Fusão da TAM e da LAN é aprovada no Chile

Denis Carvalho 21 · setembro · 2011

O Tribunal de Defensa de la Competencia do Chile (TDLC) aprovou agora há pouco a fusão entre a brasileira TAM e a chilena LAN. A fusão depende agora de aprovação no Brasil para ser concretizada. Para aprovar o negócio, o tribunal chileno impôs 11 restrições. As companhias anunciaram que vão avaliar as medidas antes de se pronunciar.

“Este é mais um passo do processo legal para a conclusão do negócio. Como a resolução do TDLC é complexa e considera uma série de medidas de mitigação, as duas companhias estão analisando cuidadosamente o teor da decisão. Assim que finalizada essa análise, TAM e LAN divulgarão seu posicionamento”, informaram as companhias em comunicado conjunto.

As medidas determinadas foram:

1. Transferência de quatro pares de slots diários (horários de pouso e decolagem) no aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo, a companhias aéreas que desejem iniciar ou ampliar suas operações na rota São Paulo – Santiago.

2. Extensão do programa de fidelidade da Latam (a empresa criada a partir da fusão) para uma terceira companhia aérea pelo prazo de cinco anos.

3. Firmar acordos de compartilhamento de voo nas rotas São Paulo-Santiago; Rio-Santiago; Santiago-Assunção (Paraguai) com companhias aéreas interessadas, que já operem ou desejem operar essas rotas.

4. A Latam está impedida de aumentar a oferta de assentos disponíveis na rota Santiago-São Paulo, em voos que saiam 15 minutos antes ou 15 minutos depois da partida de companhias que receberem os slots transferidos a terceiros.

5. A LAN deverá modificar seu plano de autorregulação, segundo determinações do tribunal.

6. A Latam deverá sair de uma das duas alianças globais a que pertence atualmente.

7. Fim ou revisão de acordos de compartilhamento de voo com companhias aéreas que não pertencerem à aliança global na qual a Latam optar por permanecer, nas rotas determinadas pelo tribunal.

8. A LAN deverá entregar quatro frequências para Lima (Peru) a uma companhia aérea interessada; também deverá restringir sua participação em licitações de novas frequências nesta rota.

9. A Latam deverá apoiar a abertura dos céus chilenos a companhias de outros países, sem exigir a reciprocidade de voar para destinos daquela nação.

10. Compromisso de promover o crescimento e a operação em condições normais nos aeroportos de Guarulhos e Arturo Merino Benítez (Santiago).

11. Não adotar condições de venda de passagens excludentes com agências de viagens e distribuidores. A empresa não poderá dar incentivos, nem comissões, atreladas a metas de venda ou medidas semelhantes

O processo de fusão entre TAM e a LAN teve início em agosto de 2010 e ainda precisa ser aprovado pelas autoridades brasileiras. Por aqui, a fusão deu um passo importante no mês passado, quando a Secretaria de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda (Seae) divulgou parecer favorável à união das empresas sem restrições.

Apesar de ser uma etapa importante, o parecer não significa a aprovação da fusão, que ainda precisa ser avaliada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), autarquia federal responsável por julgar processos de fusão como esse.

Com informações das empresas e da revista Exame

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe
  • Marcos Reis

    Só nos resta esperar o que essa fusão trará de útil para os clientes. Cartelizar os preços das passagens com certeza será uma das primeiras ações… Só resta a concorrência ficar de olho…

  • Heinz Backer

    Esse CADE aprova tudo.

  • Igor – Poa

    Se GOL "ocupasse" estes slots que irão sobrar ainda vai se dar bem com isso!

  • Vinícius

    Espero que permaneçam na Star Alliance…

  • Feliciano Martins

    Esperamos que isso não venha a prejudicar os consumidores!

  • Wescley

    LAN sairá da Oneworld ou TAM da Star Alliance?

    • Igor – Poa

      Espero que fique na Star Alliance

  • Camila Gomes

    A LAN é muito cara, acho uma pena essa fusão…

    • Marco

      Será que o nosso CADE vai ficar com vergonha desse tribunal administrativo chileno e fazer algumas exigências ou vai ser a festa de sempre rumo à cartelização da economia brasileira?

    • Sidnei

      Camila, isso depende do ponto de vista.

      No Brasil, em termo de comparacao, a TAM e' uma das empresas aereas que vendem os bilhetes mais caros.

      "Ah, mas de vez em quando fazem promocao…"

      A LAN tbm faz, e ja' viajei duas vezes com eles e nao me arrependi nem um pouco; da primeira vez fui a Buenos Aires, US$ 150 ida e volta, e da segunda fui ao Chile, US$ 350 ida e volta.

      Veja bem, na epoca, os mesmos trechos pela TAM sairiam tres vezes mais caro.

      E so' pra confirmar, pesquisei ida e volta Guarulhos – Santiago em outubro, distancia de 2 semanas entre ida e volta:

      PLUNA e GOL estao com valores proximos, R$ 711, ambas com conexao;

      O valor na LAN e' R$ 803, enquanto na TAM R$ 993, ambas com voos diretos – como pode perceber, quase R$ 100 a mais por cada trecho na TAM.

      Entao, em questao de preco acho que nao vai ter tanta diferenca assim…

  • Ana

    Engraçado o governo brasileiro aprovar tudo sem restrições (casa mãe Joana!) enquanto o chile estipulou todas estas restrições pra evitar o monopólio…

    Com certeza quem sai perdendo são os passageiros…

  • Matheus Aredes

    Fico profundamente chateado com essa fusão!!!

    A Tam tem o melhor programa de fidelidade da Am. do Sul e a Lan, o pior!!!

    Como a gente sabe que a Tam tá é sendo "comprada" pela Lan, o que vai prevalescer é o programa da Lan.

    Uma derrota pro povo brasileiro!!!

  • Leonardo Franklin

    Pessoal, na verdade a questão das alianças está definida….prestem atenção ao ponto abaixo, retirado da decisão:

    6- LATAM deberá renunciar, dentro de un plazo que no exceda de 24 meses contados desde la fecha en que se materialice la Operación consultada, al menos a una de las dos alianzas globales en que a esa fecha participan sus partes, LAN y TAM. En ningún caso podrá pertenecer a aquella alianza en la que también el grupo Avianca/Taca sea miembro o asociado, o se encuentre en proceso de ingresar en alguna de dichas calidades. En el evento que LATAM deseare pertenecer a más de una alianza, deberá consultar previamente dicha circunstancia a este Tribunal.

    Como o grupo Taca/Avianca irá ingressar junto com a Copa na Star no próximo ano, claramente dá pra ver que não há opção senão se manter na ONEWORLD…Pena!

    • Paulo Gottardi

      Bingo.

      Mas dúvida q a fusão saia se forem realmente impostas todas estas condições!

  • Cícero Uberla

    Depois que o comandante Rolim faleceu a TAM, esta indo para o lixo, pois seus herdeiros não tem a capacidade de gestão da empresa, estão entregando de bandeja para os hermanos chilenos, nada contra mas….. para aonde estão caminhando nossas empresas que com certeza foi construidas com muita luta e suor pelos seus fundadores. É uma pena que nossos governantes são os maiores incompetentes em relação as nossas empresas cheguem a esse ponto.

  • Estou vendo vários comentários em preferência pela Star Aliance e, neste caso aqui, achando uma pena caso se confirme a escolha pela OneWorld. Porquê? Já utilizei os serviços da One World várias vezes e gostei muito. O que ela tem de tão ruim comparado com a Star Aliance? Sei que a One World é um pouco menor, mas isso não chega a ser negativo, pois ela tem grandes cias aéreas mundiais filiadas. Alguém sabe me dizer algo sobre isso? Obrigado.