Greve de funcionários ameaça parar companhias aéreas às vésperas do Natal

Denis Carvalho 14 · dezembro · 2011

Não perca mais nenhuma promoção!

Promoções no e-mail

Faça como 1 milhão de brasileiros. Cadastre seu email e receba as melhores promoções de passagens!

Promoções no Whatsapp

Agora você pode receber promoções direto no Zap! Escolha se quer receber todas ou só as melhores!

Em plena campanha por reajuste de salários, os aeronautas (tripulantes) e aeroviários (funcionários que trabalham em solo) ameaçam iniciar uma greve no dia 22 de dezembro.  Os trabalhadores querem 10% de aumento salarial e 14% de aumento sobre os pisos. A proposta inicial era maior (13% e 20%, respectivamente), mas as categorias reduziram os índices “para demonstrar boa vontade nas negociações”, segundo o informa comunicado do setor. As empresas oferecem 3% de reajuste sobre os salários e aumento igual ao INPC sobre os pisos (equivalente a cerca de 6%).

Diante do impasse, não havendo avanços nas negociações, os sindicatos e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac/CUT) convocaram os trabalhadores para dar início a greve no próximo dia 22. “Não podemos aceitar um reajuste menor do que a inflação, porque isso significaria que os trabalhadores ganhariam menos em 2012 do que recebem hoje. Também não abrimos mão do aumento real dos salários. As empresas aumentaram as passagens em cerca de 56% nos últimos meses e o que estamos reivindicando é menos do que 3% desse aumento nas tarifas. Portanto, é justo e viável para as companhias”, diz Celso Klafke, presidente da Fentac/CUT e do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre.

O comunicado à Imprensa informa ainda que a iminência de uma greve às vésperas das festas de fim de ano também incomoda os trabalhadores, mas garante que todos os esforços foram envidados pelos sindicatos para evitar que essa situação se repetisse. “Encaminhamos nossa proposta para o sindicato patronal com duas semanas de antecedência, em 15 de setembro, para que tivessemos a renovação da convenção coletiva concluída na data-base, em 1º de dezembro. As empresas, no entanto, levaram quase 50 dias para apresentar sua contraproposta e não aceitam negociar nada diferente disso. É essa intransigência que está levando à greve. Não é o que nós queríamos, mas precisamos renovar a convenção e não podemos aceitar esse índice, que prejudica demais os aeronautas e aeroviários”, explica Gelson Fochesato, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas.

“Como vai ser o Natal dos trabalhadores das companhias aéreas, completamente sobrecarregados, com diversos direitos desrespeitados, sofrendo constantemente assédio moral e risco de vida por negligência das empresas? Como vai ser o ano novo sem a renovação da convenção coletiva, mais uma vez, pela total falta de respeito das companhias com seus funcionários? É papel dos sindicatos defender os trabalhadores e é por isso que estamos tentando de todas as formas fazer com que as empresas avancem essa negociação, oportunizando condições dignas de trabalho e um salário decente. Precisamos lutar por isso e contamos com a compreensão dos passageiros e da sociedade brasileira, que também é trabalhadora, como nós”, ressalta Selma Balbino, presidente do Sindicato Nacional dos Aeroviários.

Caso as negociações avancem antes do dia 22, as categorias prometem realizar novas assembleias para avaliar a proposta. A primeira delas está marcada para a próxima sexta-feira, dia 16/12, às 14 horas.

A ameaça de greve na época de maior movimento do ano é sempre preocupante, mas não acreditamos que esta paralisação venha de fato a ocorrer. Estamos certos de que as companhias aéreas e os trabalhadores chegarão a um consenso e evitarão este extremo, que prejudicaria em primeiro lugar milhares de brasileiros que nenhuma relação tem com o assunto e se programaram, muitas vezes até com dificuldade, para passar as festas de fim de ano com seus familiares e amigos.

De todo modo, continuaremos acompanhando o caso na esperança de darmos boas notícias o quanto antes!

A notícia na íntegra você encontra no site dos Aeronautas

 

Autor

Denis Carvalho - Editor chefe