxas, entre elas a taxa de embarque.

      Porém como aqui no Brasil isso não existe, sites como o submarino, decolar etc… colocam como taxa de embarque TODAS as taxas, o que não é totalmente verdade e ai fica essa confusão.

      Pode pesquisar em qualquer data de qualquer país europeu com destino ao Brasil e verá esse tipo de passagem com preço a princípio maravilhoso, mas que depois das taxas fica bem maior.

      • Leandro

        YQ (fuel surchage). É o adicional de combustível, criado pelas cias aéreas para cobrir os custos com a variação do petróleo após o boom dos anos 2007/2008.

        Aqui no Brasil é proibido, mas no resto do mundo é legalizado. As taxas de embarque são as mesmas (uns 70 e poucos reais aqui e uns 50 EUR lá). O que muda é o YQ que lá pode ser cobrado e aqui não.

  • Marcos Sobral

    Em outubro de 2010 eu fui a Paris. Sete meses depois apareceu uma promoção aqui no MD de passagens para Porto Alegre. Decidimos comprar para conhecer Gramado. Me senti assaltado! Tudo era muito mais caro que Paris: o hotel, a alimentação e as entradas. Seguem os Exemplos absurdos:

    – entrada no Minimundo é quase igual ao do famoso Museu do Louvre (Mininundo R$ 18,00 / Louvre R$ 25,00)

    – A entrada do Mundo a vapor é mais quase a mesma do que a entrada na Torre Eiffel (esta é uns R$ 10,00 mais cara a depender do tipo de ingresso) mas lembrem-se é A Torre Eiffel e não O minimundo…

    – Comer um "fondue" é literalmente mais caro que um Prato, uma taça de vinho, entrada e sobremesa em Paris.

    Em resumo eu me sentia assaltado a cada instante.

  • Marcos Sobral

    Primeiro: Deus e Gabriel não nomes próprios por isso devem começar com letra maiúscula. Segundo isto foi uma brincadeira para aqueles que sempre dão dicas e depois cobram que o post tenha os créditos no final. Terceiro: não se mete em conversa que você não entende. Termina falando besteria. Quarto: depois das reticências se usa letra maiúscula também, por isso o correto seria: "Que preguiça". Vai cuidar desta preguiça amigão.

  • Héber

    Já havia percebido esta taxa de combustível em uma busca feita pelo site da TAM e infelizmente, o Submarino nao passa os valores com as taxas diretamente na busca (assim como a Mundi)! Me parece quee o Melhores Destinos tem uma parceria com o Submarino, mas se posso aconselhar o melhor site de buscas que ví até hoje, coloco aqui: http://www.skyscanner.com.br

    O Site tem buscas por datas flexíveis e te dá opções de destinos e origens próximas que ficam mais barato! Funciona muito bem em viagens dentro da Europa…

  • Héber

    Um pequeno exemplo do poder do Site com buscas genéricas Brasil – Espanha : http://www.skyscanner.es/voos/br/es/130130/130206

  • Oi Héber, pode indicar sim, sem problemas. A busca so Skyscanner de fato é bem legal, porém ela usa cache e isso gera o mesmo problema que tem outras buscas flexíveis: mostra resultados que na prática não existem mais.

    Em relação às taxas serem exibidas logo no resultado da pesquisa, nenhum site brasileiro faz isso.