Hotwire e Priceline: um guia para reservar bons hotéis pagando menos

Denis Carvalho 30 · janeiro · 2012

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Os sites de reservas Hotwire e Priceline são uma forma arrojada de encontrar bons hotéis pagando menos em todo o mundo. Para quem sempre quis saber mais sobre o assunto ou mesmo para quem não conhece os sites, publicamos hoje o excelente artigo da leitora Thais M. M. Fernandes, que com exclusividade para o Melhores Destinos explica passo a passo o funcionamento dos dois portais e dá dicas preciosas sobre como encontrar as melhores opções e evitar roubadas. Apenas uma olhada na lista de hotéis fantásticos que Thais já conseguiu mundo a fora pagando verdadeiras pechinchas é o suficiente para despertar a atenção neste excepcional artigo e conhecer os dois sites. Aproveitem, pois não é todo dia que encontramos uma ajuda tão completa e detalhada sobre um assunto que poucos dominam e podem fazer toda a diferença nas suas próximas férias:

Este artigo tem como objetivo fornecer informações iniciais aos viajantes que querem pagar menos e ficar em hotéis melhores, já que  só mesmo a experiência para ensinar a cada um qual a melhor estratégia a seguir.

Se você é do tipo que usa sempre uma agência de viagens para ir para o exterior (o que não condiz muito com o perfil que imagino  dos leitores do Melhores Destinos), esqueça! Para jogar no Hotwire.com ou no Priceline.com, não se pode ter aversão ao risco, pois ele é inerente às compras opacas.

 Conhecendo os sites

Hotwire.com e Priceline.com são dois sites de viagens, focados principalmente em hotéis (embora também façam reserva de carros e venda de passagens aéreas), que trabalham com as chamadas vendas “opacas”. São braços dos sites Expedia.com e Booking.com. Logo, dispensam mais considerações acerca de sua confiabilidade.

A diferença básica entre o Hotwire e o Priceline é que no primeiro o hotel e o preço já estão definidos, muito embora o cliente não saiba, de antemão, que hotel o site oferece. Por exemplo: procuro um hotel em Nova York, entre os dias 16 e 19 de fevereiro de 2012. O primeiro hotel que o site me oferece está assim descrito: “Midtown East area hotel, 3,5*, US$118.00, recommended in 90% of Hotwire customers reviews”. Ou seja, o hotel está ali, está definido, muito embora eu não saiba seu nome.

O Priceline, por sua vez, trata-se de um leilão de hotéis, no qual o cliente define o quanto quer pagar, a área desejada, datas e estrelas. A “aposta” sempre se refere a um quarto duplo, ou seja, se vocês são em mais de dois melhor apostar em dois quartos, ou assumir o risco de o hotel não aceitar a terceira pessoa ou cobrar por ela. Sei de casos em que não houve nenhum problema com a terceira pessoa, mas é sempre um risco, especialmente em países da Europa, nos quais é difícil arrumar quarto triplo (é o caso da Espanha).

Não é incomum, especialmente com o Priceline, conseguir descontos de até 60% em relação ao preço cotado em outros sites, para reserva sem pagamento antecipado. Mas isso vai depender da demanda naquele momento. Se houver, por exemplo, um congresso em determinada cidade, pode ser que os descontos não sejam interessantes e que a melhor opção seja partir para a reserva tradicional.

 

E como isso é possível?

Tanto o Priceline quanto o Hotwire trabalham com grandes redes hoteleiras, mas também há hotéis independentes. Rede Accor, Marriott, Intercontinental, Hyatt, que eu me lembre.

Os hotéis buscam sua ocupação máxima, ainda que tenham que reduzir o preço. Quarto vazio é prejuízo. Mas eles não podem fazer isso de forma ostensiva, sob pena de outros clientes recusarem-se a pagar a tarifa “cheia” ou quase.

Assim sendo, cada hotel possui seu limite de preço “mínimo”, que não é revelado para os potenciais clientes.

 

Por que usar esses sites se não se sabe qual hotel pode-se tirar?

No meu ponto de vista, duas são as estratégias básicas: reduzir despesas ou obter um hotel mais confortável pelo mesmo valor que se pagaria por um hotel mais simples. Geralmente, esta última é minha estratégia. Procuro me hospedar sempre em hotéis 4 ou 5 estrelas, o que reduz significativamente (espero!) o risco de pegar um hotel ruim.

 

Riscos?

Sim, há alguns. O primeiro, obviamente, é de vocês tirarem um hotel que, por um motivo ou outro, não lhes agrada, o que poderia ser evitado se vocês soubessem o nome do hotel e tivessem feito uma pesquisa prévia na internet.

O segundo, o de ficarem com o pior quarto do hotel, aquele que está pedindo urgentemente por uma reforma.

O terceiro, é de pegarem um quarto de fumante quando você é não fumante.

O quarto, é o de não poderem escolher o tipo de cama. Por exemplo, dois amigos viajando juntos vão ter que, eventualmente, dividir uma cama de casal.

O quinto, é de precisarem de uma cama extra e o hotel não dispor ou cobrar um valor absurdo por isso.

O sexto, é de haver alteração nos planos de viagem. Uma vez comprado, o dinheiro não será ressarcido. Sei, contudo, que em caso de falecimento ou doença na família o Priceline devolve o dinheiro. Não conheço a política do Hotwire para essas situações.

Sempre fiquei muito satisfeita com o resultado de minhas apostas. Nunca fiquei em nenhuma espelunca, talvez por focar sempre em hotéis de categoria superior. Os hotéis, dentro do possível, tentam acomodar os clientes. Assim, se você pedir camas twins, eles vão tentar atender seu pedido. O mesmo com relação ao quarto de não fumante, observada sempre a disponibilidade do hotel.

Mas tomo algumas precauções. Dificilmente vou usar um desses sites se não houver uma delimitação geográfica mínima. Nessa linha, quando Moscou foi incluída no Priceline em 2010/2011, só havia uma única área. Preferi não apostar. Vai que o hotel ficava lá do lado do aeroporto Domodedovo (na periferia da periferia)? Já em NY, Miami e outras cidades americanas, esse problema não existe, pois são diversas as áreas delimitadas.

Algumas pessoas se preocupam com o fato de, na hora do check-in, o funcionário mencionar algo como “ah, reserva pelo Priceline (Hotwire)”. Nunca ocorreu isso comigo e, se ocorresse, não ficaria nem um pouco incomodada. Só se sente ofendido aquele que se coloca numa posição inferior, não? “Priceline? Sim! Graças a Deus paguei só US$120.00 por esse Marriott Viena, enquanto que os bobos pagaram US$ 250.00!

 

Como funcionam os sites?

 

HOTWIRE.COM

Entre normalmente com as datas, a cidade e o número de pessoas por quarto desejados. O padrão é que o apartamento seja para 2 pessoas, mas vocês podem tentar mais no Hotwire.

O site vai lhes mostrar os hotéis com o respectivo valor, sem especificar o nome, mas detalhando o número de estrelas, a área (de acordo com a divisão geográfica estabelecida pelo próprio site) e algumas “amenidades”. Segundo eles, o número de estrelas decorre da avaliação dos clientes e não auto-classificação dos hotéis. Muitas vezes, vêm informações que considero preciosas: o percentual de recomendação dos clientes e/ou a avaliação dos leitores do Tripadvisor.com. Geralmente, fico tranquila quando o índice de satisfação é superior a 85% ou a avaliação no tripadvisor é superior a 4 (no total de 5).

As diárias não incluem café da manhã, salvo especificado nas “amenities” ou alguma grata surpresa (que nunca ocorreu comigo). Geralmente, o café da manhã só é oferecido no preço das diárias para hotéis padrão 2,5* ou, no máximo 3*, o que condiz com a política das cadeias hoteleiras nos EUA e na Europa. A internet pode ser paga ou grátis, também de acordo com a política do hotel.

Para minimizar o risco de fazer uma compra opaca, é preciso que o viajante tenha conhecimento das áreas ofertadas ou faça uma pesquisa prévia, para saber se a localização atende suas necessidades. É claro que, quanto maior for o número de áreas mostrada na cidade, mais fácil é descartar aquelas que não interessam e centrar a escolha nas áreas mais adequadas.

As cidades americanas de grande ou médio porte são as que o site nos apresenta as melhores divisões, o que facilita em muito a árdua (mas deliciosa, no meu ponto de vista) tarefa de escolher o hotel. Vejam, por exemplo, Nova York. São inúmeras áreas em Manhattan. Fica fácil restringir sua pesquisa.

Escolhido o hotel, a página vai informar o valor total, no qual são incluídos os impostos e taxas. Uma vez aceito, o interessado deve preencher os dados do cartão de crédito. Feita a compra das diárias, o nome do hotel é automaticamente revelado.

Além da tarifa, alguns resorts ainda cobram a chamada “taxa de resort”, o que virá informado na hora da aquisição e está de acordo com a política desses hotéis para os demais hóspedes.

 

PRICELINE.COM

A utilização do Priceline é um pouquinho mais complexa, mas também gera as maiores economias. O primeiro ponto a esclarecer é que, caso a aposta do usuário não seja aceita, ele apenas poderá tentar novamente o lance, para a mesma área e categoria de hotel, após 24 horas. Nada impede contudo, que sejam acrescentadas outras áreas ou alterada a categoria do hotel que se busca. Mais adiante, darei outras informações nesse sentido.

O site oferece tanto leilão quanto ofertas normais, sendo estas geralmente para pagamento antecipado. Interessa aqui, contudo, apenas o leilão que, como não poderia deixar de ser, pressupõe o pagamento integral (somente se sua oferta for aceita), por meio de cartão de crédito.

Ao entrar no site, escolha a opção hotel e preencha os dados relativos à cidade, número de quartos e datas.

Quando aparecerem os hotéis, clique na aba laranja, na qual se lê “Best deal, name your own price”. Na próxima página surgirão as áreas nas quais a cidade foi dividida e a categoria dos hotéis (estrelas). Recomendo fortemente que as pessoas façam uma pesquisa para conhecer as áreas, de modo a cotejar o mapa apresentado com outros obteníveis no booking.com ou no tripadvisor. Tenham um conhecimento mínimo da localização, para depois não se arrepender. Esse conselho aplica-se integralmente ao Hotwire.

É também importante que o usuário faça de uma única vez a aposta no número de quartos que deseja, para o período desejado. Não há nenhuma garantia que, após completar a compra, vá conseguir obter outro quarto no mesmo hotel ou prorrogar a estada lá. Esta última situação parece ser mais fácil resolver. Algumas vezes nos oferecem a possibilidade de estender a estada pela mesma tarifa.

Escolhida a área, apenas a categoria de hotéis disponíveis estará aberta para marcação. Por exemplo, estou pesquisando Miami. Se eu escolher a região chamada Dadeland, as opções 4 e 3,5* não estarão disponíveis. Isso significa que não há hotéis dessa categoria para o leilão naquelas áreas. Essa informação é extremamente relevante para o processo de rebidding, mais adiante explicado.

Mas suponham que eu queira ficar em Miami Beach (seja North Beach, South Beach Central, South Beach – Collins Avenue Oceanfront ou South Beach Ocean Drive) e que eu busque um hotel 4*. Primeiro, eu escolho a área South Beach – Collins Avenue Oceanfront (SBCAO). Começo com um lance de, por exemplo, US$80 (que, já sei de antemão, é muito baixo para a área). A barra abaixo do local onde preencho o lance vai me dizer qual a economia estou fazendo em relação aos preços de mercado (da internet, não de balcão), bem assim vai me mostrar qual a minha chance de ter um lance vencedor Maiores economias, menores chances de ser aceita a oferta. No exemplo dado, minha economia hipotética seria de 87% e minhas chances muito baixas. Mas esse dado não me importa muito, num primeiro momento, pois me guio mais pelos valores mencionados pelos clientes no betterbidding.com.

A seguir, preencho o nome do hóspede (que pode ser outra pessoa que não o jogador). Na página seguinte, posso rever minha oferta e verificar o valor total das diárias, já com o custo das taxas e impostos. Se estiver de acordo, marco o quadradinho no final da página, que pede a inicial do cliente, com qualquer coisa (sempre coloco um “x”). Há também uma opção de seguro para cancelamento de viagem, que nunca peguei, pois só vale para cancelamento por força maior.

Na página seguinte, preencho meus dados pessoais – nome, endereço, telefone e cartão de crédito. Atenção! Como só há opção de dois países, EUA e Canadá, vocês devem dizer que reside em um deles, mesmo não sendo verdade. O ZIP deve ser de 5 dígitos. Assim sendo, informo meu endereço correto, fora o país e o ZIP. Dessa forma, resido em Brasília, na Califórnia (ou qualquer estado americano), e meu ZIP é “99999”, como poderia ser “44444” ou qualquer outro número. “99999” sempre funcionou!

Não há nenhum problema em fornecer a informação incorreta, pois isso decorre da limitação do site. Pessoas que moram na Europa, por exemplo, têm que fazer algo semelhante. Isso não trará nenhum tipo de transtorno ou perda de direitos. O que interessa, no final, é que o número do cartão de crédito seja válido.

Preenchida a página, só resta clicar em “buy my hotel room now”. Eles vão processar o pedido. Se aceito, meu cartão de crédito é debitado automaticamente. Se recusada a oferta, não há débito.

Uma vez recusada a oferta, tenho as seguintes opções: esperar 24 horas para apostar na mesma área e categoria de hotel; mudar de área (saia do site e entre novamente); acrescentar uma área; baixar a categoria de hotel (não há como aumentar a categoria – quando se aposta num 3, por exemplo, o site considera que se está apostando não apenas nessa categoria, mas em todas as superiores).

No meu exemplo, digamos que eu também aceite ficar em North Miami Beach (NMB) Continuo no site e acrescento essa área. Posso subir ou não a aposta. Digamos que eu ache que NMB é mais barato que SBCAO. Aposto sempre pensando que vão me oferecer o hotel mais barato da categoria para ambas as áreas. Do contrário, corro o risco de um overbidding, ou seja, de pagar acima do mínimo necessário para ficar em NMB.

Uma estratégia muito interessante é acrescentar áreas para as quais não haja hotéis da categoria tão alta quanto a que desejo, mesmo que eu não queira essa área. No meu exemplo, se eu simplesmente acrescentar Dadeland e mantiver a categoria 4*, significa que continuo a apostar em SBCAO, porque não há hotéis 4* em Dadeland. Assim sendo, se minha oferta de US$80 não foi aceita, terei a oportunidade de aumentar a oferta no mesmo dia. Aumenta o quanto quiser – US$ 1, US$ 5, US$ 10 (por diária), etc. Os mais pacientes ou que dispõe de mais tempo, aumentam bem pouco. Atualmente, tenho optado por apostar de US$5 em US$5, para que o processo seja mais célere.

Mas, cuidado, tenham certeza antes que a nova área não tem a sua categoria de hotel escolhida, ou corre-se o grande risco de ficar em um local indesejado (e pagando muito!).

 

Ajuda externa

Para ter uma noção das apostas vencedoras e pedir ajuda sobre que estratégia seguir, bem assim para tentar descobrir o nome dos hotéis do Hotwire, é de inestimável ajuda o site betterbidding.com, que é um fórum de discussões. Recomendo que os futuros jogadores se cadastrem nesse site. A única coisa que os organizadores pedem é que as pessoas entrem no Priceline ou no Hotwire via os links que constam na parte superior da página do site. E, também, que deem um follow up de suas apostas (qual hotel tirou, por quanto, para qual período). Ao que parece, eles ganham um pequeno percentual das apostas. É isso que permite que o site funcione. Mas não se preocupem, o valor da aposta a ser aceito é exatamente o mesmo, entrando ou não pelo link do betterbidding.com, segundo minha experiência.

 

Conclusão

Como disse, somente a experiência vai mostrar para vocês qual caminho seguir. Se são avessos a riscos, não têm tempo para fazer uma pesquisa mínima (valor dos lances, áreas, histórico dos hotéis ofertados, dentre outros) ou se seus planos podem ser alterados com facilidade, não pensem em usar Priceline ou Hotwire. Do contrário, vão com cautela, até conhecerem melhor o funcionamento dos sites.

Nem pensem em Código de Defesa do Consumidor, pois esse site é americano e rege-se pela regra deles. Assim, se na época da “gripe suína” alguém desse o “pity” para não ir ao Chile (como vi acontecer, infelizmente, com muitas pessoas), adeus dinheirinho.

De outro lado, eles são bastante razoáveis. Quando houve aquele problema com o vulcão na Islândia, de nome que não sei escrever, consta que o Priceline devolveu dinheiro para muitas pessoas que se encontraram impossibilitadas de viajar.

Além da boa economia e dos excelentes hotéis, que talvez não tivéssemos condições de pagar, é muito divertido (especialmente o Priceline, que é minha “cachaça”, meu único vício).

Eis os hotéis que já tirei, via Priceline: Marriott (Frankfurt e Viena, ótimos), Renaissance (Munique – razoável, mas faltava ar condicionado, como ocorre em muitos hotéis na Alemanha), Intercontinental (Budapeste – muito bom!), DiviVillage (Aruba – muito bom), Colonnade (Boston, excelente), Warwick (Nova York, muito bom!), Pullman (Paris – muito bom, mas distante da parte turística), Silken (Madrid – bom hotel), NH (Salzburg – bom hotel) e Hyatt (Nieuwpoort, Curaçao – ainda vou). Em todos eles, fiz uma boa economia e sempre fiquei muito bem instalada.

Até hoje, optei pelo Hotwire uma única vez – gosto da emoção do leilão e da possibilidade de ficar em um hotel melhor, pelo mesmo valor – e consegui ficar no Hilton Garden Inn, na Filadélfia, por apenas US$70. Mas muitos conhecidos usam o Hotwire e já ficaram em diversos resorts e hotéis 4 e 5 estrelas, em cidades como Nova York, Las Vegas e Paris.

Vejam que o Hotwire oferece menor risco, pois é possível até tentar descobrir o nome do hotel, consultando o site betterbidding.com. O Hotwire também permite que você tente incluir mais que duas pessoas no quarto. Nesse caso, a oferta de hotéis ficará restrita àqueles que aceitam, por exemplo, 3 hóspedes no quarto. Há alguns hotéis, inclusive, que oferecem a “bed choice”, ou seja, vocês podem dizer se querem cama de casal ou twin. Em contrapartida, os preços tendem a ser maiores que no Priceline.

Boa sorte para vocês!

 

Agradecemos à Thais por nos brindar com este guia completo sobre os sites Hotwire e Priceline, que com certeza é um dos melhores e mais completos guias já feitos em português e certamente será de grande utilidade a todos os leitores. E você, já usou um desses sites? Tem mais alguma dica? Compartilhe com os demais leitores nos comentários abaixo!

 

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe