Leitora relata como está o novo processo de emissão de visto americano

Leonardo Marques 20 · junho · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Desde o começo de maio está mais fácil e mais barato tirar visto para os Estados Unidos. Aqui no Melhores Destinos fizemos um post com um passo a passo de como tirar o visto americano e um outro post só sobre os novos CASV. Mas nada se compara ao relato de uma pessoa que passou por todo o novo processo, desde os documentos, até a entrevista para obter o visto no consulado.

A leitora Carolina Mendes nos mandou um relato bem detalhado de como foi sua experiência de solicitação e obtenção do visto para os Estado Unidos. Vale a pena conferir e se você também passou por esse novo processo, não deixe de contar sua experiência aqui nos comentários.

Olá!

Gostaria de sugerir ao Melhores Destinos a publicação da minha experiência na solicitação de visto para os Estados Unidos pelo novo processo adotado pelo Governo Americano.

Antes de ir ao Rio de Janeiro para a entrevista, busquei dicas de aspirantes ao visto para saber como ficou o atendimento no Consulado depois das mudanças, mas não encontrei nada. Então resolvi contar como foi a minha experiência. Espero que ajude a outras pessoas!

Realmente, o propósito de agilizar o processo de solicitação de visto foi alcançado com a implantação das mudanças.

Como solicitar o visto americano

No dia 30 de maio, demos entrada no processo do visto, começando pelo preenchimento do famigerado formulário DS-160. Em seguida, pagamos a taxa (agora única) de U$160,00. O pagamento foi feito com cartão de crédito internacional (a minha taxa, mais a do meu marido ficou em R$702,00) na página do agendamento. Para isso, é preciso se cadastrar no site e efetuar o login.

O interessante é que esse próprio link já te dá a previsão de datas disponíveis para agendamento nos quatro consulados americanos no Brasil. Como sou de Belo Horizonte, fui automaticamente encaminhada para a entrevista no Rio de Janeiro. Mas se fosse da minha preferência, o local da entrevista poderia ser alterado depois.

Apesar da ida ao CASV (Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto) ser feita antes da entrevista no Consulado, o agendamento é posterior. Ao todo, a nossa espera foi de 18 dias, mas por opção nossa, e não por falta de datas disponíveis para entrevista. Para fazer o agendamento é preciso ter em mãos o número do seu passaporte, o recibo de pagamento da taxa MRV e o número do código de barras do seu DS-160.

Importante: na hora de preencher o formulário DS-160, ainda é necessário fazer o upload de uma foto que atenda aos padrões mínimos de qualidade exigidos pelo sistema. Meu marido e eu fizemos a foto com a câmera do iPhone, em casa mesmo, e ela foi aceita. Essa não será a foto definitiva do seu visto. Apenas uma identificação que vai sair no cabeçalho do seu formulário, que será entregue ao agente consular no momento da entrevista.

Assim como os dados biométricos (as impressões digitais), a foto definitiva, que vai sair no seu passaporte na página do Visto agora é tirada no CASV.

Por falar em CASV, o sistema de agendamento obriga que a sua ida ao CASV se dê em, no máximo, sete dias antes da data marcada para a entrevista. No nosso caso, fomos ao CASV de Belo Horizonte no dia 11 de junho.

Atendimento no CASV

Para entrar no CASV, também é obrigatória a apresentação da cópia impressa do DS-160 e do passaporte. Estes são os únicos documentos que você precisa levar à Central de Atendimento. Nosso horário estava marcado para o meio dia. Chegamos com 20 minutos de antecedência, passamos pela segurança e fomos imediatamente encaminhados ao guichê. Não havia ninguém além de nós lá dentro. A atendente confirmou nome, CPF, RG, número de telefone e e-mail, colheu nossas impressões digitais e tirou a foto. Em menos de 15 minutos já estávamos liberados. Como não sabíamos exatamente como funcionava o processo, levamos ao CASV todos os documentos que preparamos para a entrevista. Totalmente desnecessário, viu? Aproveite essa semana entre as duas marcações para rever a sua documentação.

Entrevista no consulado

Nossa entrevista no Consulado do Rio de Janeiro estava marcada para as 10h30 de segunda-feira, 18 de junho. Chegamos no Rio no domingo e nos hospedamos em Copacabana. Por medo de complicações no trânsito, saímos do hotel com duas horas de antecedência. Gastamos menos de 20 minutos para ir de Copa ao Consulado dos Estados Unidos, de táxi. Não levamos celular e nem nenhum equipamento eletrônico, cuja entrada, como se sabe, não é autorizada. (Se você se esquecer ou não tiver outro jeito, na porta do Consulado tem várias pessoas que cobram R$5,00 para guardar celulares enquanto você está lá dentro).

Tenho que confessar que eu já estava conformada em perder o dia todo na espera pela entrevista para o visto. Ledo engano! Entramos na fila às 9h e, às 10h30, deixamos o prédio com o visto aprovado. Lá dentro, as normas de segurança que todos conhecem. Raio X, detectores de metal, etc. E muita organização.

Como não é mais preciso colher dados biométricos e nem conferir foto, o processo foi super rápido. Depois que os funcionários conferiram o horário da marcação, os passaportes e a página de confirmação do DS-160, entramos e entregamos estes documentos num guichê que fica bem na entrada da sala de espera. Aguardamos sentados, pulando de cadeira em cadeira até que nos devolveram os passaportes e nos chamaram para outra fila. Nesta segunda fila, aguardamos sermos chamados pelo oficial consular (que no nosso caso, era uma mulher). Quando ela nos chamou, pediu os passaportes e o formulário, fez aquelas perguntas de praxe (o que você vai fazer nos EUA? Quem vai com você? Quando você vai? Conhece alguém lá? Etc), pediu para ver nossas declarações de IR, perguntou quanto a gente ganha por ano, se temos filhos, se nossa filha também vai viajar conosco e, em seguida, soltou a frase que tanto esperamos para ouvir: “SEU VISTO FOI APROVADO! BOA VIAGEM!”. Depois levantou e saiu.

O balanço que fizemos é que o processo, realmente, está mais rápido e você não perde mais taaaaanto tempo dentro do consulado, naquele vai-e-vem de guichê em guichê. É claro que, para quem não mora em uma cidade onde haja um CASV, fazer duas viagens fica muito mais caro e trabalhoso. Mas no nosso caso, foi uma mão na roda! Conseguimos aproveitar um dia lindo de sol no Rio de Janeiro com a tranquilidade de já termos tido o nosso visto aprovado!

Agradecemos a Carolina pelo relato sobre o processo de emissão de visto para os EUA, que certamente será muito útil para quem busca informações, sobretudo sobre a documentação necessária, taxa, CASV e a temida entrevista no consulado. E você? Já tirou o visto para os USA? Tem alguma dica para a entrevista? Deixe seu comentário abaixo!  

Autor

Leonardo Marques - Diretor do Melhores Destinos