Saiba tudo sobre as monções asiáticas e como podem afetar sua viagem

Gisela Cabral 13 · janeiro · 2016

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Promoções de passagens aéreas para a Ásia estão sempre surgindo aqui no MD e muita gente, ao aproveitar estes preços imperdíveis, acaba não se atentando para a época do embarque. Digo isso em relação ao clima do lugar (ou lugares a serem visitados), pois, quando se trata de planejar uma viagem para esta parte do planeta, é preciso ter em mente a existência das famosas monções.

Sim, meus caros leitores, a mãe natureza não costuma brincar em serviço – ainda mais em tempos de aquecimento global. E posso afirmar isso com propriedade, pois pude sentir na pele durante a minha viagem de cinco semanas pelo Sudeste da Ásia, em 2013.

Na verdade, antes de embarcar em mais uma aventura do MD pela Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã, pesquisei sobre as monções e aprendi que elas nada mais são do que ventos que mudam de sentido ao longo das estações do ano, fenômeno que pode ser observado com mais frequência no sul e no sudeste da Ásia (estão mais associadas ao Oceano Índico).

haiyan_7nov13_1616Z_Iband5-1024x781
Imagem de satélite em alta resolução do Super Tufão Haiyan, em seu pico de intensidade. 7 de novembro de 2013. Crédito: NOAA / CIRA.

Estes ventos, portanto, carregam o ar úmido do oceano para o continente e o ar seco da terra para o mar em épocas distintas. Inofensivo? No meu caso, nem tanto. Antes de comprar a minha passagem para o final do mês de outubro, li que poderia pegar algum resquício de mau tempo naquele período final das monções, mas nunca imaginei que a ameaça de um super tufão estaria no caminho.

Tufão

O fenômeno da natureza que estava “no roteiro” era o devastador super tufão Hayan, que passou pelas Filipinas e causou uma destruição sem precedentes com ventos, chuvas fortes e alagamentos. Para a nossa falta de sorte (de viajantes, claro, pois quem morava naquela área correu risco de morte, perdeu entes queridos e tudo o que tinha) ele estava seguindo na direção do Vietnã e a previsão era que chegasse na área em que eu estava, Hanói, com força.

DSC_6453
Começo do alagamento na cidade de Hoi An, Vietnã – Foto: Rafael Dantas

Dias chuvosos, vários alertas do staff do hotel, passeios para Halong Bay cancelados pelas autoridades locais e lá estávamos eu e meu marido, trancados em quarto de hotel no Old Quarter da cidade, assistindo aos noticiários internacionais (que só falavam da tragédia) e com muito medo do que enfrentaríamos pela frente. Felizmente, um dia depois o tufão perdeu força e desviou do Vietnã.

DSC_6501
Hoi An completamente alagada – Foto: Rafael Dantas

Tufões são basicamente como furacões. Segundo o Inmet, ambos são “ciclones tropicais de núcleo quente, com ventos contínuos de 118 quilômetros por hora (65 nós), ou mais, no Oceano Atlântico Norte, mar caribenho, Golfo do México e no norte oriental do Oceano Pacífico. Este mesmo ciclone tropical é conhecido como tufão no Pacífico ocidental e como ciclone no Oceano Índico”.

Chuvas

Foram, ao todo, uns três dias de muita chuva. O passeio para Halong Bay foi aprovado, com atraso, e a nossa viagem seguiu sem maiores problemas até a cidade histórica de Hoi An, onde participaríamos da Full Moon Party. Chegamos nesta região do Vietnã debaixo de uma chuva pesada, sem intervalos, e que nos acompanhou até a nossa saída da cidade, dois dias antes da data prevista.

DSC_6492
Piscina do hotel em Hoi An, Vietnã – Foto: Rafael Dantas

Sim, por causa do mau tempo, muito influenciado pela ameaça da passagem do tufão, a cidade precisou abrir as comportas devido ao acúmulo de água e o resultado disso foi um alagamento, digamos, bem assustador. Não preciso nem dizer que a bela festa foi cancelada.

Resumidamente, passamos dois dias explorando a cidade com “água nos joelhos” (porque nós somos brasileiros e não desistimos nunca) até desistirmos de lutar contra o mau tempo. Quando a água já havia coberto a quadra de tênis do hotel, deixamos o local de canoa até a estrada mais próxima, onde pegamos um táxi para a cidade vizinha de Da nang.

Felizmente, nada de mais grave nos aconteceu. Tivemos todo o apoio da dona da pousada que, além do táxi, nos ofereceu um café da manhã improvisado em uma barraca de rua, perto da estrada que não estava alagada. E Depois de uma noite num hotel de Da Nang, reservado de última hora, pegamos o nosso voo para Ho Chi Minh City e nos livramos do mau tempo!

Afinal, qual a melhor época do ano para viajar?

Quando o assunto é climatologia é impossível ter 100% certeza, porém, é possível prevenir-se antes de comprar as passagens e embarcar rumo ao continente asiático. Segundo o site GoseAsia.about, a Monção Sudoeste começa, geralmente, em junho e termina em setembro. Ela afeta, além da Índia, países do sudeste asiático como Tailândia, Cambodja, Laos, Vietnã, Malásia, Filipinas, Indonésia, Burma/Myanmar, Brunei e Cingapura.

Nascer do Sol em Halong Bay - Vietnã
Nascer do Sol em Halong Bay – Vietnã – foto: Rafael Dantas

Porém é bom lembrar que as monções de verão em países como Tailândia, Cambodja, Laos e Vietnã podem se estender até outubro e, segundo o especialista em viagens para a Ásia, Greg Rogers, as chuvas nestas localidades “podem começar um mês antes ou um mês depois”. O norte Tailândia, no entanto, costuma receber menos influência de chuvas durante o período, sendo, portanto, um bom lugar para incluir no roteiro.

Ilha de Phi phi no Sul da Tailândia
Ilha de Phi phi no Sul da Tailândia – Foto: Gisela Cabral

As famosas ilhas do Sul da Tailândia podem ser afetadas por tempestades em vários períodos do ano, até mesmo na época “seca”. “As chuvas costumam diminuir no final de outubro, em ilhas do mar de Andaman, como Koh Lanta e Phuket. Ilhas como Koh Tao e Ko Phangan, no Golfo da Tailândia, recebem mais chuvas entre outubro e janeiro”, afirma Rogers em seu artigo.

Por outro lado, de acordo com ele, os meses de junho a outubro podem ser mais indicados para os que desejam conhecer a Indonésia. “O arquipélago indonésio é largo e as características geológicas podem influenciar no clima. É possível, portanto, encontrar um lugar mais seco para aproveitar o período das monções”, afirma, lembrando que julho costuma ser o período mais cheio de turistas.

Criança brinca em uma vila flutuante, no Cambodia - Foto: Rafael Dantas
Criança brinca em uma vila flutuante, no Cambodia – Foto: Rafael Dantas

Já as Filipinas é o país que mais tem sofrido com tufões como o Hayan, em 2013, e, no último mês de outubro, o Koppu, acompanhado de ventos constantes de 175 km/h e rajadas de até 210 km/h. Rogers alerta para o fato de que a temporada do fenômeno por lá ocorre, geralmente, entre maio e outubro, “sendo agosto o pior mês para ciclones”. O Vietnã também costuma ser rota para este tipo de desastre natural.

Conheça o lado bom de visitar a Ásia durante as monções

Felizmente, nem todas as notícias são ruins para quem pretende se aventurar na Ásia durante as monções. Sem a ameaça de um tufão e, claro, tomando alguns cuidados, é possível aproveitar bastante e até pagar mais barato, pois a temporada acaba atraindo um número bem menor de turistas.

Segundo o site GoseAsia.about, as diárias dos hotéis chegam a cair até 60% durante a temporada e os transportes públicos em certas localidades fica menos cheio. Além do mais, algumas paisagens acabam se beneficiando das chuvas e ficando ainda mais bonitas, como é o caso dos Templos de Angkor, no Cambodia. Canais mais cheios e vegetação bem verdinha!

Nascer do Sol no Templo de Angkor, Cambodia - Foto: Rafael Dantas
Nascer do Sol no Templo de Angkor, Cambodia – Foto: Rafael Dantas

Confira algumas dicas para quem vai viajar:

– Nada de guarda-chuvas. Invista numa boa capa de chuva ou roupas apropriadas. Casacos com capuz, calçados, bolsas e mochilas que repelem água, afinal, você não vai querer estragar a sua câmera fotográfica e outros pertences;

– É sempre bom carregar consigo os contatos da embaixada brasileira mais próxima, para casos de emergência. Esta dica, na verdade, vale para todas as viagens internacionais. Nunca se sabe o que pode acontecer!

– Nunca viaje sem o seu seguro-saúde. Algo inesperado pode acontecer, ainda mais quando a intenção é viajar em épocas de clima ruim. Para saber mais sobre seguros de viagem no Brasil, clique aqui nesta matéria do MD;

– Leve os remédios aos quais está acostumado e também um repelente, pois as chuvas acabam aumentando a quantidade de mosquitos;

– Esteja preparado para adiamentos e cancelamentos, como no caso da minha viagem para Halong Bay! O ideal seria adicionar mais tempo a sua viagem, especialmente para estes imprevistos;

– Voos podem sofrer atrasos ou cancelamentos, barcos e ferries também. Além disso, informe-se sobre políticas de cancelamento, devolução de dinheiro e etc, antes de fechar os passeios pretendidos.

Quais as cidades da Ásia mais suscetíveis a desastres naturais?

A empresa de análise de risco global Verisk Maplecroft publicou um atlas (Natural Hazards Risk Atlas) com o ranking das 1,3 mil cidades mais vulneráveis ao redor do mundo. O estudo concluiu que mais da metade das 100 primeiras cidades, onde há maior risco, encontra-se nas Filipinas, na China, no Japão e em Bangladesh.

“Oito das 10 primeiras cidades de maior risco estão localizadas nas Filipinas, incluindo a capital Manila, que ficou em quarto lugar. Tufões são uma grande ameaça nas Filipinas, todos os anos”, afirma uma matéria do site weather.com. Neste link é possível conferir o estudo completo.

É possível prever a ocorrência de desastres naturais?

De acordo com o site da Federação Internacional da Cruz Vermelha, ciclones, furacões e tufões podem ser detectados com dias de antecedência, porém, como viagens do Brasil para a Ásia costumam ser organizadas com meses de antecedência, o melhor é que o viajante se informe bem antes de fechar as datas, optando pelo período que melhor lhe convier.

Links para pesquisa

Se você está planejando uma viagem para o Sudeste da Ásia, vale a pena checar os sites de agências especializadas em meteorologia (em inglês). Estes portais contém informações oficiais dos países, atualizadas constantemente. 

Vietnã – National Hydro-Meteorological Service (HMS)

Tailândia – Thai Meteorological Department

Filipinas – Philippine Atmospheric, Geophysical and Astronomical Services Administration

Malásia – Malaysian Meteorological Department

Cambodja – Cambodian Department of Meteorology

Cingapura – Meteorological Service Singapore

Já viajou para a Ásia na época das monções? Conte nos comentários como foi sua experiência e participe!

Autor

Gisela Cabral - Editora de Destinos Jornalista brasileira vivendo uma grande aventura na terra dos queijos, moinhos e tamancos!