Aeroportos terão lanchonetes com preços mais acessíveis

Denis Carvalho 1 · fevereiro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Uma boa notícia para todos os que usam os principais aeroportos do Brasil. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) pretende criar lanchonetes populares em 12 dos principais aeroportos do Brasil. A ideia da licitação, que deve ser lançada hoje, é baixar os preços dos lanches e alimentos vendidos nos terminais, já tendo em vista a Copa de 2014.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, a  Infraero escolheu 15 itens e fixou um preço máximo que poderá ser cobrado. Um salgado de 80 a 100 gramas, por exemplo, não vai poder custar mais de R$ 3,30. De acordo com o jornal, em aeroportos como o de Congonhas, em São Paulo, um croissant chega hoje a custar mais de R$ 10, já que além de serem poucas, as lanchonetes nos aeroportos praticam preços similares.

O objetivo da proposta é que a concorrência da lanchonete popular leve  os outros restaurantes e cafés a cobrar menos também. Segundo Estadão, um pão de queijo no Aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, custa R$ 3,70. Na lanchonete popular, o passageiro vai pagar no máximo R$ 2 pelo mesmo produto. O cafezinho de 50 ml, que custa R$ 3,20 em Congonhas, na lanchonete popular poderá custar, no máximo, R$ 1,60.

Para chegar ao valor máximo dos produtos, a Infraero realizou uma pesquisa no entorno dos terminais, verificando os preços cobrados pelo comércio fora do aeroporto. O primeiro a receber a lanchonete será o de Curitibae a mesma pesquisa será feita nos próximos aeroportos que receberão a novidade – Confins, Galeão e Salvador estão entre eles. Os aeroportos que serão concedidos à iniciativa privada no leilão do dia 6 de fevereiro (Guarulhos, Viracopos e Brasília) não estão incluídos no projeto de lanchonetes populares.

Confira a lista dos produtos e os preços fixados:

– Pão de queijo (porção com 6 unidades) R$ 3
– Pão de queijo (80 a 100 g) R$ 2
– Salgados de 80 a 100 g (coxinha, quibe, empada) R$ 3,20
– Sanduíche natural R$ 3,90
– Misto quente (pão francês ou de forma) R$ 3,30
– Café simples (50 ml) R$ 1,60
– Café expresso curto R$ 2,70
– Café com leite (300 ml) R$ 2,90
– Leite 300 ml R$ 1,30
– Suco natural 300 ml R$ 3,20
– Suco caixa 250 ml R$ 2,80
– Suco lata 300 ml R$ 3,50
– Refrigerante lata R$ 3,20
– Água mineral sem gás (copo 250 ml) R$ 1,50
– Água mineral sem gás (garrafa 500 ml) R$ 2,30

Sem dúvidas trata-se de uma excelente iniciativa da Infraero, mas que sem dúvida deve causa bastante polêmica, sobretudo por parte das lanchonetes e restaurantes que hoje prestam serviços (caríssimos) nestes aeroportos. Esperamos que estes espaços sejam ocupados por empresas sérias que ofereçam estes produtos com qualidade e acabem com a exploração dos passageiros nos terminais pelo Brasil a fora. Fica também a pergunta: e os aeroportos que serão privatizados? Nunca terão nada neste sentido?

É muito importante lembrar que hoje os preços dos alugueis nos aeroportos são absurdo. Como as empresas vão conseguir vender por esses preços? Só se a Infraero oferecer aluguéis mais baratos para essas “lanchonetes populares” e aí será injusto com as outras empresas. Essa mesma Infraero que acha os lanches caros cobrava R$230.000 por mês de aluguel do McDonald’s do aeroporto de Porto Alegre. Ou seja R$7.600 de aluguel por dia! Imagina quanto tem que vender pra pagar isso?

Leia a matéria completa no site do Estadão

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe